COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

CARDEAL

Carlos Miguel Aidar não fala como candidato à presidência do São Paulo. Fala como futuro presidente. A rotina do advogado de 67 anos já foi alterada pela campanha e pela antecipação de uma mudança radical. Mas Aidar não está se preparando para disputar a eleição marcada para abril de 2014. Está se preparando para comandar o São Paulo. “Não entro para perder”, diz.

A história da candidatura de Aidar é um testemunho de sua representatividade e um exemplo do funcionamento das coisas no São Paulo de Juvenal Juvêncio. “Dois meses atrás, eu nem pensava nisso. Mas as coisas mudaram rápido”, conta. Mudaram porque Juvêncio resolveu assim. Na noite em que o São Paulo perdeu para o Criciúma, no Morumbi, uma reunião de conselheiros aconteceu no estádio. Carlos Miguel não costumava frequentar esses encontros, mas recebeu um telefonema de uma das três secretárias do atual presidente dizendo que sua presença era necessária.

Na reunião, Juvêncio falou sobre o processo sucessório e mencionou os possíveis candidatos. Para a surpresa de todos, principalmente do próprio, citou Carlos Miguel. “Imediatamente pedi a palavra e afastei a possibilidade. Não pensava em voltar e minha vida profissional não permitia. Até desejei boa sorte a todos”, conta. Mas ao final das conversas, um grupo de conselheiros se aproximou de Aidar e tentou convencê-lo a se candidatar pela situação, uma vez que o apoio de Juvêncio era evidente.

Poucos dias depois, Carlos Miguel saía para ver seus netos quando Juvenal ligou. Queria conversar. No encontro, em sua casa, o presidente foi direto. “Ele disse que eu tinha de aceitar. Perguntei qual era a condição e ele respondeu: nenhuma”, lembra Aidar. “Ali eu já estava ‘mordido’, e aceitei”. A concordância dos sócios no escritório de advocacia que leva seu nome resolveu o aspecto profissional da questão, e permitiu que Aidar voltasse ao clube, em campanha. Para muita gente no São Paulo de hoje, ele tem de contar quem é e o que conquistou na década de 1980, quando foi presidente.

Carlos Miguel Aidar entende que a forma como o São Paulo foi administrado nos últimos anos impede a prática de gestões modernas. Ele está em contato com a FGV e com o Instituto Aquila para transformar o clube internamente e implantar seu estilo de comandar. Por coerência com o que fez – em 1987, ano da criação do Clube dos Treze e da Copa União – e pensa, promete tentar retirar a ação na Justiça em que o São Paulo briga pela Taça das Bolinhas. Um claro exemplo de como o clube pode ser representado de maneira mais sensata e menos ruidosa.

Aidar tem boa impressão do trabalho do gerente executivo Gustavo Vieira de Oliveira, é favorável a que o São Paulo dê total liberdade para Rogério Ceni decidir seu futuro, e conta com Muricy Ramalho no banco de reservas. “Já disse ao Muricy que, no dia seguinte à eleição, ele receberá um contrato com a mesma duração da minha gestão”, revela. Três anos. Ou seis? Ele sorri, provavelmente pensando nos benefícios de uma reeleição. Carlos Miguel tem a história, o verniz e as ideias.

LIGA

Aidar acredita que, no futuro próximo, o produto mais valioso do futebol brasileiro será um campeonato organizado por uma liga de clubes, com um número menor de participantes do que o Campeonato Brasileiro atual. Ele tem um projeto para chegar a esse produto. Também acredita que Marco Polo Del Nero será o próximo presidente da CBF.

PARABÉNS EM 2014

Quando um clube grande é rebaixado pela primeira vez, e volta, é natural que comemore a conquista da Série B como quem retorna a seu patamar habitual. Quando o processo acontece pela segunda vez, como se deu com o Palmeiras, também é natural que a sensação seja diferente. A alegria está lá, como resultado de um trabalho bem sucedido. Mas é uma alegria que convive com dúvidas. A tarefa de quem toma decisões é eliminá-las. O ano do centenário do Palmeiras tem de ser o ano das certezas.



  • Eddie The Head

    Então devemos supor que é o fim da Era JJ no São Paulo? Veja,não sou sãopaulino,mas estamos falando do presidente que mais conquistou títulos pelo tricolor paulista,três brasileiros,uma Libertadores,um Mundial e uma Sulamericana.

    AK: Ele não pode concorrer a mais um mandato. Um abraço.

    • Anderson

      Que Mundial e Libertadores o São Paulo conquistou com ele?

      • anderson

        Simplesmente jj é o maior egocentrico q esse futebol ja viu. chegou a manchar a história do clube, mudando seu estatuto só pra poder se reeleger novamente. nunca gostou de gastar para ter bons jogadores. espera até dois, tres anos para contratar um bom jogador qndo seu contrato acaba para q ele venha de graça…e quer saber a ultima? o vice disse q o sao paulo precisa de apenas 3 ou 4 reforços.kkkkkkkkkkkkkkk….o time lutou contra o rebaixamento durante o ano todo e acaba de tomar de 3 da ponte em pleno morumbi, dando praticamente adeus a sulamericana.ow, perdemos para o time mais fraco dessa copa sulam… como é que jogadores como douglas,edson silva,paulo miranda,maicon, welliton(q acabou de perder um gol sem goleiro qndo o sp mais precisava), como é q esses caras podem jogar num time como o sao paulo futebol clube???????

      • Paulo

        O São Paulo não conquistou a libertadores e mundial com JJ, em 2005 era último mandato do Portugal Gouvêa (melhor presidente que já vi) o JJ entrou no ano seguinte em 2006 conquistando três brasileiros consecutivos 2006, 2007 e 2008 e uma Sul Americana e só

  • Gilmar Lima

    Só uma correção Eddie, o São Paulo ganhou Libertadores, Paulista e Mundial em 2005 na gestão Marcelo Portugal Gouveia, os tres brasileiros sim foram na gestão JJ, acho que já deu o tempo dele, fez muita coisa boa e se atrapalhou nos ultimos tempos, ta bom, ta na hora de mudar.

  • Vinicius Alves

    Vejo que a gestão de Juvêncio foi de picos, cheia de altos e baixos, exemplos claros de momentos de baixos foram a saída de Muricy Ramalho, o pacote de contratações dos últimos anos, o desenrolar da história do Adalberto B. A venda de jovens atletas promissores da base como o Piazon e a insatisfação de outros como a do Meia Oscar, hoje titular da Seleção Brasileira. Os altos da gestão foram os títulos, Libertadores, Mundial de clubes, o Tri campeonato Brasileiro, Paulistão, Copa Bridston Sul Americana, título do amistoso Copa Eusébio. A volta de Muricy pode também se considerar como um título, enrao está no pico deste gráfico.

    • Amarildo

      Então vamos analisar o São Paulo de Juvenal Juvêncio, como todos sabem o São Paulo, ganhou vários títulos, como também perdeu alguns, ou seja, se realmente fomos começar analisar, não estaremos sendo juntos, porque o (JJ), realmente soube administrar, porém infelizmente ele não soube criar uma gestão prolongada. Como todo mundo sabe o esporte hoje é analisado pela gestão prolongada, porque não temos mais uma base solida e bem estrutura aonde revelamos jogadores ao contrario de apenas um jogador, entendo que o futebol brasileiro está decadente nesse fato, porém o São Paulo sempre soube administrar essa situação, mas infelizmente não está conseguindo mais.
      Precisamos de uma pessoa que tenha gestão prolongada e visão, ai sim conseguiremos mostrar que somos melhores que muito time estrangeiro. Obrigado!

  • Ricardo

    Se o Juvenal tivesse deixado a presidência conforme determinava o antigo estatuto, em 2010, teria entrado para a história do São Paulo como um de seus maiores presidentes: tricampeão brasileiro (embora já fosse o homem forte do futebol desde 2002 e os títulos de 2005 também possam, na minha opinião, ser creditados em sua conta), fortes investimentos no CFA de Cotia, modernização do Morumbi e multiplicação das receitas anuais. Sucesso esportivo, financeiro e uma gestão marcada por importantes investimentos em infraestrutura. O problema é que, nos tempos de bonança, quem já tem uma personalidade autoritária e megalomaníaca tende a acentuar essas características. De 2010 pra cá, sua imagem ficou associada exclusivamente a fanfarronices, bravatas e planejamentos intempestivos e desastrados. A trajetória do Juvenal pode ser útil para analisarmos a situação do Rogério Ceni. O Mito, na minha opinião, tem de encerrar a carreira em 2013, para fechar com chave de ouro (com o título da Sul-Americana) uma carreira espetacular. Não pode correr o risco de, em função da idade, começar a cometer falhas seguidas, ser questionado pela torcida, etc. Ele tem de se aposentar e não ser aposentado, na marra, futuramente, por causa de baixo desempenho. Zubizarreta, Rodolfo Rodriguez e Peter Shilton estenderam a carreira para além do recomendável. E não terminaram suas jornadas à altura dos grandes goleiros que foram. Como são-paulino, não gostaria que isso acontecesse com o Rogério Ceni.

  • Dyl Blanco

    Se, e esse “se” teria que ser maiúsculo e negrito, Aidar tiver a disposição de levar adiante o sonho da Liga Nacional, o São Paulo poderá se tornar um marco no futebol brasileiro. Dispõe de estrutura invejável, de profissionais técnicos do melhor nível, e a melhor prova disso foi conseguir passar por um período sombrio (gestão JJ) quase incólume, aliando-se isso a uma gestão moderna , eficiente e influente, como uma das cabeças pensantes de uma reforma tão sonhada no formato do futebol profissional nacional, será capaz de constituir uma hegemonia expressiva. E digo isso consternado pois gostaria muito de encontrar todos esses atributos naquele time lá da Vila Belmiro.

  • David

    Por tudo que li a respeito dos candidatos a presidencia do SPFC, o Aidar na minha opiniao eh o mais qualificado e aquele que apresentou as melhores ideias.

    Fica claro que um dos elementos mais tradicionais e arcaicos do SPFC (o fato de nao dar voz a sua torcida na eleicao), eh algo que hoje ainda se faz necessario. A torcida ja falha em entender de futebol, que dira sobre administracao e os demais inumeros de fatores que compoe os bastidores desse ambiente do futebol. Digo isso porque a torcida quer de maneira geral e instintiva apoiar a oposicao pelas magoas com JJ, e nao ve que ele, pelas qualidades que tem, escolheu a dedo aquele que eh o melhor pro SPFC hoje.

    Pra finalizar, o Kalil nao eh ruim, e eh saudavel que se tenha uma oposicao tb forte e qualificada sempre. Mas o fato da torcida o apoiar cegamente eh parte do problema incuravel da populacao brasileira na sua ignorancia.

  • Rodrigo-CPQ

    Como corinthiano, preferia o JJ por mais uns anos no comando do SPFC. O Aidar vai colocar o clube nos eixos.

    Como amate de futebol, me preocupa a frase “Também acredita que Marco Polo Del Nero será o próximo presidente da CBF”. Del Nero na CBF. Já imaginava por isso, mas é desalentador. Essa máfia na CBF é igual a “Caverna do Dragão”??? Nunca acaba???

  • Eddie The Head

    Onde estão as notinhas pós rodada? Logo na reta final elas pararam?

  • Na minha opinião esse último mandato do JJ foi regular, sendo regular foi abaixo do que o SP pode render, não sou torcedor do SP mas acho que ta na hora de trocar de presidente. http://bolanamente7.blogspot.com.br/ Deem uma conferida no meu blog, é novo mas estou tentando fazer algo de qualidade!

  • Clayton

    Entrevista (descontraída) do Aidar para o pessoal do Arquibancada Tricolor, em 3 partes. Vale muito a pena, André.

    http://www.youtube.com/watch?v=lgpD7ugquTI

  • josevan oliveira santos

    eu josevan eu sou são paulino. eu ater hoje eu não intendo como vocês candidato a presidência do clube vocês vei elogiando o sr presidente seu juvenal por que o que ele fez no são paulo não fez mais do que obrigação dele como o funcionário de uma empresa qualquer . do restante ele só fez cacada não tem um pouco noção do quer um jogador que jogue bola proenzepro ele só contrata jogador quando um jogador joga bem contra o são paulo.vou falar alguns jogador que ai estar entre eles são Edson silva este paulo mirada este caramelo e Osvaldo Douglas este rone e fabrico o outro que ai estão este volante Edmílson que só sabe bater eu não sei a onde vocês ver futebol nele pra jogar no são paulo e pro causa disso que o são paulo no mata mata não ganha uma.eu vou falar por que não entende de jogador bom vou de alguns jogador que sairo do clube de graça como ele o Arouca foi trocado pelo jogador rodrigo souto um jogador velho.que nem fez nada no são paulo e tanbem o Jean que foi embora de graça pro fluminense e o cicero que foi pro santos e o Rodolfo que estar no grêmio os dirigente de outros clube já estão acostumado com as cacada do sr juvenal que o grêmio já ofereceiro dois jogador fim de carreira pelo Rodolfo são eles elano zé roberto ninguém merençe isto que dizer que o presidente como este é bom.pelo jeito este novo candidato a presidência o sr aidar. é a sobra do sr juvenal já falou que não e são paulino mais vai fazer de tudo pelo o são paulo o cara que não é são paulino ele só vai pro são paulo arruma a vida financeira como sr juvenal e outros jogadores. fez vendeu tanto jogador bom e depois sai dizendo que não contrata jogador pra não fazer loucura parece que auguei a credita nisso nos que samos torcedor vendo um clube como são paulo jogando só pra não cair por que e isso a realidade que o são paulo não tem elenco pra disputar um mata mata principalmente títulos pode ter um treinador melhor do mudo que der jeito com o elenco que tem o são paulo só vai me lora quando Rogério cene estiver la dentro pelo contrario nada feito e bom a torcida se acostumar pelo visto não vai vi coisa boa da parte do novo presidente isto deveria acabar com estas votação entre eles isto tinha que ser votado pelo torcedor por que e o torcedor que baca o clube isto significa que o presidente que não tem planejamento. eles não tira pelo o André que nem era presidente mizina se foce chances invés de ficar criticando ou o que ele fez pelo Corinthians eu tenho inveja sim isto e a realidade tem que ser dita o que vocês não tem a celeridade eu como são paulino fico indi guinado quando clube estar nas mãos de pessoas errada e nos não pode fazer nada. fora os gasto que tem. como este jogador que ai estão sem fazer nada como o seu lúcio este clemente rodrigues.bom estai os meus cometário sobre o meu glorioso são paulo e do que eu acho do novo presidência.desejo uma boa sorte

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo