COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

NOVA MENSAGEM

Os jogadores que participam do Bom Senso FC vibraram ao ver, pela televisão, que o protesto idealizado há cerca de duas semanas havia se materializado na Arena do Grêmio. Entre os que estavam em casa ou concentrados em hotéis para os jogos das 21h50, a entrada da faixa nas mãos de gremistas e vascaínos transformou ansiedade em alívio e, depois, alegria.

Quando soou o apito e os braços se cruzaram, o grupo criado pelo movimento no aplicativo para celulares WhatsApp foi inundado por mensagens e exclamações. Nas telas dos telefones dos jogadores envolvidos nas partidas das 21h, as notícias e as palavras de apoio funcionaram como estímulo. A onda histórica que passou pelos estádios na noite de quarta-feira se avolumava.

Mas logo apareceu a sombra dos que não desejam a evolução do futebol no Brasil. Por intermédio dos quartos árbitros que trabalharam nos jogos do Maracanã e do Heriberto Hulse, chegou aos vestiários a ameaça de cartões amarelos para quem levasse o protesto adiante. Mensagens voltaram a ser trocadas ao redor do país para discutir a questão.

Jefferson, goleiro do Botafogo, fez uma das ponderações mais significativas da conversa. Disse que seu time tinha quatro jogadores pendurados, seria muito prejudicado se os perdesse para a rodada seguinte em meio à tentativa de alcançar a Copa Libertadores. O grupo o deixou à vontade para tomar a melhor decisão. No Rio de Janeiro, braços cruzados antes do apito. Em Criciúma, meio minuto de paralisação após o início do jogo.

Àquela altura, o dilema preocupava os jogadores que se preparavam para entrar em campo no horário mais tardio. Um debate se estabeleceu entre os vestiários do Couto Pereira e do Novelli Júnior. Em Itu, havia o temor de que a exibição da faixa citando a CBF resultasse em punição para os clubes. Elias, volante do Flamengo, recebeu um telefonema de Curitiba e tranquilizou seus interlocutores, garantindo que a faixa seria levada ao gramado.

O quarto árbitro também levou o recado ameaçador a flamenguistas e são-paulinos, e o WhatsApp entrou novamente em ação. Do Paraná, o lateral corintiano Alessandro respondeu com firmeza às dúvidas de colegas no interior de São Paulo: “Chegamos até aqui. Não vamos desistir por causa de um cartão amarelo”. Foi quando a solução para evitar a advertência por retardar o jogo foi sugerida por Rogério Ceni: tocar a bola de um lado para outro.

O plano foi transmitido a todos no centro do campo, logo depois que o árbitro Alício Pena Júnior cometeu o equívoco de tentar sufocar a manifestação educada e silenciosa. O resultado foi um épico gol a gol que durou quase um minuto, até Rogério gesticular para dar o real início ao jogo. Alício, sujeito júnior, mereceu a pena: ficou correndo como um tolo.

O comportamento da arbitragem foi mais amigável no Couto Pereira. Visitas aos vestiários tiveram o objetivo apenas de saber o que os atletas planejavam. Alex explicou e avisou Leandro Vuaden: “Isso aqui é sério, não é brincadeira”. Talvez ainda haja quem pense que o Bom Senso FC pode ser ignorado. É uma postura comum em processos de grandes mudanças. Alimenta-se de soberba e termina sempre do mesmo jeito.

CHEQUE

A proposta de calendário do BSFC para o futebol brasileiro está quase concluída. Pelo menos um dirigente já a conhece e aprova. A grande questão é conquistar a adesão dos clubes e, principalmente, a simpatia de quem paga a conta. Se a televisão entender que uma programação de competições diferente gerará produtos mais valiosos, o objetivo será atingido.

INDELÉVEL

Dizem que as coisas nunca terminam bem, pois se fosse assim não terminariam. É fato que a passagem de Tite pelo Corinthians não se encerrará da maneira que ele gostaria. Ou da maneira que deveria. Apesar dos sentimentos, Tite deve lembrar das mensagens que recebeu de alguém que conhece muito bem o Corinthians e o orientou a não ficar no clube em 2014. Sua carreira prosseguirá onde ele quiser e seu nome estará, para sempre, abraçado à época mais gloriosa que os corintianos já viveram. Não há como apagar.



  • Willian Ifanger

    O BSFC é, sem dúvida, a maior conquista realizadas pelos jogadores nesse ano.

    E é bom os dirigentes e empresários tomarem posição porque a torcida (consumidor) está junto do BSFC.

  • Emerson Cruz

    Espero que de fato e finalmente estejamos próximos de acompanhar uma ruptura significativa na forma de se fazer e pensar o futebol no Brasil, privilegiando todos que realmente querem o melhor deste esporte, em detrimento das sórdidas politicalhas cartolísticas de sempre. Aguardemos, torçamos e apoiemos o Bom Senso FC.

  • Silas

    Caro André,

    Acima dos títulos do Cruzeiro na série A e do Palmeiras na série B, ficou o título do Bom Senso.
    Os atletas do futebol demonstram, ao querer quebrar regras vigentes há décadas no futebol brasileiro, impostas por cartolas despreparados e mal intencionados, muito mais Bom Senso do que esses.
    Impõe-se agora, q

  • Captomente

    Viva!

    Não sou um exímio conhecedor do futebol brasileiro mas gosto de o acompanhar e, para mim, o André é um dos melhores jornalistas desportivos do Brasil! Basta-me ler as suas crónicas para ficar a conhecer a realidade do futebol brasileiro. (não vejo os jogos do Brasileirão porque estes são transmitidos na Benfica TV e eu sou um Sportinguista – torcedor do Sporting Clube de Portugal – e como tal, jamais verei qualquer partida transmitida naquele canal, até porque é um canal “pago”).

    Abraços de Portugal!

    Rodrigo.

  • RENATO77

    Inter, SCCP e Santos certamente terão novos treinadores após o termino do BR 13.
    Dependendo dos resultados até o final da temporada, Vasco, Flu, Coritiba, Flamengo e Botafogo também devem trocar de comando.
    No Flamengo, Jaime corre sério risco de não permanecer em caso de perda de título da Copa do Brasil.
    No Botafogo, até com vaga na libertadores Oswaldo pode deixar o clube, o clima não é dos melhores entre treinador e torcida.
    No Flu, Dorival deve continuar caso permaneça na série A.
    No Vasco, mesmo com uma queda, é possível que Adilson permaneça.
    No Palmeiras, ainda se estuda uma possível mudança…
    A dança das cadeiras “promete” nesse final de ano.
    Abraço.

  • Dyl Blanco

    Memorável sob qualquer aspecto a iniciativa dos jogadores. Apenas não concordo com os argumentos de Jefferson, levando uma visão individual (do clube) para o movimento. Todas as equipes em algum momento serão penalizadas e isso não pode ser levado em conta. O que está em jogo é muito maior e como tal tem que ser encarado, doa a quem doer.

    AK: A atitude do Jefferson foi compreendida e até elogiada pelos colegas do BSFC. Um abraço.

    • Rodrigo-CPQ

      Dyl, pensei a mesma coisa que vocês. Só que aí veio na cabeça o seguinte: se os jogadores forem tão intransigentes, estarão se equiparando aos dirigentes. Acho que a preocupação do Jefferson foi válida. []s

  • Achei muito interessante voce ter escrito de uma forma a nos dar a entender a apreensao dos atletas no dia do protesto, a troca de mensagens, a contradicao. Essa uniao entre os atletas e algo extremamente benefico para o futebol brasileiro. Desde que estejam juntos, a cartolagem nao brasileira nao tem muita escolha. O poder de negociacao esta quase todo com os atletas, mesmo que o empregador sejam os clubes. Ha uma relacao simbiotica entre os envolvidos, contudo o poder de decisao estara sempre com os atletas.

    Que momento, nao?

    • Rodrigo-CPQ

      Corrigindo: pensei a mesma coisa que vocÊ!

      • Rodrigo-CPQ

        Putz, que fase… me desculpem pela bagunça… o “Corrigindo” acima era para a mensagem que postei na resposta ao Dyl… ê segundona…

        Sorry…

  • Alexandre

    Ouvi falar que o BSFC combinou para que o título do Cruzeiro ficasse mais fácil (obviamente seria campeão de qq jeito) para provarem a tese de que menos jogos, melhores resultados. Além disso, sabe-se, esvaziaram as rodada finais do Brasileirão, já sem graça. Pelo mesmo motivo, teriam relaxado um pouco nos jogos contra o Atlético Paranaense.
    São os dois times que menos jogaram no ano em quantidade de partidas e os que mais brilharam. Alguém confirma isto?

    AK: Aquele cara que diz que conversa com ETs confirma. Um abraço.

    • Eddie The Head

      E eu achava que a IUPST não existia. Mas quando menos se espera ela dá as caras.

      AK: Como ousas duvidar da IUPST??!!

  • Falou tudo André. A passagem gloriosa e os títulos que faltavam, e como precisávamos desse título da libertadores. Todo reconhecimento é pouco. O Tite é nosso “Telê”.
    Abraço.

  • Elielde de Azevedo

    O Bom Senso FC foi inspirado no protesto nas ruas. O ano de 2013 tem sido o ano em que o brasileiro disse NÃO ao que nos é oferecido pelos governantes nas ruas ou pelos cartolas da CBF em nosso futebol. A população e os jogadores estão aprendendo a participar ativamente do processo democrático, quem trabalha, quem faz tem o direito de ditar as próprias regras SIM não precisamos de ninguém dizendo o que temos que fazer e como fazer. Mas tudo isso é só o começo.

    Precisamos construir o Brasil que queremos, o futebol que queremos, nós trabalhamos e merecemos algo melhor, enfim estamos mais conscientes. Parabéns aos nossos craques, marcaram um golaço!!!

    O Dr. Sócrates deve estar muito feliz com a sua classe!

    Vamos em frente em 2014 tem mais!!!

  • alguém que conhece muito bem o Corinthians? você deve imaginar em quem as pessoas pensaram… eu pensei!

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo