NOTINHAS PÓS-RODADA



A rodada 31 do BR-13:

* O Botafogo (1 x 0 no Atlético Mineiro: Julio César – 6.472 pagantes no Maracanã) recuperou o segundo lugar.

* A torcida avisa que “Libertadores é obrigação”, mas pouco mais de 10 mil vão ao estádio. Difícil.

* O Cruzeiro venceu (5 x 3 no Criciúma: Éverton Ribeiro, Dagoberto-2, João Vitor, Lins, Ricardinho e Borges-2 – 38.378 pagantes no Mineirão) um jogo que teve duas viradas, e agora as questões em relação ao título resumem-se a quando e onde.

* Sueliton não deveria ter sido expulso. Infelizmente não sabemos como o jogo seria com 11 contra 11.

* O Atlético Paranaense (1 x 1 com o Bahia: Obina e Éderson – 6.415 pagantes na Fonte Nova) permanece no G-4. O Bahia não ganha há quatro rodadas.

* Incrível defesa de Weverton, impedindo um gol de Obina no primeiro tempo.

* Tarde de Aloísio em Caxias, com três gols na quinta vitória do São Paulo (3 x 2 no Internacional: Aloísio-3, Leandro Damião e Jorge Henrique – 5.603 pagantes no Centenário) em seis rodadas.

* A arbitragem deixou de marcar um pênalti para o Inter, no segundo tempo.

* A virada da Ponte Preta (2 x 1 no Vasco: Diego Sacoman, Adrianinho e Uendel – 13.349 pagantes no Moisés Lucarelli) permite que o time de Campinas enxergue a saída do calabouço.

* O goleiro Alessandro, do Vasco, fez várias boas defesas no jogo. E falhou no gol de Uendel.

* Pouco a dizer sobre o 0 x 0 entre Portuguesa e Flamengo (21.967 pagantes no Castelão), além do uniforme estranho da Portuguesa.

* E o Corinthians empatou (1 x 1 com o Santos: Douglas e Gustavo Henrique – 17.949 pagantes na Fonte Luminosa) pela décima-quarta vez no campeonato.

* O Santos teve a chance da virada aos 36 do segundo tempo, com Everton Costa cara a cara com Walter. Boa defesa do goleiro corintiano.

* Em dois domingos seguidos, o Coritiba venceu (4 x 0 no Grêmio: Para-contra, Alex, Robinho e Geraldo – 19.203 pagantes no Couto Pereira) o líder e o vice-líder.

* Entrada horrenda de Para em Geraldo, merecedora de punição pesada. E não importa se houve provocação ou não.

* Sem Walter, sem problemas para o Goiás (2 x 0 no Náutico: Welinton Júnior e Amaral – 3.558 presentes na Arena Pernambuco).

* Já são cinco vitórias seguidas.

* O Vitória ficou com um jogador e menos aos 14 minutos de jogo. Mesmo assim, venceu o Fluminense (3 x 2: Marquinhos, Biro Biro, Rafael Sóbis, Juan e William Henrique – 23.283 pagantes no Maracanã) de virada, fora de casa.

* Há algo muito errado no Fluminense. E o momento é o pior possível.

______

Em minha coluna de hoje, no Lance!:

BOM RETORNO, PALMEIRAS

A temporada de 2013 do Palmeiras chegará ao final com a sensação tranquila do dever cumprido. A principal meta do clube – voltar à Série A do Campeonato Brasileiro – foi garantida no sábado. O time teve participação digna nos outros torneios que disputou, considerando a própria capacidade e os adversários que enfrentou. Chegou a hora de olhar para o futuro. Agora, a filosofia da administração do clube se encontrará com um ambiente esportivo que pedirá muito mais ao Palmeiras do que pediu em 2013. O ano que vem não é apenas o do retorno à primeira divisão, é o ano do centenário do Palmeiras e, em tese, da reinauguração de seu estádio. A expectativa será maior, a concorrência será mais forte. Será preciso montar um time que faça mais do que um papel correto. Este é o maior desafio para quem comanda um clube grande em fase de reconstrução.



  • Anna

    André, o terceiro goleiro do Vasco é Alessandro. Nesse domingo, só Chelsea, Roma e Palmeiras me deram alegrias porque o Vasco… Situação periclitante!!! Boa semana, Anna

  • Boa tarde.

    Parece que alguns times não conseguem parar de “patinar” esse ano. Corinthians, só empata e às vezes perde. O Vasco nem se fala, essa última foi de enlouquecer o torcedor, tomar uma virada na situação atual foi terrível. O Coritiba mostra que poderia ter feito um bom campeonato, mas ficou no poderia. O Fluminense está como o Corinthians. Que fase.

    Abraço.

  • João Pedro Werneck

    Você é invejoso e pobre nas informações dadas nesta coluna pela qual vc assina. Antes de vc escrever a palavra difícil procure saber os motivos da ausência da torcida. Quem sabe se vc pesquisar, estudar, poderei até concordar com as suas reflexões.

    AK: Não pretendo que você concorde, só que leia. Um abraço.

    • Stephan Gomes Mendonça

      AK, você ainda se deu ao trabalho de responder… Lamentável como encontramos gente b na internet.

      Parabéns pelo trabalho.

      Sucesso.

    • Matheus Brito

      João Pedro, sou Vascaíno desde 1989, mas se fosse o Flamengo na situação do Botafogo, era maraca cheio em todo jogo. Na verdade, os motivos para não ir são vocês que estão encontrando, os motivos para ir o time está dando. Desde 96 o Botafogo não disputa libertadores. Pensem novamente no tamanho do feito desse time, pois não tem elenco nem qualidade para brigar por algo maior que isso.

    • Matheus Brito

      Sem contar que o Vasco, com um pé na série B colocou quase quarenta mil pessoas sozinho na quinta feira 21:00.

    • LUIZ CARLOS

      Sou botafoguense e concordo com você, André Kfouri: a nossa torcida não comparece nem quando o time vai bem. O mais engraçado é a quantidade de botafoguenses que se revoltam quando imprensa registra isso.

  • Raphael

    Bom texto, apenas duas correções:
    1 – São 5 vitórias seguidas do Goiás.
    2 – A reclamação do penalti para o Inter é válida, pois o juiz apitou falta e o lance ocorreu dentro da área. Marcada a falta, deveria ser penalti. Porém cabe reclamação do SP também, pois sequer foi falta.

    • Sidney

      Raphael,

      Concordo com vc… Muito se falou desse penalti sendo que nem a falta ocorreu. Pra mim a única reclamação procedente do Inter é em relação ao primeiro gol, onde o Boi Bandido estava em claro impedimento.

      Abs.

  • Dedé De Luca

    André, grande profissional, que entende muito mais do que apenas futebol!
    Gostaria que voce escrevesse, onde o SPFC estaria se o Muricy tivesse assumido 2 meses
    antes! E sua opinião a respeito.

    • Heitor

      Meu, o cara é jornalista e não medium…fala sério….

      • Matheus Brito

        kkkkkkkkk, Muito boa essa. AK, veja também onde o Vasco estaria se o Diego Souza tivesse feito aquele gol na Liberta do ano passado.

  • Ney Franco estava livre , e és que o Fluminense opta por Luxemburgo, técnico ultrapassado e histérico, não passa equilíbrio e confiança aos jogadores, dando gritinhos, palavrões e causando intranquilidade ao time , em sua maioria estreando no time de cima. Ontem, viramos o jogo, o que faria um técnico inteligente, porra, posse de bola, marcação atrás da linha da bola, tínhamos um a mais, defesa vacilante, Gum e Euzébio batendo cabeça, reforçava a cobertura dessas duas malas e seguraríamos o resultado. Se aposenta Wanderley, seu tempo prescreveu.
    ST, Carlos Castilho

    • Você sabe que foi a Unimed, e não o Fluminense, que exigiu a vinda do Luxemburgo. Esse é o problema dessa suposta “parceria” que está afundando o Fluminense nesse ano.

  • David

    Engraçado, mas me parece que essa leve melhorada de nível que se deu na elite do futebol nacional nos ultimos anos (mais recursos financeiros atravez de marketing, TV, ST, e consequentes elencos mais fortes), hoje tem efeitos que se “cancelam”, digamos assim. Fica cada vez mais difícil pra todos os grandes se sustentarem na primeira divisão. E também cada vez mais fácil subir de volta.

    • Geralmente dizemos que um time é grande aqui no Brasil por causa da tradição. Mas será que realmente temos tantos times “grandes” assim no Brasil?

      Os resultados recentes dos últimos 10 anos de equipes como Vasco, Botafogo e Palmeiras os credenciariam a equipes no máximo médias nos campeonatos europeus.

      O campeonato de pontos corridos mostra que, apesar de termos vários clubes tradicionais, são poucos os que tem mais estabilidade – como o São Paulo e o Internacional. E estabilidade é o que conta bastante nos campeonatos mundo afora, até mesmo porque a premiação por lá é baseada na posição final da equipe na competição.

      • David

        Os numeros comprometem o seu argumento seriamente. Olhe pro numeros de titulos estaduais, regionais, nacionais e internacionais de clubes como os citados.

        Nao interessa se o desempenho mais recente nao bate com a tradicao. Vasco e Palmeiras inclusive ganharam Copa do Brasil, e chegaram a ter bons desempenhos em Brasileiro e libertadores recentemente, assim como venceram estaduais.

        Isso nao acontece fora do Brasil.

        Outro fato importante eh q eh dificil pra qualquer outro time, encarar esses adversarios numa decisao de mata-mata na casa deles.

        Enquanto que ate na aclamada Premier League, os pequenos sao altamente dominados em seus dominios pelos “grandes” jogo atras de jogo, no Brasil, Todo lider de campeonato ou ultimo campeao, chega a sofrer pressao pra ganhar de um Criciuma, Goias, etc, qndo jogando fora.

        A competitividade do campeonato, o numero equilibrado de titulos entre os clubes e o numero de candidatos ao titulo no inicio do ano, falam por si.

  • Matheus Brito

    Boa tarde,

    A diferença entre times que se preocupam primeiro em marcar e times com vocação ofensiva é essa: Segunda partida em que o Cruzeiro leva três gols no Mineirão contra times de fora. Nas duas fez cinco.

    AK,
    Ainda há saída para o Vasco? pode mentir que não tem problema.

  • Emerson Cruz

    A 31ª rodada do Brasileirão me encheu de dúvidas. Sim, várias interrogações e muitos “serás”. Vejamos alguns:
    Será que o Cruzeiro chegará ao título com a maior antecedência da história?
    Será que o Muricy, conseguirá com o SPFC, arrancar uma vaga na Libertadores via Brasileirão?
    Será que o Fluminense se tornará o primeiro time a cair de divisão no ano seguinte ao título?
    Será que o Vasco se tornará o time grande ( time grande = “os tais 12”) a disputar a série B pela segunda vez, com o menor intervalo de tempo em relação a sua primeira participação?

    • Maurício

      Coritiba caiu de divisão no ano seguinte ao qual foi campeão caro companheiro.

      • Emerson Cruz

        Tens razão, obrigado pela correção.

        AK: Jamais aconteceu no campeonato de pontos corridos. Talvez fosse essa a menção que você pretendia fazer. Um abraço.

  • R. Abdallah

    Bom dia, André. Gostou muito da sua coluna e sou um leito assíduo aqui. Não sou daqueles que se ofendem com críticas ao meu clube, pensando que ele é o melhor do mundo e vc um terrível vilão. Mas acho que a situação torcida- Botafogo abrange muita mais coisas que a mídia não enxerga. Não estou dizendo que é o seu caso, ou que devesse enxergar.
    Partimos do ponto que esté jogo teve 10.000 ,mas, se não me engano, a maior organizada do Bota não foi por punição. Além disso estávamos vindo de uma ´derrota humilhante para o maior rival por pura incompetencia de nossa equipe. Também tem o fato de não termos uma torcida numerosa, e tivemos muitos jogos seguidos no Maraca, até pelo preço.Deveria ter arenas menores no Rio. 10.000 em São januário seria um bom número e faria muito mais pressão. E por fim, todo o trauma dos últimos anos, do “na hora H, o time sucumbiu”. Tenho certeza que, a hora que ganharmos um título nacional, ou voltarmos a disputar a Liberta, a torcida vai voltar a apoiar com toda a força. Abraço

    AK: “… ou voltarmos a disputar a Liberta…”. É isso que está em jogo exatamente agora. Hora de apoiar, portanto. Um abraço.

  • Vitorio

    Caro André

    Não gosto de falar de conspiração ou bairrismos, mas depois da assumpção do comando paulista na CBF (Marin e Marco Polo), que só Deus sabe quando vai terminar. Cariocas não ganharão mais o Brasileiro, quem ganhou, ganhou. E Flu e Vasco podem arrumar as malas para a Serie B, se eles conseguirem podem ir os dois, mas a preferencia é do Flu, pois teve a ousadia de vencer dois brasileiros em 3 anos. Um abraço

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo