COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

GUARDIBOLA

Você deve ter lido a respeito. No início de maio deste ano, Pep Guardiola passou um dia em Buenos Aires. Seu principal compromisso na cidade argentina foi uma palestra para 3500 afortunados que encheram o famoso teatro Gran Rex. Pouco antes de começar a trabalhar no Bayern de Munique, o técnico catalão abriu uma janela para sua mente futebolística e convidou a todos para olhar.

No mês seguinte, a revista El Gráfico publicou uma transcrição da apresentação. Da voz de Guardiola para o papel, a vivência e os conceitos de um treinador revolucionariamente simples. Quem viu o Bayern lecionar o Manchester City – talvez o time mais talentoso da Inglaterra – nesta semana, pela Liga dos Campeões, pôde observar a aplicação de fundamentos que ajudam a entender como Guardiola pretende fazer sua equipe jogar. A vitória, fora de casa, foi um vídeo ilustrativo da palestra de Pep em Buenos Aires. E uma amostra do que o atual campeão europeu pode ser em suas mãos.

Um dos mantras de Guardiola é encontrar lugares em seus times para os melhores jogadores, independentemente de posições de origem. Outro é povoar o meio de campo com os mais inteligentes (“os bons, para mim, têm de jogar no meio. Quanto mais futebolistas bons você tiver no meio, mais poderá passar a bola”, disse Guardiola no Gran Rex). De modo que não foi uma surpresa quando um dos melhores laterais do mundo foi transferido para o centro do gramado já nos primeiros jogos desta temporada.

Em uma entrevista após a conquista da Super Copa da Uefa, em agosto, Pep disse que Phillip Lahm talvez seja o jogador mais inteligente que ele já treinou. O baixinho de 1,70m comandou as ações no jogo contra o City, primeiro contribuindo para gerar superioridade numérica na faixa central e navegando entre as linhas inglesas, e mais tarde trabalhando quase como um zagueiro quando o Bayern foi pressionado (“quando você tem um a mais no meio, sempre tem mais controle para atacar e para defender”).

O domínio do meio de campo criou muitos problemas para o Manchester City. A ajuda aos volantes do time inglês liberou os corredores laterais para Rafinha e Alaba. O Bayern adiantou sua última linha e forçou o jogo a ser disputado no campo do adversário. Pressão, controle e inversões, como na jogada do primeiro gol, em que Rafinha (“quando se começa pela esquerda, se acaba pela direita”) lançou Ribéry para um chute de fora da área.

O segundo gol saiu de um formidável lançamento de Dante para Muller. O terceiro, de um desarme de Kroos em Fernandinho (“Quero a bola para mim. Não espero que me entreguem, não espero o erro, quero provocar o erro”), que deixou Robben no um-contra-um com Nastasic aos 14 minutos do segundo tempo, o que essencialmente encerrou o jogo.

O Bayern teve 60% de posse de bola e trocou 613 passes, contra 263 do City. Pep Guardiola (“com tudo o que tenho na cabeça, me convenci: encontrar superioridade por meio de coisas simples, como passar a bola, que é a ideia básica com a qual nos fizemos futebolistas desde pequenos”), em alemão fluente, está ensinando o Bayern a falar seu idioma.

MALAS

É revoltante que um jogador de futebol tenha problemas decorrentes da publicação de uma foto com um amigo, e que peça desculpas por ter “ofendido” alguém. Reinaldo, lateral do São Paulo, e Willian José, atacante do Santos, são da mesma cidade alagoana e amigos desde a infância. Ambos se encontraram após a vitória santista na quarta-feira, e uma foto apareceu nas redes antissociais. Nada de boate, garrafas de uísque e mulheres de fácil leito. Apenas um encontro de amigos. Qual é o problema?

MAIS MALAS

Existem duas competições nacionais de futebol no país. Uma é um campeonato, o Brasileiro, disputado em pontos corridos, que dá o título ao time que têm o melhor desempenho. A outra é uma Copa, a do Brasil, disputada no mata-mata, que premia o time que melhor negocia confrontos eliminatórios. São disputadas basicamente pelas mesmas equipes. E ainda há quem reclame.



  • JOSÉ RUI DUARTE

    Artigo muito bom, mas só com relação aos “malas” André, você tem razão, além de malas são burros também, o Marcos do Palmeiras contou uma vez em uma reportagem que o Dida ia as vezes escondido encontrar com o amigo e companheiro de seleção. Esses idiotas por acaso não tem amigos, parentes bem próximos ou distantes, namoradas que torcem para outros times? Não se relacionam? Não trabalham, estudam e convivem juntos? Resumindo amantes do futebol, JOGADOR só tem que ser rival em campo, enquanto durar a partida. Abraços.

    AK: Querem que o sujeito desapareça porque o time perdeu um jogo. É o apocalipse. Um abraço.

  • lm_rj

    Andre
    O osvaldo teve um princípio de infarto ontem
    Se ele ganhando centenas de milhares de reais tá assim Imagina o humilde e pobre torcedor Alvinegros um conselho: largar essa draga virem tricolores e suas vidas irão melhorar saudacoes Tetra brasileiro ST

    AK: Seu comentário é de péssimo gosto, desrespeitoso e mal informado. De acordo com as declarações dos médicos que o atenderam, não há nada nos exames de Oswaldo que indique que houve infarto. Ele teve uma arritmia.

    • Emerson Cruz

      Certas pessoas têm uma sensibilidade incrível…

  • Daniel

    Existe algum site onde eu possa ler a transcrição dessa palestra do guardiola na íntegra?

    AK: Não que eu saiba. Um abraço.

  • Bom dia AK, parabéns pela coluna…
    Esses comentários do Guardiola mostra uma coerência de pensamento, pois ele quando comendava o Barcelona falou que aprendeu a acompanhar futebol assistindo o futebol brasileiro, quando esse era o melhor do mundo… Com passes e jogadas geniais, até porque por aqui jogavam jogadores geniais.
    Grande abraço

  • Jair Soares

    André, leio e acompanho tudo sobre Futebol, tanto em imprensa nacional como internacional, mas tenho que lhe dizer, você é o melhor jornalista esportivo em termos de redação que eu conheço, realmente sempre muito bom ver seus textos.

    AK: Exagero seu, mas muito obrigado pela gentileza. Um abraço.

    • Nao houve nenhum exagero por parte do Jair.

      Se ha uma elite no jornalismo esportivo, voce faz parte dela, “nivelando o campeonato por cima”.

      Abs!

      AK: Eu só posso agradecer. Um abraço.

  • Gerardo Obergoso

    yo creo que uno time como Bayern so pode perder para um time que facas las mismas cosas que ele, segurando a bola por mais tempo que o bayern.

    Nesse ano, creo que un juego entre Bayer x Barcelona, barcelona vence.

  • Emerson Cruz

    O modo de pensar futebol de Guardiola é bem diferente do modo de Jupp Heynckes, o que contribui para este Bayern ser ainda é um time irregular e em processo de construção, capaz de recitais como contra Man. City e Shalke 04, e jogos mais burocráticos como contra o B. Leverkusen. Assim que este período seja superado dificilmente alguém neste planeta irá superar este time bávaro.

    • Matheus Brito

      há um problema. O momento em que esse período for superado pode ser também o momento em que o barça encontrou a forma de jogar com Neymar, Messi e Xaviniesta.

  • Ainda e muito cedo pra embarcar nesse tren de euforia,a respeito de Pep,q eu saiba, toda a gente q tem saido do barca,jogadores ou treinadores,a excepcao de Ibra,tem passado despercebidos:Jefren,Bojan,Luis Henrique,despedido da Roma,e as portas de ser despedido do Celta.Falar e uma coisa,implementar essas ideias e outra completamente diferente.Vamos lembrar q o Bayern nao tem cabecas de bagre,campeao europeu,alemao e por ai a for a,vou aguentar mais algum tempo pra embarcar nessa euforia!

  • Neemias Camargo

    Olá André! As idéias de Pep Guardiola corrobora com as de um grande educador que surgiu neste últimos anos, o americano Salman Khan diz que as pessoas (principalmente as crianças) devem ser proeficientes em fazer as coisas simples.

  • Sérgio Mota Carvalho

    Fantástico as declarações de Pep e como ele coloca em prática. Não acho que o Reinaldo tenha desrespeitado ninguém, principalmente por ver um amigo de infância, mas vê-lo sorrindo e tranquilo após uma derrota como foi, não me parece ideal para nenhum torcedor, só nos faz lembrar que em nossos clubes é cada vez mais incomum jogadores que sejam apaixonados pela instituição como os torcedores. Enquanto ele posava pra foto, conheço muito são-paulino que não conseguia dormir. Abraços.

    AK: E o que ele deveria fazer? Debulhar-se em lágrimas? Jogadores e torcedores lidam com resultados de formas diferentes. A obrigação do jogador é ser profissional, cumprir compromissos, empenhar-se na preparação e na execução. Após o jogo, cada um reage à sua maneira. Há os que não ligam, os que não dormem, os que vão para casa e não querem ver ninguém, os que saem e os que encontram amigos e posam para fotos com sorrisos amarelos. Um abraço.

    • Rodrigo-CPQ

      Sérgio, acho mais errado o torcedor que não dorme do que jogador que sorri após derrota. Era um simples encontro de amigos, um tirou foto e publicou. Ao invés de estimular coisas desse tipo, algo como “rivais em campo, mas amigos fora dele”, pelo menos um portal de internet (UOL, no caso) preferiu tratar a foto como “polêmica”, o que logicamente acirra a rivalidade entre as torcidas.

      • Sérgio Mota Carvalho

        Rodrigo, a exploração de boa parte da mídia é sempre nesse sentido infelizmente. Até concordo com você sobre estar errado o torcedor que não dorme depois da derrota, mas futebol é paixão, não tem jeito. Abraço.

    • Sérgio Mota Carvalho

      Não, não precisa se debulhar em lágrimas. Mas poderia não aparecer sorrindo. Simples assim. Era uma situação evitável. Abraços.

      AK: O problema é que ele está sorrindo? Sério? O “certo” seria fazer uma cara triste em uma foto com um amigo de infância, porque o time perdeu?

      • Sérgio Mota Carvalho

        Não André, não é errado estar sorrindo. Estou longe de me achar no direito de definir o que é certo ou errado. Apenas acho que ele poderia ter evitado sair em uma foto que seria postada na internet. Exposição desenecessária. Fosse algo reservado, ele veria seu amigo de infância, sem que ninguém o incomodasse, e sem passar a sensação que passou, de não estar nem aí. (digo, para boa parte dos torcedores, eu nem são-paulino sou.) É apenas uma opinião.

        AK: Estamos todos aqui expondo nossas opiniões. O que quero debater é onde está o problema. Se não é errado estar sorrindo, como me pareceu ser sua afirmação no comentário anterior, então o que há? É a foto? Se fosse algo reservado, sem a publicação da imagem, o encontro teria acontecido da mesma forma. A questão passa a ser o conhecimento público? É mais importante ser profissional ou apenas parecer ser? Um abraço.

        • Sérgio Mota Carvalho

          O problema, na minha opinião é sim a foto. Não é estar sorrindo, é aparecer sorrindo, divulgando a situação. O encontro me parece natural. O sorriso me parece natural. A exposição é o que dá a sensação de “não to nem ai”. A exposição me parece exagerada, ainda que concorde que não é o suficiente para o escândalo dos torcedores. Pode não ser um crime ou um pecado, mas passa uma mensagem desnecessária. Abraço.

          • Helder Ludwig

            Impressionante, depois de uma derrota igual a qual aconteceu existem mil fotógrafos tentando tirar uma foto comprometedora do jogador, se ele se esconde da foto iriam criticar, como ele foi simpático e tirou a foto estão criticando mais ainda. Imagina você torcedor, tem um amigo Corinthiano, o São Paulo perde do Corinthians e você sai a noite com seu amigo e tira uma foto com ele (sorrindo), meu deus do céu. QUE SÃO PAULINO É VOCÊ, QUE VERGONHA. Cada um tem sua vida, seus amigos, suas famílias e inclusive seus times de coração. O jogador pode muito bem estar chateado com a situação do seu time e feliz com a situação de estar com seu amigo de infância, ou você não estaria feliz de encontrar seu amigo de infância independente do que está acontecendo de errado na sua vida.

            AK: Apenas esclarecendo: quem tirou a foto foi o próprio amigo. Um abraço.

  • Thiago Rievers

    Guardiola faz futebol de maneira simples, eficiente e vencedora… Sou Atleticano, e por isso tenho pesadelos ao imaginar Robben e Ribery partindo pra cima de Marcos Rocha e Jr. César…

    Posso estar sendo pessimista ao extremo André, mas acredito que, caso ocorra a final entro o meu Galo e os Bávaros, nos será imposto um domínio tão ou mais convincente do que aquele que o Barcelona, do mesmo Pepe impôs aos Santos em 2011.

    Só nos resta sonha que alguém no Galo faça as vezes de Adriano Gabiru.

    Bela coluna.

    Um abraço.

  • Massara

    Utilizar o Lahm no meio pode ser interessante pela qualidade do seu passe e pela sua inteligência. Mas, além de perder em estatura, isso significa preterir jogadores tão interessantes quanto. Javi Martinez (machucado), Schweinsteiger, Toni Kroos, Mario Gotze, Thiago Alcântara e Shaqiri são meio-campistas de muita qualidade. Isso sem contar com a trinca Robben, Ribery e Muller, que parecem contar com a preferência do treinador. Acho que Guardiola nunca teve tantas alternativas em um time como hoje. Vamos ver onde esse Bayern pode chegar.

    Não assisti à partida contra o City. Vi somente os gols e me pareceu que o Joe Hart foi muito mal.

    Abs.

  • Fabio

    “……mulheres de fácil leito”. Já tinha visto diversas formas de referência às ditas moças, mas essa nunca.
    Andre Kfouri, contribuindo também para o aumento do vocabulário dos leitores

  • Sergio

    André.
    Me estranha não ler opiniões dos blogueiros sobre a categoria de base. Esse papo de boicote ao SPFC. Claro que existem relatos dos blogueiros, mas não existem opiniões e nem uma explicação.
    Logo vocês que defenderam a liberdade do jogador, enquanto ser humano e trabalhador, de procurar o local mais conveniente para praticar sua atividade profissional, no caso futebol.
    Como podem os clubes virem a imprensa para dizer que os jogadores são aliciados? Veja bem, eles querem que ninguém ofereça nada ao jovem talento, que se ele não aceitar o que ali é proposto que fique em casa, vá vender jornal, ser garçom ( nada contra essas profissões ), mas o jovem não pode almejar algo melhor, treinar em um local melhor, ter escola, ter tratamento médico ?
    Porque nada disso é comentado, explicado ou dito ?

  • Roberta Melo

    André,

    Primeiramente parabéns pela nota,

    Faz um tempo que me chama a atenção a grande quantidade de erros de passes e finalizações no campeonato brasileiro, chega a ser absurda a porcentagem de erros em passes simples de 5 metros, por isso lendo a nota sobre a palestra do Guardiola, a parte em que ele relata:

    “com tudo o que tenho na cabeça, me convenci: encontrar superioridade por meio de coisas simples, como passar a bola, que é a ideia básica com a qual nos fizemos futebolistas desde pequenos”

    Me faz pensar na questão básica para o futebol, que são os fundamentos: passe longo, curto, com a perna direta, com a perna esquerda, entre outras atividades.

    Porém no atual momento do campeonato brasileiro o fundamento parece não existir, concordo com a máxima: ” jogo é jogo, treino é treino” mas os erros estão cada vez mais grotescos, e quando vejo jogos pela Europa os erros são muito menores, existem pela pressão do jogo, entrosamento, todos essas fatores, mas em escala menor.

    Ouvi uma entrevista do Cuca, falando que o calendário é tão apertado que não existe tempo para treinar os fundamentos, creio que este é um dos fatores que proporcionam a queda da qualidade técnica dos nossos jogadores, implementamos tanto a parte física, e como Guardiola explicou bem esquecemos o simples do futebol, que é o passe de bola.

  • Boa tarde.

    Sempre acompanhei grandes times, como o Brasil de 1982, e outros. Essa idéia do Guardiola é a mais correta possível. Os realmente bons jogam no meio, como Pelé, Rivelino, Tostão, Maradona, Zico, Falcão, Sócrates, craques que organizam, criam, improvisam, distribuem as jogadas, fazem tabelas, infiltrações, etc.
    Vejo o Neymar como um craque, que poderia ser até maior se voltasse um pouco mais, como já demonstrou.
    O meio de campo é a alma do time, e é lá que os craques devem estar. Eu comentei isso com amigos nas vésperas da copa de 1994, no último amisto da seleção antes da copa, quando o Ronaldo (antigo Ronaldinho), jogou pela seleção. Ele tinha muito talento, visão de jogo, era melhor do que o necessário para jogar no ataque.

  • Fabio

    Um video curto e bem interessante sobre o Bayern.

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=P10TWcCFtOA

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo