CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

CLUBE ATLÉPICO MINEIRO

1 – Poucos minutos se passam antes que se perceba que Ronaldinho está ligado. Móvel, envolvido, ele faz o ataque do Atlético rodar no Mineirão. Arrisca de longe e aparece na área. Mais do que o que se espera, é o que se necessita.

2 – A armadilha do Olimpia é um produto da volúpia atleticana. Configuração de contra-ataque, à espera de um passe errado. A aparição de Bareiro na área faz o atleticano prender a respiração. Victor se apresenta e tudo volta ao normal.

3 – Pelo mesmo lado direito da defesa do Atlético, Silva se insinua e bate fraco. Os paraguaios se entregam à marcação sem esquecer a obrigação de ameaçar. São do Olimpia as duas oportunidades mais evidentes do primeiro tempo da decisão.

4 – Diferentemente do que se deu na volta das semifinais, o gol que significaria metade do trabalho não aconteceu. Com qualquer desfecho, o segundo tempo é garantia de drama.

5 – Assistência de Pittoni para Jô, 1 x 0. Nada pode ser melhor do que um gol instantâneo. Injeção de euforia para o torcedor, estímulo para o time e pressão para o adversário. Tudo num lance só.

6 – Outro aspecto do gol cedo: praticamente metade do jogo pela frente, e o Olimpia não pode mais falhar.

7 – 35 minutos, e a presença constante do Atlético no ataque consegue duas coisas: elevar o nível de tensão no Mineirão e fazer de Martín Silva o principal nome da noite. Enorme atuação do goleiro uruguaio.

8 – O jogo entra no território cruel que produz heróis e vilões sem se importar com merecimento. Ferreyra tropeça na grama, Manzur é expulso, Leonardo Silva cai, levanta, marca. É a segunda materialização do “eu acredito”, que garante – no mínimo – a prorrogação com um homem a mais.

9 – O Olimpia reza pelos pênaltis.

10 – ALECSAN…

11 – Victor pega logo o primeiro pênalti. O resto é apenas a formalidade de um título que estava escrito em algum lugar, só não sabíamos onde.

12 – Clube AtlÉPICO Mineiro, campeão da América.

VÁRZEA

A grande maioria dos problemas da Copa Libertadores é de responsabilidade da Conmebol. Os estádios, os gramados, a arbitragem, o tribunal, o clima de vale tudo. Mas a mentalidade reinante no continente também atrasa o torneio e o futebol aqui nesta parte do mundo. Foguetório na porta do hotel é um espetáculo varzeano, vergonhoso e, por inútil, ridículo.

SINAL

Não era uma partida oficial, o Barcelona não teve vários titulares, Messi só jogou um tempo. Ok. Mas no amistoso contra o Bayern, ontem em Munique, o time catalão não perdeu apenas no placar (2 x 0). Perdeu também nos percentuais de posse de bola, por 55 a 45. O fato de Pep Guardiola, outro viciado em posse, estar do outro lado, não é coincidência.



  • Emerson Cruz

    Nada a acrescentar além de um enorme parabéns ao Clube Atlético Mineiro, gigante do futebol brasileiro e que devia aos seus fanáticos torcedores um grande título há tempos. Dá-lhe Galo!

  • Mario

    parabens ao Galo e q invadam o marrocos.

    concordo a libertadores é uma varzea , mas por culpa dos clubes grandes q preferem continuar com marins , del neros e etc etc a lutar por mudanças.

  • Fiquei com a impressão que Guardiola pediu para o Bayern maneirar um pouco com o ex-clube…

    Ou seja, vai sobrar p/ o SPFC!

    Agora, uma pergunta: porque tá todo mundo treinando, ralando… lá no FCB… e o Sr. Neymar não? Quer começar com o pé esquerdo?

    • Marcelo Morais

      Poxa, fell, deixa o coitado do SPFC pra lah…
      Com as derrotas dos proximos dois jogos, bateremos o recorde mundial de derrotas consecutivas. Como sempre digo, eh a gestao JJ trazendo recordes ao SPFC. E mais recordes virao por aih!

      Vamos pro Guinness!!!

    • Derci

      Meu camarada, não só ele esta de férias mas todos os jogadores que disputaram a Copa das Confederações tanto do Barcelona como do Real Madrid, entendeu, eles voltam sabado agora para seu conhecimento

      • Alisson Sbrana

        Sem contar o que pobre Fell desconhece que Neymar chuta com os dois pés.

  • Teobaldo

    E o tal R-10, heim? Não fez gol, não bateu o pênalti decisivo, não fez nenhuma jogada diferenciada, enfim, não defendeu nenhum pênalti, não jogou nada (nunca jogou nada, bem entendido) e “todo o mundo” só fala dele… menos alguns incautos, frequentadores deste espaço, inclusive, magnânimos entendedores de assuntos relacionados ao velho ludopédio que, de repente, sumiram…. Por que será, heim?

    Em relação à Libertadores, o que podemos esperar de um torneio em que a própria entidade que o organiza (Organiza????? Que pilhéria!!!!!) não se obriga a cumprir o regulamento que ela mesmo elabora?

    Um abraço a todos!

    • Paulo Pinheiro

      Parei no “nunca jogou nada”

  • Joao CWB

    Não gosto do Galo, mas torci para que fosse campeão. Não pelo time, mas pelo Cuca, que merecia um título desse porte há muito tempo, depois do estereótipo que por muito tempo o acompanhou devido à mentalidade atrasada de alguns torcedores e profissionais da imprensa.

    Abraço

  • Norberto Schurrer

    A torcida do Atlético de Minas merecia. Foi ela quem venceu a libertadores. Como são apaixonados. Parabéns Galo.

  • Juliano

    Eu, santista, torci sim para o Atlético. Mereceram.

    O goleiro do Olímpia teve atuação monstruosa. Não o conheço, é sempre assim?

    Não achei que Ronaldo Assis jogou bem. Não jogou mal, mas, pelo nome, clima, pela responsabilidade, esperava mais dele. O tamanho da decepção é do tamanho da expectativa.

    Mais de 60 mil atleticanos puxaram o pé de Ferreyra.

    Victor, outro monstro (em toda a campanha, diga-se), se adiantou de maneira tão flagrante quanto a de R. Ceni. Não quero tirar mérito de ninguém, mas aconteceu. Reitero: um monstro, e o Atlético mereceu.

    Gostaria que tivesse saído um gol nas prorrogação. E o drama das câimbras do Bernard?

    AK, existe alguma análise sobre a fenomenal renda do jogo? É isso mesmo? Na média, cada ingresso saiu por não menos que R$250,00?? Alguém me corrige?

    Parabéns atleticanos! Abraço!

    • Paola

      Sim, os ingressos iam de 150 a 500 reais!

    • Paulo Pinheiro

      Acrescente-se que o Bernard, já advertido com cartão amarelo, entrou de sola na canela do paraguaio ainda no primeiro tempo.

      Mas também acho que foram erros pontuais (inclusive o pênalti não marcado para o CAM no segundo tempo). A arbitragem não foi tendenciosa, apenas errou.

  • Dyl Blanco

    Interessante acompanhar as declarações dos jogadores do Atlético após a conquista sofrida. No desabafo da “turma do fundão”, liderados pela dupla R10 e Jo, o tom foi de deboche e ironia, justo na sua essência, já que dentro de campo o resultado foi obtido, fazendo com que o extra-campo seja empurrado goela abaixo dos críticos. E nos aspirantes a estrela existiu quase uma súplica por mais dias de glória, desfrutando do novo patamar alcançado. Nas duas vertentes o mérito é da cúpula atleticana, com o Presidente Kalil mantendo o controle em todos os momentos e fazendo com que Cuca e a Comissão Técnica amplificassem a orientação do projeto. A vitória desse grupo tão heterogêneo é a consagração do espírito de grupo, quebrado somente pelos milagres de Victor. A próxima tarefa também é muito grande, mas não impossível. Manter o foco e o ânimo até o final do ano para conquistar a cereja do bolo. E cereja é vermelha, como a camisa do adversário. Se cuida, Bayern.

  • Anna

    A conquista do Galo foi épica, mesmo. Épico é a melhor palavra para classificar o Atlético Mineiro. Bom final de semana a todos, Anna

  • RENATO77

    Nao pude acompanhar de perto a semifinal e final…de qualquer forma, parabens ao Galo….ao Cuca, que se livra da fama de pé frio…e a torcida, tao sofrida.
    Abraco.

MaisRecentes

Vá estudar



Continue Lendo

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo