NOTAS, BRASIL 2 x 0 MÉXICO



Eis as notas do jogo em Fortaleza, publicadas no Lance! de hoje (consegui autorização para postar mais cedo). Lembrando que, pelos critérios do jornal, os jogadores entram em campo com 6.

JULIO CESAR – O México até chegou à area, mas não fez o goleiro brasileiro trabalhar muito. Seguro quando preciso. 6

DANIEL ALVES – Ajudou, no início, a dar a impressão de que seria fácil. Quase fez um golaço. Depois caiu um pouco. 6,5.

THIAGO SILVA – Bem, como sempre. Salvou um gol no primeiro tempo. O segundo amarelo o tirou do jogo contra a Itália. 6,5 (Câimbra mental. Esqueça a parte do cartão. Foi o primeiro de Thiago no torneio.)

DAVID LUIZ – Pelo menos duas intervenções decisivas. Raçudo, o melhor jogador em campo que não se chama Neymar. 7,5

MARCELO – Tentou um chapéu na área e quase produziu um gol mexicano. No ataque, boa sociedade com Neymar. 6

LUIZ GUSTAVO – Discretamente eficiente, outra vez. É o que sua função exige, e ele a cumpre como está escrito. 6,5

PAULINHO – Nos acostumamos a vê-lo fazer gols, por isso a impressão de que faltou algo. Apenas impressão. 7

OSCAR – Tímido. Foi quem mais caiu de desempenho em relação à estreia. Temporada pesada tem seu preço. 5

NEYMAR – Mais um gol que exibe seu calibre de finalizador. Drible mágico na jogada do segundo. Crescendo. 8

HULK – Insistente, porém menos atuante do que ele gostaria. Desperdiçou um gol no segundo tempo. 6

FRED – O time quase não acionou seu atacante de referência. E a bola que sobrou se ofereceu para Neymar. 6

HERNANES e LUCAS – Sem impacto notável, mantiveram o nível. 6

JÔ – Novamente presenteado em pouco tempo de ação. 7

LUIZ FELIPE SCOLARI – Acertou ao manter o time e mexer com as mesmas peças. Mas a diferença foi individual, Neymar. 6,5



MaisRecentes

Plano B?



Continue Lendo

Pendurado



Continue Lendo

Porte



Continue Lendo