COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

TERRITÓRIO

Deixemos de lado o teatro da negociação, o suspense artificial e as tentativas de disfarçar o que estava decidido há tempos. Deixemos de lado as cifras, as comissões e os interesses. Eis o que importa: Lionel Messi e Neymar Júnior jogarão no mesmo time na próxima temporada europeia, e algo assim não acontece sempre.

Não há garantias de que dará certo, ou de que será tão bom como pode ser, pois nada está garantido no futebol. Mas o potencial de sucesso de uma parceria desse nível atravessa o teto. Em última análise, dependerá da sintonia que ambos conseguirem encontrar em campo, sem perder de vista que as relações dentro de um time de futebol não se dividem em compartimentos. Neymar justificará – ou superará – as expectativas na medida em que seu futebol se encaixar na ideia de jogo do Barcelona, e, tão importante quanto, na medida em que ele se encaixar no organograma do vestiário azul-grená.

Tudo passa por Messi. No livro “Pep Guardiola – Another Way of Winning”, o jornalista catalão Guillem Balague revela como é difícil encontrar espaço num time em que todas as decisões são tomadas para acomodar as características do melhor jogador do mundo. O caso mais emblemático é o de Zlatan Ibrahimovic.

O sueco chegou ao clube para oferecer uma variação de jogo que o Barcelona não tinha com Samuel Eto’o. Entre outras conclusões, Guardiola entendia que um atacante mais corpulento viabilizaria a opção da bola longa e melhoraria a defesa contra jogadas aéreas. O problema surgiu quando o posicionamento que o próprio Guardiola criou para Messi produziu um congestionamento no ataque.

Ao mover Messi da lateral para o meio e gerar um dilema para os zagueiros adversários, o técnico precisou administrar o fato de ter dois jogadores ocupando a mesma região do campo. Redirecionar Ibrahimovic, um nove tradicional, não seria producente. Mexer com Messi, claro, faria menos sentido ainda. A situação ficou insustentável quanto o sueco começou a reclamar que o time não enxergava ninguém além do argentino.

Numa conversa com Guardiola, Lionel avisou que só jogaria como “falso nove”. “Ponha os outros na ponta”, disse ele, essencialmente determinando a saída de Ibrahimovic, um jogador pelo qual o Barcelona pagou mais do que o montante total investido em Neymar. Outro exemplo do “messicentrismo” do time é o impacto no desempenho de David Villa, cuja migração do Camp Nou é esperada para a próxima janela do futebol europeu. Villa joga quase que exatamente na mesma faixa esquerda do ataque em que Neymar costuma brilhar.

Geograficamente falando, a entrada de Neymar no time não deve ser problemática. Ele tem muito mais do que o talento necessário para se estabelecer. A questão passa a ser comportamental, como lembrou Johan Cruijff (“Dois chefes no mesmo barco?”) em entrevista na sexta-feira passada.

Neymar chegará a um vestiário em que a cultura do esforço é a lei, e onde o único ego permitido é o do melhor futebolista deste planeta. É um ambiente diferente do que ele conhece.



  • Emerson Cruz

    Em princípio, Neymar deve disputar vaga que nesta temporada foi ocupada por Pedro, Villa ou A. Sanchéz, na ponta esquerda. Entretanto, havia uma certa saturação na maneira da equipe jogar, que se tornou evidente nos jogos da Liga dos Campeões, por isso não me surpreenderei se ocorrerem mudanças radicais na forma de a equipe se posicionar, daí ser para mim a possibilidade de ocorrer inicialmente alguma surpresa o lugar do campo que Neymar ocupará com a camisa culé.

    • Emerson Cruz

      Perdão. Corrigindo minha última e ilegível frase:
      Para mim é possível que ocorram surpresas na forma do Barcelona atuar. Por isso, há a possibilidade de Neymar ocupar um setor do campo no qual não está acostumado. É esperar para ver.

      AK: Pode ser, mas não creio. A entrada de Neymar turbinará o lado esquerdo do ataque (com Alba e Iniesta) do time, tornando crucial que se encontre um zagueiro técnico e móvel para cuidar das costas de Alba, e obrigando o lateral direiro a ocupar uma posição mais recuada. Neymar não foi contratado para substituir um jogador num time que seguirá atuando da mesma forma, mas sim para contribuir para uma nova opção. Imagino-o movendo-se entre a esquerda e o centro do ataque, sem jamais intrometer-se no início das jogadas, pois sua tendência a verticalizar o jogo pode resultar em perdas de bola perigosas. E ele terá de aprender a pressionar a bola, pois essa é a função de todos. A meu ver, comete-se um equívoco ao dizer que Neymar limitará o trabalho de Iniesta. Com Alba e o brasileiro como sócios, Iniesta será ainda mais feliz. De qualquer maneira, veremos. Um abraço.

  • Juliano

    AK, acredito que não haverão problemas dentro e fora do campo. Neymar sabe seu lugar, sabe o lugar do Messi, sempre fez questão de colocar isso em todas as entrevistas. Ele chega agora, no final da fila, estou certo de que não vai bater de frente com os outros “chefes” da tribo nem tentar ser um neste momento.

    Sem baladas, show do Thiaguinho, Faustão e site Ego, sobrará ainda mais energia para o emprego do esforço no seu ofício.

    Dentro de campo já foi muito bem ilustrado, e é isso mesmo, não haverá problema de posicionamento. Mesmo que houvesse, Neymar tem ainda mais talento que Ibra ou Villa para se adaptar. Se dentro de campo se entenderem, não haverá problema fora dele. Neymar não se sentirá incomodado se Messi continuar a quebrar recordes de artilharia e bola de ouro. Será paciente e sua hora chegará, mesmo que esse não seja seu principal objetivo.

    Em 1970 (guardadas as devidas proporções, trols) Zagallo conseguiu fazer o pessoal se entender muito bem dentro de campo, quando havia dúvida geral quanto a “fulano poder atuar com ciclano” por ocuparem lugar parecido no campo. O resultado conhecemos.

    Abraço!

  • Ailton

    Caro André
    Também acho que o grande problema do Neymar será o seu posicionamento em campo, podemos dizer que ele veio para ocupar uma posição, mais ao estilo Pedro, do jogador aberto pelas laterais procurando alguém que vem de trás ou no meio da área para finalizar. Obviamente o Neymar é mais habilidoso e esta jogada fluirá mais vezes. Mas para um jogador que pensa em ser o melhor do mundo ser o coadjuvante do 1º, do 3º e do 4º melhor jogador não é muito pouco? Romário, Ronaldo, Ronaldinho eram atores principais e o Rivaldo foi numa entressafra de craques no cenário mundial. Na minha opinião o Messi joga em W (ponta direita, meio, ataque, meio, ponta esquerda), enquanto o Iniesta (meio, ponta esquerda) e o Xavi se infiltrando ou pela direita ou pela esquerda sobraria o Neymar/Pedro as pontas, pois o meio em algum momento estaria ocupado por 2 dos 3 acima. O Real Madri, mesmo com Cristiano Ronaldo e com saída de Mourinho, a perspectiva do Neymar em ser o melhor mundo não seria maior? Pois na minha opinião ele se rivalizaria com o Cristiano, mas não seria coadjuvante.
    Caro André, obviamente a sua visão tática é melhor que a minha. Na sua opinião eu falei alguma besteira? Taticamente onde Neymar se encaixaria melhor Barça ou Real?

    AK: Esclarecendo: eu não acho que o posicionamento será um problema. Minha opinião está na resposta a um comentário anterior. Um abraço.

  • antonio jose gomes

    Desde a expulsão do Seedorf o Botafogo vem sendo atingido de forma pensada e organizada.
    Digo mais; que as medidas tomadas de abalar a economia dos gestores {Botafogo} e exercer pressão psicológica intimidadoras são as mesmas utilizadas pelo governo americano para desestabilizar governos de outros países. São medidas com características de violência e redução de ações financeiras [para abalar o caixa do clube] e ferem os direitos democráticos; são medidas de guerra!

  • Luiz Felipe

    André, na melhor partida do Barcelona este ano, contra o Milan, o Messi voltou pra ponta direita. Não acho que isso vá ser definitivo, mas imaginou um 4-3-1-2 com o Fábregas de “1” e Messi e Neymar na frente? Fábregas poderia facilmente ser o falso 9 para as entradas de Messi e Neymar, absolutamente letais. E esse esquema ainda poderia liberar ambos os laterais. Vejo como uma possibilidade válida para este time. Apesar de preferir como “1” alguém que soubesse ser meia, falso 9 ou jogar aberto pela direita: Gotze. Aí sim, esse time ficaria taticamente perfeito. Seria bom demais pra ser verdade :p

  • Erico

    André, acha que o Neymar será mais uma opção de troca de marcham, para acelerar o jogo quando for necessário, ou ainda acha que será função exclusiva do Messi?.

    Abraços.

  • Teobaldo

    Permita-me um contra-ponto e, caso você ache pertinente, gostaria de saber a sua opinião. Mesmo admitindo que Neymar já tinha tudo acertado com o Barcelona, entendo que ele optou pelo caminho mais fácil e uniu-se aos melhores (bem, parece que isso é consenço) ao invés de desafiá-los. Entendo que Neymar fugiu (não encontrei um termo melhor) do seu maior desafio e perdeu a melhor oportunidade de realmente ser um jogador indiscutível, assim como Messi é hoje. Não tenho dúvidas que o Barcelona funcionará, para ele, como um catalizador, que fará com que o futebol dele cresça sobremaneira, proporcionando ao atleta e ao homem uma grande evolução. Entretanto, a opção pelo Real poderia transformá-lo “no cara” ao redor de quem poderia ser montada uma grande estrutura que viabilizaria um embate contra Messi e poderia, talvez, ajudá-lo no projeto de ser o melhor do mundo. No Barça, como pode ser entendo nas entrelinhas do seu texto (pode??), essas chances apresentam-se mais reduzidas, em face do óbvio papel de coadjuvante, pelo menos num plano inicial, a ser ocupado pelo Neymar. Ora, Messi tem 25 anos (?) e possui condição para manter-se no nível atual por, pelo menos 4 anos. Estaria Neymar disposto a exercer um papel de coadjuvante por tanto tempo? Aguardemos…. Na minha opinião, Neymar e seu staf optaram por resultados gloriosos mais imediatos, ao invés de apostar na capacidade do Real oferecer ao jogador uma estrutura que girasse em torno dele, assim como o Barça faz com Messi. Nesse sentito acho que a avaliação foi equivocada. Desculpe-me por ter alongado a mensagem. Um abraço.

    AK: Não vejo assim. Acho muito difícil o Real Madrid conseguir oferecer um projeto esportivo a um jogador como ele. O clube é pensado de forma diferente. Um abraço.

    • Alexandre

      Teobaldo,
      Enquanto o Messi faz 26 anos neste mês, o Neymar tem apenas 21 anos.
      Ele pode muito bem ocupar um papel coadjuvante por 3 ou 4 temporadas até que assuma o protagonismo no Barcelona.
      Pelo que se viu até agora, nem o Messi parece ter aquele tipo de comportamento de macho-alfa de outros grandes gênios (Pelé, Maradona e Cruiff mandam lembranças), nem o Neymar se apresenta como um cara disposto a desafiar o status adquirido pelo Messi. E nenhum dos dois tem histórico de problemas de relacionamento com colegas.
      Claro que na prática o dueto pode não funcionar, seja no campo, seja fora dele. Ou pode funcionar apenas por um tempo até que o Neymar não aceite mais o papel que lhe cabe, ou o Messi se sinta desafiado.
      Mas se funcionar, será histórico, sem dúvida.

      • Teobaldo

        Prezado Alexandre, o comportamento do Messi em relação ao Ibra, como citado pelo André Kfouri no post original, contradiz a sua afirmação que ele não se julga um macho-alfa. Ele é apenas um falso-bonzinho. Mantenho minha opinião que Neymar afinou e escolheu o caminho mais fácil. Para mim ele “lebronzou” (putz, reconheço, essa foi horrível). Um abraço!

        • Alexandre

          Mas o Le Bron não se arrependeu de ter “lebronzado”. 😉

          Talvez você tenha razão em relação ao Messi.

          AK: Há uma grande diferença entre os casos. LeBron James escolheu participar da montagem de um time novo. Neymar foi jogar no time que escolheu. Um abraço.

          • Teobaldo

            Exatamente, AK (“Lebron escolheu participar da montagem de um time novo” – concordo contigo). E na minha percepção, se Neymar tivesse optado por isso também, aceitaria um grande desafio e, caso saísse vencedor desta contenda, teria um reconhecimento muito mais significativo. Tudo isso, é óbvio, se esta tiver sido a proposta do Real para ele. Você descarta, categoricamente, essa hipótese (bem, essa foi a minha interpretação em sua primeira resposta), mas a verdade mesmo, nós nunca saberemos. Só acho que o Neymar deveria ter levado essa proposta ao Real e se a mesma não fosse aceita por aquele clube, ele teria um ótimo motivo para descartar os merengues. Um abraço!

            AK: Ele queria jogar no Barcelona. Isso deveria bastar. Um abraço.

            • Teobaldo

              Sim, bastaria, mas tiraria de nós (de mim, pelo menos), o prazer do debate.

          • Gilson Russi Jr.

            Discordo de você Andre,
            Lebron desistiu do seu time (Cavaliers) e apostou no time de Wade.

            AK: Errado. Ele apostou na reforma do time de Wade. E participou ativamente dela, até o anúncio de sua ida para Miami. Em essência, ele concluiu que as chances de ganhar vários títulos seriam melhores nesse novo time do que em Cleveland. Um abraço.

            • Arthur

              Exato Gilson e hoje Lebron é Messi e Wade é Puyol.

              AK: LeBron jamais será Messi no Heat. O que não significa que ele não seja, e de longe, o melhor jogador do time e de sua geração. Um abraço.

  • Anna

    Será sensacional! E torço para que Neymar der certo! Há uma chance tremenda! Grande abraço a todos, Anna

  • Anna

    Tenho a impressão de que Neymar pode dar certo no Barça. torcerei bastante por isso. Grande abraço a todos, Anna

  • Thiago Mariz

    Esse duelo de egos será bastante interessante mesmo. Embora seja um dos céticos que olha para Neymar e vê muito da história de Robinho, estava/estou muito curioso para vê-lo em ação na Europa (assim como estava com Robinho). Finalmente, matarei minha curiosidade de saber a qualidade de Neymar no futebol altamente competitivo e, mais que isso, como se dará esse dueto com o melhor da história.

    Tenho a impressão de que a distância dos holofotes globais pode lhe fazer bem, voltar a focar-se no futebol apenas. Acho que com Guardiola seria melhor ainda, pois ele é mais linha-dura. De qualquer forma, creio que fará bem para ele.

    • Marcio Nascimento

      O melhor da sua história Thiago. Da minha história, e da de muita gente que entende de futebol, o Messi não é o melhor. Está no olimpo, mas não é o maior.

  • Paulo Pinheiro

    Acho que depois do “episódio Dorival” o Neymar já não é mais tão egocêntrico como antes. Ele sempre se disse admirador daqueles jogadores do Barcelona.

    André, mudando de assunto, haverá algum post sobre as finais da NBB?

    Lamentável, o sr. Rafael Fachada (procurador do STJD do basquete) ter pedido liminar pra suspender jogadores do Flamengo por 30 dias (acatado pelo STJD) por conta da confusão no quarto jogo da série Flamengo x São José e bravatear em sua rede social como “Dever cumprido”.
    A pergunta é: porque não pediu essa liminar antes da última partida da série, quando também estariam suspensos no mínimo os jogadores Fúlvio e Murilo do São José? Vão punir eles só ano que vem? O único prejudicado nessa história será o Flamengo? Lembrando que a confusão começou com o Fúlvio simulando ter sido atingido por uma testada que absolutamente não houve.

    O Flamengo tem banco pra vencer mesmo assim (aliás, suas vitórias têm vindo mais do banco do que do time titular), mas é no mínimo lamentável essa intempestividade.
    Quero crer que não tem nada a ver com o fato de vermos tantas fotos de camisas do Vasco no mesmo perfil do sr. Fachada.

    • Marcio Nascimento

      O Flamengo não tem pivô reserva. Shilton é muito fraco.

      • Paulo Pinheiro

        Pode ser. De toda forma o jurídico do Flamengo conseguiu reverter esse absurdo e o time estará completo.
        Só preocupa é a demonstração claríssima de clubismo do procurador.

  • E quando Neymar for melhor que Messi? Ora, pode acontecer… Como será a reação do argentino intra e extra-campo? Probabilidades x Razão, coluna do meio.
    Um abraço!

  • Me ocorreu um negócio agora… Pode o Barça começar a atuar no 3-4-3? Vejamos:
    Goleiro;
    Puyol, Pique, Adriano;
    Busquets;
    Xavi, Fabregas, Iniesta;
    D. Alves, Messi, Neymar.

    Com D. Alves voltando ao meio/lateral às vezes, Neymar caindo pela direita e liberando a ponta esquerda para o Iniesta?

    Hã? Hã?

    • Matheus Brito

      Se D.Alves fará meia/lateral, então isso é um 4-4-2, por vezes 3-5-2. Se você enxergar 3-4-3 ou 4-3-3 em algum time, é sinal de que tem três jogadores encostados lá na frente sem fazer nada.

      • Bem, acho que você não entendeu o que eu disse, mas vamos lá (apesar de eu não conseguir desenhar aqui :-P):

        – Começa no 3-4-3 como eu disse, com D.Alves como ponta-direita, e marcando na frente;
        – Variações durante o jogo:
        1) por conta da marcação, D.Alves pode voltar para:
        a) Lateral: muda para 4-4-2, ou dependendo do posicionamento de Busquets, e Messi ou Neymar, 4-5-1 ou 4-1-4-1;
        b) Meio: muda para o 3-5-2, mas aí o problema seria “quem será o ala esquerda”… poderia ser Iniesta ou, minha preferência, puxar Busquets para trás, centralizar Xavi e Iniesta com Fabregas no meio e liberar a ala para o Adriano;
        2) por conta do posicionamento do adversário (não necessariamente marcação), D.Alves volta para:
        a) Lateral: muda para 4-3-3, com Iniesta “subindo” para a ponta esquerda e Neymar mudando de lado, ou até centralizando para o Messi jogar pela direita;
        b) Meio: variação natural para que Iniesta participe do ataque. Como expliquei no comentário anterior e no item anterior, D.Alves preenche o meio para Iniesta cair pela esquerda e mexer no posicionamento de Messi e Neymar.

        Tentei explicar aquilo que eu tenho em mente para o time catalão, mas realmente sem desenho fica difícil.

        = = = = = = = = = =

        Ah, depois que escrevi esse put@ texto aí de cima, reli seu comentário, e acho que entendi a sua frase final. Mas não concordo com ela. Veja: um time pode jogar no 4-3-3 com 3 homens lá na frente fazendo alguma coisa. Segundo o Ney Franco, o SPFC do ano passado jogava nesse esquema, e não no 4-2-3-1 como muitos apregoavam. A explicação dele é: Lucas e Osvaldo não tinham como função marcar os laterais quando os mesmos subiam ao ataque, mas somente fechar os espaços na frente, dificultando a saída de bola. Num 4-2-3-1 “clássico”, os “abertos” da linha de 3 tem como função marcar e armar, e não necessariamente atacar.

        Abraço!

  • RENATO77

    Neymar tem recursos técnicos para adaptar-se a qualquer esquema tático e filosofia de jogo. Basta ele querer, estar convencido da ideia.
    Neymar escolheu o seu destino, acho que sabe o que está fazendo. Sua carreira tem sido administrada de maneira irretocável, gostemos ou não do “estilo” adotado até aqui.
    Abraço.

  • Marioh

    André,
    O Neimar é um grande jogador mas terá que se adaptar ao jogo coletivo do Barça, pelo menos no primeiro tempo de jogo. No segundo tempo , poderá dar seus lampejos de craque como faz o Messi e carregar a bola até ao gol quase que individualmente. A segunda parte é a recuperação da bola. Esta recuperação todos do Barça são obcessivos. O Neimar é craque e será vitorioso na Europa.

  • Mauricio Guitzel

    Ótimo texto André, isso também me preocupa um pouco.

    Acredito que a unica maneira do Neymar ganhar o respeito do vestiário, do técnico, da imprensa e de todos na Espanha é com gols e grandes atuações.

    Se ele entrar e comer a bola, ter uma média de gols alta e encantar a todos, vão ter que dar um jeito de encaixar os dois. Mas se depois de algum tempo ele mostrar atuações apagadas, certamente vão coloca-lo pra “jogar pro Messi”.

    O futuro irá nos dizer.

    AK: Penso diferente. Em campo, ele terá de aprender um novo jeito de jogar. A questão maior é fora, no sentido do comportamento que se espera dele. Um abraço.

  • Andre Luiz

    Apenas espero que as cobranças sejam na mesma proporção dos mimos e elogios, até porque quando fracassa é porque é jovem e se decide é gênio, nem o Messi fazia isso nessa mesma idade. A impressão, corrija-me se eu estiver enganado, é que tratam do Neymar como se fosse um Romário ou Ronaldo, que nessa idade já eram protagonistas na seleção e em seus clubes. Não tenho antipatia com o Neymar por seu jeito de criança mesmo aos 21 anos, mas sim com a forma desigual que é tratado por parte da imprensa, criança inocente quando perde, homem preparado quando vence. Zidane, Ronaldo e Romário são meus ídolos no futebol e todos estes passaram suas carreiras tendo que provar jogo a jogo que eram os melhores e as criticas por um apresentação ruim eram pesadíssimas, basta lembrar como foi tratado Ronaldo aos 19 anos na olimpiada de 1996; Neymar fracassou na ultima olimpiada e apenas o técnico foi lembrado. Acho prematuro pensar que um jogador que ainda não apresentou nada contra adversários mais fortes, seja motivo para que o Barcelona mude sua formação tática e até seu time titular, lá não tera bajulação e proteção.

    AK: Você está enganado ao comparar Neymar com Romário e Ronaldo, em relação ao currículo com a mesma idade. E permita-me uma inferência: sinto que há antipatia, sim. Desculpe se estou errado, mas é o que parece. Um abraço.

    • Andre Luiz

      André eu deixei claro acima que não tenho antipatia por ele ser um jovem com cabeça de criança e sim por ser colocado em um nível que não deveria ser posto. Não concordo com o tratamento dado a um jogador que recebe salário de protagonista e não se porta como tal. Reforço sim uma antipatia com o menino que poderá ser um grande jogador, mas hoje não tem futebol para chegar em um clube do tamanho do Barcelona com jogadores campeões mundiais, experimentados. Há sim quem goste do futebol do Neymar e que não seja torcedor do Santos F.C, mas posso afirmar que a grande maioria dos torcedores brasileiros já estão cansados dessa campanha para criação de um ÍDOLO a qualquer custo.

      AK: Outro engano. Ele tem futebol, sim, para jogar no Barcelona ou em outro grande clube europeu. Os interessados em contratá-lo mostram isso. E ele é protagonista no futebol brasileiro, com sobras, há um bom tempo. O argumento do desempenho na Seleção é frágil, assim como era com Ronaldinho Gaúcho e Messi. Ser antipático a Neymar é um direito seu. Converter opiniões em fatos não é direito de ninguém. Um abraço.

      • Andre Luiz

        Questão de gosto apenas André, quem nunca pegou no pé de algum jogador em especial? Alguns preferem Cristiano Ronaldo, já prefiro Messi, outros veem um gênio em Neymar e como não somos obrigados a escolher nossos ídolos e nossas preferências, ainda, fico com a impressão de que Neymar não só seguirá os passos de seu maior ídolo no futebol, Robinho como terá o mesmo sucesso em sua carreira, que não foi pouco por sinal. Jogador que vestiu as camisas de Madrid e Milan nunca poderá ser questionado sobre sua capacidade de saber jogar futebol, discuto apenas o processo de criação(?) de ídolo atual, que antigamente era natural um atleta por sua liderança e capacidade ser tratado de forma diferenciada.
        Vejo espontaneidade em tudo que Neymar faz, desde aquelas dancinhas até gírias novas criadas, mas já sentiu alguma vez uma rejeição a gostar de algo e ver isso ser elevado a máxima potência? Neymar é um grande garoto, tem potencial para estar na seleção brasileira, mas não está preparado para ser o protagonista, ainda. Grande abraço e parabéns pela interatividade com todos que frequentam esse espaço.

        • Marcio

          André,

          como você é chato! Por ser assim, já dá para saber para quem você torce e porque tem tanto rancor de Neymar. Espere o garoto jogar lá, para depois colocar os cotovelos na salmoura.

          • Marcio

            Caro Ak,

            desculpe-me por não ter sido claro, mas quando me referi a André, quis dizer o rapaz que comentou acima, não você. Seu texto está perfeito e impecável.

            AK: Eu que peço desculpas, então. Apesar da coincidência de nomes, eu deveria ter percebido que o comentário não era para mim. Lamento minha reação. Obrigado e um abraço.

          • Carlos Gomes

            Esse Andre Luiz é chato pra

    • Alexandre

      Andre Luiz, você está enganado.
      O Romário fez 21 anos em 1987, no mesmo ano em que ESTREOU na Seleção e ganhou seu PRIMEIRO título profissional, um Carioca pelo Vasco.
      O Ronaldo sim foi tão precoce como o Neymar e também sempre recebeu mimos e elogios, como este. A diferença é que o Ronaldo era idolatrado por todos porque saiu do Brasil bem cedo, aos 18, enquanto o Neymar cometeu o pecado mortal de jogar profissionalmente por quase 5 anos num time do Brasil.
      O Ronaldo foi para o Barcelona com 20 anos, tendo passado por Cruzeiro e PSV Eindhoven (ninguém dizia ao Ronaldo que estar no PSV era perda de tempo, curioso né!).
      Ele era uma das principais estrelas da Seleção Olímpica de 96 e, tal como o Neymar em 2012, fracassou. Também era protagonista na Copa de 98 e, apesar de ter feito um bom campeonato, sucumbiu à pressão no(a) final.

    • Marcos Nowosad

      Como o Alexandre colocou abaixo, a comparação com as carreiras Romário e Zidane não é exata.

      O Romário foi estrear na seleção aos 21 anos. Na época, o grande craque da seleção era o Careca. Portanto, o Romário não tinha nenhuma responsabilidade de assumir a posição de líder da seleção. Apesar do talento que já apresentava, sua carreira no clube (Vasco) era fraca. Somente um título de campeão estadual (1987) e nenhum brilho nos Brasileiros que jogou (1986 e 1987). Com essa idade, o Neymar já tinha sido campeão da Libertadores, campeão da Copa do Brasil e tricampeão paulista.

      O Zidane sequer era convocado para a seleção da França com essa idade. Primeira convocação veio aos 22 anos. E o Zidane sequer tinha rótulo de craque antes da Copa de 1998, quando já tinha (pasmem!) 26 anos de idade.

      A melhor comparação seria com a carreira do Ronaldo. Mas existem diferenças importantes; o Ronaldo participou de uma Copa do Mundo aos 17 anos (mesmo que somente como reserva), quando ganhou muita experiência. Se internacionalizou muito cedo (ao 17 anos foi ao PSV Eindehoven).

      Mas se a sua memória não for curta, você também lembrará que, exatamente como no caso do Neymar, muita gente acusou o Ronaldo de ser apenas um “produto de marketing”, uma tentativa de se fabricar um ídolo jovem. Acusações que aumentaram em muito depois do fracasso na final da Copa de 1998.

      O status atual de craque intocável que o Ronaldo possui somente foi adquirido com as performances e a vitória na Copa de 2002, quando ele já tinha 26 anos de idade.

      Então, vamos ter paciência antes de julgar o Neymar.

      • Marcio

        Quanto a ROnaldo, também foi só. Pois depois da Copa de 2002, ele não jogou mais nada, devido às contusões e a não querer mais.

      • Matheus Brito

        O Zidane nessa época era “O cara” na Juventus e a maior esperança da França conseguir alguma coisa. Ou você não sabe do que está falando ou tem a memória ruim.

        • Marcos Nowosad

          Eu sei do que estou falando porque acompanho futebol há muito tempo (desde 1982).
          E tenho sim muito boa memória (principalmente para eventos passados do futebol).

          O Zidane ainda não tinha se destacado na seleção da França antes de 1998 (na Eurocopa de 1996 jogou ma; o destaque do time tinha sido o Djorkaeff).

          E no time da Juventus, vinha de 2 derrotas seguidas em finais da Champions League (Borussia Dortmund em 1997 e Real Madrid em 1998), com atuações apagadas. Com isso gerou muita discussão de ser um jogador bom, mas não exatamente decisivo. Alessandro Del Piero tinha mais prestígio na Juventus que o Zidane.

          As fracas atuações da França antes da Copa ainda geravam mais desconfiança sobre o jogador. O time não era cotado como pretendente ao título. No Brasil, antes de 1998, pouca gente conhecia o Zidane (o Djorkaeff era mais conhecido, até por jogar junto com o Ronaldo na Internazionale de Milão.)

          Foi somente com a vitória na Copa (e eu diria mais, com a atuação decisiva na final contra o Brasil, já que as atuações anteriores na Copa haviam sido discretas, incluindo uma expulsão), que o Zidane finalmente alcançou o reconhecimento internacional de ser craque.

    • gustavo

      André Luiz, concordo contigo. Várias foram as vezes que vi o Neymar não jogar nada, mas acertar um passe que redundou no gol para escutar os comentaristas falarem que ele jogou muito bem, mas na verdade, não tinha conseguindo dar um drible sequer, perdeu várias bolas que resultaram em contra-ataques para os times adversários, etc.

      Isso, pelo menos para mim, é claríssimo. Não foi uma ou duas vezes que percebi, foram várias vezes. Em recente amistoso contra a Rússia analisei o jogo com isenção e foi a mesma coisa. Ele fez uma jogada no jogo todo, uma bela arrancada e um toque, salvo engano, para Oscar marcar o tento. Uma coisa é ser decisivo, isso ele foi, mas é muito diferente de jogar bem. Não ganhou uma jogada sequer do lateral russo, perdeu várias bolas, matou bola na canela, enfim. Fui assistir as mesas redondas para ver, e não deu outra, foi considerado o melhor em campo.

  • Raposo

    Agora sim teremos uma nocao melhor do que o Neymar e’ realmente capaz. Foi um despedicio o tempo em que ele ficou sendo treinado pelo Muricy. O padrao de jogo do Santos e’ de um bando atras e o Neymar que resolva na frente com sua individualidade. Seria outra coisa se ele estivesse sendo treinado por um cara com a filosofia do Cuca.
    O Muricy, enaltecido por tantos apenas porque soube jogar pontos corridos antes dos outros, engessou o futebol do garoto e se foi perdido um tempinho em sua evolucao.
    Agora sim veremos, ate que nivel ele pode chegar, sendo treinado por profissionais competentes.
    Estou curioso e louco pra ver o que vai acontecer.

  • Matheus Brito

    AK, Não consigo parar de pensar que o Neymar vai ocupar a mesma faixa de campo que o RG ocupava no Barça. Lado esquerdo muitas vezes entrando em Diagonal. Já consigo imaginar o poder de destruição de uma jogada rápida envolvendo Iniesta, Neymar e Messi. Isso tudo sem esquecer que Xavi ainda tem lenha pra queimar.
    Pergunta que não quer calar: Em qual cenário seria menos difícil o Neymar se tornar o melhor do mundo? No cenário atual (Barça), no Real ou nas mãos de Pep no Bayern?

    AK: É difícil comparar situações tão diferentes (e acho essa expectativa perigosa, vide Robinho), mas pela companhia que ele terá e a atenção que uma parceria com Messi gerará, minha impressão é que o Barcelona é a melhor opção. Mas veja, e aqui estamos colocando o carro muuuito à frente dos bois, ele teria de superar Messi. É coisa para daqui a um bom tempo. Um abraço.

    • Juliano

      Matheus, vejo em Neymar a vantagem da idade (é muito novo, é mais fácil aprender agora e não criar certos vícios) e da aplicação. Sim, ele é obediente quando tem de ser. Não o vejo destruindo jogadas rápidas. Poderá acontecer, sim, mas apenas no início. Logo ele aprenderá e vai elevar o nível do seu futebol e, logo, o futebol do Barcelona. Acho que ele poderá ser mais inteligente que Ronaldo Assim foi.

      Com uma grande diferença: Ronaldo Assim era o protagonista enquanto esteve no Barça. Neymar não terá este peso e poderá jogar ainda mais leve. Sim, ele vai fazer a bola andar ainda em maior velocidade.

      Pra um cara que teve ao seu lado, de 2010 a 2013, gente do nível de Zé Eduardo e André, contribuir com este Barça será muito fácil para ele.

      E para quem diz que o nível lá é mais alto: é sim, quando enfrentar o Real ou quando disputar uma Champions (contra PSG, Milan, Bayern), mas não nos esqueçamos que lá também tem Levante, Getafe, Almería…

      Pra fechar: antes havia quase que um movimento “vai pra Europa Neymar”. Agora ele foi, e o novo movimento é “se torne o melhor do mundo Neymar”. Chega né. Não é, hoje, o objetivo dele. Que mania de cobrança…

      Abraço!

      • Juliano

        *Ronaldo Assis.

      • Alexandre

        Concordo contigo, Juliano.
        O Neymar nunca declarou que seu principal objetivo é se tornar o melhor do mundo. Claro que em seu íntimo ele quer isso, mas de forma natural e não aquela coisa forçada que vários jogadores brasileiros assumiram de colocar isto acima das conquistas coletivas.
        Acho que os críticos de plantão estão muito ansiosos para declarar logo o fracasso definitivo do Neymar, algo do tipo: “pronto, o Neymar é coadjuvante do Messi, não ganhou a Copa/2014 para o Brasil. É um medíocre. É o novo Robinho. É isso. É aquilo.”
        Isso é chato pra caramba mesmo…

      • Matheus Brito

        Juliano, acho que você entendeu errado. O poder de destruição que mencionei é em relação à defesa adversária. Falei do poder de destruir as defesas. Outra questão, que aí quem não entendeu fui eu, onde fiz “pressão” para o Neymar ser o melhor do mundo? Essa sua revoltinha não se aplica a meu comentário. Acho inclusive que, se ele se tornar o melhor do mundo, será daqui a umas quatro temporadas, se o Messi não se reinventar. Fui um dos que achavam que ele precisava ir para a Europa, mas não acredito que ele venha a ser o melhor do mundo tão cedo. Ele inclusive terá que aprender a ficar em pé. Quando falei nos três clubes, questionei ao AK, se o Barça foi a melhor opção. Apenas isso.

  • Leonardo Pimentel

    André, pra reconquistar a Europa com Fabregas ou Pedro de titulares não dá. Não dá, nem com o Leo e o Ney. Com Bartra na zaga, com Puyol já não rendendo o que pode, não dá.

    É necessária a contratação de dois zagueiros top de linha (e altos!) e um atacante de ponta. Caso contrário, não vai dar dentro do alto Bayern, cuja jogada aérea vai acometer o Barça outra vez.

    Viva Lionel, o maior da história.

    • Marcio Nascimento

      Mais um com história curta…

      • Matheus Brito

        Esse anda jogando muito PS3.

  • altemir

    Na realidade o Neymar foi para o Barcelona, simplesmente para não ser o responsável por nada, afinal no Brasil era o Santos do Neymar e não Neymar do Santos, aonde toda a responsabilidade era jogado nas costas deles (e ele não tem toda essa bagagem, e nem futebol para aguentar), e no Barcelona ele pode fazer suas firulas se não der certo o Messi resolve…simples….

    • Matheus Brito

      Que maldade sua. No Real ele iria encontrar o CR, êô no Bayern, bom, ali o mundo é outro.

  • Rodrigo

    Eu, como santista, obviamente desejo o melhor p/ Neymar, e não q a escolha pelo Barcelona tenha sido equivocada, aliás acho q acertar c/ tamanha antecedência c/ o Barcelona como ocorreu é um erro, enfim, ainda acredito q o melhor p/ Neymar seria jogar no Bayern sendo treinado pelo gênio Guardiola, hipotéticamente falando, creio q Neymar ocuparia o espaço do “falso 9”, tendo um timaço q lhe desse suporte, sem a concorrência de Messi no mesmo time, ele fatalmente viria a ser o melhor jogador do mundo!!!
    Abraço!!!

  • Hugo

    Neymar é protagonista por fazer 5 gol em Guaranis da vida. Sempre foi jogador de Campeonato Paulista. Ganhou uma Copa do Brasil onde o protagonista foi o Ganso, que deu show duas vezes contra o Grêmio na semi final. Uma libertadores fraquíssima (talvez a mais fraca do século) aos trancos e barrancos correndo sério risco de ser eliminado na primeira fase (mais uma vez entra a figura de Ganso decidindo os dois últimos jogos) e nas oitavas de final (aqui entra Rafael, defendendo até pensamento contra o América no México), enfrentou os horríveis Once Caldas e Cerro Porteño (mesmo assim passou com dificuldades) até decidir o título com o Peñarol, que dominou o Santos no Uruguai e só não foi campeão pelas inúmeras chances perdidas. O Corinthians ano passado enfrentou times infinitas vezes superiores ao Peñarol e venceu o Santos do “gênio” Neymar com facilidade, o Inter enfrentou times melhores em 2010 e por aí vai. Do mais, não ganhou nenhum outro título importante, é eleito todo ano melhor do Brasileirão por proteção da imprensa, pois se um jogador X faz um lance, recebe tantos elogios, se o Neymar faz o mesmo lance, recebe o dobro. Se fosse um craque, o Santos não terminaria o Campeonato Brasileiro sempre no meio da tabelam. Tremeu contra o Barcelona que deu até dó. Todos os jogos que jogou contra zagueiros com bagagem, se escondeu e não jogou nada. Concordo com o Andre Luiz, enquanto todo jogador tem que provar seu valor jogo a jogo e é massacrado quando embala uma sequência ruim, o Neymar é tido como gênio pela carência de um na atual geração. É incrível ver como sempre que o Santos ganha, o Neymar ganhou sozinho e se perde é porque o Neymar não tem companheiro que preste. Acho que o Neymar pode virar o melhor do mundo, sem sombra de dúvidas, mas precisa colocar na cabeça que dar chapéu no Nunes do Botafogo-SP não quer dizer nada. Infelizmente está indo para um time que só joga contra falidos (o camp. espanhol é fraco, dos 20 times que disputam, 17 são falidos e péssimos, infelizmente, por interesses políticos, monopolizou-se o futebol em Barcelona e Real e o campeonato ficou sem graça) onde poderá fazer seu showzinho contra os fracos zagueiros de Bétis, Real Sociedad e afins e terá poucas chances de provar seu valor (contra o Real e contra os grandes na Champions). O argumento de por ter atraído interesse dos grandes europeus na sua contratação é prova de que ele tem futebol pra jogar nesse clubes é tão sem fundamentos que são inúmeros casos que provam que uma coisa não tem nada a ver com a outra, começando por Robinho, hoje encostado no Milan que utiliza mais um atacante de 18 anos, o Niang, do que ele. Alexandre Pato foi outro que foi, não mostrou seu valor e volta, se tivesse mercado europeu não voltaria, é ingenuidade demais acreditar que ele preferiria o Corinthians ao Milan, PSG, Manchester City, Chelsea e outros. Cansamos de ver jogadores que vão com status e voltam como fracassos. Torço muito pelo Neymar, para que aprenda muito no Barcelona com profissionais como Iniesta, Xavi e Messi e jogue como eles jogam lá e em suas seleções, mas discordo quando dizem que ele é um grande craque que já provou que é gênio. Fico com pena dele, pois todo esse status e pressão não é sua culpa, pois nunca se mostrou arrogante, infantil talvez, mas nunca arrogante. Agora é a hora de vermos se ele vira um craque de verdade ou só mais um jogador firulento cai-cai como o Robinho.

    • Marcos Nowosad

      Outro com antipatia…

      • Matheus Brito

        Outro jogador de PS3

    • Paulo Pinheiro

      O Corinthians venceu o Santos com facilidade? Teve que contar com a conivência da arbitragem para garantir a pancadaria sobre o próprio Neymar! Não vi nenhuma “dividida” com ele. Os defensores simplesmente ignoravam a bola e se jogavam sobre ele. Tivesse um árbitro decente e o Corinthians dificilmente passaria pelo Santos.

      “É incrível ver como sempre que o Santos ganha, o Neymar ganhou sozinho e se perde é porque o Neymar não tem companheiro que preste”. As duas sentenças são absolutamente compatíveis. É isso mesmo que acontece. Quando ganha, o Neymar vence APESAR de não ter companheiros à altura (no ataque, que fique bem claro… eu gosto da defesa do Santos). Mas isso nem sempre é possível. Nem Messi conseguiria vencer SEMPRE desta forma.

      • Hugo

        Cara, pare vá, essa história de Neymar perseguido já caiu faz tempo, todo mundo vê que qualquer jogo de corpo nele vira um escândalo, tá pra nascer jogador que grita que nem ele, o Lucas apanhava tanto quanto ele e sempre fazia ao máximo pra continuar em pé, o Messi também, por isso tem que ir pra Europa, porém ele foi pra um time protegido pela arbitragem (tanto o Barcelona e o Real Madrid são) e isso é permitido, uma pena, mesmo assim torço pra que ele melhore nessa parte, é chato ver em todo encontrão, ele caído com a mão na cara e depois ver no replay que não foi nada. E sim, venceu com facilidade, o jogo na Vila era pra ser uns 3×0, no mínimo. Desculpa, mas o Corinthians foi sim superior (não sou corintiano) e a arbitragem não interferiu em nada.

        Agora sobre a segunda parte, sim, as duas sentenças se complementam, mas é uma falta de respeito, na maior parte do tempo, ele foi auxiliado pelo Ganso em alto nível, pelo Elano, pelo Arouca (joga demais), pelo Borges (até o final de 2011, em 2012 não foi bem). A partir de 2012, esses jogadores saíram e o rendimento do Neymar foi lá pra baixo e do Santos também. A partir de 2012, realmente, ele passou a ganhar vários jogos sozinhos (não foram tantos, longe disso, vide a pífia campanha do Santos no Brasileirão), mas sempre falaram isso e sempre foi uma falta de respeito com o resto do time. SOZINHO ele decidiu poucos jogos.

        • Paulo Pinheiro

          Respeito sua opinião, mas por mais “fraquinho” fisicamente que ele seja nada dá ao adversário o direito de abandonar a bola pra ir só no corpo do jogador. É falta e TEM que ser marcada.

          Até aquela partida, quando o árbitro realmente liberou a pancadaria, o Corinthians não vencia o Santos há 5 partidas. A ideia do Tite foi bem clara: não tem como parar na bola, pára na falta. E aí divulgou antes da partida que seria “um jogo para diferenciar os homens dos guris”. Em português claro: aquele que não tiver força física pra bater vai ficar no caminho.

          Desta forma o Corinthians conseguiu vencer por um magro 1×0 e na segunda partida não passou de um 0x0.

          Na boa, minha opinião é que o Corinthians foi superior em força física. No futebol de verdade não pudemos atestar, porque fomos privados disso.

          Em tempo: também não gosto muito do uso disso de dizer “ganhou sozinho”. Aliás, considero a defesa do Santos uma das melhores do campeonato.
          Mas é uma força de expressão. A verdade é que a tática do Santos este ano era “chuta pro Neymar que ele resolve”. Todos esperavam um lampejo dele pra receber a bola limpinha.

          PS: também não sou corintiano, nem santista.

          AK: O segundo jogo foi 1 x 1, Neymar e Danilo. Você viu jogos radicalmente diferentes dos que eu vi. Um abraço.

          • Paulo Pinheiro

            Obrigado pela correção, André. Confusão minha.

            Seja lá como for, não foi um embate com “vencedor indiscutível”. Ainda que não concordem que realmente o jogo todo Chicão e seus asseclas tenham abandonado a bola pra ir só no corpo do Neymar e a arbitragem ignorando.

            AK: Em 6 pontos disputados, um time fez 4 e o outro fez 1. O que fez 4 venceu como visitante. E não me lembro de a arbitragem ter sido um tema controverso no confronto. Um abraço.

    • Marcio

      5 no Guarani, 3 no Inter, 3 no São Paulo, 3 no Cruzeiro, 4 no Atlético PR, 2 no Palmeiras, …

      • Hugo

        Tirando o jogo com o SP, qual jogo aí era decisão? Em jogo importante, ou contra defesa que preste, ele some. O SP tinha Paulo Miranda na zaga, o Cruzeiro fez uma campanha medíocre, o foi rebaixado, o Palmeiras também. Contra Fluminense nada, contra Grêmio nada. Mas vai muito da falta de companheiros dele. Eu não disse que ele não é bom jogador, acho que é excelente, joga muito tem tudo pra ser craque, porém ainda não é, tem potencial, acho que vai ser sim, mas ainda não é. O Robinho tinha decidido muito mais coisa antes de ir e foi um desastre lá fora.

        • Marcio

          Hugo,

          Pela sua análise, o único jogo importante que Neymar fez, foi contra o Barcelona!

          Mas você tem razão: a maioria dos gols não foram em decisão, pois as que Neymar participou, os times com defesa que preste, haviam sido desclassificados pelas equipes que fizeram a final.

          De qualquer forma, podemos lembrar que o São Paulo perdeu, com gols de Neymar, as 3 semifinais do Paulistão. O Corinthians perdeu a final de 2011, com gol de Neymar. O Peñarol perdeu a Libertadores com gol de Neymar. O time do Chile perdeu a Recopa com gol de Neymar.

          A propósito, Robinho foi para a Europa com a mesma idade de Neymar (21 anos), porém não sabia chutar com a esquerda (nem sei se atualmente ele o faz corretamente), tinha menos da metade dos gols que Neymar fez no Santos, muito menos ainda na seleção, …

          De qualquer forma, todos repetem que Robinho não jogou nada na Europa. Que eu saiba ele ganhou, pelo Real, 2 ligas espanholas, foi artilheiro do campeonato ingês, pelo fraco, na época, Manchester City e, mais recentemente, ganhou o escudeto pelo Milan, que fazia tempo que não o conquistava. Ok, ele nunca foi indicado para a lista de melhor do mundo, mas diria que, o que contribuiu muito para isso, foi ser muito mal assessorado.

          Para finalizar, leia o post do colega de AK, Mauro Betting, que está ao lado.

          Abraços.

          • Hugo

            Não, ele faz gol em decisões como as que você falou, de paulistão. Na libertadores, ele fez gol contra o Peñarol sem jogar bem, a Recopa foi contra um enfraquecido Universidad de Chile que perdeu no Chile pro SP com dois gols do William José. Eu acho ele o melhor finalizador do futebol brasileiro, finaliza muito bem e, acima de tudo, não tem medo de finalizar, de onde estiver ele tenta chutar e o faz muito bem. Aquela Libertadores em que foi Campeão, me desculpe, mas ele não foi o protagonista do Santos. Eu não to falando que ele não é bom jogador, longe disso, acho um excelente, o melhor do país na atualidade, só acho que exageram na hora de exaltar ele, ele é o melhor do país, mas hoje, tá atrás de jogadores como Bale e Van Persie que já mostraram contra grandes que jogam demais. Acho a ida para Europa importante, pois ali ele vai aprimorar e demonstrar se pode ser um dos 3 melhores do mundo ou não. Quando enfrentou um sistema defensivo bem armado, como o do Corinthians ano passado, não soube o que fazer, sempre que enfrentou zagueiros de ponta da Europa, teve atuações vergonhosas (contra Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Rússia), mas sempre escondem a fraca atuação dele, desviando o problema pra outro.
            Acho que em decisões e em jogos contra grandes zagueiros, não falta o gol para ele, falta jogar bem. E libertadores sem enfrentar times brasileiro, não é libertadores (nos últimos anos só), porque o futebol sulamericano está completamente decadente e o Brasil se sobressai, tanto que se a Conmebol deixasse, toda libertadores teria final brasileira. Esse ano, só tem um brasileiro na semifinal porque o Corinthians foi roubado e o Fluminense também.
            Cara, Robinho era reserva no Real, é mesma coisa falar que o Pinto é um grande goleiro porque ganhou tudo pelo Barcelona. Foi para o Manchester City, que não era tão fraco não, já tinha grandes investimentos e nomes conhecidos como Elano no time e não foi artilheiro no camp. Ingles, fez 14 gols no campeonato inteiro, ficou em quarto na artilharia, em sua passagem pelo Man. City. não foi tão bem, tanto que foi emprestado com facilidade ao Santos, onde chegou a amargar a reserva do Zé Love. No Milan é reserva, foi campeão italiano porque o time tinha Ibrahimovic levando o time nas costas, nunca foi considerado titular lá e em muitos jogos mesmo é vaiado pela torcida. Nunca foi indicado para melhor do mundo porque nunca jogou para tal. Nunca foi titular absoluto em clube algum lá, sempre arrumou confusão por se achar um grande craque e sai brigado de todo time. Tanto que faz séculos que não é convocado (apesar de eu achar que na Copa de 2010 ele foi bem).
            Acho que hoje o Neymar joga mais do que o Robinho já jogou em toda a vida e que deve ser um cracaço, porém acho que ainda não está nem entre os 10 melhores do mundo. Também não gosto dessa cultura de não poder critica-lo, se jogar mal, tem que ser criticado sim, critica é construtiva, Ronaldo sofreu, Romário sofreu, Rivaldo sofreu, todo craque tem que ser criticado quando joga abaixo do seu potencial. Veja aqui no site, quem critica o Neymar tem o comentário desvalorizado, falam que tem antipatia e por isso é cego.
            De novo, não acho ele ruim, mas pra ser Craque (sim, com letra maiscula) vai ter que provar lá fora, Pato, Diego, Robinho, todos saíram com status de craque e não comprovaram lá, mas eu tenho fé que o Neymar vai. De novo, acho que jogar bem contra os zagueiros do Camp. Brasileiro é uma coisa, jogar bem contra Ferdinand, Vidic, Kompany, Sergio Ramos, Puyol, Thiago Silva, Terry, David Luiz é outra coisa que ele ainda não fez.
            Prefiro ficar cego do que ler Mauro Betting, mas gostei dos seus comentários, sempre muito respeitosos e demonstrando o que você pensa, assim que tem que ser, não que nem o cara ali em cima que tentou desvalorizar o meu comentário falando que eu tenho antipatia e sou jogador de PES, como se isso tivesse importância.
            Me entenderam errado, eu disse que o Neymar é um grande jogador, melhor do país, mas não é craque, tem que provar ainda que é contra zagueiros de primeira linha e, em decisões, chamar a responsabilidade e ir pra cima, potencial ele tem.
            Abraços.

            • Marcio

              Meu caro,

              não se iluda! O sistema defensivo que Tite armou contra o Santos, realmente parou Neymar, pois o time do Santos, ou melhor, do “professor” Muricy, definha em campo, desde meados de 2011. Então, apesar de reconhecer os méritos de Tite, penso que não sirva de parâmetro. Pode ver que outros times, que fizeram o mesmo tipo de marcação, conseguiram também parar Neymar, pois no time do Santos atual, não há esquema tático. Exemplos: Flamngo do Piauí e Joinvile. Isso mesmo, veja só.

            • Marcio

              Hugo,

              só mais uma coisa. Respeito a sua opinião, mas não acho que os zagueiros europeus sejam muito melhores que os nossos tupiniquins. Por exemplo, muito se fala de Puyol. Eu o acho um grosso. Apenas uma opinião.

              Ah, Neymar não jogou nada contra o Barça, como todo o time do Santos, porque o Santos já tinha assimilado o jeito Muricy de jogar. Dificilmente o Santos ganharia quele jogo, mas que poderia ter jogado mais, ah isso podia.

              Finalizando, vi Muricy tentando se explicar para o pessoal da ESPN do por que ter colocado 3 zagueiros naquele fatídico jogo – na realidade ele não tinha explicação, apenas tentou agredir verbalmente os entrevistadores, dizendo que não jogou com 3 zagueiros, que se jogasse igual o Barça aqui no Brasil (sem centroavante) seria massacrado pela imprensa… Pode?

            • Marcos Nowosad

              E, Marcio, voce ainda esqueceu de listar que o Neymar fez gol no primeiro jogo da final da Copa do Brasil 2010.

              Mas, não adianta. O Hugo tem tal antipatia pelo Neymar que vai ficar repetinho essa história dele não fazer gol em jogo decisivo, independentemente dos fatos contrariarem a “tese” dele. Qualquer gol decisivo que você listar, ele vai dizer “esse não vale”, que nem uma criança.

              Talvez se um dia o Neymar fizer 5 gols de bicicleta contra o Real Madrid na final da Champions League, ele aceite discutir novamente a questão…

              Deixa ele falando sozinho.

    • Marcio

      Mais um detalhe: o moleque Neymar tem que jogar solto lá na Espanha com irreverência, para mostrar o seu verdadeiro futebol e conquistar o seu espaço. Não pode ser simplesmente um robô.

      Então, quando você diz:
      – …precisa colocar na cabeça que dar chapéu no Nunes do Botafogo-SP não quer dizer nada.

      Eu se fosse ele (Neymar), faria como aquele chapéu no Chicão. Tá lembrado?

      • Hugo

        Assino embaixo, acho que tem que dar chapéu que nem fez no Nunes, mas tem que fazer um grande jogo antes, acho o drible fantástico, admiro o Neymar, o Lucas, o Messi, o Cristiano Ronaldo (na época do Man. Utd) por serem exímios dribladores.
        O chapéu no Chicão gerou briga, aí eu sou contra, mas dentro de campo tem que fazer que nem fez contra o Flamengo em 2011, golaço, show.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo