COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

RECOMEÇO

1 – A primeira grande diferença em relação ao jogo de ida é a aparição de Neymar. Apagado (machucado?) no Pacaembu, ele surge na Vila Belmiro como condutor dos movimentos ofensivos do Santos. O que transforma a dinâmica do encontro, também porque o Corinthians não marca no ataque como fez no primeiro jogo. Decide explorar a necessidade do Santos de ser mais ousado.

2 – Enquanto Santos e Corinthians empatam, as faltas ganham. O apito rápido de Guilherme Cereta de Lima faz do árbitro um adversário comum. Dez faltas nos primeiros quatorze minutos. A cada marcação, uma reclamação. Somatória da tensão dos dois times com a tensão de um apitador em sua primeira decisão.

3 – Neymar desequilibrante. Sensacional passe pelo alto, para a entrada em diagonal de Felipe Anderson. Surpreendente, pela inversão de papéis. Prova do arsenal do jovem craque. Cássio impede o gol santista, mas não a impressão de que Neymar está disposto a decidir.

4 – 26′, 1 x 0. Cobrança de falta de Neymar do lado direito, jogada ensaiada. Durval ajeita de cabeça para Cícero concluir. Menção mais do que honrosa para o giro acrobático do santista, que vence Cássio com um chute forte.

5 – 28′, 1 x 1. Danilo estava fora do campo no instante do gol do Santos, em atendimento por causa de um corte na testa. Reapareceu na área com a cabeça enfaixada para empatar o clássico. Jogada de todo o ataque corintiano, que Danilo completa após o rebote de Rafael. Melhor empate do que esse, praticamente imediato, só se fosse no último minuto.

6 – O enfrentamento revela dois times em estágios distintos. O Corinthians ataca inteiro, usando a força e os automatismos de seu conjunto. O Santos ameaça via Neymar, um jogador capaz de representar a totalidade das opções ofensivas de sua equipe.

7 – O travessão é amigo de Rafael. O primeiro tempo não termina com vantagem do Corinthians apenas porque a moldura do gol santista rejeita Paulinho e Danilo.

8 – Joga-se por um gol. O Santos, para garantir a decisão nos pênaltis e gerar uma pressão no final. O Corinthians, para colocar gelo no jogo. O contra-ataque corintiano flerta com o gol do título, em dois lançamentos longos desperdiçados por Edenílson e Romarinho.

9 – Em tese, é um cenário sob medida para o Corinthians, um time que se sente à vontade ao confiar na solidez defensiva combinada com a transição em velocidade. Na prática, o tempo passa e o Santos, sem outra opção, troca precaução por ousadia sem pagar o preço correspondente.

10 – Alexandre Pato em campo. Um gol incrivelmente perdido contra o Boca Juniors, um pedido por mais tempo em campo, e quinze minutos – um por cada milhão de euros investido em sua contratação – para justificar a demanda.

11 – A chegada dos acréscimos significa a impossibilidade de o Santos ser campeão no tempo normal. Santos em ligação direta, Corinthians em modo de manutençã da bola. E Pato perde mais um gol.

12 – Corinthians campeão paulista. Para o clube, é mais um, o vigésimo-sétimo título estadual. Para Tite, é o primeiro. Para o corintiano, é o recomeço de um ano que pode terminar com felicidade.

FRACASSO ESPECIAL

Eis que José Mourinho ostenta o pior desempenho entre todos os técnicos que dirigiram o Real Madrid por pelo menos três anos. A temporada 2012/13 termina sem nenhum troféu valioso, e com a celebração do Atlético de Madrid no gramado do Santiago Bernabéu após a conquista da Copa do Rei. A “estratégia de comunicação” de Mourinho tenta convencer as pessoas de que, com três semifinais seguidas de Liga dos Campeões, a posição do Real Madrid no continente foi restaurada. O argumento não dura nem trinta segundos, especialmente se comparado a técnicos que venceram o torneio pelo clube, com muito menos orçamento e poder.

FESTA

Devemos comemorar a inauguração do estádio mais caro do Brasil, que custou quase 80 milhões de reais a mais do que o dobro do previsto? Devemos comemorar que tudo foi feito com dinheiro do governo? Devemos comemorar que este estádio fica em Brasília?



  • Emerson Cruz

    1- O resto de 2013 promete um Santos (com, ou sem Neymar) coadjuvante no Brasileirão. Já o Corinthians (com, ou sem Paulinho) aparenta ter chances de continuar entre os protagonistas.
    2- Mourinho realizou um trabalho aquém do que se esperava, sem dúvida. O que me chama a atenção, porém, é como figuras como ele e Luxemburgo, por exemplo, são incapazes de dizer “eu errei”,” poderia ter feito algo melhor”, etc…
    3- Criticar um estádio que saiu por mais que o dobro do orçamento, construído com o nosso dinheiro, que foi entregue muito tempo depois do que se prometera e que se tornará um mamute albino, significa ser um “pessimista de plantão” foi o que deu a entender as palavras da presidenta Dilma Rousseff. Uma pena.

  • Renato

    Bom dia André…só uma correção:

    2 – Enquanto Santos e Corinthians en(m)patam, as faltas ganham.

  • Fábio Fuscaldi Neto

    André, excelente análise – mais uma vez. Só uma dúvida: quem fez a cobrança de falta no gol do Santos não foi o Felipe Anderson? Abraço, parabéns pelo trabalho!
    Com relação à Copa, já desisti; o assunto já me cansou, infelizmente. Porque não é possível a farra com o erário sem que ninguém tome o controle e inicie já investigações para acabar com a festa. Mas, como somos apenas “pessimistas de plantão”, imagino que, dificilmente algo será feito. E é apenas o começo: imagina na Olimpíada (ops… posso usar aqui o termo? Pois o soberano Nuzman andou processando algumas pessoas por utilizar os termos ligados à Olimpiada)

  • Renato

    André….deixei passar mais essa correção. Item 9 do texto. Abraço

    passa e o Santos, sem outra opção, troca preocaução por ousadia sem pagar o preço correspondente.

  • João Sardinha

    Mano Menezes dá entrevista para o Globo.com chora as pitangas se diz injustiçado e o pior que renovou a seleção. Vamos aos fatos:
    1- Mano ficou mais de 2 anos no comando da seleção perdeu todos os jogos contra times top.
    2- Perdeu a medalha de ouro para o timinho do México.
    3- Ele prometeu que o Brasil ia ser protagonista e resgatar o seu futebol ofensivo. O que fez: Elegeu um dos maiores cabeças de bagre de todos os tempos como o jogador mais convocado sob sua gestão, chamado Sandro e ainda por cima inventou Romulo, Elias, Ralf e cia.
    4- A sua renovação chama-se Neymar, Oscar, Lucas que qualquer cego de guia sabia que não poderiam deixar de serem convocados.
    5- A sua estratégia de jogo diferentemente do que prometeu era baseada em 2, 3 e até 4 volantes como aconteceu na pelada contra o Gabão em que quase perdemos o jogo.
    6- A não ser na sua estréia quando enganou a todos escalando um time ultra ofensivo contra USA o Brasil nunca mais reiterou aquela boa atuação.
    Finalizando concluo o seguinte: Mano intende tanto de futebol quanto eu e você meu amigo torcedor brasileiro, talvez nós intendamos mais até. O que faz a diferença para ele, é que é um cara bem assessorado, ungido pela mídia, politicamente correto e bom falante.

  • Filipe Bonavides

    André,

    Concordo com sua avaliação de que o trabalho de José Mourinho no Real Madrid foi muito abaixo do esperado, tendo em vista o salário, orçamento e poder de decisão que tinha em mãos, mas, daí dizer que não conquistou nenhum troféu valioso acho um pouco exagerado.

    Não se pode considerar o título do campeonato espanhol (2011/2012) como um título sem valor, ainda mais com recorde de pontos e gols marcados. Até o da Copa do Rei também, tendo em vista que o clube não conquistava há 17 anos, e em cima do Barcelona.

    Sou muito fã do seu trabalho, continue assim!

    Forte abraço

    AK: “A temporada 2012/13 termina sem nenhum troféu valioso”. Um abraço.

  • RENATO77

    AK, daria pra traçar um paralelo entre o que aconteceu com o árbitro Tardelli na rodada final do BR08 e o caso do Braghetto nessa final do Paulista 13?
    Marco Polo Del Nero estrá por trás nos dois casos?
    Em 2008, o SPFC sai do caso como “vitima” e em 2013 o SCCP como “suspeito/réu”?
    Abraço.

    AK: Pelos envolvidos, não duvido de nada. Mas o caso do Braghetto é bem menos complicado. Ele tinha “relações trabalhistas”, digamos, com vários clubes. E o desempenho do Corinthians em jogos apitados por ele é ruim. De modo que o mais preocupante é pensar que esses conflitos só vieram à luz porque ele apitaria a final. Um abraço.

  • Charles

    Gostaria muito, que meu time conseguisse ser competitivo como foi o Real nesta temporada.
    Se conseguisse 2º Brasileiro, 2º Copa brasil e Semifinalista da Libertadores, estaria muito contente com meu time.

    Mourinho conseguiu:
    2º Lugar no campeonato espanhol.
    2º Lugar na copa.
    Semi-Finalista na Champions.

    É para poucos.

    AK: Insuficiente. “A pior temporada de minha carreira”, nas palavras do próprio. Mas fique à vontade para achar bom. Um abraço.

    • Charles

      E mais:
      Não ter perdido nenhum jogo para o arquirival na temporada.
      2 vitórias e 2 empates.

      • Fabricio Carvalho

        Já vi “mais católico que o Papa”, agora “mais Mourinho que o próprio Mourinho” é a primeira vez”

        AK: Há sempre uma primeira vez. Um abraço.

  • Juliano

    AK, aguardei ansioso pela coluna. Primeiro, parabéns ao Corinthians, campeão com méritos.
    Alguns comentários sob meu ponto de vista:

    1- A grande diferença nem acho que foi Neymar. Foi que Muricy não escalou 4 volantes como no primeiro tempo do jogo 1 (por mais que F. Anderson não tenha tido uma boa jornada no jogo 2). O espírito do time era outro. Sim, Neymar em melhores condições foi melhor que no jogo 1. Mas não foi “a grande diferença” (minha humilde opinião).

    3- F. Anderson chuta e a bola bate na mão do defensor corinthiano antes de chegar às mãos de Cássio. A Band mostrou. Ficou muito, muito claro. Chute em direção ao gol, desvio com a mão no meio do caminho é o que? Não, não é mimimi. O lance foi rápido e perdoo a arbitragem nessa. Depois, em jogada pela linha de fundo, Paulo André desvia MUITO a bola para escanteio, com o braço, na frente do assistente que fica na linha de fundo. Mas a bola não ia em direção ao gol. Lance interpretativo. Na televisão (Band e Globo), “especialistas” disseram que apitariam penalti, confirmando no lance seguinte uma mão de Bruno Peres marcada no ataque santista: “mão fora da área o árbitro apita rápido, já dentro da área…”. Novamente, não é mimimi, o Corinthians foi superior NOS DOIS jogos e mereceu o título. Mas lances assim mudam a história do jogo… gostaria de saber sua opinião nestes lances, AK.

    4- Bola parada, jogada ensaiada, gol = Muricybol.

    5- Gol em jogada de todo ataque corinthiano = conjunto, futebol bem jogado.

    6- Perfeito. Corinthians = conjunto, ataca junto, defende junto (Danilo dando carrinho na defesa foi lindo), time sólido. Santos = Neymardependência. Isso faz mal para o Santos, mas mal para Neymar. Faz aparecer seu pior futebol, tende a individualizar mais, tende a errar mais, tende a apanhar mais (vale lembrar que não deu um chute a gol, e em TODAS as suas jogadas foi parado com falta – muitas vezes mais de uma). Em 2010 ele jogava diferente, o time era diferente, tinha com quem dividir. Hoje é isso. Cenário mais maléfico para seu futebol impossível. Que vá para Europa, sem o peso do protagonismo, dividindo responsabilidades com gente mais calejada, tendo em quem confiar um passe.

    8- Ficou muito barato para o Santos.

    10- Seria Pato “overrated”? Fernando Torres-like? A conferir…

    11- Coisa mais ridícula do mundo o Santos lá atrás com seus “kickers” rifando uma bola para o ataque corinthiano, na esperança de “respingar” em alguém. Com Durval e Dracena no ataque. Durante longos 5 minutos. Vergonha alheia. Não é possível que isso aconteça no futebol profissional em 2013. Que fase, Muricy!

    12- Título merecido. O Santos havia chegado com 2 empates (Palmeiras e Mogi) e tem elenco e futebol inferiores. Só não houve surra (em placares) pois Tite respeitou demais. O que é curioso, a rigor o Santos perdeu apenas o primeiro tempo do jogo 1. Nos 3 tempos seguintes os placares foram empatados. O Corinthians não pode dar 3 tempos de sopa. Tem que matar. Ainda assim é forte candidato ao bi-brasileiro. E o meu pobre Santos é candidato a brigar pra não cair.

    Como santista torço para revitalização no trabalho do Santos, e isso passa pela saída de Muricy e aproveitamento da base (DNA do time). Mas não vai acontecer agora. Quem sabe após um vexame no BR’13. Torço pela saída do Neymar, será bom pra ele, será bom pro Santos (ele, sozinho, não faz diferença), será bom para todos.

    A nota triste, para mim, foi Paulo André. O culto-jogador que passei a admirar pela postura e bom futebol, foi comum no domingo. Tirou sangue da canela de Neymar (como os grossos fazem) e passou o jogo intimidando o moleque (como todos fazem). Depois culpou Neymar e disse que ele é desleal. Fácil atacar com o microfone. Neymar pode não ser santo, mas PA apelou… queria ver se fosse o Jorge Henrique o que PA diria.

    Sobre Mourinho: achei linda sua derrocada. Cidadão bossal. Profissional ultrapassado, vendedor de ilusões. Mal comparando, Mourinho é o Luxemburgo da Europa. Vende projetos baseado em seu currículo vencedor, que já está ficando velho pois o tempo vai passando, faz o clube investir aos tubos e o retorno em títulos não vem. Vai tarde!

    Abraço!

  • RENATO77

    O título paulista fica com o melhor time do estado. Mesmo com uma formula de disputa esdrúxula.
    A somatória das partidas finais mostra isso.
    Não fosse o péssimo aproveitamento do ataque Corinthiano, teríamos tido resultados como o do duelo entre AT/MG X SPFC na libertadores.
    A arbitragem adotou um “modo de segurança” nos dois jogos. Reclamações moderadas de ambos os lados, pelos lances de penalti no Pacaembu e na vila, para ambos os times. O que demonstra acerto por parte dela.

    Confesso que estava cabreiro com a arbitragem na vila. Moro na cidade e sei o que significaria, para os donos da casa, ver o SCCP levantar a taça lá, e toda a pressão que deve ter havido para que isso não acontecesse. Arrisco dizer que NÃO há torcida que deteste mais o SCCP do que a do SFC. Nem na capital deve haver mais rejeição do que aqui.
    Sei também o efeito que o estádio provoca em boa parte dos árbitros. A Vila é o estádio em que os juízes mais se sentem acuados, conforme matéria/pesquisa entre árbitros da placar. Não ter saído da vila com grandes reclamações, em sí, já foi uma vitória, o que confirma nossa força nos bastidores atualmente.

    Alguns jogadores assumem a “imagem” do time, o simbolo do clube num determinado momento historico. A torcida o idolatra e os rivais o acham “babaca”. Falo do Léo. Por mais que ele seja antipático para os rivais, não há como negar…COMO JOGA BOLA ESSE VETERANO!!! Como o cara NÃO SENTE jogos decisivos. Fala muito, mas JOGA MUITO!!! Um exemplo como o próprio Danilo, que tem sido bastante elogiado.
    A torcida santista tem que fazer UMA BAITA homenagem quando esse cara parar. Quem sabe, até EU vá, pois o cara é f…tem que respeitar.

    Abraço.

    • Juliano

      É Renato, o Léo já jogou mais. Hoje a idade e as seguidas contusões limitam ele. Mas elle “vai pro pau” mesmo, não sente, como você disse. Tem o tal “sangue nos olhos”, veste a camisa com certeza. A torcida santista tem esse reconhecimento por ele sim.

      Abraço!

  • “Vamos celebrar
    A estupidez humana
    A estupidez de todas as nações
    O meu país e sua corja
    De assassinos
    Covardes, estupradores
    E ladrões…
    Vamos celebrar
    A estupidez do povo
    Nossa polícia e televisão
    Vamos celebrar nosso governo
    E nosso estado que não é nação…”
    Renato Russo, há tempos e com perfeição, sobre a Copa do Mundo no Brasil.

  • rodrigo

    Ta ficando meio obvio o desdem pelo Mourinho.

MaisRecentes

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo

Troféu



Continue Lendo