COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

É A POSSE

O afastamento de Jorge Henrique não foi uma decisão intempestiva de Tite e da diretoria do Corinthians. Os episódios antiprofissionais do atacante são antigos, remontam à época em que o técnico era Mano Menezes. No segundo semestre de 2009, em virtude de atuações decisivas nos títulos da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista, Jorge Henrique mereceu e depois deslumbrou-se com um aumento salarial. Passou a agir como se treinar fosse uma opção. De lá para cá, alternou fases boas e ruins fora do campo.

Já sob Tite, ele não pode reclamar de punição sem aviso, tantos foram os conselhos que recebeu de companheiros para não acabar por comprometer a própria carreira. O Corinthians tem um grupo capaz de se regulamentar quando percebe desvios de comportamento, sejam eles de conduta externa ou interna, como no caso do descontentamento de Emerson Sheik com seus minutos em campo, resolvido momentaneamente. Quem chega a ponto de ser disciplinado de cima para baixo, como Jorge Henrique e, há mais tempo, Chicão, é porque ultrapassou várias camadas de proteção.

Perder Jorge Henrique prejudica o Corinthians no ponto de vista tático, especialmente num momento de decisão, mas os maiores problemas estão mais relacionados ao jogo em si. Quem observa o time não demora a notar uma clara diferença em relação ao ano passado: falta pressão no nascimento de jogadas do adversário. Mas este é o sintoma. A doença é um decréscimo na capacidade de manter a bola, que altera a dinâmica das posses e sobrecarrega Paulinho, Ralf e o sistema defensivo.

Alguns fatores contribuem para um time mais verticalizado e, por consequência, mais vulnerável. A idade de alguns jogadores, como Danilo, Fábio Santos e Alessandro é um deles. A lesão de Renato Augusto, outro. A baixa produção de Douglas, mais um. Juntas, tais circunstâncias produzem uma equipe que ataca com menos elaboração e expõe seus dois volantes a um constante ioiô entre as duas metades do campo.

Essa maneira de jogar não é, necessariamente, um problema para a decisão do Campeonato Paulista, que começa amanhã. Corinthians e Santos entram na final em igualdade de condições. As dificuldades serão maiores na próxima quarta-feira, quando o Boca Juniors virá ao Pacaembu com vantagem de um gol, ostentando a picardia que o caracteriza neste tipo de situação. Para construir o resultado que lhe transportaria para as quartas de final, sem depender da sorte ou da improvável colaboração do adversário, o Corinthians terá de gerar jogo como fez em 2012.

Só com percentuais de posse de bola mais generosos – e objetivos – será possível controlar a partida nos dois lados da bola, o que aproximaria o Corinthians de suas pretensões. Outra característica do conjunto que eternizou a temporada passada era a segurança que fazia o torcedor crer que o time poderia não vencer um jogo, mas também não o perderia. Sensação que ainda não se apresentou em 2013.

Não há momento mais apropriado do que o atual para voltar no tempo. A questão é como.

INTERPRETAÇÃO DE DRIBLE

No segundo tempo do recital oferecido pelo Atlético Mineiro, na quarta-feira, Ronaldinho Gaúcho fez uma jogada “de melhor do mundo” rente à linha lateral. Constrangedora sequência de dribles ilusionistas que, se encontrassem um gol – quase aconteceu – ao final do lance, o Independência certamente seria interditado por excesso de emoção. Foi uma aparição que reuniu magia e perigo, espetáculo e competição, nada que merecesse uma caracterização negativa. As declarações de jogadores do São Paulo em referência ao que teria sido “menosprezo” por parte de Ronaldinho são deprimentes. Um futebolista tem três opções ao se ver diante de uma ameaça dribladora: 1) aplaudi-lo, o que não seria muito profissional; 2) desarmá-lo, exibindo a própria qualidade; e 3) quebrá-lo, e lidar com as consequências. Passar recibo sentimental não é aceitável.



  • RENATO77

    Uma pena, mas parece que JH termina seu ciclo no PSJ. O “craque tático”, o “Biro Biro do séc. 21″…acho que tem mercado. Os treinadores adoram um coringa como ele.

    Sobre o jogo de hoje…equilíbrio total ao menos ANTES do jogo…qual dos dois times reencontrará o bom futebol que JÁ apresentaram?

    “…Boca Juniors virá ao Pacaembu com vantagem de um gol, ostentando a picardia que o caracteriza neste tipo de situação…”
    Perfeito. Sofrimento a vista.
    Abraço.

  • Eugenio

    Amigo,
    Ou profissionalizamos nosso futebol ou vamos continuar a ser a bola da vez…Futebol é SIM ESPETÁCULO e quanto mais arte melhor. O São Paulo ensinou e desaprendeu… Foi a melhor escola(tempos de Telê) e formação de atletas e depois que começou a contratar “estrelas”(hoje:Lúcio, Luis Fabiano, Juan…) tem provado um gosto amargo de falta de amor a camisa/clube, que além de nao faturar tem que pagar muito caro por esses mercenários!
    Acorda senhores!

  • Mauricio Cortez

    Valeu seu Jorge da fiel,você honrou e mereceu usar esse manto sagrado do Corinthians.boa sorte e muito obrigado!.

  • Anna

    Quero ver Alexandre Pato nesse time do Corinthians. Só não sei como Tite o encaixará em seu esquema.Paulinho joga demais.Corinthians vai ser campeão paulista mesmo enfrentando o Santos de Neymar pq tem mais conjunto.

  • Caio

    Desperdiçar um jogador como o Jorge Henrique é ao meu ver uma besteira do Tite, eu não sei o que aconteceu, mas o cara correspondia dentro de campo e é um jogador experiente e muito útil, além de ser identificado com a torcida.

    É lógico que deve prevalecer o bem estar do grupo e o conjunto, mas uma medida displinar uma geladeira de um mês resolveria o problema não precisava descartar o jogador dessa maneira.

  • Emerson Cruz

    Fase deslumbrante do Ronaldinho e do Galo. Reclamações são apenas recalque de quem nasceu sem o seu dom futebolístico.

    • Broc

      Até o próximo concerto…

  • FLAVIO

    Obrigado Jh pelo empenho mostrado em todos os jogos em que vestiu o manto alvinegro. VAI CORINTHIANS!!

  • turco

    Perfeita sua analise dos defeitos que assolam meu corinthians!! Parabens…

  • Mauricio Guitzel

    Realmente triste o fato de alguns encararem dribles como menosprezo.

    Eu imagino na NBA, quando o Jordan fazia aquelas enterradas incríveis, alguém ir lá e cobrar ele por desprezar o adversário? Ridículo, esta é a magia do jogo…

  • Puxa-saquismo à parte, pois sou suspeito para falar, já que sou fanzaço seu, tu nunca cogitou comentar alguns jogos ao vivo? E se já o fez, conte-me quando, pois desconheço… digo isso justamente pelo o que “Turco” disse acima: sua análise foi irretocável.

    Outra coisa: “Passar recibo sentimental não é aceitável.” … haheahehaheea… gênio!

    AK: Obrigado pelo elogio, mas… não é a minha praia. Um abraço.

  • Edouard

    Aparentemente, o comportamento do time do Corinthians diante do Santos resgatou o futebol do ano passado. Se é verdade que os corintianos podemos ficar de cabeça quente porque o time não matou o campeonato no primeiro tempo de ontem, servem de alento a pressão alta, sufocando o time santista, e o bom futebol do Paulinho.

    Ficam perguntas: é coincidência que Paulinho tenha jogado esse bolão todo no mesmo dia em que o Esporte Espetacular veiculou matéria sobre sua história? O comportamento do time – com jogadores comendo grama – é reflexo do afastamento de JH? Tite usará Edenilson na função tática que JH vinha desempenhando?

    Um abraço.

  • Fala Andre!

    Falando sobre comportamento de jogadores, eu gostaria de salientar a mensagem de despedida publicada por Canete, do SP. A ultima frase foi “desculpe por tao pouco”. Achei admiravel a honestidade de reconhecer que realmente nao foi bem. Poucos jogadores tem a hombridade de se autoavaliar realisticamente.

    Nao acompanho o dia a dia do SP, mas acredito que ele saiba do que esta falando. Me lembrou muito as lagrimas do Armero, lateral colombiano do Palmeiras, quando foi substituido em um classico durante uma fase em que ele nao vinha jogando bem. Sinceridade a flor da pele.

    Abs

    • Simões

      Verdade Beto, também a mim a despedida de Canête emocionou.Cidadão c/vergonha na cara, e o que é melhor;diz que ainda volta para dar alegrias a torcida.

  • jose carlos

    o jorge henrique sempre honrou o manto em campo,foi guerreiro e o timao afastando so prejutica o proprio timao ,lembrando que ele tem contrato ate o fim de 2014. uma multa seria o suficiente na minha humilde opiniao . abracos a todos e vai timao

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo