COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

O PROFISSIONAL

Não é verdade que Tite recebeu uma proposta para trabalhar na Internazionale de Milão. O que não significa que não tenha acontecido um contato, uma sondagem, uma aproximação, seja qual for o nome que se queira dar a uma mensagem que, sim, chegou da Itália. Chegou e foi redirecionada ao agente Gilmar Veloz, que é quem cuida dos destinos profissionais do técnico campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes da Fifa.

Um conhecido de Tite foi o portador do recado. Intermediários que costumam negociar com o clube italiano gostariam de saber se uma conversa direta com o treinador do Corinthians seria possível. Tite respondeu que eles deveriam procurar seu empresário, conduta adotada desde sempre, seja qual for o clube ou a ideia, porque é exatamente para esse tipo de situação que profissionais do futebol contratam agentes para os representarem.

Desnecessário dizer que nem todos se comportam dessa maneira respeitosa com seus empregadores, mas imperativo salientar que existe outra explicação para a forma como Tite lida com qualquer nível de assédio: é o jeito que ele encontrou para conseguir continuar trabalhando com a seriedade e a concentração que cobra dos que estão à sua volta.

O contato aconteceu há cerca de duas semanas. Desde então, a Inter de Milão não voltou a ocupar o tempo de Tite, exceção feita às perguntas de pessoas interessadas em saber o que havia acontecido. A resposta foi sempre a mesma, porque Tite e seu agente não conversaram mais sobre o assunto, um sinal de que as coisas não evoluíram.

Num ambiente em que a supervalorização de qualidades próprias é quase a norma, pode custar a crer que um treinador brasileiro trate a possibilidade de trabalhar na Europa com tamanho, digamos, desprendimento. Não é difícil elaborar uma lista de nomes que, diante de oportunidades bem menos significativas, sabotariam suas obrigações por total incapacidade de praticar o que se chama de profissionalismo.

Mas Tite convive da mesma maneira com convites para palestras em recantos paradisíacos do Brasil, que pagariam muito bem mas desorganizariam sua rotina de trabalho. Propostas do tipo têm acontecido com cada vez mais frequência, reflexo natural do sucesso recente, mas também têm sido interrompidas ao menor sinal de dificuldade logística. A orientação para quem as recebe é nem estender a conversa, ou falar em valores.

Claro que a atenção despertada é maior quando se trata de um clube como a Internazionale, uma vez que, ao contrário dos jogadores, técnicos brasileiros não compõem uma categoria estabelecida na elite do futebol mundial. Mas não se pode dizer que os dias atuais apresentem o maior risco de Tite deixar o clube em que vive o horário nobre de sua carreira.

Este momento foi durante o segundo semestre do ano passado, entre as conquistas internacionais que transformaram o técnico do Corinthians num alvo prioritário. Clubes brasileiros, estrangeiros e seleções – a Brasileira, inclusive – telefonaram ou mandaram recados.

A resposta foi sempre a mesma.

HANNIBAL

Luis Suárez Lecter atacou de novo, desta vez num campo de futebol da Inglaterra. O atacante do Liverpool tascou uma mordida no braço de Ivanovic, zagueiro do Chelsea, neste domingo. As imagens são indiscutíveis. Os motivos, intrigantes. Especialmente se lembrarmos que não foi a primeira vez. Quando jogava no Ajax, em 2010, Suárez mordeu o ombro de Otman Bakkal, num jogo contra o PSV. Pegou sete jogos de suspensão na ocasião. Reincidente, uma focinheira talvez seja uma punição mais adequada.

TÉCNICO DE FUTEBOL

Ontem fez sete anos que Telê Santana morreu. Sua contribuição para o futebol não caberia nas páginas deste diário. Protagonista da formação futebolística de gerações de privilegiados, dentro e fora do gramado. Seus times iam a campo para jogar futebol. Ganhar era consequência.

ADRENALINA

Acabou a “temporada de classificação” do Campeonato Paulista. Que emoção.



  • Emerson Cruz

    Acho que Tite ficará, até por ser o melhor treinador brasileiro na atualidade, não faltaram outros interessados em contar com seu trabalho, entre eles possivelmente a Seleção pós-2014. Devo dizer no entanto, que gostaria que ele permanecesse por muito mais tempo treinando meu time, questão financeira à parte ele consolidaria algo que é absolutamente impagável, ser indiscutivelmente o melhor treinador da história do Sport Club Corinthians Paulista.

  • felldesign

    Esse Suárez tem minhoca podre no lugar de miolos… só pode! Gostei da zoeira do Evra:

    http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/sport/football/4899093/Patrice-Evra-mocks-Luis-Suarez-by-biting-fake-arm.html

    Tite, quebre o recorde de SAF, no Manchester United! Fique 30 anos no Timão! Você disse que 3 anos é o máximo que um técnico pode ficar à frente de um time, aqui no Brasil… mude isso!

  • Essa postura do Tite é realmente admirável. Mas seria bacana vê-lo trabalhando na Europa. E creio que isso deve fazer parte do plano de carreira dele e, no momento adequado, deverá acontecer

    Seria importante para o técnicos do Brasil que um deles vingasse nos clubes da Europa, depois das passagens frustradas de Luxemburgo e Felipão

    • Alexandre

      O que seria melhor para o futebol brasileiro: ter seus melhores jogadores passando várias temporadas na Europa (Lucas, Oscar,…Neymar), ou seus melhores técnicos indo passar umas temporadas por lá???

      AK: Interessante questão. O futebol brasileiro, num primeiro momento, não teria muito a ganhar se seus melhores técnicos trabalhassem fora do Brasil. Não se pode aproveitá-los da forma que se faz com os jogadores, obviamente. Mas a qualificação que eles ganhariam poderia gerar benefícios a médio/longo prazo, além de proporcionar que “a fila ande” aqui no Brasil. Claro que não há como saber quanto tempo um técnico, bem sucedido na Europa, demoraria a voltar para trabalhar por aqui. Um abraço.

      • Paulo Pinheiro

        A experiência com Luxemburgo e Felipão não se revelou alentadora.

        • Matheus Brito

          São duas situações distintas:
          1 – Luxemburgo foi para a Europa achando que era o melhor do mundo, principalmente por ter ido para o Real. Não conseguiu impor sua arrogância, digo, liderança diante de um elenco mega estrelado e ainda pegou a grana do Real e apostou em jogadores como Júlio Baptista, Robinho, Cicinho, Sérgio Ramos e outros. Deu azar também que do outro lado havia “aquele R.Gaúcho”. Conviveu com seguidas lesões de Zidane, Ronaldo e Raul. Ele conseguiu ser eliminado da copa do Rey pelo valladolid, além de levar passeios do Lyon e do Barça.

          2 – Felipão tinha muito prestígio na Europa após trabalho convincente na seleção Portuguesa, apesar de ter conseguido perder a Euro para a Grécia. O seu pecado capital foi não ter esperado um pouco mais após a experiência em solo português. Além disso, aceitou aceitar o Chelsea, clube que só teve verdadeiramente um treinador no últimos anos, vários “interinos”, “tampões”, “quebra galhos”, “apostas”, como queiram chamar. Pegou um clube milionário onde os principais jogadores pareciam ter uma cartilha de conduta de seus treinadores. Como não falava inglês, foi alvo fácil para o russo maluco triturador de técnicos.

          • Matheus Brito

            Seria “aceitou treinar o Chelsea”. Perdoem a falha.

      • Iuri

        E se passássemos a contratar técnicos estrangeiros, especialmente europeus? Seria outra alternativa.

        AK: Aí o benefício é direto. Seria muito bom. Um abraço.

  • Andre, ainda nao entendo como os clubes nao se rebelam e acabam com o enfadonho campeonato paulista. Eles perdem em dinheiro, exposicao….. Enquanto os clubes brasileiros nao exursionarem ao exterior estarao rebaixados a condicao de ilustres desconhecidos. Uma pena!

  • francotimao

    Andre, com certeza seria interessante q técnicos brasileiros pudessem trabalhar na Europa e vice-versa, afinal o intercambio é necessário e produtivo não somente em termos de atletas como também de técnicos, seria uma evolução e talvez uma revolução, mas não consigo ver a Europa interessada ao menos em quantidade nos nossos técnicos, é uma pena…qto ao Suarez ele é realmente descompensado literalmente, é o Mike Tyson do futebol, rsrsrsrs!!!!…Abs!!!

  • É fato que as passagens de Luxa e Felipão pela Europa não foram desastrosas como muitos pintam. Tiveram resultados mais expressivos do que muitos que ainda continuam por aqui. O que eles não tiveram foi é tempo pra se estabelecer.

    • Matheus Brito

      Felipão passou quase 10 anos na Europa. Não está por lá até hoje porque não conseguiu resistir ao convite do Chealsea.

      • Fala Matheus!

        Eu me refiro exatamente ao periodo de amos em clubes… Pois na selecao Portuguesa o Gene Hackman foi bem! rs..

        Abs!

  • RENATO77

    Tite conseguiu ter um time forte sem craques, longe disso. Alguns jogadores tem que agradecer a Papai do Céu todos os dias pelas “graças alcançadas”, pois são jogadores absolutamente medianos…e conquistaram TUDO.
    Conseguiu ter marcação forte, sem faltas em exagero. Certamente é um dos times que menos falta comete. Violencia? Passa longe.
    Tite marcando época!
    Abraço.

    • Cleibsom Carlos

      Cara, esta sua descrição serve direitinho para o Bayern…A mídia brasileira hoje está endeusando o Bayern apenas por ele ser europeu porque um time brasileiro jogando assim logo recebe o adjetivo de FEIO. Uma eventual final de mundial entre Corinthians e Bayern tem tudo para acabar em goleada de 1×0 para qualquer um dos dois times…

      AK: Alerta de pachequismo míope. Atenção.

      • Cleibsom Carlos

        Não sei onde você viu pachequismo. Não estou falando que o Brasil joga o melhor futebol do mundo, isto não é verdade há pelo menos 30 anos, o que estou dizendo é que entre técnica e força esta última sempre prevalece na visão dos técnicos “modernos”. A torcida contra o Barça ontem era imensa por causa disto e com a derrota e eminente eliminação do time catalão pelo segundo ano consecutivo da Liga dos Campeões, e o Bayern não passa de um Chelsea melhorado, os “entendidos” têm seus conceitos confirmados e opiniões como a minha são tachadas de “pachequismo” ou “românticas”.

        AK: Eu estava começando a pensar em te responder, lembrando que sou um dos maiores admiradores do futebol técnico e bem jogado que você poderá encontrar. Aí li “e o Bayern não passa de um Chelsea melhorado”, e achei melhor não continuar. Um abraço.

        • Emerson Morelli

          Foi genial Andre

        • Matheus Brito

          Cleibson, quando comecei a ler imaginei que você nunca tinha visto esse Bayern jogar, sendo um dos assustados, por exemplo, com as convocações do Dante. Mas quando vi a data em que você escreveu fiquei sem entender, pois se fosse o primeiro jogo que tivesse visto desse time, o teria visto justo em umas das mais memoráveis partidas feitas por eles em muito tempo. Enfim, reveja seus conceitos.

  • Cleibsom Carlos

    Um time contratar um técnico brasileiro quando o seu elenco está repleto de argentinos é uma coisa estúpida…Por isso nunca levei esta notícia à sério. O Tite parece ter um empresário estranho, que gosta de valorizar seu cliente com estratégias “pouco ortodoxas”! Quem não se lembra da renovação do contrato do Corinthians quando o cara pediu quase 1 milhão de salário e o pobre do Tite não estava sabendo que ele estava pedindo tudo isso para renovar? Este é o tipo de história que só ficamos sabendo porque o Andres Sanches soltou o verbo, porque se fossemos depender da imprensa…

    • Cleibsom Carlos

      Mas é justamente isso que eu acho…Os técnicos sempre dão um jeito de deixarem os robôs mais produtivos. Da mesma forma que o Chelsea era melhor que a Inter, o Bayern é melhor que o Chelsea, mas os conceitos sobre o futebol dos 03 times é idêntico, ou seja, ferrolho atrás e saída no contra-ataque com toques rápidos…A forma como a torcida do time alemão comemorava escanteios como se fossem penáltis ontem chegou a ser ridícula. Das 03 equipes citadas talvez o Bayern tenha os jogadores menos “caneludos”, talvez…

  • Valdir P.Ferreira

    Pode até não ser Tite, mas alguém plantou essa notícia para valorizar ainda mais o seu trabalho, pode até ser legal, mas acho imoral.

    AK: Me parece que você não leu o texto. Um abraço.

  • Emerson Morelli

    AK vc nao acha que o que sobrou em Tite faltou a Gotze e os envolvidos em sua negociação com o Bayern, afinal tenho certeza que faltou e muito respeito para com o Borussia Dortmund de todos os lados, na divulgação e no momento dessa transferência as vésperas do jogo mais importante da década para os aurinegros

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo