CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

MANEQUINS

Foi um encontro inesperado e revelador. Banheiro masculino do Ginásio da Paz e da Amizade, santuário do vôlei brasileiro, Atenas 2004. O espelho refletiu a entrada de um sujeito vestido, dos pés à cabeça, com a roupa da Olympikus, então patrocinadora do COB. Era o ministro do esporte do Brasil, Agnelo Queiroz.

A princípio, a falta de decoro estético de um ministro de estado chamou a atenção. Senão por falta de liturgia, por ausência de necessidade. O agasalho de mangas compridas era absolutamente dispensável numa cidade em que fazia 38 graus à noite.

Mas é possível que o desejo do ministro em sentir-se atleta – verificado pela fobia de comparecer às cerimônias em que nosso hino nacional era executado – fosse mais forte do que ele. De todo modo, aquele encontro serviu para suavizar a inexplicável aparição de Aldo Rebelo, o sucessor do sucessor de Queiroz, trajando uma jaqueta da Nike no Roda Viva, da TV Cultura.

Terá sido um merchan? Ou escapou ao ministro a conclusão (óbvia, convenhamos) de que a imagem não ficaria bem para o mesmo político que presidiu uma comissão parlamentar de inquérito chamada CBF/Nike? É ainda provável que a escolha tenha sido feita por patriotismo, para combinar com o discurso padrão de Rebelo quando o tema é a Copa do Mundo de 2014.

As entrevistas de Queiroz eram angustiantes, dada sua dramática dificuldade para concatenar ideias. As de Orlando Silva eram soníferas, pela carência de objetividade. A de Rebelo, na segunda-feira, foi uma provocação a quem queria ver a Copa no Brasil discutida com seriedade.

De acordo com o ministro, quem faz perguntas por obrigação profissional é inimigo do país. Quem questiona os mamutes brancos erguidos com verba pública onde não há futebol profissional revela preconceito. Ame-o ou deixe-o, 2013.

É só isso? Não pode ser. O país precisa de um ministro do esporte. Até hoje não teve um.

CHANCE

É elogiável que Aldo Rebelo tenha aceitado ir a um programa de televisão, sabendo que – e por quem – seria questionado. Há quem prefira frequentar apenas os ambientes em que a camaradagem impera. Pena que o ministro tenha desperdiçado a oportunidade de esclarecer assuntos importantes. Pior, que tenha optado por levar a conversa para rumos desnecessários, como a tentativa de desqualificar debatedores.

TAREFA

Quem conhece Aldo Rebelo o tem na conta de um homem inteligente e articulado. A versão que se apresentou no Roda Viva tende a dar razão a José Maria Marin, que foi gravado dizendo que Rebelo “tem raciocínio demorado”. Se alguém como Marin tem essa opinião sobre você, a situação é de absoluta gravidade. E se você pode impedir que Marin o represente, e a todos os brasileiros, na organização da Copa do Mundo, é sua obrigação garantir que o país seja melhor servido.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo