MAIS LINKS DA LIGA



Barcelona e Bayern seguem no caminho para Wembley.

A exemplo do que aconteceu na terça-feira, mas com muito menos drama, os jogos do fechamento das quartas de final contrariaram o script.

Eram mais ou menos 6 minutos do segundo tempo no Camp Nou, quando Lionel Messi puxou as meias para a altura dos joelhos.

O melhor jogador do mundo estava no banco de reservas do Barcelona, que pretendia não recorrer a seus talentos contra o PSG.

Pastore tinha acabado de abrir o placar, num contra-ataque armado por Ibrahimovic. O resultado, se mantido até o final, significaria a eliminação do Barcelona da Liga dos Campeões.

Mas àquela altura, começo da segunda parte, o gol francês significava outra coisa: o repouso de Messi tinha acabado.

Necessário dizer que a vantagem parcial do PSG era merecida e legítima. O time parisiense foi ao Camp Nou para jogar seu futebol e o fazia com capricho.

Foi mais ousado durante o primeiro tempo, aproveitando as habilidades do grandalhão sueco que além de ser um perigo constante dentro da área, vê bem o jogo e passa com precisão.

Os números finais de posse de bola (61% – 39%) mostraram que o PSG jogou. A média do Barcelona nesta edição da UCL é 73,7%.

Sem Messi, o Barcelona parecia um time receoso. Iniesta era o único jogador que produzia como de hábito, e Valdés tinha sido mais acionado do que nos acostumamos a ver.

O gol de Pastore fez jus ao jogo e tirou Messi do banco.

Ele entrou aos 17 minutos, o Barcelona empatou nove minutos depois.

Jogada que ele mesmo criou pelo meio, livrando-se de dois marcadores e servindo Villa com um passe vertical. Villa ajeitou para Pedro fazer 1 x 1.

Messi jogou 32 minutos, deu 19 passes e não chutou nenhuma bola para o gol francês.

Fez pouco, e praticamente tudo.

______

Em Turim, a Juventus dependia de um jogo impecável para sobreviver.

Mas o adversário era o único time que passou pelas quartas de final sem sofrimento.

O Bayern venceu por 2 x 0, mesmo placar do jogo de ida.

Se a atuação dos alemães nesta quarta-feira foi um sinal de aprendizado, a notícia é ruim para os outros três semifinalistas.

A derrota para o Arsenal, em Munique, no jogo de volta das oitavas de final levantou dúvidas sobre a compostura do time.

Mas a exibição na Itália foi típica da mentalidade vencedora que marcou o futebol alemão até há alguns anos.

O Bayern demorou cerca de 20 minutos para controlar as ações, período em que a Juventus teve iniciativa sem ser ameaçador.

Uma vez estabilizados em campo, os visitantes passaram a criar muitos problemas para a Juventus.

O gol de Mandzukic – que não jogará a primeira partida das semifinais, por suspensão – saiu aos 19 minutos do segundo tempo e efetivamente encerrou o confronto.

Este Bayern tem capacidade defensiva para desativar os adversários, jogadores (Lahm, Schweinsteiger) que controlam partidas e atacantes perigosos. Se parecia que lhe faltava confiança, a vitória fora de casa sobre a Juventus mostrou o contrário.

O clube acaba de conquistar o campeonato alemão depois de dois títulos seguidos do Dortmund, e quer disputar a terceira final de Liga dos Campeões em quatro temporadas.

Mais do que isso, quer voltar a ser campeão europeu.

______

Os palpites das quartas de final foram certeiros.

4 em 4.

Nesta sexta, as semifinais serão definidas por sorteio.



  • Rodrigo

    O que vou escrever nao eh uma critica ao blogueiro mas sim uma critica a forma como alguns veiculos de imprensa e a grande maioria dos blogueiros noticiaram a classificacao do Barcelona.
    Ok, acho o Messi um jogador excelente mas eu nao suporto o hype em cima dele. Todos falam como ele “mudou o jogo” quando entrou em campo. Serio?? Um passe pro Villa? Eh realmente assim tao fantastico? Que tal o foco ser como o Barcelona jogo mal, como foi um resultado injusto, a quantidade de gols perdidos pelo PSG, a bela cabecada do Lucas no primeiro tempo, como deveria ser o PSG o time nas semis, como mesmo apos o Messi ter entrado o PSG seguiu criando chances? Infelizmente so se fala do Messi. Todos sabemos da qualidade do Messi mas espera ai. “Mudou o jogo” eh demais pra minha cabeca. Qualquer coisa que ele faz eh multiplicado pela velocidade da luz elevada a milesima potencia. Unanimidade eh soda! Credito ao blogueiro por dedicar algumas linhas reconhecendo a superioridade francesa.
    Dortmund na cabeca!
    Obrigado.

  • Fernando

    Quando voce se refere a muito menos drama, esta comparando a penas ao jodo do Borussia vs Malaga. Unico jogo com drama. E o jogo do Barcelona recebe a estatueta de prata. Porque o Barça esteve muito perto de ficar fora da Champions, jogando pelo empate, em casa, porem sendo dominado completamente pelos parisiensis na maior parte do tempo. Decidiram colocar o melhor do time pra jogar sem ele ter condicoes de nem andar e, mesmo assim, foi ele quem decidiu para os espanhois junto com o Valdez, com dois seus milagres. Mais de 96 mil pessoas aflitas e rezando pra acabar o jogo, quer mais drama do que isso? Por outro lado Real Madri foi tranquilazo porque so perderia a vaga se tomasse de 4, e no pelas circunstancias do jogo, eram preciso 6 pra que isso acontesse. Mais tranquilo ainda foi o Bayern. E eu acho que os jogos do fechamento das quartas de final nao contrariaram o script. Deram o que tinha que dá.

    AK: Como está escrito, refiro-me aos dois jogos de terça-feira. Além do que aconteceu em Dortmund, o Galatasaray fez 3 x 1 e teve um gol anulado – corretamente – por impedimento, numa fase em que gols irregulares foram validados em quase todos os jogos. Apesar de ter jogado bem no todo, e melhor em certos momentos, o PSG não dominou o Barcelona. E o “drama” que você menciona durou menos de 10 minutos. Quando falo sobre o script, lembro que o que se esperava eram boas atuações de Juventus e Barcelona, em casa. Não foi o que aconteceu. Um abraço.

    • RENÊ

      Srs.o Barcelona sofreu sim ontem,o PSG foi melhor no jogo sim,mas não vamos esquecer que o que proporcionou esses 10 minutos de “drama” no jogo de ontem foi o “ERRO” em Paris que validou um gol ilegal do PSG,pois se mantido 1 x 2 Barcelona,ontem o Barça jogaria muito mais tranquilo,e as críticas ao Messi são sem fundamento pois o cara é um “MONSTRO”,joga demais e ontem com 15% da capacidade física fez a diferença…….Um abraço!!!!!!!

  • Paulo

    André, embora do Barcelona tenha sido medroso no ataque quando o Messi estaa no banco, é importante ressaltar a impressionante estatística de passe do Xavi: 96/96, 100%, e a atuação do Iniesta nos 90 minutos. O que ajuda a deixar claro, para mim, que a “Messidependência” na verdade é mais uma questão de finalização e último passe, que o Villa não consegue suprir. Talvez por isso seja tão importante para o Barcelona ter o Neymar no ano que vem.

  • Cleibsom Carlos

    A verdade é que o Barcelona sem o Messi se torna “apenas” um bom time, nada mais. O que as pessoas precisam entender é que a presença de um fora de série em campo, mesmo que ele não faça nada, muda a atitude do adversário quase que inconscientemente. Quando o baixinho argentino entrou a atitude do PSG mudou, não por medo, mas sim por respeito a um jogador fora de série. Uma coisa que eu não consigo entender são os elogios ao Ibra…O cara é um grosso, vive tropeçanco na bola e não tem a mínima habilidade! Como ele no Brasil temos muitos…Agora, me responda uma coisa, AK, por favor: qual a renda deste jogo entre Barcelona e PSG? Algo em torno de 20 milhões de euros?

    • Na verdade, sem Messi, o Barcelona é… a Espanha!

      Certo, pessoal?

      Abraços!

      • Anna

        Certo, Alejjandro! Saudades!

        • Pois é, sumidáço… tá dose… mas vamos levando. 😉

  • Emerson Cruz

    Com ou sem drama passaram os favoritos. Agora nos resta a expectativa para os sorteios. Particularmente gostaria que o Dortmund fosse campeão numa final contra o Bayern, pois a Bundesliga, se não é perfeita, certamente é o campeonato mais decente e exemplar do mundo.

  • André, meu caro (venho aqui todo dia e só por isso já me sinto íntimo… Me perdoe o abuso), depois dos jogos de ontem só uma perguntava martelava a minha cabeça insistentemente: que semifinais serão mais explosivas? Alemães de um lado, espanhóis do outro? Ou confrontos cruzados? Neste caso, quais cruzamentos? Ainda não me decidi. Os jogos das quartas foram sensacionais em equilíbrio e emoção, talvez com exceção de Bayern e Juve, e cada vez que eu penso nas possíveis combinações para essas semis, eu só vejo faíscas saindo em qualquer um dos jogos possíveis. Quando eu imagino o passo seguinte, me vêm uma preferência por confrontos cruzados, só pra ter a chance de uma final Barça x Madrid ou Bayern x Borussia. Você tem alguma preferência? O que gostaria de ver saindo das bolinhas do sorteio? Abraço grande.

    AK: Se eu pudesse escolher, as semifinais seriam confrontos nacionais. Para definir o representante de cada país na decisão e consequentemente produzir uma final com “dupla nacionalidade”. Não me agrada a ideia de uma final doméstica. Um abraço.

    • Eu concordo com o AK, mas só uma final cruzada pode nos proporcionar colocar o Barça contra dois grandes times alemães quando os mesmos estão “voando” (sem desmerecer o Madrid, lógico).

      Por mim, seria Barça X Borussia e Madrid X Bayern, com final Barça X Bayern. Imaginaram?

      (sabe o que é? É que Barça X Madrid a gente já tá cansado de ver, né não?!)

      Abraço!

  • Juliano

    Ótimo! Mas há alguns pontos para reflexão:

    – O Barcelona, a rigor, NÃO VENCEU o PSG. Isso mostra a qualidade do time francês. E também como o Barcelona é vulnerável sem Messi jogando integralmente os 180 minutos.

    – Com Messi em campo, o Barcelona fez 2 gols e não tomou nenhum (1° tempo no primeiro jogo, e os últimos 32 minutos do jogo de ontem). Fábregas deve se questionar… “sou um m…”

    – Jogadores contemporâneos de Messi devem olhar para ele e aprender, a ver o exemplo de ATLETA. Não se poupou até seu time fazer o gol, que teve início em seus pés. Depois do resultado feito, ficou nítido que não estava 100% em condições. Mas até que seu time fizesse o gol, se doou integralmente. Além do talento, seu modo de agir faz toda a diferença. Além de tudo, é um exemplo.

    – Gols argentinos. E os brasileiros? Hoje eles são zagueiros (T. Silva e Alex) ou laterais (Daniel, Adriano, Maxwell). Lucas fez 2 bons jogos, mas sumiu ontem no segundo tempo. Mas me agrada demais sua disposição em campo, não tira o pé nunca. E e só o que temos lá fora, novamente. Ou toda a estrutura do nosso futebol abre o olho, ou as ‘safras’ ficarão cada vez mais escassas.

    – Ontem não teve impedimento (ou desimpedimento) na UCL. Nos jogos anteriores que tiveram, vou aliviar o lado dos bandeiras. Acho muito difícil precisar, pois deve-se olhar o posicionamento quando a bola é batida inicialmente, e depois novamente a qualquer desvio… por mais que esse seja o ofício dos assistentes e vivam disso, é uma função que requer concentração no seu mais alto nível. É dose.

    – O que não livra o erro ‘ao contrário’ que aconteceu ontem na Arena Grêmio… Rhayner tinha posição MUITO legal quando fez o gol. E aí? Na dúvida marca o impedimento ou deixa o lance seguir? Depende de quem é o gol e quem joga em casa? Considero este tipo de erro pior do que os que ocorreram na UCL.

    – A bolinha pequena que o Santos anda jogando já justifica a queda do Muricy?

    Um abraço!!

    • Que maldade, cara… a questão não é que o Fábregas é um m… é que o Messi é f…

      Abraço!

      • Juliano

        Correto Alejjandro, mas a fase dele anda bem fraca…

    • Nilton

      A bolinha do Santos não justifica a queda do Muricy e sim a venda do Neymar, pode ser bom para todos.

  • Acho que o jogo de ontem foi a demonstração definitiva de que o Messi é a alma do Barcelona, jogando por terra o argumento dos defensores do Cristiano Ronaldo dizendo que ele é mais importante para o Real Madrid do que o Messi para o Barcelona… Os dois são fundamentais e os seus times não seriam como são se não fosse por eles.

  • Anna

    Meio Messi resolve tudo!!! Ele é simplesmente sensacional!!! Estou torcendo pro Barcelona pegar o Borussia. Vamos acompanhar o sorteio amanhã. Boa quinta a todos, Anna

    • Acho que ontem não teve nem “meio Messi”… era “um sexto” e olhe lá… e mesmo assim o baixinho é o capeta!

    • Nilton

      E o mais interessante no lance, o qual não ouvi nenhum comentario, é que Messi entrou livre pela direita em condição de fazer o gol se Pedro torcasse a bola.

      • Cesar

        Havia observado isso no lance. Caso ocorresse um rebote, por exemplo, ele estaria na jogada.

  • Thiago Mariz

    Essa Messi-dependência assusta muito mais pela perda de personalidade que está acontecendo ao Barcelona. Um time que vem se desfigurando cada vez mais do que Guardiola fazia. Atualmente, temos um esquema tático e ele prevalece sobre o posicionamento dos jogadores no decorrer das partidas. Antes, o que prevalecia era o controle da bola, dos passes, das ações, menos que a posição em determinado momento. Esse pragmatismo está tirando a imprevisibilidade típica dos últimos anos.

    Com Messi entrando ontem, mas com uma discreta mudança, essencial à equipe, sendo ela: Iniesta se aproximando mais de Xavi, mesmo que ainda mais à esquerda. Junto de Iniesta, Pedro. O óbvio que dava certo antes só é utilizado em horas de necessidade. Pode ser que, one of these days, seja tarde demais para voltar ao que o time é.

  • Danyllo Magalhães

    André, a derrota do Bayern para o Arsenal foi em Munique, não em Londres. E eu concordo com vc em relação à final com dupla nacionalidade, achando o melhor jogo possível dentre esses quatro times seria entre Dortmund x Barcelona. O que acha? Abraços

  • A campanha do Bayern na Bundesliga é qualquer coisa de wahnsinn! Em 28 partidas, o “Super Bayern” conquistou 75 pontos em 84 possíveis (89% de aproveitamento), com 79 gols marcados e nada mais que 13 sofridos. O time está voando (ou estaria flutuando?) – imagina com o Guardiola! Apostaria 100 (Angela) Marcos no título europeu, com vitória sobre o Barça na final (3×2 – de virada, pra tirar a zica). 😉
    Um abraço.

  • RENATO77

    Sai do trabalho correndinho pra ver se dava pra assistir pelo menos o segundo tempo. Cheguei no bar e o segundo tempo estava só no inicio.
    Cerveja e bolinho de bacalhau.
    Valeu a correria, show de bola o jogo…MESSIânico…e como joga aquele sueco.
    Quarta tem mais, já combinei com os amigos.
    Abraço.

  • E a nata é composta por Espanha e Alemanha!

    Coincidência?

  • Felipe Lima

    Esses jogos pra mim mostraram uma coisa: a impressão de que Messi precisa descansar – de verdade!
    Longe de mim dar algum veredicto, porém vejo que essa longa sequencia de jogos em alto nível parece começar a cobrar seu preço (com essa lesão). E, de certa forma, em má hora, visto que a Copa está a um ano de começar. Tem gente gabaritada acompanhando o time, mas isso me lembra meio que 2006 com o Gaúcho e 2010 com o Kaká (por favor, guardem as devidas proporções), onde estavam numa ascendente e próximo do mundial que seriam os grandes protagonistas não renderam o esperado.

  • Alexandre

    Tá definido: Barça X Bayern / Borussia x Madrid.

    E agora, quem vai ser macho de cravar Bayern ?! 😀

    • Alexandre

      Ah, sim, eu vou: Bayern x Madrid em Wembley !

      • Juliano

        PVC vai de Bayern.

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo