BOM CLÁSSICO



Pênalti? Que pênalti?

Ok, está claro que não será possível falar sobre o clássico (São Paulo 1 x 2 Corinthians: Jadson, Danilo e Pato) sem opinar sobre o fatídico lance lá pelos 30 minutos do segundo tempo.

A meu ver, o árbitro acertou.

Pato chegou antes, tocou a bola. Rogério chegou atrasado, tocou Pato. Falta.

Se me permitem, gostaria de falar sobre o jogo.

Aí vai:

1 – Jadson joga, não? Ele tem o tipo de toque que indica uma relação mais aprofundada com a bola. Tem a clareza de quem enxerga o que é invisível aos outros. Tem a habilidade e o veneno dos meias que este país deixou de produzir. A forma como ele concluiu a jogada do gol não deixou dúvidas quanto ao desfecho.

2 – Não é fácil, para time nenhum, se equilibrar depois de um gol tão cedo e equilibrar um clássico. Exige tranquilidade, confiança e paciência. O Corinthians tem essa capacidade de, lentamente, assentar-se no jogo e fazer as coisas a seu modo. Merecida igualdade logo antes do intervalo, por tudo o que se produziu no primeiro tempo.

3 – Jogo de afirmação para Emerson Sheik. Seu papel é conhecido: força, velocidade, manutenção da bola no ataque, incômodo permanente. Quando não consegue reunir tantas facetas, sua presença em campo corre perigo. Quando oferece todo o pacote, e ainda acerta uma virada de jogo como a que criou a oportunidade para Danilo, converte-se em jogador decisivo. A questão é sustentar esse tipo de atuação.

4 – Danilo. Dizer o quê? É cada vez mais difícil encontrar jogadores que utilizam o chamado “pé ruim” para tarefas mundanas como ajeitar a bola ou dar um toquinho tímido, de lado. Não sei por qual razão, é ainda mais difícil encontrar canhotos que se lembrem que possuem outro pé. Mas existe Danilo, um canhoto que domina, cruza, lança e chuta com o pé direito. E que faz um gol como aquele com o pé direito.

5 – Que boa impressão o São Paulo deixava no segundo tempo, até o pênalti. Posse, campo aberto, movimentação da bola com envolvimento coletivo. Para quem achava que Jadson e Ganso se atrapalham e atrapalham o time. Falácia. Se você tem jogadores assim, tem de dar a eles as condições de produzir. Os dois meias são-paulinos geraram o jogo que poderia construir a vitória.

6 – Nesta configuração, Luis Fabiano precisa entendê-los. Deve se colocar na última linha do adversário e se desmarcar para se transformar em opção. Um atacante perigoso e eficiente como ele é tudo o que meias inteligentes precisam. Mas a bola precisa de um destino.

7 – Notável – o que não se via há algum tempo – a noção de recomposição do Corinthians no campo de defesa. Perceptível  nos momentos em que o São Paulo acelerou a transição e deu a impressão de atacar com o mesmo número de jogadores que os defensores adversários. De um instante a outro, havia maioria de corintianos. Mérito físico, sim, mas primordialmente tático.

8 – Cada time pretendia vencer de um jeito. O São Paulo, tentando ocupar o campo de ataque. O Corinthians, chamando o oponente de olho no espaço que ele deixaria. Ambos os objetivos eram perfeitamente alcançáveis.

9 – Pato. Para um jogador com tamanho histórico de problemas musculares, a jogada do pênalti é simbólica. O arranque e a chegada antes de Rogério, que estava mais próximo da bola.

10 – O árbitro acertou, também, ao não expulsar o goleiro do São Paulo. Ele não quis fazer a falta, mas fez. Atraso na disputa de bola que termina em carga faltosa é um dos lances mais comuns que existem. Cartão vermelho não teria propósito.

11 – Um bom clássico neste insosso Campeonato Paulista, enfim. Disputado como se a Copa Libertadores não estivesse no calendário, e na semana, dos dois times envolvidos.



  • Caio B A

    É fácil julgar o lance em câmera lenta. De fato, fisicamente, quadro a quadro isso ocorreu. Em uma física de olho nu, para mim o pato foi imprudente e entrou solando. Em jogos de futebol com amigos reclamamos desse lance justamente por acabar machucando quem vai estourar
    a bola ou algo do tipo. Para mim, falta de pato em Rogério pela imprudência, talvez valendo até um cartão amarelo. Mas esse é um lance muito interpretativo. Árbitros diversos marcariam falta para os dois lados. Como conseguir um critério único nesses casos, André?

    AK: Discordo de você. É justamente a imagem em câmera lenta que sugere a solada. Um abraço.

    • Caio B A

      Nao sei… Comentaristas divergiram, assim como juízes divergiriam. Para mim a imagem na velocidade normal mostra o pato calçando. Parabens pela análise.
      Abraço

      • Sergio B T Mendes

        Andre, gostei da sua analise, mas tendo a concordar com o Caio. Vi hoje comentaristas divergindo na interpretacao do lance. Se o juiz não marcasse o penalti ou invertesse a falta, será que estaria havendo tantas reclamações por parte dos corinthianos?

    • marc

      Eu tenho as minhas sinceras dúvidas… O amigo alega que o Alexandre Pato entrou solando? Então eu pergunto como o Pato poderia colocar o pé em uma bola que estava quase na altura de sua cabeça?
      O único movimento possível para dominar a bola antes de Rogério Ceni foi EXATAMENTE aquele que o Pato fez. Não calçou porque é impossível dominar aquela bola, na altura que estava, de outra forma. Quem não viu penalty é, em sua imensa maioria, torcedor ou simpatizante da equipe tricolor…
      Mais, me desculpe, mas foi nítido que a intenção de Alexandre Pato sempre foi dominar a bola, e não “calçar” o goleiro tricolor.
      Penalty claro! E ótimo jogo!
      Abraços!

      • Edgar

        Marc,
        Eu penso que foi falta do Pato, pois da forma que ele disputou a jogada, impossibilitou com que o Rogério Ceni também o fizesse com segurança… imagina o mesmo lance como lançamento de um jogador do Corinthians e que o rogério pudesse defender com as mãos, não seria lance no mínimo perigoso? A sola da cuteira do Pato não iria acertar de forma perigosa o goleiro do São Paulo?
        Eu entendo como falta “solada” do Pato.

        • Daniel Makawetskas

          Edgar, não foi a sola da chuteira de Pato que acertou o bico da chuteira de Rogério. Foi justamente o contrário. Eu só consigo entender a polêmica desse lance pelos olhos cegos do clubismo anticorintiano que está impregnando o futebol de maneira irracional. O penalti não poderia ser mais claro. Acima o Marc tocou num ponto que eu não tinha pensado. Discuti-se muito que o Rogério não tinha a intensão de acertar o Pato, e nisso eu concordo. Mas, por esse raciocínio, só seria falta se houvesse intensão, e os que defendem que o Pato fez falta, teriam por coerência do raciocínio pífio provar intensão do atacante em ser chutado por Rogério. O cara dá um pontapé no atacante e a culpa é do atacante que chegou antes na bola impossibilitando o goleiro que tinha a intensão de acertar a bola de assim fazê-lo! Simplesmente inacreditável que se discuta esse lance. Foi penalti em câmera lenta, em velocidade normal, a olho nu…

          • Tá de brincadeira, “anticorintianismo”…. só rindo muito mesmo, essa síndrome de perseguição que torcedor tem é um porre, e dificulta qualquer conversa mais divertida e objetiva. Mala sem alça.

            Intenção NUNCA contou no futebol, amigo. Aprenda sobre as regras do esporte, por favor. Rogério também não teve intenção de acertar o Pato, foi na bola – mas atrasado, deve ser a idade. Se você acha que foi falta dele, pelo mesmo critério foi “solada” do Pato. Seu próprio argumento invalida sua conclusão.

            Para mim, disputa de lance normal, com contato infeliz machucando ambos os jogadores. Pênalti interpretativo marcado corretamente – o critério, nesses casos, é do juiz. Mas não é, de modo algum, um lance “indiscutível”. Affff.

  • Bom post André. Sóbrio, bom de ler.

    Uma pergunta: que tipo de jogador é PHG para você hoje? Ele ainda é o super-meia, mesmo que com estilo de jogo próprio, que apareceu com Neymar? Ou ele teve um ano espetacular, foi erroneamente rotulado de craque e simplesmente decaiu para o seu estado natural de meia mediano? Ou ainda, nem tanto ao mar e nem tanto à terra, ele é um meia acima da média que (ainda) tenta voltar a jogar seu bom futebol? Abraços.

    AK: Última alternativa. É um jogador muito acima da média, com sérias questões físicas a serem resolvidas, problemas que mexeram com sua confiança e sua capacidade de produzir. Mas está voltando, ao que parece. Um abraço.

  • Fabio

    Andre,
    Que pena que você não resistiu e comentou o penalti. De inicio deu a impressão que você iria ficar quieto sobre isso… Pena também que opinou como torcedor.

    AK: Que pena que você comentou. Se eu escrevesse o que você queria ler, não seria opinião de torcedor, né? Seria algo como “a melhor opinião que eu li sobre o assunto”. Típico. Um abraço.

  • Análise perfeita da partida! Competente como sempre!

    André, o que dizer de Gil? Fogo de palha, grata surpresa e/ou já posso reivindicar seu lugar na Seleçãozinha? Como joga esse rapaz!

    AK: Continua impressionando bem. Um abraço.

  • André,
    acho que Jadson e Ganso ainda precisam se acertar um pouco. Várias vezes ontem tivemos lances em que eles estavam um do lado do outro, ocupando o mesmo espaço e trocando passes de meio metro. Quando estão assim, basta um volante para marcar os dois. Não acho que é algo irrecuperável, acho que basta um pouco mais de entrosamento. Entendo que o Ney Franco vai ter que dividir o campo em dois pra que cada um arme do seu lado. Ou então eles vão ter que aprender que quando o outro está com a bola, o um não é meia, é atacante.

    Achei que foi penalti também. E que o Rogério estava absurdamente mal ontem. Errou três reposições de bola fáceis, furou uma bola bisonhamente, rebateu a falta do Paulinho desnecessariamente (em um dia normal, aquela era bola pra encaixar) e reagiu com uma lentidão de jogo de Master na recuada errada do Tolói. Se ele tivesse com as rotações normais, teria chutado a bola pra frente e o Pato teria feito a falta.

    O Danilo é fora de série, mesmo. E tem o mau hábito de sempre fazer um golaço contra a gente.

    Achei que o juiz acertou os lances capitais (não achei falta no Alessandro no gol do SPFC), mas inverteu um monte de faltinhas. E deixou de dar uma falta no Osvaldo na linha da área que poderia ter mudado o jogo. Mas o considero um dos melhores da nova geração.

    Quanto ao Osvaldo, acho que a convocação mexeu com ele. Antes dela, ele teria dominado a bola do Jádson e feito o gol (que poderia até ter matado o jogo). Depois, tentou o lance genial. Não me entenda errado, quero mais é que ele tente sempre (ou sempre que for lógico) a jogada de craque, até porque acredito que ele tem futebol pra isso.

    Achei que o Toloi estava jogando muito até a atrasada bizarra. Uma pena, capaz de queimarem o cara pra trazer o Lucio de volta.

    E achei louvável o esforço que o LF fez pra não xingar o juiz. Deu pra ver na cara dele. Até por isso fiquei muito p… com o Emerson pedindo cartão em uma falta normal que ele (LF) fez. Isso flerta com a deslealdade.

    Abraço

    • Marcelo Morais

      O mais triste eh que eu continuo admirando o Danilo, mesmo depois de ele, mais uma vez, massacrar o SPFC.

      A recuada de bola do Toloi foi bisonha. Movimento tipico de um time que ainda nao consegue sair jogando bem em seu campo de defesa. E que ainda falha muito no mais basico fundamento do futebol, o passe. O elenco eh bom, mas falta muito ainda para esse SPFC se portar como um time.

    • Rodrigo-CPQ

      Eduardo, assino embaixo. E quando Jadson e Ganso se acertarem de vez, sai de baixo. Espero que a torcida dê tempo a ambos, pois essa parceria promete. Apenas como lembrança, imagina o entrosamento dos dois como era de Zenon e Sócrates, no meu Corinthians? Na afinal do paulista de 83, o Zenon deu o passe de calcanhar pro Sócrates fazer o gol, somente por saber que o Doutor estaria ali. E, de novo: se derem tempo ao tempo, Ganso e Jadson farão mais, muito mais que isso.

  • Pedro BG

    Perfeita análise. Concordo com todos os 11 itens. E também com sua opinião sobre o penalty. O lance pra mim é de fácil interpretação. Porém, no futebol a maioria das pessoas interpreta de uma forma quando é contra o seu time e de outra forma quando é a favor do seu time. Eu não tenho dúvida nenhuma que caso o lance fosse do Luis Fabiano com o Cássio os São Paulinos estariam certos de que foi penalty e o Tite reclamando do juiz… #justfootball

    • RENATO77

      Boa Pedro.
      Houve um lance parecido no ano passado, entre Sheik e Toloi…só que o Toloi não acertou tão “em cheio” o pé do adversário, o juiz não deu nada e os Corinthianos reclamaram bastante.
      Abraço.

  • Edouard

    Sobre o pênalti, só há dois tipos de opinião: a minha, e a errada.
    Ironia à parte, do modo como vejo, Rogério chutou Pato, que não entrou solando. Jogadores dirão que ele deu um totozinho, um toquinho, coisas assim. E o goleiro o acertou em cheio, embora não tenha tido a intenção.

    No mais, gostei muito das suas observações. Discordo um pouco apenas quanto ao fato de que achei um jogo meio modorrento. Claramente melhor do que os últimos clássicos, mas ainda assim, um jogo apenas ligeiramente mais interessante do que outros clássicos, no meio dos 190 jogos da primeira fase. 190, um-nove-zero.

    Um abraço.

  • Valdir P.Ferreira

    Não sou torcedor de nenhum dos dois times, quase que a totalidade dos comentaristas dizem que foi pênalti. Mas…Senhores comentaristas, imaginem o lance que em vez de tentar chutar a bola o goleiro fosse de cabeça, o que aconteceria? O goleiro ficaria sem o nariz e certamente o juiz daria a falta do atacante. Tá faltando bom senso e tá sobrando ignorância nos comentários. Vi o lance umas dez vezes de todos os ângulos, o goleiro prepara para chutar a bola antes do atacante chegar nela, não teve nenhuma intenção de chutar o atacante, quem foi imprudente foi o atacante.Me digam senhores, suponhamos uma segunda hipótese, que o encontro fosse a canela do goleiro contra a sola da chuteira do atacante, o que aconteceria? Fratura na perna do goleiro com certeza. LANCE ABSOLUTAMENTE CASUAL, NADA A MARCAR.

    • mano

      vc foi o mais parcial de todos os ‘imparciais’ que passaram por esse forúm hoje, são paulino roxo.

      • RENATO77

        Pancada “sem querer” também é falta. Simples, a regra não fala em intenção….a MAIORIA dos penaltis cometidos são sem intenção, erro no tempo de bola.
        Abraço.

    • Rodrigo-CPQ

      Cara, achei seu comentário um tanto descabido. E se o Pato é que fosse de cabeça no lance? Onde estaria a cabeça dele agora? Pensa bem…

  • Guilherme Figueiredo

    Eu concordo com você. Entendo o lance como pênalti, mas não crucificaria o árbitro , caso não desse esse pênalti. Aliás, tenho dúvidas se ele marcaria, o mesmo lance contra o Corinthians.
    Minha interpretação é que Rogério chuta o pé do jogador corinthiano. Jogo perigoso, sola??? Creio que não, eu considero sola somente quando o jogador faz o movimento de cima para baixo, neste caso, Pato faz o movimento contrário, tocando apenas na bola.
    Faltou um cartãozinho vermelho para Rogério Ceni. Entendo o lance como situação clara de gol. O juizão amarelou (nos dois sentidos).

  • JD Morbidelli

    Prezado André
    Análise perfeita e, sobretudo, imparcial, como determina a ética jornalística. Em relação ao lance que ocasionou o pênalti, a interpretação que selaria ou não a expulsão do goleiro é: “será que o Pato alcançaria a bola caso não tivesse sido tocado?”. Na opinião do árbitro, não! Na minha, sim, uma vez que ele vinha em alta velocidade e estava a 9 metros da linha de fundo… Portanto, acho que o Rogério Ceni deveria ser expulso, mas não condeno – de maneira, alguma – a decisão do juiz em lhe dar o cartão amarelo.

    Grande abraço do colega, também jornalista
    JD Morbidelli
    jdmorbidelli@estadao.com.br

  • Alexis

    André, acho notório destacar o Danilo. Ele está jogando muito!

    No Mundial ele foi um monstro e este ano está sendo mais regular que o ano passado. Ele sempre teve essa jogada de cortar para o pé ruim (ou menos ótimo?) e cruzar. Fez várias assistências assim e agora um golaço. Fora a recomposição que ele faz, com a idade dele, e a serenidade de desacelerar a jogada ao mesmo tempo que busca passes de primeira. Este jogador, realmente não tem substituto no Corinthians!

    Ah, detalhe: já reparou como quase não se machuca? Abraços!

  • Théo

    Finalmente concordo com algo que você escreve. Em todos os aspectos. Bom texto.

    Sou SPFC mas o ponto que mais chamou a atenção no jogo de ontem foi a capacidade de recomposição corintiana. Realmente lembra um time europeu jogando.

    SPFC é mais time tecnicamente, SCCP mais time taticamente. Bom duelo ontem. Mais legal ainda que estamos em começo de temporada e isso quer dizer que ambos times vão crescer ao longo do ano e os jogos devem ser ainda melhores. Já imagino a final da RECOPA, deverá ser algo especial.

    A paralisação do calendário Libertadores foi providencial ao SPFC que ganhou tempo de organizar seu time em um novo formato. Ainda bem que tínhamos o Paulistinha no meio do caminho! Perder como perdeu, não traz traumas para o tricolor em relação ao moral, não muda a tabela e serviu de teste para a dupla PH e Jadson.

    Que venha o Strongest!

  • João

    Boa análise!

    Minhas impressões pós-clássico:
    – foi pênalti. Ponto. Chutou a sola? Sim, mas não existe parte do corpo que possa ser chutada sem ser falta.
    – O time do São Paulo está se arrumando, jogando bem e conseguindo se impor até mesmo contra times mais robustos como o Corinthians
    – o São Paulo jogou melhor, não mereceu perder. Mesmo o Corinthians sabendo se recompor (como vc bem disse) e estando sempre com o campo ocupado entre a bola e o gol, eu tive a impressão de que o São Paulo iria marcar o segundo a qualquer momento
    – como o Jadson e o Osvaldo estão jogando!
    – o Ganso melhorou um pouco, mas ainda está devendo muuuuito em relação ao que foi pago por ele
    – a tranquilidade do Corinthians é realmente impressionante, parecem não se abalar por nada
    – o Pato pensa (e joga) em uma marcha acima dos demais jogadores. Dê uma olhada no primeiro toque dele na bola: rodeado por 3 adversários, em vez de já devolver o passe, deu um drible da vaca no marcador e já foi pra cima do segundo. O lance do pênalti também mostra isso.
    – o Gil está se mostrando um baita zagueiro. Se o Chicão um dia voltar a ser titular, vai ser na vaga do Paulo André

  • Marcel de Souza

    Bons pontos analisados, com sobriedade e sem ufanismos, gostei.

    Na minha opinião não foi penalti, mas não acho um absurdo ele ter sido marcado. Pra mim o erro todo foi aquela atrasada na fogueira e o Rogério não ter chegado na frente.

    Dos 11 pontos levantados o que eu destaco é sobre o jeito que o São Paulo vinha jogando no 2o tempo. Claramente mostrou uma evolução do jogo com os 2 meias. É uma pena o jogo ter acabado como acabou, pois com esse clima ruim esse jeito de jogar pode ser abortado precocemente.

    abraço,

    • corinthiano

      Boa. Também sou dessa opinião. Numa primeira olhada, pensei o mesmo: não foi pênalti, mas nem dá pra dizer que o juiz errou. Tanto é que este lance ainda está dando pano pra manga. Mas acho que o RC está cada vez mais lento, o que pode provocar mais lances semelhantes a este.

  • Fábio Minghetti

    Gostei dos pontos levantados, e concordo com todos. Achei que o juiz acertou em tudo.

  • Clayton

    E o especialista Gaciba da Globo não achou que foi pênalti. Que coisa, não?

  • André

    Perfeito como sempre.
    Somente discordo sobre o pênalti. Acho que foi disputa de bola e choque normal de jogo.
    Entendo perfeitamente a atitude do árbitro e respeito quem defende a marcação do pênalti.
    Porém, imaginemos se o árbitro tivesse marcado tiro de meta.
    Será que alguém estaria falando sobre o lance?
    Tenho impressão que não teria a menor repercussão e nem os corintianos mais ferrenhos reclamariam.

    Grande abraço

  • Marioh

    A sua análise foi perfeita. O jogo antes de uma partida importante fez , principalmente do Corinthians jogar com precaução. O SPFC jogava em sua casa e este time precisa de auto afirmação, por isso correu mais e fez o triplo de faltas em relação ao Corinthians. A maioria está crucificando o Tolói, mas vejo que quem mais errou foi o Rogério C. Você citou corretamente que ele estava em dia infeliz. O Rogério estava sem o tempo da bola, foi muito lento.

  • LM_RJ

    Andre
    um off Falando do rj

    se o flu passa de fase na libertadores entao teria q escalar os reservas na taça rio, caso se classifique em ambas
    o flu com entre outros berna wallace anderson monzon felipe sobis marco jr michael e samuel pode embalar no carioca?
    Abs

  • Alexandre

    Gosto muito de ler tuas opiniões. É um alento dentre os artigos pobres que se vê na maioria dos portais.

  • RENATO77

    Concordo com tudo.
    Que time tem dois meias como Ganso e Jadson?
    Não, não estou dizendo que ambos tenham que estar na seleção, que é outra historia…mas a pergunta cabe, quem tem dois meias como esses?
    Mesmo Ganso não participando da marcação, o cara tem muita visão de jogo…vale a pena sacrificar o esquema em favor dele e esperar uma melhora….tem que dar mais um tempo a ele, pelo menos até a metade do ano.

    Como tem sido nos 3 ou 4 últimos clássicos, o SPFC entra com a faca nos dentes, enquanto o SCCP joga sem a mesma intensidade, principalmente na marcação. O SPFC vem mais pilhado. Isso faz diferença, principalmente quando o juiz adota o critério de “deixar o jogo rolar”, como ontem.
    Para um jogo que não valia nada, foi uma boa partida.
    Ainda não entendi o tricolor entrar com time titular, a mil por hora, tendo como “prioridade” a libertadores.

    Quanto ao SCCP, mesmo sendo um time bastante compacto e com recomposição rápida, precisa dar menos espaço ao adversário quando este tem dois meias como os de ontem…deram mole, tempo pra pensar, pra quem não se pode dar.
    Abraço.

  • Rita

    – Vai São Paulo, faz o segundo, porque a qualquer momento o Corinthians vai fazer…

    Dito e feito.
    Era o jogo daquele que parecia melhor contra o de fato atual melhor.
    O Corinthians tá pronto, é frio e tem Danilo. Como joga o Danilo… Por que o Danilo não é convocado nunca???

    Finalmente um grande jogo!

  • É incrivel como mesmo vendo o lance como foi, alguem dizer que não foi penalti. foi claro que o Pato tocou na bola e foi chutado, alem disso o Rogério Ceni ja estava ensaiando fazer nhaca desde o primeiro tempo, num lance que lhe foi recuado ele deu um bico na bola e acertou o Guerrero, sorte que a bola saiu para lateral, depois saiu sem jeito e cortou um cruzamento com os pés, pior foi no lance com o Paulinho, em que ele lembrou o Marcos contra o Vitória, e por fim o lance do penalti, acho que ja venceu a data de validade do goleiro RC. ta na hora do SPFC arrumar um outro desde ja, para ano que vem ter um bom goleiro ja acostumado com o ambiente do time. o Corinthians joga de um jeito calmo, mas que mata a torcida do coração, ontem faltou lances de gol por exemplo, acho que o timão tem que atacar mais. esse é o problema do futebol de resultados.

  • Sérgio

    Perguntinha… Se um jogador domina a bola com a sola do pé, no meio de campo, isolado, é falta? É proibido usar a sola do pé na bola?
    Este é o detalhe. Pato não disputou a bola com Ceni – que estava aí a uma perna ou mais de distância, ele tomba o corpo pro lado para o chute.
    O goleiro sãopaulino mostrou claras falhas no tempo de bola o jogo todo. Foi mais um, o lance do pênalti. Imprudência caracterizou a falta.
    O resto é clubismo e churumela.

  • Danilo

    Merecida igualdade no primeiro tempo? Ok … Pode tirar a camisa do corinthians agora! O jogo já acabou! O corinthians chutou uma bola no primeiro tempo, não jogou nada e só se defendeu e você fala sobre merecida igualdade … Seja menos parcial e analise de forma séria!!!

    AK: Miau…

    • RENATO77

      Fim do primeiro tempo, posse de bola 55% do SCCP e 45% do SPFC.
      Abraço.

  • Rafael Borges

    sou sãopaulino doente e concordo: foi pênalti e o rogério não merecia o vermelho. vale até uma masturbação da regra – ela fala em situação clara e manifesta de gol. quando o pato sofreu o choque com o rogério, não estava com a bola dominada, foi justamente na disputa que ele foi atingido. então já era uma situação clara e manifesta de gol? enfim, masturbação, como eu disse. gostei do árbitro.

    • Luiz Suzuki

      Na várzea, seria solada e ainda fecharia o tempo!

      Mas, o juiz tem poucos segundos para decidir.

      Quanto à lentidão do Rogério, observem que a bola atrasada de forma bisonha pelo Toloi pegou um baita efeito, o que prejudicou a reação do Mito.

      O Pato foi mais rápido e chegou antes. Natural, tem a metade da idade do Rogério.

      Mas, apesar da derrota, a partida mostrou que Jadson e Ganso podem, sim, jogar juntos.

      Como li em alguma matéria na Internet, os primeiros 70 minutos de jogo do SPFC lembraram muito a equipe de 2005!

  • Emerson Cruz

    No clássico foi interessante ver a nova forma de o SPFC propor o jogo, segurando mais a posse de bola no meio-de-campo. Jádson e Ganso foram bem, mas também é preciso lembrar a presença do Maicon dada a sua capacidade de efetuar passes com precisão. Entretanto faltou penetração aos comandados de Ney Franco.
    Estranho foi ver o time do Morumbi com todos os titulares num jogo que para ele não valia nada e às vésperas de uma partida tão fundamental, em La Paz, por um torneio muito mais relevante. André, impossível não se lembrar do seu post anterior, daí é que me vem a dúvida sobre se a decisão de colocar todas as estrelas em campo não teria sido para fazer um agrado ao influente presidente da FPF?

  • Oberdan Laiber

    Eu tenho certeza absoluta que o mesmo lance se fosse no meio de campo com o Pato e um volante do SP e o volante ainda saindo machucado como o Rogério saiu, ele daria falta de ataque a favor do SP….na minha opinião, lance onde os dois foram na bola, o pato por cima e o Rogéio por baixo, o Pato chegou primeiro sim, mas foi imprudente com o pé acima da cintura, sola, e o Rogério sentiu mesmo o peso da idade e não chegou a tempo para consertar a besteira enorme do Rafael Tolói que aliás foi o maior vilão do lance, apesar do crédito que ainda tem como bom zagueiro que é.

  • Oberdan Laiber

    E sobre o jogo, o SP perdeu pra sí mesmo o corinthians ganhou pela incopetencia do SP….estão dizendo que o Corinthians foi mais eficiente, discordo, o Danilo acertou um chute espírita, e fez o segundo diante de um penalty tão polêmico quanto o tamanho do clássico.
    Se o Ganso e o Osvaldo tivessem um pouco mais da calma que alguns lances exigem o SP teria liquidado a partida já no primeiro tempo e o corinthians teria que vir pra cima, podendo até empatar o jogo mas assumindo um risco enorme deixando uma avenida pro Osvaldo nos contra ataques.

  • Willian Ifanger

    Bom, eu não vi o jogo….só vi um mala corintiano comemorando o gol da virada no Joquei. Mala…;-).

    Mas pelo visto, e pelo destaque que você deu, foi um belo clássico. O que é sempre bom.

    • RENATO77

      Só um detalhe…vermelho, Ceni não merecia pelo lance. Amarelo ficou de bom tamanho.
      Mas um segundo amarelo ficou faltando quando Ceni se ajoelha a frente do juiz…uma das imagens mais bizarras de todos os tempos.

      RC é merecedor de toda a idolatria que sua torcida tem por ele. Pelo talento, pelos titulos, pela dedicação e sobretudo por ser um torcedor que defende seu clube de coração. Mas esse lado torcedor algumas vezes pode ultrapassar o limite do razoável, como é comum a todo torcedor. Foi o caso de domingo e de outras “pachecadas” que RC dá.
      É como se o Chico Lang fosse goleiro do Corinthians.
      RC exagerou na encenação, mas tem muito crédito diante de sua torcida. Já com as demais, continua sendo um mito tricolor, e não realidade.

      Fico pensando se o lance tivesse acontecido com o ex-goleiro Marcos…acho que pediria desculpas à sua torcida, ao Pato e assumiria o penalti.
      Mas Marcos, só teve um.

      Abraço.

      • Junior

        Concordo com você, a ação de RC ajoelhado na frente do juiz tem o mesmo efeito de quando um jogador faz o famoso gesto com as mãos que significa “roubar”.

        • RENATO77

          Exato Junior.
          Deveria ter feito o gesto de “roubo”, seria mais sincero da parte dele. Mas ser autêntico não bem a praia dele.
          Mas joga MUITO fez/faz historia num gigante como o SPFC.
          Abraço.

  • diogo

    tipica analise de torcedor , essa foi a impressão que me causou esse post .
    em primeiro lugar a questão do pênalti e totalmente interpretativa alguns árbitros dariam o pênalti como foi o caso , e outros não . um exemplo foi o gaciba comentarista de arbitragem da globo que disse não ter sido pênalti .
    a questão que me deixou mais impressionado nesse post foi que em momento algum você mencionou que o são paulo foi melhor na partida , e quem viu o jogo viu que o são paulo dominou os 2 tempos , a derrota ao meu ver foi coisa do futebol nem sempre o melhor vence , assisti todo o jogo e olha que nem sou são paulino viu meu caro .
    o próprio juca seu pai corintianissimo assim como você admitiu o são paulo melhor na partida .
    Andre você é um bom jornalista e inclusive sempre acompanho ao sportscenter apresentado por você na espn , só está precisando ser um pouco mais parcial . abraço e sucesso !

    AK: Mais parcial? Decida-se. Um abraço.

    • diogo

      desculpe – me a falha a palavra certa seria imparcial , mais você entendeu o que eu quis dizer .

      AK: Entendi que você gostaria que eu tivesse escrito que o São Paulo “foi melhor”. E que, por não ter escrito, mesmo sem escrever que o Corinthians “foi melhor”, minha opinião é “de torcedor”. Creio que você pode se relacionar melhor com opiniões diferentes da sua. Um abraço.

  • RENATO77
  • Pato chegou antes, mas para conseguir tocar a bola, expôs a sola, que mesmo estática, configura “jogo perigoso”…

    Só não vê quem não quer …

    Mostrou a sola na jogada, meu amigo, tem que botar no chão e marcar pro outro lado.

    O juiz só marcou o pênalti porque estava visivelmente predisposto contra o SPFC, o que ficou claro por seu perfil no Facebook e por sua arbitragem também parcial contra o Tricolor no clássico anterior, frente ao Palmeiras.

    Todo mundo viu o que aconteceu, e não da pra analisar sem considerar todo o contexto … NÃO FOI PÊNALTI, mas à Globo, à FPF e a mais um monte de jornaleirozinhos (não é seu caso!) dispostos a fazer média, interessa mais ajudar o time do governo…

    • RENATO77

      Comovente…um clube tão pouco influente…até o Vicente Feola bebia daquela água…que dó, tão impotentes…indefesos…
      http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=FxaViWWlgD8#!

    • Rodrigo-CPQ

      Uai, mas o comentarista de arbitragem da Globo fez a tal da “média” de forma errada. Ele disse que não foi pênalti!! Estranho isso…

      Você deve ser daqueles que acham que o rebaixamento de 2007 foi friamente planejado para “ajudar” o Corinthians, né?

  • André, você – como o Juca – é corintiano, ÓBVIO que achou que foi pênalti (e não é por sua opinião ser – ou não – diferente da minha, somente que por ser corintiano, uma opinião dada assim acaba sempre sendo interpretada como opinião de torcedor). Acho que essa parte do seu texto é absolutamente dispensável. “Rogério chegou atrasado e tocou Pato. Falta.” – sim, não fosse um detalhe: tocou a SOLA e os cravos da chuteira de Pato, e a regra foi criada – segundo explicou um juiz da CBF – justamente para proteger os jogadores do impacto com os cravos, antigamente mais comuns de metal e que faziam um belo estrago (mesmo hoje alguns não sendo de metal, não deixam de doer e machucar). Sendo assim, a coisa já não é tão simples e tem-se sim que levar em consideração a possível “imprudência” de Pato em, mesmo chegando antes e não tendo intenção de machucar, utilizar-se da sola de sua chuteira para desviar a bola (se fosse tão mais rápido, driblava o RC, não?). Ou seja: o lance torna-se interpretativo (para o juiz, e somente para ele), que pode aplicar a regra como achar que a situação exige. E deu pênalti. Justo, correto – mas não tão simples e indiscutível como querem apregoar: teria sido tão justo e correto se tivesse optado por marcar solada do Pato, ou simplesmente deixar o jogo seguir (disputa de bola normal). Não achei o juiz mal intencionado de maneira alguma, e convenhamos: o SPFC não perdeu por causa do juiz, e sim porque deixou de matar o jogo nas 2 ou 3 oportunidades claras que teve (ou seja, faltou uma certa competência na finalização), e falhou quando não podia (marcação atrasada no Danilo, que fez um golaço, e recuo imbecil do Tolói). A zaga do SPFC já estava brincando na intermediária fazia tempo, era óbvio que ia dar merda. Tudo do jogo – e uma bela partida, concordo, com méritos para ambos os lados. Jogão.

  • Rubens

    Sobre o fatídico lance do pênalti a questão que eu faço a todos que comentam comigo, e que faz todos ficarem com uma “pulga atras da ovelha” é:

    O mesmo lance, porém com Luís Fabiano e Cássio como protagonistas; seria a mesma decisão do arbitro?
    Particularmente eu duvido. Expulsão do Luís Fabiano, jornalistas comentando sobre o destempero do 9 são paulino e por aí vai.

    • Luba

      Interessante a analogia Rubens, creio que o comportamento, a “fama” e o histórico das pessoas influencia sim as decisões em todas as áreas da vida, e no futebol é que não seria diferente. Luis Fabiano é um matador, mas…. já sabemos o resto. E o árbitro também sabe, assim é bem provável que ele não daria o penalty nesta situação que você mencionou. Assim como se o goleiro fosse o Fábio Costa e o juiz estivesse a 1km de distância, não só seria marcado o penalty como o goleiro teria sido expulso, o que não aconteceu com o Rogério pelo histórico dele de não ser violento. Mas que foi falta do Rogério, foi, fazer o que.

MaisRecentes

Vá estudar



Continue Lendo

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo