COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

SACRIFÍCIO

O potencial de dano da antiga diretoria do Flamengo já era bem conhecido. Do desastre administrativo que provocou a saída de Ronaldinho Gaúcho à conta de água milionária por causa de um vazamento na piscina, a turma da ex-vereadora lesou o clube de todas as maneiras imagináveis.

Incompetência e má intenção são uma união que não conhece constrangimentos. Enquanto declamava seu amor “à nação”, a ex-presidenta aparelhava seu gabinete na Câmara dos Vereadores com gente do clube que precisava ser recompensada pelo apoio. Foi capaz de virar as costas a Zico, na primeira dividida entre o maior nome da história rubro-negra e o obscuro subsolo do clube. E ainda insultou a capacidade da comissão técnica ao levar um dublê de ator, que bate em mulher, para falar aos jogadores.

A mais recente façanha da diretoria anterior se tornou conhecida na noite de sábado, quando a demissão de Dorival Júnior revelou a intenção da gestão atual de ajustar os vencimentos da comissão técnica do Flamengo à realidade do clube. Patrícia Amorim – ou quem quer que comandasse o Flamengo no lugar dela – conseguiu a proeza de transformar um salário de R$ 250 mil em algo ruim, desprezível, ofensivo até.

O que está em discussão aqui não é o valor do trabalho de um profissional. O futebol movimenta números tão astronômicos que seus parâmetros não devem ser comparados a outros mercados, dentro ou fora do esporte. E estamos tratando de um dos clubes que mais recebem dinheiro do contrato de televisão. Mas é estarrecedor que uma instituição que é notícia quando paga seus funcionários em dia tenha de reduzir em quase três vezes o salário de seu técnico, para chegar ao valor considerado razoável.

A megalomania – para usar um termo respeitoso – é de tal ordem que o episódio da dispensa de Dorival impôs um debate vergonhoso. De um lado da mesa, o clube, sem saída, oferecendo uma vultosa redução salarial ao treinador. Do outro, o técnico, contemplando a desvalorização de sua posição, vendo-se obrigado a não aceitar a proposta. O resultado só poderia ser o impasse e o retorno de Dorival ao mercado de trabaho.

Impasse que adquire contornos surreais quando se pensa no tamanho do salário que o Flamengo pretende pagar. Ao final da conversa, Dorival Júnior disse não a um quarto de milhão de reais. Por mês. Concordar seria assumir que o clube o pagava com números que não condiziam com seu merecimento. Prova de que a realidade não existe, e sim apenas a percepção que condiciona diferentes leituras. Quantas pessoas, neste mundo, podem recusar tal nível de remuneração? Três milhões de reais por ano. Que fique absolutamente claro: Dorival não tem culpa .

E ainda não chegamos ao pior. O pior se apresentará quando o próximo técnico do Flamengo – enquanto escrevo, o acerto com Jorginho parece apalavrado – assumir, adequado a “um novo momento”. É capaz que alguém pense que dirigir um dos maiores clubes do futebol brasileiro, hoje, significa fazer um sacrifício financeiro. Ou dar um passo atrás na carreira.

É inacreditável.

DUELO

Intrigante a situação de Ney Franco no São Paulo. É claro o embate entre o treinador e certas forças que atuam há tempos nos bastidores do time e do clube. Também é claro – e aí está o mais interessante – um respaldo superior em algumas declarações, como se Ney estivesse autorizado a se posicionar publicamente. Como acontece em todos os conflitos, haverá, cedo ou tarde, um vencedor. Ou vencedores. De que lado estão os melhores interesses do São Paulo? Com Ney Franco ou contra ele?

PROGRAMAÇÃO

A semana não tem jogos da Copa Libertadores, imprevisível e disputada, com times brasileiros em risco de não alcançar as oitavas de final. Também não tem jogos da Liga dos Campeões, encantadora e emocionante, com os melhores jogadores do mundo em ação. O que significa que o futebol estará quase restrito aos potentes campeonatos estaduais. Pelo menos a Seleção Brasileira joga na quinta.



  • Ricardo Turqueti

    André, como de hábito, na mosca. Algumas considerações, pra conversarcom você e com o pessoal :

    1 – A surrealidade da situação obrigou a nova diretoria do Flamengo a dar o que pode ser visto como um passo atrás, ao contratar Jorginho pelo “teto salarial” que a nova diretoria impôs, de 250 pilas/mês. Os clubes chamados de primeira linha sabem o quanto pagam, sabem quanto o outro paga e sabem quanto este cara pode obter no mercado. Gilson Kleina custa X, Luxemburgo custa Y, com Autuori se não chegar com Z nem começa a conversa. Então, quando se tem o nome, meio que se sabe quanto é, não? E o Dorival pode obter mais que isso no mercado, loguinho… ele tem agente, não? Em uma conversa com o agente esta situação estava resolvida e ele estava fora do Flamengo. Foi uma decisão fácil pra ele.
    2 – Não dá pra, ao mesmo tempo, condenar o salário dos técnicos (e dos atletas também!) e não se considerar o impacto que isso tem no vestiário, por conta do efeito de comparação. Pra citar um exemplo de agora, salário no São Paulo é uma das questões: Ney Franco ganha BEM menos que algumas das estrelas do time. E no frigir dos ovos, os cardeais do vestiário do SPFC, se não estão fritando abertamente, o estão deixando morrer de inanição. Situação terrível pro Ney Franco: não pode ganhar dos caras (ganham demais, o clube não abre mão); não pode chegar a uma solução de compromisso com os caras (não mais, depois da coletiva de domingo, mas aí é culpa dele), e… nem pedir o boné ele pode mais, seria admitir erros táticos em campo e de gerenciamento do grupo fora dele. Então, a lição é: colocar técnico barato em vestiário caro é um problema em si. E o Flamengo vai também descobrir isso, no médio prazo.
    3 – Acho que foi até nos comentários do blog, semana passada que eu coloquei que a maior razão para o Neymar não sair não é por querer fomentar o futebol nacional, ou por amar o Santos profundamente, ou mesmo por qualquer questão de “se provar”… dinheiro é um enorme fator. Aí, sai ontem uma notícia dando conta que ele é o quinto jogador que mais ganha (contados todos os tipos de ganho, com salário e com publicidade somados) no MUNDO. E alguém vê esse cara saindo pra ser gregário, mais um, no Barcelona ou num PSG da vida? E deixar esse dinheiro todo em cima da mesa?
    Dinheiro manda… e essa é a enorme lição.
    :Um abraço ao André e aos amigos comentaristas…

    • Bardawil

      kkkk sabe tudo !!! Quer 50 merreis para parar de falar besteira … vc falou… “dinheiro manda ! “

    • Matheus Brito

      Concordo com você quando diz que técnico barato num vestiário caro pode gerar problemas. Lógico que depende do vestiário que você pega. No caso do Flamengo, a não ser que a coisa realmente tenha mudado muito fora de campo, no vestiário a coisa é complicada com técnico caro ou barato.

    • Luis Cesar

      Isso tudo é balela!
      É só o Flamengo ganhar um titulo que todos esquecem o que aconteceu!?
      Quem não lembra quando o Corinthians foi eliminado pelo Tolima, os torcedores foram ao CT e quebraram todos os carros dos jogadores e pediram a cabeça do Tite, quem não se lembra??? O que aconteceu com os devidos torcedores???? Ninguém sabe, ninguém mais fala nada, ninguém fez porcaria nenhuma!ninguém vai atrás de notícias para saber o que aconteceu. Nem você André, nem seu Pai, nem seu patrão(VMJ), nem ninguém!!!!

  • walter filho

    Parabéns André. Sou flamenguista desde 1957, e ficou muito decepcionado com o que fizeram estes carniceiros ao nosso Mengão. Somos a imensa maioria nacional e mundial. Viajo muito e conheço o Brasil e muito do mundo, e acredito somente em pesquisas feitas pelo Data Folha, e sei quantos milhões sofrem com o mengão sendo despedaçado, como foi o Corinthians. Acredito nesta diretoria, tenho que acreditar, porque se levarem este trabalho até o fim, em 2 anos estaremos ao menos equilibrados e em 2014 poderemos ter um time muito bom, aproveitando os jovens, os mais experientes e os flamenguistas de coração como o Zico, Junior, Jorginho, Andrade, Zinho, e tantos outros que de fato amam o clube. Sou médico com pos graduação, professor universitário e amo o Mengão. Compro os produtos do Flamengo, original, quero ajudar e não só torcer.
    Obrigado pelo teu comentário, pois o Flamengo não é um simples clube, é uma instituição nacional, com milhões de seguidores. Agora temos que ter paciência, esperar que a nova diretoria saneia estas contas, que pague o justo e não estas barbaridades que ninguém ganha neste país. Pagar milhões para estes semi analfabetos ou analfabetos funcionais que exigem salários astronômicos é algo inacreditável. E o povo brasileiro, idiota que é, ainda idolatra pessoas como Neymar, Ronaldinho Gaúcho e outros que só querem o dinheiro e não dão nenhum exemplo de boa cidadania. Obrigado André, jovem e promissor jornalista esportivo.

    • rafael

      muito bom Walter. se todo flamenguista pensar que nem a gente iria se reerguer rapido. a torcida tem que ter paciencia e saber q o trabalho da diretoria é a longo prazo. grande abs

  • Leandro Azevedo

    E o Jorginho, que parece ter sido contratado para ganhar os $250mil, fez o que na carreira como treinador para ganhar tal valor? É um mercado realmente assustador e completamente inflacionado.

    • Bardawil

      é que ele vai ganhar mes sim.. e tres meses nao …. mes sim.. tres nao… kkkkkk

      Aí depois coloca vcs na justica e penhora a renda dos jogos .. ja que vcs nao tem jogador , nao tem estadio e nem dinehiro para eles penhorarem …. kkkkk

    • Thiago

      Cara,discordo. O Jorginho pegou o time medíocre do América-RJ e fez um ótimo trabalho. Foi assistente de Dunga na Copa-10. Levou o Figueirense,hoje na segunda divisão,a brigar por vaga na Libertadores com um time limitado em 2011. Não sei quanto ele vai ganhar,e até acho que ele está entrando na maior roubada de sua curta carreira,não porque não seja competente para tanto,mas porque o Flamengo é uma panela de pressão que está sempre prestes a explodir. Mas o cara tem competência e pode fazer um excelente trabalho à frente do Flamengo,desde que o deixem trabalhar como sabe.

      E é essa a maior dificuldade do Flamengo.

      • corinthiano

        Desculpe. Tenho que discordar. O Flamengo não é “uma panela de pressão que está sempre prestes a explodir”. É uma panela de pressão que explode todos os dias.

  • Naedson

    Concordo com o que foi dito André, porém não concordo com o salário de 650.000,00 pra Dorival (absurdo) e nem com o salário de 250.000,00 pra Jorginho, este ainda não tem currículo para requerer um salário tão alto, se fosse dirigir qualquer outro clube, seria por valores mais modestos.

    • Bardawil

      O flamengo ainda deve para : luxemburgo , andrade , carlinhos , dorival , joel santana , cuca , osvaldo de oliveira , renato gaucho , celso roth etc… entao tem poucas opçoes para contratar …

      • Ohh, Renato gaúcho nunca foi treinador do Fla….E mesmo com todas as críticas dos anti, todo técnico sonha em dirigir o Fla, fato admitido em rede nacional há poucos dias pelo próprio Renato e tbm há alguns meses pelo Parreira (q disse q só faltou na sua carreira dirigir o Fla)…Somos os maiores do Mundo, não tem jeito….A casa tá começando a se ajeitar e qdo isso acontecer, aí sim os anti vão pirar (de raiva é claro)…..SRN

        • São os maiores do mundo sim…

          Os maiores EM DÍVIDAS do mundo;
          Os maiores EM PROBLEMAS INTERNOS do mundo;
          Os maiores EM BRIGA POLÍTICA do mundo (Palmeiras é hors concours);
          Os maiores QUE SE ACHAM OS MAIORES do mundo.

          Hahahahahaha…

          • Paolo

            Pois é, caro ALejjandro. Mesmo com todos esses problemas de dívidas, de questões internas mal resolvidas e etc nós somos desse tamanho, imagine como será quando o Mengão se resolver? Ou melhor, não queira imaginar…hahahah

    • David

      É o tal do conseguir o melhor possivel pelo dinheiro proposto. E quem conseguiu essa façanha foi o Jorginho! hahaha E o Flamengo, famosamente ruim de negocio, trocou um treinador de medio porte ganhando salario de top por um de pequeno porte, pra ganhar salario de medio. Enfim, percepe-se meu ponto.

  • Ricardo Turqueti

    Leandro, o Jorginho, por 250 mil, é uma alternativa BARATA. Incrível, eu sei, mas aí os clubes armaram a bomba pra eles mesmos. Quando um destes técnicos ditos baratos tiver respaldo suficiente pra ser algo mais que uma solução temporária, quando as diretorias bancarem um destes caras a longo prazo, eu volto a crer. Nada indica que isso vá acontecer… e se for pra apostar, eu aposto que o Jorginho estará no mercado de novo antes de julho.

    • Leandro Azevedo

      Barata pq o Flamengo sabe que nao pode trazer um “desconhecido” – tem que pagar os baratos $250 mil para alguem que tem um nome.

      Vou dar um exemplo – o Leandro Campos, tecnico do ASA (foi a final da Copa do NE), vem fazendo trabalhos bons por bastante tempo e foi ate cotado para dirigir a Selecao sub-20 recentemente. Assinou com o Ceará domingo e nao deve ganhar nem $100 mil. É um treinador bom, com um estilo disciplinador meio Tite / Felipao mas como os times Brasileiros vivem nesse ciclo vicioso dos mesmos nomes, provavelmente nao tera uma chance num dos maiores times.

      Nao que ele seja o nome ideal para o Flamengo, realmente nao acho, apenas um exemplo de bons trabalhos que vem sendo feito Brasil a fora que normalmente nao sao vistos nem cogitados. E sempre alguem caro, demitido por uma serie de trabalhos ruins que por alguma razao os times acham que vai dar certo.

      • corinthiano

        “Não deve ganhar nem 100 mil”… entendi sua lógica… mas qual o percentual da população do Brasil que ganha 100 mil POR ANO??? Desde quando ganhar 80 ou 90 mil é uma “alternativa barata”? Entendo que os valores do Futebol envolvem cifras astronômicas, e que ganhar 20 ou 30 mil é o mesmo que ganhar uma miséria (?), mas os clubes estão afundando na lama que eles mesmo ajudaram a criar. Depois haja correria para tentar fechar o caixa, sócio-torcedor, patrocinador, CIDs e coisas assim…

    • corinthiano

      Disse tudo. Chega a ser tosco dizer que um quarto de milhão por mês é uma alternativa barata. Depois reclamam que não têm dinheiro pra nada.

  • Bardawil

    O Mengao ta no lugar que ele merece !!!!

  • RENATO77

    Para aqueles que quiserem entender um pouco o que se passou na época da dissolução do C13 e da negociação dos direitos do campeonato brasileiro.
    Pesquisem qual foi o papel de Ataíde Gil Guerreiro no processo licitatório e a qual clube é ligado, qual o papel de Julio Cesar Casares no SPFC e na rede record.
    E tirem suas próprias conclusões.
    Abraço.

    • Clayton

      OS CLUBES BRASILEIROS que disputam o principal campeonato do país receberão neste ano coisa de R$ 500 milhões pelos direitos de transmissão em TV aberta, fechada, pagar-para-ver, internet e telefonia, além de placas de publicidade etc.

      A proposta para os três próximos anos começa por inovar ao fazer concorrências específicas para cada meio, sem que haja mais o direito de preferência que a Globo exercia -decisão do Cade que contou com a concordância da própria Globo.

      O diretor-executivo do Clube dos 13, Ataíde Gil Guerreiro, espera dobrar o faturamento dos clubes com a nova concorrência (R$ 500 milhões como lance mínimo), que será feita em envelopes fechados e auditados por empresa especializada, iniciativa do próprio dirigente para garantir absoluta transparência no processo.

      A comissão de negociação do Clube dos 13, composta por Santos, Galo, Botafogo e Bahia, já recebeu os representantes da Record e da Rede TV! e receberá mais uma vez a Globo nesta quarta-feira. A decisão deve sair em 40 dias.

      Comparado com os valores dos cinco maiores campeonatos europeus, nenhum deles tão disputado como o Brasileirão, a quantia recebida hoje por aqui é irrisória.

      Basta dizer que, tudo somado, o Brasileirão fatura 200 milhões em direitos de TV, cinco vezes menos que o Campeonato Inglês e três vezes menos que o Francês e o Espanhol.

      Guerreiro tem pautado as negociações pela independência que o caracteriza como empresário bem-sucedido e que não precisa do futebol para nada, embora revele estar entusiasmado com a perspectiva de fazer história, motivo pelo qual já bateu de frente tanto com o bispo Honorilton Gonçalves, da Record, como com Marcelo Campos Pinto, da Globo.

      O primeiro fez insinuações sobre eventual armação, e o segundo argumentou com a “intangibilidade” da parceria global. Foram energicamente rechaçados por Guerreiro.

      O Clube dos 13 quer fazer a geração das imagens de seu campeonato, para garantir a correta exposição dos patrocinadores de seus filiados, e quer retirar da CBF quaisquer direitos comerciais que a entidade detenha no Regulamento Geral das Competições, com o que garantirá, como faz sentido, todos os direitos sob o conteúdo que produz e a comercialização do que, de fato, lhe pertence.

      Se metade der certo, será uma bela revolução.

      fonte: Juca Kfouri, Folha SP

      • Bardawil

        Esse processo começou no pais agora … nao da para comparar europa com brasil … em todos os sentidos o futebol lá é empresa e organizado a decadas na nossa frente …

        Para começar veja o que a comembol faz por aqui …

        Aqui é bagunça corrupçao por parte da globo …

        Por isso o mengao tem a maior torcida …

      • Muitos romperam com a entidade ou nunca foram convidados a fazer parte mesmo que estejam no brasileirão, pode-se chamar isso de representatividade? Alguns vão decidir pelos outros? Quem são os treze? Vão estabelecer cotas de que forma? No passado esta entidade ficou falando sózinha quando aceitou uma proposta de uma emissora endividada, sem estrutura alguma e que ofereceu valores irreais do qual não tinha nenhuma garantia de pagar e só os muito alienados ouque tinham outros interesses acreditaram. Tá de brincadeira negociador que é cheio de valentia e que peita negociador da Globo ou Record, querem aparecer e esse sujeito é mais um. Não se faz negócios serios com bravatas e hostilidade prévia, vão dar ganho a mesma Rede TV e novamente vão cair no mesmo conto. Resultado?
        Cada clube vai terminar negociando o seu. Não é por ai que se vai valorizar o campeonato e enquanto a entidade for tratada como clube dos 13 e composta por dirigentes sem representatividade que estão preocupados mais em prejudicar o adversário e favorecer o seu é que não chegará a lugar nenhum. A liga tem que ser formada e este clube dos 13 é entrave para uma verdadeira União dos clubes brasileiros, enquanto permanecer como entidade fechada, arrogante e excludente o futebol não evolui.
        Quanto a “qualidade” e do suposto nível de competição do brasileirão, vale lembrar que na Europa não se vê sob pena de desinteresse dos detentores dos direitos de transmissão ou mesmo processo bilionário, multas pesadas e desclassificação por parte dos organizadores as recorrentes mazelas do futebol brasileiro só para ficar em algumas:

        Jogos do campeonato nacional aos sabados, domingos, quartas e quintas;
        Jogos de seu time mandante como uma rotina semanal e as vezes duas vezes na mesma semana;
        Descumprimento de calendário e horários;
        Jogos adiados a não ser por problemas incontornáveis e principalmente por calendário que já se sabia encavalado com seleções;
        Clube poupando jogadores por causa de outro torneio;
        Partidas com menos de 70 a 80 minutos de bola rolando e enrolação como aqui;
        Simulações, jogadores peitando juiz, cai cai, troca de empurrões e tapas entre jogadores, paralizações desnecessárias, substituições que levam minutos, e toda sorte de ações para enganar ou levar vantagem (as valorizadas malandragens) sem contar com atos de violência e agressividade. Na Europa sofrem avaliações posteiores dos organizadores e levam suspenções que são cumpridas (não com medidas de relaxamento da pena) e multas pesadas de algumas centenas de milhares de Euros;
        Questionamento sobre a honestidade de árbitros e auxiliares, o resultado e muito menos a do adversário a cada jogo, ninguém troca acusações e insinua nada sem provas principalmente fora da entidade organizadora (fraudes são apuradas pela polícia e justiça e seus autores presos, processados, suspensos e clubes rebaixados sem choro nem vela) sem qualquer preocupação de quem seja e assim Milan, Juventus, Olimpique e vários outros já foram rebaixados e dirigentes banidos;
        Titulo de campeão questionado e discutido e nem a seriedade do campeonato colocada em suspeição a cada fim de ano;
        Possibilidade de mudar de local por conta de punições ao clube (joga-se de portões fechados) ou frescuras de dirigentes que não jogam aqui ou ali ao bel prazer de picuinhas de momento e o detentor dos direitos de transmissão que se vire.

        Resumindo, lá se sabe o que se compra e o que vai ser entregue, aqui coloca-se o produto logo de cara como suspeito, apresentamos um nível de desorganização inacredítavel e atitudes rídiculas e grotescas por parte de dirigentes, jogadores e técnicos e queremos cobrar bilhões pelo anti-espetáculo? Algum louco vai pagar? Só o faz quem não vai pagar mesmo. Precisamos em primeiro lugar tratar o futebol como negócio (bem ao estilo NBA) que está acima de paixonites e falta de escupulos e expertezas de cartolas.

      • O Clube dos 13 tá vivo ainda?

        8^O

    • Clayton

      Nossa, qual é o papel do Casares no “diabólico” SPFC e Record? Teoria da conspiração à vista. Conte-nos mais, rsrsrs…

      • RENATO77

        Não há teoria da conspiração, apenas cada clube defendendo o interesse PRÓPRIO. A diferença está só no que se diz na frente das cameras e microfones.
        uns admitem que lutam pelos interesses próprios e que o meio é de “mafiosos”, outros adotam a postura HIPÓCRITA de alegar que lutam pelo “bem geral” do futebol.
        Sanchez está no primeiro caso, JJ no segundo.
        Abraço.

    • Matheus Brito

      Sinceramente, em que essa questão se assemelha ao conteúdo do post?

      • RENATO77

        Desculpe a todos, o comentário devia ter sido postado no texto anterior, onde se deu início a conversa com o colega que torce pro time do convento….por engano, enviei nesse.

        • Clayton

          Time do convento? Meu Deus, quanto veneno, rsrsrs. Típico. Mas o que dizer de alguém que faz menção elogiosa ao “ilibado” Sanchez?

          • RENATO77

            Sanchez é o primeiro dirigente do SCCP que administra “a la SPFC”. Por isso minha admiração! Em tão pouco tempo, tantos avanços. Digno de um cardeal tricolor.

            Até na hipocrisia, estão aprendendo…
            Quando vejo Sanchez dizer que o SCCP está fazendo “um favor” para a cidade de SP ao “emprestar” seu estádio para a abertura da copa 14…penso….aprendeu direitinho hein, Andres? Nota 10!
            Obrigado Juju pelas aulas regadas a Black Label….e Cynar.
            Abraço.

            • corinthiano

              ácido

  • Anna

    Ainda bem que tem Brasil e Itália na quinta, dia 21.Um dos jogos que mais aprecio. Grande abraço a todos!

    • Olha, eu não sei o que é pior: se são os “potentes campeonatos estaduais” ou o amistoso da Seleção… :-S

  • Dyl Blanco

    Administrar bem significa impor limites bem definidos em tudo que se faz. Um ex-candidato a Presidência da República chamado Flavio Rocha, nos anos 70, aos 16 anos de idade, brigou com seu pai pelo fato de ter pedido uma Ferrari vermelha e o pai haver concedido “somente” uma Masserati amarela, coisa que o jovem Flavio achou um absurdo. O pai como forma de castigo confiscou a Masserati e lhe entregou um Passat TS nacional 0 Km até que ele refletisse melhor sobre sua atitude. Detalhe que na época o Passat TS era sonho de consumo de muita gente. A trajetória de Flavinho, com pouca expressão e usufruindo da estrutura montada pelo pai, mostra bem como a falta de limites, até quando a intenção é das melhores, atrapalha o bom andamento das coisas. Estabelecer um teto salarial, é uma forma sadia de contenção de gastos, desde que esse teto seja compatível com o tamanho do bolso. Os números do futebol são estratosféricos e não tem como mudar isso, então por que não estabelecer um teto mínimo, bem menor do que se fala hoje em dia para todo o staff (dirigentes, comissão técnica, jogadores) e ir rateando valores por meta alcançada (classificação na tabela, número de gols feitos, passagem de fase nas competições) premiando desempenho e produtividade. Isso já deu muito certo a muito tempo atrás com o presidente Rípoli do XV de Novembro de Piracicaba.

    • Dyl Blanco

      como complemento de raciocínio leia-se ” …..a falta de limites plausíveis, ate quando…..”

      • Felipe Lima

        Concordo com essa história de teto salarial, mas mas como de praxe, é possível burlar.
        Basta o jogador assinar contrato com salário batendo “no teto” e receber o resto como “direito de imagem”.
        Tiremos o Neymar, por exemplo (espero não ser achincalhado): recentemente ele foi considerado o 5º jogador mais bem pago no mundo. Mas quanto é realmente salário na carteira (passível de descontos de impostos e encargos)? Quanto é equivalente a “direitos de imagem”, “direitos de arena”, “direitos de sei-lá-o-que”… que não são devidamente taxados – o que pra mim não passa de sonegação pura e simples.

        • Dyl Blanco

          Direitos de imagem e/ou direitos de arena são a materialização do ganho por produtividade. Ninguém pagará a nenhum jogador quantia nenhuma se ele não for destaque em seu time. E para ser destaque ele tem que produzir. O que tentei expressar foi que o teto salarial que atualmente os clubes impõe é muito alto, irreal. O melhor seria, para todos, craques ou não e para os clubes, que se nivelasse por baixo, deixando o diferencial todo em cima da produção, do resultado.

          • Felipe Lima

            Sim, hei de concordar com seu argumento quanto ao ganho por produtividade. Mas esse ganho tem de ser taxado também, oras! Tiro pelas PLR’s que as empresas pagam a seus funcionários. Bateram as metas, recebem uma quantia que, se passar de (agora) R$ 6 mil, pagam imposto de renda.
            Só pelo fato de não serem contabilizados como salário, os jogadores podem pedir “quanto bem entenderem”, que passa batido na Receita. Isso obriga também os clubes a fazerem e aceitarem este tipo de negociação – o que só faz aumentar o rombo.

            • Dyl Blanco

              Esse jogo da mentira, onde os clubes criam dívidas que ali na frente serão parceladas, transformadas em créditos e até anistiadas (na maioria das vezes), tem que acabar. Se os clubes forem obrigados a contribuir sobre esses valores menores, que seriam o teto salarial, haveria uma grande chance de acabar com a sonegação. Não adianta querer receber quantias irreais e “fazer promoções” em cima desses valores astronômicos.

  • Celo

    Uma vez calote … sempre calote ….. Caloteiro sempre eu hei de ser …. é meu menor prazer ter que pagar …. seja fatura seja o BAR ….. correr correr correr …. quando tem cobrança eu tento me esconder.
    Duplicata a farmácia o avon conta de luz eu peço pra falar é com Jesus ………

    • Bardawil

      Show de bola !!!!! EXCELENTE !!! to morrendo de rir kkkkkkk

  • Só torço pro vento soprar a favor do Jorginho…..se nao soprar….trazendo lampejos de rafinha…rodolfo e outros….estimo um prazo de 90 dias para ele nao saber o caminho de casa….pois com renato canelada…ibsonho….caceres e gonzalez….e outros horrorosos….só jesus..
    srn

  • Jose Thadeu P. Costa

    com relação ao salário dos técnicos (e dos jogadores) o grande erro histórico é não ficarem condicionados um padrão de produtividade. Conquistando ou não títulos, recebem estes absurdos salários. temos como exemplo, o Felipão no Palmeiras, e outros casos semelhantes, cujos técnicos ganharam fortunas para, além de não conquistarem nada, colocaram o time no abismo da segunda divisão. Outro ponto que questiono é esse negócio de pagar multa aos técnicos demitidos. O clube pega um técnico que está desempregado (caso do Jorginho e do Dorival no Flamengo), da-lhe uma oportunidade de emprego, tira o técnico da obscuridade e, quando “a coisa não dá certo”, o clube ainda tem que pagar multa rescisória! Não fica meio esquisito? Entendo que no caso do time tirar o técnico de outro clube (como aconteceu com Joel no ano passado, que foi tirado do Bahia), ou seja, “estava empregado”, até concordo com uma multa rescisória, mas quando o técnico está desempregado, acho um verdadeiro abuso contratual, que os clubes têm que lutar para acabar.

    • Dyl Blanco

      Muito bem colocada a questão da multa salarial. Fala-se tanto em “colocar na vitrine” quando alguém chega aos grandes clubes e seleção, mas é sempre o dono da “vitrine” (o clube) que paga tudo e todos. Hoje os técnicos possuem dados específicos, de quantos passes o jogador acertou de perna esquerda, quantas cabeçadas acertou, quantas assistências efetivas conseguiu, então seria muito fácil estipular metas para remuneração. Acabaria com o “miguésinho” de chegar na hora certa do treino, fazer burocraticamente o que lhe é passado e no jogo não render nada.

  • TIMON

    não acredito que o Dorival saiu porque achou os valores baixos e sim porque para bom entendedor meia palavra basta, quando a diretoria condicionou a continuidade do Dorival a uma redução de 50% do salário já deu o recado, Dorival nunca foi o nome dessa diretoria e ele sabia disso.

  • mauro

    André. vale lembrar que o “segundo” do Dorival ganhava 95 mil reis . O “terceiro”, que era seu filho, GANHAVA 25 mil reais. È mole?

  • Juliano

    AK, na boa, tu é um gênio!! Irretocável! Sou muito teu fã!

    Abraço!!

    PS: Não sou SPFC e continuo achando que o Clayton vem vencendo as discussões “acaloradas” com o Renato…

    • Matheus

      Mas é muito fácil ganhar essa discussão do Renato, o cara é vidrado em coisas do tipo “Área 51”.

      • RENATO77

        Ganhar? Perder?
        Putz…
        Estimo melhoras.
        Abraço.

        • Juliano

          Em dobro pra ti. Abraço!

        • Matheus

          Quando melhorar cuidado com as recaídas.

  • Matheus Brito

    No linha de passe o Trajano pediu cadeia para quem assinou esse contrato tinha que ir pra cadeia. Se a moda pega não fica um dirigente solto. Ri muito quando falaram que o Jorginho vai ganhar “apenas” R$250.000,00.

  • Emerson Cruz

    Pagar cerca de R$800.000,00 para um treinador? É, olhe nas mãos de quem estava o Flamengo…
    A nova diretoria parece que de fato se preocupa em resolver os velhos(e põe velhos nisso) problemas do clube adotando uma política financeiramente mais racional e sem megalomanias e populismos. Tomara, consiga erguer o gigante novamente e definitivamente. A única ressalva a ser feita sobre a contratação do novo treinador é que aparentemente ele já estava apalavrado com o clube antes de seu antecessor deixar o cargo. Digamos que isto não é exatamente algo que se espere de dirigentes que tem em seu discurso, entre outras coisas, “resgatar a credibilidade da instituição”.

  • Rafael

    E pensar que o Andrade… Funcionário do Clube… Campeão Brasileiro, tinha pedido um reajuste no salário e a turma da Patty só lhe mandou R$ 150 mil na tampa e depois o dispensou. Brincadeira.

  • Querem economizar???…mandem o carlos eduardo embora….ganha o dobro do chefe dele….sem produzir nada a varios meses…
    Querem economizar???…contrate um atleta que já entre jogando….igual faz os outros times…cruzeiro e outros mais…

  • Marcelo Caju – Poa RS

    Bela matéria. Até porque o Flamengo é noticia, seja falando das suas lambanças ou sucessos (quase excassos..). Porém, a diferença que desta vez é que a diretoria está colocando para toda mídia, todas as maracutaias da “Omissa Amorim” e mostrando todas as ingerências que não devemos cometer nem numa padaria…

    Não duvido que outros clubes passam ou passaram por escândalos iguais ou até maiores como o atual do rubro-negro. Um exemplo claro veio no rebaixamento do Corinthians em 2007, que mesmo sendo de um dos grande clubes do Brasil, não houve uma amostra grande de informações sobre os desmandos e roubalheiras de Dualib & cia quando André Sanchez recém assumiu a instituição.

    Continuo achando que o remédio é amargo, mas é preciso recuperar a credibilidade frente ao mercado. Mesmo com sendo alvo de todas as chacotas possíveis e inimagináveis, esse é o primeiro passo para o crescimento do clube e também para projetá-lo com potência do futebol em breve. O mais importante porém, é usar seu poder e trunfo na mídia como força para alcançar seu objetivo, sem que tenha que se corromper com sua classe, ou ainda esperar ajuda politico-eleitoreiras.

    Acho que esse quadro reverte tão logo…Acredito que entre 3 a 4 anos.

    SRN!

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo