CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!. E aqui, hoje, por formalidade. O julgamento finalmente foi realizado e definiu a punição ao Corinthians: um jogo com portões fechados em casa, já cumprido, 18 meses sem torcida em jogos como visitante e multa de US$ 200 mil.)

REAGENDAMENTO

Um pequeno problema de comunicação. E o julgamento do recurso do Corinthians ao Comitê Disciplinar da Conmebol foi adiado, sem que o próprio presidente do tribunal soubesse.

Caio Cesar Vieira, que também é vice-presidente do STJD, havia confirmado – em entrevista à rádio Bradesco Esportes FM – que o julgamento aconteceria ontem. Quem conseguiu falar com ele por volta das 18h, duas horas depois do horário marcado para o início da sessão, foi informado de que o advogado cearense aguardava o resultado das deliberações. Vieira não pode julgar a questão envolvendo o Corinthians, por ser brasileiro, mas garantiu que seria o primeiro a saber o que a Conmebol decidiu sobre a punição ao clube pelos eventos que causaram a morte de Kevin Espada.

Um pouco antes das 19h, quando os diretores do Corinthians, em Tijuana, e os advogados do clube, em São Paulo, esperavam por um comunicado a qualquer momento, a Conmebol se pronunciou. Só não foi a mensagem que se imaginava. Nestor Benitez, diretor de comunicação da entidade, disse à rádio Espn que não houve e nem haveria julgamento nesta quarta-feira. Um dos auditores não poderia participar da teleconferência agendada, o que provocou o adiamento. Por detalhe, o presidente do Comitê Disciplinar não foi avisado. Um lapso.

O mais novo tribunal da Conmebol foi criado em 20 de dezembro de 2012, durante a reunião em Assunção que culminou com o sorteio dos grupos da Copa Libertadores 2013. Seu primeiro caso foi a final que não terminou, São Paulo x Tigre. A tragédia de Oruro e os tumultos no jogo entre Peñarol e Vélez Sarsfield aumentaram a carga de trabalho dos auditores. Além de Vieira, há um membro uruguaio, um chileno, um colombiano e um boliviano. Alguém não pôde atender o telefone ontem.

Julgamento por teleconferência faz todo o sentido, mas não combina muito com uma entidade que mantém um site paleozóico e cuja última postagem no twitter – utilizado como ferramenta principal de informação – se deu em 22 de fevereiro.

PRESENTÃO

Interessante declaração de José Maria Marin a respeito de Romário. O presidente da CBF disse que o deputado federal não terá futuro na carreira política. Curiosa previsão, especialmente vindo de um político profissional que jamais ganhou uma eleição em sua vida inteira. Romário foi escolhido pelos votos dos eleitores do Rio de Janeiro, mais de 145 mil deles. Marin, biônico, viveu de indicações. Até na CBF o cargo foi um presente.

PUNIÇÃO

Tudo o que o Palmeiras deveria evitar era a obrigação de vencer os dois próximos jogos da Libertadores, ambos em casa. Por essa ótica, um empate ontem na Argentina não seria ruim. Mas a partida contra o Tigre apresentou-se tranquila e “ganhável”, sensação representada pela jogada de gol iminente que Kléber desperdiçou já nos últimos minutos. O gol da vitória do Tigre soou como punição à negligência, como o futebol faz às vezes.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo