NÃO QUEBROU



r10entrada2

A foto (crédito: Uol Esporte) é ainda pior do que o vídeo.

Transmite mais violência, mais irresponsabilidade, mais risco.

E do ponto de vista de Ronaldinho Gaúcho, o receptor, mais sorte.

Diego Braghieri é o nome do elemento. Jogador do Arsenal.

Ronaldinho não só não teve a perna transformada em “L”, como permaneceu em campo e ainda bateu – no travessão – o pênalti que a falta acima significou.

Apertou a mão do algoz, até.

Braghieri não recebeu cartão do árbitro Martin Vazquez, muito bem posicionado no lance.

O jogo entre Atlético Mineiro e Arsenal já estava 5 x 2 a favor do time brasileiro quando tudo aconteceu.

Foi a primeira vez que um visitante marcou 5 gols num estádio argentino em toda a história da Libertadores.

Muitos lembrarão da atuação de Bernard, com 3 gols e mais evidências de que ele é especial.

Eu lembrarei do momento em que achei que Ronaldinho teria de buscar sua perna no campo de defesa.

 



  • Michel

    Gostaria de saber o que a Conmebol vai fazer a respeito do “jogador” e do juiz, que não deu sequer amarelo… Absurdo!

    • Juliano

      Nada.

  • Matheus

    Foto sensacional. Difícil acreditar, após olhar bem a foto, que o Gaúcho não esteja em coma e com a perna amputada. Exageros a parte, isso deveria dar um gancho de 180 anos só na gestão do Leoz.

  • Marcelo Morais

    A foto eh impressionante, ‘timing’ perfeito.
    As imagens originais, pela camera lateral que estah longe da area, nao me permitiram notar a violencia do lance. Quando vi o replay fiquei assustado. Ainda nao entendi como o RG conseguiu salvar sua (dele) perna.

    Pela amostra da ultima semana, a CLA-2013 serah mesmo historica.

  • Marcelo Morais

    Off-topic:
    Espero(amos) comentarios sobre a partida de ontem na semifinal da Copa do Rei.

    • Matheus

      Bem lembrado.

    • Caio Lineu

      Passei aqui o dia todo esperando isso!
      Rs!

      Sem pressão, André… (imagina se tivesse!)

  • Anna

    A imagem é simplesmente impressionante. Acho engraçado quando você comenta essas coisas… Acho que não daria pra ser médico. Rs

  • RENATO77

    A Conmebol segue a risca o singelo comentário de um velho politico paulista:
    “Estupra mas não mata.”
    Abraço.

  • Juliano

    Isso não é falta. É agressão. Crime. Alguns dirão “é do jogo”. Não, não é.
    Além de adversários, em campo, estão colegas de profissão. Você está se sujeitando ao mesmo. Você está desrespeitando os princípios da sua profissão. Infelizmente Braghieri não é o único. Felizmente (e surpreendentemente) Ronaldo não se feriu. E tudo isso com bola em jogo, não é um ato deliberado com bola parada onde adversários se estranham e estão de frente pro outro com motivação de briga. É muito mais grave!

    E isso só continua acontecendo pela incompetência, e por que não, negligência dos apitadores. Nem cartão? Foi isso mesmo? Assim, na impunidade escandalosa, Braghieris se multiplicam, e se multiplicarão.

    Exemplar foi a suspensão ao Salgado que quebrou Juninho Paulista quando este atuava no Atletico de Madri. Pelo visto, para que medidas sejam tomadas, é preciso quebrar. Não quebrou? Segue o baile…

    Em tempo: Ronaldo devia ter feito o gol… seria uma bela resposta, na bola, aumentando a goleada.

    Se a moderação permitir: http://blogfutebolclube.com.br/as-05-piores-lesoes-do-futebol-mundial/
    Nem todas são agressões, como é a do Ronaldo Nazario. Mas os outros vídeos mostram o que poderia ter acontecido com Ronaldo Assis.

    Abraço!

  • Que horror. Parece videogame.

    • Rodrigo-CPQ

      Se isso fosse no FIFA 13 ou no PES, já estariam dizendo que era mais um bug bizarro dos jogos… “cara, olha a entrada e nem cartão tomou”….

  • RENATO77

    Pela paz, no Pacaembú, os primeiros 90 minutos de silencio.
    Abraço.

  • RENATO77

    O silêncio dos inocentes.
    Boa essa, fala a verdade…

    • Armando Lima

      Inocentes ? Isto porque os verdadeiros culpados se encontram presos na Bolívia ? Ou escondido em alguma “capa preta” da Gaviões ? O Corinthians assinou um documento e sabia desde o início que poderia ser punido, portanto o resto é jogo de cena política. Fosse a CBF, provavelmente nem haveria punição para o “todo poderoso timão”. Fosse time menor, a punição seria bem maior! O silencio talvez tenha sido para que o mundo do futebol reflita sobre O QUE É VERDADEIRAMENTE JOGAR FUTEBOL! Menor assassinado por um sinalizador ou uma perna (quase, graças a Deus) quebrada covardemente por um companheiro de profissão são VIOLÊNCIAS INACEITÁVEIS. QUE O SILÊNCIO OUVIDO ONTEM NO PACAEMBÚ SEJA A ARMA DOS QUE AMAM FUTEBOL !

    • Matheus

      Cidades dos Anjos.

      • RENATO77

        Boa…essa também.

  • Fábio Minghetti

    Isso cai na vala do normal aos olhos da Conmebol. E os clubes, que há algum tempo se recusavam a jogar por tais lances, se calam pelo dinheiro.

  • Emerson Cruz

    Martin Vazquez, gostaria muito de saber o que este árbitro considera um tipo de infração necessária para que se mande um atleta para o chuveiro mais cedo.

  • Christian

    O STJD já tá em contato com a Conmebol pensando num jeito de punir o Ronaldinho, já que ele tirou a perna do chão pra não quebrá-la.
    Parece que vão deixar pra julgá-lo nas vésperas da semi-final contra Curintia ou FlorminenC.
    GALO!!!!!

  • RENATO77

    Anticorintianismo não existe?
    O nível de fúria, entre torcedores e imprensa, resultante da entrada de quatro torcedores no estádio ontem, REPITO, QUATRO TORCEDORES, é explicável por que razão, qual motivo de tanta indignação???
    Isso vem sendo tratado como se os 4 tivessem violado o sentimento de “justiça” de todos aqueles que tiveram orgasmos multiplos a partir da decisão da CSF.

    A pena tem o objetivo de punir o clube, antes de mais nada FINANCEIRAMENTE, tecnicamente por não ter o apoio da torcida. Que diferença fez a presença de 4 pessoas, e uma renda de 900 reais? E trem gente defendendo, sim estão defendendo, uma NOVA punição ao clube por conta disso.
    A coisa está ficando num nível rasteiro, tão rasteiro quanto os sentimentos que movem os “indignados”. Até onde vai chegar essa fúria?

    A PM estava com o aparato COMPLETO, previsto para um jogo “normal”, com estádio cheio.
    4 torcedores exercem seu direito, junto à justiça de seu pais, e conseguem assistir a partida.
    Pronto, o que seria uma caso SIMPLES de cidadãos que entendem terem sido prejudicados por uma decisão na esfera desportiva, usam a justiça comum para pleitear seus direitos e acaba, indo ao estádio, torna um fato minúsculo em manchetes e opiniões inflamadas e sensacionalistas.

    Não, anticorinthianismo NÃO existe, é mania de perseguição.
    Tudo o que tem acontecido nesse caso, teria o mesmo tratamento “qualitativo”, ou seja, o teor das matérias e dos comentários seria o mesmo. A “temperatura” seria a mesma.

    Tão ridículo quanto dizer que TUDO que é crítico ao SCCP é fruto do espírito “anti”, é negar a existência dele.
    Parte da sociedade está doente, e não é a “locospirose”.

    Abraço.

    • Alexandre

      Cara, a questão não é se o anticorintiano existe ou não, mas se ele é o único “anti” que existe. E não é. Todos (todos, todos) os clubes têm quem simpatize com eles e quem não goste deles, simples assim.
      Ahh, mas no Corinthians isso é maior…claro que é, oras: se o Corinthians tem a segunda maior torcida do país e é um dos mais vencedores nos últimos anos, é claro que hoje em dia acaba sendo um dos que mais gera antipatia nas torcidas adversárias. É simples, é natural.
      O engraçado é que os corintianos aceitam de bom grado todos os benefícios de ter uma torcida numerosa, até os ilegítimos, como a atenção desproporcional da mídia e a distribuição ilógica dos recursos de TV (o que é outra discussão), mas não se conformam com a rejeição.
      Querem o bônus, mas sem o ônus. Mas no fundo, isso também é natural do ser humano…

      • RENATO77

        Cara, um gaucho, gremista, entra na justiça contra o patrocinio da CEF no SCCP.
        É…deve ser exagero meu…
        Abraço.

  • Teobaldo

    Muitos amigos que aqui frequentam não eram nascidos em 1974, quando o ex-atacante Mirandinha, então jogador do São Paulo, teve uma dupla fratura (tíbia e perônio), num lance que pode ser classificado como acidente (canela contra canela), com o ex-jogador Roberto (América de Rio Preto). A foto (não lembro o nome do fotógrafo, mas o cara ficou famoso) também é fantástica, principalmente se considerarmos os recursos de 40 anos atrás.

    Impressionante, também, é a fratura do ex-jogador Ângelo (Atlético) na final do Brasileirão-77, provocada pelo Neca (São Paulo). Lance muito semelhante a esse. E o Chicão, de forma covarde, ainda pisou no Ângelo caído. O árbitro, que nada fez, foi Arnaldo César Coelho. Curiosamente, em 1980, o Chicão foi para o Atlético e ganhou a posição do Ângelo, que acabou indo para o Guarani de Campinas.

    • luisa

      e o arnaldo foi para a globo, assim como o roberto wright q tambem prejudicou o galo em 81, assim como o marcio resende em 99, acho q aquele juiz q foi escalado pra apitar jogos importantes ano passado (flu x gremio, galo x flu, o da falta anulada) tambem tem chances de ir pra globo. futebol e’ mesmo uma caixinha de coincidencias

  • RENATO77

    http://cinoir.wordpress.com/2012/02/24/mad-city-o-quarto-poder-1997-de-costa-gavras/

    Sobre todo o circo em que uma tragedia pode se transformar.

  • RENATO77
  • Teobaldo

    Esse caso “do menor que atirou o sinalizador” talvez seja único e extremanente irônico, se não fosse trágico. Afinal, eu nunca vi um advogado de defesa tão empenhado em provar a culpa do próprio cliente. Quem dera assim também agissem assim os advogados de Renans, Dirceus, Genuínos e outros menos votados… Um abraço!

    • RENATO77

      Teobaldo, fica mais fácil entender a postura do advogado de “DEFESA”, se lembrarmos que os 12 presos lá na Bolivia, são integrantes da TO que está pagando esse mesmo advogado. Logo, o advogado “pretende” trocar um por doze…e parece que não terá sucesso.
      Abraço.

      • Dennis

        Nunca é demais lembrar também que o “dimenor” não pode ser apenado por ato infracional cometido no exterior, ao contrario de um adulto, que poderia eventualmente responder por crime cometido fora do Brasil.

    • Junior

      Como se prova a inocência de um réu confesso? Não tem absolutamente nada a ver com um advogado tentar provar que seu cliente é culpado. Esse é apenas mais um mantra destinado a pessoas sem conhecimento, que o repetem como se isso fosse validar as mais diversas teorias. O papel de um advogado nesse caso é atenuar a pena ao seu cliente e não provar que ele é inocente, uma vez que o próprio culpado se declara como tal. (mas parece que a maioria já sabe disso, apenas se faz valer disso para parecer incoerente).

      • Teobaldo

        É óbvio que o advogado tem que atuar como você descreve, mas ele faz exatamente o contrário… ou não? Será que a “sábia maioria” não vê isso?

        • Junior

          Onde exatamente ele fez o contrário? A tentativa dele é provar que o ocorrido foi um acidente – atenuando assim sua pena. De resto, bastar reler os comentários para uma interpretação mais segura.

  • Ricardo, excelente texto. Lendo notícias e colunas nos principais portais brasileiros hojes, me senti enojado, como podem usar e abusar de um falso moralismo repentino, de um clubismo que tentam esconder a toda prova, de um falso senso de justiça e cidadania que não vemos em nenhum outro setor do nosso dia-dia.
    Gostaria muito que todas essas pessoas utilizassem todo esse senso de justiça e colocassem pra dentro de casa, para dentro de nosso próprio país.
    Quão absurdo é a prisão de 10 pessoas de forma arbitrária por outro país ? Por que não excercermos nosso poder como nação dominante e exigimos a soltura e volta de 10 compatriotas que estão presos num país que, diga se de passagem, é muito mais conhecido pela sua expertise em plantar plantas não muito lícitas do que em julgar/condenar estrangeiros.
    Em minha humilde opinião a punição mais correta seria revertar a renda de 1 ou 2 jogos, descontando aluguel e despesas gerais, para a FAMÍLIA do garoto morto por acidente. Desta forma o clube seria punido, os consumidores que NADA tem a ver com isso não e, olhe só que legal, a familia do garoto, neste ‘simples’ gesto poderia ter uma recompensa financeira, nada que fosse reparar a perda de um filho, porém, pensando friamente ( como a justiça deveria) seria uma forma de gerar um dinheiro que Kevin geraria para familia por toda a vida, dada a situacao socio economica da Bolivia.
    Agora, ter que me deparar com textos cheios de hipocrisia, falácias e falso moralismo, isso basta, os cronistas esportivos (salvo um ou outro) mereciam um premio de como explorar uma tragedia para ganhar cliques e comentários. Seria bem dificil escolher o vencedor.
    Punicões em massa é coisa da ditadura. Se eu voto num partido que se torna corrupto, eu não me torno corrupto e nem cumplice da corrupção, analogia fraca mas que se encaixa nesse cenário.
    – See more at: http://globoesporte.globo.com/platb/sp-torcedor-corinthians/2013/02/28/sao-muitos-che-para-pouca-revolucao/#comments

    AK: Não é só a analogia que é fraca. E quem é Ricardo? Um abraço.

    • Matheus Brito

      Duas coisas a respeito desse texto:
      1 – Nação dominante? Dominamos a Bolívia?
      2 – “plantar plantas”? que feio.

  • Juliano

    Nesse tipo de lance não acredito em acidente. Foi o tal “entrou pra quebrar” mesmo. E tem vezes que quebra, literalmente (link abaixo).

    http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/frances/ultimas-noticias/2013/03/02/meia-da-carrinho-criminoso-e-fratura-tornozelo-de-rival-em-partida-do-campeonato-frances.htm

    Pelo banimento desse tipo de ‘atleta’ do esporte. Qual a posição da FIFA?

  • Conmebol virou chacota.

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo