COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

CORAGEM E AÇÃO

Não seria um despropósito excluir o Corinthians da Copa Libertadores de 2013, por conta do envolvimento de (pelo menos) um torcedor do clube na morte de um garoto num estádio boliviano. Há situações que exigem que se trace uma linha, e esse momento chegou para o futebol sul-americano. Mas traçá-la é estabelecer uma fronteira, providenciar mudanças. Definir as diferenças entre o antes e o depois. A eliminação de um clube, por si só, não seria suficiente.

Só há uma forma de honrar uma vida perdida: trabalhar para garantir que algo semelhante jamais acontecerá de novo. Multas, perdas de mandos de jogos e outras simulações nem iniciam a conversa. Vetar torcedores – como a Conmebol fez com o Corinthians – é muito melhor do que nada, ou o quase nada a que a confederação nos acostumou, mas também não funcionará. É um esparadrapo para um paciente que precisa de um transplante.

Apurar e contemplar responsabilidades, de todos, é a única maneira de nos lembrarmos de Kevin Espada, 14, morto por um sinalizador marítimo enquanto assistia a um jogo de futebol, como um símbolo. Do contrário, ele será mais um verbete da Wikipedia. A memória de Kevin merece – e o futebol nesta parte do mundo pede urgentemente – uma revolução.

Revolução que só pode ser feita pela aplicação de medidas amplas, drásticas, corajosas. O Corinthians, visitante, deveria ser excluído por causa da participação de seu torcedor. O San Jose, mandante, deveria ser excluído pelo ocorrido em seu estádio. A Federação Boliviana, organizadora do jogo, deveria ser punida pelas falhas de segurança. E a Conmebol, organizadora do torneio, deveria ser proibida pela Fifa de realizar competições enquanto não apresentasse um caderno de providências para reformar a Copa Libertadores e a Copa Sul-Americana.

A Confederação Sul-Americana de Futebol é a principal responsável pelo que se vê em jogos no continente, há muitos e muitos anos. As pedras nos vidros dos ônibus, a pressão sobre a arbitragem, o tratamento ao visitante, os gramados, as pilhas, os escudos, os sinalizadores. A supervisão cínica de Nicolás Leoz estimula o vale tudo e lava as mãos quando a coisa foge ao controle. Agora a Conmebol tem uma morte – dentro do estádio, sem situação de conflito – para considerar.

É absolutamente revoltante que o jogo entre San Jose e Corinthians tenha prosseguido, como se morrer em estádios fosse trivial. Mais de doze horas depois, a Conmebol conseguiu divulgar uma nota de pesar endereçada não à família de Kevin Espada, mas ao presidente da Federação Boliviana, “pelo falecimento de um jovem” durante a partida. Desfaçatez que não conhece limites.

Basta do juridiquês dos regulamentos, das punições preventivas, dos recursos. Basta das posições clubistas, dos ataques e das defesas oportunistas. Basta das relações políticas e promíscuas. Basta. É hora de pôr fim a atrocidades como a que se deu em Oruro. Que não aconteceu em outras noites, em outros lugares, simplesmente por sorte. Um menino de 14 anos morreu atingido por um foguete. Pode ter sido um acidente, mas não foi uma fatalidade.

Fatalidades são eventos que não podem ser evitados.

MCFLY

Wagner Ribeiro, agente de Neymar, declarou que se Pelé jogasse hoje seria inferior ao atual astro santista. A “lentidão” de Pelé, estrela maior de uma época em que o futebol era menos dinâmico, o prejudicaria diante da marcação moderna. Comparação impossível. Se Pelé jogasse hoje, e tivesse a mesma idade de Neymar, seria um atleta totalmente diferente, e provavelmente ainda melhor. O futebol tem eras, cada era tem suas características e seus craques. Melhor deixar assim. Fez bem Neymar em não entrar na conversa.

RECOMPENSA

Na vitória que mudou a situação do Grêmio na Libertadores da água para o vinho, Barcos jogou para palmeirense nenhum botar defeito. O Grêmio venceu o Fluminense ao lhe dar campo, estratégia arriscada para quem estava obrigado a vencer. Deu certo.

TAPETE

Aqui se fizeram diversas críticas, por isso é justo que se faça o elogio: o gramado do Engenhão está ótimo.



  • Armando Camargo

    Quantos acontecimentos ja vimos para serem um estopim de mudanca, gerando uma nova fase ?
    Descrente ou realista ?
    Tinha dez anos, quando vi na tv, a noticia da morte de um torcedor em um jogo da copa sp, uma bomq caseira foi a causadora, com 13 vi a batalha campal no pacaembu, inumeras ocorrencias foram vistas no correr dos anos, corinthians na eliminacao da libertadores contra o river, final do brasileiro em 2009 no couto pereira, sem falar dad mortes em classicos no rio e em minas.
    O tempo vai passando e seguimos presenciando atos de barbarie, e a cor do envolvidos, influencia sim, a posicao tomada em cada caso.
    Falar sobre o Neymar, e complicado, joga muito, mas o tratamento que recebe, o faz ser “odiado”, por uma grande parcela de torcedores.

    • César

      Mas agora é com o Corinthians único clube das Américas BI-CAMPEÃO MUNDIAL, então a repercussão é outra, mas ele tem costas largas, aguenta o tranco.

      • Ricardo

        Não posso deixar de comentar, César: meu deus!!! Quanta reunida em um só comentário – de duas linhas!!!

        • Marcelo

          Sou Corinthiano e concordo plenamente com você Ricardo. É mais um que existe entre os torcedores do Corinthians…Lamentável tal comentário.

          • F.M.

            é corinthiano nada… essa não cola mais cara… td mundo faz isso: “ahn sou corinthiano mas acho que o corinthians é o pior time do mundo”… vc eh um anti

      • Matheus

        César, a vida é feitas de grandes oportunidades que precisamos agarrar quando elas chegam pois quando elas passam fica complicado aproveitá-la novamente. No seu caso, você perdeu uma oportunidade colossal de ficar calado e não falar tanta idiotice em apenas duas linhas de comentário. Fico imaginando que atrocidades sairiam de uma redação sua, de um artigo, uma tese, enfim. Alguém está tratando de clubismo aqui? trata-se de uma grande oportunidade de mudar, ou não, os rumos da violência no futebol. Infelizmente, você nada tem a contribuir com o tema, volte quando estivermos falando dos resultados da rodada, é melhor.

      • Lourival

        Bi mundial?
        AFF…

        • tiago

          Fifa.com, n gostou? liga pra lá e reclama

    • Quem escondeu esse criminoso deve ser punido com a mesma pena e quem acha que a punição ao clube não deve acontecer, é no minimo complacente com a atitude criminosa do autor e dos seus ideais

  • Juliano

    Pelé não falou nenhuma bobagem. Muricy achou bom, disse que é para o bem da ‘jóia’. Neymar Jr não se pronunciou. Aí vem um idiota como o seu agente e faz isso. Fazem o possível para estragá-lo, endeusá-lo, o foco muda.

    A verdade é que ultimamente Neymar é mais notícia no “ego.com” do que no “globoesporte.com”. Promoveu ontem uma festa a fantasia, o time entra em campo contra o XV de Piracicaba à tarde, e à noite vai comemorar o seu aniversário em uma boate fechada na capital paulista. Festa, jogo, festa. Pelé está certo.

    Abraço!

  • Paulo Pellegrino

    Realmente muito “bem escrito” o seu texto. Só que infelizmente e como sempre, coberto das demagogias próprias de quem prega que se dê um “basta ao “juridiquês’ (que é isso? A condição de articulista não te dá direito algum de criar neologismos), aos regulamentos (ao contrário do mundo todo, quando o Todo Poderoso Timão das massas que tem de ficar entorpecidas está envolvido, se pede o desrespeito as regras do jogo), às punições preventivas (é bom mesmo, como eu já disse aqui, que nada aconteça, até porque as facções de torcedores prometeram nesta semana, nas redes sociais dificultar a vida da PM do Estado de S. Paulo, se tiver de ficar fora dos estádios na sequência da Libertadores. Seria uma “mão na roda” do PT, aqui em São Paulo, se a polícia descesse o cacete em cima do bando de loucos – alcunha que recebem aqui no Brasil, um bando de fanáticos arruaceiros. Já pensou cada imagem legal, nos programas de campanha?), aos recursos (bonita a sua fala, mas a Caixa Econômica Federal que está associando a sua imagem aos assassinos, neste momento, não pode ter prejuízo e por isso, não vai acontecer nada). “Basta das posições clubistas, dos ataques e das defesas oportunistas”. Todos os outros clubes brasileiros tem que ficar fora da discussão? É isso? O Corinthians é realmente a maçã (é podre na verdade) mais bonita dentro da cesta do futebol brasileiro? Defender que haja punição para quem matou um jovem de 14 anos não é Sr. Kfouri, uma defesa oportunista. Se ocorresse envolvendo São Paulo, Palmeiras, Grêmio ou Fluminense, a sua posição seria igual? De toda forma, tomara que algo seja feito, apesar de todo o risco de perda de dinheiro envolvido? Um abraço.

    AK: Como seria bom se você quisesse entender o texto, né? Um abraço.

    • Paulo Pinheiro

      A melhor parte foi o meu xará aí proibindo o André de usar neologismos, hehehe

      • Alisson Sbrana

        Concordo, Paulo Pinheiro!!!! Quem disse que a idiotice não pode ser brilhante! Realmente, demorei alguns minutos para parar de rir.

        Pergunto-me se o AK consegue se divertir tanto quanto a gente, quando alguém escreve uma coisa dessas.

        Aposto dez reais que sim!

        Abraços

    • Marcelo Fernando

      Sr.Paulo Pelegrino, não coloque o futebol na frente das coisas importantes da vida. O AF falou com propriedade, e mesmo não concordando com tudo, sua opnião é limpa e clara. Agora cuidado a chamar e generalizar que os cortinhianos são assasinos, pq e com certeza vc deve ter familiares corinthianos, seu chefe pode ser um ou mesmo seu clientes. Bandidos e marginais tem em todo lugar

    • Osmar Aparecido de Sousa

      Sr Paulo Pelegrino, sou corinthiano e soua a favor que penalizados todos, em todos os âmbitos, agora me diga, se e isto estivesse acontecido com um torcedor de seu time, voçe teria esta mesma opinão? responda pra vc mesmo.

    • Matheus

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, AK, gentileza não crie mais neologismos, o rapaz está incomodado com isso.
      Meu amigo, vamos discutir o que pode ser feito para melhorar, não fique preso a paixão irracional de ver ser clube sendo punido. Essa punição é um começo, apenas isso, nada mais.

    • André Luiz

      Mas um analfabeto, que “vive” no site do Milton Neves!! Vai estudar !

    • Fernando Alves

      Paulo Pellegrino, você é um ! Seu texto ficou péssimo. Quis bancar o intelectual e não soube se expressar. Vai tomar vergonha, ler alguns bons livros e depois venha argumentar. AK, muito bem escrito. Abço. do Baixo.

  • Carlos Miranda

    André, não poderia ler um comentário tão claro e corajoso. Parabéns!
    Todos os clubes, todos, deveriam ler esses comentários e se possível fosse, todos deveriam abandonar essa tal de “Libertadores” e suas particularidades violentas e promíscuas. Cansei de escutar: “Isso é Libertadores”! Quantas mortes ainda teremos que ver para mudarmos essa mentalidade? O mais inacreditável, nessa história toda, é que o jogo continuou, como se fosse uma disputa de MMA ou as antigas lutas do Coliseu de Roma. Encerramento da Libertadores já! Ou até que se tenha uma competição, no minimo, civilizada.

    • Marcio

      Concordo plenamente Carlos, o título da libertadores é importante, sem dúvidas, mas o campeonato é uma várzea, do estilo dos campeonatos amadores que existem, as vezes os amadores são até mais organizados, aquele papinho de espírito de libertadores é de matar.O que é o espírito de libertadores? É jogar com raça, vontade de ganhar, concentração total? Isso pra mim é espírito do futebol, não de um torneio só. Infelizmente me parece que esse torneio vai continuar do mesmo jeito, o torneio de várzea da América do Sul.

      • Hahahahahahahahaha!!!!

        “espírito de libertadores é de matar” foi a melhor da semana! E o pior é que é isso mesmo!!!

        ÓTIMA!!!

    • Alexandre Barbieri

      Aqui eu faço questão de comentar: Sou corinthiano, não sou assassino, e quero parabenizá-lo pelo comentário!
      Acho a punição ao Corinthians errada somente por não resolver nada punir apenas o Corinthians. O Corinthians não tem culpa (até que se prove se foi o clube quem financiou a viagem do marginal), mas deve ser punido sim. DESDE que todos os envolvidos sejam punidos. Caso contrário será só um bode expiatório, o único a ser punido dentre tantas atrocidades já cometidas e não punidas antes. O próprio Corinthians merecia ser punido sim exemplarmente no episódio de 2006, na eliminação para o River Plate. E outros tantos casos de muitos clubes que passaram impune.
      Só que o problema é muito maior!
      Fora o assassino, o principal culpado de tudo (ou pelo menos o primeiro culpado) é a CONMEBOL.
      Logo, a unica solução pra Libertadores é a Libertadores ser suspensa.
      Não basta punir o Corinthians apenas, não basta tapar o sol com a peneira e fazer uma moralzinha com a FIFA.
      A FIFA tem que punir a Conmebol, pois em TODOS os jogos poderíamos ter visto a cena lamentável de Oruro. Sinalizadores à vontade, revistas frágeis, falta de segurança histórica.
      O Corinthians deve ser punido, mas o Corinthians punido não pune todos e os principais culpados, e não resolve absolutamente nada. E o Corinthians sai como o único culpado de um problema infinitamente maior: a criminalidade histórica na América do Sul.

    • Luys

      A Libertadores tem que acabar!!! Torneio violento, com um futebol de segunda(com excessão aos clubes brasileiros e argentinos), o restante, times fracos sem expressão. Nível baixíssimo, Pura várzea.. pensar que o Corinthians se sentia inferiorizado por não possuir esse título, me dava náusea… Agora ganhamos esse torneio e aí? O Brasileirão é muito mais interessante que essa Libertadores. O nível é muito melhor. Não dá pra comparar, Corinthians, São Paulo, Santos,Gremio, Internacional, Cruzeiro, Atlético mineiro, Fluminense, Vasco, Boca juniors, River Plate, Velez, e outros brasileiros e argentinos com San Jose, Bolivar, “Tolima”(credo e pensar que fomos eliminados por esse timeco), Dep. Tachira, Caracas, Libertad,. Vamos valorizar nosso Brasileirão que muito mais proveitoso

  • Leonel

    E patrocinadores que bancam este circo? Não vão ser ao menos questionados?

    • Leonel,

      ao meu ver, os patrocinadores não têm que ser questionados, mas questionar quem organiza. E retirar o patrocínio e entrar na justiça por danos à imagem, se necessário.

      Abraço!

      • Matheus

        Concordo plenamente, mas para eles não me parece interessar muito os “danos à imagem” e sim o fato de que estão sendo mostrados.

  • marc

    Concordo parcialmente com a imensa maioria do texto do autor.

    A única coisa que gostaria de lembrar é que somente UMA pessoa manuseou o artefato que matou o jovem Kevin. Uma pessoa. Um elemento.

    Será que é justo generalizar e culpar uma torcida inteira, punindo duramente a mesma por causa de uma pessoa? Será que podemos considerar a torcida inteira do Corinthians como “um bando de assassinos” (como já cansei de ler na mídia e em comentários em redes sociais) por causa da irresponsabilidade de um único ser humano?

    Até aonde se sabe, e até prova em contrário, o comportamento da torcida do Corinthians no jogo em questão, até o momento fatídico do disparo do sinalizador era exemplar: Não havia brigas, confrontos, hostilidade. E, por causa da atitude de uma pessoa, vamos desconsiderar tudo isto, e punir duramente toda uma massa de mais de 30 milhões de corinthianos, afinal “todos são assassinos” certo?

    Será que não é demagogia, ou clubismo, pedir uma punição exemplar ao Corinthians pela atitude de um único torcedor? E se realmente foi um disparo acidental (afinal de contas, somente houve um único disparo no incidente)? Ou a atitude isolada de alguém que tenha problemas mentais (também uma possibilidade)? Ou um ato de alguém que desejava somente prejudicar o time, por qualquer razão doentia que seja?

    Será que este ato de irresponsabilidade de um único elemento realmente é o suficiente para culpar uma nação inteira? Pensar assim, ao meu ver, é o mesmo que considerar a população inteira do nosso país como assassinos, bandidos e corruptos. Afinal, estes existem em nosso país (e são mais do que um elemento, não é?). Pela mesma forma de pensar, somos todos então, correto?

    Uma torcida inteira arremessando pedras, pilhas e etc, em escanteios e afins, é normal. Mas uma única pessoa disparar um artefato. Aí não! Afaste todos os torcedores deste time!

    Quanto mais eu penso no assunto, mais eu encontro traços de demagogia no mesmo…

    • Epaminondas

      Esse matador tem que ter amplo direito de defesa, como qualquer outro cidadão, seja ele bom ou mau.
      Se não for punido a culpa é da lei brasileira, que deve funcionar igual para todos.
      Se os ricos matam e levam 15 anos para serem julgados, depois mais 10 anos de recursos e cumprem no máximo 1/6 da pena (e quando cumprem, parte desse 1/6 é domiciliar), por que o torcedor tem que ser tratado com diferença?
      E se for menor, com certeza vai sair impune, como qualquer outro criminoso menor de idade deste país.
      Temos centenas de milhares de assassinos à solta no Brasil, temos 50 mil assassinatos todo ano e ninguém faz nada para mudar isso.
      Mas como envolve o Corinthians, aí todo mundo quer justiça.

      • Matheus

        Epaminondas,

        Não te causa repulsa, por exemplo, a torcida do Corinthians saber quem foi o autor, saber onde o mesmo mora, e até ontem ainda estar “analisando” a possibilidade de denunciá-lo? Não tem haver com o fato de “ser o Corinthians”, o fato é que um crime aconteceu e você quer menos divulgação pra preservar o Corinthians é isso ou eu entendi errado demais?

        • Diego Rodrigues

          Matheus, você não consegue enxergar o que escreve? A torcida do Corinthians sabe quem é? Quem é a torcida do Corinthians? Eu sou! E estava em casa assistindo o jogo. Não sei quem cometeu o ato. E mais: mesmo quem estava lá, exceto alguns poucos, seriam capazes de ver, durante a comemoração de um gol, de onde o artefato partiu. Menos clubismo…

          • Matheus Brito

            Desculpe, vou desenhar para você entender: a torcida do Corinthians a que me referi é aquela que estava estádio juntocom o assassino. Tenho certeza que você entendeu, mas s enão entendeu, procure uma reportagem aqui do lance que diz: “Fiel analisa delatar verdadeiro culpado para conseguir liberar os doze que estão presos”. Nao sei está escrito dessa forma, mas é mais ou menos isso. Na reportagem ainda dizem onde mora o assassino. Então, o que acha disso?

      • DANIKEN

        Epaminondas:

        Conhecemos você de outros sites com comentários infantis e com pouco conhecimento em futebol.
        Mas eu imaginava que fosse apenas por brincadeiras ou mesmo por não ter muito o que fazer. Porém, com uma matéria desta natureza envolvendo mudanças na cultura, perda de vida e responsabilidades, você faz um comentário tão medíocre e infeliz como esse.

        Agora temos a certeza que não vale mais a pena ler nenhum de seus comentários, pois você é realmente – Café com leite -.

        Daniken.

      • Rafael

        Epaminondas,

        Em alguns termos concordo com você.
        Principalmente quando diz ‘temos 50 mil assassinatos todo ano e ninguém faz nada para mudar isso’… Veja que, na boate KISS, ‘mataram’ 239 pessoas, e você não vê um apelo tão grande por ‘JUSTIÇA’, quanto está se vendo neste caso. Em proporções e circunstâncias muito diferentes, o motivo dos dois crimes são exatamente o mesmo: A utilização de um sinalizador incorretamente, em um lugar onde talvez isso nem deveria estar.

        Sou Corintiano e, na minha opinião, deve haver punição SIM! Ao Corinthians e principalmente ao garoto, responsável pelo CRIME! Mas deve-se punir o clube mandante, a segurança local, o policiamento local e, principalmente a COMENBOL, que sempre permitiu que a Libertadores fosse uma guerra em campo e fora dele.

        No mais, chego a sentir NOJO com tamanha hipocrisia que tem se visto por ai, pouco se preocupam com a vida do garoto, mas querem sensacionalismo por ser relacionado ao Corinthians! Você está preocupado com justiça? Com o próximo? Comece ajudando pessoas que precisam na comunidade carente mais próxima a sua casa. De o que comer a quem passa fome. Ai sim, acreditarei que estão realmente preocupados com o próximo e, principalmente com JUSTIÇA.

    • André Louzada

      Marc, alguns fatos depõem contra seu argumento:
      1- Logo após o disparo a bandeira do clube (bandeirão) foi estendida. Achar que isso foi coincidência é demais até para um torcedor e você parece sensato;
      2- Um único atirou, mas quantos foram necessários para sustentar o bandeirão naquele momento?
      3- Na chegada da polícia, ninguém denunciou o responsável, caso ele estivesse ali sem a conivência dos demais simplesmente para prejudicar o Corinthians certamente seu adeptos o teriam impedido de fugir, entregando-o às autoridades locais em seguida.
      Concordo com você que punir a todos pelo feito de alguns (não somente um, sejamos honestos) é injusto, porém no atual estágio de violência nos estádio acho que tal medida se faz necessária.
      Vamos pensar juntos:
      Se o seu clube, independente de qual seja, fosse eliminado de uma competição importante por culpa de uma torcida organizada (vinculada ao clube, sejamos honestos), o que você imagina que ocorreria? Eu penso que tanto os clubes quanto suas torcidas se policiariam para evitar novas punições.
      Obviamente essa linha de ação deveria ser mantida para qualquer ato de violência nos estádios, assim, qualquer ato de violência provocado por torcedores teria reflexos diretos no clube, talvez com o objeto de paixão dos torcedores sofrendo com as irresponsabilidades dos torcedores, estes parariam de ir às praças desportivas com o intuito de machucar pessoas, sob pena de ver seus adorados clubes eliminados e impedidos de disputar títulos.
      Só para ilustrar, imagina o sentimento dos torcedores ao lerem nas manchetes de jornais do país inteiro: “Time X é eliminado por sua torcida”. Talvez não seja a solução definitiva, mas seria um passo gigantesco rumo à solução. Se deixarmos o chamado clubismo de lado fica difícil não defender tal medida, talvez não por nós, mas pelo direito de no futuro nossos netos e bisnetos irem aos estádios de futebol sem que seus pais (nossos filhos e netos) temam por suas vidas.

      • FM

        O bandeirão foi estendido porque naquela hora saiu o gol… Entendeu agora?

      • marc

        André,

        Estender uma bandeira não é crime. Ponto. Independentemente de ter ocorrido no momento do gol ou não, jamais daria para os torcedores que ali estavam saberem exatamente aonde tinha uma câmera filmando os mesmos. Pensar assim soa, para mim, um pouco como teoria da conspiração.

        Repito novamente: A conduta de toda a torcida que ali estava, até o fatídico momento do disparo do sinalizador, estava acima de qualquer repreensão. Não houve brigas. Nada foi atirado no campo ou na torcida adversária. Tanto que o nobre amigo somente condenou que a bandeira foi estendida para esconder o culpado (o que não adiantou, diga-se de passagem). Até aqui, ato único de um elemento da torcida, não de vários.

        Se os outros torcedores “esconderam” o autor do disparo, é ato que deve sim ser punido criminalmente. Trata-se de coluio, de cumplicidade. Se estes assim agiram devem ser punidos. Mas, novamente, esconder ou não entregar alguém que fez este ato, apesar de moralmente recriminável, não constitui nada que seja uma contravenção de qualquer confederação deste esporte, tanto aqui na América Latina como em qualquer outra parte do mundo.

        Destarte, o ato que levou a punição foi, SOMENTE, o disparo do sinalizador. Tal sinalizador somente pode ser disparado por UMA ÚNICA pessoa. Logo, sim, trata-se de um ato que foi praticado por somente um indivíduo. Muito diferente seria se um grupo indeterminado de torcedores estivessem hostilizando a torcida adversário, com inúmeros disparos sendo efetuados por esta mesma multidão, e um destes disparos tivessem acertado um jovem. Neste caso, poderiamos pensar na torcida como coletivo, e não como ato isolado. O que ocorreu não pode ser comparado, por exemplo, ao que esta mesmíssima torcida fez na Libertadores de 2005, apesar de ter tido um resultado incomparavelmente pior (uma jovem vida foi ceifada).

        A atenção aqui é punir com justiça. De nada adianta punir, se os punidos se acharem injustiçados, como fatalmente ocorrerá neste fato. Não foi a torcida que agiu, nem um grupod e torcedores. Foi um único torcedor que disparou o sinalizador, e a punição é somente por causa deste único disparo, nada mais.

        Sou contra as atuais torcidas organizadas, mas punir toda uma torcida, porque UM ÚNICO indivíduo disparou UM ÚNICO sinalizador, que matou uma jovem vida, e demagogia. Isto não é a torcida do Corinthians. Isto é fruto de um irresponsável que deverá pagar duramente pelo que fez. Não estamos falando de algo como Liverpool e Juventus (30 mortos e mais de 600 feridos, com milhares de torcedores envolvidos nas brigas). Estamos falando de um único indivíduo.

        Novamente, sinto que a imensa maioria das pessoas que dão opinião sobre este assunto o fazem com a paixão diante da razão…

        Abraços e parabéns pelo comentário respeitoso, amigo.

        • Paulo Pinheiro

          Você está mesmo falando em “punir com Justiça” ou está falando em “punir na forma da lei”? São coisas diferentes. “Punir com justiça” envolve SIM os acobertadores do(s) criminoso(s). Na forma da lei? Não tenho certeza.
          Seu argumento lembra a história do “eu fui dirigir bêbado, mas não tive intenção de atropelar ninguém”. Veja: VÁRIOS torcedores levaram sinalizadores ao campo. Mesmo que sua intenção fosse sempre de apontar para cima (e não para o lado), quem faz isso está assumindo o risco de algo dar errado (e deu!). A vítima poderia ter sido da própria torcida do Corinthians e a punição deveria ser a mesma: cadeia.
          Até aqui já passamos (em muito) o seu número apresentado de “um” torcedor.
          No mais, a punição de portões fechados não atinge “toda uma torcida”, mas apenas os que iriam ao estádio. Os outros poderão assistir normalmente de sua casa, na TV. O regulamento previa até a exclusão do clube.

          • marc

            Paulo

            Com o maior respeito, discordo. E explico:

            Vc, ardilosamente, evitou o mais importante argumento de minha exposição: Somente uma pessoa cometeu o ato que levou a punição.

            A punição imposta pela Comembol não diz respeito aos sinalizadores encontrados com torcedores (que sim, esta errado e sim, sou favorável a uma punição… Mas ai esta punição (portar e acender sinalizadores em estádio) deveria se extender a TODOS os times que levaram sinalizadores em jogos nesta Libertadores (o que poderia facilmente ser descoberto assistindo VTs dos jogos desta edição da competição). Garanto que não sobrará um único time nesta edição da Libertadores. Neste caso, ou se pune TODOS os times, ou nenhum, senão o Corinthians acaba se tornando um “bode expiatório”), mas sim ao fato de UM único sinalizador ter sido disparado contra um jovem dentro do estádio.

            Vou repetir: O fato de torcedores terem levados sinalizadores não foi o que levou a pena da Comembol, e sim o único artefato disparado contra a torcida neste jogo. UM único artefato disparado por UM único indivíduo. Assim, não passamos, EM NENHUM momento, do número que expus anteriormente. Vc esta criando um fato novo que NÃO foi o motivo da punição, exatamente como o Sr. André fez com relação a “bandeira sendo estendida”.

            Juro que, em nenhum momento, consegui compreender a sua analogia com um motorista bêbado. Em nenhum momento protegi o infeliz que soltou o sinalizador, e acho que os torcedores que foram encontrados com o sinalizadores também devem ser culpados. Mas, se for para punir o Corinthians pela posse de sinalizadores em estádios (que ,repito pela terceira vez, para deixar bastante claro, NÃO foi o motivo da punição dada pela Comembol) que se puna TODOS os outros times que também o fizeram no nesta edição da Libertadores. Assisti a todos os jogos de times brasileiros nesta edição, e não me lembro de nenhum jogo aonde os mesmos não estiveram presentes (no exterior). Justiça ou atinge à TODOS, ou à ninguém. Senão, é pura emoção, puro clubismo.

            Mais: Como assim não atinge toda uma torcida? Se algum torcedor quiser assistir um jogo, ele poderá ir? Não, né? Então atinge sim TODOS os torcedores do Corinthians. Toda uma torcida, conforme foi exposto anteriormente.

            Não vejo a hora de punir uma torcida organizada, mas devemos fazer isto de maneira justa. Um torcedor não representa uma torcida inteira. Nem de longe, amigo.

            Abraços, e agradeço pelo comentário bastante lúcido, apesar de não concordar com o mesmo.

            • Nilton

              Sua opiniões são bem baseadas, a unica falha é que para a Justiça Criminal será julgado apenas a pessoa que atirou a sinalizador e aqueles que a justiça acha como cúmplice, e até aim a tua argumentação esta correta. Porem para dentro do âmbito esportivo o que será considerado é o regulamento da Competição aonde fica claro que o time é responsável pela sua torcida (mesmo que a Conmebol não tenha tomados nenhuma atitude em todos os acontecimentos que ocorreram com torcida nesta libertadores, de ser pelo motivo que no regulamento esta previsto que a Conmebo PODE e não que deve tomar atitude com relação ao comportamento das torcidas).
              O irônico de tudo isto que esta acontecendo com o Timão é por caso do que ocorreu com o São Paulo na final da Sul Americana de 2012, pois até aquele momento não existia um órgão responsável para punir este tipo de eventos, que seria considerado de responsabilidade da policia e não da Conmebol.
              Vale apena cita que na Liga dos Campeões a responsabilidade pelos Estádios é da própria UEFA.

          • Marcio

            Os portões fechados atingem as torcidas financiadas pelo clube, as organizadas, e isso já é bom, pois sempre nas confusões que são os responsáveis são integrantes das mesmas.

        • André Louzada

          Marc, seu argumento é lógico e está de acordo com o que escrevi.
          Como afirmei, também não acho justa a punição, mas a considero necessária se quisermos efetivamente alguma mudança no atual cenário, caso somente o torcedor responsável pelo disparo (no caso o menor apresentado) seja punido, embora considere esta a atitude a mais justa, não teremos qualquer alteração no que hoje ocorre nas praças desportivas, em especial na Libertadores e Sul-americana.
          Abç

      • Pior é que o disparate do clubismo é tão grande, que agora dizem que o responsável (o menor de idade) é um “laranja”.

        Pelo amor de Deus… será que é tão fácil assim convencer alguém a assumir um homicídio?

        O clubismo faz com que as pessoas simplesmente omitam ou distorçam fatos e passem a considerar como verdade as mais escabrosas possibilidades.

        Vamos ter um pouco de bom-senso e neutralidade.

        • Nilton

          Zé, não é tão difícil assim, pois quem convenceu sabe que a justiça brasileira não ira deportar o “laranja”, ele não poderá ser julgado no Brasil, pois o crime/acidente não ocorreu em solo nacional, e terceiro a pena seria minimo por ser menor. O único problema seria que o mesmo não poderá ir a Bolívia (não legalmente). E levando em consideração os benefícios oferecidos a ele talvez vale apena.
          Lembro que a uns anos atras o bandidos (os verdadeiros) começaram a recrutar menores pois se acontecesse alguma coisa o mesmo poderia assumir a responsabilidade das m**da feitas.
          Não tenho certeza que seja o caso.

    • Carlos Miranda

      Marc,
      Não é sómente…é uma vida de um jovem de 14 anos. E o Estatuto da CONMEBOL é bem claro: O Clube é sim responsável por sua torcida, como foi com o Santos, Coritiba, São Paulo e por ai vai. Aliás, como é na Inglaterra, Itália, Espanha…

      • marc

        Concordo plenamente Carlos Miranda…

        A única coisa que disse foi: UM único torcedor, em uma atitude isolada, pode ser considerado como uma torcida inteira de mais de 30 milhões?

        Na minha humilde opinião, não…

        Abraços

        • Leandro Azevedo

          Uma pergunta, se permite, Marc:

          E se a noticia da morte do torcedor boliviano nao tivesse circulado no estadio durante o jogo, sera que teriamos apenas UM torcedor cometendo esse ato? Sera que foi realmente um ato isolado?

        • Matheus

          Marc, depois de todos os argumentos que você colocou, e depois de chegar a conclusão de que só UM torcedor causou tudo isso, qual a sua opinião? alguma punição deveria ser imposta ao clube? à torcida? ou simplesmente se jugue o menor de idade que cometeu o assassinato e pronto, vida que segue, é isso?

          • marc

            Leandro,

            Talvez sim, talvez não… Até onde eu sei, “talvez” não pune nem exime ninguém. Na minha humilde opinião, entrar no campo do “…e se…” significa trilhar um caminho muito, mas muito próximo da teoria da conspiração.

            Acredito que devemos analisar somente o que ocorreu. Somente fatos. Em tempo: Até onde eu sei, nunca, na história do Corinthians, houve um caso de se disparar sinalizadores marítimos contra a torcida adversária, então será que realmente a torcida como um todo iria começar exatamente neste jogo? Fica a pergunta…

            Matheus,

            É uma pergunta bastante relevante, e que acredito não tenha resposta definitiva.

            Podemos considerar uma única atitude de uma única pessoa como “ato” de uma torcida inteira, ao ponto de se punir toda a coletividade desta? Que o causador deste fato deve ser punido, não tenho sombra de dúvidas. Mas um único torcedor pode ser considerado como uma torcida, no coletivo?

            Se sim, acredito que estaremos abrindo um precedente bastante perigoso: Que os atos de uma só pessoa bastam para punir toda uma coletividade. Se algum torcedor de outro time estiver entre torcedores e fizer algo: Punição para o time da torcida que ele estava; Se o torcedor tiver alguma moléstia mental e fizer algo dentro do estádio: novamente punição para toda a torcida; etc, etc… Acho relevante discutirmos o que é torcida, e se somente um único individuo pode ser considerado como uma torcida, no coletivo. Mantenho a opinião pessoal de que não.

            Dito isto, se os fatos forem apurados e ficar comprovado de que houve a participação de outros integrantes neste ato (o que é impossível, pois somente uma pessoa pode disparar tal sinalizador) seria favorável à uma punição à toda a torcida (uma vez que sairíamos do singular e iríamos ao coletivo). Também sou favorável à uma punição pelo fato de torcedores (no plural, demonstrando claramente um coletivo, uma torcida) portarem sinalizadores dentro do estádio, mas, neste caso, clamaria por igual punição à todos os outros times que também tiveram torcedores utilizando os mesmos artefatos, o que certamente não ocorrerá (e provavelmente deve abranger quase todos os times desta edição da competição).

            Resumindo: Acredito que, preliminarmente (como é o caso) a punição deveria se restringir somente à pessoa que causou o fato, pois não me parece lógico considerar apenas uma pessoa como uma torcida inteira. Se tivesse ocorrido outros disparos, oriundo de outras pessoas, mesmo que não atingisse ninguém, iria mais longe e diria que o clube deveria ser excluído preliminarmente da competição. Mas claramente não foi o caso.

            Dito isto, tenho um interesse muito maior em ver QUEM é esta pessoa que esta sendo apresentada aqui, curiosamente pela torcida organizada, e convenientemente menor de idade, como “autor do disparo”. Tenho sérias dúvidas (principalmente com o mesmo admitindo que era proprietário de todos os sinalizadores, que custam mais de R$ 100,00 cada), e acredito que seria muito interessante que o nosso MP tivesse um especial interesse no assunto, afinal de contas, falsa delação também é um ato ilícito, o que, quem sabe, poderia levar a punição à torcida organizada, e não ao time ou à outros torcedores do mesmo.

            • Matheus Brito

              E se fosse uma garrafa atirada no campo no campeonato Brasileiro, o qual tem regras para esse tipo de ato, teria sido feita por uma pessoa, mas a punição seria para o clube. O que acha?

            • Paulo Pinheiro

              Marc,

              Muitas vezes é tudo questão do ponto de vista. Do ponto de vista do torcedor “comum” (aquele que não é das organizadas, ou é mas não pratica atos de selvageria) parece mesmo que desaba uma injustiça sobre sua cabeça.
              Mas esse torcedor comum precisa entender o contexto do espetáculo. Uma partida está inserida em uma competição, que é organizada por uma entidade. A partida, enquanto evento, está ainda sob administração de outra entidade (normalmente a Confederação onde será sediada). Todas essas entidades respondem pelo que pode acontecer durante esses eventos, que lidam com uma quantidade grande de pessoas (o que aumenta o fator de risco).
              Quando acontece algum sinistro o problema ficará sobre os ombros dessas entidades (acredito que as leis bolivianas – assim como as brasileiras – prevêem uma indenização à família do garoto Kevin, que deveria estar seguro lá dentro). O autor do crime será (esperamos) condenado, mas os organizadores do espetáculo respondem solidariamente.
              Acho, portanto, legítimo que essas entidades controlem quem pode e quem não pode entrar e sair nos locais dos eventos. Nesse contexto o torcedor é um “cliente”. Um “consumidor” do espetáculo. Nada mais.
              A medida da CONMEBOL (que pode e deveria ser responsabilizada também pelo que aconteceu) tem caráter preventivo, não punitivo. É uma decisão provisória até que as investigações sejam concluídas. Depois disso, aí sim haverá uma pena.
              Eu acredito (mas não posso afirmar sem ter provas) que a Torcida Organizada como um todo participou do acobertamento do criminoso. A apresentação do menor de idade como culpado só aumenta essa suspeita. A retirada da foto do site do Corinthians (viu o link que postei acima?) também desperta a dúvida se o próprio clube não está se isentando de colaborar com as investigações.
              Em tempo: concordo plenamente com você que todos os clubes cujas torcidas utilizam sinalizadores deveriam ser enquadrados. Essa aí é a velha história de “não vai dar problema nenhum”, até que dá. E aí a culpa fica pro primeiro que causou o problema. O que não nos deve causar pena nenhuma, pois assumiu o risco também.

            • Leandro Azevedo

              Marc,

              E muito difícil o cidadão que disparou o sinalizador estar nessa sozinho – por mais que tenha feito o disparo único, isso nao foi um ato isolado e feito sem ajuda de outros, nesse caso outros torcedores do Corinthians.

              Deixo um trecho do texto escrito pelo Marvio no seu blog no Globoesporte:

              “Não dá para contar com a racionalidade do fã de futebol, porque ele se sente protegido pelo anonimato em meio às multidões. Ele sabe que tem mais chance de esconder quando está misturado a outros que não vão entregá-lo, e isso cria um vácuo de caráter individual e coletivo que diz que contra rivais vale tudo. Ele dribla assim o Código Penal, pelo simples fato de que há suspeitos demais e chances de identificação de menos. Começa o jogo e ele deixa de ser cidadão para ser uma arma.” (http://globoesporte.globo.com/platb/marvio-dos-anjos/2013/02/22/por-que-punir-o-clube-quando-o-problema-e-o-torcedor/)

              Abraco

    • Luys

      Pois é, tenho um filho de 14 anos corintiano, sou corintiano, trabalhador, não sou assassino, e não posso levar ele pra assistir um jogo da Libertadores no Pacaembu. Que culpa tem o meu filho?
      Ah! Sr, André Kfouri, o sr tem que ser mais original em suas palavras, pois ouvi esse discurso glamoroso na ESPN do papai Juca Kfouri…..

      AK: Ok. Então eu devo ser “mais original” apenas para contentá-lo? Veja, seu filho não tem culpa alguma. Você é que tem toda culpa, por cair na conversa de que todos os corintianos são assassinos, demagogia tão ridícula quanto dizer que “30 milhões foram punidos por causa de um só”. E também tem toda culpa por não conseguir compreender o que está acontecendo. Um abraço e obrigado por assistir a ESPN.

  • valter

    Esse Wagner Ribeiro é um fanfarrão. Não deve ter visto Pelé jogar. Imagine hoje Pelé sendo marcado por Lúcio, Toloy… Durval. Pelé lento?, sem dinâmica? Pelé era mais lento que Messi? Em 2009, O Ronaldo Fenômeno. com 180kg fez o que com o André Dias no jogo com o SPaulo? Imagine hoje Garrincha sendo marcado pelo Cortêz, pelo Leo? Será que não jogariam hoje Ademir da Guia, Rivelino, Jairzinho, Tostão, Paulo Cesar Caju, Dirceu Lopez, Reinaldo, Pedro Rocha? Wagner Ribeiro, Todos eles jogariam hoje e seriam as mesmas feras que foram. Neymar se jogasse naquela época, seria a mesma fera que é hoje. Você deveria ter ficado calado. Só pra ficar claro, não sou Santista, sou Corinthiano e no meu time jogariam Neymar, Lucas, Barcos, Ronaldinho Gaúcho…todos feras.

  • Ed dantas

    Boa tarde AK! Bem, acho que não vai dar em nada tudo isso, a Conmenbol é viciada e composta por pessoas viciadas em fazer acordos. Hoje mesmo li que a Gaviões vai apresentar o autor do disparo do sinalizador e, pelo que foi falado, ele é um adolescente de 17 anos. Gente isso é mais uma prova de que as leis do nosso País precisam ser mudadas, os caras vão apresentar um menor, pois sabem que nada vai ser feito contra ele. Acho que a família do garoto que morreu é que vai sentir todo efeito do ocorrido, pois no dia a dia terão que conviver com a ausência, nós aqui vamos falar disso só até a mídia mudar o foco das matérias.

  • Rafael Moia Filho

    Você está certo, mas por que não cobrar punições ao mandante? Por que não interditar o estádio de Oruru? Por que não faze-los jogar sem torcida também? Mais ainda, se vocês da imprensa querem tanto moralizar o esporte, por que não conclamar que todos os times brasileiros saiam da Libertadores? Ou os sinalizadores não continuam sendo utilizados na mesma Libertadores após o incidente em jogos no Peru, Equador, etc? Tirar o Timão da competição não vai resolver nem na Bolívia nem no Brasil o problema da violência que passa pela impunidade, pela falta de educação e repeito dos torcedores nos estádios e da Justiça mambembe das republiquetas da América do Sul.

  • Acho que o Corinthians deveria sair dessa competição, ser unicamente o punido pela atitude isolada de seu torcedor, não teve nenhuma punição aos organizadores do evento, deveria sim ser punido mas não o único. Acho mais, os clubes brasileiros deveriam sair juntos, deixe esse torneio para os que falam castelhano. Quando se mudar essa competição voltariam a disputar. Afinal segundo o presidente do Corinthians nem rentável ela é.

    • Nilton

      Só falta você ou o Presidente do Corinthians falar que a taça da Libertadores de 2012 esta guardada no deposita de vassoura.
      Rentável mesmo deve ser o paulista.

    • Matheus

      Não é rentável? pergunte ao presidente do Corinthians quantos ingressos já foram vendidos para os jogos e a que valor? quanto o clube arrecadou ano passado? você acha que a caixa entraria com 31 milhões não fosse a Libertadores? você acha que o Pato queria vir disputar somente o Paulistinha?

  • Roberto Junior

    Ô, André, é o Di Canio, hein? rsrsrsrs

    Aprontou outra…

    Abraço!

  • spps

    O cara cruza fronteiras com fogos no onibus de torcida organizada, varios integrantes são preso portando os mesmos fogos lançados “acidentalmente” contra torcida adversária e essa organizada não deve ser punida?
    vai corinthians…

  • nao generalizando, e nem colocando culpa em toda a torcida…mas esse grupo que se intitula bando de loucos, maloqueiros graças a Deus, só poderia resultar nisto= morte… os torcedores não tem limites, acham que podem tudo pelo pseudo amor a seu clube de coração…a punição neste caso na Bolivia, tem que ser exemplar…. antes que falem alguma coisa, é bom lembrar que ano passado meu palmeiras perdeu vários mandos de campo, por causa da ignorancia de sua torcida organizada… torcida organizada é um deserviço ao futebol e aos clubes…

  • Anna

    Não ter torcida do Corinthians é uma punição. Não devolve a vida do menino, mas é melhor do que nada. Corinthians nem devia recorrer. Saiu barato. Poderia ter sido excluído da competição. Ver Barcos no Grêmio é de doer o coração de qualquer palmeirense que se preze… Bom domingo a todos, Anna

  • Heitor

    Andre, um bom exemplo e tambem um mal exemplo do seu argumento principal do texto pode ser visto quase todo dia no automobilismo.

    Na F1, após a morte do Senna, a categoria mudou e muito em vários pontos cruciais de segurança. Ja na Formula Indy, ano após ano, vemos mortes e acidentes com varias sequelas sem nenhuma providencia real e concreta da organização.

    Um grande abraço e parabéns pelo texto. Quem teve o trabalho de ler, tirando a camisa do time do coração antes, entendeu sua argumentação.

  • Emerson

    Tenho a impressão que esta decisão da Conmebol, embora aceitável, servirá apenas para demonstrar uma reação imediata aos fatos que obviamente repercutiram demais, e colocaram a entidade que rege o futebol na América do Sul contra a parede. Desconfio que com o passar dos dias e a consequente diluição do impacto causado por uma morte num estádio de futebol, entre a maior parte da imprensa e opinião pública, fará também com que a entidade presidida por Nicolás Leoz, politica como é, torne mais branda a punição ao Corinthians e volte a tratar este tema como trata tantos outros, ou seja, com sua habitual desfaçatez. Enfim, tomara que eu esteja errado…

  • RENATO77

    “Revolução que só pode ser feita pela aplicação de medidas amplas, drásticas, corajosas. O Corinthians, visitante, deveria ser excluído por causa da participação de seu torcedor. O San Jose, mandante, deveria ser excluído pelo ocorrido em seu estádio. A Federação Boliviana, organizadora do jogo, deveria ser punida pelas falhas de segurança. E a Conmebol, organizadora do torneio, deveria ser proibida pela Fifa de realizar competições enquanto não apresentasse um caderno de providências para reformar a Copa Libertadores e a Copa Sul-Americana.”
    Onde assino?

    Referente à Conmebol, eu acho que mereceria uma punição maior e mais abrangente, pois acredito ser ela a instituição que mais agrega “culpa” em todo esse contexto. A organização da CLA é bizarra, anacrônica…até o anti-doping foi instituido com atraso em relação ao futebol brasileiro que não é nenhum exemplo, mas dá de 10 na Conmebol.

    Abraço.

  • Mateus Gonçalves

    Foi lamentável o que aconteceu, mas responsabilizar o clube pelo ocorrido, entendo como injusto. Sou torcedor do Fluminense, fico imaginando , por exemplo, um torcedor tricolor conseguir levar uma arma para um determinado jogo e cometer um crime, ou seja, todos serão punido por conta de um ato insano isolado. As torcidas organizadas são , em grande parte patrocinadas pelos clubes, mas convenhamos que as regras, a vigilância, tudo que se refere à segurança nos estádios são frouxas, haja visto que os tais sinalizadores são permitidos, ou seja, nunca ninguém observou que aquele artefato poderia ser usado como arma. É necessário que se acabe com as torcidas organizadas ou que se tenha controle total de seus membros, que se zele pela segurança nos estádios, proibindo qualquer objeto que possa servir como arma, mas o clube ser punido não adianta, a violência continuará do mesmo jeito.

    • Paulo Pinheiro

      O Flamengo já foi multado porque sua torcida em Florianópolis xingou o Loco Abreu (isso mesmo!) e perdeu mando de campo porque novamente sua torcida fez bobagem em Goiás. Também acho absurdo esse tipo de punição. Como impedir que torcedores que nada tem que ver com a delegação do Flamengo façam esse tipo de bobagem? Revistá-los lá na entrada do Serra Dourada?
      Mas se está no regulamento deve ser cumprido, sob pena de desmoralizar o regulamento.
      Tem outro pensamento aí também. Faça-se a seguinte pergunta: O que o Corinthians já fez para desestimular a violência entre torcidas. Faz campanhas de conscientização? Exclui sócios que estejam envolvidos com atos de violência entre torcidas? Proíbe (na forma da lei) torcedores violentos de entrar em seu estádio (falo do Pacaembu, lógico)?
      Ou, pelo contrário, financia a viagem de membros de uma torcida já reconhecidamente envolvida em confrontos violentos com outras?
      Sim, ÓBVIO que a pergunta vale para todos os clubes.

      • Júnior

        O problema aqui é que se for averiguar, você vai ver que a grande maioria das “pessoas” que são associadas à torcidas organizadas, não são sócios do clube pelo qual torcem. Preferem apoiar financeiramente um grupo organizado ao ajudar o próprio clube.

        O objetivo de quem vai para um jogo e futebol para lançar um sinalizador na torcida adversária é torcer para o seu time?

        O objetivo de quem vai para um jogo de futebol entoar cânticos de guerra, relembrando feitos (mortes) passadas, é torcer para seu time?

        O objetivo de quem se arma e agenda confronto com outros grupos é apoiar seu time?

        O objetivo de quem fica debaixo de uma bandeira gigante, sem poder ver o jogo, bandeira que ostenta o nome de uma facção e muitas vezes omiti o próprio escudo/nome do clube, é apoiar seu time?

        Já passou da hora de banir esse tipo de gente dos estádios de futebol. Já passou da hora de se criar um documento pessoal exclusivo para torcedores que frequentam ou querem frequentar estádios. Assim como existe a carteira de habilitação para motoristas, deve haver um documento para torcedor, onde apenas os números habilitados possam entrar num estádio.

        Comparar torcidas organizadas com torcedores de bem, é um absurdo. Absurdo maior é punir o torcedor de bem por ações das organizadas, que possuem vasto histórico de crimes e vandalismo e não é, e, nem será surpresa para ninguém que algo parecido volte a acontecer por ação dessas facções.

  • valmir

    os jornalistas sérios do brasil tem que ficar atentos a situação econômica desse rapaz que está assumindo o clime, se receber dinheiro pra se entregar estará provado a maracutaia.

    • Paulo Pinheiro

      Valmir, esse truque de “o culpado é o menor” é velho conhecido entre os traficantes. Na hora da batida todo mundo entrega as drogas para o menor.

      Os investigadores na Bolívia acharam provas contundentes contra os que estão lá presos. Não caio nessa do “menor confesso”.

      • Matheus

        Também tenho minhas grandes dúvidas quanto a essa “confissão”.

  • Pelo menos um corintiano “envolivido” foi dose!!!! Todos que levaram sinalizadores marítimos estão envolvidos, aqueles que facilitaram a entrada de torcedores organizados com sinalizadores também estão envolvidos, aqueles que se esforçam para amenizar à punição imposta pela CONMEBOL também estarão moralmente envolvidos. Enfim, se é necessário trabalhar para que outra tragédia não ocorra; a punição que foi branda, deveria ser aceita. Mas será que a parte da imprensa que se esforça pra ajudar o vai aceitar?

  • Ao que me parece, o estadio de Oruru não tinha condições de receber este jogo, conforme o re
    gulamento da conmebol, pois o aeroporto deveria ficar no maximo a 100 km de distancia, o que
    não é o caso e já começamos errados.Existe a proibição da mesma entidade do uso de sinalizado
    res e fogos de artifício.Em todos os jogos da libertadores há incidentes como arremeço de obje
    tos no campo(inclusive na vinheta da libertadores da globo existem os guardas protegendo os
    jogadores, assim como nos jogos) Já que é para punir que façamos a coisa certa, começamos
    do zero.Como pode o SPFC perder apenas um mando de jogo quando os seguranças do clube
    bateram nos jodagores e comissão tecnica do adversario?Já que para moralizar o gremio deveria
    ser punido mais severamente, ou não. Ta tudo errado e continua errado essa punição imposta
    ao SCCP é para ingles ver, nada vai melhorar.

  • Rildo

    Que tal se falassemos do episódio ocorrido na final da Sulamaricana no Morumbi, de qualquer forma, temos que lembrar desse episódio, nenhuma punição, nada aconteceu, antes de dar uma punição, tem que ter um regulamento prévio, com punições descritas em um artigo para que seja punido os responsáveis, e quem são eles ? Eu começaria pelos dirigentes.

    AK: São Paulo e Tigre foram punidos na sexta-feira. Um abraço.

    • Apesar de não ser o tema do post, aqui tem uma opinião que concordo sobre esse caso.

      Aliás, considerando a versão de que o Tigre iniciou a briga no vestiário, para mim:

      … o São Paulo deveria ser proibido de jogar no Morumbi os 4 jogos da primeira fase (contando o jogo da “pré-CLA”, lógico), e mais os 3 primeiros jogos da próxima CSA (além de pagar alguma multa, obviamente, que deve estar prevista no regulamento).

      … o Tigre deveria ser excluído dessa edição da CLA (ele poderia disputar normalmente a CSA-2013 se obtivesse a classificação no Campeonato Argentino), pois não quis voltar a campo, mesmo com a Conmebol decidindo continuar o jogo, e não teria sua “premiação financeira” de vice-campeão entregue (nem seria declarado como tal).

      Abraço!

  • Marcos Vinícius

    Não foi uma fatalidade,o rapaz que atirou o sinalizador contra a torcida adversária quis atingir alguém,talvez ele não tenha imaginado que mataria e nem que tivesse toda essa repercussão.

    Ato irresponsável,sem pensar nos riscos e consequência,mas não uma fatalidade. Fatalidade é uma arquibancada cair,um alambrado ceder,o que houve em Oruro foi um atentado contra a vida de alguém.

    Muito vaga a alusão a “De Volta Para o Futuro”. Reparou que só eu percebi?

    • Acho que muitos perceberam, mas ninguém comentou (eu tinha sido um; comentei agora :-P). Ou você acha que “McFly” tem em todos os lugares (eu só conheço esse!)?

      Abraço!

      • Marcos Vinícius

        Cara,o filme,se não me engano,é do fim dos anos 80. Não duvido nada que tenha que que ligou o nome ao coreógrafo das paquitas (Fly)

        • Hahahahaha… Nem me lembrava desse…

    • Matheus

      Percebi também, mas por outro motivo. Percebi porque sempre presto atenção nesses títulos e sub-títulos que o AK coloca. Sempre há algo desse tipo.

  • Hey André!

    Acho que a exclusão do Corinthians da CLA não seria justa, e esse episódio não se compara ao que foi feito aos clubes ingleses em 1986. Naquele caso, tínhamos hooligans (principalmente ingleses) fazendo baderna pra todo lado, há tempos.

    Uma punição que considero justa é a não-presença da torcida e não-transmissão pela TV em TODOS os jogos até a final. Pois impacta principalmente a torcida (não vou falar o lado financeiro, pois qualquer sanção ocasiona isso, e não só do Corinthians, mas de vários envolvidos, inclusive da Conmebol).

    Além, é claro, de outras esferas que deveriam se mexer, como trata este post do PVC.

    As punições a SPFC e San José são diferentes, têm a ver com mandos de campo (a do SPFC, como foi na CSA, poderia ser dividida entre o torneio “original” e a CLA).

    Sobre a opinião do Pelé, a única coisa que eu digo é que essa é a opinião dele. Mania (feia) do ser humano de querer um ser mais certo que outro, ninguém pode dar opinião, todo mundo tem que gostar do azul, seguir a mesma linha de raciocínio, orar para um mesmo deus, gostar de um mesmo estilo musical etc. Deixem-o falar! E dêem opinião: acho que o Neymar joga muito, acho que ele joga pouco, concordo com o Pelé que ele é muito baladeiro, discordo que ele vai em todas as festas etc. Falar que o Pelé está certo ou errado, ou se a opinião foi válida ou não, só serve pra causar “briguinhas de criança” (“esse é meu”, “não, não é”, “claro que é”, “não é-ééé, lero, lero, lero”)

    Abraço!

  • Alexandre

    Agora só falta quererem punir quem inventou os fogos de artifícios . Os fogos embelezam as festas se usados da forma correta . Acidente seria se um rojão não estourasse no alto por algum motivo e caísse estourando na cabeça de alguém . Foi premetitado o alvo , talvez não seria a intenção de matar . Mas mandou por querer sim . E , quem atirou e quem o bancou levando-o pra lá são culpados .

  • Se todo jogo for assim não tem mais que punir isso serve de exmplo para outros jogos….

  • Ednaldo Barbosa

    O momento de fazer isso já passou, quando houve um ato de selvageria na decisão entre São Paulo e Palmeiras, ali se matou a pauladas dentro do campo e o time de seu pai e seu time não foi punido, e você não postou aqui que seu time tinha de ser banido. O caso que ocorreu na partida do Corinthians pode sim ter sido um ato irresponsável ou até mesmo um ato criminoso de UM torcedor. Que por culpa TAMBÉM do mandante do jogo PERMITIU (e o mandante do jogo não era o Corinthians) que se entra-se com aquele tipo de sinalizador. Veja o caso do Japão lá a torcida do Corinthians também esta presente, mas como as autoridades são rigorosas, nada ocorreu. Basta de hipocrisia! Basta de recalques e de inveja! Não defendo aqui que se mate, que se cometa violência nos estádios, apenas que se tenha isenção.

    AK: Então faça um comentário isento de sandices. Entre outras coisas, você não sabe absolutamente nada a meu respeito. Um abraço.

    • Leandro Azevedo

      O interessante e a tentativa de isentar quem entrou no estadio com sinzalidores, sabendo que isso e proibido, para jogar a culpa em quem deixou entrar. Um erro nao pode e nem deve justificar um outro.

    • Matheus

      Em outras palavras, nada aconteceu no Japão SÓ porque as autoridades de lá são rigorosas? você está apenas corroborando com o que muitos pensam (inclusive eu): Estavam sim, mal intencionados quando levaram artefatos como esse ao estádio. No caso do Japão, não o fizeram por medo? E se lá não houvesse esse rigor, teriam acontecido problemas, é isso mesmo?

  • sergio

    Caro André

    Sua análise sintetiza brilhantemente o sentimento que compartilho, de dor, de tristeza e de expectativa que, finalmente, se tomem medidas que evitem acontecimentos como a morte de Kevin.
    Nada a reparar de tudo que você expôs. Parabéns pela clareza e pela contundência das suas colocações.
    Também não me conformo com o fato que o jogo seguiu, mesmo depois de constatada a morte de Kevin, como se nada tivesse acontecido.
    Infelizmente já vimos esse “procedimento” (“the show must goes on?” ) em outras ocasiões, e mesmo no chamado “primeiro mundo”, como no Grande Prêmio de San Marino de 1994, no qual faleceu Airton Sena.

    Sergii

  • Mauricio Guitzel

    André, tenho que descordar de voce!

    A constituição prevê uma pena mais branda para assassinato culposo do que doloso, certo?

    Já morreram no Brasil cerca de 155 torcedores, literalmente assassinados, a sangue frio e por motivos torpes, em confrontos de torcidas organizadas. E nunca uma pena dessas foi estabelecida.

    Agora deve ser tratado como uma marco, um caso que tudo leva a crer que foi um acidente, uma fatalidade (que poderia ter sido evitada de mil maneiras, é claro, mas este não é o caso), que não resultou de confronto de torcidas, e sim de uma trágica fatalidade, tais como, uma bala perdida, ou um acidente de transito, em que todos nós também estamos sujeito.

    AK: Aí é que está. O que você diz que “não é o caso” é exatamente o caso. Uma morte dentro do estádio, de um torcedor comum, sem confronto. Não estou falando de Constituição. A punição esportiva nada tem a ver com isso. Um abraço.

    • Mauricio Guitzel

      André, uma pena você atacar o único ponto vago do meu comentário ao invés de analisar o ponto de vista.

      AK: Uma pena você achar que o ponto mais importante de todos é vago. Um abraço.

      • Mauricio Guitzel

        O meu ponto de vista consiste em:

        “Como um acidente como o do Kevin, é considerado mais grave do que assassinatos a sangue frio, mortes por espancamento, pauladas e tiros em confrontos de torcidas organizadas”

        AK: É surpreendente que você não veja a diferença. Mortes em confrontos de torcidas organizadas, que acontecem ao redor de estádios de futebol ou, por exemplo, em estações de metrô, são crimes como quaisquer outros. Estão apenas relacionados a jogos de futebol. Um torcedor morrer dentro de um estádio, atingido na cabeça por um foguete, é uma tragédia do esporte, em que há um culpado e vários responsáveis. De novo, é absolutamente assustador que não se perceba isso. Um abraço.

        • Mauricio Guitzel

          Você tem razão André, o meu ponto de visto é realmente muito frio. Não é fácil, mas é preciso deixar de lado toda a tristeza e a comoção que a morte de uma criança nos traz.

          E esse ponto que você tratou é justamente o que está me incomodando nesse caso. Parece que se o menino Kevin tivesse sido espancado ou pisoteado em um briga entre as duas torcidas, trataríamos como um crime como qualquer outro, apenas mais um caso de violência nos estádios. E isso sim me deixa assustado.

          Apesar de ter sido um acidente, o caso não deixa de ser um assassinato, e todos os envolvidos devem ser punido, o menor, a policia que não impediu a entrada do sinalizador, o Corinthians, pra servir de exemplo, e inclusive a Comebol.

          Mas este crime deve ser tratado como culposo, e da mesma forma que lei prevê uma pena mais branda para crimes culposos do que dolosos. A punição esportiva também deve ser proporcionalmente inferior.

          • Matheus

            A punição esportiva foi branda sim, afinal o clube nem foi excluído da competição.

    • Matheus

      Cara, fiquei pasmo. Uma bala perdida precisa ser disparada por alguém e isso sobre qualquer aspecto configura um ato criminoso. Um acidente de trânsito pode ter várias causas, mas não necessariamente criminosas. Quando se dispara um revólver você está sujeito a atingir alguém, tendo intenção ou não, isso é crime. Se o disparo do sinalizador na direção da torcida foi acidental ou não, difícil dizer. Mas não isenta ninguém de culpa.

      Cá entre nós, na mochila do menor haviam outros sinalizadores, esses artefatos custam mais de R$100,00 cada. Como ele conseguiu grana pra isso? Menor de idade, não deve ganhar tanto e ainda precisa pagar pela viagem, ingresso, enfim pense um pouco, foi realmente o único culpado?

  • Luiz Fernando Paes Leme

    No dia 25 de maio de 1985, o Estádio de Heysel, na Bélgica (hoje chamado de Rei Balduíno), foi palco de uma das maiores tragédias do futebol. Durante a final da Liga dos Campeões, entre a Juventus de Turim e o Liverpool, 39 pessoas morreram e centenas se feriram em um confronto entre torcidas
    Os hooligans da Liverpool foram responsabilizados, deste modo o Liverpool levou 6 anos de suspenção da competição, e os 5 anos seguintes, todos os clubes ingleses também foram banidos das competições europeias. Suspenção estas foram apoiadas pela rainha e pelo povo britânico.
    Vejo que esta media também deveria ser imposta ao futebol brasileiro após o episodio da morte do jovem Kevin, pois para mim não foi acidental.
    Acho que somente com atitudes fortes é que as autoridades brasieliras tomarão vergonha na cara e por o dedo na ferida, banindo a torcida organizada e impedindos que vandalos e marginais frequentam estádios de futebol.

    • Celso Andrade

      Igualzinho.. kkkkk

  • Marcelo Costa

    Parabéns pelo texto, André! Assino embaixo mil vezes.

  • Joao

    André,
    Esses cartolas jurássicos (Fifa, Conmenbol, CBF, clubes e até Uefa) não percebem que estão matando (ou diminuindo) o público do futebol que é a própria fonte de renda deles.
    Como exemplo, passei a me apaixonar por jogar golfe nos ultimos 2 anos. Nesse fim de semana comecei a me viciar em assistir o PGA. Sem brigas, sem atitudes antidesportivas… Apenas os jogadores contra o campo e uma multidão torcendo para todos e para que o melhor vença. Sem vaiar ninguém, apenas aplausos.
    Em tempo, o campeonato match play de ontem terminou com o vice campeão “dando” o ultimo buraco ao seu adversario, sem forçá-lo a embocar a bola…
    Terminando o meu raciocínio, nesse ultimo final de semana assisti ao PGA, nao ao futebol… Provavelmente farei esse troca mais vezes a partir de agora.
    Abraço,

  • Celso Andrade

    Demagogia é para os fracos

  • Ado Marcelo

    Eu concordo com a punição se for para transformar esse torneio de várzea internacional em uma competição organizada. Mas com os cartolas envolvidos eu não consigo acreditar nessa mudança e mais uma vez parece só uma medida para dar alguma satisfação à sociedade e lavar as próprias mãos diante do ocorrido. O Corinthians não é nem de longe o único responsável e não consigo entender como pode ser o único punido até o momento.

  • José A. Matelli

    Um gesto bacana — mas apenas isso, um gesto bacana — seria fazer a abertura da Copa 2014 em Itaquera no Estádio Kevin Espada.

  • Emerson

    Lindo será o dia em q policiais baterão em nossa porta e disserem: vc está preso pelo asssassinato do zé da livraria, e vc todo espantado diz: mas q zé, eu não tenho nada com isso, nem conheço esse cara; e os policiais respondem: a gente sabe, mas vc tá sendo preso como exemplo pras pessoas pararem de matar uns aos outros…..

    AK: Seu delírio não tem absolutamente nenhuma relação com o caso. É uma demagogia pessimamente empregada. Um abraço.

    • Que viagem hein!!!

    • Matheus

      Olha, quando receber uma visita dessas será por conta dessas substâncias ilícitas que você deve estar usando pra viajar assim.

  • Fernando

    vc falou bonito só esqueceu de citar o principal, a tv,, a globo e a fox aceitariam a exclusão do CORINTHIANS , o maior gerador de renda em audiência do campeonato????

    o dinheiro que esta em jogo, passa sobre tudo pelos interesses da TV, e tv quer grana , não justiça, okkkk… não tenha medo de dar nome aos bois, se vc for independente.

    AK: Ui. Um abraço.

  • Bruno

    Seria bem justo a exclusao do time da Liberta.
    Voces jornalistas sao os 1os a pedirem rigides da COMEBOL, quando eles mudam de atitude voces ficam pedindo arrego !!!
    Tomara que seja excluido de todas as competicoes internacionais por um periodo de 3 anos e ainda pague multa ..

    Que sirva de exemplo para todos os clubes.

    AK: Vejam como esse aí captou o texto…

    • Matheus

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk mas valeu a intenção.

  • Joao

    André,
    Infelizmente temos outros casos de irresponsabilidades que causaram mortes recentes e continuam com impunidade, cito alguns:
    – Menina de 4 anos morreu em acidente na balança de um playground em hotel 5* de aguas de são pedro. Até agora nada.
    – Menina que morreu por falha em brinquedo no Hopi Hari.
    – Prédio que desabou há um ano no Rio de Janeiro. Somente o pedreiro está preso.

    etc etc etc etc…

    Esperamos que parem com a matança generalizada, temos que começar a acreditar na Justiça, o que infelizmente não ocorre atualmente.

    Abraço,

  • Rubão da Moóca

    São tantas emoções…
    Sou da mesma opinião. Que se cumpra o regulamento no estrito rigor, e doela a quem doela, parafraseando o maior intelectual da caatinga desse país, fernando collor.
    O duro disso tudo, é que o “estrito rigor da lei”pode ser a cassação da liminar em que o Corinthians fora enquadrado; Se caso o “menor” seja reconhecidamente o autor do ilícito doloso ou culposo, não será penalizado como manda a lei, pois trata-se de um indivíduo cuja a idade não é permitida a penalização carcerária, por estar resguardado em uma outra “peculiar” lei, estabelecida à crianças e adolescentes, o famoso, trágico e permissivo ECA, podia ser CACA, mas acharam mais bonitinho ECA.
    E as tidas como organizadas, antes era uniformizadas, que aliás no conceito de entendimento de uma palavra e outra, são abissalmente diferentes. Uma corresponde a uniformidade, ou seja, todos com uniformes iguais para diferenciá-los de outros. Outra corresponde a organização, que em seu conceito consta hierarquia, objetivos, pensamentos, ações e atitudes de um corpo, uma célula, um organismo.
    Continuarão fazendo o que fazem de melhor. Arruaça, baderna, vandalismo, intimidação, opressão, criminalização, e samba que é bom… não é com eles, não. Só serviram até agora para atravessar o nosso carnaval. Vai VaiVai.
    Agora um recadinho pro paulo pellegrino:”Não faça teste de interpretação que venham exigir de você, pois a impressão que eu tive com o seu comentário, que se trata de analfabetismo funcional, veio da inclusão progressiva dos governos de 1994 para cá, cujo o mandante está na cova, ou, de seu dialético amigo fhc

  • Marcio

    Caro André, acho que não entendi muito bem seu texto ou em respeito ao seu pai não quis entender. Então usando seu raciocínio, se um assaltante entrar na casa de alguém e cometer um assassinato durante o roubo, para puni-lo antes teríamos que punir o governo que é o responsável pela segurança, a polícia que tinha que nos dar proteção e até a vítima que não tomou todas as medidas possíveis para se defender. Lógico todos os culpados dever ser responsabilizados mas os responsáveis diretos devem sim ser os primeiros. Não estou dizendo que o time é o culpado, que ele é responsável pelos atos de seus torcedores, contudo, equipes não perdem mando de campo por um torcedor atirar uma garrafa de água no gramado?

    AK: Você faz uma comparação que não cabe. Trata de crimes comuns e de uma morte dentro de um estádio de futebol com o mesmo olhar. Melhor seria lembrar que se uma pessoa morre asfixiada dentro de uma boate, como aconteceu recentemente, os donos da boate têm responsabilidade. Não é exatamente a mesma coisa, mas uma analogia mais próxima. Clubes têm responsabilidade pelos atos de seus torcedores em estádios. O dono do estádio também tem. Os organizadores do jogo, também. Não significa que eles são culpados pela morte. Culpado é quem disparou o sinalizador. Um abraço.

  • É a maldição do rojão vimos o caso da boate kiss e agora novamente o vilão “rojão/sinalizador etc..” Penso que o fato de se está portanto algo proibido é tão crime como o fato de utilizá-lo, não sou corinthiano, mas existem dua situações: uma morte, que precisa ser apurada e uma gravíssima omissão de um confederação de regula o futebol sul-americano, não é proibido??? então que punir toda equipe cuja torcida utilizou os sinalizadores na primeira rodada, pelo menos um jogo sem presença de torcida…ha jogos que ninguém consegue ver nada devido a fumaça causada pelo sinalizadore…

  • Marioh

    André,

    Concordo plenamente do que você comenta. Principalmente quando fala que a Comebol “é a principal responsável pelo que se vê em jogos no continente, há muitos e muitos anos”. O Técnico Leão foi linchado na Argentida e quase morreu com várias fraturas no rosto. Vários árbitros não conseguiram sair do estádio, jogadores não conseguirem cobrar escanteios, goleiros do time visitante sendo apedrejado etc, Na última Final Sul Americana com invasão dos vestiários dos seguranças do time local, brigas com sangues marcadas nas paredes, clube não retornando ao 2° tempo e qual foi a punição? Punição pífia :Mudança do próximo jogo do SPFC do Morumbi para o Pacaembu.
    Já pensou quando o Corinthians tiver sua Arena terminada e tiver uma punição como esta de mudar do Itaquera para o Pacaembu? É o mesmo que jogar o peixe dentro d’água..

  • claudio oliveira

    vem ca andré, imagina tu presidente de uma instituição. um elemento com uniforme de sua instituição comete um crime e a única coisa que se sabe é que ele estava junto com pessoas da sua instituição. sua instituição é punida por isso com risco de sérios prejuízos e processos. você deixaria sua instituição ser penalizada correndo risco de até fechar só pra ser exemplo? é muito fácil arrotar palavras e vomitar razão. mas pra mim tu esta sendo babaca em querer punir 30 milhões mais uma instituição por causa de um animal selvagem. e pior, incita mais ainda a violência estereotipando esses 30 milhões.

    AK: E tu está sendo ignorante, por opinar com falta de respeito sobre um tema que tu claramente desconhece, e ainda repetir a demagogia da “punição a 30 milhões”. Tu não entendeu o que aconteceu e nem o que tu leu. Um abraço pra tu.

    • Junior

      “um abraço pra tu e pro tatu”

      • Matheus

        kkkkkk parei

  • Realmente :
    A CBF deveria ser punida por agir com descaso , por não realizar eleições , as federações estaduais deveriam ser punidas para servir como exemplo , os clubes deveriam ser punidos por permitirem torcedores arredios , a mídia deveria ser punida por usar uma morte como fonte de renda e visibilidade , a polícia deveria ser punida por não estar presente , o futebol mundial deveria ser punido e proibido de ser entendido como esporte , o povo brasileiro deveria ser punido por ser o assassino um brasileiro ,hoje o padrasto matou uma menina de 8 anos no Rio de Janeiro , todos somos assassinos porque nossas leis protegem os malfeitores e benefiam-os , porém prejudica os bons , sendo assim teria uma solução …
    MANDAR TODOS OS BRASILEIROS PARA SEREM EXECUTADOS NA CHINA !

  • Jefferson fernando

    Eu acredito na justiça boliviana.

  • Rita

    “Vamos celebrar
    A estupidez humana…

    Vamos celebrar
    A estupidez do povo
    Nossa polícia e televisão
    Vamos celebrar nosso governo
    E nosso estado que não é nação…

    Celebrar a juventude sem escolas
    As crianças mortas
    Celebrar nossa desunião…”

    E por aí vai…

  • Matheus

    Se a Gaviões não quisesse ser responsabilizada que então não permitisse que um de seus membros portasse um artefato proibido. Por que eles não criam regras para seus membros? um manual de conduta de acordo com as leis? Interessante é dizer que 30 milhões estão sendo punidos. Estão sendo punidos aqueles que iriam ao estádio e o clube. Os que assistiam pela tv não foram punidos, poderão continuar assistindo sem problemas. Terão até mais companhia nessa empreitada.

  • Fernando Alves

    Poxa André, que maravilha de blog. Discussões em alto nível. Claro, tem sempre uns manés que não sabem nem escrever, quanto mais articular ideias. Mas o seu blog promoveu uma bela troca de idéias. Parabens, sucesso sempre. Abraço do Baixo.

  • Dirceu Barros

    Excluir o Clube por causa da falta de revistas adequadas no estádio-chiqueiro? E pensar que voc~e ganha para escrever. Pfff

    AK: E bem. Informe-se um pouquinho. Um abraço.

  • CAPIXABA

    Rapaz eu to começando a gostar dessa punição da conmenbol.
    Sério mesmo, eu vi o jogo pela tv hoje contra o millonarios, e cheguei a seguinte conclusão:
    O Timão jogou bem melhor com o estádio vazio. Jogou muito.
    Eu tenho certeza de que se for mantida a decisão da conmenbol nos seremos bi-campeões.
    Viva a conmenbol, essa é parceira, até que enfim ta ajudando o Timão.
    Pode entragar a taça pro Alessandro levantar.

  • wal151

    Estranho!!!!

    Acredito que uma parcela gigantesca do povo brasileiro sabe o nome do garoto que faleceu na Bolívia.( inclusive o blogueiro)
    Alguém poderia citar um dos 240…. jovens mortos na sul do Brasil? em um evento apenas!!!!
    Será que por ser o “dito” país do futebol deixamos os nossos “entes” em plano inferior.
    Lamentável!

    AK: Quantos graus em cada lente? Um abraço.

  • Pingback: TRAGÉDIA NA BOLÍVIA: Punir o Corinthians é pouco — as punições deveriam chegar até à proibição, pela FIFA, de a Comenbol realizar competições enquanto não reformasse totalmente a Libertadores e a Copa Sul-Americana | Ricardo Setti - VEJA()

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo