COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

DIVISOR

José Mourinho é o mestre dos treinadores que consideram a “estratégia de comunicação” um dos aspectos mais importantes do trabalho de comandar uma equipe. O português, técnico mais bem pago do futebol mundial, entende o relacionamento com os veículos de imprensa como algo quase tão valioso quanto sua relação com seus próprios jogadores. Tudo está interligado. A mensagem que se pretende passar, a forma como será compreendida, o resultado dessa compreensão.

Mourinho julga possível começar a vencer jogos a partir de seu desempenho na sala de entrevistas. Controla seu grupo por intermédio de declarações que terão ressonância no vestiário. Posiciona-se conforme o que lhe interessa. O jogo de perguntas e respostas é um meio para alcançar objetivos.

Há meses, o treinador do Real Madrid tenta camuflar a incômoda verdade que explodiu anteontem, com a imagem que o torcedor merengue tem de olhar duas ou três vezes para crer: Iker Casillas no banco de reservas, por decisão técnica. Um símbolo do madridismo relegado à suplência é o sinal inequívoco do conflito interno que Mourinho criou e, muito provavelmente, será incapaz de solucionar.

Após a derrota para o Málaga, que deixou o Madrid a gigantescos dezesseis pontos do Barcelona na classificação do Campeonato Espanhol, Mourinho declarou que “Adán (o goleiro reserva) está melhor do que Casillas”. Não se discute o direito de um técnico de fazer escolhas em seu próprio time, mas Mourinho evidentemente sabe que substituir Casillas é muito mais do que uma opção. O goleiro bicampeão europeu e campeão mundial com a Espanha é um pilar do clube mais vencedor do futebol europeu.

Casillas é também um dos jogadores que não recebem as mensagens de Mourinho como se viessem de uma divindade. Esse é um dos aspectos fascinantes da fase espanhola da carreira do treinador. No Porto, no Chelsea e na Internazionale, especialmente nos dois últimos, Mourinho era visto quase como um líder espiritual. Jogadores o obedeciam sem questionamentos, crentes que seriam conduzidos à glória eterna. No Bernabéu, encontrou futebolistas laureados que não suspiram quando ele passa.

Outro motivo do fracasso da gestão da equipe – curiosamente, uma das habilidades de Mourinho – é a proteção que o técnico reserva a jogadores portugueses, muitos deles representados por Jorge Mendes, seu agente. Desde a época dos galácticos, o vestiário do Real Madrid se dividiu entre espanhóis e estrangeiros. Hoje, o que se vê é um embate entre Portugal e o resto do mundo. Casillas é o general da força internacional.

Mourinho também não conseguiu controlar jornalistas, como fez na Inglaterra e, principalmente, na Itália. Seus cortejadores midiáticos em Madri não foram capazes de abafar o trabalho de quem cobre o clube com isenção. O repórter Diego Torres, do jornal El País, há muito tempo revelou os problemas internos no time, com notável riqueza de detalhes.

A “estratégia de comunicação” de Mourinho atingiu níveis de desespero no sábado. Talvez ele pense que a humilhação imposta a Casillas será o assunto predominante nas próximas semanas. E não a humilhação imposta pelo Barcelona.

DESCONTROLE

Mourinho ameaçou um repórter da Rádio Marca, há dez dias, no centro de treinamento de Valdebebas. Após a entrevista coletiva na véspera do jogo contra o Espanyol, o jornalista Antón Meana foi chamado a uma pequena sala. Ao entrar, encontrou Mourinho acompanhado de cinco funcionários do Real Madrid. Meana havia feito uma pergunta na entrevista, sobre a desconfiança dos jogadores de que o preparador de goleiros do time era um “espião” do treinador no vestiário. Mourinho ofendeu o repórter e exigiu, sem sucesso, que revelasse sua fonte. Durante a conversa, o técnico disse que havia “três ovelhas negras” no elenco do Real Madrid, que prejudicavam o ambiente. Meana publicou os detalhes do episódio num artigo no diário Marca, praticamente um porta-voz do clube. Ontem, na capa, o jornal chamou de ridícula a substituição de Casillas.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo