COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

2012

Na noite de 23 de maio de 2012, aos 18 minutos do segundo tempo no Pacaembu, os dedos da mão esquerda de Cássio impediram o que fatalmente seria mais um momento devastador para o Corinthians na Copa Libertadores.

Ao resvalar na bola chutada pelo vascaíno Diego Souza, e desviar seu rumo por gigantescos centímetros, o goleiro preservou o 0 x 0 e manteve seu time no jogo. Quase 25 minutos depois, Paulinho, de cabeça, fez o gol que impulsionou o Corinthians para o título continental.

Na manhã de 16 de dezembro de 2012, aos 39 minutos do primeiro tempo, os dedos de Cássio – agora da mão direita – voltaram a decidir. O chute do nigeriano Victor Moses não foi rasteiro como o de Diego Souza, mas foi igualmente desviado para escanteio. No segundo tempo, Paolo Guerrero, de cabeça, fez o gol que deu ao Corinthians o título mundial.

Defesa de Cássio com as pontas dos dedos, gol de Paulo (ok, Paolo) de cabeça. Combinação que o corintiano, campeão sulamericano e bicampeão mundial, conhece bem.

O Corinthians e seus milhões de torcedores – no Brasil, no Japão, no planeta Terra e no resto da Via Láctea – jamais esquecerão do ano de 2012. Doze é o número da camisa da torcida que lota estádios para ver seu time. Em São Paulo, em Toyota, em Yokohama. É o número do dia, do mês e do ano da estreia do time no Mundial de Clubes da Fifa. É o número de anos que separam os dois títulos mundiais do Corinthians. É o número da camisa de Cássio.

A maior honra do futebol de clubes foi conquistada no aniversário de 22 anos do primeiro título brasileiro do alvinegro, em 16 de dezembro de 1990, no Morumbi. Naquela tarde, como na manhã de ontem, o adversário também era superior em termos técnicos e individuais. Também foi inferior em todos os aspectos pelos quais se pode analisar um jogo de futebol. Também perdeu por 1 x 0, com um gol no segundo tempo.

Naquela época, o Corinthians não tinha organização, estrutura, patrimônio. Tinha apenas uma camisa que entorta varais e uma relação umbilical impressionante com a arquibancada. Forças que o carregaram por décadas, que o tornaram temido, que agora se juntam a uma gestão que permite sonhar com o impossível. Teu passado é uma bandeira; teu presente, uma lição.

A maneira como este Corinthians comandado por Tite vence e conquista reflete o crescimento do clube. É um time, no sentido literal da palavra. Atua coletivamente nas duas dimensões do jogo, utiliza as virtudes individuais para desequilibrar encontros. É quente, sério, forte, inteligente, orgulhoso.

O ano de 2012 foi mesmo o ano da libertação. Não há melhor termo. O Corinthians descobriu que querer é poder, que é dono de suas vontades e de seu tamanho, que determina seus limites. Como sempre, o caminho foi mostrado por quem lhe tem no coração, ao cruzar o planeta e se fazer ver, ouvir e sentir no Japão.

O ano de 2012 não vai terminar. Mas se as profecias apocalípticas estiverem corretas e o mundo acabar em breve, os corintianos não reclamarão. A ordem das coisas no futebol ficará como deve, com o Corinthians no topo.

INVASÃO, SIM

Constrangedoras as tentativas de diminuir a dimensão e o significado da presença da torcida do Corinthians nesta edição do Mundial de Clubes. Depoimentos de quem esteve nas anteriores, no formato atual ou na época da Copa Intercontinental (igualmente importante, lógico), atestam a inédita magnitude do deslocamento que seu observou em Toyota e Yokohama. A questão é que tais depoimentos nem seriam necessários, uma vez que as imagens e os sons são tão claros. Comparações entre públicos totais em estádios não refletem o que é mais importante e não respondem as perguntas principais: quando foi que se viu, nesse tipo de jogo, um estádio tomado por torcedores de um time brasileiro, antes da semana que passou? Em que outro momento se viu e ouviu um estádio japonês como se ele fosse brasileiro? Opiniões não deveriam tentar desmentir fatos.



  • André, como blogófilo compulsivo, devo dizer que este é o melhor texto sobre o Corinthians 2012 escrito até agora. “Teu passado é uma bandeira, teu presente, uma Lição”, que pinçada genial. Parabéns pelo blog e continue nesse caminho diferente, que sai do óbvio, que tanto prazer dá ao leitor.

  • Fernando Romão

    André, bom dia! Gostaria de parabenizar-lhe pelo texto sobre o Corinthians na ESPN, realmente foi profundo e me fez chorar. Em relação ao desmerecimento sobre a invasão, gostaria de saber sua opinião sobre as palavras de seu colega de ESPN, Mauro César, que de um cara sempre centrado, desmereceu a grandeza da invasão no Japão (no bate bola e no linha de passe), provavelmente por inveja que o Corinthians esteja engolindo o Flamengo.
    forte abraço e Feliz Natal para a família Kfouri!

    AK: O que eu penso sobre o assunto está na nota que publiquei na coluna. Obrigado. Um abraço.

    • Luiz Ribeiro

      No meu ponto de vista o Mauro não desmereceu nem desqualificou a “invasão” no Japão. Entendo que apenas esclareceu que não se tratavam todos de torcedores que saíram do Brasil. Até exaltou (como eu também exalto aqui) a capacidade do Corinthians de mobilizar seus torcedores em qualquer parte do mundo. Pelos registros da Polícia Federal, os vistos de brasileiros que foram ao Japão giraram entre 8 e 9 mil (o que já é fantástico). A estes se juntaram os corintianos que moram no Japão e os que vieram de outras partes do mundo. Não sou corintiano, mas achei emocionante a presença alvinegra no estádio. Mesmo no Brasil, são raros os jogos em que os times grandes levam mais de 30 mil torcedores a um jogo.

      • rubens

        Creio q nas já constrangedoras tentativas do mauro cesar de desmerecer o Corinthians sempre q tem oportunidade, a maior pisada na bola foi querer diminuir o feito da Fiel no Japão: ela se fez presente como torcida, se fez ver, ouvir e sentir! nunca tinha acontecido nada parecido nas edições anteriores, causou espanto na imprensa do mundo todo, a presença da Fiel quando só ela se mostrou capaz e acompanhou o Corinthians, transformou os estádios japoneses em Pacaembú tornando a conquista do gramado épica! Só mesmo alguem muito mesquinho, muito pequeno e invejoso pode ignorar o mais importante: a Fiel foi a primeira torcida que invadiu o Japão, o Corinthians jogou em casa, foi a primeira vez que o estádio cantou musicas da torcida, foi empolgante e emocionate. Acorda pra vida mauro cesar e para de falar bobagens sobre o Corinthians, deixa de ser mediocre!

        • Luiz Ribeiro

          Tudo isso que você escreveu é correto. Mas me diga então em que momento, ou que frases o Mauro usou que são contrárias às que você escreveu?

      • Edson

        Luiz Ribeiro, esses números de 8, 9 mil são do consulado japonês em São Paulo, o problema não é o Mauro Cezar e sim a UOL/Folha e suas tricolétes sem caráter. divulgaram os números de vários consulados mas omitiram o segundo principal para tudo que envolveu este mundial, o consulado de Curitiba, estranho?!?! foi onde eu retirei meu visto, juntamente com outros Corinthianos que lá encontrei com a mesma finalidade. Isso sem citar que nos aeroportos tive conversas com Corinthianos, vários deles com passaporte europeu, sem necessidade de visto para entrada no Japão. Quando as tricolétes da UOL/Folha falam de público, por exemplo do jogo do santos em Toyota, não destacam que o Jogo foi contra um dos times mais populares do Japão.
        A verdade é que eu estive lá e fiz parte da INVASÃO, a outra é que as tricolétes da UOL/Folha não têm caráter.

  • Edouard

    Uau…
    Um abraço.

  • Anna

    Adorei! Pena que meu time esteja se desmantelando, mas saber que o jogo com o Vasco foi decisivo para os títulos corintianos, é um doce alento. Tudo que o Corinthians conquistou é mais que merecido! Grande abraço, Anna

    • Rodrigo

      A sorte daquele elenco do Vasco, pelo que vinha fazendo desde 2011, deveria ser outra. Bom os dirigentes vascaínos olharem para o quintal do Flamengo e mudar o quanto antes.

      • Coeteris Paribus(No mais, mantidas inalteras todas as outras coisas)

        Não adianta mais, a colina está desmoronando.

        • rubens

          o Felipe disse q nos jogos contra o Corinthians na Libertas os salários estavam atrasados e mesmo assim foram grandes disputas.

  • Willian Ifanger

    André….não sei se me expressei mal no Twitter, mas não quis desmerecer seus posts seguidos sobre o Corinthians e sua conquistas, como se estivesse sendo cansativo no assunto. Muito pelo contrário.

    Apenas quis dizer que, como rival, é duro vir aqui, ler e ter que concordar com tudo. Você é um dos poucos jornalistas que consegue escrever sobre qualquer time sem ofender os rivais.

    Quando ao post em si, todas essas conquistas dos últimos anos, faz bem pros rivais (São Paulo e Palmeiras, principalmente) começarem a se mexer – deveria fazer. Até porque boa parte dos motivos de gozações frequentes acabaram.

    Ou se reinventam como clube e organização, ou vão estar sempre em segundo plano. Por mais que eu ache que tudo no futebol é cíclico, há chances de termos uma certa hegemonia pela frente. Hoje há dinheiro o suficiente pra vender e contratar no mesmo nível…ou até manter os bons jogadores.

    A Libertadores desse ano pode dar um bom parâmetro desse cenário…pena mesmo que o calendário não ajude e o Brasileirão nunca se aproveite desse momento efervescente do futebol.

    AK: Entendi perfeitamente o que você quis dizer. Um abraço.

    • Juliano

      Grande Mauro Cezar! No fim, a questão é que torcida do Corinthians é imensa mesmo. Eu mesmo conheço mais corinthianos do que flamenguistas, talvez por morar no sul, dizem que no nordeste é diferente.

      Admitindo o grande feito da torcida corinthiana, o que irrita mesmo é o oba-oba da mídia brasileira, sem exceção, da tv aberta à tv paga, para o feito corinthiano. Outros clubes brasileiros já tinham chegado lá, e bem antes. E não fizeram este oba-oba. O Corinthians com seu potencial financeiro já deveria ter chegado lá antes de muitos clubes que tem torcida apenas regional (casos da dupla Gre-Nal, do Cruzeiro…). Um clube como o Corinthians tinha a obrigação de fazê-lo. E continuo achando uma vergonha ter demorado tanto. Não é nada inédito. E enfrentou um time que, convenhamos, não era um bicho papão (o Corinthians nada tem com isso, claro, mas o Chelsea eliminado da UEFA’13, aos trancos no camp. inglês, com trocas no comando, não era uma força, e nem preciso citar o já lendário Barça’12).

      Ainda, irrita o movimento de “corinthianização” também das mídias. É muito oba-oba em torno do time, seja em momentos de crise, seja em momentos de glória. Como o paralelo que fiz outra vez: se tocasse MPB, ou Rock, ou o que quer que fosse nas rádio ao invés de “sertanejo universitário”, este não teria a mesma dimensão que tem hoje. O povo, a grande massa, engole o que lhe é imposto. Com tanto Corinthians na tv, amanhã vou ter um filho e ele vai dizer: pai, vou torcer pro Corinthians. Não acho certo.

      No fim das contas, tudo se resume a dinheiro e maketing. Uma administração minimamente competente rende títulos importantes.

      Parabéns ao Corinthians e grande torcida.

      E AK, excelentes os textos, e o vídeo também com seu texto na ESPN. Tocante. Escreveste com o coração. Mesmo não sendo Corinthiano, admirei as suas palavras a respeito. Tens o dom da palavra. E do jornalismo, claro.

      Abraços!

      PS: todo o povo que recebeu o time hoje, está sem emprego ou FALTOU ao emprego? Não vejo isso com bons olhos, não mesmo!

      • Julio

        Você sempre tem a opção de mudar de canal quando falam do Corinthians. E quanto à dimensão que tudo que é relacionado ao Corinthians toma, existe um motivo pra isso e você mesmo reconheceu no primeiro parágrafo.

        Abraço.

      • José Luiz

        Eu fui. E não faltei nem estou desempregado. Entro as 15 horas no emprego. Dois amigos também foram. Um é dono de empresa e outro está de férias. Não julgue sem saber. Não critique o outro sem olhar pra você mesmo. E pra entender o corintianismo, só um corinthiano. corinthiano não é torcedor, é corinthiano. Não pretende que alguém que é tão-somente um torcedor compreenda o que está acontecendo. Como não entenderam em 1976, não entenderam em 1977, não entenderam em 2000 e não estão entendendo em 2012. E, se tiver um filho e ele disser “papai, vou ser corinthiano”, erga suas mãos para os céus e agradeça, e muito. Ele será Corinthiano, Brasileiro e Vencedor, graças a Deus!

        • Juliano

          Então todas as pessoas que lá estavam trabalham em horário alternativo e estão devidamente empregadas. Que ótimo cara! Fico feliz mesmo!

          Esse papo de “corinthiano é corinthiano” é uma chatice. Voces sempre se achando diferentes, no sentido de “melhor” do que os demais torcedores dos outros times. O cara que é fanático pela Lusa é tão torcedor quanto o sr. corinthiano, assim como o torcedor do Criciúma, do Juventude, do América-MG ou de algum clube “maior”. Entenda, e respeite, a torcida de cada um pelo seu time. O que torna sua torcida “especial” é o número de torcedores, e realmente quanto a isso não há o que dizer. Se a torcida é maior, há mais fanáticos. Assim como há mais tudo…
          Ainda, outra coisa que possa lhes tornar “especial” era nunca ter ganhado uma Libertadores. Realmente, a demora que levou para a conquista fez ter todo este gosto “especial”. Mas se esquece que outros grandes já estiveram lá antes.

          Ainda, nem todo brasileiro é corinthiano, nem todo vencedor precisa ser corinthiano (mas, não MESMO!). Então segura segura sua onda, esse seu tom de “ser corinthiano é sinonimo de superioridade”. Que bobagem. Esclarecendo para que talvez voce entenda: o ideal é que cada um escolha pra quem vá torcer de forma independente, através de um sentimento de identidade com aquilo. Não se deve escolher, ou gostar de uma coisa, pela repetição (e aqui toco novamente no ponto do ‘oba-oba’, de toda hora ser assunto e notícia, toda hora na tv. O povo engole). Se ainda não entendeu, releia o paralelo que fiz com as músicas e as rádios. Se não entender dessa vez, desisto.

          • José Luiz

            Não, Juliano. Você é quem não entende. E não espero que entenda. Conrinthiano não é superior. É corinthiano.

            • Juliano

              Partindo do seu princípio: “Homem é homem, menino é menino, macaco é macaco, político é político e baitola é baitola.”

              Eu entendo. E voce insiste.

              • Alexandre

                Juliano,
                Seu texto foi claríssimo, mas o problema é freudiano.
                Só quem tem complexo de inferioridade é que precisa ficar declamando a todo momento o quanto é “especial”.

          • Junior

            Está muito claro seu ponto de vista. O que acontece é que essa “patrulhada” – ditando como alguém deve se sentir sobre seu clube de futebol favorito, quais comemorações participar e quando comparecer, a maneira que alguém vai torcer ou deixar de torcer (inclusive de forma coletiva), escolher ou deixar de escolher seu time, música ou seja lá o que for de cunho pessoal – simplesmente não funciona.

          • Denis

            Nossa um gaucho falando sobre se achar diferente…. o tamanho da exposição é proporcional ao retorno e a audiência que o corinthians tras.
            Sobre o “oba-oba”, acredito que com todos em menor ou maior proporção aconteceu. Logicamente quando um time como Inter conseguiu tal feito nao teve tamanha exposição nos canais em rede nacional devido ao pequeno numero de torcedores fora do estado do RS..

  • Massara

    O Corinthians mereceu ser campeão do Mundial. Preparou-se para isso. Traçou e seguiu um planejamento que deu certo. O Chelsea, por outro lado, parece ter interrompido a temporada da Premier League para disputar o torneio no Japão. O Corinthians não tem nada com isso. Entrou em campo para ganhar, jogou com inteligência e venceu merecidamente.

    Mas duas coisas devem ser ressaltadas. Primeira: a tacada certeira do Tite ao sacar o Douglas para colocar o Jorge Henrique. O belga Hazard não viu a bola pelo lado esquerdo. O fraco Moses pouco produziu pelo lado direito (somente quando inverteu a posição conseguiu uma finalização para a excepcional defesa do Cássio). E o Benítez demorou a colocar o Oscar para tentar a jogada pelo meio. Jogada essa quase impotente contra o paredão que o Corinthians arma quando está vencendo. Pra mim o Tite “ganhou o jogo” com a mudança que fez.

    Segunda: o Chelsea finalizou com mais perigo (não sei se finalizou mais, mas com certeza com mais perigo). Nisso, e somente nisso, foi melhor que o Corinthians. O Corinthians poderia ter sido mais agressivo na frente. Mas o Emerson estava mal (assim como na semifinal). Deixou de dar duas assistências. Uma ao Guerreiro (preferiu tentar driblar o bom David Luiz), outra ao Danilo (preferiu uma finalização sem ângulo, no pé da trave). O Sheik também isolou uma bola quando esteve frente a frente com o Petr Cech. Mas se entregou bastante na recomposição e foi importante nesse papel.

    Parabéns aos corintianos. E como devem estar sofrendo os palmeirenses.

    • Daniel

      Não podemos esquecer que das grandes chances do Chelsea, 2 surgiram de bolas rebatidas. O Chute do Cahill no 1o. tempo ocorreu depois de uma cobrança de escanteio em que a bola bateu no joelho do Chicão e a bola do Torres no segundo tempo ocorreu depois de um desvio de cabeça na cobrança de lateral em que a bola pega na canela do Alessandro e volta para o meio da área. Ou seja, o Chelsea não “criou” as jogadas, apenas teve a mesma sorte que o Cássio teve nas defesas.

      • Massara

        Como eu disse, o Chelsea só foi melhor que o Corinthians no perigo que as suas finalizações (criadas ou não) levaram à meta do Cássio. De resto, os brasileiros dominaram.

      • RENATO77

        Muito bem observado Daniel.
        Foram lances em que a defesa do SCCP marcou bobeira, rebateu mal. Para a SORTE do Chicão, no primeiro lance e do Alessandro, no segundo lance.
        Por outro lado, achei que a defesa do Chelsea se portou MELHOR do que a do Corinthians, no proprio lance do gol do Guerrero, haviam 5 defensores dentro da área. Durante toda a partida bloquearam vários chutes do Corinthians que tinham endereço certo.
        O jogo foi bastante equilibrado com maior chance de vitoria inglesa devido à, principalmente, esses dois lances de rebatida da defesa corinthiana. Fora isso, eles também finalizaram melhor. Já o corinthians finalizou mal, o goleiro deles pouco trabalhou.
        O que pesa a favor do Corinthians foi a posse de bola(gostaria de saber o %) que me pareceu maior e um bom numero de finalizações, mesmo que fora do alvo.
        Abraço.

        • José Luiz

          Mas boa parte do jogo deram chutões, mostrando a pressão que o Corinthians estava exercendo.

  • Sergio

    Muito bom… aproveita e avisa o Mauro Cezar para parar de ser bairrista, ele já foi a um estádio de futebol ? Hoje ouvi ele falar que torcidas adversárias ajudaram o Corinthians, não fala besteira, onde já se viu 5,10 mil torcedores de outro time ir assistir jogos de outros times… Eu mesmo fui no Maracanã, tinha mais de 20 mil CORINTHIANOS, a maioria saiu de São Paulo. Em 1976, meu tio foi para o Rio, e eram CORINTHIANOS, não existe nenhuma torcida que vá em peso assistir um jogo de terceiros. Daqui a pouco vai dizer, que dos quase 30 mil no Japão, metade era do Manchester. Ele infelizmente destoa dos jornalistas da ESPN. Lamento.

    • Alexandre

      O Mauro Cezar, bairrista? Só porque ele não diz o que você quer ouvir?

      • Olha eu ouvi o Mauro Cezar na linha de passa ele disse que tinha 12 anos na epoca, sera que ele com esta idade ja conhecia a torcida do corinthians, ok ele disse e nao nem que levar em consiceração, pois uma pessoa com 12 anos e que mora no rio nao sabe nada de corinthians, e que ele e flamenguista e esta com dor de cotovelo como deve esta aquele jornalista renato mauricio prado que falou que para falar com ele tinha que ter a grandeza do flamengo, ok o time deles ganharam nos ganhamos en dobro, pois o flamengo tem um libertadores e um titulo intercontinetal, e nao mundial como a corinthians tem eles tem que ler sobre corinthians antes de emitir uma opinia por fazer Mauro Cezar, renato fique no Rio que e a menhor coisa que vcs fazem um abraço de um BI- CAMPEAO MUNDIAL vcs gostando ou nao VAI CORINTHINAS

        • José Luiz

          Recomendo o fantástico “A invasão corinthiana”, de Igor Ojeda e Tatiana Merlino. Neste livro há diversas passagens com o Horta, presidente do Fluminense na época. Em todos eles ele diz que o que a Fiel fez em 1976 foi inacreditável.

    • Rodrigo

      Isso de torcida de um time ir torcer contra o outro pode até acontecer, mas duvido que com o Corinthians.

      • Uma torcida eventualmente até vaí ao estádio torcer contra o rival, mas nas contas do Mauro Cesar nunca.
        Ele disse no linha de passe que acredita de 30 a 40 mil saíram de SP e eram 70 mil no estádio segundo a entrevista que o Juca fez com o Horta.
        Então o Sr. Mauro “pseudo jornalista” Cesar diz que entre 30 e 40 mil cariocas não tricolores saíram de suas casas para assistir o Corinthians e o Fluminense jogarem… Se fizesse as contas ele não diria tanta asneira…
        Sou fã de vários jornalistas críticos a coisas do Corinthians como o Calçade e até o próprio Juca, mas esse tipo de gente que tenta denegrir uma história eu apenas desprezo

        • José Luiz

          No livro que recomendei acima, é dito que alguns flamenguistas, palmeirenses e são-paulinos estavam presentes, mas não era nem 1% do total de corinthianos. E a Fiel dividiu 50% do anel superior (ou mais, pois há fotos em que a Fiel está mais compacta) e 75% do anel inferior. Só perdia na Geral. Horta afirma que mandou 55 mil ingressos para SP, mas que um dia antes havia fila de corinthianos no Maraca pra comprar mais. Ele acha que foram vendidos 15 mil ingressos para corinthianos no Rio – dando um total de 70 mil ingressos. Só de uniformizadas foram 700 ônibus. Há registro de 40 voos para o Rio no dia, além de 10 iates fotografados com bandeiras do timão e registrados em Santos. Empresas alugaram ônibus e dispensaram funcionários. A produção industrial do Estado, na semana após o jogo com o Fluminense, cresceu 18%. Pela primeira e única vez na história, a DERSA instituiu a “operação corinthians”, para acompanhar a procissão pela Via Dutra.

          • Rodrigo

            Claro. Talvez o Mauro Cesar tenha tomado como ponto de partida a participação na audiência televisiva dos jogos do Corinthians, que vira e mexe é, em parte, atribuída a não-corintianos. Ou talvez tenha apenas tomado umas a mais.

            • Fernando Bastos

              Dizer que a torcida do Corinthians dividiu o Maracanã em 1976 é mais das deslavadas mentiras criadas pela mídia imunda do esporte no Brasil. A torcida corintiana realmente invadiu o RJ, pois morava lá e vi. Creio que vindos de SP deveriam ser, no máximo, 15 a 20000. Não mais do que isso. Até pq, quantos ônibus seriam necessários para botar 20.000 no RJ. Divididos por 40, dariam 500 ônibus. Estacionariam aonde? Quem quiser acreditar, que acredite…..

              AK: “Creio que vindos de SP deveriam ser, no máximo, 15 a 20000”. Ah, você “crê”?

              • Alexandre

                Conhecendo o apreço do brasileiros pelos números, certamente esse montante de 70 mil é um chute tremendo.
                Ainda mais na década de 70, época em que o controle de público nos estádios era muito mais precário do que hoje em dia.
                Veja bem, pode até ter sido mais do que isso, ou menos, mas nunca saberemos ao certo.
                Ficamos com o chute.

                AK: O problema do “revisionismo sentimental” é a escolha dirigida de fontes. Há livros publicados sobre o que aconteceu em 1976, e eles não foram escritos por preguiçosos ou irresponsáveis. O número 70 mil refere-se à carga de ingressos que o Corinthians recebeu. Quem disse isso foi o presidente do Fluminense à época, Francisco Horta. Um abraço.

  • Durval

    Parabéns André pelo lindo texto e eu queria aqui mais uma vez criticar profissionais da imprensa esportiva que sejam parciais. Para mim deixam de ser profissionais e esse Mauro Cesar, desde a revolta dele num penalty marcado pelo juiz num jogo Corinthians vs Cruzeiro, no Ronaldo Fenomeno, eu percebi que ele é um anticorinthiano doente e nao sabe separar isso da sua profissão de comentarista esportivo. Lamentavel uma pessoa normal nao confirmar que a invasão corinthiana no Japão, nao tem precedente em nenhum esporte..Sobrepujou aquela em que eu estive presente no Maracanã em 1976, pois foi do outro lado do mundo Terra….
    A ESPN deveria no minimo exigir imparcialidade de seus profissionais para nao distorcerem fatos.

    • Alexandre

      O lema agora é: Corinthians, ame-o ou deixe o Brasil.

      • Teobaldo

        Ah, Ah, Ah… muito bem sacada, Alexandre…. e já estou arrumando as minhas malas!!! Um abraço!

      • Julio

        No seu caso é: inveje com moderação.

        • Teobaldo

          InvejA, com moderação, prezado Julio.

          • antes de corrigir o português alheio atente-se ao sentido do texto caro Teobaldo…

            Inveje com moderação (verbo Invejar conjugado com omissão do sujeito na segunda pessoa do singular)

            • Teobaldo

              Prezado professor Leandro, causa-me espanto, num país em que a língua-pátria é irremediavelmente castigada, principalmente nesses tempos de tão avançadas modernagens (sic) propiciadas pelo magnífico avanço tecnológico, encontrar alguém com sua preocupação. Alvíssaras, pois!!!!!

              Entretanto, na minha mensagem ao Júlio estava eu, apenas, admitindo a minha inveja, mas uma inveja moderada. Captou? Fosse eu um fanfarrão corrigiria seu texto, cuja primeira oração é iniciada com letra minúscula. Certamente um deslize insignificante, totalmente compreensível, n’alguém com tão elevada cultura. Correto?

              Um abraço!

              • corinthiano

                Vixe. A coisa tá boa. Nem eu, com livros lançados em 6 países da Europa (incluindo Espanha e Alemanha) vou entrar nessa discussão… kkk

          • Neimar Silveira

            Fatality.

  • Alessandro

    Valeu André. é isto mesmo. é sem dúvida a maior camisa 12 do mundo. Por isto que torço para este time a vários anos, mesmo sem a estrutura mencionada por você, mas sempre acreditei que um dia apareceria alguém para colocar as coisas no devido lugar. Hoje sim, realmente somos o primeiro.

    Abraços.

  • Parabéns pelo belo texto. Espero que toda esta estrutura não pare de crescer pois penso que é daí que os demais vão se mexer. Vejo com entusiasmo que o Flamengo começa a tomar jeito e um rumo com gente séria mas com tristeza acompanho a decadência do Vasco da Gama, a queda do Palmeiras que parece não achar um rumo e novos dirigentes, praga quase generalizada no futebol brasileiro, muita bravata e pouco resultado e uma CBF e Federações que não mudam.
    Quanto ao “papelão” do Mauro Cesar não dá para entender o que o cara queria provar. Tratou a todos como idiotas ao tentar negar o que todo mundo estava vendo. É o “jornalista” dono da verdade. Ver as imagens do estádio no Japão praticamente pintado de preto e branco e ainda negar? Para piorar depois da massa que ocupou Yokohama no domingo, preferiu se calar. O sujeito achou que era o único isento. O cara se achou o máximo.
    A suposta “isenção” e superioridade profissional não passou de tolice, míopia crônica e me desculpe, preconceito mesmo. Só faltou falar claramente que as imagens estavam sendo distorcidas e montadas pela Globo e Band e desonestamente reproduzidas por todos os demais órgãos de imprensa com a intenção de enganar e manipular o iludido brasileiro. Sem perceber chamou a todos os jornalistas de mentirosos e desonestos.
    Como confiar na opinião de um sujeito destes? Isenção se dá com matérias e textos objetivos onde o profissionalismo está acima de “paixões” e preconceitos. Jornalista isento é aquele que apresenta críticas a quem quer que seja, sem perder a objetividade e que não esconde suas paixões mais que sabe deixa-las de lado na hora em que a seriedade profissional se apresenta.
    Mauro Cesar você acabou de ganhar com brilhantismo o troféu Bobão do Ano na categoria ” O que é que só você não viu”

  • Gabriel

    Parabéns André, fico imaginando como deve ser duro, em alguns momentos, você e seu pai terem de aguentar tanto anti corinthiano junto lá na espn…O que o mauro cezar falou da invasão corinthiana em 76 foi algo de dar nojo, o cara é um anti descontrolado. Mas fazer o quê…Parabéns pelos seus textos, gravei todos que passaram no SC, o da libertadores não me canso de assistir. Você é gênio! E pode acreditar, tudo que está acontecendo com o Corinthians é apenas o começo. VAI CORINTHIANS!!

  • Cara, devo admitir que não lia seu blog, mas a partir de hoje vou faze-lo com frequencia.Só fi
    co chateado e não consigo entender determinados jornalistas, principalmente o tal de mauro cezar pereira, que ontem no linha de passe duvidou que os corinthianos dividiram o maracanã com os
    tricolores fluminenses, colocando entre 70 e 80 mil torcedores no estadio.ele alegou que tinha
    12 anos em 76 e que muitos colegas que torciam para outros times foram ao maracanã,portando
    bandeiras e trajando preto e branco.Supondo que apenas entre 10 e 20 mil torcedores alvinegros
    tenham ido para o Rio, os outros 50/60 mil torcedores contra o flu eram torcedores rivais.
    Então este deve ser outro movimento que deveria entrar para ao guines, pois não ouvi dizer nem
    vivenciei em meus quase 60 anos tantos torcedores indo para o estadio simplesmente para torcer
    contra.Das duas uma: ou o flu era muito odiado(acredito que em 76 a rivalidade não era tão latente como é hoje) ou o corinthans era muito amado?????????????????

    • Mário Luiz Alves Da Silva

      Eu fui um dos previlegiados a estar no Maracanã em 1976 na semi-final do brasileiro. Realmente havia torcida de outros times do Rio apoiando o Corinthians, Flamengo, Vasco, Botafogo, América, Bangu, mas eram pequenos nichos na arquibancada, a grande maioria era de torcedores corinthianos de verdade, fui de ônibus, Expresso Brasleiro, eu meu irmão e minha cunhada, saimos 23:30h da antiga rodoviaria de SP e por toda a Dutra, de São Paulo ao Rio na madrugada, todos vidadutos que passamos haviam torcedores agitando a bandeira do Corinthians. Chegamos ao Rio muito cedo, passamos pelo Maracanã e fomos dar uma volta aos pontos turisticos da cidade para voltar à tarde para o estádio. Em Copacabana por volta das 7:00h eu com uma bandeira do Corinthians amarrada no pecoço como capa do Supeman fui indagado por uma madame acompanhada de seu cachorrinho de raça: Você tambem veio para o jogo? Estou bestificada, nunca vi coisa igual! Realmente era impressionante, para todos os lados que olhassemos na zona sul havia alguem com bandeira do Timão, assim como nas janelas dos edificios residenciais e de hoteis, carros desfilando e agitando as bandeiras, após o jogo do lado que saimos do Maracanã havia centenas de onibus de excursão aguardando os torcedores, tivemos que voltar de trêm, pois não conseguimos passagens na rodoviaria e o trem que na época já estava decadente e subutilizado aquela noite viajou lotado de corinthianos. Não vi o comentário deste tal Mauro, mas ele atirou no que não viu e errou feio, faz comos certos torcedores que nunca viram o Pelé jogar e duvidam de sua genealidade.

      • José Luiz

        Que inveja!!! Nasci em julho de 76, não posso dizer o mesmo, só acompanhar pela mídia…

  • Eric

    André, por favor, peça a ESPN que arrume o link do vídeo que tem o seu texto “2012 é o ano do corinthiano ….”, pois quero ter aquele vídeo para sempre, já que de fato representa o ano que tivemos. Abraços.

    AK: Não sei o que houve no site. Já tem no YT e o link está no post. Um abraço.

    • Eric Corrêa

      André, nunca mais encontrei o vídeo, sabe se ele ainda existe??? Será que a ESPN tem? Mande o link, por favor. Abraço.

  • Rita

    E numa boa, mas essa fase do Corinthians pós-Fenômeno, marketing, direitos do Brasileirão, dinheiro-a-rodo no futebol, com a eficaz e insuportável direção da Rede Globo acompanhado por todas as emissoras que querem um lugar ao sol, haja controle remoto para evitar o time mais badalado do Brasil.

    De fato, a próxima Libertadores vai ser de arrebentar.
    E São Paulo, Rio, Minas e o Rio Grande do Sul muito bem representados…

    Brilhante. Discreto. Simples. Sereno. Objetivo. Caráter.
    Não, não falo só de você.
    Refiro-me a Danilo. Sou fã dele.
    Sim, de você também.
    Aliás, na onda do corinthianismo, mas de coração, diria que você tem os dedos de Cássio, a emoção do Paulinho no gol contra o Vasco, a técnica e inteligência do Danilo e o Juca é o seu Tite.
    Vai André!

  • RENATO77

    Sempre que um time faz sucesso, a imprensa explora isso de maneira “exagerada”. pelo menos é essa a sensação de quem não torce pelo time que faz sucesso naquele momento.

    Isso aconteceu com SPFC, SFC E agora, com o SCCP.
    Na era “Robinho”, ví a dupla Robinho/Diego no Faustão…na Hebe…no Jô…documentários sobre os meninos da vila…sobre os “velhinhos da vila”, a geração de 60…e tudo o que tinha direito.
    Recentemente, na “era Neymar”, a mesma coisa se repete. De cuecas à aparelho de barbear, um outdoor a cada esquina.

    Lembro do time do SPFC de Telê Santana.
    Até o lado intelectual do Ronaldão foi explorado..ví uma matéria, já nas férias dos jogadores aqui no litoral norte de SP, nas areias de maresias, o reporter entrevistando Ronaldão lendo um livro de filosofia…

    Na decada de 80, era duro aguentar a cobertura ao redor do Flamengo/Zico.

    No caso do SCCP, é bom lembrar que nossas “má fases” TAMBÉM SÃO EXPLORADAS à exaustão. Pela globo inclusive.
    Lembro de um período, acho que na decada de 90, o globoesporte fazia matérias DIÁRIAS comparando o Corinthians com o IBIS…qual era o pior time do mundo…com um sambinha de fundo que dizia´: “é o bagaço da laranja…” DIARIAMENTE!
    O clube amargava uma sequencia de nove derrotas seguidas, se não me engano.
    E por aí vai…o exagero em relação ao SCCP aparece nos bons e nos maus momentos.

    Só o controle remoto salva.
    É a hora de quem não gosta do SCCP ter paciência, nós já tivemos a nossa.
    É ciclico. A fila anda.
    Abraço.

    • Marcelo

      essa do bagaço da laranja é referente a copa João Havelange… tava na escola nessa época.. terrível pra qq corintiano.

      • RENATO77

        è isso aí…boa memória…péssimas lembranças….rsrsrsrsrsrsrs…
        Abraço.

  • Faça o favor de explicar ao seu colega de emissora Mauro Cesar o que disse sobre a invasão. Já que ele agora deu pra questionar pateticamente (como ele mesmo gosta de dizer) até a de 76

  • Claudinei Machado

    Texto brilhante assim como o seu inoxidável autor, obrigado André pelo reconhecimento do tão grande feito.

  • Cesar

    Andre,
    Então o seu critério para definir a invasão é a quantidade de faixas/bandeiras/camisas e o barulho que a torcida faz na arquibancada? Ok, aceito seu critério, mas discordo dele. Acho que a quantidade de torcedores também é um critério válido e, se for levada em consideração por alguém, não deveria ser vista como uma tentativa “constrangedora” de diminuir a presença da torcida corintiana. Não houve mais torcedores de Inter e SPFC? É fato, não é? Isso não pode ser desmentido. Acho muito mais constrangedora a deliberada e apelativa tentativa de mostrar a “invasão corintiana” como algo maior do que realmente foi, só para aproveitar o marketing e conseguir mais audiência dos torcedores apaixonados.
    Abs,
    Cesar

    AK: Você não entendeu. Meu critério é a imagem e o som de um estádio onde cabem dezenas de milhares de pessoas, inteiramente tomado por apenas uma torcida. E os depoimentos das pessoas que estiveram lá, também estiveram nas edições anteriores, e atestam as diferenças entre elas. Além disso, o que mais pode haver? Estamos entrando numa era revisionista no jornalismo esportivo, em que há pessoas que se recusam a acreditar em fatos, imagens, sons, fotos, depoimentos, registros… e optam por acreditar apenas no que querem. Um abraço.

    • Júnior

      “Estamos entrando numa era revisionista no jornalismo esportivo, em que há pessoas que se recusam a acreditar em fatos, imagens, sons, fotos, depoimentos, registros… e optam por acreditar apenas no que querem.”

      Fantástico!!!!! 1.000 vezes fantástico!!!!
      Imaginei que iria morrer e jamais escutaria (leria) isso abertamente de um jornalista.

      Sem palavras, simplesmente perfeito! Foi o melhor “volte sempre” que já vi. Conte com a minha audiência diariamente.

      • José Luiz

        Ih rapaz! A torcidinha de Moda tá dando piti…

    • Rodrigo-CPQ

      Cesar, você tá falando sério que acredita que a torcida do Inter e do SPFC eram maiores?? Jura??

    • Cesar

      Eu entendi, André. E, agora, relendo meu comentário, peço desculpas pela parte mais ao final. Desnecessário. Eu acho que o seu critério (imagem e som) demonstra mais uma diferença de perfil/intensidade das torcidas. Mas, reitero, não penso que o critério da quantidade de torcedores seja algo alheio aos fatos. É difícil, para mim, definir qual o peso que uma pessoa deve dar para cada um dos critérios, para fundamentar suas opiniões ou crenças. Seu critério me parece correto, assim como o outro critério também. A questão é o peso que se escolhe dar para cada critério, e, claro, em se tratando de jornalistas esportivos (não vou citar nomes e, por favor, não estou me referindo a ninguém em particular), essa escolha não deveria/poderia ser feita apenas para fundamentar a conclusão a que se previamente quer chegar. Nem para exaltar, nem para diminuir o feito da torcida do Corinthians propositadamente. Abs. Cesar.

    • Alexandre

      Ôpa, esse assunto merece um post.

  • Teobaldo

    Gostaria de sua opinião em cinco assuntos:

    1 – Como você analisa a atuação do Rafa Benitez em relação à escalação do time titular do Chelsea naquela final?

    2 – Existem explicações para as três substituições feitas por ele, duas delas depois dos 40 minutos do segundo tempo?

    3 – Segundo o Tostão, no Brasil temos a tendência de supervalorizar os técnicos de futebol. Esse fenômeno ocorre na Europa também?

    4 – Com todo o dinheiro que o dono do Chelsea tem, será que ele não consegue contratar ninguém melhor que o (poste) Fernando Torres?

    5 – Do ponto de vista da eficiência e da técnica, Fernando Torres merece o prestígio que tem?

    Um abraço!

    AK: 1 – Trágica. Lampard não deveria ter entrado. O time não ganhou em passe e perdeu em marcação.
    2 – Sim. Desespero.
    3 – Depende do caso, como aqui.
    4 – Mmmm… sim.
    5 – Faz tempo que não.
    Um abraço.

  • Marcos

    André, primeiro parabéns pelo texto. Você conseguiu expor um pouco do sentimento vivido por um corinthiano de verdade, que além da vida cotidiana de pagar suas contas, seus impostos, cuidar da familia, enfim, tentar ultrapassar por todos os obstáculos do dia a dia, é completamente apaixonado por esse símbolo, que passa

  • Marcos

    André, primeiro parabéns pelo texto. Você conseguiu expor um pouco do sentimento vivido por um corinthiano de verdade, que além da vida cotidiana de pagar suas contas, seus impostos, cuidar da familia, enfim, tentar ultrapassar por todos os obstáculos do dia a dia, é completamente apaixonado por esse símbolo, que passa essa religiosidade de geração em geração, chato, como dizem os outros torcedores, mas que nunca deixa de acreditar. Pode ficar com raiva, doente, aborrecido, mas não adianta, uma coisa é certa: NUNCA VAMOS TE ABANDONAR!
    Parabéns pelo texto.
    P.S. – Foi graças ao seu pai que estou lendo esse texto. Estava assistindo o Lina de Passe na segunda e ele que deu esse toque, mesmo sabendo que vc ficaria meio brabo! Mas, encare assim, se não fosse ele talvez eu não teria o prazer de poder ler e guardar esse texto para usá-lo nos filmes particulares que faço sobre o meu time do coração e da alma.

  • RENATO77

    Desculpe ser repetitivo, já te perguntei isso antes e foi vadiagem minha não “guardar” o nome do site…mas onde posso encontrar as estatísticas desse jogo?
    Na minha opinião, os números mais representativos são os da posse de bola e do número de finalizações.
    Abraço.

    AK: http://pt.fifa.com/clubworldcup/matches/round=259327/match=300219235/statistics.html
    Um abraço.

  • J.Martins

    O blog e o vídeo perpetrados pelo Andre Kfouri são magnifícos, brilhantes, e emocionam todos os corinthianos, e até os menos empedernidos “antis”.
    Quanto ao sr. MCP, seu comportamento revisionista é ridículo, patético e desrespeitoso com todos aqueles que participaram e testemunharam a Invasão de 1976, como foi o caso do eminente jornalista Juca Kfouri. O insano carioca prefere acreditar nos delírios de uma criança de 12 (doze!!!!!) anos de idade contrapondo-se ao que foi fartamente documentado pela imprensa à época. Nem os maoístas chineses chegaram a tal ponto na negação dos fatos!!!
    Uma hipótese é que se trate de uma insanidade conveniente: como seus comentários e blogs tem audiência zero, talvez o indigitado e infeliz guanabarino esteja buscando a notoriedade efêmera às custas do Timão…se assim for, sr. MCP, dê-se por satisfeito com seus 12 minutos de “fama”……

  • marcio

    Um amigo ficou em coma por muito tempo, quando por milagre acordou, e como ficou muito tempo sem saber nada do futebol foi logo me perguntando como andava as coisas no futebol:
    Eu falei para ele que um time grande só tinha ganhado um paulistinha,ele me respondeu, o CORINTHIANS? eu disse que tinha sido o santos, sério? respondeu ele, e o que mais:
    Um outro time grande que já tinha caído para a 2ª divisão foi rebaixado de novo, ele novamente, o CORINTHIANS?, não, o palmeiras, sério?, é meu amigo as coisas mudaram, me fala mais:
    Teve um time que ganhou a 2ª divisão da américa e para ganhar contratou um monte de seguranças para baterem no adversário no intervalo e os caras não voltaram para o segundo tempo e perderam por WO, pera aí, este foi o CORINTHIANS, não, respondi a ele foi o são paulo, não é possível, tem mais alguma coisa?
    Sim, teve um outro time grande que foi campeão da libertadores invicto, ganhando do santos, do vasco e na final contra o boca e depois foi ao Japão levou mais de 30 mil pessoas ao estádio do outro lado da terra e foi campeão do mundo, ele me olhando surpreso perguntou, quem foi esse? foi o CORINTHIANS, o que????????? caramba realmente as coisas mudaram muito neste ano.

  • Silva

    André,

    Deixe de enrolação e ponha os Palpites das Oitavas de finais da liga.

    Ai estão os meus.

    Barça; Real; FC Shalke 04; Juventus; Bayern; Borussia; PSG; Málaga.

    AK: Tá Lá. Um abraço.

  • Bruno – SP

    André, parabéns pelo texto, perfeito, revela uma sensibilidade incrível! Como corintiano, fiquei emocionado. Agradeço por criticar seus colegas da imprensa que tentaram diminuir a invasão corintiana no Japão com dados paradoxais, notadamente a presença total de público nos estádios como parâmetro dos eventos anteriores. Enfim, querem “brigar” com a imagem e o som que ecoava o estádio…Que ano de 2012 Fantástico! Libertados… Banzai, Corinthians…E Cássio, o Gigante de Yokohama…abrs

  • Valdir

    Lendo o seu texto e lembrando do que escreveram alguns jornalistas desmerecendo a invasao, inclusive questionando os numeros de 76, me fizeram lembrar de um grande filme e a frase antologica do final deste filme.
    Quando a lenda e maior do que a realidade, prevalece a lenda. Filme: O homem que matou o facinora. John ford.
    Na historia da humanidade, grandes feitos viram lendas e quando se transformam em lenda a realidade se torna insignificante.

  • Marcelo Caju

    Tirando a paixão clubística de AK, assim como o pai, colocarei algumas questões:

    1) Exemplificando. A quantidade de torcedores do Internacional que foram a Dubai para o Mundial em 2010 pelas contas e reportagens, indicavam de 6 a 8 mil colorados na Ásia. Interessante que hoje, ninguém da mídia relembrou o fato e nem os cânticos de “Vamo,vamo Inter!!”

    2) Levando em conta que a população do RS é de 10 milhões e a população de S.Paulo é 41 milhões em 2010, proporcionalmente, o Inter levou mais torcedores que o Corinthians.

    3) Relembrando o fato que “apenas” 8 mil corintianos foram de SP para o Japão e lá foi reforçado pela boa parte de imigrantes, a “Fiel” apenas ultrapassou um pouco acima a torcida do Internacional.

    4) Também é fato, que a torcida do Inter é apenas de 2,04% pela pesquisa “Datafolha” ao contrário do Corinthians que possui “15%” (!?!?). Logo, porque na época o feito colorado não foi evidenciado em relação a agora!?

    5) Portanto, pode-se concluir que se colocarmos um Flamengo ou Vasco ou S.Paulo em voga, como está o clube do Parque São Jorge, levariam na média a mesma quantidade de torcedores para o Japão.

    6) É de observar que na época que era realizado o Torneio Intercontinental (anos 80 e 90), aquele mesmo que o Corinthians lutou várias vezes para conseguir uma vaga, havia vários fatores que impediam dos menos abastados viajarem para o outro lado do mundo. (salários baixos, alta inflação, preço em dólar, etc…). Hoje, qualquer empregada vai a Bs.Aires.

    7) As passagens, para Toquio e Dubai, no mesmo período, tem em média o mesmo preço.

    Então, apesar de muito emocionante (e foi), esse fato poderá ser feito por qualquer equipe com grande torcida e impulsionado pela grande mídia.

    Saudações Rubro-Negras. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

    AK: Tirando a sua paixão clubística (quase imperceptível), o único item que vale comentar é o 6: você tem bastante imaginação, mas pouca educação.

    • Marcelo Caju

      Gostaria que pudesse indicar onde faltei com a educação, mas ainda assim indicarei onde usei a minha “imaginação”.

      1) Talvez tu possas escrever para o setor de imprensa do S.C.Internacional e contestar esses dados. Apenas relembrei o que li na época.

      http://www.internacional.com.br/pagina.php?modulo=2&setor=18&codigo=13210

      2) Números da população do RS e SP, é somente digitar no “Google”.

      3) Teu próprio “colega de trabalho” publicou isso:

      http://espn.estadao.com.br/post/298487_os-exageros-sobre-o-corinthians-que-se-arriscou-sem-necessidade-e-o-perigo-para-o-chelsea

      4) Sobre o ranking das torcidas:

      http://www.sidneyrezende.com/noticia/195358+datafolha+divulga+dados+exatos+sobre+ranking+de+torcidas

      5) Apenas uma conclusão.

      6) Outra observação

      7) Sobre os vôos

      http://fly4.emirates.com/CAB/SessionTimeout.aspx?re=/CAB/IBE/SearchResult.aspx

      http://www.tam.com.br/b2c/vgn/v/index.jsp?vgnextoid=97981ed526b72210VgnVCM1000003752070aRCRD

      Ao invés de seguir pela sua conclusão apaixonada, poderia contrapor a minha opinião, o que é salutar em um país com liberdade de expressão. Entretanto, vejo que a visão dominante neste blog é apenas “Alvi-negra”, sem direito a questionamentos.

      Saudações Rubro-negras. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

      AK: Seus comentários estão publicados. Foram até respondidos. Ninguém tem a obrigação de levá-los a sério. Um abraço.

      • Marcelo Caju

        PS: Desculpe se classifiquei a “empregada” como “menos abastados”. Vamos substitui-los pela “Classe C”.

        SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

      • Marcelo Caju

        Não ha nenhuma surpresa na sua resposta, já que não quis debate-las…O que fiz foi simplesmente fazer um levantamento e saber do seu contraponto. A ausência de argumentos somente justifica o seu nível de temperamento…Na verdade, fica nítido o caráter parcial da coluna “pró-Corinthians”. Caso houvesse uma bajulação sem limites de minha parte, talvez seu “tom” de ironia fosse bem menor…

        Paixão não se compra…

        Saudações Rubro-Negras . Marcelo Caju – Porto Alegre RS

        AK: Mi mi mi… um abraço.

        • Marcelo Caju

          Eu não…

          Respeitosamente mi..mi…mi…tb..rs

    • Júnior

      Olha, realmente eu fico em dúvida se foi um pouco mais que a torcida do Inter… acho que foi até menos heim, bem menos. Dá uma olhada nesse vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=vxFkxp2nEQY) No estádio com quase 70 mil pessoas, só tem ele que filmou e mais um seis carinhas torcendo para o corinthians.

      • Marcelo Caju

        Em nenhum momento disse que havia menos torcedores do Corinthians em relação ao Internacional. O que levantei foi que o Internacional, com apenas 2,04% de preferência nacional levou de 6 a 8 mil torcedores e em um país (Emirados Árabe Unidos) que não tem movimento imigratório e nenhuma relação sólida com o Brasil. Completamente diferente com o Japão. Obviamente, o Corinthians possui uma torcida maior que do Internacional e o fato de levar 20 a 25 mil torcedores no Japão justifica seu tamanho. Porém, não se levantou ainda a quantidade exata que saíram daqui do Brasil. Seria 8 mil, 10 mil ou 15 mil? Não pode abrir mão dos milhares de brasileiros que moram no oriente e que reforçaram a torcida.

        Isso mostra que outros grandes clubes motivados e em boa fase podem levar em média mesma quantidade de torcedores ao Japão.

        SRN. Marcelo Caju.

        • Juliano

          Achei coerente esse ultimo comentario do Marcelo Caju.

          Tenho uma duvida, e aqui não tem ironia, por favor entendam: não sabia que a torcida COLORADA era RUBRO NEGRA. Estou fazendo confusao?

          Abraço!

          • Marcelo Caju

            E não ha confusão…

            Volto a dizer como está escrito antes: O que exemplifiquei com o Internacional, é que uma torcida que tem “apenas” 2,08% da preferência nacional colocou em Dubai (Emirados Árabes Unidos) cerca de 6 a 8 mil torcedores. Isso em um país sem identificação nenhuma com o Brasil e sem um montante de imigrantes. Algo que neste momento foi passado esquecido pela mídia.

            Logo, clubes de “grande massa” de torcedores, que no caso podem ser o Flamengo, o São Paulo ou Vasco, fechem uma conquista deste magnitude, podem colocar tranquilamente 15 mil torcedores no Japão. Sem contar com os residentes locais.

            Concluído, o feito do Corinthians foi exemplar, mas não impossível de ser batido.

            SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

            • Edson

              você escreveu:

              “3) Relembrando o fato que “apenas” 8 mil corintianos foram de SP para o Japão e lá foi reforçado pela boa parte de imigrantes, a “Fiel” apenas ultrapassou um pouco acima a torcida do Internacional.”

              FATO???????? pobre leitor iludido e manipulado da UOL/foia

              • Marcelo Caju

                Edson

                Você tem razão…Errei por 2 mil. Segundo a fonte da noticia, esta diz o seguinte:

                http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/mundial-de-clubes/ultimas-noticias/2012/12/11/menos-de-10-mil-torcedores-do-corinthians-viajaram-para-o-japao-para-ver-o-time-no-mundial-de-clubes.htm

                Mas acho que tens razão, fui manipulado, esta fonte é a mesma que possui um instituto de pesquisa que garante que a torcida do Corinthians se igualou a do Flamengo…rs.

                Talvez na próxima gestão de Deus…rs.

                SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

                • Edson

                  desculpe, mas as fontes que levo em consideração para saber qual a maior torcida e que são as mais próximas da realidade são Facebook, Twitter e Orkut.

                  A única pesquisa confiável além destas foi feito no Paraná, com mais de 100 MIL entrevistados.

                  porque não pergunta para sua fonte tão cheia de caráter e imparcialidade, a UOL/foia, onde estão os números do consulado de Curitiba???

                  eu nunca fui entrevistado por ibope, datafolha, ou qualquer outro instituto, mas estou contabilizado nos números do Facebook, garanto que vc também está, senão no Facebook, no Twitter ou Orkut.

                  …mas diga me, qual time lidera em TODAS essas pesquisas??? (sim, considero os números do Facebook, Twitter e Orkut como pesquisas, aliás muito mais espontâneas e democráticas que as realizadas por qualquer instituto de pesquisa no Brasil)

                  • Marcelo Caju

                    Respeito sua opinião, mas se Facebook, Twitter e Orkut entrarem em pauta na ciência estatística, estará cometendo um grande erro. Se assim fosse, fariam pesquisas de intenção de voto para os principais cargos do governo usando apenas essas ferramentas virtuais. Sabes nestas, existem um sem numero de contas “fake” na internet e assim sendo, não reproduziria a amostragem correta dos torcedores. A pesquisa deve ser feita na rua, situação que o Datafolha fez de modo pequeno. Quanto maior a amostragem, maior a confiabilidade, e desta forma, uma pequisa que incluiu apenas 160 municípios em um universo de 5565 ( mal chega a 2,5% do total), não pode espelhar a realidade.

                    SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

                    • Edson

                      para sua apreciação saiu uma nova edição da pesquisa no Paraná:

                      http://www.gazetadopovo.com.br/esportes/conteudo.phtml?tl=1&id=1330231&tit=Pesquisa-de-torcidas-revela-Parana-forasteiro

                      http://esportes.terra.com.br/corinthians/pesquisa-corinthians-tem-o-dobro-da-2-maior-torcida-do-parana,782e09fb9f8cb310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

                      e onde estão os números do consulado japonês de Curitiba????? porque não pergunta para as tricolétes da UOL/foia em quem vc tanto parece confiar e se embasar????

                      existem muitos perfis fakes nas redes sociais, mas que se distribuem proporcionalmente nas preferências clubísticas, não interferindo no resultado final.

                      já que vc parece esclarecido quanto a questões de estatística, pense e repense novamente seus números e convicções.

                      faço votos para que vcs flamenguistas continuem acreditando que ainda são maioria, um dia o IBGE inclui o questionamento de qual time cada um torce, aí a surpresa virá, mas não para nós…

                      continue vc e o Mauro achando que foram 10 mil.
                      EU estive lá e sei diferenciar 10 mil de 20 mil e 30 mil em um estádio. pois havia mais de 30 MIL Corinthianos no Nissan Stadium

                      se ainda assim não acreditam, acessem a megafoto de 360 graus do Facebook da Sportv e comecem a contar.

                      certamente dirão desolados pra si mesmos ao final da contagem:
                      ‘é, realmente…’

                • Julio

                  O São Paulo esteve lá em 2005. Não quero desmerecer ninguém, mas procure o vídeo do jogo no youtube e tente encontrar a torcida tricolor tomando o estádio, uma vez que você afirma que isso poderia acontecer com qualquer clube de massa em boa fase. Boa sorte, vai ser uma busca árdua.

                  E claro, a torcida do Flamengo é milhares de vezes maior do que a do Corinthians mesmo. Uma pena que grande parte deles tenha o mengão como segundo clube e não sejam consumidores de nada relacionado ao clube.

                  • Marcelo Caju

                    Não existe esse termo de “segundo clube”, se for considerar assim, os moradores de Londrina, torcem para o clube da cidade e seu “segundo clube” é o Corinthians. Correto!? Acho engraçado que o mesmo critério de “segundo clube” não seja aplicado ao Corinthians…Porque!?

                    Se for levar o lado financeiro, obviamente os moradores de S.Paulo estarão em ampla vantagem por serem do estado mais rico do país, em comparação com Rondônia ou Roraima. Porém, o futebol não se restringe ao lado financeiro. É amplamente passional,por isso justifica por exemplo, que Manaus seja a cidade com mais rubro-negros fora do Rio de Janeiro. Mas não se engane se for lá e encontrar “novos” torcedores do Corinthians.( Ou de segundo clube, como queiras).

                    Com relação ao clube de massa em boa fase….Em 2005 o SPFC iria pela terceira vez a decisão do mundial, dai eu pergunto, a expectativa sobre o mundial, foi igual a primeira disputa em 1992?! Lembro que morava em Manaus esse ano e o SPFC entrou em voga na cidade. Muita gente comprou e passou a torcer pelo tricolor paulista. Fato igual ao que acontece agora com o Corinthians.

                    Não desmereço a conquista corintiana. O que levantei era o fato do Internacional, que estava muito motivado na tentativa de um bi campeonato mundial e desmoralizar o Grêmio, levou de 6 a 8 mil torcedores a Dubai. Lembrando que o Internacional tem apenas 2,08% de preferencia nacional….Traduzindo, os feitos corintianos são grandes, mas deve considerar a diferença entre as conquistas realizadas a 30 anos atrás pelos outros clubes brasileiros (Flamengo e Grêmio) com as de agora. (Inter, SP e Corinthians). E também a grande massa de imigrantes que a terra do Sol nascente possui. Segundo a notícia no post anterior e acima, somente foram emitidos 10 mil vistos para o Japão.

                    SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

        • Júnior

          Desculpe, mas não há como responder com o mínimo de seriedade. Não existe lógica alguma quando se usa achismo para completar um clipping escolhido sem o mínimo de critério, ainda mais quando se faz uma tentativa grotesca de se traçar paralelos entre universos totalmente distintos.

          Assim como no caso do Mauro, falta muito conhecimento sobre inúmeros assuntos para que se possa fazer qualquer tipo de análise sobre os eventos abordados. Simplesmente não vale a pena nem tentar elucidar os incontáveis equívocos apresentados pelo jornalista Mauro ou mesmo por você, já que está mais do que claro que suas motivações (assim como as dele) são passionais – e quando este é o tocante, não existe debate, apenas confronto. Isso já é o bastante para me afastar desta discussão.

          É compreensível que as pessoas procurem algum tipo de conforto quando alguma situação lhe parece desfavorável. Já passei por isso, mas hoje, felizmente, aprendi a seguir em frente.

          Enfim, para mostrar que não sou do contra, você e o Mauro podem incluir na lista da mídia corintiana que gosta de exagerar nos feitos do clube (mais Milton Neves que isso, só dois disso) órgãos como: BBC, The Guardian, New York Times, The Sun, Daily Mail, Olé, Marca, Gazzetta Dello Sport, alguns jornais japoneses e também, é claro, o Guinnes Book.

          • Marcelo Caju

            Não preciso consulta-los…Não usei achismos, foi apenas dados recolhidos e não inventados. Sabes bem que usei o exemplo do Internacional e comparei o universo de seus torcedores e pequenos por sinal. Assim, mostrar que dentro de uma quadro de ascensão, é possível um clube de futebol levar uma boa quantidade de torcedores a um país. Outro exemplo foi o Fluminense, que aparece “empatado” com a Portuguesa, pelo DataFoia, levar 2000 mil torcedores a uma partida de Libertadores na primeira fase contra o Boca na Argentina. Era apenas um jogo de primeira fase….

            Se você já enxerga que a mídia corintiana exagera “um pouco”( by Jogo Aberto da Band) já é um avanço…

            O debate nada mais é que o confronto de ideias meu amigo…Ou você quer que todos usassem óculos alvi-negros?

            SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

            • Ricardo

              Vejam quem se incomodou mais com o título do Corinthians:
              1 – O são paulino, que perdeu o monopólio da boa administração.
              2 – O flamenguista, que perdeu o monopólio da representatividade popular.
              O chilique é compreensível.
              Tem até flamenguista apelando para a torcida do Inter.
              VAI CORINTHIANS.

              • Marcelo Caju

                Se você leu o que escrevi, não fiz apelo nenhuma, apenas mostrei um dado significativo..A interpretação é valida de cada um…

                Com certeza, talvez na próxima gestão de Deus, a torcida alvinegra poderá passar a rubro-negra…Talvez na próxima…rs.

                Paixão não se compra…rs.

                SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

            • Júnior

              A sua compreensão do que eu escrevi é sublime. Desta vez você me pegou, não há o que eu possa fazer.

              • Marcelo Caju

                Ainda bem que percebeste, ou ha algo menos passional que o futebol!?

                SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

                • ponde chorar ,,berrar…………. recalcar…..ficar tentando prova contra o timão
                  rapaz..

                  desde a liberta 2012 só se fala em timão….invasão, crescimento…midia..loucura total

                  so da timão…e meia duzia quer lutar contra..imagens, jornais…net…ta tudo ai

                  o coringão atropelou tudo e todos………..e se o resto não correr atras….. vai dar dó.

                  inter spo santos ..ninguem quer saber….veja ai o centenario do santos…ja foi???

                  ninguem viu…a verdae é …..timão x a rapa……………………….. vai curirntiaaaaaaaaaaa

                  • Marcelo Caju

                    Com certeza, tiveram seus méritos…Porém, o caminho que seu clube está fazendo hoje, o meu o fez a 30 anos atrás. Sei do gosto que está sentindo, é normal ficar eufórico…

                    Futebol é cíclico, uma hora estaremos nos confrontando…

                    SRN. Marcelo Caju – Porto Alegre RS

  • Edson

    André, qual é o problema da UOL com o Timão??? veja o título da matéria de hj:

    “Corinthians cobra até R$ 10 para deixar torcedor ver taça do Mundial de perto”

    isso é o ingresso do Memorial onde o troféu ficará exposto, que aliás era 15.
    só queria saber o autor da matéria, que covardemente se esconde.

  • Ado Marcelo

    Estou lendo isso em 2013 e acho engraçado o achismo. Parem de achar, tem video a beça do estádio em yokohama. Vai lá ver o estadio preto e branco tomado! Quero nem saber quantos daqui ou de la ou de acolá.. estavam lá!

MaisRecentes

Futilidade



Continue Lendo

Incoerente



Continue Lendo

Sozinho



Continue Lendo