COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

MARIN SE MEXE

A demissão de Mano Menezes sugere que a cúpula da CBF precisa de uma bússola. Interromper um trabalho – de resultados não mais do que razoáveis, é fato – justamente no momento em que um time e uma ideia de jogo pareciam ter sido encontrados é um erro colossal. Mas é um equívoco de porte semelhante imaginar que José Maria Marin está preocupado com a Seleção Brasileira. Ao contrário do que aparenta, ele sabe exatamente o que está fazendo.

Marin é um político profissional. Não se deve esperar do atual presidente da CBF a capacidade de enxergar questões puramente esportivas. Ele não trabalha dessa forma. Marin chegou ao poder na CBF por ser o vice-presidente mais velho e seu projeto é continuar. A queda de Mano foi um efeito colateral da identificação de Andrés Sanchez como um obstáculo no caminho.

A antecipação da próxima eleição para presidente da CBF é central no plano. Ricardo Teixeira, com ajuda de Marco Polo Del Nero, acertou a mudança no estatuto com os presidentes das federações, de modo que o pleito será realizado em abril de 2014, dois meses antes da Copa do Mundo. Marin não precisa se importar com o desempenho da Seleção no Mundial porque nada do que acontecer em campo terá impacto político. Resolvida a questão da eleição, o passo seguinte foi minar um óbvio adversário.

Andrés Sanchez era homem de confiança e evidente sucessor de Teixeira. Foi ele quem levou Mano Menezes para a Seleção Brasileira. A saída do treinador transforma o diretor de seleções em figura decorativa. Sanchez teve de ir aos microfones ontem à tarde para explicar uma demissão à qual ele não era favorável. Disse ter sido voto vencido (por Marin e Del Nero, logicamente), mas obrigado a respeitar a hierarquia. Está isolado, solitário.

Romper com Teixeira, a quem paga salários e deveria gratidão, não é problema para Marin. Na política, as relações existem enquanto são úteis. O ex-presidente da CBF não tem mais serventia. A próxima fase do projeto é tratar com o colégio eleitoral da confederação: os presidentes das federações e dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro. O que Teixeira consegue fazer sem poder? O que Sanchez pode oferecer de sua atual posição? Pouco perto da capacidade de articulação de Del Nero e Marin, no comando.

Sanchez poderia (deveria?) ter saído junto com Mano e assumido desde já o status de adversário da cúpula. Mas esse movimento não lhe traria nenhum benefício imediato. Ademais, seu projeto pessoal sempre foi ficar, não o contrário. Ele agora se vê forçado a ponderar o que fazer. É um diretor de seleções que não foi ouvido na demissão do último técnico e não será – se ainda estiver no cargo – na contratação do próximo.

A única verdade dita a respeito da devolução de Mano Menezes ao mercado é que não foi produto de maus resultados. Fosse esse o critério, a dispensa teria acontecido após os Jogos Olímpicos. Não creia por um segundo em “mudança de métodos de trabalho”. Essa é uma declaração pública de um político brasileiro, para quem a Seleção é uma ferramenta de acesso.

A Copa do Mundo de Marin também será em 2014, mas em abril.

JEITINHO…

A queda de Mano suspende a ideia de uma Seleção que caminhava para interpretar o jeito brasileiro de jogar futebol. Zagueiros e volantes que sabem participar do início de movimentos ofensivos, com bola no chão. Meio de campo leve e criativo para ativar Neymar. Um indício de personalidade, de virtude. Difícil imaginar que o próximo treinador dará sequência a esse caminho, por mais lógico que pareça. A pressão para “ganhar feio” deve falar mais alto.

… BRASILEIRO

O ano da Seleção Brasileira acabou, de modo que o anúncio do novo técnico somente em janeiro de 2013 não traz prejuízos práticos. Mas, convenhamos, o time anfitrião de uma Copa do Mundo não ter treinador um ano e meio antes de a bola rolar é feio. Bem feio. As próximas semanas serão repletas de especulações, a balança penderá para vários lados, nomes “ganharão força”. Planejamento é isso.



  • Eduardo Pacheco

    Cada vez mais difícil tolerar o descaso com que tratam nosso futebol. O que importa sempre são os interesses particulares.
    André no meio desse caos todo você acredita num pequeno sopro de renovação com a possibilidade da contratação do Guardiola? Acho quase impossível sua contratação mas hipoteticamente caso aconteça acredita que ele conseguiria repetir minimamente o que fez no Barcelona?
    Abraço

    AK: Acho pouco provável que a CBF o procure. Mas, se acontecer, é um erro comparar trabalhos em clube e seleção. Ainda mais se o clube for o Barcelona. Um abraço.

    • fernando

      Guardiola seria o unico que poderia trazer algo de novo pra seleção, luxemburgo assumiu em uma epoca que era incontestável a sua indicação e meteu os pés pelas mãos, Felipão não vive um bom momento com o rebaixamento do palmeiras, Tite seria , ao meu ver, uma repeição do Mano Menezes, e Muricy, bem, o bom e velho Murici so conhece pra quem torce pra seus times, sou sãopaulino e espero nunca mais ve-lo no tricolor…

      • Antonio

        Guardiola seria o unico a trazer algo novo pra seleção. Porque?
        Se é bom assim, para treinar a seleção pentacampeã, por que ele não é o treinador da seleção do seu país ou continuou no Barcelona?
        Parece que muitos tem a sindrome da galinha do vizinho ser mais gorda…

        • Rafael Wüthrich

          Perfeito!

        • fernando

          Ele não continuou porque assim escolheu, e quando digo que ele poderá trazer algo de novo é pela sua visão do futebol, o que percebemos nas suas entrevistas, o modo de entender o jogo, inclusive jogadores que foram seus comandados como PIquet que teve algumas rusgas com o próprio Pep ja comentou que nunca viu ninguém que entenda de futebol como o Guardiola. Em vez de se preocupar com os brasileiros que sofrem complexo de inferioridade, acho que é melhor você se preocupar com patriotadas que não levam a lugar nenhum. Quem seria melhor que Pep pra resgatar o orgulho da nossa seleção??? Tite? Felipao? Abel?? Luxa?? Murissoca??

        • Matheus

          Não sei se lembra, mas ele recebeu cheque em branco do Barça para continuar, e por uma opção pessoal, não aceitou. Não acho que ele viria para transformar a Seleção no Barcelona Verde-amarelo, mas acredito que seria algo muito mais inovador do que farão Tite e sua “treinabilidade”, Muricy e seu esquema de “bola no Neymar e vamos ver”, Felipão e seus “Camarões e Juquinhas”, ou o Abel Braga e suas vitórias por 1X0 no primeiro tempo ou no fim do jogo. Os treinadores Brasileiros precisam matar um leão por semana, pois do contrário balançam em seus clubes, talvez por isso tenham aprimorado tanto essa forma de jogar que lhes garante(?) resultados. Certa vez no Bem Amigos da Sportv, o Alberto Helena perguntou ao Tite se não havia como os times Brasileiros jogarem com um volantes apenas, e sendo esse um volante técnico. Ele de bate pronto disse que o Corinthians jogava assim, só com o Ralf de volante e muito técnico, e que o Paulinho era meia no esquema dele. Tapou o sol com a peneira. O Paulinho é o melhor volante do futebol Brasileiro hoje, mas é um volante, muito técnico, mas volante. Esse aí é o espírito dos treinadores Brasileiros. São forçados a acreditar na própria mentira de que jogam pra frente.

      • Diego Braz

        Pessoal coloquem a cabeça de vcs para funcionar e repensem essa idéia de Guardiola, pois apesar de ser fã, acho arriscado que faltando 1 ano e meio para copa, façamos 1 experiencia com um técnico estrangeiro e que treinou apenas 1 time na sua carreira e time esse que é o Barcelona, dificil não se sair bem num time como esse, mas entendo também que precisamos de mudanças, mas essas mudança pode ficar para depois da copa pq aí sim ele terá 4 anos para trabalhar. Pensem bem nisso.

        E a propósito desculpe jogar agua no chopp de vcs, mas o Felipão está contratado desde a derrota na decisão da Olimpiada.

        Não tem jeito , vamos ter q aguentar o jeito ultrapassado de treinar do Felipão e torcer para que ele consiga calar a nossa boca novamente, assim como em 2002.

        abs.

    • claudio oliveira

      o que acontece é um espelho do que acontece na própria sociedade. onde manobras são feitas em baixo dos seus narizes e tem que engolir e aceitar. futebol é só um dos muitos meios usados em politicagem. o que o povo pensa e quer, o importante é ganhar eleições. seja pra prefeito ou presidente da CBF

  • Roberto Carlos

    Se eu entendi direito o André Plihal poderia ter sido o autor do grande furo de reportagem na queda do Mano, porem preferiu ouvir os seus colegas mais experientes e escondeu a noticia ao contrário do Lúcio de Castro que quando soube preferiu divulgar, foi isso mesmo?
    Abraços
    Roberto Carlos

    AK: Não. O André e alguns outros repórteres tinha a info de que o MM poderia cair entre quinta e sexta. Só o Lúcio tinha a info de que haveria uma reunião na FPF no início da tarde. Infos diferentes, partes da mesma coisa. Um abraço.

  • Juliano

    Perfect!!

  • Discordo de que a demissão de Mano tenha sido um erro esportivo. Ainda mais “colossal”.

    O mano vinha mais perdido do que cego em tiroteio. Um número absurdo de atletas convocados, dos quais dois terços altamente questionáveis. Para muitos, isso demonstrava que ele dava “chance para todos”, fazendo “necessários testes para uma renovação profunda”. Mas na verdade demonstrava o quanto perdido e inseguro ele estava. Ele esqueceu de que Seleção Brasileira é momento. Uma máxima que, ao meu ver, é sim verdadeira.

    Os jogadores que envergam a amarela nas costas devem ser a extração daquilo que temos de melhor. É preciso suar muito para ter esta honraria. Os jovens jogadores precisam entender o valor de se representar o país mais vitorioso da história do futebol.

    Há de se resgatar o conceito carregado por Zagallo sobre a amarelinha.

    O erro de mano foi conduzir a seleção como se fosse um quintal de testes, banalizando o valor e o peso de nossa camisa.

    Há o elemento político por parte de Marin? Obviamente que há. Mas, vamos assumir, ele JAMAIS poderia ter feito todos estes movimentos políticos se o trabalho de MM fosse impecável. E não foi. E ele, por razões políticas ou não, mudou. Ainda bem, não é mesmo?

    Abraço!

    • RENATO

      Beto, também vou por essa linha.
      Os maus resultados, aliados a apresentações não convincentes, é que foram o motivo principal da queda de MM. E eu, particularmente, acrescento mais uma: a falta de opções disponíveis no mercado à época do término das olimpiadas, ou seja, acredito que NÃO tenha “chovido” telefonemas dos técnicos, ou seus procuradoes no celular de Marin. É preciso entender que naquela época, estávamos em meio de temporada aqui no Brasil….agora, trazer outro treinador fica mais fácil. Inclusive temos um peso-pesado desempregado.

      As demais conclusões sobre a “politica de interesses” na CBF, são respeitáveis pela fonte, mas não necessáriamente verdades.
      Até pouquíssimo tempo atrás, dizia-se que RT era quem ainda mandava na CBF e que Marin era a samambaia de plástico da sala. Nunca acreditei muito nisso, mas era o que se dizia.
      O tempo vai dizer muito sobre a real autonomia de Sanchez…
      Abraço.

    • Alexandre

      Concordo com o Beto.
      O Marin tomou a decisão certa, talvez pelos motivos errados.
      É precipitação de muitos afirmar que finalmente o Mano havia achado o time ideal e a forma correta de montá-lo.
      Simplesmente não há fatos que corroborem esta afirmação, uma vez que não enfrentamos nenhum time top após as Olimpíadas, e empatamos com o único time competitivo que enfrentamos nesta fase, a Colômbia.
      A única constante nesses dois anos e meio de Mano na seleção foi a convocação contínua de novos jogadores ( mais de cem!) e nenhuma indicação de que um caminho coerente estava sendo trilhado.

    • Concordo como Beto Petroni.Os ingredientes principais são:umtreinador a serviço de empresarios comerciantes, Um diretor de seleções ambicioso, pseudo feirante que se interessa sómente por seu projeto de ascensãopessoal, auxiliadopela politicalha mais imunda que o Brasil já conheceu, amparado por uma imensa parcela da crônica esportiva, composta de acessores de imprensa do Corinthians, sempre prontos a participar de qualquer boquinha que apareça!A ironia é que esta canalhaqueira criticar oMarin echamá-lo de desonesto!!!Fazem-me rir!

      AK: O texto está relativamente simples. Lamento sua dificuldade para compreendê-lo. Um abraço.

  • David

    Acho que o erro da demissão se dá no atraso dela e na falta de reposição..
    Pra falar bem a verdade, tecnicos como Felipão, Abelão, Muricy, e Tite.. podem ate formar um time vencedor, mas seria irritante de se ver, ainda mais com o pouco tempo pra acerto. Uma tradução do que fez o Parreira em 94 para o estilo moderno de marcação mais intensa e no campo todo como se joga hoje. Dependendo exclusivamente da improvisação na frente.

    A vantagem do Mano é seu apreço pelo futebol de movimentação e passes na parte ofensiva. Vejo Ney Franco nesse mesmo caminho mas ainda um pouco verde. Fora esses 2, somente Luxemburgo, entre os brasileiros, iria por esse caminho. Luxa que ninguem agora da bola e muito é criticado pelos problemas extra-campo, mas que pela capacidade tecnica e experiencia, seria minha escolha nesse momento.

    Guardiola, seria o meu escolhido pra logo apos o termino da copa, em caso de derrota ou vitoria. Infelizmente, sem conhecer os jogadores que atuam aqui e mais tempo pra trabalhar na comunicação, seria impossivel se acertar pra 2014.

    • fernando

      Conhecer jogadores que atuam aqui??? Qual jogador que atua aqui que iria pra seleção??? Neymar??? acho que ele o conhece, Paulinho??? também acredito que ele o conheça, caso contrário é só apresenta-lo: “Pep esse é o Paulinho…” problema resolvido… , alem disso quem mais temos de tao essencial por aqui que em seis meses de trabalho nao se possa entrar em contato, isso eh uma visao equivocada… O trabalho de Pep não seria em nada atrapalhado por não “conhecer” os atletas que aqui atuam, até porque a maioria joga na Europa, ja jogou contra ele ou sob seu comando. A gente tem medo do fato novo (técnico estrangeiro) e nos agarramos a possibilidades falidas como esses técnicos mais do mesmo que ai estão… Honestamente será que o Tite vai fazer um trabalho melhor que o Guardiola??? Ou o luxa com seu pojeto (sera que o brasil vai conseguir vaga na libertadores???), ou o murissoca que sempre mata os laterais do seu time colocando volantes que tem ordem de mandar a bola pra area assim que passam do meio de campo, sim meio de campo (sou sao paulino e eh assim que o murissoca gosta e que o Santos o tenha em paz…), ou ainda o Felipao (técnico que gosto muito, inclusive queria ve-lo na seleção quando Mano entrou) que atravessa o pior momento da sua carreira…????

    • Diego Braz

      David Parabéns pela coerencia no seu comentário, não podemos fazer um investimento desses há 1 ano e meio da copa. Depois da copa acho até que seria um boa, mas agora não tem como.

      abs.

  • Fábio

    Caro colunista…

    “Difícil imaginar que o próximo treinador dará sequência a esse caminho, por mais lógico que pareça. A pressão para “ganhar feio” deve falar mais alto”

    Você está sendo irônico ou falando de outra seleção? Ou está querendo falar que a Seleção está jogando bonito?

    Seleção sem espírito, sem garra, sem a simpatia dos brasileiros, sem padrão tático e que tremeu diante dos jogos importantes.

    O único que poderia reviver a Seleção (falecida desde 2002, diga-se e passagem) chama Pep Guardiola. Pena que não vão ter peito e devem contratar um técnico meia-boca como todos do Brasil, que vamos combinar… São muito fracos.

  • Anna

    Tiro no pé justamente no melhor momento da Era Mano. Queria Guardiola na seleção. Bom domingo a todos, Anna

    • Antonio

      Porque o Guardiola?
      Nós brasileiros não temos competencia para comandar nossa propria seleção pentacampeã?
      Uma pessoa que nunca viveu no país, terá mais capacidade de nos comandar?

      • fernando

        Sim, ele tem mais competencia que os tecnicos nacionais, essa eh a verdade, assim como no basquete que soh melhoramos com a importacao de um tecnico de ponta estrangeiro, entao nao vejo motivo de espanto ou de patriotada!!!

      • Alexandre

        Cara, na boa, mas que comentários ufanistas.
        O técnico da seleção é um só, não seremos “nós brasileiros” a treiná-la.
        E a Seleção tem só 23 jogadores, ninguém irá “nos comandar”.
        Parece até que a Copa é uma guerra mundial…

        • José Luiz

          E é. Chama-se “soft power”. Pelo menos é um de seus componentes. E dos melhores.

      • Raposo

        Hoje, infelizmente não temos.
        Nossos técnicos sao covardes, e mataram nosso estilo de jogar.
        O Guardiola, por sua vez, adotou um estilo lindo de se ver jogar.
        Todos falam em ganhar a Copa, o que vai ser dificílimo. Argentina, Espanha, Alemanha, estão muita a nossa fonte.
        Nossa maior vitoria seria uma resgate de nosso futebol. Para que possamos ter orgulho de novo de nossa seleção. Seria a hora de um Tele Santana. Guardiola êh um grande nome, que esta dando sopa no mercado.
        Só não me venham com Muricy, Abel e cia.
        O Luxemburgo êh melhor um pouco, o Felipao êh competitivo, pode ser ate que ganhe a copa, mas o único nome que hoje poderia proporcionar alguma mudança seria o de Guardiola.
        Deixemos de patriotada!!!!!

      • Leonardo

        Acredito que o esporte brasileiro precisa é de inovação!
        Concordo plenamente com o que a CBB fez em trazer o magnano.

        Para aqueles que possam ter dúvidas do que precisamos, o filme ” o Homem que mudou o Jogo” relata bem claro o que precisamos.

        Precisamos romper o modelo mental que temos, da segurança do feijão com arroz, não podemos comparar os cinco títulos que ganhamos com o atual momento, 2002 pode ser o mais próximo, os demais títulos tínhamos um líder nato a frente.

      • t.

        o que caracteriza, hoje, a nacionalidade de um técnico de futebol: o país onde nasceu ou a sua filosofia de jogo?

        se levarmos em conta o país onde nasceu, temos vários técnicos brasileiros; se levarmos em conta a filosofia de jogo, temos pouquíssimos técnicos brasileiros, sendo que nenhum deles nasceu no brasil, e, dentre eles, o melhor é o guardiola.

        AK: Excelente. Um abraço.

    • Edwin Perez

      Não concordo com o tiro no pé. Nem bala tinha o nosso revólver! A campanha de Mano + o currículo frágil + ser a segunda opção foi uma mistura que os jogadores não assimilaram.
      Assim como o Dunga tinha moral com os jogadores por ser Capitão e campeão do mundo, o Felipão tb tem pelo mesmo motivo. Mas hoje NENHUM técnico brasileiro seria capaz de fazer muito diferente do Mano, ou seja demitir o Mano,foi como tivesse sido demitido qualquer outro.

      Arriscaria, e esse é o termo, Pep Guardiola. Ganhou tudo e demonstrou o futebol organizado, inventivo, coletivo e vencedor. Teria uma ascendência sobre todos os jogadores, apoio da opinião pública. Mas enfrentaria um patrulhamento da imprensa esportiva brasileira terrível.

  • Paula

    Como assim melhor momento de Mano. O melhor momento de mano foi achar em Oscar o ganso perdido e em Kaka o elo perdido! ou seja, não tem trabalho tático, posicionamento ou conjunto nesse balaio!

    • Matheus

      Um dos melhores comentários que vi, não pela discordância com o jornalista, mas pelo Oscar e o Kaká. A questão que acredito que o André quis colocar é que a Seleção finalmente achou um time e esboçava uma forma de jogar. Nesse aspecto concordo com ele. faltou apenas um detalhe, qualquer outro treinador brasileiro que entrar colocará o mesmo time em campo. Lógico, duvido muito que até o Muricy convoque o Durval, mesmo que fosse para uma Seleção meia boca. Mas no geral, duvido que hajam muitas diferenças.
      Em tempo, perder para um catadão da Argentina e comemorar a vitória nos pênaltis deve ter sido a gota d’água para Marin. Se não foi pra ele, pelo menos foi pra mim.

  • Renato

    erro colossal ? bom momento ? é por essas e outras que a imprensa brasileira é esse lixo.
    quais foram as grandes seleções que o Brasil enfrentou e mostrou esse bom momento ?
    Mano fez um péssimo trabalho do começo ao fim, só pra lembrar : ele convocou DURVAL, deixou o Thiago Neves de titular -dizem que o TN acabou de assinar com o empresário/chapa do Mano e do Andres: sr. Carlos Leite, para, né?
    como minha mãe dizia : “ANTES TARDE DO QUE NUNCA”
    “erro colossal” caraca, eu não sou dono da razão, mas

    AK: Não, você não é o dono da razão. É apenas um sujeito que reclama da imprensa mas lê e comenta em blogs.

    • Neto

      Concordo com vc andré tem gente que acha que sabe e no fim não sabe nem o que a palavra informação significa, carlos leite teve só 4 atletas chamados por mano menezes (informação dada por pvc). é gente que acredita nas meias verdades ditas por romario esse sim “dono da vdd”, despreparado e mau educado politico brasileiro que só não tem irregularidades provadas por não ter tido oportunidade ainda.
      Abraços

  • Rita

    Desta vez discordo de você André.
    Compreendo que o tal do Marin não tá nem aí para Seleção, bem como o tal do Andrés e outros.
    Mas para mim demoraram a demitir o Mano. Deveria ter ocorrido desde a Copa América. Mas infelizmente insistiram com ele nas Olimpíadas ao invés de levarem o técnico que tinha posto o Brasil lá.

    “Ganhar feio”? O Brasil “perdia bonito”? A Seleção de Mano não ganhou nada, de ninguém, nem bonito nem feio, nem sequer perdeu bonito. Uma queda merecidíssima.
    Concordo com o que Paula escreveu.

  • Alexandre prado

    Mano Meneses é um técnico medíocre, dizer que ele formou uma base e que achou o jeito brasileiro de jogar é só para vocês jornalistas que nunca saem do muro. Acho que os motivos da demissão tem muito mais a ver com conflito de empresários do que com política, e aí o futebol saiu ganhando pois os jogadores que o Mano inventou não vão mais estar no time. Davi Luiz é horrível, Ramires faz um jogo, ou um gol num time artificial co o chelsea e vira gênio. Paulinho está em boa fazê, mas compará-lo com Hernanes só para vocês corintianos. E o Hulk,Romulo,Sandro ? Me desculpe, mas vocês jornalistas estão completamente míopes e não contribuem em nada para que saiamos de uma das piores fazes que nosso futebol já atravessou.

    AK: Eu adoro essa de “vocês jornalistas”, principalmente quando vem acompanhada de “acho que…”. Quanto à saída do MM e o momento em que a Seleção se encontrava, me orgulho em perceber que compartilho da opinião de Tostão e Zico. Creio que eles devem conhecer um pouco do assunto. Um abraço.

    • vic sanches

      AK, pelas respostas dadas a aqueles que discordam de sua opinião, sugere que voce não aceita críticas a seus comentários, mas convenhamos, a seleção ganhou de times ridículos. Quando pegou uma seleção melhor, somente empatou. O melhor momento do Mano como voce diz, foram apenas partidas razoáveis que nada encantaram. Nada que garantisse que a seleção seria forte. De mais a mais, colocando tudo na balança, as convocações estranhas, (grande parte, de jogadores negociados após a convocação), sua teimosia em colocar como titular jogadores duvidosos e partidas horrendas já davam indicios da necessidade de mudança. Se foi politica ou não, serviu para corrigir um erro do RT e do Andres que levaram um treinador apenas mediano para a seleção. O Brasil agradece ao Marin. Ou todos os brasileiros estão errados tambem em sua opicião?

      AK: “Todos os brasileiros”? “O Brasil agradece”?? E quanto a aceitar críticas, acho que você vem pouco aqui. Um abraço.

    • Alexandre

      Boa tarde, minha critica não é pessoal, apenas fico indignado,assim como muitos amigos meus, com a postura omissa e pouco critica da imprensa esportiva. Não é possível que profissionais como vocês estejam satisfeitos com o atual time do Brasil.

      AK: “da imprensa esportiva”… O que é isso? E quanto ao trabalho do MM, por favor leia o que escrevi durante o período. Um abraço.

  • Ivan Mello

    Com ou sem idéia de jogo, já vai tarde.
    Não sabe convocar, é rabugento, não sabe armar a equipe e de estratégia nada sabe.
    Já vai tarde !
    Deveria ter ido quando perdeu para o México nas olimpíadas.
    Aturamos muito.
    Não quero ele nem para o meu time de pelada.

  • Mano já era, vamos de coisa nova, É pep guardiola

  • Marcos Vinícius

    Concordo que Pep Guardiola é um excelente nome para dirigir a seleção brasileira,muito mais pela forma de jogo que ele gosta que seu time apresente do que pela curta história que teve,até agora,como treinador.

    Mas um jornal se dispor a enviar uma carta aberta,dizendo que expressa a vontade da maioria,pedindo que o espanhol seja o novo treinador da seleção é uma baita,baita forçação de barra.

    Afinal,quem pensa assim,o “povo brasileiro” ou a direção do jornal?

    • Matheus

      Nesse ponto concordo com você. Que ele criasse um blog e expressasse sua opinião pessoal, achei também uma forçação de barra. Apesar da citação às enquetes, nada lhe dá o direito de falar em nome dos brasileiros. Minha opinião pessoal, Guardiola é o único que poderia trazer algo novo sim, mas não esperem o Barcelona de Verde-Amarelo por dois motivos:
      01 – Não temos o jogador XavIniesta
      02 – Não temos Messi

  • fernando

    Andre, é verdade que o Brasil evoluiu em alguns aspectos, ficando com um jogo mais fluido, mesmo que ainda não vencedor, e isso da uma impressão que sua demissão foi equivocada, entretanto o caminho que levou MM a essa formação foi o acaso e muito lento, ele praticamente foi forçado a levar Kaka, dizem que por pressão da CBF (não sei se é verdade, mas li em outro meio de comunicação). Porém o ponto vital é que suas mudanças de agora ja eram para terem sido realizadas há algum tempo… Eu que sou médico, jogador de futebol as quartas feiras, ja sabia que Kaka tinha lugar nesse time e ja sabia que Damião não tinha, ja sabia que Andre Santos não serve pra seleção ou ainda o Thiago Neves (eita jogo de empresário danado que comentarei em seguida!!!)… Fora as convocações mal explicadas de jogadores que apresentam o mesmo empresário que ele (Luxemburgo caiu por questões similares, salvo engano meu…) como a patotada da Ucrânia ou ainda o Juscilei (assim que escreve??) que era reserva no corinthians comandado por quem??? MM!! e foi pra seleção, até ser vendido e nunca mais chamado… Por isso que penso que sua demissão foi acertada, mas acho que a seleção só se beneficiará se Pep vir, não tenho ilusão de se criar um novo Barcelona, mas alguém honesto, que entende o futebol como a maioria dos brasileiros entendem, só poderá trazer crescimento para a nossa seleção e nosso futebol. PEP NOW!!!!!

    • fernando

      PS- estou de plantao na Beneficencia Portuguesa e por isso escrevo nesse horário, NÂO SOU LOUCO OU SONÂMBULO… rs Grande abraco Andre…!

      AK: Fique à vontade. Que tenha sido um plantão tranquilo. Um abraço.

      • RENATO

        As tais convocações seguidas de vendas para o exterior não são exclusividade de MM na seleção. Isso vem de longa data…
        Ewerthon, ex-Corinthians foi convocado por Felipão, vendido e nunca mais voltou.
        Denilson, que voltou ao SPFC é outro caso, pelas mãos de Dunga.
        São apenas alguns casos que me lembro agora, certamete existem outros…e acho difícil que isso acabe, seja lá quem for o novo treinador.
        Abraço.

        • Alexandre

          Mano Menezes elevou o número de convocações suspeitas a um patamar inédito.

          • Alisson Sbrana

            E você vai condená-lo pelo “domínio do fato”?

  • Joao CWB

    Nossa, faz tempo que não escrevo aqui. Tanto é que só agora vi a novidade da possibilidade de responder os posts dos demais internautas. Parabéns.

    Mas vamos ao que interessa André. Ao invés de tratar de pormenores e assuntos banais como os da seleção e CBF, bem que você poderia falar da volta do Furacão à série A.

    Abraço

  • Emerson

    Concordo que Mano Menezes fez na média um trabalho ruim, mas estava começando a criar uma estrutura de time e não deveria ter sido demitido neste momento. De qualquer forma a melhor coisa a ser feita agora seria tentar Pep Guardiola. Mas não me iludo com esta possibilidade ( ou utopia se quiserem), pois um profissional deste gabarito, não possui um perfil digamos “cordeirinho”, além de provavelmente condicionar sua contratação a uma série de situações que exigiriam com que a CBF tomasse posturas mais profissionais e menos politicas. Bem, sabemos que se tiverem que optar entre mazelas ou futebol, de que lado ficam quem comanda o esporte mais popular do país…

    • José Luiz

      Alguma dúvida que será o Felipão “camarão arroz com feijão”?

  • Massara

    Acho que o Andrés Sanches deveria sair sim. A entrevista dele deixou claro que ele não tem mais clima na CBF. Respostas curtas e evasivas, comportamento impaciente. Enfim, deixou claro que ele está do outro lado do balcão. Então que saia do boteco de uma vez e vá brigar pela mudança de direção do estabelecimento. Lá dentro ele não vai conseguir fazer nada.

    O Mano tomou uma puxada de tapete brutal. Não há dúvida de que a sua demissão nada teve a ver com o futebol que a seleção joga. Política pura. Jogo de bastidores. Sujo.

    Agora, a minha pergunta é a seguinte: já que a eleição do presidente da CBF é um processo essencialmente político, que envolve concessões a presidentes de federações em troca de voto, até que ponto o Marin se preocupa com o desempenho da seleção em 2014 para fins de sua reeleição? Digo isso porque não entendo a antecipação das eleições para abril/2014, já que ganhar ou perder a Copa não é o que elege ou deixa de eleger o presidente da CBF. O que interessa é o quanto você está disposto a favorecer. Se a eleição para Presidente da CBF fosse feita por torcedores (irreal, eu sei), aí sim eu entenderia.

    Abs!

  • Luiz Marfetan

    Gosto de ler o Lance, gosto da diversidade de opiniões. Mas neste comentário está escrito tudo aquilo que eu acho sobre Marin, Sanches, del Nero e CBF. Só faltou a globo.
    Seu comentário é inteligente, como os comentários do outro Kfouri. Valeu mesmo!

  • Eduardo Junior

    Prezado André,

    Ate concordo que o MM saiu em seu melhor momento, mas para mim já foi um erro ter o contratado, técnico sem bagagem alguma internacionalmente, sendo seu título mais expressivo uma copa do Brasil.

    Tinha no mercado técnicos muito mais experientes e vencedores, além de Muricy ramalho.

    Ele pra mim seria uma das últimas opções, e sinceramente? Não acreditei que ele tinha sido convidado.

    E outra, a única coisa que ele fez foi a promoção dos retornos de Kaka e Ramires ao time, que todos já haviam pedindo faaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaazz tempo, e só essa anta que não os convocava, e Paulinho, é claro, que também todos já cantavam essa bola. Precisou o Rômulo se machucar para esse animal enxerga que tinha volantes superiores a Rômulo e Sandro.

    Ou seja, recorreu ao trabalho de Dunga (levou muito ao pé da letra a RENOVAÇÃO).

    Thiago Neves, Arouca? Quando estavam em melhores momentos ele não convocou, agora que eles não vivem em destaque ele convoca? vai entender.

    Enfim, JÁ FOI TARDE.

    Minha opção principal é PEP GUARDIOLA. Conhece os jogadores até mais que nossos técnicos, pois já os enfrentou na Europa, e nosso técnicos só veem via televisão.

    • Matheus

      A primeira opção na verdade foi o Muricy, por questões contratuais com o Fluminense ele não quis ir.

  • Eduardo Junior

    Há ta, para completar: Pep Guardiola não tem experiência de seleção, i dai? Mano nem como jogador teve, nem como treinador tinha experiência internacional e foi. Dunga seu primeiro trabalho como treinador foi a seleção, e olha seus resultados? Bem superiores aos de Mano.

    Guardiola tem tudo para ser um grande treinador, pode não conseguir o título, mais ao menos vai resgatar o futebol arte do Brasil.

  • Ricardo Vieira

    Vamos pela lógica, nesse momento atual e que se encontra em melhor condições como técnico no Brasil é o Abel Braga e o Tite, mas: o Abel é um bom caráter e não irá aceita influência dos mandatários da Seleção por isso acho descartado, com referência ao Tite, duas coisas O timão não vai liberar ele, e o Marin não vai querer um remanescente do ala do Sanches. então sobrou o FELIPÃO, que acho que é o mais indicado pela cúpula da CBF, uma coisa tenho certeza com o Felipão nassa Seleção não vai cair para 2ª divisão só pode perder posição no Ranque da FIFA.

  • alex sandro rocha dos santos

    Boa tarde !!!

    Andre, eu sei que não esse o assunto que está sendo comentado, pois que q esse tal de Andres Sanches se exploda. Gostaria de saber se vc tem alguma noticia se o São paulo estaria negociando o Montillio e o Fabio por Casemiro,Juan Cicero e João felipe, e o que vc acha disso quem sairia ganhado nessa negociações ??

    • Matheus

      O Cruzeiro saria num lucro absurdo.

  • DNH 2012

    Publiquei no Blog do Benja tbm

    Eu não sei vcs, mas não é o Guardiola q vai dar jeito nessa seleção, na minha opinião o Time do Barça é ainda muito bom com o seu novo técnico ainda continua jogando um futebol incrível e vejo q a qualidade desse time fez do Guardiola um vencedor, tudo bem q ele mudou o jeito do Barça jogar, mas esse jeito de jogar vinha da base e foi inclusa no time profissional. Acho q seria sim interessante contratar um técnico estrangeiro, pois os nossos técnicos estão defasados no futebol atual. Não estou sugerindo e nem propondo q seja, mas eu acho q o único brasileiro q tem uma visão mais atual é o Paulo Autuori, mas não o vejo como técnico da seleção. Mas acho q está entre Tite, Felipão ou Muricy mesmo. E infelizmente analisando os jogos da seleção até aqui com o Mano, não vejo um time q vai jogar uma copa do mundo incrível mesmo com Guardiola como técnico, pois essa seleção é muito individualista e vai caber o técnico tentar mudar a cabeça desses atletas q eu acho difícil nesse curto tempo q tem até a Copa e concordo com vc Benja em relação ao Pep Guardiola ele não teria tempo até por q ano q vem aqui no Brasil teremos um zilhão de competições pois o nosso calendário futebolistico é uma mer…, e sem contar com os jogadores q atuam na Europa, seria um grande nome?? sim, mas mudaria alguma coisa?? Talvez um um pouco mais de dois anos ele conseguiria mudar e ele corre o risco de acabar com sua carreira tão promissora com o Barça por água a baixo se não obter sucesso com a seleção, e por fim essa seleção tem q melhorar seu setor de defesa ainda dá muito susto mesmo com Thiago Silva sendo um dos melhores zagueiros do mundo, mas se não acertar essa defesa não vai adiantar de nada pois o time da Espanha por exemplo é uma maquina de passes certos e rápidos.

  • Leonardo

    Mano é fraco.
    Não deveria ter assumido. Não tem currículo para dirigir a Seleção Brasileira.
    Dois campeonatos gaúchos e um paulista. De importante uma Copa do Brasil.

    Pelo menos uns 20 técnicos no Brasil são melhores que ele: Muricy, Joel Santana, Luxemburgo, Felipão, Nei Franco, Carpegiani, Abel Braga, Andrade, Antonio Lopes, Leão, Osvaldo Oliveira, Paulo Autuori, Tite, Celso Roth, Valdir Spinosa, Parreira, Nelsinho Batista, Renato Gaúcho, Levir Culpi, Dorival Júnior, Ricardo Gomes…

    Já vai tarde

  • rafael

    Um tecnico que convoca jogadores a mando de empresarios nao deveria ser demitido, mas sim banido do futebol.

    Mano Menezes foi tarde.

    E que papinho furado é esse q ele estava encontrando um jeito da seleção jogar? O time ganhou de meia duzia de gatos pingados… China, Iraque, Japão.

    AK: É o mesmo “papinho furado” de Tostão, Zico e tantos outros que, me parece, sabem do que falam. Um abraço.

  • Francotimao

    Andre, penso q depois da perda da copa do mundo pelo Dunga e seus jogadores, haveria uma transição e fosse quem viesse a ser treinador da seleção seria sim um “Boi de piranha” e o mano cumpriu sim esse papel, acho q o muriçoca até percebeu isso e não quis o comando da seleção à época, então pode até ser q ele no momento estivesse achando o time ideal, mas pra CBF ele ja cumpriu o papel dele, agora é hora de colocar alguem que o Marin confie como tecnico da seleção e possa colher os louros, pois a “sujeira” o mano ja varreu…!!!!!!!

    • José Luiz

      taí uma boa interpretação…

  • Luiz Ribeiro

    Parabéns pela análise, e pela forma de traçar o perfil do Marin. Bastante original.

  • leonardoatleticano

    André, depois da saraivada que o Dunga tomou por muito menos, não é nenhum absurdo os leitores se assustarem com tamanha boa vontade com o Mano.
    Estranho é Tostão achar que tudo ia bem, o padrão Tostão está muito baixo.

    AK: O padrão continua alto. E ele jamais achou que “tudo ia bem”. Um abraço.

  • Leo Dutra Pereira

    O que qualquer brasileiro sabe e sente sobre futebol, é o que resume a filosofia de jogo que o Guardiola impôs ao longo do tempo no Barcelona sem inventar nenhum esquema complexo de táticas e sim de priorisar o principal fundamento do futebol que é o passe e a posse de bola exercida por jogadores de boa técnica e talento, coisa que o jogador brasileiro tem naturalmente e que não é bem esplorados na maioria das veses nas categorias de base, por isso mesmo ele sabe e nós tambem sabemos, que ser o técnico da seleção brasileira tem tudo para faser sucesso.

    • Matheus

      Será que ainda temos isso naturalmente? Será que não acontece algum fenômeno evolucionista com nossos jogadores? de tanto os treinadores insistirem em retrancas, os jogadores já estão nascendo com essa premissa básica.

  • Neto

    André essa rapaziada que comenta o seu blog é duro hein… são os milton neves da vida, tem gente que nem leu o texto e sai dando pancada até no tostão, outro critica a imprensa omissa ?
    esse com certeza não le jornal ou acompanha seu blog, o do mauro, do pvc sem falar do tostão, mauro beting e outros .
    Tá dificil, agora voltando ao assunto como vc citou, marin é politico ele afasta um adiversario natural que é andres sanches, pois andres ( que não é flor que se cheire) sairia muito mais fortalecido num eventual bom momento da seleção (por ter participado do projeto desde de o começo) do que marin/delnero, que se ganharem o mundial terão feito com seus escolhidos e não com as escolhas do candidato da “oposição”.
    Abraços

    • leonardoatleticano

      Caro, Neto, não vi nenhum ataque ao tostão. Mas graças a Deus, temos o direito de discordar. Ele é fera com as palavras e foi monstro dentro de campo, mas com certeza não é santo e nem sabe tudo. Triste dos burrinhos de presépio que balançam a cabeça para tudo. Mano era técnico de uma torcida só, não era treinador de uma nação.

      AK: Quantas contradições num só comentário. Deve ser recorde. Um abraço.

      • neto

        Ainda acha que é o ser superior kkkkkkkkkkkkk

        • neto

          kabeça pensante por isso esse brasilsão é essa blz

  • Alexandre

    Caro André … O Brasil mostrou algum futebol apenas contra equipes semi-amadores – muito fracas, mesmo … Mas não dá pra ignorar que o “conjunto da obra” de Mano Menezes era pífio. Marin é mau-caráter? Sim, claro que é … assim como o são Mano, Andrés, (e até o Carlos Leite!) e toda a corja colocada pelo Sr. Lula lá …
    Sabe o que é melhor para o povo brasileiro? – Que dane-se o resultado esportivo … Se perder a Copa em casa for o preço a se pagar pela lisura e pela honestidade, está justo! Basta destas Pachecagem de “Pais de Chuteiras”, de alienação barata em propaganda de cerveja …
    O que não compreendo é que tantos jornalistas sérios estejam condoídos com a saída de Mano e Andrés … Como se não soubessem de quem se tratam, e o que faziam na Seleção.
    Vamos ter responsabilidade cívica primeiro … futebol vem depois … bem depois!!!

  • Leo

    Após ler diversos comentários a respeito do assunto, continuo com a mesma opinião. O torcedor brasileiro(e acredito que todos tem o mesmo pensamento) quer ver um futebol ofensivo, vistoso emocionante. Se tomar 5, fazer 6, lutar pelo resultado de forma ofensiva, pra frente. O único técnico que fez isso em muitos anos de futebol foi o Pep. Tá tudo bem, ele tinha messi e cia. Mas antes dele, o barcelona tinha Ronaldinho, Messi e cia e não jogava metade do que o barça de Pep jogou. Sim precisamos de um técnico que busque um futebol de qualidade, com jogadores ofensivos e que faça ate mesmo jogadores como Javier Masquerano(que só batia no cotinthians) jogar futebol de verdade. E isso, NENHUM, isso mesmo, NENHUM dos treinadores brasileiros da atualidade fazem. Então aqui vai meu comentário para o povo patriota. Se temos as melhores peças e não conseguimos lapidá-las para retomar o melhor futebol do mundo, que tragamos alguem que os faça.

    Tudo por um futebol que traga a paixão do torcedor brasileiro!

  • denis dias ferreira

    Alguns analistas argumentam que o Guardiola não conseguiria preparar a seleção brasileira para a Copa do Mundo, pois o trabalho que realizou no Barcelona demandaria um longo período de tempo. Mas será que o Guardiola, que montou um esquema tático quase que perfeito e transformou esse time atual do Barcelona em um dos três maiores times do futebol mundial de todos os tempos, desconhece esse fato? Será que não é consciente das diferenças entre o Barcelona e a seleção brasileira? Outros argumentam que se ele é tão bom como dizem, seria técnico da seleção espanhola. Esses críticos se esquecem que a base da seleção espanhola é o Barcelona e que o esquema tático é o mesmo do time da Catalunha. Esses analistas ignoram que a seleção espanhola é uma cópia fiel do Barcelona e que por isso a Espanha conquistou o seu primeiro título mundial. Outros argumentam que comandar seleções é muito diferente de dirigir clubes. Isso é tão óbvio que não merece comentário. A vinda do Guardiola obrigaria os técnicos brasileiros a saírem do comodismo em que se encontram, a estudarem mais o futebol atual e a reverem suas concepções acerca desse esporte. A presença do Guardiola será o início de uma profunda renovação do futebol brasileiro e o começo da restauração do seu prestígio, assim como a chegada de um técnico argentino resgatou a dignidade do basquete brasileiro.

  • Bruno Morais

    MUDANÇA, MUDANÇA, MUDANÇA…O MANO NÃO DÁ…APATIA TOTAL

    Fora toda essa questão política que envolve a CBF, que infelizmente pra um mero mortal como eu, é um problema crônico. A seleção precisava de um novo técnico, o Mano até que encontrou uma forma para o Brasil jogar, mais não estava conseguindo passar para os jogadores a alma que a seleção precisa ter.

    Não conseguimos resultados contra nenhuma seleção importante e menos ainda nas decisões que enfrentamos.

    A maior qualidade de um técnico é mais do que fazer o time jogar técnicamente, ele precisa fazer o elenco acreditar que é forte e pode enfrentar qualquer seleção.

    O Felipão fez isso em 2002…
    Acho que vale apostar…

MaisRecentes

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo

Troféu



Continue Lendo