NOTINHAS PÓS-RODADA



Só falta definir o vice-campeão e o quarto rebaixado.

Nas próximas duas rodadas, ouviremos os clamores dos apaixonados pelo mata-mata (ou seja, aqueles que não entendem quem temos os dois tipos de competições no futebol brasileiro).

Os jogos da rodada 36:

* Noite de Pato Rodríguez, com mais de 10 mil presentes na Vila, na vitória do Santos (2 x 0 no Figueirense: Rodríguez e Felype Anderson) sobre o rebaixado Figueirense.

* Jogadaça de Felype Anderson no primeiro gol.

* E após sete rodadas, o Vasco (2 x 1 no Coritiba, no Couto Pereira: Lincoln, Romário e Nilton) venceu.

* Com gol de alguém chamado Romário. Simbólico?

* Estreia discreta de Ganso pelo São Paulo (2 x 1 no Náutico: Souza, Luis Fabiano e Rogério Ceni), no jogo que devolveu o clube à Copa Libertadores.

* Seria injusto pedir mais a Ganso, no primeiro jogo. Que o retorno dele seja definitivo, mesmo que tenha de ser lento.

* O Atlético Mineiro (2 x 2 com o Atlético Goianiense, no Independência: Rayllan, Patric, Réver e Ronaldinho) chutou cinco bolas na trave no mesmo jogo.

* Três em cobranças de falta de Ronaldinho. Irreal.

* O Bahia (1 x 0 na Ponte Preta, no Pituaçu: Neto) precisa de mais três pontos para dormir tranquilo.

* O time baiano é um dos três (os outros são os dois últimos colocados) times que só venceram cinco jogos em casa.

* No jogo da taça, o Fluminense perdeu (Cruzeiro 2 x 0, no Engenhão: Montillo e Élber).

* É dificílimo manter a concentração e o nível de competitividade na situação do campeão brasileiro.

* Um empate  trágico: com um homem a mais, sofrendo um gol no final do jogo, num chute que desviou no zagueiro e entrou. Assim o Palmeiras (1 x 1 com o Flamengo, no Raulino de Oliveira: Vinícius e Vagner Love) começou a cair neste domingo.

* O gol do Palmeiras foi praticamente um gol contra de Paulo Victor.

* Terceira derrota seguida (Corinthians 2 x 0, no Beira-Rio: Guerrero e Edenílson) do Internacional. Melancólico final de campeonato.

* O Corinthians está em quinto lugar.

* A Portuguesa (2 x 2 com o Grêmio, no Canindé: Moisés, Léo Silva, André Lima e Zé Roberto) está apenas um ponto acima da linha d’água da tabela.

* Como joga o Zé Roberto.

* O Sport (2 x 0 no Botafogo, ana Ilha do Retiro: Gilberto e Henrique) ainda respira, a um ponto da Lusa e a três do Bahia.

* Acabaram as chances de Libertadores do Botafogo, o que não é uma surpresa.

______

Sobre a situação do Palmeiras, escrevi o seguinte no Lance! desta segunda-feira:

DEMÉRITO

O Palmeiras não mereceu empatar com o Flamengo. O gol de Vagner Love foi uma casualidade que só acontece no futebol, esporte que não precisa ser justo. Mas é um erro – que tem sido cometido por muita gente que entende do jogo – dizer que o Palmeiras não merece a colocação em que está. Nenhum time fica entre os quatro últimos, de um campeonato com vinte participantes, sem apresentar os defeitos que justifiquem tal posição. Defeitos que nascem na falta de capacidade de quem toma decisões, que se refletem na falta de capacidade de quem entra em campo. O Palmeiras tem uma gestão desconectada da realidade e um time muito aquém do mínimo que se espera de um colosso do futebol brasileiro. O argumento de que “é time para o meio da tabela” isenta a equipe do que ela produz. Contradição que até as injustiças do futebol rejeitam.



  • Merecido certamente foi, mas é uma pena que o ano do Palmeiras tenha acabado desta maneira.

  • Sérgio

    Eu entendo que existem dois tipos de competição, mas ainda sim prefiro competições mata-mata. Não acredito que necessariamente a minha opinião deve estar atrelada a falta de entendimento sobre isso, não é preciso desmerecer o que eu e milhares de torcedores pensam sobre o tema.

    Seus textos continuam ótimos!

    Abs,

    AK: Não é uma tentativa de desmerecer. É que não vejo razão para o prolongamento da discussão, a partir do fato de que as duas competições existem e, no ano que vem, serão disputadas pelos mesmos clubes. Você vê algum defensor dos pontos corridos pedir a mudança da fórmula da Copa do Brasil? Um abraço.

    • RENATO

      A questão não é essa….que JÁ existe competição mata-mata, a CB.
      Nós, os que preferem mata-mata, queremos o FILÉ do futebol nacional, o campeonato brasileiro. Simples assim.
      E a discussão de fato já se esgotou e nenhuma das partes convenceu a outra. Portanto, trata-se de gosto pessoal já que existem argumentos fortes de ambas as partes.
      Volta mata-mata!
      Sem desqualificar que tem opinião diferente.
      Abraço.

    • Bruno

      Faço das suas as minhas palavras. Eu pessoalmente gosto mais do fator “random” e imprevisibilidade que o mata-mata proporciona, além de tornar os jogos mais emocionantes.

      Mas é minha opinião. Além do que, do ponto de vista de selecionar os representantes de um país em um torneio internacional, os pontos-corridos de fato sejam mais “justos” (hehehe).

      Abraços, e parabéns ao tricolor carioca.

    • Marceloj José

      Ak , Não pedem para mudar por causa de 3 motivos :
      1) Além de ser uma competição de 2ª e 3º linha com times de 2ª e 3ª divisão, no meu entendimento, para muito times , “ditos grandes” é um prejuízo, pois associo muito a copa do Brasil e o campeonato Brasileiro analogicamente igual a um sparring de boxe, se vc pega e costuma a pegar um boxeador sparring fraco , você corre o risco de perder a luta oficial, então os sparrings (times da copa do Brasil), não exigem ou exigem muito pouco dos times grandes, foi o que aconteceu ao Palmeiras, o título mascarou uma porção de defeitos e deficiências , e quando este por sua vez se deparou com o campeonato brasileiro, pegando times mais fortes passou muitas dificuldades, além é claro de outros problemas administrativos que atingiu o clube.
      2) 2º Motivo que não pedem para mudar, é falta de calendário , uma vez que é inviável uma copa do Brasil ser disputada com pontos corridos.
      3) é uma competiçao política , pois permitem a clubes sem expressão nacional representar sua federações para satisfazer e beneficiar a CBF, pois o custo benefício dela é muito duvidoso , por exemplo , um time grande corre o risco de colocar para jogar um jogador como o Lucas do São Paulo , com todo o respeito ao independente do Pará, mas se ocorre uma contusão séria por jogada violenta ou imperícia etc, e o Lucas se machuca, o Clube perde um alto investimento e uma promessa do futebol mundial por estar disputando uma competição com times bem aquém tecnicamente e o clube pode tomar um prejuízo incalculável. É por isto que não vale a pena. entendeu.

    • Rodrigo-CPQ

      AK, prefiro o Brasileirão da maneira como está, mas não reclamaria se voltasse o mata-mata. Acho que a época mais legal era quando tinha a melhor de três jogos, lá pelos idos de 98/99/00, salvo engano.

      Obs.: somente eu que sou tonto ou tem mais gente que olha a tabela e fica imaginando o cruzamento do 1° com o 8°, do 2° com o 7° e assim por diante? Já imaginei cada duelo…

      • Na verdade os defensores dos pontos corridos não dizem que pela força econômica, em breve teremos só 3 ou 4 times competitivos (SCCP, CRF, SPFC). Hoje times como o BFR, GRÊMIO, SFC, SEP, CAM, CEC só podem competir gastando além de suas condições, gerando o buraco em que cairão. Vejam o exemplo da Espanha, em menos de 20 anos acabou a competição, na Itália só 2 Milan e Juventus. Aliás a Itália é o exemplo perfeito, pois tem “supostos grandes” ( Roma 2 títulos em 100 anos, Lazio idem, Inter que ganha 1 a cada 20 anos e sou interista hein, Napoli, Fiorentina.
        Vai ficar bom pra Globo, que se pudesse faria um triangular entre SCCP, FLA e SPFC que durasse o ano todo.

        AK: Entendi. Quer dizer então que, para resolver o problema de “distribuição de renda” no futebol brasileiro, a solução é mudar a fórmula do campeonato para um tipo de competição que não premia o mais competente? Um abraço.

        • Júnior

          Minha preferência é pelo modelo mata-mata, gostaria que fosse assim no principal campeonato nacional.
          Acredito que é um equivoco o Brasil mirar apenas a europa para tomar como modelo na organização de disputas esportivas. Temos os EUA, com vasta extensão territorial, que possuem vários esportes com grande sucesso, tanto em organização quanto em aceitação – NFL, NBA, NHL, MLB são exemplos de campeonatos bem organizados, com vários times competitivos, num país com dimensão continental e que funcionam muito bem no sistema mata-mata. Assim como na europa, os estádios estão cheios do começo ao fim do campeonato.

        • Edson Luiz

          Competência também depende do ponto de vista, principalmente em um esporte como o Futebol, não há argumentos para que provem ser possível premiar o “mais competente” neste ou naquele modelo. Assim como não há como comparar o Futebol a outro esporte, são muitas emoções e muito investimento que permeiam o jogo. Entendo que o campeão deve ser aquele que apresenta, dentro das regras do jogo, o melhor resultado. Observo também que por ser um produto de consumo, os responsáveis não poderão desconsiderar milhões de consumidores insatisfeitos, ou será que num país de mais de 200 milhões de habitantes só interessariam quatro ou cinco times?

          AK: A quantidade de confusão de conceitos em apenas um comentário é assustadora. Um abraço.

          • Alisson Sbrana

            É, também não entendi nada.

            Essa conversa de mata-mata sempre volta quando um time se sobressai muito. Um ‘mata-mata’ nunca alcançaria a emoção da última rodada do campeonato de 2009…

            Sou santista. Meu time foi o último a ganhar um brasileiro por mata-mata. Para mim, um dos jogos mais emocionantes da história recente do Santos.

            Mas a emoção de um jogo (ou dois), não pode se sobressair a razão (pelo menos a minha). Um campeonato por pontos corridos torna todos os jogos “uma final”. Os times (e torcedores) que não percebem isso, ficam aí, como o Santos, ou pior (como Palmeiras) pelo meio das tabelas, injuriando a inatividade imposta (às vezes, por um calendário danoso) pela incompetência dentro de campo e falta de visão fora dele (de técnicos e dirigentes).

            ————
            sobre premiar competências, comparemos os dois campeões do ano dos torneios nacionais…
            ———–

            A próxima copa do Brasil há de vingar a sanha dos torcedores de dois jogos, já que todos os jogos são mata-mata (ainda será assim, não?).

            (desculpe o texto longo)

  • Sérgio

    e realmente é uma pena a situação do Palmeiras.

  • Sérgio

    Concordo contigo André, não vejo defensores dos pontos corridos querendo mudar a Copa do Brasil, mas nos acostumamos a ver grandes partidas no mata-mata no Brasileirão (ok, não é bem um argumento embasado, quase um desabafo), que parece realmente um campeonato superior a Copa do brasil, independente de sua fórmula. Sou um defensor do mata-mata que aprendeu a gostar dos pontos corridos, mas confesso ainda ter algumas abstinências em relação a fórmula antiga. Quem sabe com um calendário mais adequado e com a participação de todos os clubes, talvez essa sensação saudosa acabe passando.

    Abs!

  • Vamos às minhas notinhas e indagações:

    1) Mesmo triste com a queda do Palmeiras. Momento para citar um amigo Corinthiano: “Uma pena pela torcida, mas não pelo time e pela diretoria. enquanto os times forem comandados por bandidos que se denominam apaixonados, vamos continuar vendo os grandes caírem…”.

    2) O que falar sobre o jogo de Guga e Djoko? Emoção do início ao fim! As homenagens do sérvio foram incríveis! Ele vestido de Guga e, depois, aquela camiseta! Não me lembro de nenhum acontecimento tão bonito no nosso esporte! Vai falar algo sobre?

    3) Ainda sobre tênis, que incrível o final da Davis Cup! Provavelmente a Rep. Tcheca só ganhou por estar em casa! Emocionante! Concorda?

    4) Outro ponto a se comentar: apesar das mazelas econômicas e sociais que vive a Espanha, o momento esportivo é único: campeão mundial de futebol de campo, vice campeão de quadra, vice campeão da Davis Cup e medalha de prata no basquete. De orgulhar o povo que vem sofrendo tanto. E o filósofo brasileiro Cortella ainda disse outro dia que, se analisado friamente, o esporte é uma atividade absolutamente desnecessária. Não deve ser uma opinião partilhada pelos espanhóis.

    5) (e última): viu a entrevista do Seedorf no Altas horas? Destaque especial para a resposta sobre racismo e violência de torcedores no futebol. Que exemplo de profissional!

    É isso!

    Abraço!

  • Anna

    O Palmeiras acordou tarde demais! Triste, muito triste. 🙁

  • Aos saudosos do mata-mata;
    Muita gente reclama que agora, faltando duas semanas para o final do campeonato, o campeão e o G4 estão decididos, e muitos jogos serão “amistosos”.
    O que o pessoal esquece (ou tem uma estranha dificuldade para entender) é que, no mata-mata, nas últimas duas semanas do campeonato, só restam dois times na competição – e os outros dezoito já estão de férias, sem qualquer fonte de renda!
    No sistema atual, ainda que este tenha sido um ano totalmente atípico (um time disparado na frente, G4 praticamente definido e rebaixamento idem), ainda assim, hoje, temos três times disputando a vaga direta da Libertadores (Grêmio, Atlético-MG e, mais remotamente mas ainda com chances, São Paulo). Além disto, a disputa contra a última vaga de rebaixamento ainda torna importantes os jogos de seis times (Sport, Portuguesa e Bahia em brigas diretas; Náutico, Coritiba e Ponte Preta ainda ameaçados). Ou seja; quase a metade dos times ainda está brigando por alguma coisa!
    Resumindo; para quem gosta de campeonatos decididos em pênaltis, tem saudades de finais inesquecíveis como Atlético Paranaense x São Caetano, acha ótimo ver o melhor time perder por injustiça ou erro de arbitragem, existe sempre a alternativa de acompanhar a Copa do Brasil. Campeonato nacional de futebol é por pontos corridos, seja na Alemanha, Inglaterra, Espanha ou Letônia. O resto é papo furado.

    • Marcus

      Concordo em gênero, número e grau! A Copa do Mundo só é por mata-mata por falta de calendário, senão… Pra se ter mata-mata q determine quem de fato é o *melhor* precisaríamos fazer como no hóquei no gelo (EUA/Canadá), com melhor de cinco, no mínimo. Só um adendo, porém. Eu acho q NÃO deveria haver rebaixamento, mas antes uma *Liga*. Acho q a melhor idéia seria ter uma liga com *somente* os q foram campeões nacionais (16 no total) e 4 vagas por mérito q variaria de um ano pra outro. A vaga permanente só ocorreria se o time viesse a ser campeão nacional. Por q? Pelo aspecto da torcida, oras! O q importa é público no futebol. É um absurdo um clube com a grandeza de um Palmeiras (por mais péssimas administrações q ele possa ter tido) ir pra uma 2a. divisão. Já basta você ser um… “lanterninha” da competição pra tomar gozação dos torcedores adversários… 😉
      Abraços,

      • Fábio Minghetti

        Errada está a torcida em apoiar o time só quando está nas primeiras colocações da Série A. Uma liga sem rebaixamento seria perfeita para absorver péssimos trabalhos dos clubes.

    • Li Ma

      Márcio, concordo totalmente com vc. Como podem preferir um campeonato, em q é possível, que o time q passe o campeonato inteiro na frente, com 13 pontos à frente do 8º, com melhor defesa, melhor ataque, mais vitória, veja tudo isso vir abaixo em um único jogo(ver 2002)contra esse 8º colocado??Esse ano, o flu disparou, mas em outros anos, várias rodadas emocionantes foram acontecendo, não só para 2 torcidas, mas para diversas.Mata-mata, espero, nunca mais!!! Nó máximo, aquela fórmula, do campeão do 1º turno decidir contra o campeão do 2º turno. Seria uma final resultante das melhores campanhas .Salvo, se o mesmo time ganhar os 2 turnos!!! Essa era a fómula do paulistão, alguns anos atrás.

      • Paulo Pinheiro

        Li Ma,

        Essa é a fórmula que eu defendo.

        Também acho um exagero “ressuscitar” o 8° colocado pra ter a chance de ser campeão.
        Mas o final do ano fica sempre vazio sem uma final de campeonato. Faz campeão de turno contra returno.

        Sobre o argumento de que o campeonato de pontos corridos é o “mais justo” eu contesto. Vi alguns times serem campeões sendo beneficiados sistematicamente por arbitragens em critérios duvidosos de faltas e cartões. Só que esse benefício fica diluído ao longo das rodadas e quando se vê o time termina o ano com apenas 7 gols tomados e ninguém presta atenção no que aconteceu. Ou seja: o campeonato de pontos corridos é o melhor pra se “forjar” um campeão sem despertar suspeitas.

        E digo mais: o argumento de que um time “campeão” pôe tudo a perder numa final quando um detalhe pode tirar toda a sua ótima campanha (aquela de talvez vencer quase todas por 1×0) respondo o seguinte: campeão que é campeão tem que ter a competência de confirmar. Time amarelão não merece ser campeão. O que é “competência”, pra você?

        AK: Competência é ser o melhor em condições iguais para todos, num intervalo de tempo em que acidentes podem ser balanceados. É simples. Um abraço.

        • Thiago

          Um time prejudicado pela arbitragem num sistema de pontos corridos pode correr atrás do prejuízo em outras 37 rodadas. No mata-mata, com apenas dois jogos por vez, um erro do juiz tem um impacto muito maior. Quanto ao lance de “forjar campeão” e etc, me parece simples: eu não assistiria um campeonato que eu soubesse que está sendo manipulado. Não tem o menor cabimento.

          • Paulo Pinheiro

            Thiago,

            Você deixou de assistir ao Campeonato Brasileiro quando descobriu que havia um esquema de arbitragens em 2005 (e que já vinha de anos anteriores)?
            Eu não.
            No mais o período em que pode ter acontecido o que eu afirmei acima já passou. Fatos decisivos ocorreram nesse período (fim da “amizade” do RT com o presidente do beneficado clube, por exemplo).

            André,
            Pra mim competência inclui ter força e concentração necessários pra confirmar sua superioridade numa final. Mas é questão de opinião. MESMO.

  • Raposo

    Pontos corridos êh muito chato. Não acho que seja o caso de mudar, estabilidade faz bem, mas êh chato demais.

  • Cezar

    Eu gosto muito da forma como é disputado o Brasileirão e isso desde o início. Premia quem mais vence, quem menos perde, quem mais investe, quem se planeja. Todo ano é a mesma coisa, a torcida que não consegue ser a campeã, vem reclamar do mesmo assunto. Sobre o que falta a definir, não acho que as coisas estejam bem claras no inicio da tabela o tal do G4. O futebolzinho medíocre que o Galo apresenta, não lhe garante nem a terceira colocação, uma vez que em casa onde não sabe o que é perder, quase perde ontem para o lanterna de novo. Acho que o Grêmio fica em segundo e o São Paulo fica em terceiro, pra mim e por mim, o galo fica em quarto isso pq o Botafogo é outro timeco kkkkkkkkkkkkkk. Bom o campeão já se sabe quem é e com todos os méritos e mesmo se perder os próximos dois jogos que faltam, ainda será o que mais venceu e o que menos perdeu. Eu se fosse o Abel, faria agora contra o Sport, uma mescla de jogadores que ainda não jogaram direto com os meninos de Xerém pra ver como fica esse negócio aí. Deixaria os titulares descansando mais um pouco e só retornariam na despedida contra o Vasco. Há como é bom ser campeão antecipado. E vejam que o povo chora mais não muda nada, continua como sempre, sem capacidades. Vejam o Fluminense foi a campo ontem festejar e não tava nem aí pro jogo, resultado, perdeu (embora o Cruzeiro jogou mais que todo o campeonato) e seus adversários não avançaram DE NOVO kkkkkkkkkkkkkk O Flu perde ou empta, mais o Grêmio e o Atlético não andam kkkkkkkkkkkkkk, mais nem no finzinho, que é isso hein???? É destino o Flu terminar essa competição com 09 pontos em cima do Galo kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Paulo Pinheiro

      Pois é, véi.

      Então é isso: o time já venceu o que tinha que vencer e a torcida enche o estádio pra ver o time “se perder tudo bem”.

      Se isso é “campeonato emocionante” pra você, beleza.

      Eu não me contento com mediocridade.

      AK: Emocionante? Você viu Atlético-MG x Fluminense? Viu Palmeiras x Fluminense? Comentário oportunista, véi. Um abraço.

      • Paulo Pinheiro

        “Oportunista” não quer dizer necessariamente “espertinho”, certo?

        É realmente a “oportunidade” de se mostrar na prática o que acontece.

        Não vi Atlético-MG x Fluminense (embora tenha visto imagens depois), mas vi Palmeiras x Fluminense (assim como uma meia dúzia que se dignou a ir ao estádio).

        No primeiro caso “jogo que parece final”. Ou seja: QUASE uma final. Fica sempre o hiato. Até porque após o apito final o torcedor não sabe se é já pra comemorar ou chorar pelo resultado porque tem outros jogos pela frente, então ele fica na sua.
        No segundo caso, um campeão que ficou minutos sem sequer saber que já era campeão… perfeito…

        Olha, não desmereço a fórmula de pontos corridos. Só que senti desmerecida a MINHA idéia ao longo dos comentários aqui, então estou dando o contra-ponto.

      • Alisson Sbrana

        Eu me contento com mediocridade. Pode continuar, Paulo Pinheiro!

        • Marcos Paulo

          O campeonato por pontos corridos é tão chato e monótono que até a taça queriam entregar em evento social. Perdeu o sentido ir ao estádio, só a crônica insiste na hipótese (e não tese) de que futebol deve premiar a regularidade. A graça é o momento, o imprevisível, clube não é empresa e não deveria ser, é paixão, é diferente. Estão destruindo o futebol brasileiro adotando o modelo de gestão que priva o público do imprevisível.
          Um campeonato longo, amarrado, cheio de erros pontuais que são diluídos e que no final privilegiam o poder meramente econômico de uma agremiação.
          A quem interessa pontos corridos? A imprensa, crônica ou ao público?
          Quem manda nesta porcaria é o povo, o povo cansou desse formato chato.
          Quem não fica vidrado aguardando os jogos de ida e volta de uma Libertadores, aqueles jogos de vida ou morte? Aí ligo a TV para assistir um Sport e Botafogo, ou Palmeiras e Flamengo valendo quase nada, isto é, um dos lados tem interesse em algo, mas e o outro?
          Querem adotar o formato europeu, a velha mania de importar, de que tudo deles é melhor, síndrome de vira-lata que parte do nosso povo não se livra graças aos “eternos intercambistas” da imprensa e crônica que viajam até Austrália, Irlanda, Londres, trabalham de garçom, puxador de carroça, e voltam ao Brasil como donos da verdade e conhecedores do melhor do mundo.
          Lembro de um Maracanã com 100 mil pessoas pulando e gritando, agora querem colocar cadeiras estilo Camp Nou, só falta colocar cinema e fliperama no estádio para distrair quem está com sono dos chatos jogos.
          Por isso esse fracasso de público crescente, ingresso cada vez mais caro para jogos em graça e apelo.
          Até esse lixo de Copa do Brasil ainda tem seu charme nas fases finais.
          Quem disse que futebol é ciência exata, que é estatística e matemática? Que números representam algo no esporte? Futebol é gol, título e gozação! Que graça há para o Fluminense dar um volta olímpica contra o Cruzeiro que nada disputava na rodada? Legal se fosse o jogo que valia o título também para o adversário, aí amigo estádio lota, camisa vende.
          O problema é que vivem importando os modismos.

          AK: A parte que mais gostei foi “um modelo de gestão que priva o público do imprevisível”. Realmente espetacular. Um abraço.

  • Emerson

    Enquanto a SEP continuar a ter seu futebol controlado por pessoas incapazes de produzirem resultados mesmo gerindo a equipe com quarta maior torcida e com uma das cinco maiores receitas do Brasil, seguirá fazendo a alegria dos rivais. Pode ser pior? Sim, principalmente se levarmos em conta que dos últimos 35 anos o Palmeiras foi coadjuvante em pelo menos 26 deles…

  • Mauricio Branzani

    André, boa noite! Me desculpe por meter a colher, mas achei digno de nota o gol de Lincoln, pelo Coritiba. O domínio da bola vinda de cobrança de escanteio e a virada sem deixar a bola cair foram plasticamente belíssimos. Você viu? No mais, você foi perfeito. Parabéns pelo blog.

    AK: Vi, sim. Concordo. Um abraço.

    • Um golaço, de fato!

  • Raposo

    Só pra esclarecer. Sou tricolor e estou muito feliz com o título. Comemorações a parte, continuo achando pontos corridos chatíssimo.

  • David Martins Pessoa

    O Campeonato poderia ser por pontos corridos, mas ao final de dois turnos os quatro primeiros iriam para a semifinal. o cruzamento das semifinais seria 1×4 e 2×3. com a vantagem do empate nos dois jogos para os dois primeiros colocados. mas se a diferença de pontos do primeiro para o quarto e do segundo para o terceiro fosse de 10 ou mais pontos, o terceiro e o quarto colocado teriam que vencer os dois jogos para se classificarem. se empatassem o primeiro jogo já estariam fora. a mesma coisa seria em relação aos finalistas. acho que assim além de ser mais justo, daria mais emoção ao campeonato.

    AK: Não, não seria mais justo. Um abraço.

    • RENATO

      AK, o fundamentalista dos pontos corridos…rsrsrsrsrsrsrsrsrs…
      Não dá pra acreditar que vc não admita NENHUM ajuste à formula atual…

      AK: O conceito da fórmula não permite ajustes. Um abraço.

  • adams

    1980: Nunes dá um drible em silvestre aos 37 min do 2. tempo. FLA campeão: 160 mil torcedores no Maraca; 1981 num jogo emocionante, Baltazar mata no peito e em pleno morumbi, cala 100 mil torcedores do SP: Grêmio Campeão; 1989: Sorato, cala o SP (de novo) com 100 mil no Morumbi; 1996: Grêmio de virada vence a Portuguesa num jogo emocionante com 60 mil no Olímpico; 1999 num jogo fantástico o Corinthians vence o Patético Mg com golaço de Marcelinho… E finalmente 2002: num jogo fantástico, Robinho dá as famosas pedaladas em rogério… Santos campeão. Citei algumas decisões. Podia ter citados todas de 80 a 2002. Se fosse os Pts corridos, algum desses fatos teria ocorrido? Alguém lembra de algum jogo fantástico q o SP fez no seu tricampeonato em 06/07/08? Nas decisões q se forjam os HERÓIS. Não há HERÓIS em campeonatos de pts corridos. Todas as decisões, todos os heróis, todas as estórias q entraram para a história do futebol, foram nos campeonatos de ‘mata-mata’. FATO.

    AK: Não queira transformar a sua opinião em fato. Um abraço.

    • Paulo Pinheiro

      Ah, adams

      Mas nos pontos corridos têm “jogos que parecem finais”, pra quem ainda insiste em ser chato por pedir emoção no futebol…

      Além disso teve aquele jogo ultra-emocionante de 2005 no Pacaembu que definiu entre Corinthians x Internacional, como numa final antecipada.

      Nós somos insuportáveis por querer finais, né adams?

  • Marcos Nowosad

    Fato sobre o qual não vi muito destaque na mídia durante o fim de semana.

    Com a vitória do Cruzeiro, o clube mineiro já pode comemorar a manutenção do título (simbólico) de “melhor campanha da história do Campeonato Brasileiro na era dos pontos corridos”.

    Até aquele jogo, Cruzeiro (2003) e Fluminense (2012) estavam praticamente empatados (com vantagem percentual mínima para o clube mineiro).

    Com a derrota, ficou matematicamente impossível o Fluminense de 2012 alcançar o percentual de 72,5% de aproveitamento do Cruzeiro em 2003.

    Mesmo vencendo os 2 jogos restantes, o tricolor poderá alcançar somente a média de 71,9%.

    Será que esse fato serviu de motivação indireta (leia-se “bicho dobrado” por parte dos dirigentes mineiros) para a boa atuação dos jogadores cruzeirenses contra o Fluminense?

  • Marcos Vinícius

    Cara,mas como assim “só falta decidir o vice e o quarto rebaixado”?

    Teve um tal de Paulo Sérgio que apareceu aqui a alguns meses e disse que o Flamengo terminaria o campeonato entre os oito primeiros.

    Ora,pois então falta o Paulo Sérgio aparecer aqui e assumir que o time dele é limitado e por pouco não foi rebaixado!!!

    E então,Paulo Sérgio,onde estás?

    • Paulo Pinheiro

      Eu sou “paulo sérgio”, mas não fui eu quem falou.

      De qualquer forma o Flamengo tem condições matemáticas de chegar a 8° ainda, embora não dependa só de si pra isso.

      Agora dizer que “por pouco não foi rebaixado” é a maior forçação de barra que um vascaíno poderia fazer. O Flamengo nunca esteve a menos de 4 pontos da ZR e por várias rodadas haviam uns 5 clubes entre o rubro-negro e a zona perigosa, sem que ninguém falasse no “perigo de rebaixamento” deles. Falam do Flamengo porque dá repercussão falar do Flamengo.

      • Marcos Vinícius

        Na verdade o Flamengo esteve a três pontos da ZR,só não lembro a rodada,mas empatou e o time mais próximo perdeu,então abriu quatro. Isso sim que é forçação de barra.

        Falam do Flamengo porque o time é ruim.

        • Paulo Pinheiro

          Contra-producente ficar falando de time ruim.

          Eu prefiro falar de time bom.

          • Marcos Vinícius

            Então mude de time e se desculpe por passar um informação errada,como você fez em comentário anterior. Se não sabe o que dizer ou não tem argumentos convincentes,abstenha-se de qualquer comentário.

            • Paulo Pinheiro

              Você bebeu?
              O único momento da competição em que Fla esteve a menos de 4 pontos da ZR foi com os 3 empates nas 3 primeiras rodadas.

              Depois disso a pior posição foi o 16º lugar nas rodadas 24 e 25, quando esteve a 4 pontos do Sport (o primeiro da ZR).

              Sei não… você não está tão expert em Flamengo quanto gostaria de estar.

              • Alisson Sbrana

                hmm… Muito longe do Z4. Tem razão.

              • Marcos Vinícius

                Cara,não bebo,mas penso que talvez você não tenha aspirado coisas aconselháveis para afirmar isso. Veja a classificação do seu time na rodada 24 e 25 e depois conversamos.

                Claro que não sou expert em Flamengo. Não perderia meu tempo com tamanha futilidade.

                • Paulo Pinheiro

                  Mesmo na 16ª colocação o Flamengo não esteve a menos de 4 pontos. Precisariam duas rodadas de fracasso pra “chegar lá”. Só existiu uma coisa: torcida dos secadores pela queda que – novamente – não aconteceu. A imprensa trabalhava isso porque gente como vocês vão lá avidamente ler. Mas só deu a lógica: várias rodadas antes tal condição matemática já não existia.
                  Em alguns momentos o Flamengo estava a menos pontos do G4 do que do Z4 e ainda assim vinham linhas falando sobre “O perigo do rebaixamento”.

                  Pfff

                • Marcos Nowosad

                  Marcus Vinicius, com o Google a disposicao, nao ha’ argumento para publicar fatos incorretos (a nao ser preguica ou despreocupacao mesmo em ser preciso).

                  Em contrapartida, seu “arqui-inimigo” Paulo Pinheiro esta’ corretissimo. O único momento da competição em que Fla esteve a menos de 4 pontos da ZR foi com os 3 empates nas 3 primeiras rodadas.

                  Consulte, por exemplo, a ferramenta de “tunel do tempo” do site Futpedia.

                  http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/#/tunel-do-tempo

                  Na rodada 24, o Flamengo (30 pontos) estava a 7 pontos do ZR (Sport, 23 pontos).

                  http://futpedia.globo.com/campeonato/campeonato-brasileiro/2012#/fase=fase-unica/rodada=24

                  E na rodada 25, o Flamengo continuou com os mesmos 7 pontos de sepracao ao ZR (31 pontos, contra 24 pontos do Sport).

                  Nao custa nada ir no Google da proxima vez…

  • Justa deve ser a vida, todos falam que isso melhorará o Futebol brasileiro, mas como? Com dirigentes levando grana nas transações e negociações com a tv? De que outra forma se justificaria um “apaixonado pelo clube” fazer negócios que matam o clube?? Deixar empresários mandarem na base?? Quem ganha com o Wagner Ribeiro e seus assemelhados?? Quem pagou ao Mano pra convocar o Jucilei, Elias, Felipe Gabriel, Renam do Avai ???????? O Santos ganhou o que quando vendeu metade da base pra DIS, quem assinou isso não vai preso???
    Se os clubes fossem sérios (diretores) os empresários estariam falidos em uma temporada.
    Me desculpe, enquanto o futebol for gerido assim, no mínimo merecemos a emoção do mata-mata…. Quer pontos corridos assista a chatice do Italiano, Espanhol, Frances, etc..

  • Raposo

    David,
    o AK tem razao. A sua formula nao seria mais justa. A formula mais justa eh a de pontos corridos. O problema eh que eh muito chata. Se o time nao iniciar bem , fica o campeonato todo sem aspiracoes. Para mim eh anti- comercial. Seguimos o modelo Europeu quando deveriamos ter seguido o Americano. Nao ha um esporte nos EUA que nao tenha play offs. Se fatura uma fortuna. A copa do mundo eh injusta. Se fosse por pontos corridos, o Brasil provavelmente teria vencido em 1982, mas apesar de injusta, a gente ADORA porque eh emocionante, dramatica. E isso vende, e vende bem!

  • Raposo

    AK,
    Voce me desculpe, eu acabei de ler o seu comentario sobre as novas regras da Copa do Brasil. Eu nao sabia que haviam mudado. Agora com os melhores clubes disputando vai deixar de ser um torneio de menor expressao e vai se tornar interessante.
    Nao sabia disso, lhe dou toda a razao, com essas mudancas vamos ter um campeonato de cada tipo, sendo os 2 de primeira linha.
    Realmente, nao ha mais motivos para esta discussao, lhe peco desculpas por ocupar esse espaco com uma discussao inutil; nao sabia das novas regras.
    Abraco

  • Adoro essa palavra: JUSTIÇA!
    Então quer dizer, que só no campeonato de pontos corridos, existe a tal justiça???
    Os estaduais, a copa do brasil, a libertadores, o mundial interclubes, a copa do mundo,
    a liga dos campeões da europa, a copa da uefa, a copa do rei, a concacaf, a copa da inglaterra,
    a copa américa, a sul americana, a eurocopa, a copa das confederações…
    entre mtos outros campeonatos pelo muindo, são injustos?? Pera ai, né?!
    Cada um é a favor de um tipo de regulamento. Não vejo problema nenhum nisso. O preocupante,
    é que hj em dia, a pessoa que fala ser a favor do mata-mata, parece que ele é
    um criminoso, que não entende nada de futebol e pensar assim, é retroceder.
    Esses senhores da razão, donos do óbvio, usam sempre o msmo argumento: falam que na europa é pontos corridos e que é a fórmula mais justa.
    Até entendo, que brasileiro tem complexo de vira-lata e adora copiar tudo e todos, infelizmente.
    Somos capazes até msmo, de acabar com uma cultura, em defesa de uma tese européia.
    Chega a ser patético! Mas é verdade. A culpa disso não é do povo, nem da imprensa.. ja é algo cultural. E só irá mudar com a evolução e com o passar do tempo.
    Há menos de 50 anos atrás, a população brasileira, era de 80 milhões de pessoas, aproximadamente. Nessa época, o Maracanã tinha uma capacidade de mais de 150 mil pessoas. A população foi crescendo, crescendo e os estádios, curiosamente, foram diminuindo. Tem cabimento isso? O argumento era sempre o msmo.. ahh, é ordem da fifa, na europa é assim, é o modelo europeu, precisamos nos adequar, etc. Como se não bastasse, mandaram acabar tbm com a geral,
    disseram que aquilo era horroroso, não tinha a mínima segurança e blá blá blá…
    O que os nossos mestres do conhecimento fizeram?? Tudo que eles mandaram. óbvio!
    Como se fossemos cachorrinhos de madame. Como se eles soubessem tudo de futebol.
    Como se eles soubessem fazer festas lindas nas arquibancadas. Como se eles fossem exemplos de segurança… Enfim, dessa forma, o nosso futebol nunca vai evoluir.
    Pq sempre que tentamos evoluir, copiamos formatos, fórmulas, técnicas, modos, manias.. dos outros.
    Nada contra! Até acho, que devemos copiar as coisas boas, para que possamos evoluir.
    Mas não podemos copiar tudo! Deveríamos evoluir do nosso jeito! Crescer da nossa forma!
    Nós fazemos tudo que mandam a gente fazer. Isso é ridículo! Não é a toa, que somos
    chamados de macakitos, por todos. E não somos respeitados nem pelos nossos hermanos aqui da América. Como se não bastasse, mtos dizem que precisamos ‘aprender’ a torcer, igual a eles tbm. Como assim? É isso msmo senhores! Gol num clássico – vc continua sentado, levanta o bracinho e comemora. Ponto. E ainda tem o cúmulo do absurdo, qdo pessoas dizem assim: o neymar indo lá pra fora, irá evoluir mto. Como assim? Em 70(a maior seleção da história), foi campeã do mundo e todos os jogadores atuavam aqui. O futebol mudou, tudo bem. Mas é impossível, alguém aprender a jogar futebol. Ele pode evoluir taticamente, sim. Mas o futebol em si, não! Jamais! Quem viu os maiores craques da nossa história, atuando nos nossos gramados, sabem o que eu estou falando. Fora do estádio e do campo, sei que o futebol virou negócio. E envolve mto dinheiro. Mas não podemos acabar com a tal coisa, que move todo esse ‘negócio’. Que é a emoção, a paixão, o desejo, a torcida, a alegria… Se virar 100% negócio.. Morre! Opinião minha!
    Hj em dia, a nossa população cresceu e os nossos estádios, ridiculamente, diminuíram.
    Hj em dia, assassinamos uma cultura, em nome da modernidade! Enqto isso, o borussia(alemanha), coloca só na sua Geral, 25 mil pessoas por jogo. Eles tem a melhor média de público do mundo, 80 mil por jogo. E ja estão pensando em aumentar o estádio deles. Resumindo, os gringos vendem um produto pros alienados, os papagaios compram esse produto e depois… snif snif snif , se arrependem.
    diminuímos nossos estádios, diminuímos nossas festas(com proibições imbecis), e voltando ao assunto – diminuímos a emoção do nosso campeonato.
    Fizemos tudo isso e mto mais.. em nome da europanização.
    Será que ainda não percebemos, que estamos matando esse apaixonante esporte?
    E o pior, ainda tem pessoas que dizem: eles evoluíram! E nós precisamos evoluir tbm.
    Será que não podemos evoluir do nosso jeito? Com a nossa cultura? Com a nossa forma de ser? De torcer? De viver mesmo. Dentro dos estádios, a violencia até diminuiu na europa. Isso é fato! Mas dentro dos estádios, aqui tbm ficou bem tranquilo. O problema é fora. E fora, a violencia é grande lá, aqui, na argentina, no uruguai… as torcidas organizadas da itália, espanha, inglaterra, argentina… são facções criminosas. Colocam fogo em viatura e tudo. Mas isso ninguém mostra. Aqui, qualquer briguinha, os espertos ja vendem esse maravilhoso produto, para todo o mundo, como se essa desgraça só acontecesse aqui. Chega a ser engraçado. Mas isso é triste. Não sou favorável a esconder as coisas ruins. Sou contra mostrar, só as coisas ruins. Mas não tem jeito…
    Pobres brasileiros. Será que não poderíamos evoluir, sem abrir mão da nossa cultura? Do nosso jeito de ser? Da nossa forma de torcer? Hj em dia, o barcelona coloca mais de 100 mil pessoas no seu estádio, o américa do méxico tbm, entre mtos outros e nós somos obrigados a assistir calado a festa deles. Casa cheia aqui, é 50 mil. Essa desculpinha de obras é balela. Os nossos estádios diminuíram pela metade. Fato! E nem assim, conseguimos acordar! Será que seríamos incapazes de somar – conforto, segurança, estadio grande, festas maravilhosas e sempre lotado???
    Voltando ao assunto chave.. da mesma forma, que mtos defendem os pontos corridos. Pq, uma outra frente não pode defender o mata mata? Vivemos um século, com esse formato(mata-mata) e estamos a menos de uma década com o atual. Acho até que aceitamos, tranquilamente essa nova fórmula. Da msma forma, que aceitamos tudo que colocam nos nossos ombros(impostos, taxas, etc). Futebol é emoção! Futebol, tem que ter final! O que fica marcado na memória, é aquele jogo inesquecível, aquele gol decisivo, aquele estádio com clima de decisão, aquela semana de final… qual é o problema, de mtos defenderem a volta do mata mata? Se pontos corridos fosse o ideal, a copa do mundo seria assim, a liga dos campeões da europa tbm e por ai vai. Seria ótimo o mata mata, os 4 primeiros ja seriam os representantes da Libertadores e ai,
    os melhores colocados iriam jogar o segundo jogo em casa e por dois resultados iguais.
    Exemplo de momento: Fluminense x São Paulo e Gremio x Atlético mg.
    Seriam jogos inesquecíveis, estádios fantásticos, Rj, Sp, Bh, Rs e todo o Brasil iriam parar, as festas seriam maravilhosas e momentos os únicos, que só um
    mata mata é capaz de nos proporcionar. Se o Fluminense jogasse o segundo jogo em casa, por dois resultados iguais e não conseguisse passar… fazer o que?? É o regulamento! Se é bom, tem que provar que é bom no mata mata, na decisão, na final. Ja joga cheio de vantagens, não pode reclamar de nada. É o regulamento. Isso é futebol! E futebol é emoção! Futebol e justiça, podem até andar lado a lado. Mas futebol e emoção, são sentimentos que andam juntos. Ai vc vai me falar.. vc só fala isso, pq seu time não esta na frente. Saiba que sou Tricolor de Coração, fui a qse 30 partidas nesse campeonato e estou a uma semana comemorando o Título. Feliz da vida. A alegria é imensa, sem dúvidas. Em 2010, tbm foi. Em 84, contra o vasco(na final) idem, e em 70 no quadrangular contra o cruzeiro do tostão, o palmeiras do ademir da guia e o atlético mg do dadá, tbm fiquei comemorando por semanas da msma forma. A alegria de ver o seu time campeão, é única. Mas cada um tem o direito, de ter preferencia por um tipo de regulamento A ou B. Se defendo o mata-mata, é pq acho mais interessante. Caso o meu time fizesse uma ótima campanha e perdesse no mata-mata, ficaria chateado pra caramba. Mas faz parte do futebol. Fazer o que? Se é bom, vence a decisão. E convenhamos, uma final é uma final. Em 2008 e nesse ano, o Fluminense teve a melhor campanha, na fase de grupos da Libertadores. Mas saiu no mata-mata. Quer dizer então, que ldu(08) e corintias(12), foram campeões injustos? Claro que não! O Flu foi prejudicado naquela final e no primeiro jogo das quartas de final desse ano, tbm. Mas faz parte. É futebol! Não adianta abaixar a cabeça e ficar a vida toda chorando. Precisa procurar melhorar, exigir uma melhor postura da conmebol e seguir em frente. Héctor baldassi(el ladron) e bui trago, se não me engano – são horrorosos. Fomos eliminados, mas bola pra frente.
    Dei apenas uma opinão, me alonguei um pouco nos assuntos. Mas falei isso, pq cada um tem uma opinião e todos tem argumentos para defenderem suas teses. O que acho ridículo, é uma pessoa achar que o que ela pensa é o correto e pronto e acabou. Não é assim. Vai da preferencia de cada um. É uma questão de gosto, opinião.. e todos precisam ser respeitados.
    Discordar é saudável e faz parte da vida. Defendo um tipo de regulamento, pq acho mais emocionante. Se alguém defende outro tipo, por ser mais justo. Beleza.
    Então quer dizer, que só os campeões nacionais, vencem de uma forma justa. As outras infinitas fórmulas que existem por todo o mundo, premiam um time que não merecia o título??
    Regulamento é regulamento! Não vejo problema em ter final! Acho até mais justo! Mais emocionante! Mais rentável! E envolve um número bem maior de times na briga, do início ao fim do campeonato. De qualquer forma – FFC ATÉ MORRER FFC – É TETRA! É TETRA! É TETRA! É TETRA!

    • Paulo Pinheiro

      Um tratado definitivo sobre o tema. Concordo em tudo e assino embaixo.

      • Teobaldo

        Eu também concordo com tudo. Seria uma tremenda sacanagem discordar de um texto tão longo.

        AK: Exatamente. Um abraço.

        • Paulo Pinheiro

          Nem tudo pode ser contado em duas palavrinhas.

          Aliás, abusar da simplicidade é costumeiramente um erro.

          • Alisson Sbrana

            Duas palavras:

            por quê?

        • Alisson Sbrana

          Também concordo com tudo que o Teobaldo escreveu e pergunto: vocês conseguiram ler tudo?

          • Paulo Pinheiro

            Eu li tudo. E concordo.

  • Teobaldo

    Na Série C do BR-12, curiosamente, os quatro times que fizeram mais pontos até as quartas-de-finais (Macaé, Duque de Caxias, Fortaleza e Luverdense) não subiram para a Série B. O regulamento foi cumprido, tudo como combinado, mas qual é o sentimento dos torcedores desses times? Um abraço a todos!

    • Paulo Pinheiro

      O sentimento é que um time amarelão não merece mesmo o prêmio.

      • Teobaldo

        Aposto que você é flamenguista ou corinthiano; aqueles times que, nas finais, sempre fazem os outros amarelarem… com os “erros” de arbitragem. Acertei?

        • Paulo Pinheiro

          Meu time venceu o campeonato de pontos corridos também. E foi na última rodada.

          O caso é que erros de arbitragem em finais aparecem na vitrine. Minar os adversários com cartões e critérios de faltas ao longo de um campeonato não aparece (tanto é que foi assim que os envolvidos no escândalo de arbitragem fizeram por dois anos antes de serem pegos).
          E o Flamengo perdeu finais também. Uma delas de forma acachapante contra o Santo André. Mas perdeu porque não teve competência pra vencer. Dê-se o prêmio ao vencedor e pronto.
          Ficar chorando que “não foi justo”, que o Flamengo jogou melhor as outras partidas, que teve apenas um dia ruim e que não merecia ter ficado sem o título e que blá, blá, blá não apaga o fato de que foi INCOMPETENTE. Na reta final, no momento em que mais você tem que mostrar que é time de chegada precisa ter concentração e força para dar o “sprint” final.
          Quando mostrou foi campeão contra o Goiás e contra o Vasco da Gama. Quando não mostrou perdeu para Grêmio, Santo André e Cruzeiro.
          Essa falácia de ajuda eterna ao Flamengo e ao Corinthians é uma ilusão que você gosta de viver. E nega-se a fatos como o de 2011 em que o time “ajudado” não teve um pênalti sequer marcado a seu favor.

  • Gosto do Brasileiro do jeito que está, e também da Copa do Brasil com todos os grandes, acompanho os jogos do meu time e me interesso também por jogos de times que estão disputando alguma coisa. Faltando apenas duas rodadas do final e ainda temos pela frente alguns jogos bem interessantes. Quem defende o mata-mata só se lembra das grandes decisões, porém temos várias fases finais de baixo interesse do público (na fase de mata-mata). Exemplos: 1986, 1988 (nenhum paulista na fase de mata-mata), 1990, 1994, 1995, 2000, 2001.

    André, a postagem está ótima, mais uma vez, porém não concordo ao dizer que não foi justo o empate pelo fato da casualidade do gol do Flamengo. O mérito de abrir o placar através de uma falha bizonha do goleiro adversário é bem menor do que uma casualidade.

    Gostaria de dar uma sugestão: Nos comentários, colocar uma opção para que o “comentador” possa receber uma mensagem de e-mail caso alguém tenha respondido ou comentado seu comentário.

    Abraço e keep up the good work!

  • P.Corridos é o fim da memória do futebol. Tudo bem pode ser p.corridos normal p/ rebaixam, sulamer. e liberta, mas no final tem de ter semifinal e final. 6 jogaços épicos q ficam p história, 10 milhões de renda. Muita emoção. Taça entregue no campo e em data certa na finalíssima. Todos os times acompanhando um só jogo e não cada um vendo seu time no PFC. O Plim-Plim manipulou a mídia q manipulou a opinião pública sobre p.corridos, pois o PFC é vendido a milhares de pessoas e os estádios ficam vazios. P.Corridos é mais justo… que justiça vá ao judiciário. Futebol é emoção. P.corridos imitação da Europa, onde são vendidos todos os ingressos com antecedência.
    Moderador> Favor ser democrático e não deletar minha opinião, como fez ontem.
    Respeito a opinião de quem gosta de p.corridos, mas p/ mim com final é muito melhor, independente de já ter a Copa do Brasil.

  • futebol não é fórmula 1. Pontos corridos é um saco. Duas rodadas agora insignificantes. Se tivesse semifinal entre os 4 primeiros, teríamos estádios lotados, pois certo é q vasco, bota e inter estariam em outra posição agora e brigando para entrar entre os 4 para tentar ser campeão. Ainda mais q com semifinal daria a chance de um pequeno ser campeão novamente, pois desse jeito isso nunca acontecerá, igualzinho a Fórmula 1, previsível. Veja q em 8 anos só um título para mg, o resto tudo rio-sp. E olha que sou tricolor e o Flu tem ido bem neste formato, mas com final é muito melhor. Precisamos fazer de novo assim, nem que seja um só ano para testar se não é muito melhor.

    AK: “Futebol não é Fórmula 1″… É assim que você entende o “corridos”? Um abraço.

  • Paulo Pinheiro

    Mais alguém lembrou do Marcos em 2005 quando o Paulo Victor falhou no gol do Palmeiras?

  • Júnior

    Curiosidade:

    BR 2003

    1 Cruzeiro
    2 Santos
    3 Coritiba
    4 São Paulo

    Cruzeiro 4×2 São Paulo
    Cruzeiro 1×1 São Paulo

    Cruzeiro 4×3 Coritiba
    Cruzeiro 2×2 Coritiba

    Cruzeiro 2×0 Sanros
    Cruzeiro 3×0 Santos

    BR 2004

    1 Santos
    2 Atlético PR
    3 São Paulo
    4 Palmeiras

    Santos 0x4 Palmeiras
    Santos 2×1 Palmeiras

    Santos 2×1 São Paulo
    Santos 0x1 São Paulo

    Santos 0x1 Atlético PR
    Santos 1×1 Atlético PR

    BR 2005

    1 Corinthians
    2 Internacional
    3 Goiás
    4 Palmeiras

    Corinthians 3×1 Palmeiras
    Corinthians 1×1 Palmeiras

    Corinthians 1×1 Goiás
    Corinthians 2×3 Goiás

    Corinthians 0x0 Internacional
    Corinthians 1×1 Internacional

    BR 06

    1 São Paulo
    2 Internacional
    3 Grêmio
    4 Santos

    São Paulo 0x4 Santos
    São Paulo 1×0 Santos

    São Paulo 2×1 Grêmio
    São Paulo 1×1 Grêmio

    São Paulo 1×3 Internacional
    São Paulo 2×0 Internacional

    BR 07

    1 São Paulo
    2 Santos
    3 Flamengo
    4 Fluminense

    São Paulo 0x1 Fluminense
    São Paulo 1×1 Fluminense

    São Paulo 0x1 Flamengo
    São Paulo 0x0 Flamengo

    São Paulo 2×0 Santos
    São Paulo 2×1 Santos

    BR 08

    1 São paulo
    2 Grêmio
    3 Cruzeiro
    4 Palmeiras

    São Paulo 2×1 Palmeiras
    São Paulo 2×2 Palmeiras

    São Paulo 1×1 Cruzeiro
    São Paulo 2×0 Cruzeiro

    São Paulo 0x1 Grêmio
    São Paulo 0x1 Grêmio

    BR 09

    1 Flamengo
    2 Internacional
    3 São Paulo
    4 Cruzeiro

    Flamengo 0x2 Cruzeiro
    Flamengo 1×2 Cruzeiro

    Flamengo 2×2 São Paulo
    Flamengo 2×1 São Paulo

    Flamengo 4×0 Internacional
    Flamengo 0x0 Internacional

    BR 10

    1 Fluminense
    2 Cruzeiro
    3 Corinthians
    4 Grêmio

    Fluminense 2×1 Grêmio
    Fluminense 2×0 Grêmio

    Fluminense 0x1 Corinthians
    Fluminense 1×2 Corinthians

    Fluminense 1×0 Cruzeiro
    Fluminense 0x1 Cruzeiro

    BR 11

    1 Corinthians
    2 Vasco
    3 Fluminense
    4 Flamengo

    Corinthians 1×1 Flamengo
    Corinthians 2×1 Flamengo

    Corinthians 2×0 Fluminense
    Corinthians 0x1 Fluminense

    Corinthians 2×1 Vasco
    Corinthians 2×2 Vasco

    • Teobaldo

      Confesso que fiquei curioso!

      • Marcus

        ??? E daí? Seu ponto?… (e-mail dos resultados)

        AK, q tal considerar como no Hóquei (NHL), um campeão de “pontos corridos” e outro como resultado de play-offs somente com os 4 primeiros para uma taça especial (à la Stanley Cup)? Mas com melhor de 5 jogos (se empate melhor campanha leva). Talvez ficasse bastante interessante!… 😉
        Abraços,

      • Júnior

        Objetivo alcançado

  • RENATO

    AK e demais simpatizantes pelo sistema de pontos corridos:
    Em qual ou quais edições, o sistema usado até o ano de 2002 “produziu” um campeão brasileiro de forma injusta?

    Acho que mais um mito cairá por terra e ficará claro que se trata APENAS de gosto pessoal.
    Fiquem a vontade…
    Abraço.

    AK: É impossível chegar a esta resposta. Num campeonato com playoffs, ganha o time que esquenta na hora certa. O que se faz até lá tem pouca importância. Não acho que seja a maneira correta de encontrar o melhor time de um país. Num campeonato sem playoffs, em que todos os jogos valem a mesma coisa, esse time é encontrado sem questionamentos. Um abraço.

    • júnior

      No Brasil, há de se considerar que nem todo jogo é igual para todos. Existem jogos que alguns times jogam desfalcados por jogadores convocados para a seleção (uma espécie de punição por revelar/comprar/manter jogadores de ponta). Jogos que alguns times entram com a equipe reserva (por disputar uma outra competição ou por falta de objetivo no campeonato). Também não podemos desconsiderar as famosas “entregadas” (tanto que apenas no Brasil se faz necessário marcar “clássicos regionais” na última rodada).

      O ideal seria que a disputa do Campeonato Brasileiro ocorresse sem torneios paralelos (como ocorria no momento dos playoffs).

      A diferença entre os dois modelos não está na “justiça” da definição do campeão, está apenas na preferência de cada um. Hoje, como antes, existem extamente os mesmos “questionamentos” sobre o time vencedor: interferência de arbitragem; amarelar em determinado jogo; “o time A (campeão) foi o melhor time do campeonato, mas o melhor time do Brasil é o time B” e por ai vai.

      AK: A diferença está nas condições em que o campeão é escolhido. O melhor time, ao longo de todo o campeonato. Um abraço.

      • Júnior

        Ambos os modelos premiam o melhor time, ao longo de todo o campeonato. O que muda é o planejamento e estratégia adotada para conquistar o título de acordo com o modelo de competição.

        AK: Errado. O formato com playoff premia o time mais quente no momento final. Não há falta de mérito nisso, absolutamente. Mas não é a maneira correta de definir um campeão nacional. Um abraço.

        • Marcos Vinícius

          Nisso concordo. Só para citar alguns exemplos,em 92 o melhor time foi o Vasco,mas o Flamengo cresceu no mata mata e foi campeão. Em 96 o melhor time foi o Cruzeiro,mas nem chegou a final,que foi disputada entre Grêmio e Portuguesa,com os gaúchos campeões. Em 2000 o melhor time foi o Cruzeiro,mas o campeão foi o Vasco. Em 2001 o São Caetano,com o Atlético-PR campeão. Em 2002 o melhor time foi o São Paulo,mas o campeão foi o Santos,que só entrou nos play offs por ter se classificado em oitavo.

          Decididamente o formato de pontos corridos premia o melhor time,a exceção de 2005 nunca houve um campeão contestado nesse formato. Mas as finais são emocionantes e imprevisíveis.

          E quanto a possibilidade de adequarem o nosso calendário ao europeu,seria a forma mais inteligente de administrar o nosso futebol. E é exatamente por isso que eu acho que não vai acontecer.

        • Júnior

          Para disputar o playoff é preciso se classificar para tanto, dependendo do lugar conquistado, o time terá vantagem em igualdade de resultados e mando de jogo na partida decisiva. Os fatores externos que eu citei anteriormente (erros, convocações, disputas paralelas, entrega de jogos) podem influenciar na posição final de um time, mas não vai fazê-lo a ponto de excluir um time que realmente mereça estar nos playoffs. (talvez o oitavo ou sétimo colocado podem estar sob influência de tais fatores)

          É difícil afirmar que um time é o melhor e não conseguiu fazer valer sua superioridade em duas partidas, com a decisão em sua casa e com vantagem nos critérios de desempate.

          Também não entendo que a NFL, NHL, MLB e NBA utilizam um método equivocado para escolher seus campeões.

          Enfim, não acho que o campeonato de pontos corridos seja injusto ou falho, apenas acho que ele cumpre seu papel da mesma forma que o formato com playoffs. Mais uma vez, vejo diferença na preferência de cada um, não na justiça ou mérito de cada modelo.

          André, obrigado pelas respostas, sempre bom ponderar à luz da sua visão do esporte.

          AK: O Santos de 2002 se classificou em oitavo lugar, e por pouco não ficou fora dos playoffs daquele ano. E quanto a quem passa num mata-mata, sim, na maioria das vezes é “melhor” time. Mas nem sempre, como a UCL do ano passado mostrou. Nos Estados Unidos, o conceito é diferente, o modelo é diferente, o público é diferente e os objetivos das ligas são diferentes. Não acho correta a comparação. Eu que agradeço. Um abraço.

          • Júnior

            Sem querer alongar mais o assunto, mas sobre a UCL do ano passado, acho que tem alguns pontos que devem ser considerados.

            – Não existe vantagem nos critérios de desempate, isso poderia ter resolvido a vida do Barcelona
            – Se formos analisar as derrotas do Barcelona, os times que tiveram sucesso se utilizaram do mesmo expediente do Chelsea (maoir ou menor intensidade). Com o devido material humano, essa se mostrou a melhor estratégia encontrada para vencer o time de Guardiola (seja ela bonita ou não). O próprio técnico do time espanhol disse “fizemos alguma coisa de errado”.

            Não vou falar da final, pois é um jogo apenas.

            Sobre a comparação com os EUA, você está certo, realmente existe grandes diferenças, assim como ocorre com a europa, retiro as comparações.

            AK: Não há problema em alongarmos a conversa. Não tiro o mérito – e escrevi longamente sobre isso à época – do Chelsea. Mas o expediente usado só tem chance de sucesso num mata-mata. E não deixa dúvidas, mesmo com o resultado que vimos, sobre qual dos dois é o melhor time. Um abraço.

            • Júnior

              Sim, não tenho dúvidas que aquele Barcelona é melhor time que o Chelsea, mas também entendo que aquele mesmo Barcelona também é melhor que o Real Madri, ainda que a diferença aqui seja muito menor, mas isso também não garantiu que o Braça ganhasse a Liga Espanhola.

              Acho que em toda competição, seja no formato que for, haverá campeões incontestáveis e questionados.

              • RENATO

                Boa Junior!!!
                rsrsrsrsrsrsrsr….

              • Alisson Sbrana

                Mas o espanhol não é mata-mata?

  • café lima

    André,

    1. Mais um grande texto. Concordo contigo em todos os pontos.

    2. Atlético-PR (2004), Goiás (2005) e outros times com orçamentos intermediários (Atlético-MG em 2012) já provaram que há sim chances de essas equipes lutarem por título.

    3. Eu gostaria de saber sua opinião sobre uso de playoff para, por exemplo, definir alguns dos rebaixados/promovidos, como acontece em alguns campeonatos europeus.

    4. Aproveitando o gancho, você acha “justo” que, num eventual caso de empate na parte de cima ou de baixo da tabela, o desempate se dê pelo número de vitórias ou saldo de gols. Mais uma vez, qual sua opinião sobre a possibilidade de uma final (ou triangular, quadrangular) definir esta situação.

    Um abraço.

MaisRecentes

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo

Sabotagem



Continue Lendo