COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

ASCENSOR

Quando Paulinho foi substituído, sábado à noite no Pacaembu, o Corinthians vencia o Coritiba por 5 x 1 ao final de um jogo marcado pela intensidade de seu nível de atuação. A caminho do banco de reservas, o volante, autor de dois gols, entregou a faixa de capitão ao jogador que tem o papel de determinar a temperatura interna do time.

O Corinthians tem dois capitães, de fato. A faixa pode adornar o braço de alguns jogadores, por circunstâncias que variam a cada partida. Mas as presenças que influenciam o vestiário independentemente da situação são as de Alessandro e Danilo. O lateral comanda pelo tempo de casa, por ser um dos que completaram a caminhada da Série B à conquista da América, e principalmente por ser uma figura adorada no elenco. O meia se impõe em silêncio, sem querer, pela experiência, pelo currículo, pelo exemplo. Anteontem, Paulinho usava a faixa mesmo com Alessandro em campo. Quando saiu, a entegou a Danilo, que havia entrado no jogo no segundo tempo.

A primeira goleada do Corinthians no Campeonato Brasileiro encerrou uma semana diferente. Tite costuma fazer apenas um coletivo antes de cada jogo, em campo reduzido. Normalmente são trabalhos intensos, mas sem ocorrências geradas pelo excesso de vontade. O treino da semana passada foi incendiado por Danilo, dando o tom necessário a um time que está concluindo a preparação para o Mundial de Clubes da Fifa. Uma pancada involuntária em Paulo André quase tirou o zagueiro do jogo contra o Coritiba.

Jogo que começou com Danilo no banco de reservas, sem recados ou insatisfações expostas. Além do estilo mais comedido, ele sabe que as escolhas de Tite para o time titular no Japão dependem apenas de argumentos apresentados no campo. A bola cruzada precisamente na cabeça de Guerrero, para o quarto gol, é uma das maneiras que Danilo tem para se comunicar. O abraço do peruano na comemoração confirmou o recebimento da mensagem.

No polimento pré-Mundial, o Corinthians executou um planejamento para otimizar o aspecto físico dos jogadores. O rodízio de folgas nos jogos do BR-12 ofereceu descanso, enquanto a carga de treinamento foi desenhada para levar o elenco às melhores condições no final do ano. Agora, só não está jogando quem tem problemas médicos, como Emerson Sheik. É seguro dizer que sete posições do time do Mundial estão asseguradas. As questões ficam por conta dos dois meias mais adiantados e dos dois atacantes. São sete pretendentes a quatro postos.

Tite não tem preferência pelo sistema com um atacante formal – que seria Guerrero – ou pelo esquema com o qual conquistou a Copa Libertadores. O técnico procura o time que jogue melhor, que tenha mais chances de sucesso. É justo que Sheik, pelo que já fez e se sabe que pode fazer, esteja à frente de seus concorrentes no ataque. Mas será preciso observar como ele voltará da lesão no joelho direito.

Enquanto Tite delibera, Danilo lidera. Ele ascende e acende o Corinthians, como sempre fez.



  • RENATO

    Danilo calou minha boca. Confesso que tinha muitas restrições ao seu futebol. Mas também é preciso dizer que ele acabou “encaixando” melhor no time a partir do momento em que passou a atuar um pouco mais a frente. Quase como um meia-atacante….como um meia “classico” ele não funciona bem.
    É bom que se diga também que sua postura tática, dedicação e garra NUNCA deixaram a desejar. Lembro de um jogo em que Roberto Carlos foi expulso logo no início da partida contra o Palmeiras e Danilo jogou o restante do jogo na lateral esquerda, e quebrou um baita galho!!!
    O cara conquistou o respeito da torcida mesmo antes da vitoria sobre o BJ.
    Quanto à preparação do SCCP, acho que está sendo feito o melhor possível….mesmo assim, no futebol TUDO pode acontecer, inclusive nada e a viagem se resumir à um passeio pelo Japão.
    É do jogo.
    A melhor parte disso tudo para um Corinthiano dos tempos do jejum como eu, e a pior para os do contra, é que mesmo com uma desclassificação precoce lá no Japão, NÃO HAVERÁ CRISE NO SCCP!
    Abraço.

    • Harison rocha

      Bom dia caro Renato…

      Neste Jogo em que vc menciona o Danilo.

      Ele foi improvisado na Lateral Esquerda pelo nosso querido Mano Meneses.

      Apos o Jogo na coletiva, o Mano disse assim sobre Danilo: Achei um outro Lateral esquerdo.

      Deixando nítido que ele funcionava bem melhor na ponta esquerda Livre, como um falso atacante, do que centralizado, como o nosso Maestro Douglas….
      Grande abraço…

      E AQUI E CORINTHIANS…………………………….

  • Emerson

    Creio que a melhor formação nas semi-finais seja com Guerrero à frente de uma linha de 3 formada por Romarinho ou Martinez, ao lado de Emerson e Danilo. Na final (salvo uma Mazembada) contra o Chelsea o time deve apostar em mais mobilidade, somada a um maior poder de marcação a frente. Isto é, sem Guerrero, com o Sheik mais avançado e Jorge Henrique em campo.

  • josé sidnei

    Caro André.
    Está na hora de parar de falar em Chelsea. Aliás, já passou da hora. O primeiro adversário do Corinthians, no Mundial, será outro. É preciso vencer o primeiro jogo para chegar à final. O Inter de Porto Alegre, de tanto se preocupar com a final antes da hora, conheceu o Mazembe no meio do caminho. O Corinthians, se não tomar cuidado, pode se afogar nas águas do Nilo por um time egípcio. Todo cuidado é pouco. O Tite está estudando o adversário africano ? Até agora só ouvi falar em Chelsea.
    Abraço

    AK: Depois do que aconteceu com o Inter, creio que nunca mais um time brasileiro deixará de se preparar com a maior seriedade para a semifinal do Mundial. A comissão técnica do Corinthians estuda, faz tempo, todos os possíveis adversários no Japão. Um abraço.

  • Lucaslhp

    Ótimo post Andre, como sempre. Parabéns !!

  • Felipe Pugliese

    André, concordo plenamente com tamanha importância que Danilo tem hoje no Corinthians. Porém, acho inviável falar da faixa de capitão do Corinthians e nem ao menos citar Chicão. Abraço.

    AK: Inviável? Chicão é um dos jogadores que a usam, dependendo das circunstâncias. Um abraço.

    • Marcio

      André, desculpe mas concordo com o Felipe e o Chicão não é um dos jogadores que a usam, é um dos jogadores mais respeitados do grupo, foi nosso capitão por muito tempo e continua sendo mesmo não usando a faixa.

      AK: Desculpe, essa é a sua opinião. A coluna trata de fatos. Chicão é muito respeitado, realmente. Os principais líderes do time são Alessandro e Danilo. Um abraço.

  • • Campeonato Goiano: 1999, 2000, 2001 e 2003
    • Campeonato Brasileiro – Série B: 1999
    • Copa Centro-Oeste: 2000, 2001 e 2002
    • Campeonato Paulista: 2005
    • Copa Libertadores da América: 2005
    • Mundial de Clubes da FIFA: 2005
    • Campeonato Brasileiro: 2006
    • Campeonato Japonês: 2007, 2008 e 2009
    • Copa do Imperador: 2007
    • Supercopa do Japão: 2009
    • Campeonato Brasileiro: 2011
    • Copa Libertadores da América: 2012

    Não sei vocês, mas se esse fosse o meu currículo… seria um cara INSUPORTÁVEL!

    Sheik marcou os gols decisivos, Ralf e Paulinho comeram a bola, Tite foi simplesmente perfeito etc.

    Mas o cara da Libertadores foi Danilo… sua tranquilidade foi a síntese desse título! NUNCA fiquei tão tranquilo em uma Finalíssima (eu fui!)… o jogo rolava, eu olhava para os lados e via a confiança dos torcedores… e a certeza da conquista.

    Não sei explicar, mas a tranquilidade, aliada à sua simplicidade de jogar bola, principalmente em momentos decisivos, tranquilizou o time… todos entraram na vibe de Danilo, sem exceção!

    Que esse sentimento perdure durante o Mundial!

    Danilo, tu é o cara! Que fique no Corinthians até se aposentar! E que o clube não cometa a mesma injustiça que fez com o Liédson…

    Ah, só mais uma coisa, para os supersticiosos: Danilo é Bi Campeão Brasileiro e Bi da Libertadores… falta o Bi Mundial! 😉

  • Fábio Chamusca

    Ótimo texto.
    Também reparei no fato do danilo ter começado no banco, e ter recebido um abraço e um sorriso grato e impressionado do Guerrero depois do ótimo cruzamento pro gol do peruano…
    Li aquele gesto da mesma maneira que você.

  • Henrique

    Logo após o Flu ser campeão, Abelão contou como montou o grupo.
    Ele escolhia as contratações pelo currículo, não pelo DVD.
    Sujeito foi campeão? Onde?
    Se foi campeão em torneios importantes, pode contratar, é jogador que gosta e joga para ganhar.
    Esse foi o critério dele para Sobis, Deco, etc.
    O Danilo é um desses.
    Assim era um jogador mediano dos anos 90, Wilson Gotardo.
    Mas vai ver o currículo do cara, campeão em todo lugar que passou.
    Pode contratar!

  • Danilo não ganhou nada em 2004 e 2010… justamente nos anos de início de trabalho no SPFC e SCCP, respectivamente. De resto, desde 1999 coleciona títulos!

    Sempre começa quieto, trabalhando muito, e acaba conquistando tudo e a todos!

    A diferença é que permanece quieto, mesmo na crista da onda! Admirável!

    E pensar que foi oferecido como moeda de troca na frustrada tentativa de contratar Montillo! Meu Deus!!!

  • CoralGables

    Parabens a todos os comentarios, Estou orgulhoso
    de pertencer a Naçao Corinthiana !!
    Timao unido Jamais sera vencido!!!
    Rumo ao Bi Mundial..

  • Rubão da Moóca

    Caro filho do Juca, eu sou de um geração que o futebol se resumia em quantos “toques de classe” fulano ia dispor naquela partida. Havia obviamente, os “caneludos”, mas os times considerados grandes, todos eles tinham seus jogadores de toques de classe. Sem querer ser nostálgico, mas já o sendo, o Danilo com sua devida vênia, não jogaria em times grandes dessa época ao qual eu me refiro, pois seu pai deve concordar com minhas palavras.
    Embora o futebol fosse mais lento, por circunstâncias óbvias, pois dava-se o devido valor técnico do que o físico, o próprio Danilo já seria um jogador extremamente lento para época e não teria os recursos técnicos exigidos àqueles que envergavam camisas do meio para frente, como Por Ex: a 10 ou a 8, muito menos a 7 ou a 11, e bem menos ainda, a 9. Talvez em nossa época o Danilo poderia ser um quarto zagueiro (zagueiro pela esquerda), e nada mais que isso.
    Em nossa época as camisas destinadas para essas funções, eram de Didi, Gerson, Rivelino, Tostâo, Ademir da Guia, Pelé, Pedro Rocha, Dirceu Lopes, Amarildo, Zico, Socrátes, Zenon, Dicá, Edu, Garrincha, Canhoterio, Julinho, Zizinho, Cláudio, Luizinho

  • Rubão da Moóca

    Eu não sei o que aconteceu, e fui interrompido no meu comentário.
    Mas a síntese é que, naquela época o jogador tinha de mostrar dotes técnico. Caso isso não fosse possível, as funções em campo seriam de defesa e não de criação e muito menos de ataque.
    O Danilo certamente não jogaria no time do Corinthians nem da fase do “Faz me rir”.

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo