NOTINHAS PÓS-RODADA



Jornada 32 do BR-12:

* A segunda vitória seguida do Palmeiras (2 x 0 no Cruzeiro, na Fonte Luminosa: Barcos-2) deixou o time a quatro pontos do décimo-sexto lugar.

* Marcos Assunção – jogando no sacrifício – e Barcos, com confiança e gols, carregam as esperanças de salvação.

* O time alternativo do Corinthians não conseguiu vencer (1 x 1, no Pacaembu: Douglas e Fahel) o Bahia.

* O Bahia não vence há 5 rodadas.

* Pouco a dizer sobre o 0 x 0 entre Grêmio e Coritiba (no Olímpico), que agradou mais ao time paranaense.

* Pouco a dizer sobre o 0 x 0 entre Náutico e Portuguesa (nos Aflitos), bom resultado para o time paulista.

* O Flamengo, que não vencia há 5 rodadas, interrompeu (1 x 0, no Engenhão: González) a série invicta do São Paulo.

* Luis Fabiano perdeu um pênalti. Foi a quinta cobrança desperdiçada por ele, nesta passagem pelo São Paulo.

* Atlético Mineiro e Fluminense (3 x 2, no Independência: Wellington Nem, Jô-2, Fred e Leonardo Silva) deram um recital de futebol. O melhor jogo do campeonato.

* A iniciativa do Atlético venceu a eficiência do Fluminense. O resultado revitalizou a disputa pelo título.

* A Ponte Preta (1 x 0 no Santos, no Moisés Lucarelli: Luan) é forte em casa. Sétima vitória em Campinas.

* Neymar jogou e disse que o Santos “deu mole”.

* Vitória de sobrevivência do Sport (1 x 0 no Atlético Goianiense, no Serra Dourada: Hugo), fora de casa.

* 449 pagantes. Pior público do campeonato.



  • leonardoatleticano

    André, o jogo foi fantástico, o Galo jogou muito, finalizou com perigo inúmeras vezes, nem o ótimo time do Fluminense, nem os erros de arbitragem conseguiram evitar a vitória do Galããããõ da Massa. E olha que a arbitragem tentou ser pontual mais uma vez. Anulou um gol legítimo e tentou dar um para o Flu em um impedimento claro. Quem concorda com aquela anulação, não sabe nada de futebol, é apenas analista de replay.

  • Marcos Vinícius

    Vasco 1×2 Fluminense.

    O segundo gol tricolor saiu de uma cobrança de falta de Thiago Neves,onde Edinho empurrou o primeiro homem da barreira,abrindo espaço para Thiago Neves bater ali. A bola passou,gol validado pelo juiz (Marcelo de Lima Henrique,sempre ele),e vitória tricolor.

    Na jogada do gol atleticano anulado pelo árbitro,a falta foi rigorosamente igual a cometida por Edinho. Mas Ronaldinho bateu por cima da barreira,e não no espaço aberto por Leonardo Silva. Gol anulado. Em ambas as jogadas o Fluminense foi beneficiado.

    Interpretações diferentes para a mesma jogada? Pode ser. Mas ambas beneficiaram o mesmo time.

    Ao contrário do que eu havia dito anteriormente,o Galo vai pra Libertadores 2013. Só tem uma vaga em aberto,e o jogo entre Vasco x Internacional nessa quarta vai dizer quem vai ser o concorrente do São Paulo por ela. Dois times em momento ruim,jogo imprevisível. Se Juninho Pernambucano estiver num dia iluminado Vasco pode sonhar com a vitória. Um empate seria ruim para o Vasco e desastroso para o Inter,que,assim,se manteria a nove pontos do São Paulo,com o Vasco a quatro

    A última rodada do brasileirão se aproxima. Clássicos locais podem definir quem cai e quem vai disputar a Libertadores. Os jogos serão:

    Flamengo x Botafogo- Flamengo já livre do rebaixamento e Botafogo sem chances de Libertadores. Um jogo que não vai valer nada.

    Fluminense x Vasco-Fluminense deve ser campeão faltando três ou quatro rodadas. Para o Vasco vale a Libertadores

    Santos x Palmeiras- Só vale para o Palmeiras,que deve brigar até o fim para não cair,embora,hoje,não dependa só dele.

    São Paulo x Corinthians- São Paulo brigando pela Libertadores contra os reservas do Timão.

    Grêmio x Inter- Outro que não vale nada. Grêmio já na Libertadores e Inter sem aspirações.

    Tirando alguns poucos jogos,a maioria das definições deve acontecer antes da última rodada.

  • Junior

    André, no jogo entre Corinthians e Bahia, aconteceu algo curioso. O chinês “Zizao” precisou sair do campo por conta do excesso do número de jogadores estrangeiros relacionados para essa partida. Ele foi para a arquibancada e tirou fotos com torcedores.

    Mas o que eu gostaria de saber é se você já dedicou alguma atenção para essa regra. Qual seria o seu ponto de vista sobre esse assunto? Você acredita que limitar o número de jogadores estrabgeiros por partida no Brasil é benéfico de alguma maneira? Uma possível flexibilização, ao menos para jogadores sul-americanos, traria alternativas mais interessantes?

    abs

    AK: Sou contra reserva de mercado. Um abraço.

  • Teobaldo

    Pô, Marcos Vinícius, agora acabou a graça. Eu estava esperando o BR-12 acabar para eu cobrar que você havia “tirado o meu Galo da Libertas (acho que o termo usado era esse)”. Se bem que eu continuo com “as barbas de molho”, uma vez que meu time é capaz de proezas (ao avesso, bem entendido) inigualáveis, ja tendo, inclusive, “conquistado” um vice-campeonato invicto. Tubo bem, pois ainda falta um outro frequentador do blog que fez chacota com o Galo após a contratação do R-49. Rancoroso (esportivamente, é claro) aguardo, eu, a hora da vingança! Em tempo, ainda bem que o meu Galo venceu ontem. Uma equipe como a do Fluminense merece ganhar o título (e eu acho que vai ganhar) sem que pairem suspeições sobre ele. Um abraço!

  • Michel Araújo

    André, sobre a questão que o Junior levantou, eu tenho uma dúvida: Jogadores naturalizados (que eu saiba, Liedson, Gonzáles, Deco e Emerson – não sei se tem mais algum) jogam como brasileiros, ou ocupam vaga de estrangeiro?

    AK: Brasileiros. Dupla nacionalidade. Um abraço.

  • Francovieira

    Jogão entre Atletico e Flu, Santos irreconhecivel (horrivel), o Timão fez o q pode contra o bahia, mas a falta de foco no brasileiro não deixou o time vencer, de resto foi normal e esperado…

  • Marcos Vinícius

    Teobaldo,você tem todo o direito de cobrar. Achei mesmo que o Galo ficaria fora da Libertadores pela queda de rendimento que teve no segundo turno. Mas o time se recuperou,e está matematicamente,segundo Tristão Garcia,na Libertadores do ano que vem. Não é que eu achasse (e não acho) que o time não merecesse a vaga,o que eu achei ( e não acho mais) foi que a queda de rendimento seria determinante para que o time não se classificasse,e que os times que estão atrás na tabela (Grêmio,Vasco,São Paulo e Internacional) cresceriam e ganhariam a maioria dos seus jogos,ultrapassando o Atlético-MG.

    Quanto ao jogo de ontem,o melhor do campeonato,até agora,se o Fluminense ganhasse era só entregar a taça nas Laranjeiras,que com 12 pontos de vantagem faltando 24 a serem disputados o Tricolor não seria mais alcançado. Se bem que eu acho que não vai ser mesmo alcançado,ainda mais depois da enorme demonstração de boa vontade dos árbitros, principalmente depois da partida contra a Ponte Preta.

    Parabéns pela campanha do seu time,fazia tempo que eu não via um Atlético tão competitivo como o desse ano.

  • vladfla

    Flamengo e São Paulo ontem uma vergonha…

    Maior cara de jogo entregado…

    Você não achou André?

    AK: Não.

  • Paula

    Tenho certeza que ele não treina penaltis. Luis Fabiano seria ótimo batedor se simplesmente treinasse. alias, está na hora de alguem dentro do time começar a treinar pq o Rogerio está em vias de se aposentar!

  • Ao Marcos Vinícius:

    Não, não foi interpretação diferente de regra nenhuma. Na verdade, houve um consenso na Comissão de Arbitragem, APÓS o lance de Vasco X Fluminense, de que deveria ser falta. A partir daí, os árbitros foram orientados a apitar faltas em lances como esse.

    Mais aqui e aqui.

    Abraço!

  • Marcos Vinícius

    Ao Alejjandro

    Cara,antes de mais nada obrigado pelos links. Li ambos,e acho tudo isso uma baita sacanagem para disfarçar a má intenção de alguns.

    Vejamos:

    Será que a falta na barreira,como Edinho fez contra o Vasco,precisava da intervenção da comissão de arbitragem para determinar que o lance é irregular? Pare e pense: Se a bola estiver rolando e um jogador deslocar o adversário sem a intenção de tomar-lhe limpamente a bola,visando apenas o corpo do adversário,isso não é falta? Então por que com a bola parada seria diferente? Foi falta,o lance foi irregular,a interpretação tem que ser a mesma tanto para a bola rolando quanto para a bola parada. Ou tem algo que difere? Será que só é falta se a bola estiver rolando? Acho que a comissão de arbitragem quis colocar panos quentes no assunto,e dizer que o árbitro “não sabia que era falta” foi um absurdo sem tamanho. Me fez lembrar o “Gol do Balão”,no campeonato inglês,onde o árbitro disse que “não viu a bola desviar no balão e entrar”. Se dissesse que viu,seria questionado o por que de não ter aplicado a regra,que é clara. Não precisava a comissão de arbitragem dar o parecer em algo tão óbvio.

    E supondo que um jogador da barreira segure um adversário que está ali para atrapalhar,expediente muito usado por alguns batedores e treinadores,isso também não é falta? Ora,claro que é!

    Sinceramente não vi Leonardo Silva fazendo falta na barreira,o que não quer dizer que não tenha acontecido. Mas acho um absurdo a comissão de arbitragem ter que se manifestar sobre algo tão óbvio,e que é OBRIGAÇÃO de todo árbitro saber.

    Abraço,amigo.

  • M. Silva

    Marcos Vinícius,

    não chequei no livro de regras, mas à exceção de faltas técnicas (raramente aplicadas), que eu saiba só existe falta com a bola rolando. O juiz pode assinalar agressões, aplicar cartões, mas marcar falta, só com bola rolando.

    Um abraço,

    M. Silva

  • Hey Marcos!

    Sinceramente, não vi os dois lances citados (então, veja minha surpresa quando li o post do PVC 😯).

    Pra mim, qualquer deslocamento de um adversário com o intuito (olha onde falham as regras da International Board: interpretações!!!) de tirá-lo do lance, é falta. Tanto aqui, quanto na China, quanto na Europa.

    Sobre os posts: concordo tanto com o PVC (“(…) é ótimo haver uma tentativa de padronização, ao menos. Ao saber que a CBF recomenda a marcação desse tipo de infração, sabe-se o que pensar desse tipo de jogada. Se o árbitro marca, segue a recomendação. Se não marca, erra, por não seguir o que a comissão de arbitragem deseja. (…)”) e quanto com o Birner (“(…) É inadmissível alguém mudar no meio do campeonato os critérios de arbitragem (…) Ainda mais sem avisar os jogadores, treinadores e a opinião pública. (…)”).

    Abraço!

  • Rodrigo CPQ

    Só acho uma coisa: se deixar rolar essa canastrice de deslocar a barreira, vai acabar virando como a tal da paradinha, que virou paradona. Não adianta, vira excesso. Acho sim que deve coibir, mas não deve marcar falta. No máximo, voltar o lance.

  • Paulo Cavalcante

    Meu caro Andre,como gostaria de ver o Flamengo na segunda divisão,há muito ele merece cair,mas a Globo não deixa que isto aconteça,acredita ela que vai perder muito dinheiro,como tem sujeira neste futebol…………….até tu são Paulo abrindo as pernas pro flamengo???

  • Carlos Futino

    Tô achando graça do povo dizer que o SPFC abriu para o Fla. O Tricolor tá na briga pela Libertadores, ia complicar a própria vida por que? Só para ver o Palmeiras na segundona? Rivalidade tem limite.

  • Matheus

    Marcos Vinícius,

    Já vi algumas pessoas falando agora, mas como eu fui um dos que anotei no caderno não poderia deixar de lembrar que o Galo vai pra Liberta 2013.

    AK,

    Foi só impressão minha ou o juiz marcou falta contra o Galo em um lance em que a bola não estava em jogo? A diferença para aquele lance entre Vasco e Flu é que quando a cobrança é feita o jogador continua cometendo a falta, o que não foi esse caso. É mais um exemplo de como uma regra que não é clara (Arnaldo César Coelho é brincadeira) provoca absurdos quase sempre que utilizada.

    Sobre o título, lembrem-se que o Flu ainda vai ao Morumbi e pega o Vasco na última rodada, então, nada decidido ainda, aliás, a única decisão é que o título fica entre Galo e Flu, Grêmio saiu do páreo definitivamente. Pra finalizar, a vitória do Fla deu sobrevida ao Vasco, que se vencer o Inter lamentará profundamente a incapacidade do ataque de matar o jogo contra o Botafogo.

  • M. Silva

    Caro Alejjandro,

    concordo quando você diz que “qualquer deslocamento de um adversário com o intuito […] de tirá-lo do lance, é falta”. Acho que a questão capital aí é o “lance”: se a bola está parada, ou seja, se não está em jogo, não há lance.

    Conferi no livro de regras da FIFA, e lá consta que para que uma infração só é considerada uma falta quando a bola está em jogo. Então, retomando a indagação do Marcos Vinícius a que me dirigi no outro comentário – “Pare e pense: Se a bola estiver rolando e um jogador deslocar o adversário sem a intenção de tomar-lhe limpamente a bola,visando apenas o corpo do adversário,isso não é falta? Então por que com a bola parada seria diferente? Foi falta,o lance foi irregular,a interpretação tem que ser a mesma tanto para a bola rolando quanto para a bola parada. Ou tem algo que difere?” – o que difere é a bola estar em jogo ou não. Ou seja, se um jogador empurra a barreira antes da bola entrar em jogo, o juiz deve mandar voltar o lance – pois há aí uma infração que não constitui falta; se ele empurra depois da bola ter entrado em jogo, deve marcar falta para o time que fazia a barreira, pois ocorreu uma infração que constitui uma falta.

    Outro exemplo: no jogo Inter x Fluminense, no segundo turno do atual campeonato, o Leandro Euzébio foi expulso por uma agressão ao Índio numa cobrança de falta, antes que a bola entrasse em jogo. O juiz não marcou falta do Leandro Euzébio, simplesmente expulsou-o e mandou voltar a cobrança (que chegou a ser efetuada, após a agressão). Lances assim são corriqueiros, aqui e na Europa também. Como não acompanho o campeonato chinês, não sei como é lá. Mas acredito ocorra de maneira similar.

    Um abraço,

    M. Silva

  • Marcos Vinícius

    M.Silva

    Quando o jogador bate a falta a bola entra em jogo,concorda?

    “o que difere é a bola estar em jogo ou não. Ou seja, se um jogador empurra a barreira antes da bola entrar em jogo, o juiz deve mandar voltar o lance – pois há aí uma infração que não constitui falta; se ele empurra depois da bola ter entrado em jogo, deve marcar falta para o time que fazia a barreira, pois ocorreu uma infração que constitui uma falta.”

    Então se o jogador continua empurrando a barreira após seu companheiro bater a penalidade é falta,não concorda?

    Simples assim.

  • M. Silva

    Caro Marcos Vinícius,

    a meu ver, não é tão simples assim. Se nos ativermos rigorosamente às regras do jogo, não concordo, pois há uma irregularidade anterior, antes da bola entrar em jogo, que invalida os lances que acontecem em sua seqüência – assim como a posição de impedimento invalida os lances que acontecem em sua seqüência (gols, faltas, saídas de bola, etc.). A menos que o juiz nada tenha marcado quando a bola estava parada; mas, nesse caso, o jogador não “continua empurrando a barreira após seu companheiro bater a penalidade”, pois se o juiz não assinalou o ocorrido anterior, o dito empurrão só passa formalmente a existir no jogo após seu recomeço.

    Dito isso, esclareço um ponto: concordo que se um jogador empurra a barreira, seja com a bola em jogo ou não, seu time deve ser penalizado conforme previsto pelas regras. Em nenhum momento defendi que tais jogadas não fossem punidas, pelo contrário. O jogador que empurra a barreira antes da bola entrar em jogo comete uma irregularidade e pode, por exemplo, ser advertido com cartão amarelo (ou até vermelho); mas, se for esse o caso, não se pode marcar falta.

    Um abraço,

    M. Silva

  • leonardoatleticano

    Todos batendo boca se foi falta ou não, a questão não é essa. A questão é a incrível boa vontade para com o Fluminense. Na jogada seguinte houve um baita impedimento não marcado e o Nem poderia ter aberto o placar na ocasião. Em todas as faltas temos empurrões, em todo escanteio existem agarra agarra, é ridícula essa prosa. A questão não é a falta, a questão é que se fosse contra o Flu ela jamais seria marcada.

  • BASILIO77

    Por mais de 2/3 do campeonato o AT/MG teve mais de 70% de aproveitamento.
    Sendo que no primeiro turno(19 JOGOS!!!), teve mais de 80%…salvo engano meu…
    isso tudo sendo “perseguido” pela arbitragem…
    Estamos diante de um Barcelona.
    Abraço.

  • M. Silva

    Prezado leonardoatleticano,

    “batendo boca”? Com esse espírito, não é de se surpreender com o teor do resto da sua mensagem. Enfim, cada um sabe como se conduz em sua vida.

    Quanto a mim, paro por aqui.

    Um abraço,

    M. Silva

  • leonardoatleticano

    M Silva, como você é evoluído!! Pena que no Brasil, estamos evoluindo é na tramoia, na desonestidade e na safadeza.

  • Paulo Pinheiro

    E estamos evoluindo na choradeira também.

    Na boa, Leonardo. O Atlético-MG fez o que o Corinthians fez ano passado: um excelente primeiro turno, liderando, depois foi perdendo terreno e administrando as gordurinhas. Só que o Corinthians administrou isso com mais competência e foi campeão, enquanto o Atlético-MG deixou o Fluminense ultrapassá-lo. Isso é normal e depende de todo um planejamento anual de preparação física de um grupo. O planejamento do Corinthians foi melhor, ou foi melhor executado.
    Assim como a arbitragem deixou de dar um impedimento do Nem naquele jogo, outra arbitragem “inventou” um impedimento do Fred no jogo do Engenhão, o que teve um efeito muito pior. Aliás, foi um lance MUITO mais suspeito, porque assinalado só depois que a bola entrou no gol.
    Pára de chorar. Todo mundo está sendo “garfado” pelos erros, mas só vocês estão chorando. É só ter “boa vontade” de olhar os lances dos outros jogos. A vida tá dura pra todo mundo, com relação a arbitragens. Tá feio, tá de baixo nível, mas não está tendencioso.

    E eu não sou torcedor do Fluminense.

  • Paulo Pinheiro

    Basílio77,

    Brilhante a ironia.

    André,

    Vale comentar, agora que já estamos quase no fim da semana, a boa vitória do Botafogo em Florianópolis também, assim como a virada do Internacional sobre o Vasco da Gama, aliviando um pouco a pressão sobre o SPFC.

    Torço pra que isso não faça com o que o tricolor paulista alivie no jogo contra o Sport em Recife…

  • leonardoatleticano

    Paulo Pinheiro, a pontuação do Galo esse ano, provavelmente será maior que a pontuação do Corinthians campeão. Sendo assim, ele não teve campanha ou desempenho inferior a do Corinthians, o que aconteceu é que o Fluminense teve sim um baita desempenho em número de pontos nos dois turnos. Desempenho fabuloso em termos de pontos, mas não de futebol. Acho incrível que ainda se negue a série de ajudas ao Fluminense. Ajudas pontuais e muito bem feitas. Como tentou se fazer no próprio jogo dos dois no último encontro.

MaisRecentes

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo

Inglaterra 0 x 0 Brasil



Continue Lendo