COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

CONTAGEM

Lionel Messi está a quatro gols de Diego Maradona. Repetindo: Messi. Quatro gols. Maradona.

A aproximação acontece na lista de artilheiros da seleção argentina. Maradona marcou 34 gols em 91 jogos. Na sexta-feira, Messi fez a septuagésima-quarta atuação por seu país. Os dois gols marcados nos 3 x 0 sobre o Uruguai elevaram seu total para 30. Apenas a título de informação, a relação dos maiores goleadores da Argentina tem apenas Gabriel Batistuta (56) e Hernán Crespo (35) à frente de Diego.

É cada vez mais fútil criticar o desempenho de Messi pela seleção. Até mesmo quem apela à subjetividade e o acusa de “não sentir a camisa” se vê carente de argumentos depois de exibições como a última. Além dos dois gols e do envolvimento no tento de Aguero, Messi, capitão, atuou como um líder em todos os sentidos. Chegou ao extremo de arrumar uma pequena confusão com o zagueiro Maxi Pereira, com quem trocou empurrões e palavras impublicáveis. Incomum demonstração de humanidade de um virtuoso que costuma ignorar adversários, mesmo os mais violentos.

A torcida no estádio Malvinas Argentinas viu Messi abrir o placar contra os uruguaios no segundo tempo, com uma impressionante explosão de velocidade em espaço curto. Acionou Di Maria na esquerda e rasgou o meio da área, oferecendo-se para a tabela. Os zagueiros do Uruguai não acreditaram quando o passe do jogador do Real Madrid encontrou Messi diante do goleiro Muslera, para um leve desvio.

A jogada do segundo gol foi semelhante. Messi lançou Di Maria com uma cavadinha mas nem precisou correr. Aguero se colocou na área em posição privilegiada para definir. O terceiro foi de falta, por baixo da barreira que saltou, como Ronaldinho e Pirlo fizeram recentemente.

A manifestação do torcedor argentino em Mendoza lembrou as ovações que vemos com frequência no Camp Nou. E como Messi ainda não fez, nesta temporada europeia, uma partida tão completa como a da última sexta-feira, ignorantes em Barcelona devem estar perguntando por que ele não joga pelo clube como faz pela seleção. Talvez até questionem seu comprometimento ou o repreendam por não cantar o hino da Catalunha.

Claro que jamais alcançarão o nível de nonsense do pachequismo. Por aqui, onde Messi – como Maradona – é diminuído por ser argentino, insiste-se no mito de que “só será grande quando ganhar uma Copa sozinho” (ou quando disputar o Campeonato Brasileiro, de acordo com a mais recente sandice dita a respeito dele). Fecha-se os olhos para uma Argentina que está conseguindo dar ao melhor jogador do mundo a companhia que ele merece. Um time que parece a um acerto defensivo de se tornar uma ameaça.

Quando Messi chegar ao Brasil para jogar a Copa de 2014, só Batistuta estará entre ele e o posto de artilheiro máximo da seleção. Maradona provavelmente estará numa cabine de televisão, torcendo. Aos 27 anos, idade considerada o auge da carreira de um futebolista, Messi será um dos principais nomes do Mundial. Receberá a admiração de quem gosta de futebol e o despeito de quem acha que gosta.



  • Gustavo Cintra

    Clap, clap, clap.
    Messi será campeão do mundo no Brasil. A CBF e o COL merecem isso. E principalmente o bom futebol agradece e reverencia esse gênio.

  • Anna

    Messi é espetacular! Não sabia que um jogador que adoro, Crespo, estava à frente dele. Por pouco tempo, claro. Argentina de Messi é favorita ao título de 2014. Podem me cobrar. 😉

  • Pedro

    André,

    Messi é gênio.
    Para mim está um degrau acima de Maradona, igualmente gênio.
    Suspeito que uma análise isenta e bem fundamentada, que leve em conta época, resistência dos adversários e graus de dificuldade, colocariam Messi acima de Pelé.
    Claro que para o Brasileiro, tão carente de tudo, admitir isso é praticamente impossível.
    Mesmo os “não-pachecos” devem sofrer a influência do mito (justo) sobre o jogador Pelé.
    Pelé ajudou o Brasil a ganhar 2 copas. Encantou o mundo em uma época distante e muito diferente da nossa. É único.
    Mas, creio eu, Messi pode estar sim acima de Pelé.
    Vê-lo jogar e deslocar-se em campo, é algo que beira o surrealismo.
    Pelé revolucionou porque trouxe o futebol algo a mais. Tinha físico, noções de espaço e tempo superiores e a precisão dos gênios.
    Messi tem tudo isso e talvez mais. Messi “tem que” provar que é mais genial e completo que Maradona. Tem que demonstrar que é super herói e ganhar tudo, sempre. Fatos constantes do futebol moderno com a mídia e a velocidade da notícia tirando o sono dos jogadores.
    Messi ainda tem um desafio a mais. Não se deixar levar pelo preciosismo da fama e glória.
    Não que Pelé não tenha tido fama e glória enquanto jogava, mas, convenhamos, eram outros tempos e não se pode supor que a exposição tenha sido sequer comparável ao que passam as estrelas de hoje.
    Fico imaginando Armando Nogueira assistindo aos últimos 2 anos de exibições del Pulga…

  • Julio Cezar de Carvalho

    Eu, particularmente, acho que nem o Batistuta estará à frente do Messi, se levarmos em consideração que só agora ele começou a fazer gols às pencas, em dois anos acho que ele já terá superado os 56 gols do Batistuta.
    O mais incrível aqui no Brasil não é subestimarem o Messi por não ter sido campeão mundial com a seleção argentina, é ver gente compará-lo ao Neymar no estágio atual dos dois.
    Pode ser que lá na frente o Neymar até jogue esta bola toda, mas, por enquanto, entre ele e o Messi ainda cabem uns cinco ou seis jogadores de melhor qualidade.
    saudações Tricolores (carioca)!!!

  • Juliano

    Gustavo Cintra, compartilho da sua opinião. E é apenas uma opinião, não é torcida, apesar de torcer pro bom futebol sempre, e admirar o futebol da Pulga.

    Abraço!

  • Não temos nenhuma identidade com Pachecos ou coisas parecidas,na verdade detestamos Copas do Mundo e a tal pátria de chuteiras idealizadas pelo reacionário Nelson Rodrigues.Mas Pelé está num patamar maior do que o grande Messi,infelizmente as novas gerações não o viram jogar,muito de suas diabruras sumiram em incendios e irresposabilidades daqueles que não dão importancia a memória nacional.Claro que no futebol jogado hoje os espaços são menores,porém já naquela época,Pelé era marcado por dois,três e até quatro adversários, e mesmo assim na maioria das vezes saía vitorioso da jogada.

  • Falando sobre o jogo, gostaria de saber a sua opinião a respeito da dividida do Lugano com o goleiro argentino (que me foge o nome agora). Muitos argentinos ficaram revoltados com a “violência” que Lugano usou. Alguns classificam como imprudência. Isso também é comum por aqui.

    Mas eu não consigo enxergar o lance como nada além de uma simples dividida. O fato do goleiro ir com as mãos e o jogador de linha com os pés dá uma sensação de desequilíbrio na disputa.

    O juiz, brasileiro, deu falta e puniu o Lugano com o cartão amarelo. Mas no replay fica nítido que o que ocorreu foi uma leal dividida.

    Você acha, portanto, que, em jogadas como essa, os árbitros sempre penderão em favor do arqueiro?

    AK: É provável. Fiquei com a mesma impressão que você. Lugano foi na bola, com a força que quase todos os jogadores usam em partidas mais tensas por causa da rivalidade. Se o goleiro argentino fosse para a dividida com os pés, a leitura do lance seria diferente. Um abraço.

  • Antonio Paulo Silva

    Messi é espetacular, melhor do que Maradona,mas nunca vai chegar a Pelé. Pelé fazia tudo que o Messi faz, ainda chutava com os 2 pés com a mesma precisão e cabeçeava como ninguém.

  • Andre Luiz

    Messi é espetacular, mas quem não gosta de seu futebol e prefere digamos o Cristiano Ronaldo, não é o meu caso, não entende de futebol ou é despeitado? Messi é o melhor do mundo, poderá ser o melhor da historia, mas posso preferir o Zidane ou Ronaldo sem ser taxado de despeitado?

    AK: Você está falando sério? É evidente que pode. A questão não é a preferência, mas o motivo. Um abraço.

  • Se compararmos as valencias técnicas de cada um,certamente Pelé é bem mais completo,velocidade,capacidade física de absorver o jogo bruto,chutes com os dois pés,batidas de faltas no chute forte ou colocado,o cabeceio e a impulsão dentro da area,as assistencias que hoje são contabilizadas e naquele tempo não etc, etc, etc e tal.Falar-se também de 1286 gols marcados pelo Rei,lógico o Messi ainda está na ativa……..

  • Só uma frase: o Antonio Paulo Silva disse tudo. E um link.

  • Sérgio

    Acho Messi completo e mágico. Se falta algo a ele é apenas a longevidade que a carreira pode proporcionar. Maradona foi virando esse Deus para os argentinos ao longo do tempo. Ronaldo tem uma das histórias mais bonitas do futebol por sua superação em lesões que ocorreram depois dos seus 25 anos de idade…não penso que ele necessariamente tenha que ganhar uma copa sozinho nem nada do gênero, mas para subir ao patamar de Ronaldo, Messi, Zidane, ele precisa escrever as próximas páginas desse livro. Caneta pra isso, ele tem.

  • lee

    Eu acho mesmo que nunca um jogador Argentino foi tao admirado pelos brasileiros como o messi.

    Ele é todo estranho , parece que nao liga pra nada, nao é marrento ..nao fica de safadeza na night, nao gosta de aparecer e principalmente:

    NAO FICA COMEMORANDO COM DANCINHAS SERTANEJAS, NEM USANDO FONES DE OUVIDOS VINDO DE MARTE!

    Qd nossos jogadores começarem a ‘guerrear’ em campo, como se estivessem passando fome, atrás de uma a prato de comida, quem sabe…teremos chances no mundial.

    Enquanto isso, no instagram; neymar posta foto com o boné de lado, óculos colorido e linguinha de fora”

    Ah, vá!

    Acho que o comportamento conta muito pra se virar um ídolo mundial…

  • Sérgio

    Perceba que confundi Messi com Maradona…o menino tá no caminho certo?rs

  • Torço p/ a Argentina não é de hoje… desde que Maradona encantou o Planeta Bola em 1986 que não consigo mais torcer para outra seleção…

    Comemorei sim o Tetra de Romário e cia.! O Penta então, com R9 fazendo chover, nem se fala.

    Mas sempre com um pé atrás… sempre tentando relevar quem está por trás da CBF.

    Não que o pessoal da AFA seja santo, longe disso! Mas é fato que a Seleção Brasileira perdeu totalmente sua identidade e, com isso, seu fascínio.

    TALVEZ o Brasil acorde CASO Messi levante o caneco para a Argentina, em 2014, no Maracanã…

    Torcerei pelas duas coisas!

    Agora, esse papo furado de que precisa ganhar uma Copa p/ ser considerado gênio… poupe-me! Quando vi Ronaldo dizendo isso, sobre Messi… mesmo sendo fã do Fenômeno… bateu uma vergonha…

    Messi está prester a desbancar todo o TOP 10 da história… ficará apenas atrás de Pelé…

  • Massara

    Assisti ao jogo. A Argentina pressionou muito. O Uruguai suportou bem e até teve chance de marcar com Luis Suarez (mala demais, mas joga muita bola). Mas a saída do Lugano foi crucial para o desenrolar do jogo. Mesmo sem ritmo, ele estava ajudando muito a segurar o empate. Assim que deu lugar ao Scotti, a Argentina marcou com Messi. Não por coincidência, a arrancada do Messi se deu nas costas do Scotti, veterano zagueiro que, não sei por qual motivo, atrai a atenção de vários clubes brasileiros a cada janela de transferências.

    Messi é gênio, não importa a camisa que vista. Com o poderio ofensivo de seus companheiros de seleção, pode buscar o tri para a Argentina aqui no Brasil.

    Abs.

  • André,

    Lembrei que uma vez, no Bligol (lembra?), “chegamos” à conclusão (não unânime, lógico) que o Maradona era o melhor do mundo, e o Pelé não era deste mundo (infelizmente só achei a chamada no meu blog – http://alejjandro.wordpress.com/2008/01/23/pele-x-maradona/ -, mas o “seu” Bligol não abre 🙁 ). Com os debates que estamos tendo aqui, creio que chegaremos a afirmar que o Messi será o melhor do mundo. A questão é: seremos capazes de afirmar que ele não é mais deste mundo? Imagino que, quem não é deste mundo, não está passível de aparecer em nenhum “TOP10”, “TOP5”, “TOP3”. Ele simplesmente “é” (ou seja: Messi nunca será melhor ou pior que Pelé. Estará num estágio em que isso não será mais discutido). Será que chegaremos a isso?

    Abraço!

  • Muita gente ainda não percebeu a grandiosidade e a importância de Messi para o futebol.

    Talvez só percebam quando ele ganhar uma Copa do Mundo para a Argentina.

    …mas e se isto não ocorrer ?!

  • Será que o Pelé era um jogador comum,destes que aparecem a três por quatro nos campos de futebol pelo mundo,achamos que sim.Um dia o Washington garoto que surgiu no Guarani de Campinas foi denominado o novo Pelé,o Enéias da Lusa também,no pós hecatombe da Copa de 66, o Eusébio assumiu o trono vago do Rei,Cruyff,Maradona,Ronaldinho Gaúcho e outros.Há cerca de nove anos atrás, estavamos num bar no Méier subúrbio do Rio,lá pelas tantas um sujeito começou a bradar,”O GARRINCHA FOI MUITO MELHOR DO QUE O PELÉ”,repetia a frase a exaustão,depois de um certo tempo fomos ao sujeito, que não tinha idade para ter visto o Garrincha jogar e perguntamos…..vc viu o Garrincha jogar aonde para afirmar isso,aí o sujeito respondeu do alto de sua ignorancia futebolistica.”NO OLARIA,NO OLARIA ,CONTINUAVA,NO OLARIA”,o Garrincha entrou em campo meia duzias de vezes com a camisa do modesto time da Leopoldina carioca,aos 39 anos, totalmente destruido físicamente,porém foi o bastante para o cara acha-lo melhor do que o atleta do século.

  • Marcelo

    André, seria “FechaM-se os olhos”, não?

  • Rafael Borges

    Eu vou dizer aos meus filhos que vi, ao vivo, Messi comer a bola na copa do mundo de 14. O resto é conversa mole.

  • João

    André,

    Você vai colocar sua coluna da revista-poster do Corinthians campeão de 1990?

    Abraços

    AK: Não sei. Não tinha pensado nisso. Você gostou? Um abraço.

  • João

    Gostei sim. Se puder, coloca aqui.
    Vai ser bom pra compartilhar por aí 🙂

    Abs

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo