CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

SUBMERGINDO

Há vários lugares onde se pode encontrar mergulhadores. O gramado de um campo de futebol não deveria ser um deles. Mas não há um jogo em que não os vejamos em flagrante tentativa de ludibriar a regra, a arbitragem e a torcida.

A grande área e proximidades são as regiões prediletas. Faz-se mais, em termos de criatividade, para conseguir uma falta de graça do que para construir um lance de gol. A chegada de um marcador é a senha para atuações que têm o mesmo nível de realismo dos filmes de Dolph Lundgren. Mas a missão do mergulhador do futebol é bem mais fácil: ele só precisa convencer uma pessoa.

Jogadores que se atiram para cavar faltas são produtos de um ambiente que não se importa com a virtude. O que interessa é o objetivo. Como chegar a ele é coisa para otários. A vitória sem mérito – vazia em essência – fica até mais saborosa quando envolve a transgressão. O árbitro é a maior vítima: ou o mergulho o induz ao erro, ou induz a torcida a pensar que ele errou.

De vez em quando ainda vemos, felizmente, um mergulhador ser punido pelo próprio jogo. A malandragem passa pelo crivo do juiz, mas não pelo tribunal que ainda opera lá dentro, entre os iguais, para manter a ordem. Uma ameaça é suficiente para que a farsa não se repita.

O problema é que ganhar a qualquer custo tem maior poder de sedução. Como o árbitro é um só – e muitas vezes está longe – a confiança na impunidade estimula o risco. Se tudo sair ao contrário do que foi planejado, a pena será um reles cartão amarelo.

A NBA, liga em que as regras acompanham a evolução na dinâmica do jogo, decidiu agir contra as encenações. Na próxima temporada, tentativas de enganar os árbitros serão punidas com multas acumulativas que podem chegar a 30 mil dólares. A partir da quinta punição, atletas serão suspensos.

A liga de basquete profissional usará o recurso de vídeo para identificar “qualquer ato que pareça ter a intenção de levar o árbitro a marcar uma falta”. O sindicato dos jogadores promete questionar a medida na Justiça.

INVASORES

A invasão da sede da Confederação Brasileira de Desportes no Gelo por funcionários do Comitê Olímpico Brasileiro (revelada pela ESPN Brasil) mostra que o COB não tem preferência por delitos eletrônicos. O Comitê de Nuzman copia arquivos confidenciais de ingleses com a mesma naturalidade que arromba o escritório de uma de suas filiadas. E o ministro Aldo Rebelo a tudo assiste, sem fazer nada. Diz que fiscalizar o COB não é papel dele.

SIMULADORES

Se fiscalizar o Comitê Olímpico Brasileiro, um organismo alimentado por verbas públicas, não é papel do Ministério do Esporte, a questão passa a ser a razão da existência do ministério. As denúncias contra os antecessores de Rebelo, Agnelo Queiroz e Orlando Silva, nos dão uma razoável ideia da resposta. Mas certamente há mais. O ministro poderia elaborar melhor. Ou será que ele acha normal ver o COB envolvido em gatunagens?



  • André,

    Não concordei com sua última frase. O que o COB faz não é “gatunagem”. Isso é coisa pra ladrão de rua, que busca obter vantagem a curtíssimo prazo, sem objetivos futuros. COB é sigla pra Crime Organizado Brasileiro.

    Abraço!

  • É a ideia de que a malandragem a tudo supera. Sábias são as palavras de Jorge Ben: “Se malandro soubesse como é bom ser honesto, seria honesto só por malandragem…”

  • cdavi75

    Rever essas atitudes, seria o primeiro passo para a evolução do jogador brasileiro como um todo.

  • Francovieira

    É importantíssimo revermos essa questão da “malandragem” afinal ela ao longo dos anos foi violentada, e passou de uma simples situação pra “meio de vida” de muitos jogadores..todos temos q denunciar e lutar contra esse estado de coisas..inclusive e decididamente a midia….

  • Anna

    André, essa iniciativa da NBA devia rolar por aqui também, no futebol. Bom final de semana a todos, Anna

  • Robert

    Após o fim das olimpiadas 2012, nosso lugar no ranking olimpico é o seguinte:

    no ranking da corrupção e ineficacia dos serviços publicos: 1o lugar

    no ranking do IDH Brasil ocupa 84ª posição entre 187 países no IDH 2011

    agora no ranking da educação e saude publicas quem frequenta a perfiferia e suburbio das grandes cidades não tem duvida nenhuma:

    estamos na rabeira!

    nossas crianças nao aprendem sequer a ler !!!
    br@sil gera emprego de:

    faxineiro; porteiro; padeiro; g arçom; vendedor d loja;etc

    sem duvida profissoes importantes p/ qq país + NÃO serão estes os profissionais demandados p/ transformar uma nação em 1 país d ponta na economia do conhecimento

    nossa lacuna na formação d engenheiro combinada com crise na Europa ja fizeram Portugal exigir acesso d seus engenheiros ao mercado brasileiro

    preparem se p/ invasao lusa nessa area (essa sim tipica da economia do conhecimento)

    Este jornal informa q 1 em 4 brasileiros tem 1 negócio ou está criando c/ isso temos oitava maior proporção d empreendedores entre população

    Isso é relacionado a desespero d desemprego

    não tem qq ligação c/ inovação estudo d mercado, mapeamento d oportunidades

    Este jornal tb informa q a Volvo no Paraná dispensa cerca d 200 funcionários

    ou seja infelizmente tudo indica q teremos + 200 “empreendedores” no mercado

    triste brasil

    c/ pib caindo/inflação subindo só vai piorar!

    Este jornal diz q Governo recorreu a calamidade pública p/ pacote d compras do PAC

    é apenas reconhecer realidade

    brasil=Lidere s corruptos

    classe media: ENDIVIDADA ATE A ALMA!!

    construtora delta (q toca obras do PAC) NO ESQUEMA DE DESVIO DO cachoeira

    toda cidade tem favela=esgoto a céu aberto tuberculose

    saude publica do brasil precaria, tb escola publica violencia policial, ocupação ilegal falta moradia, poder paralelo (miliciano/trafico) + diversos problemas

    É ou não calamidade publica?

    brasil 1 país de tolos

    Esta crise atual é a segunda maior crise economica da historia por enquanto…

    o FMI ja diz q a crise durara no minimo até 2018…

    A crise ainda vai começar…

    perto da atual crise economica

    o crash de 29 será um domingo no parque…

    quem viver verá

  • Bruno

    Essa declaração do venerável ministro está no mesmo naipe daquela do excelentíssimo presidente da CBF, que disse não ter poder de decidir contra quem a seleção joga seus amistosos.

    Brincadeira.

  • Luiz Ribeiro

    Sugestão para uma campanha direcionada ao Sr. Ministro Rabelo: TORNEIRAS FECHADAS JÁ!

  • Marcos Vinícius

    Acho que um dos motivos que levaram Neymar a não querer sair do Brasil rumo à Europa foi justamente esse: No Brasil a maioria das faltas cavadas por Neymar são marcadas.E quando não são marcadas aparece uma legião de pessoas,encabeçadas por Muricy Ramalho,dizendo que o garoto apanha muito e os árbitros o perseguem. O que os jogadores do Corinthians disseram não foi novidade nenhuma,todo mundo sabe que Neymar cava,simula,finge,chora e grita quando a marcação chega. O que me deixa mais irritado é que estamos falando simplesmente do melhor jogador em atividade no Brasil,que tem um dom que o fez ficar milionário antes dos 20 anos,mas que prefere mergulhar na relva do que prosseguir com a jogada. E quando acontece o que aconteceu no último domingo,contra o Grêmio,quando o árbitro corretamente deu vantagem numa jogada que ele não caiu,o menino se irrita. É como se ele dissesse:”Pô,nessa eu não me joguei e você não marcou?”. Vale ressaltar que no mesmo jogo o árbitro puniu Kléber,do Grêmio,com cartão amarelo por simular falta.

    Não dá para se encantar com um ogador que prefere cair do que dar prosseguimento a jogada. Deve ser esse um dos motivos que fazem de Messi o melhor do mundo.

    Robert…

    Meu amigo,mas como você é chato,não?!

  • Juliano

    Ótima iniciativa da NBA em punir os “floppers”. Só quem já jogou sabe como é irritante, estar no progresso para a cesta, e um milionésimo de segundos antes o defensor se posiciona em sua frente, voce o toca, e ele voa… é anotada sua falta de ataque. Claro que os flops acontecem em outros lances tambem, mas este irrita mais.

    Não há no futebol mundial jogador pior que o brasileiro no que diz respeito às “malandragens” (no mau sentido), de burlar as regras do jogo. É inerente ao povo brasileiro (me refiro à grande massa, que ninguém se ofenda) que adora o “jeitinho brasileiro”. Esse brasileiro é uma m… reclama do político (eleito por ele) mas faria pior se estivesse no seu lugar. Ninguém está certo. Tenho vergonha.

    Perfeitas as notas INVASORES e SIMULADORES. Novamente… dá vergonha.

    Abraço!

  • leonardoatleticano

    André, no caso dessas federações, quase nunca existem mocinhos. São na maioria pequenos projetos de Nusman, duzentos anos no poder, quase sempre em benefício próprio.
    Federação de esportes no gelo?

  • lok 2014

    Eu só acho que punição no esporte em qualquer esporte não deve ser em dinheiro ou pelo menos não só em dinheiro porque isso só serve para enriquecer ainda mais a confederações

  • Gustavo

    Até que enfim um jornalista resolveu falar da grande responsabilidade que os atletas têm na boa condução da partida. Sempre que venho aqui sei que vou ler algo inteligente. Parabéns mais uma vez, André.

MaisRecentes

Futilidade



Continue Lendo

Incoerente



Continue Lendo

Sozinho



Continue Lendo