CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

O TATU E A BOLA

O nome dela era Tango. Rolava, de pé em pé, nos gramados da Espanha, em 1982, como protagonista da formação futebolística de uma geração. Gente do naipe de Platini, Maradona, Rummenigge, Antognoni, Sócrates, Zico e Falcão a tratava como uma rainha. Branca, com triângulos negros estilizados nos gomos, era também um sonho de consumo. Tê-la era motivo de orgulho. Ver seu couro se desgastar numa rua asfaltada e sem saída, uma dor irresistível. Para quem viveu isso, tango não é um gênero musical. É uma bola.

Os tempos e o mundo mudaram demais. Depois da Azteca, da Etrusco, da Questra, até da Jabulani, a Copa de 2014 apresentará a Brazuca ao planeta. Um nome que discorda do idioma e não tem nada a dizer. Alguém aqui seria capaz de se relacionar com o termo? A Fifa informou que nós, brasileiros, usamos a palavra para “descrever o orgulho pelo estilo de vida do país”. Há algo errado.

Consta que questões comerciais impediram que a bola da Copa no Brasil se chamasse, por exemplo, Samba. Mas não há como explicar por que não se usou o exemplo sul-africano. Jabulani quer dizer “celebrar”, em zulu. Nós temos o tupi-guarani e inúmeras possibilidades de chegar a algo que carregasse significado. O único mérito de Brazuca é não ser pior do que as outras opções, Bossa Nova e Carnavalesca.

Mas como não há nada como um nome após o outro, o tatu entrou na conversa. A engenharia empregada para batizá-lo é prova de genialidade: Fuleco é mistura de futebol e ecologia (e esse “L”, o que faz aí?); Zuzeco é encontro de azul e ecologia (a insistência é pedido da Fifa, preocupadíssima com o meio ambiente); e Amijubi é o casamento de amizade e júbilo. De acordo com publicitários brasileiros contratados para sugerir os nomes, júbilo é uma característica do nosso povo. Mascote da Copa, o tatu-bola certamente optaria pela anonimidade.

Novamente, problemas de registro levaram a soluções criativas para nomear o tatu. Tão ridículas que, perto delas, Brazuca faz todo o sentido. Em algum lugar, a Tango chora. E o Naranjito ri.

MISSÃO

O nome e o currículo de Gilson Kleina pouco importam diante da magnitude do desafio. Salvar um clube como o Palmeiras do rebaixamento, em 13 rodadas, é uma enorme exigência para qualquer treinador. Sem tempo para errar, será necessário produzir pelo menos 24 pontos em 39 possíveis. Um desempenho de 61,5%. Número que, ao longo de um campeonato inteiro, leva um time a disputar o título. Inegável: Kleina mostrou coragem.

FILME

Jogar pela primeira vez uma partida de Liga dos Campeões deve estar no imaginário de um jovem futebolista. Estrear com dois gols, entre eles uma obra de arte, supera até os sonhos mais otimistas. O Chelsea permitiu o empate (2 x 2) à Juventus, ontem em Londres, mas a atuação de Oscar foi impecável. Gol magistral, o segundo. Pelo raciocínio instantâneo, o drible venenoso e o chute de cinema. Uma estreia para não esquecer.



  • Luiz

    Se Amijubi = amizade + júbilo, imaginem como seria o nome do tatu, como disse o Flávio Gomes, se os publicitários exaltassem o carater e o trabalho do povo brasileiro?
    Pano, rápido!

  • Juliano

    “A Fifa informou que nós, brasileiros, usamos a palavra para “descrever o orgulho pelo estilo de vida do país”. Há algo errado.”

    Concordo, André. A bola deveria se chamar, pois, “Jeitinho Brasileiro”. Quer expressão que demonstra mais o tal estilo de vida do país??

  • Teobaldo

    “Mas como não há nada como um nome após o outro, o tatu entrou na conversa”. Sensacional!!!!! Um abraço!

  • A bola deveria ser “gorduchinha”… pecado dos maiores não ter esse nome… O mascote? Deveriam ter conversado com o Maurício de Souza (Sousa?) e pêgo o Pelézinho… mesmo que Edson não seja um primor de embaixador do povo brasileiro, Pelé é um símbolo do (que um dia foi o) nosso futebol reconhecido em todo este lado do Universo… E o gol de Oscar, sem palavras. Mas sou só eu quem acha que o gol por si (lindíssimo chute!) “apenas” coroa um drible de fazer o espectador “abrir um sorriso” pela sua beleza e plasticidade? Abraços, André!

  • Emerson

    É incrível como nada que se relacione ao mundial de 2014 consegue ser bem feito, desde coisas simples como nome da bola e mascotes, até a gastança absurda, do nosso dinheiro. Ó pátria amada, idolatrada, salve, salve!

  • Ricardo Macedo

    André, concordo com tudo o que disse.

    Já no começo me identifiquei totalmente com o post.
    Ver a Tango se ralar nas ruas era uma dor enorme. A vontade imensa de jogar uma pelada contrastava com a vontade tão grande quanto de deixar a bola intacta.

    O que você acha da campanha para Gorduchinha, por exemplo? Não acredita que o Osmar Santos, abriria mão de direitos comerciais? Provavelmente ele os tenha….
    Opções Tupi-Guarani:
    Orube: alegre, feliz, rindo.
    Angatu: alma boa, bem estar, felicidade.

    Até que Brazuca não foi a pior, apesar de não ter gostado.
    Mas o nome do bendito mascote foi grave…..
    Podia ir na linha de Tupi e escolher Peba = Tatu

    Bolinha, Boleta, Redondo, qualquer coisa, menos essa aberração..
    Abraço

  • Álvaro

    Olá, André,
    Por que a Tango continuou em 82? Faltou um gênio para dar nome (Espanhuca?).
    Na verdade, acho que esses nomes do Tatu são só para que o Brazuca não fique parecendo tão ruim. Amijubi é, certamente, a coisa mais horrível que se podia pensar. De resto, já imagino o corinho: “Ei, Tatu, vai…”.
    abs

  • Juliano

    Ótimo AK. A Copa, que já é um desastre, consegue piorar em todos os aspectos. Fato é que, duas semanas após o término da Copa, ninguém mais se lembrará de Brazuca e do nome do tatu. E o legado ficará – contas a pagar, corrupção e elefantes brancos.

    Permita-me um OFF TOPIC: o fim da novela PHG.

    Só posso dizer que SPFC e PHG, a esta altura, se merecem. Sou santista, e como tal fico sentido com a postura do jogador ao recusar QUATRO ofertas para permanecer no Santos, recusar uma diferença de SETENTA MIL reais (ganharia 420 no SFC contra os 350 do SPFC).

    Como LAOR disse, acabou a escravidão, cada um trabalha onde quer. Mas ele poderia, ao menos, dizer os motivos por recusar tanto o Santos, que sempre pagou seus vencimentos enquanto esteve constantemente lesionado? No seu discurso, apenas o desejo de jogar no grandioso SPFC, mas não traz a público porque tamanha vontade de deixar a Vila.

    Mas, se merecem, ou o SPFC esquece que ele já forçara a saída do Santos para o exterior outrora, antes das seguidas lesões? O SPFC se esquece que pra ele cumprir seus 5 anos de contrato, deverá ficar até os 27, 28 anos atuando no Brasil? Alguém crê nisso? Ah, mas dirão que o SPFC vai lucrar se o vender mais tarde… como? Com os 38% que detém do jogador? Grupos de empresários como a DIS estão, há muitos anos, acabando com o futebol, e os clubes atolados em dívidas.

    Ou PHG se esquece que a torcida são-paulina cobra tanto ou mais que a torcida santista, Luís Fabiano que o diga, mesmo sendo ídolo por lá? Se o Santos era “do Neymar”, se esquece que ele está chegando no time de R. Ceni e novamente de L. Fabiano? Se esquece como o próprio SPFC agiu no caso Oscar (fantástico, bela nota “FILME”!). Para que ele continue recebendo o carinho da diretoria são-paulina, é bom que atue no mais alto nível e jamais se lesione com a frequência ocorrida no Santos. É um futuro incerto, para ambos os lados. Novamente, se merecem!

    Como não desejo e não se deve desejar mal a ninguém, desejo que o profissional reencontre seu belo futebol do qual virei fã. Não é porque não atua mais no Santos (já não atuava mesmo…) que vou torcer contra seu futebol… pelo contrário, que volte a brilhar e vá logo pra um grande clube europeu… será melhor.

    No fim das contas, no ano de seu centenário, o SFC conseguiu implodir seu meio-campo: Íbson, Elano e agora PHG. Pobre Muricy… que a diretoria aplique bem este dinheiro em 2013. É duro pagar isso tudo pro Neymar e vê-lo atuar no Paulistinha, alguns jogos do Brasileirão e provavelmente a Sul-Americana. Que dureza…

    Falando em Elano, como MM não o convocou pro clássico caseiro contra a Argentina? Jádson? Tá de brincadeira… a posição do Grêmio na tabela se deve muito ao futebol que Elano tem jogado…

    AK, sem querer te pautar, e já pautando (as usual), teremos algumas linhas sobre o capítulo final da novela PHG?

    Abraço!

  • Brazuca é até simpático, mas os nomes do Tatu são simplesmente lamentáveis. Ninguém pensou em chamá-lo somente de Tatu-bola?

    Quanto à atuação de Oscar, impressionante o segundo gol! Magistral.

  • Caio

    Se fosse no facebook, eu curtiria o primeiro comentário do Juliano!
    Ou do primeiro Juliano, sei lá…

  • Teobaldo
  • Ailton de Souza

    Caro André

    Se pudessemos fazer uma seleção com os jogadores de 70 e 82.

    Seleção de 70
    1 Félix, 4 Carlos Alberto, 2 Brito,3 Piazza, 6 Marco Antônio, 5 11 Rivelino, 7 Jairzinho, 9

    Seleção de 82

    1 Waldir Peres, 2 Leandro, 3 Oscar, 4 Luizinho, 5 Toninho Cerezo, 6 Júnior, 15 Falcão, 8 Sócrates, 9 Serginho, 10 Zico, 11 Éder,

    A seleção das duas poderia ser assim: Félix, Leandro, Brito, Oscar, Júnior, Falcão, Clodoaldo, Gérson, Zico, Tostão e Pelé? Você substitutiria alguém?

  • Edouard

    Os nomes sugeridos para o simpático e bem escolhido tatu-bola são pavorosos. Muito ruins mesmo, e não há a menor chance de cairem no gosto popular.
    Brazuca é ruim, mas dá para engolir. Pena que não tem o mesmo impacto na voz de Cid Moreira. De todo modo, a Fifa não tem acertado. Teamgeist (2006), por exemplo, é feio demais.
    Dizem que não foi possível registrar “gorduchinha”, o que é triste, seja verdade ou não.
    Tango é bom nome, melhor do que teria sido Samba.
    Um abraço.

  • Ailton,

    Você só pode estar maluco para preferir Felix a Waldir Peres e Brito a Piazza. O resto da seleção eu concordo totalmente. Talvez trocaria Gérson por Sócrates, mas aí é pário duríssimo.

  • Anna

    Eu achei os três nomes do tatu-bola horríveis. Deixa só tatu-bola. Gostei do mascote ser tatu bola e tb do nome brazuca, mesmo com z.

  • Luiz Ribeiro

    ÉMERSON, você esqueceu-se de citar o logotipo medonho.

  • Pablo

    André,
    a palavra samba já usada como marca para identificar artigos esportivos por uma empresa, por isso, poderia ser um problema para a FIFA utilizá-la.

    Concordo que os nomes são sofríveis, junção de palavras que nada tem a ver, sequer em seu conjunto.

    Poderiam utilizar outros nomes, coisas brasileiras, como Amazônia, Caatinga, Cerrado, sei lá…existem tantas possibilidades…que escolheram as piores

  • Marcos Vinícius

    Brazuca ainda tem o agravante de ser uma palavra aparentemente de origem inglesa,onde o “Brasil” vira “Brazil”. Se pelo menos representasse algo do nosso povo se chamaria “Brasuca”,com “S”.

    E mais uma piadinha sem graça de Jerome Valcke…

  • Marcel de Souza

    A cada dia fico mais envergonhado dessa Copa no Brasil. Quando parece que nada mais pode piorar aparecem coisas como esses nomes. É por coisas como essas que a Copa da Fifa fica a cada edição mais chata.

  • Bruno

    Rapaz, eu gostei do nome. Me faz lembrar de uma música magistral do Gabriel, o Pensador…

  • Massara

    Golaço do Oscar. Mas não acho que ele quis driblar o zagueiro. Tentou dominar, mas o defensor chegou pressionando por trás e a bola sobrou. Ele foi muito inteligente de dar o tapa por cima antes que alguém chegasse abafando. E foi preciso no chute. Mas não vi drible voluntário.

    Abs.

  • João Ricardo

    Amigo concordo quando você afirma que os nomes para o mascote são horríveis, mas discordo quanto ao nome da bola até acho que o nome dado a bola deveria ser o nome do mascote, pois nome da bola e de fácil entendimento: braz (brasil em inglês brazil) + uca (muvuca, manifestação de festa, bagunça ou confusão). Fica evidente a escolha e o motivo para tal, como todo brasileiro, eu sei e você devia sabe que futebol é uma arte em que nós somos os maiores por essência, e com a bola no pé fazemos uma muvuca (ou festa) sobre as defesas adversárias e também notável que a FIFA reconheça isso e troque o nome da bola e ponha esse nome no mascote, além de mostra mais personalidade para as escolhas!!!

  • Rita

    Realmente André, poderiam ter pego o exemplo da África do Sul e terem escolhido um nome em tupi para representar a bola. Mas não… quiseram ser autênticos… tenha dó.
    E nessa linha de como não há nada como um nome atrás do outro (rs), escolho Tupi para o nome do mascote.

  • Leonardo

    André, o que é pior: o publicitário que tem coragem de vender essa ideia, ou a FIFA que a comprou?

    Esse torneio deixou de ser algo ligado ao povo; tornou-se uma espécie de ópera-alternativa para a alta sociedade. Este público que paga 80 reais para um amistoso, que pagará uma fortuna para ver a Copa é o público que se conforma com estes nomes.

    A tradição, o popular e o amor pelas coisas deste esporte ficaram de lado; o que vale hoje é a pirotecnia, é o standard pelo próprio valor e status de ter e consumir.

    Acredito que para este público os nomes estão de acordo, pois caso num tenha o show eles vaiam sem dó.

    Abraço.

  • BASILIO77

    Ninguém merece cair duas vezes em tão pouco tempo.
    Torcendo pelo verde ficar.
    Apesar da situação difícil, acho que dá pra passar a Lusa na rodada 31.
    Vamos aguardar…

    Juliano, concordo com quase tudo.
    Para que toda a transação faça algum sentido economico, PHG terá que ser vendido, provavelmente após a copa, por pelo menos uns 40 milhões de reais para que a DIS e o SPFC ao menos “empatem” o investimento feito.
    Será que tudo não se trata de uma venda “casada” Lucas + PHG para o PSG, do cartola Leonardo que tem ótimas relações com o tricolor?
    Isso explicaria muita coisa, inclusive a oferta inverossímil dos franceses por Lucas…
    pagam uma grana dessas e deixam o jogador 6 meses atuando em nossos gramados correndo risco de lesão.
    Como dizia o Zagalo: “é estranho…é estranho…”
    Vamos aguardar.
    Abraço.

  • BASILIO77

    Previsão furadíssima…LUSA meteu 3 no SFC…que dureza…

  • Marcão

    Estes “publicitários” devem ter tomado muito “laxante”, para ter ideias de nomes tão toscos e nada haver, ja vamos passar vergonha com nossa seleção e ainda com estes nomes….realmente querem passar a ideia que brasileiro é totalmente alienado..francamente!!!

    O caboclo que escalou a seleção sem o Socrates pode pedir uma vaguinha aos “publicitários”

  • Adidas Teamgeist (Copa de 2006), significa “espírito de equipe”… não existirá bola melhor que essa para se jogar futebol, enquanto eu viver! E o nome não fez feio!

  • Alexandre

    Inesquecível mesmo foi a Telstar, da Copa de 70, com seus pentágonos pretos e hexágonos brancos.

MaisRecentes

São Paulo joga, Corinthians soma



Continue Lendo

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo