COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

CHUTE NA CADEIRA

É possível que a euforia provocada pelo primeiro título de relevância nacional em quatorze anos tenha produzido um efeito entorpecente. O vestiário do Palmeiras no estádio Couto Pereira latejava pela conquista da Copa do Brasil, os jogadores tentavam entender o significado do momento, os torcedores reencontravam uma sensação que vagava pelo tempo. A diretoria, ao invés de ponderar, preferiu capitalizar.

“Eu tinha certeza que nós conquistaríamos um ou dois títulos neste ano. Já ganhamos um, o que prova que nosso elenco é de primeiro nível (…)”, declarou o presidente Arnaldo Tironi, anunciando mais alegrias para a torcida do Palmeiras na sequência da temporada.

Era a madrugada do dia 12 de julho. De lá para cá, o Palmeiras disputou quatorze jogos pelo Campeonato Brasileiro. Ganhou três, empatou três, perdeu oito. Os 12 pontos somados em 42 possíveis mantiveram o time entre os quatro últimos colocados, mesma região da tabela que ocupava enquanto dava prioridade à Copa do Brasil. Na Copa Sul-Americana, está classificado para as oitavas de final.

Os números acima incluem o ponto relativo ao empate com o Grêmio, no sábado à noite. A menção ao jogo é importante por causa de outra declaração preocupante de um membro da diretoria palmeirense. Na chegada do elenco ao Pacaembu, o vice-presidente Roberto Frizzo reiterou o que Tirone disse quase dois meses atrás: “O elenco do Palmeiras é excelente”. A diferença é que Frizzo não pode alegar que falou sob forte emoção.

Se esse discurso é usado apenas do clube para fora, para não pressionar os jogadores, está equivocado por vender ao torcedor uma realidade que não existe. Se é o mesmo usado dentro do vestiário, a situação do Palmeiras é mais grave do que se pensa. O elenco se encaixa na categoria “médio para bom”, dependendo de quem está disponível. Nenhum time “de primeiro nível”, ou “excelente”, faz 17 pontos em 21 rodadas.

Talvez o título da Copa do Brasil e a classificação para a Libertadores 2013 tenham causado a perigosa impressão de que o ano do Palmeiras acabou. Nesse caso, a tabela do Brasileirão faz o papel do momento do chute na cadeira no filme “A Origem”. É hora de despertar. Gastar energia com a investigação do dedo-duro do Palestra – um tema que levou o sensato César Sampaio ao extremo de falar em entregar a candinha para torcedores violentos – é permanecer no nível dos sonhos.

Se as contas que interessam ainda não foram feitas, aqui estão: desde que o Campeonato Brasileiro é disputado por 20 clubes, o mínimo de pontos necessários para evitar o rebaixamento foi 42 (Atlético Goianiense, em 2010). A média do décimo-sexto colocado nos últimos seis anos é de 44 pontos. Tomemos esse número como o objetivo de quem quer permanecer na Série A. O Palmeiras tem 17 pontos ganhos e 51 para disputar. Precisa somar pelo menos 27 pontos até o final, supondo que a matemática do descenso acompanhará o que se viu desde 2006.

É um aproveitamento de 52%, quase o dobro do atual.



  • Anna

    A comparação com A Origem é muito boa, porque estou temerosa que o Palmeiras caia, de novo. A situação piora a cada rodada.

  • Pedro

    “O elenco do Palmeiras é excelente” tá maluco?

    AK: Quem?

  • Edouard

    Eu não sabia que o tema da sua coluna era esse quando mandei o comentário, ontem, sobre as notinhas.
    Friamente, os números assustam o Palmeiras mesmo. Mas eu acho q em algum ponto do campeonato, eles vão engrenar uma sequência de jogos sem derrota, e na zona de degola qualquer ponto faz diferença.
    É verdade que o elenco está longe de ser “excelente”, mas não é time para cair.
    Um abraço.

    AK: A matemática é preocupante. Um abraço.

  • André, é preocupante a situação do Palmeiras. Apesar de corinthiano, não gostaria de ver o rival rebaixado mais uma vez. Mas, a sua análise foi perfeita. O time não empolga o mais otimista dos torcedores e a matemática apresenta requintes de crueldade. Sinal de alerta para o Palestra!…

  • Matheus Brito

    Grande sacada a do chute na cadeira (filme excelente). Mais preocupante que a matemática é gente do próprio Palmeiras dizendo que não há chance do Palmeiras cair. Dizer pra imprensa que o time é excelente é tão ruim ou pior que dizer ” O time é fraco, mas já fui campeão com times piores”(Roberto Dinamite em 2008 sobre a possibilidade real de o time do Vasco cair). Mas acima de tudo, lembro bem de quando a queda do Corinthians se aproximava e perguntaram ao Luxemburgo se ele achava possível o Timão se salvar e ele disse que achava difícil pois um time de muita expressão quando entrava numa fase final com um risco tão grande de cair a pressão ajudava a derrubá-lo. Jamais esqueci isso.

  • Emerson

    Seria curiosíssimo disputar a Libertadores e a Segundona no mesmo ano. É experimentar o mesmo gosto que Santo André e Paulista já provaram, embora as circunstâncias sejam bem distintas neste caso, além de a SEP ainda poder se safar em 2012. Mas serve apenas para ilustrar como tem se apequenado o Palmeiras nos últimos anos, time que consegue entrar em crise mesmo quando é campeão após tanto tempo. Ah, e a torcida, cadê? Não é melhor lotar os estádios enquanto os adversários ainda são Grêmio, Flamengo, Corinthians, Atlético MG, etc… do que esperar o ano que vem, jogando possivelmente contra Boa, ASA, CRB…?

  • Caio

    O elenco do Palmeiras não é horroroso mas metade dele está impossibilitado de jogar por suspensão/contusão.
    Nunca vi um campeonato tão azarado, com relação a perda de jogadores, de um time.

  • Bruno – SP

    Perfeita sua análise André. Estou de acordo. Enquanto o Palmeiras jogava a Copa do Brasil “sem responsabilidade”, agora, no Brasileiro, a situação mudou totalmente de figura. A responsabilidade de obter o resultado está pressionando o limitado time do Palmeiras. Caso não consiga vencer o Sport a situação vai se complicar, uma vez que a sequência de jogos é preocupante (Atlético-MG e Vasco fora e o clássico com o Corinthians, atual campeão da Libertadores). Abrs

  • Joao CWB

    O Palmeiras me deu muita alegria na final da Copa do Brasil, mas agora só me faz passar raiva.

    O alviverde paulista precisa ganhar e empurrar o verdinho paranaense pra baixo na tabela.

    Abraço

  • Robert

    Agora é a hora da verdade p/ o fluminense

    flu pega o santos amanha, santos todo desfalcado pela seleção
    domingo o inter em condições similares esfacelado

    claro, são dois jogos dificilimos

    mas se o flu nao conseguir bons resultados e embalar, ao menos jogando um bom futebol, esquece

    olha q sou fluminense hein

    ah e nem considero mais o deco e o fred desfalques…

  • Joao Daniel

    André, mudando um pouco de assunto, o que dizer disso? http://espn.estadao.com.br/noticia/279752_apos-chamar-mano-de-imbecil-romario-desconfia-de-convocacoes-de-cassio-e-hulk-esta-havendo-um-cartel

    Ja nao passa da hora de as pessoas (digo “pessoas” querendo dizer pessoas públicas mesmo), ou provarem o que diz, ou entao assumir as consequencias diante de tanta besteira dita?

  • [OFF TOPIC]

    Para quem ainda não entende (como eu) o futebol americano, clique aqui.

    Abraço!

MaisRecentes

Sqn



Continue Lendo

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo