COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

TROCA DE VALORES

Vimos recentemente um clube cometer o ato futebolístico mais próximo do suicídio: vender seu melhor jogador para um rival. Aconteceu na Inglaterra, com a transferência de Robin Van Persie do Arsenal para o Manchester United.

A história teve alguns requintes de crueldade. RVP não era apenas o melhor do time, mas o capitão e uma figura que se transformou em ídolo ao longo dos últimos oito anos. E apesar de a torcida do Arsenal não cometer envenenamento em massa (isso aconteceria no caso de um negócio com o Tottenham ou Chelsea, rivais londrinos) por vê-lo com a camisa do United, o desgosto é grande por fortalecer o maior vencedor de títulos do país.

Algo semelhante pode acontecer aqui no Brasil, com a eventual ida de Paulo Henrique Ganso para o São Paulo. Ok, Ganso não é o capitão e nem o melhor jogador do Santos. Também não está em seu último ano de contrato. O time da Vila Belmiro e o do Morumbi não cultivam uma rivalidade exagerada, ainda que compitam pelos mesmos objetivos a cada temporada. Fatos. O que aproxima os dois casos é o ânimo dos jogadores envolvidos, descontentes.

Um clube tem três opções ao se deparar com um atleta infeliz com seu contrato. Ignorá-lo, atendê-lo ou ficar no meio do caminho entre uma coisa e outra. O Arsenal tentou a terceira opção, oferecendo a Van Persie um novo compromisso que não era exatamente como o holandês desejava. RVP (que queria que o clube, conhecido por não ser um gastador extravagante, montasse um supertime) recusou e deixou claro que não se via mais em Londres.

O Santos também apresentou a Ganso uma versão melhorada de seu contrato. Não houve acerto, talvez porque o pacote de marketing e o sistema de vencimentos de Neymar sejam o modelo que os representantes do meia queriam ver, mas que nunca esteve sobre a mesa. O fato de o clube ter desistido de tentar acomodar Ganso significa uma de duas coisas: ou se conforma e fica, ou sai. Ganso prefere sair.

A partir desse ponto, tanto para o Arsenal quanto para o Santos, o problema passou a ser essencialmente financeiro. Encontrar a melhor proposta para servir como recompensa pela perda do jogador. Para os ingleses, seria obviamente mais confortável vender Van Persie para um clube estrangeiro. O torcedor não gostaria da notícia, mas isentaria quem deu o ok. Só que nenhuma oferta de fora da Inglaterra sequer se aproximou do que o Manchester United propôs. Nesse caso, deixar dinheiro na mesa para suavizar a repercussão é mau negócio.

O Santos também preferiria não ver Ganso jogando no Brasil. Na ausência dessa possibilidade, faz pouca diferença se o clube comprador é de São Paulo (desde que não seja o Corinthians) ou de outro estado. O Internacional, por exemplo, planeja suas temporadas com as mesmas metas que o Santos e o São Paulo.

A maior diferença entre as histórias de Van Persie e Ganso é que o holandês foi vendido antes da temporada começar. Enquanto negocia com o São Paulo, o Santos tem de administrar um jogador dividido entre a realização de sua vontade e sua obrigação profissional. O último recurso é recusar-se a jogar. Tomara que não chegue a esse ponto.



  • Willian Ifanger

    Alguém imaginou se naquela história entre São Paulo x Oscar, a Justiça tivesse dado ganho de causa ao jogador, o que estaria acontecendo agora?

    Aliás, espero que a diretoria do São Paulo não provoque essa baixaria.

  • Paulo

    Ganso deve muito ao Santos é ingratidão por parte dele

  • Anna

    É mesmo, André. Concordo com tudo que disse! E Van Persie fez um golaço esse fim de semana pelo MUnited, finalista do Linha, com certeza!

  • Guilherme Fagundes

    Salve André!

    E caso Ganso se recuse a jogar?
    Que providencias você acredita que o Santos deveria tomar?

    Forte Abraço!

  • Washington

    Se recusar a jogar, André,ele já vem se recusando. Só entra em campo. A sua analise e quase perfeita. Esqueceu -se somente do grupo DIS, que inferniza a vida do Santos com o beneplácito do Ganso.

  • Daniel

    Meio bobinha essa sua análise, simplesmente porque Van Persie era ídolo nos Gunners e decidiu trocar o clube pelo Manchester United sem o Arsenal poder fazer nada a respeito (o Arsenal não vendeu o Van Persie, a cláusula do contrato é que foi usada).

    O Ganso não é ídolo no Santos, na verdade a imensa parte da torcida quer que ele vá embora pra qualquer lugar, mesmo sendo algum rival do estado de São Paulo.

    O que pode (e na minha opinião DEVE) acontecer é o Santos exigir a quebra de contrato com o pagamento da cláusula, senão o jogador pode até mesmo treinar em separado, recebendo 150 mil reais por mês em dia para não dar brecha pro jogador entrar na justiça e pronto, Ganso acaba com a carreira dele não jogando até 2015. Acredito que o Ganso não vai fazer isso, então vai decidir jogar pra ser valorizado e alguém finalmente quebrar o contrato e tirar ele do Santos.

    Senão ele segue no clube até 2015, mesmo se for pra treinar com os juniores.

    Eu gosto dessa atitude da diretoria do Santos de não aceitar vender o jogador. Se ele tá insatisfeito e não rendendo basta sacar do time e deixar treinando separado e assim vai embora uma carreira.

    O Ganso jogou umas 4 ou 5 partidas boas na vida dele e já acharam que era o Zidane. Dá nisso aí.

    Ah sim, eu sou santista até o osso… por mim o Ganso deveria ir pro time B e ficar lá até 2015.

    AK: Quem decidiu para onde o Van Persie ia foi o Arsenal. Poderia ter sido a Juventus ou o PSG. De forma que, sim, o Arsenal vendeu o Van Persie. Suas opiniões sobre o Ganso têm pouco a ver com o texto. O que você “acha” que deve acontecer, menos ainda. Mas o que surpreende é vocé classificar de “bobinha” uma análise que explica literalmente o que há em comum entre os casos, por não conseguir perceber. Um abraço.

  • Marcelo

    Uma pena este entrave entre Ganse e Santos. Confesso que jamais imaginaria uma atitude tão “agressiva” do Ganso em querer se retirar do clube por conta de cifras maiores. Lembro-me que no início de carreira Neymar se apresentava mais arrogante sobre as situações que pairavam a seu redor, por causa de sua imaturidade, é verdade, enquanto Ganso se apresentava como um jogador sereno e extremamente profissional. Hoje, seguindo pela minha opnião, vejo este cenário completamento alterado.
    Não sou santista e nem do estado de São Paulo, por tanto posso estar um pouco equivocado a respeito desta situação. Mas me parece que a aproximação de Ronaldo à Neymar fez com que o jogador de fato despontasse no Brasil, tanto esportivamente, quanto profissionalmente. Enquanto que Ganso, que talvez por influências de empresários, está seguindo o rumo errado do futebol.
    Acho decepcionante esta situação e me parece reflexo do atua cenário futebolístico brasileiro, onde os jovens atletas estão querendo cada vez mais dinheiro, sem antes pensar em fazer uma grande carreira em um grande clube no país. Parece-me que muitos deles querem apenas ser jogador de futebol para ganhar dinheiro, enquanto antigamente os atletas gostariam de ser jogadores de futebol justamente para fazer algo grande no esporte. Não existe exemplo maior aos atletas sobre profissionalismo e espírito esportivo do que a própria Olímpiada, que bom seria se os nossos jovens utilizasse isso como base e inspiração para suas futuras carreiras.

    Boa análise sua, André, uma análise sincera.

  • Alisson Sbrana

    Opa… Vou comentar aqui uma coisa do comentário (já respondido) do Daniel. A “imensa” parte de nossa torcida, eu incluso, duvido que queira que o Ganso saia. Duvido e aposto um bom valor nisso. Uma parte da torcida organizada deve querer. Mas desconfio da utilidade de certas organizações. O Ganso não é hoje o jogador que foi em 2010, mas não conheço outro com potencial de sê-lo, a não ser ele mesmo. Não acho que o clube deva ser refém das vontades de qualquer jogador, mas entendo um pouco algumas pirraçãs (dos dois lados, é verdade). Eu, ainda um réles torcedor, torço para que o Santos não aceite vender e, mais, acerte algo que motive o Ganso a jogar mais. Ele ganha menos do que merece pelo que já fez. Tem gente que tem memória curta. Eu não tenho. O santos, com o Ganso divindido responsabilidades (ok, com Robinho também, claro), foi o melhor santos que vi jogar. Tenho 34 anos. Não vi todos, mas alguns. Sua performance, ainda que efêmera, se iguala (e talvez supere) o Giovanni. E outra coisa simples: mesmo jogando mal (seja por que quer, seja por imposição física), ele ainda é o segundo melhor jogador do elenco… ou não é? (Arouca e Rafael talvez sejam, mas… olhando nosso elenco, estaria ele muito longe do que fazem os dois santistas). Sonho santista: fique Ganso, volte Robinho, continue André, roubemos Wesley… (acrescento uma pergunta para a posteridade: aquele santos de um semestre jogava melhor que o cruzeiro de 2003? – para mim, parcialmente, claro, sim!)

  • Oi André, é a primeira vez que entro aqui, gostei muito. muito.
    COMPITAM pode até ser correto, mas é feio pra caramba, não acha?

  • saile

    Boa Noite: Pois bem eu acho que o Ganso está sendo ,um tremendo mau carácter se o contrato dele vai até 2015 ?porque quer reajuste agora ,embora muitas vezes isto acontece, mas no caso dele Ganso não vem jogando nada ,e eu acho que já é pra forçar a saída e desde o ano passado .
    Em quase dois anos jogou umas 40 partida e na maioria mal.Então eu acho que ele e seus representantes ,que depositam a quantia que diz no contrato e vasa,se manda , vai nadar em outra Lagoa Ganso , já que pro Tiete não vai dar não o Corinthians não te quer mais .
    E o São Paulo quer simples deposita os valores estipulado e fim dessa novela ((mexiruca )).

MaisRecentes

Vá estudar



Continue Lendo

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo