CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

TRIPLO ERRO

Emerson Carvalho jamais imaginou que um gesto (a falta de um, na verdade) fosse tão poderoso. Seu erro no lance do segundo gol do Santos no domingo passado abriu a caixa de pandora do futebol brasileiro. Em questão de horas, parecia que nada mais havia acontecido na Vila Belmiro. E após as contestações do lado perdedor da vez e as provocações dos vencedores, o imediatismo das mídias anti-sociais nos propiciou debates sobre mergulhadores, simuladores e até, quem diria?, sobre ética. Era só o começo.

No dia seguinte, Carvalho conheceu seu veredito. Freezer. Afastamento, aconselhamento psicológico, reciclagem técnica. Como se fosse um agente de trânsito que autorizou a conversão proibida de uma ambulância e causou um acidente com múltiplas vítimas fatais. A chance de o período fora das escalas melhorar seu desempenho no futuro? Isso não importa agora. O que interessa é dar um nome ao erro crasso, um rosto à indignação momentânea.

Mas o presidente da CBF, como ele mesmo declarou, não ficou contente. Agiu ontem no exercício de suas prerrogativas e redesenhou o departamento responsável pelo apito. Nomes exonerados, transferidos, promovidos. Deve ser uma satisfação assinar uma circular pomposa e trabalhar pelos progressos da arbitragem no Brasil. Deve ser um alívio poder dizer que se fez o que era possível, ainda que o efeito seja nenhum. Um probleminha a menos.

Num mundo até distante do ideal, um árbitro assistente não poderia cometer o erro de Emerson Carvalho. Não com um ângulo de visão tão limpo no instante em que André cabeceou para o gol. Não quando dois momentos anteriores (questões de centímetros, que não devem ser usadas para condená-lo) já poderiam ter estimulado os reflexos de seu braço. Mas, como sabemos, coisas assim – e até mais graves – acontecem a cada rodada. Tratar o autor do erro da vez como um ser perturbado e promover a reengenharia da comissão de arbitragem são posturas, nada mais. Não atacam o problema e reforçam a sensação de que há falhas que não têm perdão.

O “lance do triplo impedimento” terá vida longa. Será lembrado a cada prejuízo ao Santos, a cada benefício ao Corinthians. Quanta bobagem. Se o replay tivesse poder, já teríamos mudado de assunto.

ACERTO

Se Adriano voltará a ser um jogador profissional de futebol, ninguém sabe. Por isso o clube que decidiu compartilhar o risco precisa limitar a perda. É impossível dizer se vale a pena acreditar, mas o Flamengo acerta ao fazer um contrato de pagamento por produtividade. Dessa forma, o retorno – se houver – vem antes do investimento. Adriano tem de merecer ser tratado como profissional, mas precisa ser tratado como pessoa.

ACERTO?

Em processos de negociação, nada é mais importante do que o prazo. Prazos estimulam ação. Exigências, ofertas e recusas marcam posições e compõem o cenário. Mas é o relógio que modifica o tom da conversa. O São Paulo quer contratar PH Ganso, o Santos aceita vender. A multa rescisória ficará mais barata em 2013, mas o comprador tem pressa. Ganso tem de jogar, mas não pode ultrapassar o limite de partidas para ser negociado.



  • Dyl Blanco

    Esse contrato do Adriano deve estar revirando um túmulo lá em Piracicaba. O velho Romeu Ripoli está certamente dançando, se regozijando pela atitude do Flamengo de premiar a produtividade. Homem muito a frente de seu tempo, instituiu esse formato no XV de Novembro de Piracicaba durante a década de 70 e comecinho de 80, fazendo seus jogadores se entregarem obstinadamente em todos os jogos, pagando salários simbólicos e premiando fartamente os bons resultados. Naquele time não existia “chinelinho”.

  • Joao Daniel

    André, quanto ao bandeira.. é correto punir quem erra eu deixar passar em branco qnd houver o erro?
    A arbitragem nesse brasileiro está complicada, pra dizer o mínimo (alguns ex: Penalti pro flamengo contra o Bahia…Bahia q ganhou do Sport com um gol irregular..E flamengo q foi prejudicado contra o Palmeiras, q já foi prejudicado outras vezes.. e por aí vai..)

    Pergunto isso porque da a sensação de que só causou esse alvoroço pq foi contra (e seria tb se fosse a favor) do Corinthians. Afinal, outros árbitros também foram afastados nesse campeonato, e não é de hoje que isso acontece por aqui, mas nunca deu a repercussão desse lance.. Gostaria da sua opinião a respeito! Obrigado! Abcs

    AK: Minha opinião está no texto, não? Um abraço.

  • Teobaldo

    Contrato por produtividade… ai, ai, ai, tomara que meu patrão não leia isso!!!

    Já que “o lance está tão na moda”, o que dizer do Lance… Armstrong? Totalmente fora do tema proposto, reconheço, mas fiquei decepcionado com o desfecho deste caso. Não por ingenuidade minha, mas, principalmente, pelo histórico de superação dele após a descoberta do câncer. Valerá um post? Um abraço.

  • Rafael

    Lógico que contra o Corinthians vai causar esse alvoroço!

    Nós que, torcemos para outros clubes, temos que parar de ficar como noiva abandonada e entender que quem tem o poder tem mais é que fazer desta forma mesmo. Tudo que acontece com os dois clubes de maior torcida vai repercutir mais. Todo mundo ganha com isso:Quem investe, quem gerencia, quem forma opinião, quem quer aparecer, quem vende, …

    Quanto ao Adriano, torço muito para que ele se recupere como pessoa e depois como jogador, pois se isso acontecer a seleção ganha um grande reforço! Sabe fazer gol de cobertura, de fora da área, driblando goleiro, de cabeça, … ou seja, o cara é completão!

    Concordo com vc, A.K., sobre a arbitragem.

    Abço, Rafael (vascaíno).

  • Anna

    Um erro grave tem que ser punido, mas a punição foi muito rigorosa. Todos estão passíveis a erros. Quanto a Adriano, me parece consciente de que esta é a sua última chance.Tomara que tudo dê certo, de verdade. Bom final de semana a todos, Anna

  • Edouard

    Achei correta a decisão de afastar o bandeira por alguns jogos. Não como medida de punição, insisto, mas para evitar a pressão. Basta ver o que ocorreu no jogo da Sulamericana entre Grêmio e Coritiba. O futebol dá espaço para atos irracionais. Os jogadores do Coritiba seriamente esperavam que ele “errasse de novo”?
    Mas, para que isso funcionasse bem, a arbitragem deveria ser uma profissão bem regulamentada. O afastamento vira punição porque se ele não atua, não recebe.
    No mais, eu seria mais feliz se os árbitros pudessem usar a tecnologia a seu favor.
    Um abraço.

  • Álvaro

    Oi, André,
    Você tem razão, um gesto que virou símbolo, e agora aguenta. Coitado do bandeira (sério), a profissão é complicadíssima e ele tem o azar de pegar três lances difíceis, na mesma jogada!
    No primeiro, aquela linha de jogadores, sem saber para qual a bola vai, no segundo, vi até comentarista explicando que ali o que contava era o “peito do jogador”… No terceiro, o mais claro, ok, mas eu não vi ninguém medindo o quanto foi. O que eu vi foi site mostrando a linha do impedimento pelo jogador, não pela bola.
    Coitado do bandeira… Mas eu não acho que a sequencia poderia ter estimulado o reflexo, ao contrário, acho que a dúvida do primeiro somou-se à do segundo e paralisou tudo. Abraço

  • Haroldo Geoffroy

    Caro André, você ao lado do seu pai e de Mauro Beting são um dos jornalistas que eu mais admiro por conta da clareza das idéias que vocês apresentam. Gostaria de manifestar minha opinião sobre este assunto do triplo erro do cidadão que ergue a bandeira. Eu não quero dizer e nem acreditar que houve, que haja ou que haverá má fé por parte dos senhores do apito e das bandeiras. Se fosse por isto creio que pessoas como você já teriam desistido do futebol. O que não consigo entender é como que as coisas acontecem tão rapidamente quando é algo que envolva o nome do time do povo… Até parece que o Corinthians nunca foi beneficiado pela arbitragem (só para relembrar o caso do penalti assinalado contra a Portuguesa e o caso do brasileirão de 2005, quando Márcio Rezende de Freitas expulsou o Tinga…). Agora o cara já foi pro iglu bem como vai haver muita pressão na arbitragem quando dos jogos do Corinthians. Há aproximadamente 15 dias não validaram um lance grotesco do Barcos, marcando um impedimento que não se marca nem na várzea. Validaram um gol do Botafogo quarta-feira em completo impedimento. O bandeirinha Márcio Eustáquio Santiago, no jogo de volta da CB entre Palmeiras e Grêmio tanto fez que conseguiu fazer o árbitro expulsar o Henrique. E outro dia, novamente este cidadão estava apitando um jogo do Palmeiras. Tem um bandeira, que agora não recordo o nome, move ação na justiça comum contra o Felipão e ainda assim ele bandeira jogos do Palmeiras. Deu para notar que sou palmeirense mas não quero aqui falar que tem que ser feito algo para parque são jorge ou para parque antárctica, não é isto. Só quero entender porque que resolve-se (se é que podemos chamar as mudanças de resolução) tudo tão rápido para o Corinthians e para outros não há o mesmo empenho. Será que a Sociedade Esportiva Palmeiras não possui representatividade alguma dentro da CBF?!?
    Gostaria que você me respondesse isto e também o porque de o Mano Menezes convocar o goleiro Cássio do Corinthians…Cadê o Diego Cavaliere? Cadê o Fábio do Cruzeiro? Cadê o Victor do Atletico MG?! Fica difícil entender certas coisas…
    Um grande abraço a você e muito sucesso, pois merce e é um cara inteligente e sensato! Sucesso!

  • Renato Mello

    O q é mais interessante é q só o GALO (vou falar do GALO pq é meu time, mas outros forma MUITO prejudicados tb),nesse campeonato, teve 5 gols ANULADOS: contra o Bahia, q nos custou 2 pontos, no nosso ÚNICO empate no Independência; 2 gols anulados contra o Palmeiras – ou seja, era p o “verdão” ter levado uma “sova” de 3×0 em vez de só 1×0; e contra o peixe, fez 4 gols pra valerem apenas 2… e os juízes, bandeiras, permaneceram tranquilos em suas funções, sem punições nem nada. Não é “IUPST”, como vc por vezes gosta de colocar André. São apenas FATOS q eu, particularmente, estou cansado de ver. Contra meu time e contra outros. Mexeu com os times da mídia (fla e corinthians), pronto! Gancho nos responsáveis!Quando o Fred teve o gol contra o GALO anulado,a cariocada encheu os programas de TV e jornais de críticas dizendo q era “roubo”, e tal. Mesmo a imagem mostrando q, no momento do passe, o árbitro AINDA aplicava o cartão amarelo para o Pierre, o q, segundo a regra, é PROIBIDO. mas deixaram passar ao largo a REGRA, e a mesma mal foi comentada. Até hoje tem tricolor q JURA q seu time foi “roubado”… como se o GALO tivesse esse “privilégio” em sua história… ao contrário…
    Outro ponto interessante que não vejo NINGUÉM falar: TODO JOGO do GALO estão DESCENDO O PAU nos jogadores do Atlético. E a juizada tem deixado bater à vontade. E permanecido com seus empregos tranquilamente. Teve um jogo (não lembro se contra o Flu ou santos), que o Bernard – o q MAIS apanha todo jogo – chegou a mostrar a coxa ao juiz com MARCAS DE TRAVAS DE CHUTEIRA de um lance que ele tinha acabado de sofrer a falta e o juiz nem falta deu ao adversário, muito menos amarelo para o mesmo. Basta acompanhar os jogos e ver o que tem acontecido.
    Nem vou citar o “adiamento” do jogo contra o fla, e o fato de no jogo contra o vasco o juiz ser o mesmo q apitaria contra os rubro negros (ué, mas não é “sorteio”???). Coincidentemente, também deixou os vascaínos baterem o quanto quiseram. Inclusive, para minha decepção, Juninho Pernambucano, que não precisa disso, é um excelente jogador. Nem um amarelinho. Mas ok…
    Engraçado que o “Neymar precisa ser preservado”, o “juiz do jogo santos x corinthians cometeu um absurdo”, constantemente vemos felipão falar cobras e lagartos e a imprensa dizer “amém” sobre suas críticas a arbitragens… e os juizinhos em seus cargos. Depois reclamam quando falamos de “eixo”. Ou PIOR: inventam coisas até interessantes,criativas, para que não falemos nada a respeito, nos sintamos sem graça… mas deixemos essa última parte pra lá.
    “Chato Atleticano” se despedindo.Mas fazendo sua parte.
    Até,
    Renato Mello 😉

  • Alisson Sbrana

    E quando um bandeirinha acerta um lance difícil, que os comentaristas de TV já haviam cravado outra coisa e ele vai lá e… acerta? Recebe benefícios? é aplaudido de pé? Ganha bônus salarial, busto na praça, camiseta com seu nome, pedem-lhe autografos, dá entrevista no fantástico?

    Todo bandeirinha é um desgraçado. Quase um joão-ninguém. Duvido que alguém aqui conheça o nome de um bandeirinha assim, de cabeça, sem contar o da vez.

    Como um cobrador de ônibus, está aí uma profissão fadada ao desaparecimento. Um dia, a tecnologia invadirá as bolas, as chuteiras, os uniformes. Chipes cibernéticos mais inteligentes que os animais serão os auxiliares perfeitos. Um sinal, sonoro e colorido, aparecerá nos placares eletrônicos, informando sem nenhuma sombra de dúvida qual time tocou por último, quantos jogadores estão na mesma linha, se a bola ficou a 0,12 milímetros de passar a faixa do gol.

    Para o bandeirinha então, restará apenas a lembrança de bons tempos. Do calor cativante da torcida próxima cuspindo certeira pelos alambrados. Dos momentos felizes de uma confusão na lateral de campo quando inverte um mísero lateralzinho. Da alegria em ser peitado pelo banco de reservas.

    Bandeirinhas do mundo, uni-vos!

  • Lippi

    André, acho que, erro por erro, o impedimento do Barcos contra o Botafogo foi mais absurdo que este erro “triplo” (no fundo, apenas o terceiro impedimento era BEM visível, os outros dois são aqueles que até passam, pela pouca distância)… Mas, como este erro teve impacto direto no resultado, e de um clássico, ao contrário do lance do Barcos, acabou tendo uma repercussão maior.
    Abraço

  • leonardoatleticano

    Para mim a mensagem foi bem clara, errar contra Corinthians, Flamengo e outros protegidos não terá perdão.
    Seu maior erro não foi nenhum dos três primeiros citados, foi sim ter errado contra o time que hoje manda bastante na CBF.
    Meu Galo já foi absurdamente roubado durante a história, lances absurdos que decidiram campeonatos ou classificações, e os autores dos erros não foram sequer questionados.
    Vide Simon, que tirou o Galo de uma final com um erro de clara má intensão, e nada ocorreu.

  • Paula

    Para lances de impedimento serem decididos no “fotochart” precisaria que a câmera acompanhasse realmente a jogada. Hoje temos as imagens diagonais para decidir o impedimento, isso complica muito o lance e não é a mesma visão que deveria ter o bandeira. Mas acho válido e diria mais, teria que ter um erro mínimo válido, onde valeria o apontado pelo bandeira. Vide o caso da chegada no atletismo que gerou dúvidas de quem foi o ganhador.

  • lucas

    Se o replay tivesse poder, corinthians teria muito menos titulos, times de minas e rs teriam mais… sem tanto poder, o replay mostra ao menos a incoerencia de como se lida com erros pela imprensa. O q dizer do jogo cruzeiro e corinthiansem 2010, nao foi erro triplo em um lance, mas foram varios lances! Ao a se ignorar, se vc for da imprensa

  • André, o contrato do Adriano no Corinthians também não era por produtividade?

    AK: Salário alto. Um abraço.

MaisRecentes

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo

Feliz Natal



Continue Lendo