NOTINHAS PÓS-RODADA



Repassando a décima-terceira:

* Diego Forlán estreou pelo Internacional (0 x 0 com o Vasco, no Beira-Rio). Alegou falta de ritmo, mas não foi mal.

* O Vasco sentiu falta da inteligência de Juninho, suspenso.

* É, o Coritiba (2 x 1 no Grêmio, no Couto Pereira: Ayrton, André Lima e Leonardo) voltou. Segunda vitória seguida.

* Interrompida a série de quatro vitórias do Grêmio.

* Primeira vitória de Clarence Seedorf pelo Botafogo (1 x 0 no Figueirense, no Engenhão: Andrezinho), que passou quatro rodadas sem vencer.

* 3.401 pagantes. Sem mais.

* O esperado jogo entre Fluminense e Atlético Mineiro terminou em 0 x 0 (no Engenhão) porque um gol de Fred foi anulado equivocadamente.

* O Atlético, prejudicado pela arbitragem em casa no meio da semana, se deu bem no domingo. A banca paga e recebe.

* Pouco a dizer sobre o 0 x 0 (na Ilha do Retiro) entre Sport e Atlético Goianiense. Quatro rodadas de seca para o Sport.

* Pouco a dizer sobre o 0 x 0 (Pituaçu) entre Bahia e Corinthians. Cinco rodadas sem derrota para o atual campeão.

* Rogério Ceni voltou, Luis Fabiano marcou e o São Paulo goleou (4 x 1, no Morumbi: Maicon, Luis Fabiano-2, Ramon e Jadson) o Flamengo.

* É difícil encontrar um Flamengo pior do que este, nos últimos anos.

* A torcida do Santos, carente de atacantes, deve adorar ver Borges marcar gols pelo Cruzeiro (2 x 1 no Palmeiras, no Independência: Borges-2 e Barcos).

* O árbitro Fabrício Neves estava mal colocado no lance do “pênalti” para o Cruzeiro. Só isso explica o fato de ele não ter visto que os dois pés de Montillo estão fora da área no momento do contato.

* A Portuguesa (3 x 1 no Náutico, no Canindé: Kieza, Ananias, Moisés e Diego Viana) saiu do U4.

* Os dois times têm os mesmos 13 pontos. O Náutico venceu uma a mais.

* Victor Andrade, atacante de 16 anos, ajudou o Santos a vencer (2 x 1 na Ponte Preta, na Vila Belmiro: Bruno Peres, Roger e Miralles) em casa.

* O garoto deu um lindo passe para Bruno Peres, no lance do primeiro gol santista.



  • André, achou que você se equivocou na idade do Vitor. Ele tem 16.

    Abraço!

  • Marcos Vinícius

    O Vasco perdeu uma grande oportunidade de quebrar um tabu de não vencer o Inter no Beira Rio e,de quebra,ainda faturar três pontos que o deixariam na liderança isolada.O jogo foi frio,mas o Vasco foi ligeiramente superior.

    Jogo às 9 da noite de um sábado,num local em que a torcida carioca ainda não adotou como estádio oficial,de um time que vem de uma sequência de resultados ruins.Esperar o que? Casa cheia?

    No meio da semana o Atlético foi prejudicado pela arbitragem,mas ganhou o jogo.Ontem foi beneficiado e o erro decidiu o resultado da partida.Será que compensa?

    Me lembro de um Flamengo tão ruim como o atual. Foi o de 2005. Joel Santana assumiu o time faltando dez rodadas para o fim do campeonato e com o time na zona de rebaixamento.Precisava vencer sete dos dez jogos restantes para livrar o time da degola.Venceu seis e empatou um.Beneficiado por uma improvável combinação de resultados,livrou-se da Segundona. No último jogo do campeonato,contra o Palmeiras,em Juiz de Fora,vergonhosa atuação do alviverde paulista.Jogadores desinteressados,jogo fraquíssimo,no fim da partida pênalti para o Flamengo,Edílson cobrou e Marcos pulou meia hora antes do atacante bater na bola.

    E tem gente que ainda não acredita no Malaquias.

  • Tcheves

    Prezado André,

    Creio que valeria a pena dar uma olhada no lance que o Fluminense teria sido prejudicado pela arbitragem. O árbitro marca a falta e chama o Pierre pra dar o amarelo. Enquanto isso o Flu bate a falta e deixa o Fred na cara do gol. A regra é clara quando diz que a falta só pode ser cobrada com autorização da arbitragem em casos de advertência por cartão.

    Portanto, a posição do Fred era legal, mas o lance foi irregular.

    Tbm seria interessante ver as duas faltas violentas que o Deco cometeu no primeiro tempo. Uma para vermelho (semelhante à expulsão do Ronaldinho na Copa de 2002) e outra para amarelo, falta por trás. Quantos cartões ele deu para o Deco? Nenhum.

    Aliás, o árbitro foi mto mal disciplinarmente. Aliviou para o Gum que cortou um ataque com a mão. Ele marcou a falta, mas erradamente não deu o cartão. Aliviou para o Wallace tbm, que, já amarelado, deixou as travas na coxa do Bernard, que teve que deixar o jogo com a coxa sangrando.

    Eu nao citei o lance do suposto penalti porque faço uma análise imparcial e pra mim foi bola na mão. Portanto o pênalti que os atleticanos reclamam não foi falta.

    Bom, é isso. Numa análise de cabeça quente e superficial o Flu foi prejudicado. Numa análise fria e profunda o Flu foi beneficiado.

  • FC

    Engracado Andre, voce nao fara nenhuma consideracao sobre “A banca paga e recebe”… os jogos do Plameiras. No caso só SEP paga nos ulitmos 2 anos que temos um acompanhamento serio a respeito dos erros de arbitragem e sua influencia no campeonato (www.placarreal.com.br)

    Pelo seu comentario parece que só o gol de penalti do Cruzeiro foi irregular… e nada sobre o impedimento do 2o gol.

    Dois jogos seguidos de atuacoes vergonhasas da arbitragem contra o Palmeiras. Ridículo.

    Abraco e parabens pelo blog.
    FC

  • Marcos Vinícius

    Tcheves:

    O que o árbitro marcou foi o impedimento assinalado pelo assistente. A falta por você citada não foi o que invalidou o lance.

    Imparcial,né?Sei,sei…

  • Tcheves

    Marcos Vinicius,

    Acho que não fui muito claro. Estou falando da origem do lance. O Pierre faz a falta, o juiz marca a falta. Ele chama o Pierre pra dar o amarelo e o aplica. No meio disso, o Flu bate a falta correndo (irregularmente, pois é necessário autorização do árbitro em lances de cartões) e o Fred sai na cara do gol. Então o bandeira marca impedimento onde não existia impedimento.

    Por isso afirmei que a posição do Fred era legal, mas o lance irregular. Irregular pq o Flu bate a falta quando o Pierre recebia o amarelo. Não sou eu que estou dizendo isso, está nas regras.
    Simples.

    Sei que isso é novidade pra vc, mas nao o culpo. Culpo a imprensa que ignorou a origem do lance e preferiu escandalizar o erro do bandeirinha.

    AK: Exato. A culpa é da imprensa. Hilário.

  • Matheus Brito

    Tcheves,

    Você pelo menos não está fazendo como os outros atleticanos que estão dizendo que foram prejudicados em quatro lances capitais nos últimos dois jogos, e que agora a CBF só deve três. Mas faça-me o favor, dizer que “Numa análise de cabeça quente e superficial o Flu foi prejudicado. Numa análise fria e profunda o Flu foi beneficiado”, é demais pra mim. Ainda bem que você não foi imparcial . Nem imagino o que poderia acontecer se você agisse assim. E no fim ainda sobrou pra você AK.

    AK: Pra mim? Que isso… achei até engraçado. Um abraço.

  • Matheus Brito

    Por que será que hoje o pessoal de Minas não está falando em conspiração pró “eixo” RJ-SP? Será que é porque houve uma rebelião no alto comando da Coalizão RJ-SP-CBF-CONAF e os dois times mineiros foram beneficiados pelos insurgentes na rodada? Será que o “eixo” deixou de pagar esses dois juízes? será que algum mortal nessa geração saberá quem matou Odete Roitman?

  • leonardo atleticano

    É brincadeira, dezenas de títulos ganhos na base da mão grande, e em um único lance o Galo já é colocado no mesmo balaio. Não foi o Galo que subiu da terceira para a primeira na malandragem. O Galo sim, já perdeu títulos na base do roubo, e estou falando de títulos, não estou falando de um lance.

  • Emerson

    Victor Andrade, o quarto mais jovem a estrear pelo Santos, mais jovem que ele só uns tais de Clodoaldo, Coutinho e Pelé…

  • Marcos Vinícius

    Matheus…

    Amigo,permita-me dizer que você anda meio mal informado. Claro que já apareceu gente aqui citando o “eixo Rio-São Paulo”,e dizendo que deveríamos (todos nós,que vemos apenas o “eixo”) abrir os olhos para o Atlético que já está com a taça na mão. E como você diz que o rapaz não foi imparcial,cara?Claro que ele foi! Bem,pelo menos no conceito dele…

    Tcheves…

    Na verdade a única novidade que notei foi mais um atleticano achando que o mundo conspira contra uns e a favor de outros,e que tem uma visão extremamente parcial sobre os fatos. Tão parcial que não consegue ver o que realmente aconteceu e começa a culpar a parte não-atleticana da humanidade por determinados fatos.

    Talvez você seja um daqueles que acham que Elvis não morreu e que a ida do homem à lua foi uma mentira da mesmo televisão que não mostrou o lance todo do gol anulado do Fluminense

  • Matheus Brito

    Marcos Vinícius,

    Na verdade o homem chegou à lua, mas a imprensa segurou essa informação para que os “Fora do eixo” não tivessem acesso. No momento em a bandeira americana era fincada em solo lunar, a tv transmitia A Familía Trapo para o estado de Minas.

  • Tcheves

    André Kfouri e Marcos Vinicius,

    Eis a prova do crime: http://www.lancenet.com.br/atletico-mineiro/Torcida-Galo-protesta-revolta-tricolor_0_746325436.html

    Aguardo retratação, rs. Quero só ver!

  • Tcheves

    “Tão parcial que não consegue ver o que realmente aconteceu”

    Risos…

  • Nilton

    Tcheves, se o motivo da anulação do gol tivesse sido porque o Flu cobrou a falta antes da autorizacao do juiz, o mesmo deveria ter mandado voltar a cobrança e não marcado impedimento.

  • Edouard

    Tcheves, por favor, defina para mim o que você entende por “até que o cartão tenha sido aplicado”. As Leis do Jogo não exigem, é o que me parece, que se aguarde a autorização do árbitro para reinício da partida. Então o “até que o cartão tenha sido aplicado” configura necessidade de que o árbitro tenha abaixado o braço? Tenha anotado a infração na papeleta? E se o braço estiver a meia altura? Se quebrar a potna do lápis ou falhar a caneta, tem que esperar? Se o árbitro esquecer o nome do jogador que está advertindo e precisar perguntar/ver seu número, isso conta?
    O ponto é que a advertência não deve ser dada com bola rolando. Subiu o cartão, todo mundo entendeu que houve a advertência, já tá valendo.
    Não há regra dizendo o contrário. Doutro modo: nada na regra diz que o jogo não poderia ter recomeçado como aconteceu naquele lance.
    O que existe é uma recomendação da CBF para os árbitros (o que é diferente das Leis do Jogo), justamente para evitar dúvida sobre a aplicação da penalidade e sobre o jogador apenado. Nada disso se aplica ao caso.
    O ponto objetivo é que o árbitro assistente assinalou um impedimento que não existia. O lance é dificílimo e penso que ele tenha errado sem má fé, porque geralmente não dá para ver um pé dando condição. Eles se baseiam pela posição do tronco, eu acho, que é o que dá pra observar em visão periférica.
    Um abraço.

  • Tcheves

    Nilton? Onde eu disse que o juiz anulou o gol por causa da cobrança da falta?

    Eu disse que o lance foi irregular por causa da cobrança da falta. Foram 2 erros: do bandeira que assinalou impedimento quando não houve e do juiz que não parou o jogo quando o Deco cobrou a falta.

    Edouard, respondendo sua pergunta. Sempre que há aplicação do cartão, o juiz precisa AUTORIZAR a cobrança da falta.

    O prejuizo do time atleticano fica claro na imagem que postei. O juiz chama o Pierre, que o atende e vai até o árbitro pra receber o cartão. Reparem que a defesa fica sem o Pierre, principal marcador atleticano, no momento que a falta é cobrada. Por isso, 5 segundos depois da cobrança da falta o Fred está na cara do gol. Prejuizo claro que seria evitado caso a regra fosse cumprida.

    Regras são para isso, para evitar que situações de desequilíbrio competitivo aconteçam, como nesse lance.

  • M. Brito

    Tcheves,

    Lendo essas palavras “O juiz chama o Pierre, que o atende e vai até o árbitro pra receber o cartão. Reparem que a defesa fica sem o Pierre, principal marcador atleticano, no momento que a falta é cobrada” e trocando em miúdos, puna-se então o time que sofreu a falta?

  • Edouard

    Tcheves: discordamos na premissa. Eu não achei fundamento para sustentar que o árbitro precisa AUTORIZAR o reinício da partida.

  • João Camilo

    O fundamento é a regra. Se o juiz vai arrumar barreira, adeus batida rápida. Se vai dar bronca, adeus batida rápida. Se vai dar cartão, adeus batida rápida. Afinal, ele nem é obrigado a dar o cartão imediatamente. Poderia deixar o jogo correr, o pierre correr atrás, etc e aplicar o amarelo depois. Assim não beneficiaria o infrator.

    Mas nada disso muda, ocorre um erro que origina o gol mal-anulado.

    E a imprensa explodiu revoltada como se fosse a maior roubalheira do mundo – foi capa do Lance hoje a revolta contra arbitragem – então AK, ninguém culpa a imprensa pelos juízes ruins do mundo – assim como você ganha o aplauso se editar sua coluna ” O esperado jogo entre Fluminense e Atlético Mineiro terminou em 0 x 0 (no Engenhão) porque um gol de Fred foi anulado equivocadamente, apesar de ter se originado de uma jogada irregular”, coisa admitida pelo presidente da comissão de árbitros – espero que ninguém fale que ele é atleticano.

  • M. Brito

    João Camilo,

    Já vi esse tipo de lance inúmeras vezes e nunca vi ninguém reclamar do que vocês atleticanos estão falando. O que eu e muita gente aqui gostaria é que vocês, que não torcem para times do RJ ou SP, entendessem de uma vez que não há esquemas pró “Eixo”, como vocês falam. O que existe de verdade é um número incontável de juízes e bandeiras fraquíssimos e que por vezes interferem nos resultados dos jogos, além de lances perfeitamente discutíveis, onde não se chega a um consenso nem com auxílio do Tira-teima (gol do Alecsandro contra o Corinthians na Libertadores). Veja que a discussão é sobre o gol do Fluminense, e tem um atleticano aqui que já fez um “Scout” contabilizando erros Pró e Contra o Galo nesse jogo contra o Flu chegando, pasmem, ao resultado de que o Galo foi prejudicado na partida.
    E ainda colocou a culpa na imprensa, ou seja, sobrou pro AK. rsrsrs

  • João Camilo

    Ele claramente culpou a imprensa pelas pessoas ignorarem a origem irregular do lance. Não pelo lance. (Isso é indiscutível, o AK foi só um dos vários jornalistas que reclamaram somente do impedimento e não citarem a origem, que é irregular.).

    Eu por exemplo, já vi milhares de vezes o juiz mandar repetir a cobrança por estar ainda aplicando o cartão.

    E sim, bando de juiz ruim. (O Benefício histórico do eixo é outra coisa. Esse jogo não prova nada, por que são dois erros compreensíveis. O papo do eixo vem de suspender Reinaldo, Roberto Wright, Godoy, Sveiter, contrato maior para televisão para times específicos baseados nas relações entre a tv e esses times, cobertura desigual, o foco de repente da imprensa na arbitragem horrível que surpresa, é ruim a um tempão que muitas vezes nem é desonesto, mas viciado. Não esse jogo.)

  • Junior

    O poblema aqui é que o futebol tem 90% das regras aplicadas de forma interpretativa pelo árbitro a cada lance. Talvez as únicas regras objetivas são aquelas que envolvem posição da bola e jogadores: quando a bola ultrapassa alguma linha do campo, posição da bola em cobranças de pênalti, em escanteio, posição dos jogadores na aplicação do impedimento (essa última já estão aplicando aos poucos a “influência” do jogador na jogada). Esses exemplos fazem parte da minoria das regras que o árbrito tem que “apenas” ver o lance, aplicar a regra e ponto.

    Agora as demais regras do jogo dependem do humor do árbitro, desde o uniforme até utilizar a mão em uma jogada. Tem jogo que dois times entram de verde em campo e tudo bem, mas tem jogo que um time não pode usar as meias azuis porque as do adversário são pretas. Muitas vezes vemos jogadas identicas que parecem até ser “replay” umas das outras, mas ai acontece o seguinte:

    -Em um caso é falta e vermelho direto
    -Em outro caso é falta e amarelo
    -Em outra oportunidade é falta, sem aplicação de cartão
    -Na outra vez o juiz nem marca falta
    -Em outro momento o juiz marca “simulação”

    Comentaristas de arbitragem dizem que “a regra fala em intenção” e que os juízes possuem um certo dom paranormal para saber exatamente quais eram as intenções de cada jogador em cada jogada.

    Infelizmente isso tem tornado o futebol em um jogo menos desportivo. Nós, torcedores, também assistimos aos jogos e também temos nossas interpretações de cada lance. Sim, possuimos a tal “paixão de torcedor” (que apenas árbitros, comentaristas de arbitragem e alguns jornalistas que não declaram seus clubes de coração são imunes), mas somos capazes de analizar qualquer lance friamente.

    Se as regras do futebol fossem mais objetivas, essa página teria mais comentários sobre o histórico campeonato que o Atlético está fazendo ao invés de falar sobre as decisões dos árbitros.

  • M. Brito

    João Camilo,

    O que dá mais audiência : Vasco X Flamengo ou Galo x Cruzeiro? Fosse você o dono da TV transmitiria qual jogo? pagaria mais ao Cruzeiro ou ao Flamengo? ao Galo ou ao Vasco?

    Júnior,

    Muita gente está falando sim da excelente campanha do Galo, inclusive o AK no post anterior a esse. Mas quando o árbitro errou contra o Galo no jogo anterior ao do FLU, Minas em peso (a parte atleticana, lógico) passou pelos Blogs dizendo que já havia uma campanha pro Galo não ser campeão. Agora ninguém pode reclamar que o Galo foi ajudado?

  • M. Brito

    AK,

    Não teve a Coluna da Terça?

    AK: O Lance! não está publicando a coluna na contracapa, às segundas-feiras, durante as Olimpíadas. Um abraço.

  • João Camilo

    M.Brito, audiência em comunicação de massa não é feita somente pelo público. É feita pelo emissor também. É um ciclo vicioso: quem tem mais audiência é quem nós sempre transmitimos.

    E isso considerando que o Atletico e o Cruzeiro já deram mostras de produzirem públicos comparáveis com qualquer time do Rio-SP. De ótimos índices de paper-view. De venda de produtos. Em um estado de população gigante. É só, curiosamente, a Rede Globo, não é?

  • M. Brito

    João Camilo,

    Isso posto significa que a qualquer erro de arbitragem contra os times de Minas vocês irão invocar o “pacto anti-eixo” e dizer que é tudo parte de uma conspiração maior para tomarem a Amazônia…? Sendo assim, a nós do “Eixo” restarão poucas opções:
    1 – Ignorar e continuar lendo o Blog
    2 – Ler o Blog e não ir para os comentários
    3 – Tentar convencê-los de que viemos em paz
    4 – Continuarmos com nossa conspiração para tomar o pão de queijo e transformá-lo em comida típica do “eixo”.

  • João Camilo

    Peraí, M.Brito. Acho que você deveria reler a parte que eu falo exatamente o contrário disso.

    “O Benefício histórico do eixo é outra coisa. Esse jogo não prova nada, por que são dois erros compreensíveis.”

    Vamos lá, a machete do lance era quem aludia a dúvidas, lembra: Má arbitragens colocam em xeque o brasileirão.

    Como assim se são apenas juízes ruins? Então, não foram os atleticanos nem muito menos eu. Eu diriam que muitos torcedores do mundo inteiro fazem a mesma coisa.

    Quanto ao eixo, eu não citei um só erro de arbitragem. Basta mostra esse absurdo do adiamento, que fere o nosso código do torcedor, para preservar o gramado que tem sido alvo de reclamações por semana. E cade a manchete indignada? “Manobra de bastidores coloca em xeque o brasileirão.”

    Isso é dois pesos, duas medidas. Curiosamente, quando um time mineiro teria sido beneficiado (e que vimos, no mesmo lance o juiz errou para os dois lados, mas isso está sendo sumariamente ignorado) e o flamengo teria tempo para arrumar do time. É muito ruim. É o que faz a Continuamente Beneficiando o Flamengo ser alvo de chacota e dúvida.

    Quanto as opções, você esqueceu da 5. Que é sempre reconhecer a qualidade do argumento do outro.

  • Matheus Brito

    João Camilo,

    Eu reli seus comentários várias vezes agora pela manhã para não ser injusto ou não acabar interpretando errado o que você disse. Claramente dá pra qualquer um notar que há sim bairrismo inserido neles. Não adianta negar pois é um fato. “(O Benefício histórico do eixo é outra coisa. Esse jogo não prova nada, por que são dois erros compreensíveis. O papo do eixo vem de suspender Reinaldo, Roberto Wright, Godoy, Sveiter, contrato maior para televisão para times específicos baseados nas relações entre a tv e esses times, cobertura desigual, o foco de repente da imprensa na arbitragem horrível que surpresa, é ruim a um tempão que muitas vezes nem é desonesto, mas viciado. Não esse jogo.)” Quando se lê o seu argumento por completo e não apenas a parte que interessa grifar, nota-se esse bairrismo de forma mais acentuada. Você lembra aqui situações “pró eixo” de 1900 e guaraná de rolha, mas esquece, por exemplo, a quantidade de erros contra si que Vasco e Corinthians conviveram no Brasileiro do ano passado e ainda assim chegaram nas duas primeiras colocações. Erros puramente pela qualidade (falta de) dos juízes e bandeiras que temos hoje. E olha que um mesmo juiz ignorou dois pênaltis a favor do Vasco contra o Flamengo em dois jogos diferentes. Mais questionável que isso é impossível, no entanto acho apenas que ele é incompetente, não se posiciona bem (e isso foi claro nos lances) e não entende muito bem a diferença entre falta e contato físico de jogo. Enfim, não quis nem quero ofender você e “não concordo com uma só palavra do que disseste, mas respeito até a morte o direito de dizê-las” Voltaire eu acho.

  • João Camilo

    Desculpa, mas falar que eu sou bairrista é como acusar um negro de racismo por dizer que “aquele homem branco me chamou de macaco.”.

    Falta argumento? Pois é mentira que eu estou falando de situações de 1900 e guaraná de rolha. Contrato da televisão é do ano passado. Sveiter é o reizinho do tribunal durante a última década. O foco na arbitragem é desta semana (O dono da coluna não se corrigiu por exemplo, até o momento, da equivocada acusação de que o Atlético foi beneficiado no com o Flu, apesar disto estar mais do que provado.). Então me desculpa. Você não leu tão cuidadosamente.

    Eu não tenho que me referir aos lances de Vasco e Fluminense no ano passado uma vez que em momento algum eu disse coisa alguma sobre os erros deste ano e mais, isso apenas prova que a imprensa está agindo de forma muito estranha ao se indignar e dizer que o campeonato está sobre cheque agora. Afinal, se no ano passado tinha tantos erros, Matheus, o que levou o lance colocar o campeonato agora sobre “suspeita”? Qual o motivo da indignação? Eu e você reconhecemos que foram erros comuns de juízes fracos, então o que há de novo? Nada.

    Mais uma vez: não fui eu quem sugeriu algo de errado com os erros. Foi o LANCE (e outros órgãos de imprensa e o Fred que deveria ser suspenso por falar claramente que o bandeirinha tinha razões suspeitas para anular o gol, como acontece com quase todo mundo). Você não está discordando comigo: está concordando. Em nenhum momento disse que os erros estão prejudicando alguém, disse apenas que ao contrário do que foi alardeado, o lance do fluminense nasceu de uma jogado ilegal e que portanto, o gol seria ilegítimo, caso o impedimento não fosse mal-anulado. Mas que um escândalo foi feito ignorando a parte de que os juíz errou contra o Atletico e bandeirinha contra o Flu, como se o Atlético só tivesse empatado graças ao juiz, o que valeria como uma bizarra lei de compensação.

    Enfim, a frase é comumente atribuída a Voltaire, mas é um erro. Esse erro teria começado quando uma autora em um livro de ficção atribuiu essa frase ao Voltaire da ficção. 😉

  • M. Brito

    João Camilo,

    Vou aguardar as cenas dos próximos capítulos. Como não acredito em fadas, nem gnomos e nem cogumelos saltitantes, tenho certeza que novos erros ocorrerão contra e a favor de todos os times. Como diz o AK “tenho sérias dificuldades” para aceitar termos como “favorecimento ao eixo RJ-SP” e coisas assim, mas gostei do nível da discussão.

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo