COLUNA DA TERÇA



(publicada ontem, no Lance!)

VALOR HUMANO

A repercussão da contratação de Clarence Seedorf pelo Botafogo tem ignorado um aspecto fundamental. Fala-se muito, não sem motivos, sobre o nome, o jogador, o currículo. E é possível que o holandês seja a principal atração internacional do futebol brasileiro em todos os tempos. Esquece-se, porém, que a pessoa recebida com festa no aeroporto Tom Jobim é ainda mais valiosa.

Na sexta-feira, após subir numa espécie de púlpito e, enrolado na bandeira alvinegra, agradecer a presença da multidão, Seedorf foi levado para um hotel em Ipanema. Ali, fez um pedido ao presidente do Botafogo, Maurício Assumpção. Digamos que o meia de 36 anos e múltiplos títulos seria atendido em qualquer hipótese, independentemente da ousadia da demanda. O Botafogo faria qualquer esforço para satisfazer a estrela que chegou da Europa para, depois de uma década no Milan, concluir sua trajetória competitiva no Brasil. Nenhuma mordomia seria excessiva. Seedorf foi surpreendentemente mundano: “quero treinar”.

A longevidade de Seedorf já é sinal indiscutível de uma postura exemplar. Ninguém se sustenta por 20 anos (tinha 16 quando debutou profissionalmente) no meio de campo, em clubes como Ajax, Internazionale, Real Madrid e Milan, sem ética de trabalho acima de qualquer suspeita. E ainda que, a esta altura, não seja o todocampista que impressionava pela onipresença, Seedorf honrará a camisa 10 do Botafogo. Honrará também a instituição e a torcida, que haverão de fazer o mesmo por ele.

Horas depois de desembarcar no Rio de Janeiro, já na madrugada de sábado, Seedorf deu mais uma mostra de conduta. Parado numa blitz da Lei Seca (notável como esse tipo de fiscalização é eficiente nas vias cariocas), ele não se furtou a soprar o bafômetro. O episódio resultou numa autuação por falta de habilitação, falta que não se compara em gravidade à irresponsabilidade de dirigir sob efeito de álcool. Seedorf pode ser um agente transformador da leitura que se faz da frase “há coisas que só acontecem com o Botafogo”.

No Engenhão, já no início da noite, foi apresentado a um público menor do que a ocasião merecia. Esbanjou simpatia, gratidão, prometeu o que sem dúvida entregará. Desceu ao vestiário, onde respeitou o momento dos novos companheiros que se preparavam para enfrentar o Bahia. Durante o jogo, sorriu, acenou, torceu, aplaudiu. E como se fosse necessário, concederá nesta segunda-feira sua primeira entrevista como jogador do Botafogo, sem a necessidade de um intérprete.

Houve quem estranhasse a escolha de Seedorf pelo futebol brasileiro, quando os Estados Unidos, a Europa periférica e a Ásia também se apresentavam como opções. Prova de que, hoje, o dinheiro por aqui é competitivo, assim como os campeonatos. Indício de que Seedorf pretende jogar futebol, não apenas ser pago para aparecer. Os destinos do Botafogo, claro, não dependerão apenas dele.

O Botafogo importou um futebolista do mais alto nível, e uma pessoa ainda melhor. A bola está com os dirigentes e com o torcedor. Clarence Seedorf certamente fará a parte dele.

______

A apresentação “oficial” de Seedorf, no Palácio da Cidade e com merchan do prefeito Eduardo Paes (colega de partido de Maurício Assumpção, recém filiado), mostra como funciona a cabeça de certos dirigentes.

Seedorf e o Botafogo foram usados, sem constrangimentos.

Que o craque holandês saiba com quem se meteu.



  • Matheus Brito

    Renato, Seedorf, Andrezinho e Elkeson. Teria coragem o Osvaldo para fazer isso?

    Sobre Seedorf, a última frase do post me chamou muito a atenção: “que o Holandês saiba com quem está se metendo”. Acho que não sabe. Mas corroboro com o restante das palavras ditas por você. Ninguém se mantém como um grande por tanto tempo se não for um grande profissional. Num momento em que um jogador como o Ganso pede 1 milhão por mês ao Santos, Seedorf chega ao Brasil como um exemplo de que você pode ser profissional, ser ético, inteligente e além disso tudo ser o jogador de classe e categoria irrepreensíveis que Seedorf o é. Parabéns ao Botafogo pela contratação de peso e renome. Espero apenas que o Presidente do Botafogo não use Seedorf para se promover nas eleições, principalmente porque duvido muito que o holandês permita que isso aconteça.

  • Joao CWB

    Imagine um Ronaldinho tendo 50% desse comprometimento, um Jobson, um Adriano…

    A lista é imensa, e prova o quanto o país do futebol poderia realmente ser o país do futebol caso predominassem o bom senso e o profissionalismo. Até Garrincha que tomava as dele e não gostava de treinar era mais comprometido, pois em campo desfilava seu futebol arte com prazer, com alegria e não como uma obrigação chata, como coisa de jogador “comum”.

    Infelizmente a displicência e o amadorismo não são exclusividades dos boleiros, que são apenas mais uma fatia da sociedade afetada pelo descaso e falta de educação.

    Abraço

  • Bruno Henrique

    Um clube que tem João Saldanha na sua histórias, agora tem Mauricio Assumpção para nós envergonha.

  • Marcus

    Belo comentário feito pelo João CWB. A participação do Seedorf no evento é de somenas importância, fato irrelevante, mas com nítido propósito. Mas é realmente uma magnífica aquisição, não só pelo que o jogador representa no cenário mundial, mas pelo homem que parece ser. Nesse aspecto último estamos de fato a necessitar de todo e qualquer exemplo que se possa apresentar. A sociedade brasileira precisa rever os seus valores e conceitos. O discursso é maravilhoso, mas a prática do dia a dia um desastre. Espero que a torcida do Botafogo faça a sua parte, o que até aqui não fez. Não se pode perder de lado esses bons valores vindos da base, meninos habilidosos e comprometidos com a marca Botafogo e tudo o que ela representa. Meninos como o Cidinho, o Lucas Zen, o Sassa, o Jadson, o Jeferson são mais do que promessas. Na verdade tratam-se de jogadores diferenciados. Vamos com tudo fazer a nossa parte, adquirindo produtos e comparecendo aos estádios.

  • BASILIO77

    O cara realmente esbanja carisma!
    Queria ele no meu time sim. Mas fez o certo ao escolher o RJ ao invés de SP para morar.
    Oswaldo é bom treinador e vai saber armar a equipe.
    O BR12 ruma para ser o melhor dos últimos 7 anos.
    Abraço.

  • Davi

    Realmente, Seedorf é um exemplo dentro e fora de campo.
    Torço muito por ele. Parabéns ao Botafogo.
    Essa questão “política” da apresentação foi chata mesmo. A única coisa que não gostei até o momento.

  • Demarchi

    Botafogo um dos times mais individados do pais, contratando um jogador caro para seus atuais padroes e pagando o salario do mesmo integralmente sem colaboração de patrocinadores.

    SEI NÃO EIN…

  • lm_rj

    A imprensa nos informa q Eduardo Paes foi pegar uma caroninha na popularidade do grin go do botafogo em sua apresentação hj de manhã

    Aproveita paes pq seus dias estao contados
    ô paes pode esperaro freixo vai te d errotar mesmo com 5% do seu h orario de tv e do seu $$ p/ c ampanha
    e vou fazer campanha p/ freixo aqui no rj!!
    vai ser historico e sem precedente na historia do b rasil!!!

  • Marcos Vinícius

    A “pior” lembrança que tenho de Clarence Seedorf é a da final do mundial de Clubes de 98,quando,atuando pelo Real Madrid,Seedorf,então cheio de tranças,simplesmente acabou com o jogo. Baita jogador,excelente reforço para o Botafogo.

    Mas apenas Seedorf não resolve. O ataque é duvidoso,a defesa insegura e os laterais extremamente frágeis,tanto defensiva como ofensivamente. Se não se reforçar devidamente o holandês sozinho não resolve nada.

  • André, no primeiro parágrafo, você se enganou. Trocou “mais” por “mas” (“a pessoa recebida com festa no aeroporto Tom Jobim é ainda mas valiosa”).

    No mais texto excelente, como sempre!

    Seedorf é um cara diferenciado e educado. Vai elevar o padrão por aqui!

  • thiago

    Pra quem trabalhou anos com o Berlusconi, trabalhar com Mauricio Assunção vai ser moleza. O Seedorf quer jogar bola, ter uma vida boa com família e ajudar quem precisa com seu projeto social. Ele tá andando para esses vermes políticos, seja na Itália, seja no Brasil

  • Junior

    Seedorf, Forlán, Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho, Neymar, Valdivia, Juninho Pernambucano e por ai vai.

    Ainda que a lista apresente jogadores em diferentes níveis, tanto técnicos quanto profissionais, acredito que ela (a lista) seja a melhor maneira de convidar as pessoas a comparecer aos estádios.

    Com os times brasileiros apresentando boas atrações, é mais que urgente a necesidade de organizar o evento para um público maior.

    É um absurdo o que um torcedor passa para se desocar até um estádio, comprar ingressos, entrar, se acomodar, utilizar as dependências do estádio, voltar para casa e ter a devida segurança. Se fosse em qualquer outro evento (cinema, teatro, parque de diversão e até mesmo shows), por muito menos os visitantes procuram valer seus direitos pelos meios legais. Parece que existe uma cultura no Brasil que para ver um jogo de futebol o normal é ser maltratado.

  • Alexandre Moreira

    Só não concordo quando se diz que o interesse europeu era da periferia do velho mundo, porque, pelo menos até onde se sabe, a Juventus demonstrou interesse e o Tottenham fez proposta oficial, rejeitada.

  • dalack

    O problema é que ele vai jogar em um time de terceira expressão do cenário nacional.
    Não é tido como time de primeira linha nem no Rio de Janeiro quanto mais no Brasil.
    Coitado deste jogador veio para passar vergonha.

  • Tiago

    realmente o Seedorf irá somar bastante ao time glorioso. Porém, como já disseram, são necessárias outras contratações. Esse rafael eu não sei se joga. Podia ser alguém do Boca Jrs já que eles estão desmontando o time….

  • Anna

    Adorei a contratação do Seedorf pelo Botafogo. Contratação classe A. Só não gostei da apresentação ter sido no Palácio da Cidade. Podia ter sido em General Severiano!

  • Paulo Oliveira

    Quando eu vejo um atleta com um currículo irreparável como o de Seedorf vindo para o Botafogo, vejo que estamos no caminho certo, só que é muito cedo para soltar fogos, vamos dar “tempo ao tempo”. E como comentou o Thiago ele é experiente o suficiente para entrar em “barca furada”.

  • Anderson

    André, com essa nova coluna de terça não teremos mais as notinhas de segunda? Ou foi por causa do feriado? Parabéns pelo trabalho. Abs.

    AK: A ideia é manter as notas. Um abraço.

  • Bruno

    André, não seria caso de você gentilmente responder as criaturas que vêm neste espaço criticar a “grandeza” de outros clubes? Pelo menos para fins humorísticos?

    Jogar num clube de “terceira grandeza” do futebol nacional? Sério? Ao invés de estar elogiando o aumento da qualidade do campeonato como um todo, e não como uma unidade?

    Se é esse o critério de comparação, feliz é aquele que escolhe um time de “quinta categoria”: pois escolher um time pelo tamanho da torcida ou quantidade de troféus é muito mais fácil do que fazê-lo simplesmente olhando a camisa e pensando “nossa, que linda!”.

    Abraços, e continue com os belos textos.

  • yassin

    Boas.

    O Botafogo que vi no Pacaembú semana passada me causou ótima impressão, em que pese a tétrica figura de Fábio Ferreira na zaga, que ainda me hoje causa calafrios.

    Acho que Seedorf vai se encaixar bem nessa equipe. Ele e Andrézinho, Renato por trás. Meiuca pra ninguém botar defeito. O lateral esquerdo é também um bom jogador, ataca e defende bem.

    Se bem que, nesse dia, jogaram contra o vento.

    Vamos aguardar o desenrolar do campeonato, como Seerdorf se encaixará nesse interessante Botafogo.

    Confesso que vou prestar mais atenção nesse Corinthians que vai se delineando, com Guerrero assumindo a 9 e Burrito Hernandez caindo pelos lados, tendo a boa companhia de Emerson.

    Com mas gente dinâmica se movimentando a frente, vejo o Douglas como o enganche ideal.

    Alex é um lateral esquerdo habilidoso que tentou virou meia e não conseguiu – na minha modesta opinião. Não dá pra jogar como meia sem usar o pé direito. Não se você não é o Rivelino. Se voltasse a jogar como lateral esquerdo, seria nível de seleção brasileira.

    Mas como barrar Danilo? Impossível.

    Continuaremos com o 4 2 3 1? Vamos ver:

    Cássio; Alessandro, Chicão, PA e Fábio Santos; Ralf e Paulinho; Emerson, Danilo e Burrito Hernandez; Guerrero. No banco, teremos gente do calibre do JH, Romarinho, Douglas e Alex.

    Nada mal.

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo