COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

GOL DE ANJO

De tempos em tempos, o futebol nos apresenta imagens que não estamos preparados para processar. Não importa o que já vimos ou nossa relação com o que vemos. Há cenas que acontecem e desafiam nossa compreensão. Que precisam da repetição para que fiquem registradas devidamente como fatos.

Pense no que Romarinho fez na noite da última quarta-feira. Não é “apenas” o gol, logo depois de sair do banco. Um jogador entrar em campo e mexer no placar três minutos depois é coisa relativamente corriqueira. Não é o gol num jogo decisivo. A história do futebol é escrita pelos nomes que surgem em momentos importantes. Não é o gol em La Bombonera. Vários forasteiros já marcaram lá. É tudo isso junto, e mais a sequência de improbabilidades que conspiraram para que o menino estivesse ali, dentro da área do Boca Juniors, destinatário de um passe assombroso de Émerson. É a noção de que Romarinho não deveria estar lá.

Romarinho foi contratado pelo Corinthians há um mês. Se no dia em que se tornou jogador do clube, alguém lhe dissesse o que aconteceria na noite de 27 de junho, ele certamente duvidaria. Tudo está ligado à estreia como corintiano, no clássico de domingo passado contra o Palmeiras. O dia em que se apresentou para a torcida. Não são “apenas” os gols. Ele não foi o primeiro a marcar duas vezes no maior rival, no mesmo jogo. A diferença é como. De letra, para empatar. E com um chute no ângulo para virar a partida. A chance de jogar no time reserva foi um teste, um ensaio para desafios maiores. Na hora de mostrar o que sabe, quando um desempenho regular basta na maioria dos casos, Romarinho brilhou.

É provável que, com ou sem os gols, ele já estivesse nos planos para o jogo em Buenos Aires. O fato é que Romarinho tomou a decisão por Tite. Garantiu seu lugar no avião. Mas, num grupo de 23 jogadores, seu envolvimento com a partida contra o Boca ainda dependia de que algumas portas se abrissem. Primeiro, passar pelo corte e ir para o banco, junto com outros seis companheiros. Depois, jogar.

Tite optou por Romarinho entre os reservas, no lugar de Willian. Evidente que os gols no clássico pesaram. Com o Corinthians perdendo por 1 x 0, já nos últimos minutos, o técnico decidiu substituir Danilo. Normal seria a entrada de Liedson, mas o atacante já estava em campo por causa da lesão de Jorge Henrique, ainda no primeiro tempo. E mais uma porta se abriu.

Romarinho pisou no gramado aos 37 minutos. Se nada fizesse, ninguém o culparia. O que poderiam querer? Que ele marcasse um gol no primeiro toque na bola? O inacreditável desfecho teve a colaboração de Paulinho e Émerson, e só foi possível porque Romarinho escolheu a ambição em vez da cautela. Poderia ter acompanhado o lance pela lateral, se oferecido para uma jogada de linha de fundo. Pensou no gol, correu para gol. E fez o gol, com uma vaselina por cima do goleiro.

Final da Copa Libertadores. La Bombonera. Quarenta minutos do segundo tempo. Romarinho não deveria estar lá. Mas estava.



  • anna

    Linda coluna e lindo titulo! Abraco e bom domingo!

  • ale

    Confesso que não imaginava o Corinthians na final da Libertadores, ainda mais contra o Boca Juniors. Agora espero ver a fiel gritar “É Campeão!!!!”

    Não sei se vão conseguir porque nada está definido, mas vou dizer uma coisa que não digo faz muito tempo: ESSES CARAS MERECEM, MERECEM MESMO!!!!

  • LM_RJ

    Andre
    aqui no rj vejo uns alvinegros cariocas, na faixa de 60/70 anos usando a camisa desde sábado

    eles no entanto precisam saber porém q aqui no rj quem manda é o fluminense football club
    aliás a goleada na final do estadual c/ direito a gol de bicicleta está bem viva na memória de todos…

    o time do flu tem deco, fred, thiago neves, cavalieri, valencia, he man
    ultimo titulo de brasileiro de 1 time carioca, atual campeao estadual

    atual campeao estadual tb de juniores: o flu tb mostrando ter divisao de base forte
    wellington nem, marco junior, wallace, q o digam
    aliás, fazer futebol hj no brasil sem divisao de base forte nao existe e times assim precisam contratar atletas de 36/37 anos
    no flu investimos em jovens valores vencemos titulos e ganhamos $$

    botafogo corre atras aí
    pq quem ta correndo na frente aqui no rj é o tricolor ok
    ah e o Deco nao deixa a desejar em relação ao Seedorf em titulos e curriculo nao hein
    Alem do mais o deco sendo portuga
    ja é um europeu fazendo sucesso no brasil ha muito mais tempo, com um titulo brasileiro e um carioca já no curriculo coisa q o seedorf aos 36 (!!! ) vai ter q suar sangue p/ conseguir
    Ou entao com renato, loco e agora seedorf o botafogo ta investindo mesmo é num time de masters ou showball
    ah e lembre-se que c/ 36 anos nem pelé jogava mais em alto nivel, e foi p/ EUA ganhar $$ no cosmos
    sem mais

  • junior

    Tá com uma cara de campeão esse Corinthians…como poucas vezes eu vi um time…

    Tá dando tudo certo…não só o Romarinho, como o Cássio que também entrou como uma luva nesse time.

    É uma sucessão d efatos, e , claro, competência.

    Invicto, e sem tomar gols praticamente.

    Detesto ter que admitir, como são paulino, mas o Corinthians irá ganhar sua Libertadores quarta.

    Merecidamente. E aprendeu durante os últimos anos que o continuísmo e o amadorismo não tem mais espaço no futebol.

    Coisas que infelizmente o São Paulo esqueceu, diante do trono do seu velho ditador!

    O mundo gira….felizmente…ou infelizmente!

  • Dyl Blanco

    Estabilidade. Talvez esse seja o ingrediente que faltava na mistura corintiana. Com Ronaldo Fenomeno a mistura também era boa, porém instável. As apostas nas novidades eram deixadas de lado em prol de suposta segurança em uma qualidade indiscutível de peças chaves do time, que oscilavam. A manutenção de Tite gerou essa estabilidade, garantiu a condição de avaliar e ousar, sem medo, nas apostas que sempre fizeram a diferença em vários times vencedores, Corintianos sessentões certamente se lembram de um garoto, com diminutivo no nome também que, surgindo do nada, conseguiu fazer a diferença. Aquele time corintiano também teve um goleiro, desconhecido, cabeludo, que chegou totalmente anônimo e se firmou instantâneamente. Adãozinho e Ado avalizam a condição de Romarinho e Cássio, e imprimem uma característica vencedora nesse time das apostas. Tite se daria bem em Las Vegas.

  • Willian Ifanger

    Fora tudo isso, tem ainda o fato de que no lance do gol do Boca, caso a bola não entrasse, muito provavelmente seria dado penalti e o Chicão seria expulso.

    E de maneira alguma Romarinho entraria naquele jogo.

    Enfim, tá tudo dando muito certo. Tá com cara de campeão….não só pelas coincidências, mas porque o time joga pra ser campeão.

  • Leon

    André,
    Falou tudo. Romarinho não deveria estar naquele lugar. Se fosse qualquer outro jogador, teria ido pra ponta receber a bola. Ele fez diferente; quis ser decisivo; entrou pelo meio e deu a cavadinha que, se não é à la Messi, e tão decisiva quanto… Eita rapaz talentoso e de personalidade. Um cara totalmente imprevisível que foi mais um lance de sorte pro Timão nessa Libertadores. Tomara que quinta feira estejamos todos escrevendo aqui muito felizes. Arrisco a dizer que o Romarinho fará um gol de cabeça. Não minto, no entanto, que esse chute vem de uma previsão que vi no fantástico.
    Abs

MaisRecentes

Pérola



Continue Lendo

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo