PRÉVIA DA COPA (Boca Juniors x U. de Chile)



A outra semifinal da CLA começa nesta noite, em Buenos Aires.

Interessantíssimo encontro de um time que mostrou um encantador futebol coletivo na última Copa Sul-Americana, com um dos professores da Libertadores.

Eu diria que conheceremos melhor o time chileno (comandado por um treinador que tem convicções ofensivas) após o confronto.

Abaixo, mais uma análise tática de Júnior Marques (siga-o no Twitter, em @afajota), em colaboração com o blog.

Sinto que chegará o momento em que agradecê-lo não será suficiente…

______

Boca Juniors – A mística xeneize

O Boca Juniors é o atual campeão do Apertura 2011 na Argentina e briga pelo atual Clausura 2012. Os argentinos são comandados pelo treinador Julio César Falcioni, que costuma organizar sua equipe de maneira cautelosa e “letal” nos contragolpes. O Boca Juniors não é uma equipe que costuma imprimir pressão constante sobre seu adversário, mesmo que jogue em La Bombonera. Uma equipe experiente, com peças funcionais e postura contragolpista.

Diagrama tático: O típico 4-3-1-2 argentino com um camisa 10 e meia armador “cérebro”.

O Boca Juniors contará com o retorno dos então ausentes Somoza e Ledesma, peças-chave no meio campo da equipe argentina. Somoza é o 1º volante, experiente e responsável pelo comando da marcação no meio-campo. O ponto forte da equipe argentina são os avanços dos volantes(Ledesma e Erviti) pelos lados do campo em apoio ao enganche ( meia armador) Juán Román Riquelme. O ataque xeneize é lento, e apesar de “goleador” isso em certos instantes prejudica a postura contragolpista da equipe pela ausência de velocidade.

A bola aérea diante deste Boca Juniors também requer atenção, pela presença de bons cabeceadores, como Schiavi, Insaurralde e Santiago Silva.

 

La U – Bielsismo diante dos argentinos

La Universidade de Chile talvez seja a equipe mais desconhecida dentre os 4 semifinalistas da Libertadores. Mas curiosamente é a equipe com a proposta mais dinâmica dentre todas.

Diagrama tático: O 3-4-3 dinâmico de La U.

(Ilustrações táticas – Tactical Pad: https://www.tacticalpad.com/tacticalpad/index.php)

Atual campeã chilena e da Copa Sulamericana 2011, a equipe comandada pelo treinador argentino Sampaoli merece atenção. Habitualmente chamado de “Bielsita” ( em alusão ao treinador Marcelo Bielsa), Sampaoli tem inspiração em “Loco” Bielsa em sua proposta de jogo. O 3-4-3, com um losango no meio campo formado por Díaz, Rodríguez, Mena e Aranguiz ganha forma de 3-4-1-2 com o recuo do “falso” 9 Gustavo Lorenzetti.

Flagrante tático: Um exemplo do 3-4-3/3-3-1-3 Bielsista – Mundial 2002, Argentina 1×0 Nigéria (02/06/2002). Os 3 zagueiros Pochettino, Samuel e Placente formavam a linha de 3 defensores, complementada pelo seguinte setor ofensivo:

La U é uma equipe que busca ter posse de bola e explorar o dinamismo dos seus meias e alas ofensivos (o argentino Matías Rodríguez e o chileno Mena). Os 3 defensores são praticamente fixos no campo defensivo, para que a equipe possa fazer fluir os avanços ofensivos com liberdade.

Diante de um Boca Juniors que costuma aguardar as iniciativas adversárias para impor sua maneira de jogar, La U terá que realizar aquilo que melhor faz: ter a bola nos pés e explorar os lados e aproximação de Aranguiz e Lorenzetti ao ataque.



  • Cristhofer

    Sempre muito boa essas analises…

  • Laura

    Estou encantada com tantos detalhes André, adorei a proposta do texto!
    Espero que meu Boquita não sofra gols hoje em La Bombonera, será importante sair “ileso” de Buenos Aires.

    LaU com traços de Bielsa ein? Muito legal!!

MaisRecentes

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo

Sabotagem



Continue Lendo