PRÉVIA DA COPA (Santos x Corinthians)



Alguns aspectos que merecem atenção no clássico de logo mais:

1 – Ganso?

A possível ausência de Paulo Henrique Ganso prejudicará o Santos por razões óbvias, mas não alterará a dinâmica do jogo.

Com Léo ou qualquer outra solução encontrada por Muricy Ramalho, o Santos será o time a ficar com a bola e propôr os movimentos na maior parte do tempo. A ideia de jogo do Corinthians, roubar a bola e surpreender, contribui para essa situação.

O que fará falta ao Santos é a inteligência, a visão, o toque do jogador diferente. Léo pode atuar no meio de campo com sua experiência e tranquilidade, mas não se deve esperar dele uma participação transformadora nessa posição.

Ganso, por sua vez, aumentaria muito as chances do Santos de vencer. Lembre que no momento mais sensível do Santos nesta Libertadores – o segundo tempo da partida contra o Vélez, na Vila – foi Ganso quem criou o gol de Alan Kardec.

2 – A marcação sobre Neymar

É o que pode decidir o confronto. Tite estudou exaustivamente a maneira como Neymar foi marcado nos dois jogos contra o Vélez, e nos últimos amistosos da Seleção Brasileira. Os argentinos (do clube) foram exemplares.

A melhor forma para conter Neymar é a marcação dupla por setor. Consiste em não designar um jogador para marcá-lo individualmente, mas tentar garantir que a principal arma do Santos não fique no mano a mano. Obviamente, não é simples. A ideia exige atenção total e movimentos coordenados para dobrar (ou mais) a vigilância quando Neymar receber a bola. É importante que as duas linhas mais recuadas estejam sempre próximas, diminuindo a área de atuação do atacante.

Por alguma razão, times brasileiros têm mais dificuldades para executar esse tipo de marcação. Por mais que se treine, há momentos em que as movimentações devem ser automáticas. É quando as falhas acontecem.

3 – O gol qualificado

É crucial para o Corinthians. Não só porque pode condicionar o confronto, mas porque um time com as qualidades do Santos dificilmente deixará de fazer um gol no Pacaembu.

A necessidade corintiana se agrava pelos evidentes problemas ofensivos do time. A tendência é que haja espaço, pois o Santos tomará a iniciativa. Mas o Corinthians precisará de eficiência.

______

Abaixo, uma análise tática do confronto. Cortesia de Júnior Marques (@afajota, no twitter), a quem o blog agradece mais uma vez pela gentileza.

Corinthians – Titibilidade próxima do inédito.

O atual campeão brasileiro, Corinthians, irá se deparar com o Santos nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelas semifinais da Libertadores 2012. Um forte confronto brasileiro sem tons de favoritismo.

Diagrama tático: O 4-2-3-1 habitual do Corinthians, sem um centro avante de ofício.

O ponto forte do Corinthians é baseado na solidez da marcação e apoio dos volantes e meias ao ataque, tanto pelo meio como pelos lados do campo. O Corinthians costuma imprimir grande velocidade aliada ao volume de jogo por intermédio destes jogadores(volantes e ponteiros), e por aí as principais jogadas devem surgir para que o jogo corintiano consiga fluir.

;

Santos – Em busca do Bi.

O Santos iniciará em casa sua trajetória rumo a mais uma final da Libertadores. Após dois confrontos equilibrados com o Vélez Sarsfield nas quartas-de-final, chegou a vez de enfrentar o Corinthians.

Diagrama tático: O 4-3-1-2 do Santos

O 4-3-1-2 do Santos ganha muita variabilidade com a movimentação de Arouca e Elano, que formam um triângulo de base alta com Adriano(1º volante) no meio-campo. A equipe quando tem a bola nos pés costuma variar o posicionamento para o típico 4-2-3-1 muito utilizado no Brasil. Com a linha de 3 formada por Elano, Ganso e Neymar, o Santos ganha em poderio ofensivo, que busca aliar troca de passes e momentos incisivos com Neymar, fator de desequilíbrio da equipe alvinegra.



  • Edouard

    Excelente.

    Na planilha, talvez eu só colocasse um vetor um pouco maior pro Jorge Henrique voltando para ajudar a defesa. Como ele deve mesmo jogar por aquele lado do campo, acredito que ele deve ajudar a recompor a marcação sobre o Neymar. Minha aposta é a de que ele vai correr uns 12km hoje…

    Coringão contra tudo e contra todos.

    Um abraço.

  • Fabio Enik

    André,

    Acho que este confronto será definido nos duelos das duas pontas esquerdas. Emerson X Henrique e Alessandro X Neymar. Se o Tite for utilizar o exemplo do Velez de marcação dupla há duas opções: Paulinho e Alessandro e J. Henrique e Alessandro. Eu optaria pela segunda opção em detrimento ao ataque pela direita e deixaria o Paulinho “batendo de frente” com o Arouca. Na outra ponta eu acho que o Emerson levará ampla vantagem com o Henrique (acredito até numa expulsão do Henrique).
    É óbvio que td depende da inspiração dos dois atacantes (Neymar e Emerson)

  • Lucas

    Não existe análise ou estudo do que possa ser uma partida de futebol quando a utilização política de um resultado está em cheque. Marcelo Lima Henrique é árbitro carioca, cínico e ultra-autoritário. A “autoridade” perfeita, escolhida pela máfia de manipulação da CBF do Andrés Sanchez, o caudilho alvinegro e petista no comando da organização máxima do futebol tupiniquim. Hoje o Santos será “operado” assim como já foi o Vasco, em pleno estádio de São Januário. A Libertadores mais “regional” de todas já está nas mãos do Todo Poderoso Timão, “time do povo”, dos “esquemas” e da cortina de fumaça que deverá esconder o mensalão. Sinal dos tempos e da força torpe dos atuais mandatários da nação. Depois virão os “mascates da informação” e farão textos e resenhas fantásticas (verdadeiras obras primas da estratégia, para explicar e legitimar os “erros de caráter” do árbitro do jogo, apenas para legitimar tudo isso)! Muito triste mesmo! Chora Neymar e vai Timão!

  • Marcelo Morais

    Caro Lucas,
    Seus comentarios sao imbativeis! Muito, muito bons!

  • Eu não me surpreenderei se o Ganso não jogar ou começar o jogo no banco, e se o Muricy trocar o lado de jogo do Neymar, tirando-o da esquerda e colocando na direita do ataque.

  • Juliano

    Foi de Ganso TAMBÉM o passe para Íbson, naquele 1 a 0 no clássico do Paulista, também na Vila. Ele sabe achar os espaços. O receio é: com ele em campo, estará confiante? Ou vai tirar o pé?

    A preocupação em cima de Neymar preocupa. Vide os ultimos jogos, onde ele nao foi aquele Neymar.

    Santos ainda sem lateral direito. O time está manco, jogando por um lado só. E Juan não atravessa uma fase primorosa.

    Muita torcida, mesmo hoje. Continuo achando o Corinthians MUITO favorito. Espero estar MUITO, MUITO errado!

    SUCESSO!

  • Juliano

    INFELIZMENTE, eu, santista, estava certo. Sempre achei o Corinthians muito favorito pra este confronto, escrevi um bocado de linhas aqui fundamentando isso outras vezes.

    Gostaria de saber onde voces enxergavam esse favoritismo (mesmo pequeno) do Santos? E olhe que entendem muito de futebol e admiro (AK, Juca, entre outros). Por tudo que li de gente com conhecimento, eu era o único a ver o favoritismo corinthiano, exatamente por tudo que vimos em campo nesta quarta (nem vou entrar em detalhes, é uma lista imensa…).

    Fechando: quando foi a última boa partida do Santos? Nem nas finais do paulistinha jogou bem. O jogo contra o Bolívar não conta. Semi final contra o São Paulo, talvez? É… faz tempo!

    O prognóstico pra próxima quarta é ainda pior. Parece que finalmente o Corinthians, 102 anos depois, vai acabar com a piada.

    Abraço!

  • Lucas, você delira. O Corinthians tem muita torcida sim, mas a maioria concentrada em São Paulo. Se a ideia fosse fazer cortina de fumaça, então o campeão ter sido o Flamengo.

  • Rodolfo

    Lucas,

    Os fatos mais uma vez silenciaram sua amargura. Está virando rotina.

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo