POST CONVIDADO (Brasil x Argentina)



O blog tem o prazer de publicar uma interessante análise prévia do próximo amistoso da Seleção Brasileira, contra a Argentina.

Júnior Marques (obrigado pela gentileza) gosta e sabe do que fala.

Divirta-se.

______

ENTENDENDO A SELEÇÃO ARGENTINA

Por Júnior Marques, bacharel em Esporte e estudioso da Seleção Argentina. Colunista do “De Olho nos Hermanos” no A Prancheta:

( http://a-prancheta.com/category/colunas/juniormarques/ )

Brasil e Argentina se enfrentarão em amistoso internacional neste sábado(09/06) no estádio MetLife, Nova Jersey. Após um “tour” de amistosos internacionais em preparação para os Jogos Olímpicos 2012, a Seleção de Mano Menezes após 2 vitórias e 1 derrota irá se deparar com o último amistoso, e em tese o mais difícil: a Argentina.

1. O último confronto:

17/11/10 – Argentina 1×0 Brasil em Doha, Qatar. A Argentina então dirigida por Sérgio Batista venceu o Brasil de Mano Menezes em uma partida de muito equilíbrio.

Diagrama tático 1: Argentina 1×0 Brasil – O 4-3-3/4-3-2-1 de Batista diante do 4-3-1-2 de Mano Menezes com Ronaldinho Gaúcho ainda responsável pela armação das jogadas ofensivas brasileiras e já com Neymar atuando como ponteiro pela esquerda.

2. O perfil do atual treinador argentino:

Alejandro Sabella ficou conhecido na Argentina após passagem vitoriosa pelo Estudiantes de La Plata(Campeão da Libertadores 2009 e Apertura 2010). Treinador estrategista e que sempre deixa tons de propostas imediatas em suas entrevistas, “Pachorra”(como é conhecido) aos poucos encontra a faceta daquilo que considera ideal para sua Seleção Argentina. O tom imediatista é refletido nos treinamentos e jogos da Argentina, que hoje é uma Seleção que não se prende a um esquema tático fixo para os jogos, já que Sabella desde os tempos de Estudiantes de La Plata “armava” sua equipe de acordo com o adversário, e era conhecido por estratégias distintas quando atuava dentro e fora de “casa”.

“Quando me perguntavam sobre a partida daqui 15 dias, respondia que estava pensando no treinamento de amanhã” (Alejandro Sabella).

O treinador argentino atualmente busca uma base ao seu selecionado e ocasionalmente convoca jogadores considerados por ele como “ideais” para o momento ( Sabella convocou nomes questionados pela mídia e torcida argentina, mas tidos como homens de sua confiança como Desábato e Guiñazu), Sabella busca aliar 3 esquemas em sua mente, os quais estão sendo trabalhados e utilizados de acordo com o tal imediatismo sugerido.

3. Lionel Messi não atua bem na Seleção Argentina. Verdade ou mito?

É quase impossível falar sobre seleção Argentina e não falar sobre o jogador eleito por 3 vezes consecutivas o melhor do Mundo. O fato é que Lionel Messi hoje é o melhor jogador da Argentina, sendo uma espécie de “multi jogador” na equipe.

A partir do Mundial 2010, a Argentina converteu 40 gols, sendo 10 marcados por Messi, 10 assistências diretas para gols e 2 jogadas acrescidas de chutes que resultaram em rebotes para gols. A participação efetiva de Messi nos últimos 40 gols da Argentina representa mais de 50% dos gols da equipe.

Diagrama tático 2: A Argentina joga para Messi ou Messi joga para a Argentina? – Movimentação de Lionel Messi em campo em Argentina 4×1 Chile – Eliminatórias 2014 (07/10/11)

O perfil estrategista de Sabella e Lionel Messi estarão presentes no amistoso diante do Brasil. A Argentina não repetirá a escalação de seu “quarteto” ofensivo utilizado na última goleada argentina frente ao Equador por 4×0, formado por Di Maria, Messi, Aguero e Higuaín.

4. As possíveis facetas de Brasil x Argentina

Sabella já realizou treinamentos específicos para a partida, e deixou a incógnita sobre dois esquemas possíveis para a partida. O 4-3-3/4-3-2-1 utilizado diante do Equador dará lugar ao 4-4-2 ou 3-5-2.

Diagrama tático 3: Um possível 4-4-2/4-2-2-2 e que ganha forma de 4-2-3-1 com a característica centralização de Messi entre os dos meias extremos. O Brasil de Mano Menezes deve manter o característico 4-2-3-1 com os ponteiros Hulk e Neymar.

Diagrama tático 4: O 3-5-2/3-4-3 argentino com as possíveis sugestões. Mascherano na defesa como no Barcelona, e Messi junto a Aguero no ataque, diante do também 4-2-3-1 brasileiro.

Ilustrações táticas: Tactical Pad ( https://www.tacticalpad.com/tacticalpad/index.php ).

5. Pontos fortes e fracos da Argentina:

O ponto forte da Argentina são os avanços ofensivos aliados a Lionel Messi. A Argentina é grande formadora de jogadores que sabem jogar pelos lados do campo, sejam volantes ou meias, os quais dão variabilidade à equipe, na marcação e ataque. O ponto fraco da Argentina concentra-se na falha cobertura defensiva dos laterais/alas e na interligação com a bola: defesa/ataque. Os argentinos têm dificuldade para sair jogando e marcar pelas laterais. Sabella vem dando prioridade à defesa, e nomes como Fernández (Napoli – Itália), Garay (Benfica – Portugal), zagueiros centrais, até então vêm correspondendo. Campagnaro, possível opção para a lateral direita, atua mais defensivamente e surge como tal opção justamente para suprir a deficiência no setor. O mesmo intuito é esperado de Mascherano, testado nos treinamentos como homem de defesa no esquema de 3 zagueiros, como vem tendo boas atuações no Barcelona.

A partida tem tons que ganham importância além de se vencer um rival. A equipe de Sabella busca sequência de vitórias para que o trabalho ganhe força e prestígio. O time de Mano Menezes ainda não convenceu em um amistoso diante de uma potência Mundial, e certamente ganhar da Argentina daría tons de confiança à equipe que estará nos Jogos Olímpicos 2012 e que possivelmente representará o futuro do brasileiro em 2014.



MaisRecentes

Vencedores



Continue Lendo

Etiquetas



Continue Lendo

Chefia



Continue Lendo