A VIDA É DURA



Numa coluna recente, escrevi que “Deve ser excitante a vida de alguém que, um segundo após um pênalti desperdiçado, se põe a declarar que o melhor jogador do planeta é uma invenção. Por ser argentino.”.

Pois bem. Sinto-me obrigado dizer, hoje, que deve ser igualmente excitante a vida de alguém que, um segundo após uma derrota da Seleção Brasileira, se põe a declarar que o melhor jogador do Brasil é uma invenção. Por ser marrento. Por ser elogiado, às vezes mais do que deveria.

Chega a ser mórbido como as pessoas – especialmente aquelas movidas pela catastrófica mistura de ignorância com preconceito – precisam encontrar bodes expiatórios, eleger culpados, invocar para si uma “razão” que não resiste a poucos segundos de bom senso.

Neymar não jogou bem contra o México. A Seleção não jogou bem. Não é culpa dele.

Ele já não tinha feito uma grande atuação contra os americanos, mas tramou algo pelo lado esquerdo com Marcelo, envolveu-se em lances produtivos, deixou uma boa imagem.

Imagem que pareceu ainda melhor porque o time se entendeu e ganhou com sobras de um adversário médio.

Ontem, nem Oscar, nem Hulk, nem os laterais e, muito menos, a defesa. E o Brasil perdeu com absoluto merecimento.

Dizer que Neymar não é jogador de seleção é uma tolice quase tão grande quanto o rótulo que tentam colar em Messi, com a camisa da Argentina.

(A propósito: viu o jogo no sábado?)

O equívoco em relação a Messi é maior porque já existe uma amostra de jogos que permite uma análise consistente do desempenho do camisa 10 jogando por seu país.

Basta ver a participação dele em gols de sua seleção.

No que diz respeito a Neymar, é ridiculamente cedo para qualquer tipo de afirmação.

O que sugerem os entendidos? Não convocá-lo mais? Deixá-lo no banco?

Quem contesta a qualidade de Neymar como jogador não deve gostar de futebol.

Ou gostar de futebol feio, o que é pior.

Não deveria ser tão difícil ignorar a fortuna (ele não rouba ninguém), o cabelo (é problema dele), os elogios exagerados (que culpa ele tem?), as comparações com Messi (que ele nunca aceitou), e vê-lo apenas como um jogador de futebol.

Não deveria ser tão difícil perceber que se trata de um garoto que ainda precisa aprender a lidar com marcações mais fortes, com apitos menos protetores, com as dificuldades que todo jogador especial encontra pelo caminho.

Ou concluir que sua evolução, e utilização, estão diretamente ligadas ao time que a Seleção Brasileira pode ser.

Um time que parecia estar se formando, mas viu que a vida é dura.



  • André, é até chato esse sentimento bipolar com relação à seleção no Brasil. Quando ganha é a melhor do mundo, quando perde não presta pra nada. É impossível discutir futebol nessas bases.

    Muita gente não entende que o fato da seleção perder é parte do esporte e o que faz dele uma atração legal!

  • Fabio Enik

    André,

    Não vi tanto merecimento assim por parte dos mexicanos. Fizeram o gol no primeiro “chute” à meta de Rafael e quando o Brasil voltou a equilibrar as ações fez o segundo numa bobeira do zagueiro Juan. No segundo tempo, obviamente, armaram o time pra se fechar na defesa e sair no contra-ataque.
    O que vale é que voltei a assistir um jogo da seleção com vontade de torcer. Percebe-se claramente a diferença de motivação dos jogadores que disputam espaço para estarem em Londres, ao contrário dos enfadonhos amistosos do ano passado. Além disso, dá pra ver que há uma definição de padrão de jogo e até algumas jogadas ensaiadas em escanteios.

    Abç

  • Iran Né

    Caro André, não digo que você está com toda razaõ porque quem diz que Neymar não joga futebol não é porque gosta de futebol feio, é que não entende de futebol mesmo. Querer que ele jogue na seleção o que ele joga no Santos é pedir de mais é a mesma coisa de querer que o Messi jogue na Argentina o que joga no Barça. E olha que ele tá jogando muito bem na seleção hermana últimamente.
    Era a mesma história de antigamente com o Zico, que muita gente principalmente a imprensa paulista dizia que não era jogador de seleção e que só jogava no Maracanã. E ele é o terceiro maior artilheiro da seleção só perde pro Romário e Pelé.
    Um grande abraço !
    Iran Né

  • Juliano

    Excelente, AK. Impressionante como te dedicas a explicar o óbvio para torcedores tão ignorantes.

    Poderia resumir assim:
    “Neymar não jogou bem contra o México. A Seleção não jogou bem. Não é culpa dele.
    Não deveria ser tão difícil ignorar a fortuna (ele não rouba ninguém), o cabelo (é problema dele), os elogios exagerados (que culpa ele tem?), as comparações com Messi (que ele nunca aceitou), e vê-lo apenas como um jogador de futebol.”
    Perfeito, preciso, só isso bastava.

    Quem critica Neymar, gostaria de quem na seleção? Dentinho? Jorge Henrique? Quem mais? Que piada! Faltam nomes…

    O que ocorre é que esperam que ele resolva. Os torcedores e as vezes os outros 10 companheiros, esperando uma jogada genial pra colocar o time no jogo. Só essa esperança já resume a sua grandeza como jogador.

    Estão aprendendo a marcá-lo. E estão aproveitando sua pouca idade para deixá-lo nervoso com isso. Estão conseguindo, e esse é o medo que tenho na semi final contra o Corinthians, pois sabemos que o restante do elenco do Santos não é um primor em criatividade e dificilmente encontrará uma saída contra a sólida defesa corinthiana. É a Neymar-dependência.

    E aqueles que o acusam de farsa após o revés contra o México se esquecem que, o time norte americano tem levado grande vantagem sobre o brasileiro nos confrontos mais recentes, com ou sem Neymar.

    Mesmo com as vitórias (boas, diga-se) contra a Dinamarca e EUA, ainda acho o MM péssimo. O que o torna menos péssimo é ter a sorte deste país sempre ter uma boa safra para trabalhar. Que outro país tem, ao mesmo tempo, numa mesma geração, um Lucas, Oscar, PHG, Neymar… isso para falar só de quem já é realidade. O erro do MM é ser teimoso e não escalar Lucas, Oscar e Neymar juntos desde o início do jogo. E com a recuperação do PHG, dá pra escalar os 4 ao mesmo tempo. Guardiola faria isso, o Barça cansou de triturar adversários sem um centro-avante de ofício. Até porque, depender de Damião e Pato, ultimamente, está dureza.

    Finalmente, me permita discordar, AK, quanto ao “apito protetor”. Vários comentaristas tem se utilizado deste expediente em algum momento quando estão avaliando Neymar (Arnaldo Ribero, Mauro Cezar, agora li aqui). Discordo. Neymar, por ter criado a fama de cai-cai (e realmente ele o fazia, uma pena) tem tido menos tolerancia dos apitadores. Porque imaginam que ele está simulando. Foi assim na semi contra o Velez. Tem sido assim sempre. Culpa dele mesmo, que faz um estardalhaço cada vez que sofre uma falta, seja ela leve ou pesada. Logo, alguns juízes já tem birra dele, já o marcaram, e acreditam ser simulação mesmo quando a falta aconteceu de fato. Por isso ele está caindo menos, tentando deixar de ser cai-cai. Não vejo apito protetor. Hoje, cada vez mais, não mesmo.

    SUCESSO!

    PS: meus pêsames Galo!!!

  • Thiago Mariz

    André,

    pergunta por curiosidade apenas: essa história de alguém afirmar que Messi é invenção logo depois que ele perdeu o pênalti aconteceu? Quero dizer, aconteceu de um jornalista ter afirmado isso, algo assim? Se foi um jornalista, gostaria de saber quem. Como já imagino que, por questões éticas, não dirás o nome do santo, peço aos colegas comentadores assíduos do blog que me mate a curiosidade.

  • Sergio

    André, creio que a conclusão destes últimos jogos não brilhantes do Neymar não diz respeito à capacidade nem ao potencial que ele tem. Estes são tão evidentes que não se faz necessário debater com quem pensa de outra maneira. O que se conclui destes recentes episódios, na minha opinião, é que Neymar precisa enfrentar times mais qualificados com mais frequência. Somente desta forma, conseguirá adquirir experiência suficiente e desenvolver cada vez mais seus atributos técnicos, táticos e psicológicos. Ele raramente enfrenta sistemas defensivos tão maduros como o do México ou o do Vélez, para não falar do Barcelona. Daí não é de se estranhar que ele enfrente dificuldades contra estas defesas. Para mim, as chances de Neymar conseguir fazer uma bela Copa do Mundo em 2014 aumentam drasticamente se ele deixar o Brasil e for jogar na Europa. Não estou dizendo que ele não possa simplesmente continuar no Santos e decidir a Copa de 2014, mas que as chances dele (e da seleção) se for o quanto antes para a Europa aumentam muito, aumentam.

  • Matheus Brito

    A vida é muito dura, e se torna mais dura ainda para o treinador. Não entro na discussão sobre se ele deveria ou não estar lá. O que torna a vida muito dura pra ele é a exigência da medalha olímpica com a ausência de um projeto para tal façanha. Os vários motivos são conhecidos e não me aterei a eles. O que gostaria de dizer aqui é, sim a seleção jogou mal. Não, hoje não é vergonhoso perder para o bom time Mexicano (seleção principal que estreará nas eliminatórias daqui a alguns dias). Fato é, estamos sim encontrando um time para a Copa. Time esse que é sim capaz de fazer um bom papel na Olimpíada, mas para tal não pode abrir mão dos três jogadores acima dos 23 anos (Thiago Silva, Dedé e Marcelo). Imaginando um pós Olimpíada, dá pra dizer que um time que pode entrar com Goleiro( a se firmar), Dani Alves, Thiago, Dedé e Marcelo. Paulinho, Rômulo(grande volante), Oscar e Ganso. Neymar e Damião/Fred/Hulk , não consegue brigar pela Copa? Com certeza não é um time experiente nesse momento, mas ainda temos dois anos para arrumá-lo. Depois desses jogos eu que não sabia quem era a seleção do Mano já começo sim a ver um time. E um time muito leve e muito habilidoso. Vai dar muito o que falar ainda, podem aguardar.

  • Matheus Brito

    Esqueci:

    Não sei as cifras senão iria colocar aqui a Marcha fúnebre para dar pêsames ao Galo. O Kalil tentou durante anos, quase caiu várias vezes, mas agora sim ele conseguiu fazer sua maior besteira a frente do Galo. E de lambuja, trouxe o Jô pra ajudar no churrasco de sua administração. Alguém sabe como é a noite em BH? é agitada? e a cerveja? é gelada?

  • Junior

    O grande problema com a discussão sobre o Neymar é a intolerância que existe sobre a opinião contrária, mesmo quando não existe exageros.

    Aqueles que criticam o jogador entem qualquer elogio como se isso o colocasse como melher do universo de todos os tempos. Enquanto aqueles que elogiam, entendem qualquer crítica como se essa o tornasse o pior jogador de todos os tempos. Não é por ai.

    Neymar, hoje, é possivelmente o melhor jogador brasileiro em atividade e isso é muito, mas muito mesmo. Porém, no futebol de hoje essa posição não o credencia como o melhor jogador do mundo. E é justamente essa relação que parece confundir as pessoas quando o assunto é Neymar.

    Imagine a seleção da Suécia, digamos que Zlatan Ibrahimović é o melhor jogador da equipe. Não tem ninguém para colocar no lugar dele, todas as esperanças do time estão nele. Com tudo isso, mesmo entre os suecos, não da para afirmar que ele é o melhor do mundo, não tem como negar que lhe falta alguns recursos e que em uma partida ele pode perder a cabeça e ser expulso.

    Neymar é um grande jogador, mas vai ter que aprender a jogar pegando menos vezes na bola, com menos espaços, com marcação mais dura, terá que ser menos teatral nas faltas que sofre e tem jogos que ele vai ter que parar de desperdiçar as poucas vezes que a bola chega em seu pé com simulações.

    Ainda sim ele é o melhor do Brasil, não existe nenhum substituto para ele. O melhor é que ele ainda é muito jovem e vai evoluir muito.

    Quanto a vida pessoal dele, como usa o cabelo, quanto ganha, que tipo de crítica ou elogio ele recebe da mídia especializada ou com quem é comparado, nada mais é do que o ônus de ser uma pessoa famosa. Assim como qualquer personalidade de sua estatura, vai causar os mais diversos sentimentos em quem acompanha sua carreira.

  • André, meu filho, quando eu crescer quero escrever tão bem quanto você! Baita post!

    Sobrer o conteúdo: Neymar é tão bom que eu trocaria fácil um jogo do meu time só pra ver ele jogar! Falar mal dele é, como você mesmo coloca, com tão pequena amostragem é burrice ou, pior, desgostar de futebol. Abraços!

  • BASILIO77

    Não achei a atuação da seleção taaaão ruim assim.
    O México “achou” os dois gols e depois estacionou o ônibus verde.
    Acho que foi 70% de posse de bola do Brasil…ok, não fizeram grande coisa com ela…acho que faltou qualidade no último toque…
    Continuo achando que o momento de “entre-safra” é o maior problema. Até que os jogadores “conquistem” o posto de titular, será inconstante. Faltará auto-confiança.

    Alguns pontos importantes, foram:
    A boa atuação do goleiro Rafael, apesar do gol esquisito. Ele sai na frente para 2014, mas considero a camisa 1 sem dono.
    A cada jogo, o lateral esquerdo Marcelo vai se firmando.
    A primeira linha do time base para a copa vai se montando com D.Alves, T.Silva, D.Luiz ou Dedé e Marcelo.
    No ataque, Hulk vai mostrando que pode fazer parte dos 23.
    Neymar é nome certo como titular.
    Creio que Robinho estará no ataque, entre os 23.
    Ainda falta um companheiro ideal para Neymar…será que L.Fabiano chegará bem em 2014??

    O maior problema é o meio campo.
    Aí, não vejo NINGUÉM com a mão na camisa titular de 2014…talvez só Ramires.
    Dos 11 titulares para 2014, ou grandes favoritos à condição de, creio que MM já tem pelo menos 5 nomes. Não acho pouco, se levarmos em conta que faltam 2 anos e a TOTAL renovação do time.

    O teste da olimpiada deve ajudar a conseguir uma ou duas posições…na minha opinião, a olimpíada é um grande teste, mas NADA comparável ao nível de uma copa do mundo.
    A falta de jogos competitivos até 2014 será o maior problema do treinador, seja ele quem for.
    Jogo é jogo, amistoso é amistoso. E Olimpíada não é copa.
    Abraço.

  • Joao Henrique Levada

    Quem dera você pudesse dar nome aos bois…

    Abraços.

  • Teobaldo

    Enquanto alguns timinhos estacionam o ônibus, o meu GALO estacionou o bonde! Vaaaai, GALO, faz a gente feliz! Juliano, a sua última frase está aqui comigo…. bem guardadinha!

  • Andre

    Matheus Brito, BH é a cidade que tem mais bares no Brasil. Ronaldinho veio pro lugar certo: a terra da cachaça.

  • Joao CWB

    Dureza é ter um atacante como Bruno Mineiro.

    Abraço

  • Michel Araújo

    Concordo em tudo com o Fabio Enik. Inclusive na parte de voltar a torcer para a Seleção com empolgação. Coisa que eu não fazia desde a Copa de 2002.
    E não podemos esquecer André que, nada nada, a arbitragem anulou um gol legal e não marcou um pênalti a favor do Brasil. Nada nada, o jogo poderia ter sido empate. O que mostra que o México não foi tão superior assim…

  • Concordo com o que você disse, mas acrescento apenas um asterisco e uma pergunta:

    1 – O Neymar não pode se descontrolar por conta das fortes marcações que vier a receber.

    2 – Não está faltando rodagem internacional ao menino, que fatalmente seria ganha com uma eventual transferência para o exterior?

    Abraço!

  • ale

    Fora Neymar!!!! Eles querem o Afonso, kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Alberto Pereira

    A opinião do Junior foi a mais abalizada, melhor até que a do articulista.Agora isso de esperar “amadurecer” não tem nada a ver, ele está no ápice da carreira, sem contusões, e meu medo é que se torne um Robinho, no futuro.Um bom jogador, mas que não corrigiu os defeitos, e está pagando por isso.

  • leonardoatleticano

    André, acho que foi um jogo fraco, que tinha tudo para ficar em zero a zero, só não ficou pois houve uma verdadeira largura do Giovani e uma besteira da zaga do Brasil.
    Agora, essa insanidade ao falar de seleção e de Neymar, acho que vem da mídia esportiva brasileira, cada vez menos esportiva e cada vez mais ligada a fofocas e diz que me diz.
    A ESPN está se mantendo focada no esporte, mas o que mais vemos de noticiário é só extra campo, fofocas, mentiras, ufanismos, patriotadas e todo tipo de besteira, o povo só tem ido na conversa.
    Hoje os comentaristas são palhaços ou manipulados, só estamos tendo essas duas raças.

  • Fernando

    Excepcional André! Faço das suas, minhas palavras! Penso exatamente igual! Sem mais…

  • Juliano

    João Henrique Levada: é uma manada!

    Teobaldo: não torço contra ninguém, contra nenhum ser humano. Não torço contra o Ronaldo. Mas a amostra que ele tem apresentado, de festas e falta de profissionalismo versus pouco futebol em campo, leva a todos a pensar dessa forma.

    Voce é torcedor e está no seu direito de torcer, afinal, o seu time vai gastar uma grana em um profissional e voce espera que ele valha o investimento. Está no seu papel. E seria realmente muito legal ver uma volta por cima, temos tantas no esporte (geralmente relacionadas a retornos de graves lesões, que nao é o caso do Ronaldo Assis, a não ser que a lesão seja no juízo e respeito ao próximo). Mas, cá entre nós, quem acredita nisso, além do presida Kalil? O que voce pensava do Ronaldo no Flamengo (aprontando o que aprontou e rendendo o que não rendeu?). O que voce pensaria se ele fosse, por exemplo, pro rival Cruzeiro? Voce também guardaria essa frase? Ou voce acha que ele vai mudar da água pro vinho pelo simples fato de estar agora no seu Atlético Mineiro?

    Tomara mesmo que algo de bom ocorra com seu comportamento e com seu futebol. Infelizmente, no momento (que já dura 6 anos), não temos muitos motivos para acreditar nisso.

    Sucesso!

  • Rafael Rossa

    É evidente a diferença entre o Neymar e jogadores como Ronaldo, Zidane, Figo, Riquelme, Romário. Falta-lhe macheza. Lembro-me de uma entrevista que ele deu ainda antes da fama, que dava nojo, aliás esta entrevista me veio a mente naquele momento em que ele levou um “meio-soco” do mexicano: ele pode ter tido instrutores, feito cursos, mas a essência dele continua aquela, e nos momentos em que é impossível encenar — em jogos contra times difíceis (mundial sub 17 ou 20, não lembro bem; copa américa; vélez; méxico) — ele se mostra um moleque chato e incapaz de jogar sob pressão.
    E por mais que o time todo tenha jogado mal, um atacante não pode perder praticamente todas as bolas que recebe tentando driblar três adversários em todas as jogadas, ou demorando demais pra tocar (um dos gols mexicanos foi num contra-contra-ataque “armado” por ele). Um jogador inteligente sabe a hora certa de driblar. O Lucas já tem uma noção bem melhor que a dele nesse aspecto, talvez méritos do Leão (o Muricy é só elogios). Se alguém faz isso na várzea (não importa quantas “filas” já tenha feito) é xingado pelos colegas.
    Nada contra o Neymar, e sim contra a mídia e esta verdadeira propaganda enganosa promovida por ela, que gera expectativa, e consequente decepção. Trata-se de um novo Robinho um pouco melhorado, um jogador respeitável, mas nada mais.

    AK: A entrevista te “deu nojo”, mas você não tem “nada contra” ele? Sei. E por mais enganosa que seja a propaganda, você compra? Mas o que eu queria entender é como é possível comparar craques que já se aposentaram (exceção feita a Riquelme, claro) com um jogador cuja carreira mal começou. Um abraço.

  • Matheus Brito

    Rafael Rossa,

    Faz tempo que não vejo alguém usar esse termo:”Macheza”. Parece coisa do meu falecido avô quando eu caía, ralava o joelho e chorava. Tenha em mente que ele é “apenas” o melhor jogador brasileiro. Não se apegue à comentários como os do Pelé em relação a ele. Não queira compará-lo a outros jogadores que tiveram toda a carreira para cravar seus nomes na história, e principalmente, não o compare ao Messi e ao nível que o Argentino atingiu (sei que não o citou, mas pelo seu comentário, duvido que não o faça). Tenho certeza que começará a vê-lo com outros olhos.Feito isso, começará a vê-lo como um jogador de 19/20 anos que já está uns dois degraus acimas dos demais jogadores brasileiros em atividade e que tem pelo menos 10 anos de futebol em alto nível para escrever sua história.

  • Matheus Brito

    PS: Alguém sabe se o Gaúcho já disse que foi pra Minas porque “O Galo é o Galo”?

  • Teobaldo

    Prezado Juliano, quando eu escrevi “vou guardar a frase” tinha apenas dois objetivos: (1) dar razão a você ou (2) tirar um sarro se você se enganar. Nada mais. E isso (a rivalidade sadia, o inesperado, a profetização do acontecido) é fator motivador do esporte (qualquer esporte, aliás), ou não?

    Você escreve que eu sou torcedor, mas isso é apenas a constatação do óbvio. Aliás, todos que aqui se manifestam, o são. E apesar de todos negarem veementemente, pode acreditar, são APAIXONADOS pelos respectivos clubes. E se assim não fossem, estariam brincando em outro play-ground. Apenas não pode ser retirado de nós, torcedores apaixonados, a capaciade de sermos inteligentes e racionais.

    Agora o que tem que ficar claro é o seguinte: o Atlético contratou o Ronaldinho que o Milan dispensou; que é o mesmo Ronaldinho que o Flamengo contratou; que é o mesmo Ronaldinho que o Grêmio e o Palmeiras queriam contratar; ou seja um atleta desacreditado, mas para o mercado, AINDA, um grande produto, haja vista o fato de o mundo inteiro estar comentando a contratação dele pelo Atlético. Ou esse fato também não é verdadeiro?

    Em termos técnicos, o que espero dele é que seja melhor e mais produtivo que Danilinho, Bernar, André, Mancini e outros que atualmente defendem o meu time (Putz, pode gozar, eu sei que é muito pouco). Acho que não é esperar demais não. E se ele fizer um pouco mais além disso, entenderei que o investimento terá sido válido, se não pelo lado técnico, pelo lado motivacional e do marketing esportivo, já que meu time está na mídia mundial.

  • Alexandre

    Ótimo texto, André.
    Só discordo em relação a dois pontos.
    Não creio que haja proteção ao Neymar por parte de qualquer árbitro.
    Simplesmente o que ocorre é que a maioria dos árbitros brasileiros sofrem da “síndrome do apito nervoso” e costumam apitar qualquer contato físico como se falta fosse, mas em qualquer jogador, não apenas (o que caracterizaria a proteção) no Neymar.
    Ah, e também não acho tão cedo para qualquer tipo de afirmação em relação ao seu “porte”: ele tem sido o melhor jogador de futebol nascido no Brasil já há dois anos.
    Já em termos globais, aí sim, é cedo para se afirmar aonde ele pode chegar.

  • pablo

    Andre; cuencuerdo 100 % com Vc . En Argentina acontece la misma cosa . La gente precisa de idolos y hacen comparaciones absurdas , patriotas y poco constructivas . La primera responsabilida es de los jornalista e imprensa especializada. Neymar tiene solo “20 anos ” de edad y le estan poniendo toda la presion para que lleve a Brasil al hexa …..muy injusto !!! Ele es un craque de bola pero precisa evoulir NATURALMENTE y no al ritmo de la ansiedad mediatica Brasileria. Neymar necesita que lo cuiden un poco …..que dudas existen de su futbol ??NINGUNA.
    En argentina , la gente no quiere a messi porque no faiz 2 gols por partido …..la gente gusta de mais de Teves …porque tiene ese jeito Argentino…..eso es falta de inteligencia .
    Tenemos que cuidar mas de los talentos y pensar antes de hablar……..disfrutar sin criticar !!!
    saludos para todos de Argentina!

  • Juliano

    Assino embaixo Teobaldo, é isso mesmo. Sorte pro teu Galo. Abraço!

  • Paulo Pinheiro

    Acho que a chave é essa que você deu, André: apitos menos protetores.

    Fique bem claro: sou a favor do futebol talentoso que o Neymar joga. E sou contra a forma como ele é parado (tirando o adversário da bola ao invés de tirar a bola do adversário). Nisso tudo acho que concordamos.

    O que discordo é na falta desse mesmo critério ao avaliar outros jogadores, como era o caso do Sávio, do Flamengo. Ele era parado da forma mais violenta, com pancadas no tornozelo. Daí vinha a imprensa (provavelmente você nem era profissional na época) falando que “é normal um jogador veloz como ele sofrer mais faltas fortes”. Já vi inclusive risadas colocando uma cereja nesse bolo absurdo.

    Então ficamos assim: se o Sávio podia apanhar então o Neymar também pode. Se não pode, que se reconheça os erros do passado e do presente ao avaliar outros jogadores.

    Verdade que o Neymar é diferenciado em seu talento. Mas não pode ser diferenciado o critério que avalia as faltas sobre ele.

    Meu desejo é que o mesmo apito que dá tantas faltas marcadas sobre ele (e respectivos cartões) também apite quando faltas iguais são cometidas contra outros jogadores. Aos poucos os zagueiros ruins vão saindo e dando lugar a melhores. Seleção natural.

MaisRecentes

Gato



Continue Lendo

A vida anda rápido



Continue Lendo

Renovado



Continue Lendo