COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

URUBUS

Não tente procurar os culpados no fracasso de Ronaldinho Gaúcho no Flamengo. Não é necessário. Basta identificar os envolvidos, sem exceção. Falta de profissionalismo de um lado, falta de competência do outro, falta de responsabilidade de ambos. O que mais há nessa história é falta. E mesmo assim, surpreende o tamanho do buraco, a vertigem da queda.

Quando Ronaldinho foi apresentado na Gávea, em janeiro de 2011, ele já não era um jogador de futebol profissional, no sentido “trabalhista” da expressão. Sua carreira já era mais parecida com a de um cantor decadente, que vive do nome e não da música. Abastecer as conversas de bar com informações sobre as aventuras noturnas de R10 é algo que deveria aumentar o constrangimento de quem hoje dirige o Flamengo, pois nada pode ser apresentado como novidade. Quem contratou, e estava ali sorrindo ao lado das popozudas e capitalizando o “Flamengo é Flamengo”, deveria saber o que fazia.

Ronaldinho deixou o Barcelona em julho de 2008 por vontade do clube. O plano era recuperar a cultura de humildade e mangas arregaçadas no vestiário e construir o futuro em torno de Lionel Messi. Na transição de Frank Rijkaard para Pep Guardiola, muitos jogadores foram substituídos, por motivos distintos. No caso de Ronaldinho, concluiu-se que o brasileiro já não era um bom exemplo para Messi, que o tinha (e tem) como amigo. Isto se deu há quase quatro anos. Entregá-lo, hoje, ao torcedor, como um irresponsável que desonrou a camisa do Flamengo é tão fácil quanto vexatório. Dirigentes, lembremos, têm a obrigação de tomar decisões que protejam os interesses do clube.

Talvez fosse otimismo exagerado imaginar que Ronaldinho seria sucesso dentro de campo. Mas que só tenhamos um jogo para guardar de seu período como rubro-negro é inacreditável. Naquela noite na Vila Belmiro, alguns fatores conspiraram para uma atuação de máquina do tempo. A presença de Neymar do outro lado e a transmissão em rede nacional reacenderam uma chama. Que se apagou tão logo o jogo acabou.

É muito pouco para o que o Flamengo vendeu para a maior torcida do Brasil. Mas é mais do que o Flamengo fez para, pelo menos, vender a passagem dele pela Gávea. Como as pessoas que “trabalham” no marketing do clube explicam a inexistência de ações com Ronaldinho? Como não há um mísero patrocínio pessoal? E já que estamos no tema, como o Flamengo pode não ter um patrocinador de camisa? Se a timidez e o baixo rendimento de R10 dificultam a comercialização de seu nome, convém perguntar, de novo: qual é a novidade?

O caso ilustra com perfeição o horror que cartolas brasileiros têm de mecanismos que os responsabilizem por gestões devastadoras, como a de Patrícia Amorim. Se a nobre vereadora tivesse de responder por afundar o clube em mais R$ 40 milhões, certamente pensaria melhor antes de assumir tamanha dívida trabalhista em nome do clube. Mas quando o Flamengo for executado, a dona da assinatura estará longe. No máximo, enriquecerá seu currículo com uma versão de “essa não é mais minha, aspira”.

E sempre poderá dizer que foi vítima de preconceito por ser mulher.



  • Marcos Vinícius

    Quando o Flamengo contratou Ronaldinho era nítida a intenção de fazer um projeto de marketing em cima dele,de o fazer “garoto-propaganda” do clube,uma máquina de trazer patrocinadores,tendo como exemplo a passagem de um outro Ronaldo por um clube que fez isso com enorme sucesso. Ronaldo foi um fenômeno de marketing,patrocínio e renda no Corinthians,pela venda de camisas,por atrair torcida e patrocinadores e por reerguer um clube que acabara de sair de um dos períodos mais turbulentos de sua história.

    O diferencial foi o comprometimento de Ronaldo Nazário com a proposta estabelecida.Até mesmo seu cabelo ele deixou crescer para fazer comercial de um gel capilar. Ronaldo Assis foi o oposto,achou que seu nome e o reconhecimento internacional eram suficientes,que oferendo isso ao Flamengo era suficiente para dar ao clube o retorno esperado. O Flamengo em nada colaborou para a perfeita execução do projeto,não cuidando como deveria da carreira de deu astro e pedindo um valor bem acima da realidade do mercado por uma marca mal explorada.

    Ronaldinho não quer mais ser um jogador de futebol,e sua vinda para o Rio e para o Flamengo foi algo que caiu muito bem a um boêmio que não gosta de receber ordens nem conhece hierarquia.

    Curiosidade: Saiu uma enquete hoje no Globo Esporte onde perguntaram aos torcedores dos grandes clubes brasileiros quem queria R10 em seu time. A rejeição foi unânime.

    Pelo alto salário e pela conduta antiprofissional Ronaldinho,e tendo imensa qualidade técnica,Ronaldinho tem mercado no Brasil?

  • Jorge Casoni

    Meu Deus, que coluna perfeita. Resume e explica tudo exatamente como ocorreu. Parabéns André

  • Glauco Pantojo

    Parabéns, André! Coluna impecável. Já o considero um ícone da nova geração. O legado está mantido…Que bom.

    AK: Obrigado, mas não mereço. Um abraço.

  • André, eu enxergo de maneira diferente. Claro que Ronaldinho não é mais aquele craque que deveria ser, mas ele sempre fez um papel razoável em campo. Claro que muito abaixo do que ele é capaz, mas muitas vezes foi útil sim.

    Não foi espetacular, mas foi minimamente produtivo. Em várias cobranças de faltas e em passes decisivos etc. Lógico que é pouco para o que se pagou por ele, mas quem aceitou pagar foi o Flamengo.

    Vale lembrar que há um imenso atraso salarial e que o próprio Flamengo diz que Ronaldinho não acreditou na promessa deles que iriam pagar. Mas que tipo de empregado troca sua força de trabalho por promessa de pagamento?

    Abraço!

    AK: Pelo que você escreveu – e ao contrário da primeira frase do comentário – creio que concordamos. Um abraço.

  • André, o link para o blog do Fininho tá para o antigo endereço, que mudou. O novo link é este – http://espn.estadao.com.br/fernandomeligeni

    Abraço!

  • Roberto Carlos

    André
    Quem mais te decepcionou Patricia Amorim no Flamengo ou Luiz Gonzaga Belluzzo no Palmeiras?
    Abraços

    AK: Belluzzo. Não esperava nada da nobre vereadora. Um abraço.

  • André, você acredita que esse fato ocorrido com o Ronaldo conseguirá manchar de uma vez por todas a imagem do boleiro, do jogador que é boêmio, irresponsável, que se escora no talento e acha que só com ele resolverá tudo?

    AK: Não. Um abraço.

  • Juliano

    É um absurdo que um time tenha se proposto a pagar na época da contratação os vencimentos combinados com Ronaldo e seu irmão. Já vinha em baixa mesmo no Milan. E fizeram aquele leilão (ridículo, só com cartolas que temos por aqui aquilo foi possível) onde se chegou neste valor salarial. Não tivessem 3 clubes dispostos a contratá-lo (além do Fla, Palmeiras e Grêmio), o acerto seria menor, e a dívida, consequentemente, é menor.

    Pagar quase 1,5 milhas mensais pro cara dar alguns passes e cobrar faltas? Então pague pra mim, ao menos sou bonito e escovo os dentes! Admitamos que não é fácil realizar campanhas de marketing pra um cidadão que não parece ter a menor instrução (e não só isso, a menor educação de berço, postura e HIGIENE). Ronaldo não é capaz de elaborar uma sentença. Mas como AK disse, onde está a novidade?

    As gestões dos clubes no Brasil vão de mal a pior e isso também nao é novidade. O atual episódio apenas deixa a luz no fim do túnel mais longe. Não se pode mais confiar um patrimonio cultural do país (seus clubes) na mão de pessoas tão incompetentes. No Flamengo temos aos montes. Quando aparece um competente, é exaltado (LAOR, por exemplo), quando deveria ser normal. É obrigação. Enquanto isso, felizes dos ex-jogadores em atividade (atividade?) que ficam ainda mais ricos aos custos da incompetência alheia. Acho que no fim, é bem feito.

    Ouvi a entrevista de Muricy a respeito do episódio Ronaldo-Flamengo. Gostaria de saber que tipo de droga ele está usando. É pesada! Quando um cidadão com o histórico de atitudes tão anti-profissionais como tem Ronaldo, e que não rende em campo há mais de 5 anos, é defendido por treinadores, o panorama é péssimo. Quando alguém deveria chamar a atenção, fazem o contrário, passam a mão na cabeça. Ronaldo é irrecuperável. Ele não quer mais. Não está disposto. Que o Santos não faça esta demência. AK, sabe de algo a respeito disso?

    Abraço!

  • Daniel Veloso

    André,

    informo como é o departamento de marketing do flamengo: um filho de algum benemérito que está no 1o semestre de publicidade há 5 anos. Daí ele atende a 73 diretores, 49 vice-presidentes e a presidenta (se eu escrever presidente, pode ser que a Patrícia acredite que seja bullying).

    Brincadeira (será?) a parte, parabéns pelo texto… Concordo com o cara aí acima… vc, da nova geração, é o jornalista mais imparcial e realista…

    Abraços,

    Daniel Veloso

  • João Telésforo

    Ótimo post, exceto pela desnecessária e infeliz frase final, “E sempre poderá dizer que foi vítima de preconceito por ser mulher”.

    AK: Quem acompanha o noticiário sabe porque a frase encerra o texto. Um abraço.

  • Leonardo

    Foi uma tentativa de repetir o ” sucesso” da passagem do Adriano, que apesar de frequentador assíduo das páginas policiais, ainda deu algum retorno técnico para o clube. Eu confesso que acreditei que seria uma boa aposta, pro nível do futebol brasileiro o R10 seria craque se tivesse um mínimo de boa vontade.Mas agora não adianta chorar o leite derramado, espero sinceramente que a Patricia Amorim , em sua gana eleitoreira, não cometa a bobagem de contratar o A9, a não ser que seja por um contrato de produtividade.

  • Flaubert Benício

    Como você bem disse, André, o Ronaldinho se assemelha mais pelo que fez do que pelo que faz.
    A diretoria do Flamengo, nesse caso, foi amadora com um jogador de comportamento pouco profissional. Acredito que a preocupação em bater a concorrência também foi fundamental. Palmeiras e Grêmio queriam o jogador, que estava na mídia por estar sem contrato. Além do mais, a possibilidade de ter um craque de nível mundial no time aumentaria a visibilidade mundial. Só que esqueceram o princípio básico das contratações.
    Contratar o Ronaldinho, assim como qualquer outro jogador, exige estudo sobre o jogador. Passagens passadas, últimas atuações, o nível dessas últimas. É inquestionável o que ele representa ao futebol, o que ele pode, ou poderia, ser capaz de fazer se quisesse, mas ninguém se deu conta nos motivos que o fizeram sair do Barcelona. Por que ele saiu do Barcelona? O melhor jogador do mundo nos últimos anos simplesmente descartado assim? Algo estranho. E por que levava banco no Milan em algumas ocasiões? Por que o Milan simplesmente “o deixou ir”, sem muita resistência?
    Como diria minha avó, o Flamengo “comeu com os olhos” e não com a barriga. Quis mais, o maior. E esse maior estava estragado.Agora está indigesto e agora tem que aturar uma belíssima dor-de-barriga.

  • Joao Henrique Levada

    Dézinho…

    Estou me lembrando do jornalista “chiliquento” da rede globo, que criticou Mano Menezes por ter convocado o Ronaldinho Gaúcho na época em que o Flamengo disputava a liderança do campeonato com o Corinthians.

    Chiliquento e patético.

  • Milton

    Coluna absolutamente brilhante! Parabéns mais uma vez!

  • Joao CWB

    O Flamengo e o mundo sabiam que Ronaldinho não jogava mais bola e que seu comprometimento com o futebol era bem menor que com as noitadas.

    O Ronaldinho e o mundo sabem que o Flamengo atrasa salários e/ou simplesmente não paga.

    Se merecem.

    Mas o time da Gávea não tem porque se preocupar, pois ainda tem o imperador para salvar a lavoura.

    Abraço

  • Teobaldo

    E o meu Galo, segundo noticiado em um prestigioso site, está embarcando nessa canoa furada. Cara, é impressionante como os dirigentes de clubes são incapazes de aprender com os erros dos outros. Um abraço a todos.

  • Robert

    caso rescisão do ronaldinho:

    gavea nao pode ser penhorada por 1 simples motivo:pq terreno onde funciona a sede do urubu é terreno publico, patrimonio do estado do rj, com cessao d uso ao urubu, mas o PROPRIETARIO é o estado do rj…

    urubu sempre mamando na teta do estado

    botafogo c/ engenhao tb mama na teta e sua sede(?) fica no telhado de um shopping

    a verdade é q no rj só os clubes vasco e flu constituem patrimonio imobiliario de respeito e de propriedade dos respectivos clubes

    sem mais

  • Marcos Vinícius

    robert

    Dos quatro grandes do RJ só o Vasco tem estádio próprio.

    Qual é o patrimônio imobiliário do Fluminense? Xerém,onde os ratos imperam?

  • Marcel de Souza

    André, nem ia entrar pra comentar mais uma excelente coluna, mas a frase final me fez vir aqui. Parabéns! É incrível como existem pessoas que se escondem atrás de seu gênero ou raça pra se desculpar contra a sua incompetência. Parabéns pelo posicionamento de terminar sua coluna assim. 1 abraço,

  • Vitor

    André,

    Parabéns pelo texto. A grande ferida é essa mesma, a da ausência de responsabilidade. Costumo de dizer (de brincadeira) que em relação aos clubes brasileiros deveríamos inverter o princípio básico da sociedade comercial. Primeiro responsabilizar-se-ia o patrimônio pessoal dos “dirigentes” (com aspas, por favor) pelos atos que eles praticam em nome do clube. Depois o patrimônio da entidade (clube). Assim, as Patricias, os Klebers Leite, os Euricos, os Dualibs e tanto outros “administradores” do futebol brasileiro não se aventurariam (ou não surgiriam) com tanta felicidade…

    No Flamengo, como mostra essa brilhante matéria do Lance de fevereiro último (http://www.lancenet.com.br/manchete_mobile/Afeganistao-Flamengo-entenda-crise-clube_0_641335883.html), esse caos administrativos é amplificado (nesse sentido, o Flamengo me lembra um Rio de Janeiro em miniatura, com seus 30 anos de seguidas infelizes administrações…). E ainda há quem afirme, como mostra a matéria, que as cinco instâncias de poder do clube sejam “democracia”…Por fim, sobre a Patricia, ela já vem usando esse argumento, como se vê dessa entrevista para O Globo de pouco mais de um mês atrás http://oglobo.globo.com/flamengo/patricia-amorim-60-das-criticas-sao-porque-eu-sou-mulher-4694218

    Abs,

    Vitor

  • Alberto Pereira

    Acho que uma análise cronológica dos acontecimentos, tira qualquer razão ao flamengo. Quando a Traffic saíu fora, o Ronaldinho era um exemplo de profissional? Então porque o fla resolveu bancar tudo, devia estar gostando da prestação de serviços. Ridiculamente agrediram um co-irmão (Palmeiras) com uma nota, quando o jogador está fechando com o Atlético! É mico demais,até mesmo para uma diretoria despreparada!

  • Juliano

    Respiro aliviado! Sobrou pro Galo mineiro, apesar de o Muricy ter dado um baita susto na torcida santista.

    Infelizmente, também não se poderia esperar nada melhor da cartolagem do Galo, afundada em problemas a décadas. Apenas arrumou mais um. Quem procura acha… ou alguém aqui acredita na recuperação do Ronaldo que valha a pena o investimento?

    Estranho pra alguém que recusou o retorno a Porto Alegre, preferiu a vida boêmia do Rio, agora estará em Belo Horizonte…

    Off topic: enquanto isso, as finais de conferencia da NBA fervem, empatadas em 2-2, em jogos eletrizantes, um melhor que o outro.

  • Robert silva

    alem de xerem, ct da divisao de base
    o Patrimonio imobiliario do Flu = sede de laranjeiras
    300.000 m2 no coração da zona sul do RJ ou seja,
    no coração do local + valorizado do rj, talvez do Brasil
    sem mais

  • Marcos Vinícius

    Cara,além de extremamente parcial você também deve ser cego.

    Já passei inúmeras vezes nas Laranjeiras por força do trabalho,e se lá tem 300.000m2 minha casa tem 500.000m2.

    Só para sua informação: O estádio mais valorizado em se falando de localização no Brasil é o Cícero Pompeu de Toledo,e ele fica bem longe das Laranjeiras.Não creio que você saiba como ele é popularmente conhecido.

    Mas não é de surpreender que você não saiba disso. Não é de surpreender que você não saiba de nada além do que quer ver.

    Falando nisso,o que houve com o melhor time da América? Mudou de continente?

    Sem mais.

  • Matheus Brito

    Não sei se foi aqui que, quando o Gaúcho estava envolto ao leilão entre Palmeiras, Grêmio e Flamengo, li mais ou menos seguinte a respeito da dúvida sobre se ele ainda queria algo com o futebol:” Para saber o que o Gaúcho ainda quer com o futebol basta ver com quem ele vai acertar. Se acertar com o Grêmio é sinal de que ainda quer algo, pois lá as coisas costumam ser mais rígidas. Se acertar com o flamengo é sinal de que não quer mais nada, pois com a bagunça administrativa além da noite carioca será impossível que jogue alguma coisa”. Foi mais ou menos isso que li, e foi exatamente isso o que aconteceu, só não me recordo se foi aqui.
    Nessa história(estória) toda a única coisa que não existe é santo. Desde a nobre vereadora, que também nunca me enganou com aquele discurso soberbo de que Flamengo é a maior marca e isso e aquilo, somos os maiores e enfim. Seus aliados(?) que não ajudam em nada, mas são os primeiros a atrapalhar. O Assis, seu sorriso fácil(falso) e seu discurso de que está tudo bem. Por fim o Grande protagonista(?) da farra. O Gaúcho que achou que daria dois dribles e uns passes sem olhar pra bola e iria garantir até Copa do Mundo.
    O saldo disso tudo é cômico, trágico, vexatório: Ninguém recebeu, ninguém pagou e alguém deve 40 milhões. Valor que, logicamente a Nobre vereadora já colocou na conta do Abreu (que não é o Renato).

    Em tempo: Kalil disse que ainda não está completamente louco, por isso aceitou Ronaldinho e seus valores. Sem trocadilho, sabe quando ele vai ver o Gaúcho chegar em casa? só quando o Galo cantar. Não podia perder essa, estava pronta quicando na minha frente.

  • Alexandre

    Era sim otimismo exagerado imaginar que ele pudesse fazer muito mais do que realmente fez no Flamengo.
    Engraçado como o Ronaldo também não fez mais (*) no Corinthians (falando de jogadores de futebol, não garotos-propaganda), mas a imagem que ficou foi outra.

    (*)Ronaldo no Corinthians: 2 títulos, 69 partidas e 35 gols em 2 temporadas. Ronaldinho no Flamengo: 1 título, 71 partidas, 28 gols e 15 assistências em uma temporada e meia.

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo