AS RODADAS



O 0 x 0 entre Vasco e Corinthians significa que os dois times terão de jogar mais no Pacaembu, na próxima quarta-feira.

Difícil chegar a uma conclusão sobre quem ficou mais perto das semifinais, porque o empate sem gols oferece atrativos para os dois lados.

Mas creio que o Corinthians manteve o pequeno favoritismo. Permanceu invicto ao ser o primeiro adversário do Vasco na temporada que não sofreu gol.

Há uma tendência a confundir jogos intensos, disputados, equilibrados, com jogos que mereçam elogios no aspecto técnico.

O estado do gramado de São Januário, prejudicado pela chuva, não contribuiu para que os dois bons times fizessem uma partida acima da média.

Mas foi um jogo interessante do ponto de vista tático, com algumas inversões de papéis e entrega física total.

O Vasco foi claramente superior nos primeiros 15-20 minutos de cada tempo. Teve mais posse, mais iniciativa e mais oportunidades, ainda que nenhuma tenha sido tão clara quanto a cabeçada de Jorge Henrique que Fernando Prass defendeu de forma espetacular, na segunda parte.

É natural que o time que está em casa seja mais contundente, mas houve momentos em que o Vasco teve o contra-ataque como opção, com Éder Luis do lado direito.

Em outras ocasiões, os meias vascaínos receberam bolas – com certa liberdade – entre as linhas de zagueiros e volantes do Corinthians, o que não é comum.

É difícil analisar substituições, porque não dispomos de todas as informações usadas pelos técnicos ao mexerem em seus times, mas gostaria de comentar as saídas de Juninho e Diego Souza.

Entendo os motivos que impedem Cristovão Borges de escalar Juninho e Felipe, juntos, desde o início.

O ganho em criatividade não supera a perda em movimentação/marcação.

Mas não vejo por que não ter os dois meias trabalhando no terço final do jogo, quando a procura por soluções exige jogadores mais capazes.

Não percebi Juninho cansado, opinião que foi reforçada por sua reação ao ser substituído.

Observações finais: a dupla de zagueiros do Corinthians teve grande responsabilidade no resultado.

E o gol… claro, a jogada do gol de Alecsandro, paralisada por impedimento.

Ao vivo,  a sensação de que o atacante do Vasco estava impedido foi inevitável, porque a imagem não mostrava Émerson, do lado oposto.

O replay da câmera lateral indica posição legal, apesar de o ângulo não ser o ideal.

Sim, eu vi o tira-teima da Globo.

Sim, eu vi a imagem da Fox.

Sim, eu vi as fotos que circulam por aí.

Minha impressão é de gol legal.

Mas enquanto as pessoas preferem falar sobre fotos e replays, dois sujeitos devem estar absolutamente tranquilos em relação ao que fizeram ontem.

Um é o árbitro Sandro Meira Ricci, que obviamente não pode ser criticado pela marcação.

Outro é o assistente Alessandro Rocha Matos, que sinalizou o impedimento.

Se a discussão permanece, é porque o lance é complexo.

______

A propósito: as interpretações da jogada reacenderam o debate sobre o uso da tecnologia para auxiliar a arbitragem.

Há quem tenha utilizado a jogada como exemplo de que o replay não resolve certas dúvidas.

Equívoco.

Para fazer essa afirmação em relação ao gol de Alecsandro, é necessário ver o lance pelo melhor ângulo, ou seja, uma câmera colocada na lateral do campo justamente para dirimir lances assim.

Infelizmente, essa imagem – crucial para qualquer análise eletrônica de um impedimento – não existe.

______

Sobre a Copa do Brasil, e jogos dos quais vi apenas os melhores momentos:

O placar de 2 x 0 para o mandante do primeiro jogo é clássico num mata-mata.

Costuma decidir confrontos entre times equivalentes.

Como o São Paulo é superior ao Goiás, é pouquíssimo provável que o time do Morumbi não esteja nas semifinais.

Empate fora de casa, com gols, como fez o Palmeiras (2 x 2 com o Atlético Paranaense)  também encaminha a vaga para o mandante do jogo de volta.

São muitos os resultados que favorecerão o alviverde no jogo da semana que vem, na Arena Barueri.



  • André perfeito..

    O Corinthians aumentou um pouco sua vantagem… Precisa apenas vencer em casa.. Lógico, “apenas” por ser o mais natural, mas não está decidido.

    Sim, por toda discussão sobre o lance, não tem como crucificar ninguém.. Muito menos, já querer usar de muleta em caso de eliminação..

  • André, o tira-teima da Globo mostrou que Alecsandro estava à frente. Se vamos defender a tecnologia, não podemos contestar que o impedimento existiu e que o gol não foi legal.

    Com relação a Juninho e Felipe jogarem juntos, concordo com você plenamente. E vou além, acho que eles podem sim jogar juntos desde o início. Basta botar Juninho mais atrás e Felipe de meia.

    Abraço.

  • André;

    Sou grato ao Júlio César por tudo o que fez pelo SCCP, grandes defesas, foi campeão etc.

    Claro que falhou! Assim como já falharam Chicão e Castan, entre outros…

    Mas me impressiona a tranquilidade que o gigante Cássio vem passando… parece que esse cara joga há 10 anos no Corinthians!

    Sobre o gol anulado… realmente lance dificílimo! Qualquer decisão tomada pelo juiz causaria polêmica… para um lado ou p/ o outro.

    E imaginem se o uso da tecnologia já estivesse implementado e valendo? Ontem seria o caos… recurso da arbitragem dizendo uma coisa, emissora X outra, emissora Y rebatendo…

    Quando for implementado, SE for implementado de forma plena, terá que ser muito preciso, de forma apuradíssima, em diversos ângulos etc.

  • Joao CWB

    O primeiro tempo do jogo aqui em Curitiba foi muito bom, já o segundo foi de dar sono.

    André, você acha que com esse atual elenco o Atlético consegue ficar entre os 4 primeiros da série B?

    Abraço

  • Aldir Mendes

    Andre, a tal orientacao da Fifa sobre na duvida privilegiar o gol, existe mesmo? E se existe, sera que o bandeira estava tao convicto assim, considerando que o lance foi milimetrico? Abraco.

    AK: Como podemos saber? Talvez ele nem tenha visto o Émerson, lá do outro lado. Um abraço.

  • Matheus Brito

    A.K, Bom dia,

    Como você analisa bem, parabéns.
    Com relação ao jogo, achei que o Vasco esteve mais próximo de vencer que o Corinthians. O que não vi, apesar do campo, foi esse Corinthians tão monstruoso que algumas pessoas estão pintando. O time claramente não tem ataque, e como o Emerson volta muito pra marcar, até o Contra-ataque fica muito prejudicado. As duplas de zaga estiveram bem no jogo. Outro ponto que vejo é que o Corinthians não teve ontem jogadas pelas laterais. Os donos dessas posições são muito carentes no apoio. Faltaram também o Paulinho e o Alex entrarem em campo.
    Pelo lado do Vasco, entendi as substituições da seguinte maneira:
    1 – ele não quis abrir mão dos volantes
    2 – Não quis abrir mais um pouco e time e levar um resultado quase impossível de ser revertido.
    Acho que teria sido mais produtivo tirar o Alecsandro, avançar o Diego como Centroavante e colocar o Felipe. Vi alguns defendendo que ele teria que tirar tanto o Diego quanto o Alecsandro e colocar o Felipe e o Carlos Alberto (este último entrou bem, por incrível que pareça).
    Outra opção era colocar o Barbio no Lugar do Alecsandro e centralizar o Diego. Dois pontas abertos trariam uma dor de cabeça grande ao Corinthians no fim do jogo.
    Pra encerrar, vi todas as fotos e imagens que foram divulgadas no lance do gol. E até o super tira teima do Jornal da globo mostrando o pé do Alecsandro na frente e coisa e tal. O que não foca sob hipótese alguma é que quando estão paralisando o Lance e colocando a linha, a bola já saiu da cabeça do Diego Sousa, e o Emerson deu mais um passo. O momento que param a imagem é que está errado. Mas como você disse, se estamos discutindo o Tira teima, não dá pra crucificar o Trio de arbitragem.
    Mas pra mim, gol legal.

  • José

    André,

    O tira-teima da Globo não deixa dúvidas. Estava em posição irregular. Não dar pra aceitar o fato e dar o crédito a globo? Ou você acredita mesmo que uma câmera posicionada, onde você sugeriu seria mais confiável do que a tecnologia usada pela Globo. Bom, caso você esteja usando como referência o gráfico da fox, ai, você tem razão. Globo, se você acha ruim com, pior seria sem ela. Viu???????????

    AK: Não, eu não acho que o tira-teima é mais confiável do que uma imagem lateral, congelada. Um abraço.

  • Anna

    Análise perfeita do jogo entre Vasco e Corinthians. Juninho e Felipe devemjogar juntos e ponto final.Não entendo essas oscilações de Cristóvao, que é bom técnico, diga-se de passagem. Grande abraço a todos e ótima quinta, Anna

  • Sérgio

    O tira-teima não é mais confiável do que uma imagem lateral. Mas é mais confiável que a opinião geral. Infelizmente é o que tinha. E o que tinha mostrou impedimento.

  • Massara

    Enquanto a regra do impedimento depender exclusivamente de uma atividade que desafia o ser humano a desenvolver a capacidade de enxergar dois movimentos, em locais diferentes, na mesma fração de segundos, somente os impedimentos absurdos poderão ser criticados.

    Acho que a arbitragem tem que ser questionada em relação aos critérios usados. Cada árbitro tem o seu. Seja para marcar faltas, assinalar pênaltis decorrentes de mão dentro da área, aplicar cartões etc. Isso gera uma insegurança muito grande para as equipes.

    O jogo foi disputado muito mais na parte física do que na técnica. Acho que a saída do Diego Souza foi ainda mais criticável que a do Juninho.

    Abs.

  • Sérgio
  • Robert

    Caro Andre,

    o zero a zero no primeiro jogo de mata mata parece ser bom resultado p/ visitante
    mas isso é ilusão

    veja o inter semana passada so nao eliminou o flu pq o tricolor carioca deu sorte e virou o jogo ainda no 1º tempo, pq senao o 2º tempo seria dificilimo

    veja o caso de ontem:
    aposto na classificação do vasco na libertadores
    pq possui bom time e vem jogando melhor fora de casa

    inclusive o vasco possui jogadores muito mais tecnicos e com historico vitorioso em jogos decisivos q o corinthians, estao cascudos na libertadores, enfrentaram grandes times na atual libertadores (times uruguaios e argentinos) ao contrario do corinthians q pela liberta 2012 tera seu 1º grande adversario de camisa em casa na proxima semana, vasco ja passou por disputa de penaltis, e acho barbada o vasco voltar de sp classificado,

    quem viver verá…

  • RENATO

    O placar foi de 0 x 0. Sendo gol irregular ou não.
    Já deu no saco esse papo de “placar moral”, “placar paralelo”….coisa inventada há alguns anos..a partir da criação dessa excrescência que é o comentarista de arbitragem.
    Não ví durante o jogo nada que pudesse parecer que a arbitragem estivesse pendendo para um lado ou outro, isso é o que interessa…ou devia interessar.
    Só que o Vasco irá agora, querer influenciar a arbitragem do próximo jogo. Como aliás, quis fazer antes desse jogo, reclamando antecipadamente da escolha do juiz. Faz parte. As vezes até funciona.
    Abraço.

  • Marcelo Coelho

    Se o replay fosse usado para dirimir dúvidas o jogo estaria parado até agora.

    AK: Engano. Se houvesse apito eletrônico, a câmera posicionada para dirimir impedimentos resolveria o lance no primeiro replay.

  • Alexandre

    Gostaria de fazer dois comentários sobre o lance de impedimento do jogo Vasco x Corinthians.
    O primeiro não é sobre o impedimento em si, mas sobre o recurso do “tira-teima”.
    Esta, como TODA tecnologia, tem suas limitações, e em lances “milimétricos” como o de ontem elas acabam sendo atingidas.
    Uma limitação é que a imagem da TV não é um instantâneo do momento do passe, como muitos imaginam, pois a imagem de TV é formada por sequências de frames (30 por segundo), logo o operador do “tira-teima” tem de congelar a imagem frações de segundo antes OU depois do passe (o operador escolhe, primeira subjetividade)
    Além disso, ele tem de marcar a linha de referência em algum ponto do corpo do atacante, o tronco, a cabeça ou o pé (o que estiver na frente), e como a escala é muito grande, uma fração de milímetro de diferença na posição da linha na tela equivale a alguns centímetros no campo (o operador escolhe o ponto exato, segunda subjetividade).
    Logo, num lance muito apertado como de ontem, a MARGEM DE ERRO inerente do método “tira-teima” não permite que este seja conclusivo, ao menos se você quiser tratá-lo seriamente e não apenas como marketing para ganhar audiência.
    Com relação ao lance em si, acredito que o bom senso do árbitro (não há uma orientação clara da FIFA a respeito, como disse o Aldir Mendes?) deveria mandar o lance seguir sempre que os jogadores estivessem “na mesma linha”. E por mesma linha EU entendo menos de 10 centímetros à frente ou atrás.
    Na minha opinião, os árbitros deveriam ser muito mais cuidadosos para anular um gol do que para validá-lo (In dubio pro gol).
    Afinal, não é o gol o objetivo deste esporte?

  • Alexandre

    Apenas uma correção.
    Quando eu disse
    “ele tem de marcar a linha de referência EM algum ponto do corpo do atacante, o tronco, a cabeça ou o pé (o que estiver na frente), e como a escala é muito GRANDE…”,
    queria dizer
    “ele tem de marcar a linha de referência PASSANDO POR algum ponto do corpo do atacante, o tronco, a cabeça ou o pé (o que estiver na frente), e como a escala é muito PEQUENA…”
    Mas a conclusão é a mesma. 🙂

  • Fabio Enik

    André,

    Me desculpe, mas dessa vez o seu posicionamento radical em defesa do uso de tecnologia para deixar o futebol mais justo extrapolou. Afirmar que o tira-teima é menos confiável que uma imagem lateral é demais. Para isso ser exequível teríamos que ter quantas câmeras em volta de campo? Acho melhor você rever seus livros de física do ensino médio…..

    AK: Acho melhor você observar qualquer imagem congelada, do ângulo correto, para resolver um impedimento… Quantas câmeras? Duas. Que dificuldade…

  • Fabio Enik

    Para dirimir a minha dificuldade, solicito duas explicações:

    1 – me explica aonde estariam posicionadas as duas câmeras, no ângulo correto, para que o lance fosse elucidado sem gerar discussão.

    2 – me explica também, se o Alecsandro estivesse um passo atrás no mesmo lance, se as câmeras posicionadas no item 1 estariam no ângulo correto para esclarecer o lance.

    Em São Januário, as emissoras de TV posicionam suas chamadas câmeras de impedimento no último degrau da arquibancada da torcida do visitante (para cobrir o gol dos bancos de reserva). Ontem, tinha a câmera da globo e a câmera da FOX, lado a lado para cobrir os lances de impedimento, gerando imagens de ângulos diferentes… fico me perguntando qual é esse seu ângulo correto de uma imagem congelada….

    AK: Sua dificuldade? Eu me referi à dificuldade de se colocar mais 2 câmeras num estádio. Em todo o caso…

    1) uma câmera em cada metade do campo, na lateral, na altura da linha da pequena área.

    2) Evidentemente sim.

    O ângulo correto é o mencionei.

  • Marcelo Coelho

    Andre, o Fabio Enik está certo.

    Para olhar pelo angulo certo a câmera deve acompanhar a linha da bola, paralela às linhas do centro e do fundo do campo. Ou posicionar um número infinito de câmeras ao lado do campo.

    Replay para auxiliar arbitragem é uma grande bobagem. Não vai resolver nada, vai tornar o jogo mais lento e aumentar as discussões.

    Marcelo

    AK: Discordamos. Não é a primeira vez. O replay encerra discussões com frequência incomparavelmente maior do que as aumenta.

  • Bruno

    A única coisa que pude concluir vendo o jogo de ontem é:

    Como vou sentir falta de ver o Juninho jogando com o Manto quando ele se aposentar!

    AK: Somos dois. Com qualquer camisa. Um abraço.

  • Edouard

    Pessoalmente, acho que a tecnologia semelhante ao tira-teima é mais confiável porque evita problemas com paralaxe. Uma câmera posicionada na linha da grande área dá uma boa dimensão da posição dos jogadores por conta das marcas no gramado, mas está sujeita ao erro por causa da paralaxe. Se o gramado estivesse em melhores condições ontem, e com aquelas faixas claras e escuras, paralelas à linha de fundo, teríamos menos dúvidas.
    Para mim, parece claro que o jogador do Vasco está mais próximo da linha de fundo do que o Emerson, mas compreendo que isso possa ser mau juízo meu. É mais ou menos como pedir para alguém indicar com as mãos uma distância de 40cm. Não há constância e muita gente erra.
    Você se importaria em explicar por que acha que câmeras funcionariam melhor do que algo como o tira-teima?
    Um abraço.

    AK: O tira-teima não foi feito para ser um auxiliar da arbitragem. É um recurso utilizado para transmissões de televisão. Como tal, pode ser (não estou afirmando que foi, ontem ou em qualquer outro momento) manipulado. Na NFL, quando a arbitragem quer saber se um time avançou as 10 jardas de um down, não consulta a linha amarela que aparece na tela da Espn, mas a própria forma de medição disponível no campo. Um abraço.

  • Marcos Vinícius

    Acho que antes dos jogos do Corinthians o árbitro e os assistentes ouvem a seguinte determinação do delegado da partida ou de seja lá quem for:

    “Meu amigo,o negócio é o seguinte: Sempre que tiver uma jogada polêmica e você tiver algum tipo de dúvida,por menor que seja,marque a favor do Corinthians,estamos entendidos?”

    Assim que vi o lance na televisão falei com meu filho: “Ele estava impedido”. Depois que vi o replay,que mostrava o Emerson voltando,eu disse: “Mas que juiz FDP! Tá roubando o Vasco de novo,igual o Gaciba fez em 2009!”

    Verdade seja dita: O lance era dificílimo para o bandeira,que não tem tira teima,não tem câmeras a seu dispor e que tem que tomar a decisão em segundos. Acho que ele nem viu o Emerson,só olhou para dentro da área,e se ele viu apenas isso Alecsandro estava claramente impedido. Depois que ele viu o replay deve ter ficado aliviado,pois até então não tinha notado onde Emerson estava.

    Mas,na dúvida,marca a favor do Corinthians. Geralmente é assim,Leonardo Gaciba e Márcio Resende de Freitas sabem muito bem disso.

    Aí,André,se o replay encerra discussões e ele mostra que Alecsandro estava impedido,você,que é a favor do replay,não acha incoerente manter a posição de que achou o gol legal?

    AK: Por favor, releia o texto. Um abraço.

  • Rodrigo CPQ

    Realmente tem gente que só lembra do que quer, mesmo. Paciência…
    Quanto ao lance de ontem, todos falam do Emerson voltando, mas o Alecsandro também estava voltando. Achei que estava impedido, e que o bandeira não errou. Se validasse o gol, não seria nenhum crime, pois o lance foi difícil.
    Doído mesmo é pessoal acreditar em chazinho antes do jogo pra combinar de ajudar o Corinthians…

    André, sobre sua ideia das câmeras laterais, confesso que ainda não me convenci. Achei meio estranho, mas vou reler o que você escreveu no texto e nos comentários com mais calma (não que minha opinião vá mudar alguma coisa, longe – bem longe disso).

  • Marcos Vinícius

    Doido mesmo foi o Márcio Resende de Freitas expulsar o Tinga após ele ter sofrido o pênalti mais escandaloso da história do Pacaembu,e o Gaciba não marcar pênalti em cima do Élton na semifinal da Copa do Brasil de 2009,pênalti esse que,se convertido,eliminaria o Corinthians e classificaria o cruzmaltino para a final daquela competição. E doido também devia estar o Chicão,que fez o dito pênalti em cima do Élton,quando,alguns meses depois,disse que o Gaciba estava prejudicando o Corinthians no Brasileirão-09 para compensar o benefício dado ao mesmo time anteriormente.

    Ô,Chicão,cê tá maluco,cara?! Ninguém combina nada,ô meu!!!

  • Rodrigo CPQ

    É a tal memória seletiva. Negar o pênalti no Tinga seria cretinice. Agora os “anti” não lembram os erros de arbitragem em cinco jogos seguidos no fim do brasileiro do ano passado, contra o Corinthians. “Ah, mas não perdeu pontos”. Não perdeu porque o time era competente. Também não lembram do pênalti não marcado para o Corinthians, no mesmo 2×2 citado, com mão na bola de um jogador vascaíno. Logicamente não vão lembrar do gol em impedimento do Vasco contra o Corinthians, no Brasileiro de 2010 (salvo engano). Vou precisar lembrar da arbitragem de Vasco x Fluminense esse ano? Será que teve o famoso chazinho no vestiário, onde o juiz (vascaíno) decidiu, com seus comparsas, ajudar o Vasco? E nem tô afim de lembrar os anos de Eurico Miranda e Caixa D’Água, mandando em tudo no futebol carioca…

  • Marcos Vinícius

    Negar que Eurico e Caixa,antigos aliados,beneficiavam o Vasco também é cretinice. Mas isso apenas ocorria nos estaduais,NUNCA,repito,NUNCA no brasileiro.

    Rodrigo,se você quiser,acesse o “placarreal.com.br”,e busque o Brasileirão do ano passado. Pode lhe parecer meio estranho,mas,segundo aquele site (que deve ser administrado por alguns doidos),se não tivéssemos tantos erros de arbitragem o Vasco poderia comemorar seu penta nacional já na antepenúltima rodada do campeonato,pois teria,então,oito pontos de vantagem sobre o segundo colocado,o Corinthians.

    Fico na dúvida sobre para qual time torce o Sr. Péricles Bassols,árbitro que tirou,sozinho,quatro pontos do Vasco nos dois jogos contra o Flamengo. Seria ele flamenguista ou corinthiano? Será que ele tomou o dito chazinho antes dos jogos? E o árbitro que tirou dois pontos do Vasco no jogo contra o São Paulo em São Januário? E o árbitro que tirou outros dois pontos do Vasco no jogo contra o Figueirense no Scarpelli? E o árbitro que tirou dois pontos do Vasco contra o Palmeiras no Pacaembu? E o árbitro que tirou um ponto do Vasco contra o Santos na Vila? Será que todos esses distintos senhores tomaram o chazinho?

    O Vasco também foi prejudicado contra Bahia,Fluminense,Avaí e Ceará,mas foi competente e conseguiu,mesmo com erros de arbitragem,vencer esses jogos

    Não é memória seletiva,são fatos. E contra eles não há argumentos,amigo.

    Abraço

  • Rodrigo CPQ

    Só pra finalizar, na boa: o tal do Placar Real é bem discutível. Por que os erros de arbitragem contra o Corinthians não entram na conta? Porque mesmo com os erros o Corinthians venceu ou empatou os jogos. Aí o site não contabiliza os pontos, pois a equipe “não os perdeu”. Erraram contra Vasco e Corinthians. O Corinthians foi mais competente e venceu, mesmo com os erros. Simples assim.

  • André, entendi que você considera que uma imagem lateral é mais confiável que um tira-teima. Obviamente concordamos, faz todo o sentido. Mas, sem considerar essa variável, pois realmente não havia a “câmera ideal” do apito eletrônico, você não considera o tira-teima um mecanismo confiável, como base de discussão? Sei que você não escreveu isso, afirmou apenas que a sua impressão é de impedimento. Logo, posso entender que você discorda do resultado apresentado pelo tira-teima, neste caso específico. O ponto é: por consequência, você também discorda da credibilidade do tira-teima?
    Eu sempre tive dúvidas se é realmente 100% fidedigno, mas dificilmente vemos alguém levantar essa discussão.
    Obrigado e um abraço!

    AK: Meu ponto é que o tira-teima é um recurso para transmissões de televisão, e não algo criado para auxiliar a arbitragem. Um abraço.

  • Anna

    Juninho fará falta e muita! Tremendo jogador, tremendo exemplo de vida! 🙂

  • Edney

    Andre, bom dia
    Ótima análise como sempre. Acho que essa questão da imagem congelada pode ser complicada em lances onde há uma distância maior, com lançamentos de maior profundidade onde a câmera lateral pode não proporcionar o melhor ângulo. Na NFL os lances polêmicos são mais isolados a toques no chão, faltas entre jogadores, ou seja, são momentos únicos, ao passo que no impedimento estamos falando de 2 momentos em simultâneo: o lançamento e a posição dos jogadores.
    Também concordo que o tira-teima pode não ser o melhor recurso. O que você acha do “olho de falcão” do tênis ? Sabes se o sistema é equivalente ao tira-teima ?
    E também não se poderia pensar no desenvolvimento de um sistema confiável, aprovado pelas Federações ? E também que as decisões fossem coletivas dos árbitros e bandeiras, para evitar problemas de um só a decidir.
    Situação complicada essa, mas efetivamente o bandeira era o único capaz de “enxergar” a posição do Emerson dando condições de jogo, e nesse caso ele deveria vir a público e explicar se não viu ou se viu e teve a convicção de que o lance era bom, ou se teve dúvidas e deixou prevalecer a orientação da FIFA, não acha ?
    Abraço
    Edney

    AK: O “olho do falcão” é um dos sistemas que podem ser usados como tecnologia na linha do gol, mas não conheço sua aplicação para lances de outra natureza. Sim, é um sistema feito para auxiliar a arbitragem no tênis, e que será implantado em breve no vôlei, na questão bola dentro/fora. Sobre lances de maior profundidade, eles normalmente são elucidados pela “câmera aberta”, aquela que fica no centro do campo ou, em transmissões mais aparelhadas, na intermediária. Um abraço.

  • Edouard

    Eu estaria de pleno acordo com você se o gramado tivesse marcas que ajudassem o assistente em lances desse tipo, ou viabilizassem uma análise posterior, no replay. Na NFL, o gramado tem linhas a cada 5 jardas, e marcas menores a cada 91,5cm, e isso faz toda a diferença, certamente você concorda. Sem as marcas, mesmo em câmera superlenta, com imagem congelada ou por diversos ângulos, não haverá certeza sobre quem está mais próximo da linha de fundo. O juízo não será suficientemente objetivo. Mas é uma discussão que, esperemos, algum dia a International Board considere relevante.

    É incrível. Tem gente falando “o bandeira acertou, mas estava mal intencionado e quis ajudar o Corinthians”. Ora, se ele acertou, fim de papo. Não importa se foi uma prazer ou um sofrimento para ele assinalar o impedimento. Discutir futebol assim é muito chato.

    Um abraço.

  • Matheus Brito

    Sou um dos que acha que o Vasco perdeu o Brasileiro do ano passado principalmente pelos problemas com arbitragem em seus jogos. Mas jamais achei (e mantenho a opinião) que houvesse algo pró-Corinthians. Minha opinião é que o nível dos árbitros Brasileiros é ruim mesmo. Eles são fracos, sem pulso, e acredito que alguns até desconheçam por completo as regras.

  • Magnus

    Uma câmera que possibilitasse grandes zoom’s e que fosse posicionada acima do campo, perpendicularmente, abrangendo as quatro linhas, não seria possível?

  • RENATO

    Memória seletiva…boa!
    Abraço.

  • junior

    André, tem uma maneira muito simples de verificar a posição dos jogadores com base nas imagens disponíveis.

    Basta ter a imagem congelada e utilizar qualquer programa de edição de imagem. Desenhe uma linha reta sobre a toda a linha de fundo, dessa maneira a linha vai estar alinha com o campo de jogo. Arraste essa linha até o jogador Emerson, mais precisamente até seu pé esquerdo (se não me engano) que é a parte do corpo do jogador mais próxima a linha de fundo. Pronto, a linha está definida, basta verificar o jogador do Vasco e vai notar que essa linha “atravessa” quase que todo o corpo do jogador. Isso nos mostra que ele está mais perto da linha de fundo que o jogador corintiano.

    Basta pedir para algum editor de imagem da ESPN que ele fará isso em 2 minutos e você vai poder ver com os próprios olhos. Como é você quem vai fazer, estará isendo de qualquer tipo de manipulação, poderá escolher o momento que quiser para congelar o lance e tudo mais. O fato é que se desenhado da maneira descrita a linha não vai te enganar por causa do ângulo e tudo mais.

    AK: Estou familiarizado com o processo, obrigado. Mas ele não funciona como auxiliar da arbitragem, certo? Um abraço.

  • junior

    Como você disse, ele não foi criado para isso, mas como recusro para as transmissões de televisão (assim como a linha amarela na NFL) ainda sim é um recurso muito confiável. Sempre que assisto um jogo da NFL na ESPN utilizo o áudio original, e o narrador diz o seguinte em lances que o juiz utiliza o recurso do replay onde a tv coloca a linha amarela: “vejam que a bola está a frente da linha amarela, não é oficial, mas é muito preciso”.

    Acredito que no lance em questão (gol do Vasco) o recurso é capaz de esclarecer o lance sem muitas dificuldades, já que se tratam de quase meio metro de diferença e não 2 ou 3 centímetros que ai sim, poderiam gerar muitas dúvidas.

  • Lucas

    Interessante sobre o gol do Vasco anulado é que o juiz (bastante aplaudido até pela imprensa que protege o time do povão) não pestanejou em anular a jogada. Foi de uma frieza contundente. Operou o Vasco da Gama, já que na Libertadores, geralmente, o normal é apitar levemente a favor do time da casa. O Gigante da Colina não mereceu esta benesse. O Todo Poderoso Time do Povo, do PT e do ex-presidente Lula (gente que manda muito no mundo atualmente) recebeu uma mãozinha e com a já quase certa eliminação do time dos oportunistas Neymar e Ganso, que só joga quando quer ou quando é necessário que assim se faça, deve conquistar logo a sua tão sonhada Libertadores. Cheguei a opinião de que é melhor assim… Que seja logo, e de forma vergonhosa mesmo, apesar das “versões oficiais” da imprensa brasileira, dita especializada. Vamos narcotizar o povão paulista e depois pedir votos para o PT do corintiano Lula! Chora Vasco, chora Boca, chora todo mundo, porque a Libertadores já é do time da Turma do Mensalão! Um estelionato a mais ou a menos, tanto faz!

  • Rodrigo CPQ

    Lucas, na boa… você tá sendo irônico, né?

MaisRecentes

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo