O AZAR DE PLATINI



Lembra da declaração de Michel Platini sobre a tecnologia na linha de gol?

O presidente da Uefa disse que a pouca frequência de lances em que há dúvida se a bola entrou não justifica a utilização do recurso eletrônico.

(como se apenas um lance, em apenas um jogo de um torneio como a Copa do Mundo já não fosse irremediavelmente trágico.)

Bem… digamos que Platini vive uma maré de azar.

No último fim de semana, dois jogos importantes registraram momentos em que a tecnologia na linha de gol seria útil.

Na final da Copa da Inglaterra, os jogadores do Liverpool até comemoraram um gol de cabeça de Carroll.

No dérbi de Milão, houve o mesmo após um cabeceio de Cambiasso (aos 38″ deste clipe).

Em ambas as situações, os replays mostraram que a bola não entrou inteira e, felizmente, as decisões da arbitragem foram corretas.

Também no fim de semana, Joseph Blatter voltou a advogar a favor da eletrônica:

“Posso lhes dizer que na Copa do Mundo de 2014, e portanto já na nossa Copa das Confederações em 2013, vamos usar esse sistema. Não podemos repetir (…) a mesma situação que testemunhamos na partida entre Inglaterra e Alemanha.”, disse o presidente da Fifa, referindo-se ao gol de Lampard na Copa de 2010.

Mas a boa notícia veio acompanhada da confusão de conceitos que atrasa o futebol.

Ao descartar qualquer outro aproveitamento tecnológico para auxiliar a arbitragem, Blatter acrescentou:

“Senão, o jogo perderá seu rosto humano, e não haverá mais discussão se tudo for perfeito. Nosso jogo não é perfeito, e por isso é tão popular.”



  • Paulo Torres

    André, leu a matéria recente da World Soccer, acho que na edição de fevereiro, contra essa “goal-line technology”?

    A revista afirma que a permissão para o auxílio por vídeo aos árbitros seria muito menos dispendiosa e mais eficaz, cobririndo também os casos em que a goal-line technology cobrirá.

    AK: A eficiência da tecnologia supera o vídeo, na linha do gol. Um abraço.

  • RENATO

    “Senão, o jogo perderá seu rosto humano, e não haverá mais discussão se tudo for perfeito. Nosso jogo não é perfeito, e por isso é tão popular.”
    Odeio essa frase. Falácia.
    Primeiro que as pessoas que amam o jogo, amam APESAR das imperfeições…e mais, as imperfeições NÃO acabarão com a tecnologia, diminuirão. E quantas pessoas PERDEM o interesse no jogo por conta das “injustiças”?
    Discussão sempre haverá, pois é o único esporte que conheço que se discute “filosofia” de jogo. É só ver as discussões acaloradas sobre a “escola Barcelona”, se quem venceu MERECEU vencer…e por aí vai.
    Que dureza…
    Abraço.

    AK: Não é fácil… Um abraço.

  • André, essa muleta usada por Blatter e cia, parece mais desculpa pronta para que as “recomendações” feitas a alguns árbitros continuem.. Ninguém quer que o futebol vire o football, parando em todo o lance, lógico que ele deve continuar dinâmico, mas algumas tecnologias seriam muito bem vindas exatamente para manter o dinamismo do jogo…

    abraços,

  • Massara

    “O jogo perderá seu rosto humano”.

    Acho que esse navio já partiu.

    Abs.

  • Marcel

    “Senão, o jogo perderá seu rosto humano, e não haverá mais discussão se tudo for perfeito. Nosso jogo não é perfeito, e por isso é tão popular.”
    Se isso fosse verdade, os juízes do Fifa Soccer 2012 errariam também. Afinal, se essa é a graça do futebol, tem que estar em um jogo de videogame, não?

  • Edouard

    André, eu sou um fervoroso defensor da utilização da tecnologia no esporte, por todas as partes envolvidas. Acho que jogador deveria poder usar ponto para ouvir o técnico, acho que o árbitro deveria poder usar o replay, o hawkeye, e correlatos, assim como os fisiologistas usam a tecnologia para aprimorar os jogadores.
    Conheço, como você sabe, a sua proposta para usar imagens nos casos de impedimento, e acho-a muito boa.
    Mas, pessoalmente, não consigo mais acreditar que esse debate, nas altas esferas de poder (como UEFA e FIFA) seja ideológico, isto é, não acho que eles discutam o que é “mais” ou “menos” legal, interessante, etc.. O problema é que quem é de fora e gosta do esporte, na maioria, aprova as medidas. Mas quem está lá dentro é contra, e não porque ideologicamente acredita que isso vai contra a natureza do futebol, mas porque isso limitaria os poderes para influenciar no resultado de uma partida. Quando eles dizem “sou contra porque isso não seria interessante para o esporte”, em todas as suas variáveis, eu leio “sou contra porque isso vai dificultar a armação de resultados”. Espero estar errado… Um abraço.

  • Anna

    Chip na bola já! É pra ontem! A tecnologia dá mais credibilidade ao futebol, com certeza.

  • Rodrigo CPQ

    Uai, alguém deixou de comentar os 3×2 do Santos sobre o Corinthians, na final de 2002, só porque não teve erros de arbitragem? Ou o título do Barça sobre o mesmo Santos? Brasil x Itália, de 1982, é comentado até hoje só por causa do pênalti não marcado sobre o Zico? Tem muita gente que levanta essa bandeira, mas é uma das justificativas mais sem noção que já vi.

    Será que vale mais a pena deixar pra história vexames das arbitragens de jogos como Corinthians x Inter e Santos x Botafogo (nem precisa citar os anos, né?) só por causa da discussão (inútil) que elas causaram, e ainda causam? Tenho certeza de que ambos os jogos seriam lembrados até hoje, e de maneira muito mais positiva, sem os erros dos assopradores de apito…

  • Tarso Holanda

    André, conheci seu outro Blog, “Mais Gelo” somente hoje.
    Parabéns! Consegue ser tão bom quanto esse.

    Abraço!
    Tholanda.

    AK: Obrigado. Seja sempre bem-vindo, aqui e lá. Um abraço.

  • jose carlos

    André ,falando do mais gelo:quando teremos novo post?

    abraços

    AK: Agora. Um abraço.

  • Lucas Costa

    Concordo com o Edouard, infelizmente. Como podemos esperar transparência e justiça em uma partida, se não encontramos nenhuma dessas características nas organizações que comandam o futebol?

    Agora, se tudo fosse sério, conforme li em algum site (que não me lembro qual, infelizmente): “o futebol é bom demais para ser o esporte do erro”

    Abraço

  • Juliano

    Excelente o programa da ESPN Films de ontem: Jordan rides the bus.
    Ainda não tinha visto, gostei demais. Michael é um extra-terreste. Ter sido contemporâneo de seu tempo é um privilégio!

  • Paulo Pinheiro

    “Nosso jogo não é perfeito, e por isso é tão popular.”

    Taí a solução para os estádios vazios: Basta cometer mais erros.

  • sc_rj

    vasco vem aí, agora c/ dedé
    alem de diego souza, juninho, felipe…
    ah e sao januario embaçado hein
    p/ chegar la e corredor polones
    a gavioes sabe bem kkk
    assim estou convicto:
    liberta 2012=fim de linha proceis!!!

  • Andre,
    Na minha opinião vai muito além de um resultado esportivo, isto esbarra na questão de formação do carater das crianças. Veja este post.
    http://migre.me/ckXBp

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo