AS RODADAS



Diante da inquestionável superioridade técnica do Santos (3 x 0), Vadão e o Guarani decidiram jogar.

A possibilidade evidente de uma derrota que praticamente encerrasse a conversa não levou o time de Campinas a mudar sua postura e,  como fez o Chelsea contra o Barcelona, “estacionar o ônibus” no campo de defesa.

Na retranca, talvez o Guarani tivesse perdido por menos. Ou, com sorte, empatado. Ou ainda, contra todas as probabilidades, vencido por um gol, fruto de um contra-ataque isolado.

Talvez.

Minha opinião? Não faria diferença em relação ao placar do jogo, muito menos em relação ao título.

O que poderia fazer alguma diferença e, pelo menos, levar um pouco de emoção para o segundo jogo, seria uma partida de ida na casa do Guarani.

Ambiente, torcida a favor, campo, fator casa. Esses aspectos deveriam ter sido observados pelo Guarani, se é que conquistar o campeonato era o objetivo.

Num campo neutro, amplo e com maioria de santistas no estádio, fica difícil acreditar.

E pedir a Vadão que abandone seu jeito de ver futebol e dirigir um time não faz sentido.

O Santos voltará ao Morumbi, no próximo domingo, para buscar a taça e fazer festa.

É o hábito de quem tem Neymar e Ganso.

______

O que mudou radicalmente o primeiro jogo da decisão carioca (Fluminense 4 x 1 Botafogo) não foi a expulsão do botafoguense Lucas, aos 10 minutos do segundo tempo.

Foi o bonito gol de Fred, que empatou a partida, aos 43 do primeiro.

O Botafogo deixou de atacar tão logo saiu na frente, o que é pedir para sofrer.

O recuo chamou o Fluminense, que marcou mais à frente e começou a pressionar.

O empate próximo ao intervalo instalou a mesma convicção nos dois vestiários: no segundo tempo, começaria um novo jogo. E se ambos os times mantivessem suas posturas até aquele momento, o Fluminense – melhor time – teria muito mais chances de vencer.

Era obrigação do Botafogo mudar o cenário. O segundo cartão amarelo de Lucas até o fez, mas para pior.

Perdendo por 2 x 1, talvez fosse mais producente se fechar e manter chances para o jogo de volta. Com três gols de desvantagem, elas são minúsculas para o Botafogo.

Boa partida de Deco, importante para o título quase decidido.

______

Como é bonito ver um jogador de meio de campo decidir um jogo.

Yaya Touré poderá ser lembrado como o autor dos gols (Newcastle 0 x 2 Manchester City) que acabaram com 44 anos de saudade dos torcedores do City.

Contra o Newcastle, Touré jogou mais avançado, como meia “puro”, posicionamento que é mérito do técnico Roberto Mancini.

Atuação deslumbrante num jogo que poderia complicar a situação do time.

Touré é completo.

No Barcelona, tinha funções mais defensivas. Chegou a jogar como zagueiro, na decisão da Liga dos Campeões de 2009.

No Manchester City, mostra o repertório que pode ser decisivo para o surgimento de um novo campeão inglês.



  • André, boa tarde!!

    Paulistão: Gostei da postura do Guarani, o time tentou jogar de igual para igual com o Santos, mas Neymar é diferente e resolve sozinho as partidas..

    Carioca: Não vi o jogo, mas pelo melhores momentos, pareceu que o Bota deixou o Deco jogar sozinho no segundo tempo, aí é pedir para perder..

    Abraços..

  • Massara

    O Yaya Touré não tem medo de jogar bola. Ele é completo e parece saber disso.

    Abs.

  • Leandro Azevedo

    Como bem disse Rene Simões, o Neymar virou um monstro!!!

  • Joao CWB

    No Paraná não tem nada decidido, e que os torcedores recebam a proteção divina no Atle-quita que será decidido no Couto Pereira, pois aquilo está desmoronando à vista de todos.

    Por respeito ao seu blog não mencionarei como o estádio verde é conhecido por aqui, pois pode conter alguma palavra imprópria para você e alguns leitores.

    Abraço

  • Rafael

    Ola Andre,

    Ontem vendo o jogo do Flu fiquei impressionado com a atuação do Deco, e projetando a Seleção de Portugal pensei que ele ainda poder ser útil nesta EURO. Ficou uma dúvida, ele está aposentado da seleção? Caso não, você imagina ser possível que ele seja lembrado em uma convocação?
    Abs,

  • Yuri

    Oi André,
    Me lembrei de voce no jogo Chelsea e Liverpool.
    Outra decisao de campeonato com a dúvida: entrou ou nao? Tívessemos o chip na bola…
    E vc? Acha que entrou o nao? Aqui fora nao têm o tira-teima.
    abraço,
    yuri

    AK: Essa não entrou e, felizmente, a decisão foi correta. E veremos se o Blatter vai mesmo cumprir a promessa da tecnologia da linha de gol já na Copa das Confederações. Um abraço.

  • Juliano

    Aí seu time vai comemorar 100 anos de uma bela história, faz a primeira final do ano no tradicional (sem importância nos dias de hoje, com formula bizarra, mas tradicional sim) campeonato estadual e você vê um campo a equipe com um uniforme bizarro, indo de encontro com o manto tão reverenciado por todos – foi tema, inclusive, dentro do documentário que comemorativo que a ESPN Brasil mostrou.

    E tudo por que? Por que a sua fabricante quer, é claro! Ter um terceiro uniforme é válido, mas não acho que seu uso se justifique em finais, seja qual for. Que se use em amistosos, jogos festivos sem importância ou realmente quando não se há outra opção para diferenciar do uniforme do adversário.

    Sou contra o uso deste uniforme em finais. O SFC tem sorte de eu não fazer parte do conselho do clube. Mas vivemos num mundo onde o dinheiro manda mais que qualquer outra coisa.

    Que o clube decida por não usar isso novamente numa possível final de Libertadores, já que o Brasileirão não tem final.

    Nike, estragando os uniformes mais tradicionais desde… sempre!

    Abraço!

  • Roberto Carlos

    André
    Ontem o Guarani jogou de camisas verdes e o Santos de azul, o correto não seria um dos dois jogar de branco ou o Santos com a camisa listada para evitar uma confusão visual?
    Abraços

    AK: Seria melhor, não? Um abraço.

  • Rodrigo CPQ

    Roberto Carlos, pelo que ouvi na rádio ontem, o uniforme 2 do Santos ainda não está pronto para ser comercializado (deram a entender que não tinha nem para colocar no jogo). Se alguém puder checar a informação…

    Pior é quando jogam Guarani ou Palmeiras contra o Inter. Verde escuro contra vermelho. Óbvio que percebe-se a diferença, mas incomoda tanto quanto o verde com azul de ontem.

  • Juliano

    Rodrigo, realmente essa informação deve ser checada… em se tratando de uma das maiores, senão a maior fabricante de materiais esportivos do planeta… seria uma vergonha e uma falta de respeito com o clube. Estamos em maio! O acordo data do início do ano.

    Pesquisando em lojas virtuais, realmente, só estão disponíveis para venda o uniforme branco e este azul. O tradicional uniforme 2 listrado, nas lojas pesquisadas, tem apenas da antiga fornecedora. Mas não conseguirem, sei lá, umas 20 camisas para o time entrar em campo, é demais!

    Se apressaram em fazer um terceiro uniforme visando as vendas, e deixaram em segundo plano a tradição do clube. Deu nisso. É bom para os clubes aprenderem, são desrespeitados sempre, pela TV, pelas confederações, agora isso… duvido que exista uma espécie de multa… no contrato.

    Sucesso…

  • café lima

    Roberto Carlos e Rodrigo,

    O que eu já li e ouvi é que a camisa 2 não “está pronta”. Seria uma forma de forçar a venda da terceira camisa.

    No Bahia, também patrocinado pela Nike, mesma situação. Terceira Camisa (igual à do Arsenal) e nem sinal da segunda camisa, a listrada tricolor. A desculpa que deram é que fazer a camisa listrada era de um grau de dificuldade maior. Será?

  • Robert

    aqui no rj

    todo mundo ja sabia q a torcida do flu ia economizar p/ o jogo de 5ª contra o inter pela libertadores 2012
    observe q a tendencia sera de engenhao lotado nesta 5ª ao contrario das finais

    o torcedor “familia” q vai com mulher, flihos, etc (maioria da torcida do flu é composta por este tipo de torcedor) tende tb a nao ir em classicos estaduais onde infelizmente a ocorrencia de pancadaria é beeeeem frequente

    verdade tb q a torcida do flu pela rivalidade/tradição e historico amplamente favoravel de vitorias em finais/jogos decisivos comparece e se motiva muito mais p/ ver 1 fla x flu do q contra o botafogo por ex, onde a tendencia de equilibrio em jogos decisivos
    costuma(va?) ser maior

    PARABENS PELO BLOG

  • Carlos Moura

    André

    O jogo entre o Bota e Flu teve uma particularidade muito grande que, os comentaristas quando querem, lembram e dão importância. A questão do tempo de preparação para o jogo e a diferença de desgaste físico.

    Enquanto nos 12 dias que antecederam ao jogo, o Flu ficou exclusivamente se preparando para esta partida. O Bota fez a final da Taça Rio contra o Vasco, viajou até Salvador para outra “decisão” com o Vitória, jogou sob chuva e com gramado pesado e depois voltou para jogar com o Flu com vários jogadores saturados. O Botafogo jogou 3 finais durante uma semana, o Flu jogou uma.

    É simplesmente impossível manter o mesmo ritmo físcio e de concentração do que um rival com bom time, que teve um período enorme de preparação e descanso. Foi um jogo desigual fisicamente falando. Por isso o Botafogo parou de atacar depois que fez o gol.

    O Botafogo “inteiro” e num bom dia, como foi diante do Vasco, pode ganhar perfeitamente por 3 gols de diferença. Mesmo já entrando com a obrigação de fazer o placar.

  • Robert silva

    Caros Moura:
    metade do time do botafogo
    não viajou ate salvador

    felipe gabriel, loco abreu, renato, jeferson
    nem viajaram e treinaram a semana inteira

    entao esse argumento
    de cansaço
    esta furado

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo