O LINK DA LIGA



A capa do The Sun disse o seguinte:

“Terry expulso, Messi perde pênalti, Chelsea alcança final da Champions League… mas o mais inacreditável: TORRES MARCA!”

Em mais um “jogo perfeito”, como pediu o técnico Roberto Di Matteo, o Chelsea eliminou o Barcelona da UCL: 2 x 2.

Na prévia da decisão (post abaixo), escrevemos que seria interessante observar como os ingleses responderiam se estivessem perdendo por 1 x 0.

E o que aconteceu foi duplamente interessante.

Primeiro, o descontrole: Terry agrediu Sanchez por trás e foi corretamente expulso (o zagueiro pediu desculpas pela expulsão, dizendo que não tinha do que reclamar).

O gol de Iniesta veio com todos os sinais de jogo resolvido, antes do intervalo.

Mas numa tabela pela direita, pouco depois, os gigantes Ramires e Lampard construíram mais um gol para o Chelsea. Passe preciso do meia inglês, finalização por cobertura espetacular do volante brasileiro.

É realmente triste que Ramires, crucial para a classificação dos londrinos, não possa jogar a final por suspensão (assim como Terry, Meirelles e Ivanovic).

Àquela altura, fim do primeiro tempo, o gol do Chelsea não pareceu tão significativo. A impressão que se tinha era que a vantagem numérica do Barcelona produziria o resultado necessário.

Chegou perto.

E é surpreendente que Lionel Messi (terceira atuação estranha seguida. Alguns jogadores do Real Madrid disseram que ele parecia machucado no clássico, não tentou nenhuma arrancada. Hoje, de novo. Teria sido aquele problema em Stamford Bridge, logo antes do gol de Drogba? Saberemos em breve.) esteja envolvido nos lances que significaram a queda dos catalães.

A cobrança de pênalti no travessão desperdiçou o 3 x 1, e o Barcelona se viu num monólogo em que a paciência e a criatividade que o caracterizam deram lugar à pressa e à irritação.

O time fez pouco além do chute de Messi na trave (mais um).

No final, quando apenas o goleiro Valdes estava no campo de defesa, um chutão para a frente encontrou Torres para marcar o gol que calou o Camp Nou e garantiu que a história continuaria. A UCL jamais viu um bicampeão.

A receita de marcação, contra-ataque e sorte do Chelsea (28% de posse de bola) funcionou mais uma vez, e o “ônibus estacionado” irá a Munique.

O que não significa que este Barcelona deixe de ser um time fantástico e histórico, ou que Messi deixe de ser um gênio.

Significa que o futebol é uma paixão incontrolável, incompreensível, inexplicável.

Pobre de quem não gosta.



  • Leandro Azevedo

    Parece que o Terry desmentiu que ele tinha dito que deveria ser expulso…

    http://www.101greatgoals.com/gvideos/john-terry-denies-he-should-have-been-sent-off-at-barcelona/

    AK: Você ouviu a declaração? Ele não diz em nenhum momento que não deveria ter sido expulso. Um abraço.

  • Thiago Mariz

    Esse time é revolucionário. Um time que entra sem laterais, que o líbero sobe até a intermediária do adversário tranquilamente, que os meias e atacantes não tem posição definida e alternam suas posições constantemente não é comum. Enquanto as equipes não admitirem que o motivo de tamanha superioridade é porque eles inventaram um novo sistema, que vai além de posições fixas: zagueiro, lateral, volante, atacante, não conseguirão jogar de igual pra igual.

  • Vc sempre preciso, quanto ao contéudo, e feliz, quanto ao estilo!

  • Leandro Azevedo

    Não vi o video… Apenas li sobre e copiei o link, por isso coloquei o “parece” no meu comentário.

    Abraço

  • Luis Jorge

    Messi machucado???? Que nada… É só o que eu sempre disse: “Uma hora iam descobrir que esse time sem jogadas de bola parada, só com um volante e muito dependente de Messi para ser o algo a mais em um continente que Xavis e Iniestas existem em muitos outros times grandes, pode ser derrotado com uma mistura de boa marcação e apenas dois acertos que gerem 2 gols de contra ataque”
    Não deu outra, Isso aconteceu Sabado e hoje, sem falar do 1 a 0 Quarta passada… Babam muito ovo pra esse time, Real de Steffano e Puskas, e Milan do final dos anos 80 e começo dos 90 era melhor!!!! A campanha do Espanhol deles esse ano e a campanha nas ultimas 3 Ligas do Campeões (onde venceram só ano passado) mostra o que sempre disse, ou seja, “Barça é ótimo time, mas exageram demais nos elogios”!!!!

  • athila marques

    ganhar uma copa do mundo jámais poderá medir a dimensão de um jogador, basta lembrar que DENILSON SHOW DA BAND E RONALDÃO ZAGUEIRO DO SÃO PAULO, são campeões do mundo…

    ENTÃO MESSI SÓ PRECISA CONTINUAR A FAZER GOLS…

  • Alessandro Quitério

    E no frigir dos ovos, o Chelsea não fez 180 minutos perfeitos. Fez sim, três acréscimos perfeitos.
    Não vi isso em nenhum post de todos os bons (você incluso) que sigo.
    Os gols do Chelsea:
    Stamford Bridge, 1o tempo: Drogba aos 46’40
    Camp Nou, 1o tempo – Ramires aos 45’46
    Camp Nou, 2o tempo – Fernando Torres aos 45’44

    AK: Muito bem observado. Um abraço.

  • Thiago Mariz

    Luis Jorge, desculpe-me a petulância, mas você não assistiu ao jogo, ou aos jogos, ao menos contra o Chelsea. A “marcação” do Chelsea não parou ninguém. O Barcelona chegou REPETIDAS vezes à área do Chelsea. O que faltou foi definição. Muitos gols perdidos, capricho, falta de sorte.

    O Chelsea foi competente, mas teve muita sorte também, por tantas chances não terem se convertido em gol. Como eu disse, o que está acontecendo é uma revolução no futebol.

  • Rita

    Não assisti ao jogo. Qd sai do trabalho, no caminho, alguns barzinhos estavam cheios e qd passei por um deles, foi exatamente no momento do gol de empate e vi várias pessoas comemorando.
    André, achei estranha a comemoração, seriam anti-barcelonistas?, anti-Messi/argentinos?, influência da transmissão da tv aberta?, eu hein…

    AK: Tem um pouco de tudo… até quem não faz a menor ideia do que está vendo. Um abraço.

  • Luiz

    André, como vai??

    Parabéns pelo post. Só tenho dúvida sobre ”A UCL jamais viu um bicampeão.” O Real Madrid não ganhou duas seguidas contra Valencia e Bayern Leverkusen?

    Obrigado!

    AK: Ganhou do Valencia na temporada 99/00, e do Leverkusen em 01/02. Um abraço.

  • Bruno

    Luis Jorge concordo com vc, e agora que o Barça foi eliminado cade as criticas?
    Quando ele ganha é o melhor do Mundo, uma máquina e mais elogios..
    Quando perde: o adversário marcou bem e teve sorte…
    Esse time do Barça não me engana, como Casagrande disse toque para o lado e posse de Bola não ganha jogo…
    Como dizem por ai: o Ultimo a sair que apague a luz…

  • Bruno

    Quando perguntado o que teria a dizer para uma criança que chorou pela primeira vez na vida com uma derrota do Barcelona, Pep foi direto:

    – Imagino que vai chorar em mais ocasiões.
    Fonte: Globoesporte.com

    Preciso dizer mais? Essa super fase do Barça ACABOU..O que dirão os Jornalistas que ficam “viuvas” desse Super Barça?

    Assim como o Barça de R10 chegou ao fim, era de se esperar que o Barça de Messi tambem chegasse…

  • Juliano

    Começamos por aqui: “O que não significa que este Barcelona deixe de ser um time fantástico e histórico, ou que Messi deixe de ser um gênio.”

    E é isso mesmo. Devemos deixar os cegos e oportunistas pra lá! O Barça ter faturado tudo e ter encantado tanto gerou uma torcida negativa (??) e uma “raiva” do seu estilo e de quem admira. Melhor deixa pra lá.

    Quando o Barça fez o segundo gol, parecia que tudo estava voltando para os eixos – naquilo que nos acostumamos a ver este time fazer. Mas aí é difícil encontrar explicação pro time, então classificado com 2 a 0, e com 11 contra 10, deixar aquele BURACO na zaga para o volante-que-não-é-meia-mas-sabe-chegar-e-é-muito-veloz fazer aquela pintura. Que obra do Ramires!! Que atacante brasileiro, hoje, teria finalizado tão perfeitamente? Acho que só Neymar. Será que relaxaram? Como bem notou o colega Alessandro, o jogo deve ser jogado com atenção até nos acréscimos, sempre!

    Para os oportunistas, também, pelo passe do primeiro jogo e pelo gol do segundo, começa o clamor por Ramires na seleção. Não… ele não deve ser convocado por isso. Por isso TAMBÉM! Olhar para as convocações do meio campo de MM já justificam a presença de Ramires.

    O penalti perdido estremeceu a confiança do Barça. Giraram a bola em 1 terço do campo de uma lado ao outro da área do Chelsea. Quando nenhum defensor mais chegou, Cech fechou o gol. Que baita jogador.

    Aos 11 minutos do segundo tempo, uma cena emblemática: Drogba marcando o lado direito de sua defesa, rouba a bola de Sanchez, passa por todos e avança até o meio campo e dispara para o gol. Era o que dava. Depois foi compor o lado esquerdo da defesa. Apesar do penal, daria um belo zagueiro. O gol de Torres, da forma que foi, é ainda mais emblemático.

    O que foi Keita escalado de pivô? Prova do elenco limitado que Pep dispunha. Opção jamais usada!

    Alguém consegue me explica o quê Mascherano adiciona ao time? Nunca entendi esse cidadão…

    Formação inicial sem laterais. Na esquerda entendemos, mas sem Daniel por que?

    E sim… que outro esporte pode ser capaz de gerar um vencedor que, não foi o melhor em campo, não em 90, mas em 180 minutos? Ao Chelsea, parabéns pela entrega.

    Apesar de ser de torcida neutra desde sempre, amanhã acharia legal a classificação do Bayern, como presente para a torcida na final.

    Abraço!!

  • Bruno

    Para Casagrande, Messi sentiu a pressão desde o começo da partida, quando perdeu duas chances de abrir o placar. “Ele está chegando frente a frente com o goleiro, mas não consegue marcar. Está sentindo muito mais a dificuldade nos últimos jogos do que a equipe do Barcelona”,
    Dito e feito: no início da segunda etapa, o argentino desperdiçou uma cobrança de pênalti, e o assunto “pressão” voltou à tona. “Quando o jogador bate dessa forma, no alto, é que ele não está seguro. Ele se assustou com a presença do goleiro.
    OU seja, Messi = PIPOQUEIRO!
    Me diga, quantos gols ele marcou na Copa de 2010?

  • Thiago Mariz

    Bruno,

    acredito que o que Guardiola quis dizer é que a derrota vai fazer parte sempre de um time, por melhor que ele seja. Esse não foi o melhor ano do Barça, mas nem nos seus períodos mais imbatíveis ele era imbatível. Irá sempre perder, ser eliminado, por mais que seja superior aos outros. Futebol é apaixonante por isso.

    A teoria de que ele admitiu o fim da era do Barcelona, etc. veio da sua cabeça e predisposição a imaginar isso com base em uma semana de queda de rendimento.

  • Massara

    Mais uma coisa: assim como o Juliano, não entendi o Keita no lugar do Fábregas. Não acrescentou nada.

    Abs.

    AK: Minha impressão: primeiro, para ter um jogador descansado naquele momento em que o time pressionava. Segundo, pensando em ganhar força no meio, caso o time marcasse o terceiro gol. Um abraço.

  • Bruno

    Thiago, concordo com vc que não existem equipes imbativeis e tbm com relação ao que o Guardiola disse que perder é normal no futebol…
    O que não posso concordar é com esses elogios exagerados que parte da imprensa vinha tecendo a Messi e ao time do Barcelona, inclusive colocando entre os Melhores da história..
    Chegaram ao ponto de comparar Messi a Pelé e agora me diga, se CR7 ganhar a UCL e for eleito o melhor do Mundo, quem comparava Messi á Pelé vai equiparar CR7 aos dois??
    Existe uma Gigantesca falta de Bom senso por parte da imprensa ao rotular times e jogadores, nós Brasileiros adoramos comparações, mas ao fazê las precisamos de bom senso.
    Que esse time do Barça é ótimo não se discute, que eles fazem um ótimo trabalho de Base não se discute, mas não se pode supervaloriza-los.

  • Marcelo Morais

    Os dois jogos do FCB contra o CFC entrarao para minha memoria futebolistica. E o FCB da temporada 11/12 ficarah para mim como um daquele grandes esquadroes que nao levaram o titulo mais importante que disputavam em uma temporada (atencao: esta afirmacao contem avaliacao pessoal sobre o titulo mais importante da temporada).

    Achei muito, muito digno o time do FCB tentar o gol ateh os 90+3 minutos de jogo, mesmo sabemdo que a vaga na final jah estava perdida. Memoravel. O FCB nao eh imbativel, o que faz desse time ainda mais vencedor. O time falha (pareceu se desconcentrar no final dos primeiros tempos), apresenta algumas deficiencias e, mesmo assim, conseguiu se tornar o time a ser batido.

    O merito da classificacao eh todo do CFC, que manteve sua postura intacta com um jogador (principal defensor e capitao) a menos apos um placar desfavoravel de 0-2 (que golaco do Ramires…). Pode-se discutir a postura defensiva, a opcao por jogar “handball” nos segundos tempos, mas eh preciso salientar a dedicacao e a entrega do CFC nesse segundo jogo da final. E uma clarissima consciencia da inferioridade tecnica como fator decisivo para nortear a opcao tatica. Que foi executada magistralmente.

    Nao cabe dizer que o FCB estah em “franca decadencia” porque nao chegou aa final da UCL ou que Messi “nao eh tudo isso” porque foi “apagado” ou “discreto” (“pipoqueiro” foi a melhor definicao) nos dois jogos contra o FCF. O FCB 11/12 eh historico, mas nao imbativel. Tao historico e tao dificil de ser superado que fez com que os adversarios assumissem postura diferente da habitual para vence-lo. Bom eh poder dizer que eu assisti a esse grandes jogos e vi esse time historico.

    PS: Caro Bruno, acredito que a fase do “super Barca” acabou de comecar. Mas posso estar errado.

  • Paulo Pinheiro

    Juliano, vamos por partes

    Em primeiro lugar, concordo que o que aconteceu na semifinal da Liga não desfaz tudo o que o Barcelona conquistou até aqui. Mas lança SIM um novo olhar sobre um time que teve 180 minutos pra superar um adversário teoricamente “inferior”.

    E aqui entro com outra questão: você diz que o Barcelona foi o melhor em campo, mas não venceu. Melhor em que? Futebol é ataque e defesa. E a defesa do Chelsea (que tomou 2 gols) foi melhor do que a defesa do Barcelona (que tomou 3).

    Eu confesso que não acompanho os jogos europeus como antigamente, quando a Itália mandava no futebol e haviam pelo menos quatro bons clubes italianos na disputa pelo Scudetto, mas das jogadas que tenho visto o Messi fazer, além do domínio e da técnica dele, que são invejáveis, eu vejo por vezes dois zagueiros vendo ele passar no meio e me pergunto: “Por que eles ficaram só olhando?”. Sempre fiquei com a impressão de que ele é principalmente mal marcado, e que se enfrentasse uma defesa um pouco mais “malandra” esbarraria.
    Tenho a minha tese (à qual espero respeito) que aqui no Brasil o Messi não se criaria. Vejo ele pegar a bola desmarcado, virar para o campo de ataque e ter tempo de escolher se vai passar ou tentar a arrancada. Aqui no Brasil o R10 recebe a bola com um brutamontes trombando nas costas e dois cercando pela frente. Os zagueiros europeus, têm mais vigor físico que os nossos e alguma técnica a mais, mas não têm “Malandragem” (basta lembrar aqueles três chapéus que o R10 deu nos adversários no tempo de Barcelona… aqui no Brasil no segundo chapéu ele já pararia lá nas placas de publicidade).

    Eu fico com o Bruno: é uma equipe excelente mas, como sempre, a imprensa exagera (especialmente a européia). Aliás, a imprensa exagera tanto na exaltação de jogadores quanto no desprezo a outros. É o que os ingleses chamam de “oversell”. Veja o noticiário que o AK destacou, onde o The Sun mostra uma ponta de desprezo pelo Torres. Eu achei que o cara deu um banho no Drogba na função de dar fôlego com a bola no campo de ataque. Escorava todas e algumas vezes conseguia sair com ela (culminando com o gol). Se fosse 11 contra 11 com o Torres ali o Barcelona não ia encontrar tanta facilidade pra retomar a bola.

  • Wellington Fco

    Me desculpem, mas ao ler alguns comentários aqui não tive como não opinar:
    1º Sou madridista desde criança, portanto não torço para o Barça;
    2º Mesmo não torcendo para o Barça nunca na minha vida vi um time de futebol ser tão superior ao adversário do que esse Barcelona, eles jogam praticamente o tempo todo no campo adversário e quando o mesmo pega a bola eles a recuperam muito rapidamente;
    3º O Chelsea se classificou usando a mesma tática que o Mourinho usou pela Inter desclassificando o Barça em outra UCL, porém nenhuma dessas eliminações do Barça foram para times que jogaram mais bola do que eles, o próprio Mourinho usou essa estratégia por diversas vezes pelo Madrid e conseguiu uma vitória em trocentos jogos (final da Copa do Rei) e a única vez que ganhou encarando de igual para igual foi no sábado passado, mesmo jogando menos que o Barça, na minha opinião;
    Conclusão: O Barça não mudou, continua sendo superior a todos, porém aconteceu o que poderia acontecer mais cedo ou mais tarde, a derrota, elas vieram ao meu ver em momentos errados para o Barça, mas acho que tanto o Barça quanto o Messi que não foi genial nesses últimos jogos, continuam sendo superiores e acho que vai demorar um pouco para perderem essa condição, mesmo sem o título da Liga e da UCL nessa temporada…

    Abraços.

  • “O pro­fes­sor logo virou refe­rên­cia. A aula se tor­nou dis­pu­ta­dís­sima, todos que­riam assistí-la, porém toda ela tem seu fim. E isso é bom e ruim”

    Texto que escrevi sobre o Barcelona após o jogo fatídico. http://futeboldebolso.com.br/oba-a-aula-acabou/

  • Lucas Costa

    Certa vez li uma entrevista do Dave Lee Roth (vocalista do Van Halen) onde ele diz que o pior tipo de artista é aquele que quando está em seu melhor é apenas medíocre. Pior, geralmente esse está sempre em sua melhor fase, e por isso mesmo é medíocre. Quando sua carreira acaba cai no ostracismo e esquecimento geral.

    Já o brilhante, ele inova e quebra paradigmas, tem uma fase esplendorosa, seguida de altos e baixos. Mas esses baixos, são sempre melhores que o melhor do medíocre. E quando ele resurge, é fenomenal. E principalmente, fica marcado para sempre na história!

    No momento, eu to só esperando para ver como vai ser o resurgimento desse Barça!

  • Andre Vidiz

    Andre, você não acha que em mata-mata (em especial na final dá UCL, que é em jogo único) não deveria haver suspensão por 3 amarelos? A graça do mata-mata é ver qual dos times é melhor naqueles jogos, diferente dos pontos corridos, que está ligado à estabilidade, consistência, etc. Por isso quanto mais pudermos aumentar as chances de termos força máxima, melhor (até por que tenho minhas dúvidas que a suspensão iniba a violência)

  • Por essas e outras é que o futebol é fascinante! Dá pra não amar esse esporte?

  • Rubens

    O Keita entrou pq o Barcelona estava jogando pelas laterais e nao podia cruzar na area pq seus atacantes sao baixos. Logo que ele entra ele vai direto pra dentro da area e fica la… Era uma opcao que o Barcelona nao tinha … Bom, e continuou nao tendo…

  • José A. Matelli

    Acredito que o Cech teve um papel importantíssimo, mas pouco reconhecido, no agregado, evitando alguns gols do Barcelona em Londres que dariam outra dinâmica ao jogo da volta. Se o Bayer passar, veremos um duelo dos dois melhores goleiros do mundo na atualidade, em minha opinião.

    AK: Fato. Cech foi muito bem nos dois jogos. Um abraço.

  • Lucas

    André, quando você diz que a Liga nunca teve um bicampeão, você quer dizer no atual formato, não é? Porque, salvo engano, o Milan foi bicampeão no final da década de 80. Abraço.

    AK: UCL, como está escrito. Um abraço.

  • Anna

    Perfeito,como sempre. Jogos como o de ontem fazem com que nossa paixão pelo futebol só aumente. Seu trecho final resumiu absolutamente tudo.

  • Idevan Gonçalves

    Sendo simplista, a trave é o craque do Chelsea: salvou duas vezes no jogo de ida contra o Barça, mais duas contra o Arsenal (pelo inglês), e mais duas no jogo de volta da UCL. Está sempre no lugar certo…

  • ana

    A derrota do Barça não diz nada, não tira o brilho da equipe e não desprestigia nenhum jogador. A derrota do Barça só serviu para alimentar os delírios da galera “do contra” e de “comentaristas” que buscam audiência a qualquer custo, de qualquer maneira. Nenhum time é imbatível. Poucos são brilhantes.

  • Juliano

    Paulo Pinheiro, me permita contra-argumentar:

    Quantas defesas Victor Valdez fez nas duas partidas? Quantas bolas bateram em sua trave? Qual foi a posse de bola do Chelsea?

    Uma vez que o objetivo do futebol é o gol, não tem como fechar os olhos e ver quantos chutes o Barcelona fez contra a meta inglesa. E por quanto tempo esteve sem a bola. Qual time procurou mais o objetivo do jogo? E para isso, precisa ser superior, para ter a bola e ir atrás do objetivo. O Chelsea foi superior sim em um fundamento: contra-ataque. Foram 3, precisos, certeiros, como devem ser. A competência impressiona, em 180 minutos tiveram TRÊS oportunidades e tiveram 100% de acerto (talvez isso justifique as partidas perfeitas de Di Matteo, melhor do que nos melhores sonhos dele). Quando você verá isso novamente? Concorda que criar uma oportunidade a cada 60 minutos é pouco, novamente, se o objetivo deste esporte é o gol? Incompetência do Barça em não colocar a bola para dentro, oportunidades eles criaram, e não acho que foram poucas. Claro, o futebol se vence com gols e não com ‘oportunidades de’, aí o Chelsea foi superior. Mas não entendo como alguém consegue negar o abismo no volume de jogo entre os dois times. O futebol encanta também por isso. Repito, parabéns ao Chelsea pela entrega.

    Em outro esporte, como por exemplo o basquete, esse tipo de cenário é quase impossível de acontecer.

    Se as inúmeras oportunidades do Barça tivessem se convertido em gols, tanto no primeiro como no segundo jogo, não iríamos achar estranho duas vitórias por 1 ou até 2 gols de diferença. Mas o “se” não entra em campo.

    Paulo, discordo ainda da sua tese quanto a Messi no Brasil. Vejamos o Neymar: óbvio que são jogadores diferentes, mas em comum tem o fino trato com a bola e a escandalosa habilidade individual. Neymar tem apanhado muito, parou de se jogar e continua apanhando, e mesmo assim segue evoluindo no seu futebol e contribuindo demais para a equipe santista. Gênios são assim, sempre encontram uma saída. Acredito que Lionel, aqui, no cenário que sugeristes, encontraria também uma forma de jogar em alto nível. Nas suas primeiras temporadas na NBA, Michael Jordan abusava das infiltrações, fruto de sua explosão e dribles rápidos. Começaram a baixar o sarrafo toda a vez que invadia o garrafão. Começou a atirar mais do perímetro, e fomos apresentados ao “fade-away jumper”. Ele encontrou uma alternativa. O resto é história.

    Infelizmente acho que R10 não serve como exemplo, não acredito que esteja jogando abaixo do que nos acostumamos a ver no seu auge em Barcelona por conta da marcação aqui no Brasil, com 3 brutamontes o cercando. A fase dele já estava ruim antes mesmo de vir pra cá. E na Europa encontramos um tipo diferente de zagueiros, com você destacou. O que também nem sempre é verdade, vide o que PEPE, jogador do maior rival do Barça, já aprontou. Se a palavra brutamontes for usada, não tem como não lembrar dele.

    AK, discordo da sua impressão quanto ao Keita, por dois motivos: primeiro porque de fato ele não estava atuando no meio, e sim dentro da área. O segundo é que, para que ele fosse reforçar o meio, o Barça deveria fazer o terceiro tento. O natural seria que esta substituição ocorresse somente após isso, não? Não acredito que Pep faria uma substituição para um “possível cenário futuro” que ainda não era certeza, tanto que não se concretizou.

    Abraços!

  • Marcel de Souza

    Como a Rita comentou aí em baixo o que me surpreendeu mais até que a queda do Barça foi ver a quantidade de gente comemorando! Teve até gritaria aqui no trabalho na hora do 2o gol. Será que o povo tem tanta inveja assim do que faz sucesso??

  • Rubens

    To na Espanha e não ouvi esse comentario do Casagrande (Toque de lado nao ganha jogo), obvio…

    Em dois jogos foram aprox 47 Chutes a Gol… 13 no Gol… 4 Bolas na Trave (Penalti incluido). O Tal toque de lado gerou uma media de 22 finalizações por partida. Esse é o tal toque de lado, mais finalizações do que a soma da maioria dos jogos que a gente constuma ver por ai..

    Sobre o Fernando Torres eu prefiro a avaliação do Comentarista da TVE: erro absoluto. O Drogba parou o Dani Alves e foi um baita Lateral. Se Era pra Tira-lo o DI Matteo tinha que ter colocado um Zagueiro. Nos 10 Minutos que jogou o FT9 abriu de forma perigosa os espaços daquele lado tanto que o Barsa quase fez um gol (Na verdade Fez, anulado por pouco..). E DUVIDO que ele ter ficado na frente tenha sido ordem do tecnico, tanto que ele entrou e fez exatamente o que o Drogba tava fazendo..

    E ele só fez o Gol pq estava onde nao devia!! Ao inves de estar marcando atras, tava trotando de volta… Futebol tem dessas coisas…

    Pra Terminar: Na TV espanhola o Melhor em Campo foi o Marfinense.

  • Matheus Brito

    André,
    Concordo com todos que disseram que o Barcelona não é imbatível, e de fato não é. Esse fato ainda o torna maior do que ele é, pois um time que não é imbatível, tornou-se “O” time a ser batido. Já vi gente comemorando que “Se” ganhar a Libertadores tem mais chance de vencer o Mundial. Enfim, há gosto pra tudo. Eu gosto do futebol do Barça e de suas variações e mudanças constantes de posições entre os jogadores, ou seja, quando o time entra em campo você consegue imaginar umas cinco maneiras diferentes que ele vai jogar, aí ele entra com uma sexta formação. Aos que insistem em dizer que esse Barça não é nada demais, lembrem-se que o Santos da era Pelé, perdeu campeonatos também. O que o tornava mágico, e também ocorre com o Barcelona é (além da revolução de estilo e o gosto pelo bom futebol) que ele entra para ganhar todos os títulos que disputa. Não entra como coadjuvante em nenhum. Dificilmente ganhará todos. Nem na temporada passada eles venceram todos (vide a copa do rei para o Real). Mas não deixou de disputar com REAL favoritismo nenhum deles. Quem não quiser enxergar isso, que continue cego.
    AK, acredita que estou escutando aqui no trabalho gente dizendo que o Messi “pipocou” no pênalti? Enfim, que venha a próxima temporada. Sugestão para o Barça: Dedé do Vasco. Acho que cairia muito bem no sistema defensivo e ainda gosta de se aventurar pelo meio e pelo ataque, coisa que o Guardiola adora.

  • Carlos

    André não entendi essa afirmação “A UCL jamais viu um bicampeão.” pelo q eu lembre alguns times ja foram bi campeões seguidos e ate tri. fora o Real que acho que foi campeão 05 vezes seguidas.
    aonde esta a pegadinha?

    AK: UCL = Uefa Champions League. Nome e formato que passaram a ser usados em 1992. Um abraço.

  • Felipe Ribeiro

    André,
    Realmente vai ser triste para o Ramires ver a final das tribunas. Jogou muito bem os dois jogos,apesar de ter “falhado” no gol do Iniesta. Entre aspas, pois ele marcou a jogada como volante/meia, cercando o jogador que carregava a bola e não como lateral (função exercida após a expulsão de Terry). Ele “deveria” ter acompanhadoo Iniesta.

    O que mais me chamou a atenção foi a inteligência do Torres no segundo gol. Confesso que vi o lance diversas vezes para entender de onde ele saiu para receber a bola (afinal, nem a câmera conseguiu acompanhar o lance com uma visão mais ampla). O que observei foi que ele marcava o ataque do Barcelona, por zona. Quando os jogadores “passaram” por ele, o atacante espanhol disparou para o meio – olha a inteligência do cara -, pois deve ter visto que todos os jogadores do time catalão estavam na intermediária ofensiva, com exceção do Valdés, na expectativa de um chutão. E não deu outra. Fechou o caixão e beijou a viúva.

    Parabéns pelas colunas AKfouri!

  • Felipe Ribeiro

    Para Juliano das 22:54:
    Bom comentário. Só uma observação: o Drogba roubou a bola do Cuenca, e não do Sanchez. Depois deu um drible da vaca no Puyol e chutou com perfeição. Se a bola fosse mais alta, ou quicasse antes, poderia ter entrado (acredito eu). Jogou muito o Drogba! Além de Ramires e Cech, que foram outros destaques.

  • Felipe Ribeiro

    Para Bruno das 23:03:
    Na sua visão, então o Pedro é melhor que o Messi, afinal, marcou em todas as seis finais de 2010/11 disputadas e vencidas pelo Barcelona. Menos, né! E se (sempre o se) o pênalti fosse convertido, o Casagrande iria dizer que o Messi tirou muito bem do Cech, colocando a bola no alto.

  • Felipe Ribeiro

    ERRATA: Foi em 2009 que o Pedro marcou em todas as competições, e não em todas as finais.

  • Matheus Brito

    Se tivesse que escolher uma frase para esse feito do Chelsea seria sem dúvida Jean Cocteau : “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez”. Abraços Ak.

  • Leandro Azevedo

    Esse Barcelona sente falta do Eto’o… esse time precisa de um jogador como ele no elenco, ou como alguem disse brincando no twitter ontem, um Finazzi da vida na area pra empurrar a bola pra dentro sem muita frescura.

  • André, tive a sorte de ler alguns comentários e não topar em nenhum do tipo “esse Barcelona nem é tudo isso” ou “Messi amarelou”. O nível aqui no blog é realmente outro. Pessoas que gostam e sabem assistir futebol!

    Belo texto! Parabéns!

    AK: Obrigado. Mas acho que você não leu com atenção (não é uma crítica). Tem cada aberração aí embaixo… Um abraço.

  • Joao Bayeux de Araujo

    Andre,

    O Barca continua o melhor do mundo ?? Na opiniao da maioria (minha inclusive) sim. Mas nessa temporada nao sera campeao de nada… Inclusive no campeonato de pontos corridos que premia o melhor time, diferente do mata mata.

    Sendo assim volto a pergunta: E’ o melhor do mundo ???? De fato e’ o futebol mais bonito do mundo, mas nessa temporada infelizmente nao foi o melhor. E ai aparecem muitos Parreiras, Muricys, Mourinhos, Manos, etc.. para estragar o futebol com taticas defensivas, que sao muito mais faceis de aplicar do que o repertorio ofensivo.

    Abraco

  • Paulo Pinheiro

    André,

    Espero que “aberração” não seja qualquer opinião que seja diferente da sua. Afinal, como você falou em outro post, sua intenção é provocar o debate. E um debate apenas pra fazer coro com o blogueiro não é um debate. Ninguém aqui é dono da verdade (sim, isso é clichê) e minhas discordâncias são dentro do reconhecimento desse fato.

    Juliano,
    Está óbvio que o R10 está com outra idade, com outra explosão e etc. Mas o que você acha que ele em forma faria com um brucutu trombando em suas costas a cada vez que a bola está indo na direção dele? Esse é o ponto. Na Europa o zagueiro tenta tomar a bola do adversário, e no Brasil eles tiram o adversário da bola, depois vão buscar ela.
    De qualquer forma, como eu disse anteriormente, a habilidade do argentino é mesmo invejável (se não houvesse esse diferencial todo meia atacante na Europa seria craque). Essa é a questão pra mim: se você pega um jogador que já tem a habilidade que ele tem e ainda por cima marcado inadequadamente, aí é que ele se destaca. Nas partidas mais recentes ele não produziu o que vinha fazendo. Se isso é o fim de uma fase é cedo pra dizer. Mas pode sinalizar que os defensores estão ficando mais malandros na marcação.
    Quando se fala em Neymar e o quanto batem nele eu lembro do Sávio em seus áureos tempos de Flamengo. Apanhava mais que boi na farra e o coro dos comentaristas era sempre o mesmo: “cai-cai”, “é só encostar que ele se joga”, ou, mais tenebroso ainda: “é o recurso que o zagueiro tem quando ele parte em velocidade, tem que derrubar”. Hoje parece que mudaram de idéia. Incrível!

    AK: Aberração é o que eu considero absurdo, mas está publicado. Portanto, o debate está aí. Um abraço.

  • Elias

    Sei que o post já está um pouco “velho”, mas espero qua ainda sim você possa ler. Você acompanha o blog do Carsughi? Creio que ele foi o único que apontou que o Messi jogou as últimas partidas com uma lesão nos músculos adutores. Essa informaçao está no blog dele, e gostaria de saber se isso procede mesmo. Obrigado.

    AK: Não li. Mas é o que se fala. Um abraço.

  • Rafael Wuthrich

    Luis Jorge, sou mais um que concorda com suas críticas. André, gosto muito do que você escreve, você é um dos que sou leitor assíduo e fã (inclusive no “The Book Is on the Table”), mas sou de outro opinião.

    Discordo completamente.

    Em primeiro lugar, cai a soberba. Não do Barcelona, mas da imprensa esportiva em geral. Ontem li e ouvi vários jornalistas sérios apostando em vitórias do Barcelona por dois, três e até quatro gols de diferença, como se o Chelsea fosse um Zaragoza qualquer (com todo o respeito ao time espanhol). Além disso, já contavam os dias para uma eventual final com o Real e mais um título europeu na estante. Durante o jogo, a incredulidade diante da ineficiência de um time tido como imbatível e da jornada mal sucedida de seu astro maior. Pior: lendo as diversas resenhas de hoje, vejo que deram notas 7,0 para Messi, que perdeu um penalti decisivo, jogou mornamente e de bom mesmo, apenas um passe para gol e uma bola na trave, mais nada. Se fosse em qualquer clube brasileiro em uma semi de Libertadores, levava no máximo um 4,5 – ah, mas é o Messi…Nada contra o argentino, um verdadeiro craque, mas esteve em jornada infeliz mais uma vez.

    Não obstante o anterior, há a completa desconsideração do que jogou o Chelsea ontem. Ora, vejamos: o time sai perdendo por 2×0, fica com 10 jogadores no primeiro tempo faltando 7 minutos para acabar a etapa. E o que faz o time: reage, consegue um gol e passa a jogar com o coração. Se há uma verdade no futebol que diz que “nem sempre o melhor futebol vence”, o que todos os comentaristas, na TV, nos jornais e quetais ficaram alardeando, repetindo e de certo modo choramingando a derrota do Barcelona, há uma outra máxima ainda maior: “no futebol, quando a técnica é semelhante, a raça e o coração desequilibram”. E o Chelsea fez isso ontem.

    Porém, parece que os cronistas insistem em não lembrar disso: o Barcelona jogou quase 55 minutos com um jogador a mais, com 75% da posse de bola, e só teve 3 chances de gol a mais que os ingleses durante o jogo: o pênalti, os dois gols, uma bola na trave de Messi e uma boa defesa de Cech em chute de Sanchez. De resto, mais nada. Ora, isso é futebol arte? Futebol perfeito? Um massacre (como escutei e li em vários veículos esportivos)? Claro que não – pelo menos no meu entender.

    Na verdade, insistem na tese do imbatível, como se fosse algo que tivéssemos que aceitar independentemente da opinião. E vejam: se discordamos, somos taxados de pachecos, nacionalistas e cegos sobre o futebol. Bobagem. Se pegarmos as crônicas dos jogos do Brasil em 93 pelas Eliminatórias da Copa, o time de Parreira empatou com o Equador e perdeu da Bolívia nessas mesmas condições – posse de bola imensa, sem efetividade e tomando gols bobos em contra-ataques, ou simplesmente deixando de fazê-los quando as oportunidades apareciam. A diferença? O Brasil não jogava na Europa e não tinha a mídia esportiva inteira a seu favor.

    Na minha opinião, mais uma vez somos vítimas do famigerado “complexo de vira-latas”, onde tudo que vem da Europa é perfeito e tudo daqui é uma porcaria. Nem uma coisa, nem outra. Há que se valorizar o Barcelona, de fato, mas ele é muito menos do que dizem que ele é. Além disso, poucos ou nenhum veículo parece ter dado o devido valor ao que fez o Chelsea: jogar com 10 jogadores durante 55 minutos saindo de um 2×0 e conseguir um empate contra o dito melhor time do mundo na casa do adversário. A forma foi na defesa, mas e daí? Joga-se como se pode diante das circunstâncias. E a rigor, o Barcelona pouco fez com sua imensa posse de bola – para mim, inútil na tarde de ontem.

    Concluindo, temos que saber reconhecer o mérito alheio, assim como formas diversas de jogar futebol e que, antes de mais nada, o Barcelona é um time comum que conta com um craque que, se está num dia não tão inspirado, a coisa não anda. Elevaram Xavi e Iniesta a um patamar de um Zico, de um Ademir da Guia, de um Didi, quando não passam de um Silas ou de um Felipe (do Vasco), comparando com jogadores brasileiros em termos de técnica e passe. Mas infelizmente, a meu ver repito, os jornalistas esportivos brasileiros, em sua maioria, parecem não enxergar o óbvio. Paciência.

    AK: Jesus…. Bem… Penso que você está totalmente, absolutamente equivocado. Com relação ao “complexo”, ainda mais. O Barcelona é um time elogiado pelo mundo, não só em alguns lugares, como aqui. Leia o que a imprensa inglesa escreveu sobre a classificação do Chelsea. Eles também são complexados? Leia o que os jogadores do Chelsea disseram sobre o jogo. Complexo também? Tente saber o que Zico pensa sobre Xavi e Iniesta. Talvez você chegue à conclusão de que ele, também, sofre do mesmo complexo. O grande problema é não compreender o que o Barcelona tenta fazer. E desculpe, a prova de que você não compreende é a comparação com o Brasil de Parreira. Enorme equívoco. Amanhã teremos aqui uma coluna sobre isso. Obrigado pelas palavras no início do comentário. Um abraço.

  • Rafael Wuthrich

    André, tudo bem. Discordar faz parte. Mas você é um dos poucos comentaristas que nos responde nos blogs. Independentemente de opinião (e sei que sou minoria, até “desqualificada”, embora tenha a minha idéia própria sobre este tema), deixo o meu muito obrigado. Nem todos tem a paciência para ler nossas opiniões, ainda que discordantes, mas você sempre o faz. E isso faz diferença. Abraço!

    AK: Não concordo com o “desqualificada”. É apenas um jeito distinto de olhar, que leva a conclusões diferentes. E quem agradece, aqui, sou eu. Um abraço.

MaisRecentes

Presente



Continue Lendo

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo