A(s) RODADA(s)



São Paulo (4 x 1 no Bragantino) e Santos (2 x 0 no Mogi-Mirim) se encontrarão, pelo terceiro ano seguido, nas semifinais do Campeonato Paulista.

O favoritismo teórico do Santos, que já seria um fato independente de qualquer circunstância, ficou mais evidente no momento em que Luis Fabiano se retirou do jogo do próximo domingo.

O atacante (e principal jogador) do São Paulo levou o terceiro cartão amarelo no primeiro tempo do jogo contra o Bragantino, ao fazer uma falta desnecessária no campo de defesa.

Apesar das reclamações, o cartão foi justo. Assim como as críticas que o jogador recebeu por desfalcar o São Paulo no clássico.

Luis Fabiano só não merece ser criticado por não ter zerado seus cartões amarelos antes das oitavas de final. Ele não poderia tê-lo feito, uma vez que ficou pendurado no jogo contra o Mogi-Mirim, na penúltima rodada.

Se tivesse forçado o terceiro amarelo na partida seguinte, contra o Linense, obviamente não enfrentaria o Bragantino (que, diga-se, complicou o jogo no começo do segundo tempo, até o próprio LF marcar um raro gol de falta).

Então não havia nada a fazer? Sim, aparentemente havia. Mas seria uma operação arriscada.

O regulamento geral do Campeonato Paulista informa o seguinte, em seu artigo 50, inciso primeiro, letra c:

Quando um atleta recebe 1 (um) cartão amarelo e, posteriormente, recebe 1 (um) segundo cartão amarelo, com a exibição conseqüente do cartão vermelho, tais cartões amarelos não serão considerados para o cômputo da série de três cartões amarelos que geram o impedimento automático.

Vejamos: Luis Fabiano começou o jogo contra o Mogi com um cartão amarelo. Levou o segundo, que o deixou pendurado. De acordo com o que está escrito acima, se tivesse forçado o segundo amarelo no jogo, receberia um vermelho e seria expulso. Cumpriria suspensão contra o Linense e voltaria para enfrentar o Bragantino com apenas um cartão amarelo.

O risco, lógico, seria levar o vermelho direito, o que o manteria pendurado.

______

No ano do centenário do dérbi de Campinas, a cidade comemora o encontro de Ponte Preta (3 x 2 no Corinthians) e Guarani (3 x 2 no Palmeiras) nas semifinais do campeonato estadual.

Será um  jogo histórico, digno da lista feita por Gustavo Hoffman, com os maiores dérbis de todos os tempos.

Tomara que seja um dia de futebol, rivalidade esportiva e boas memórias.

Sem violência.

______

O campeonato acabou para o Palmeiras e Corinthians, tema do post de Gian Oddi em seu blog.

Minha opinião: a eliminação é mais grave no caso palmeirense, pela falta de conquistas recentes e a perspectiva duvidosa do atual time.

O ambiente interno do clube ficará conturbado, enquanto o Palmeiras disputa a Copa do Brasil.

No caso corintiano, campeão brasileiro e jogando a Libertadores, o preocupante não é a queda em si, mas como ela aconteceu.

As duas falhas de Julio César geram, novamente, questionamentos a respeito da confiabilidade do goleiro.

O clube não tem opções.

Até o jogo contra o Emelec, em dez dias, o principal trabalho de Tite será recuperar seu camisa 1.

______

O clássico no Engenhão (Vasco 3 x 2 Flamengo) teve implicações trabalhistas.

Enquanto o Vasco segue à final da Taça Rio, com chances de disputar o terceiro título seguido, o Flamengo entra em férias coletivas – e forçadas – até o início do Campeonato Brasileiro.

A eliminação na Libertadores tinha transformado o Estadual em algo mais importante para o Flamengo.

Em tese, o Vasco é quem menos precisa do título. Mas a saudade da última conquista estadual (2003, lembra do cruzamento de letra do Léo Lima?) bate forte.

O Botafogo  (4 x 2 no Bangu) é o time para o qual esse campeonato vale mais.

______

No sábado, o Real Madrid praticamente encerrou a Liga Espanhola ao derrotar (2 x 1) o Barcelona no Camp Nou.

Foi a primeira vitória da carreira do técnico José Mourinho no estádio catalão.

Uma vitória conquistada com a execução total do plano que o Madrid não tinha conseguido aplicar nos últimos clássicos: marcação incansável no meio de campo, contenção dos laterais e saída eficiente para o contra-ataque.

Uma proposta de jogo correta para um time que sabia que o empate era um ótimo resultado.

Este Madrid, por opção, não vence “jogando”. Vence atropelando seus adversários com velocidade e força.

Estratégia que não funciona contra o Barcelona, o que levou o o time merengue a demorar algum tempo para decifrar o próprio comportamento.

Em clássicos recentes, pareceu perdido e pouco confiante. No sábado, foi o oposto.

A atuação de Ozil chamou a atenção. O alemão, pela primeira vez, conseguiu fazer o papel defensivo que Mourinho já lhe tinha pedido outras vezes.

E ainda deu o passe para o implacável Cristiano Ronaldo marcar o segundo gol.

O Barcelona esteve abaixo de seu nível normal. Messi foi controlado por seus (vários) marcadores, assim como aconteceu na derrota para o Chelsea.

E o time perdeu algumas chances que poderiam alterar os caminhos do jogo.

Não dá para concordar com as críticas a Guardiola, seja pela escalação ou substituições. Ele não podia deixar de pensar na Liga dos Campeões e não tem um elenco tão numeroso.

E até a semana passada, só recebia elogios.

Interessante o papel que o último clássico terá caso os rivais espanhóis se encontrem na final da UCL.



  • Willian Ifanger

    Pois é…….foi um final de semana estranho, mas bem divertido.

    Acho Santos e Guarani são favoritos nos confrontos. Mas podemos ter sim uma overdose de São Paulo e Ponte Preta.

    E essa semana de UCL será muito interessante. Depois desses últimos dias, o que acontecerá se a final for Barcelona x Bayern? O que será do Real?

  • Paula

    Torço para o São Paulo e será melhor ficar do jeito que está masssss com a eliminação do corinthians, não seria melhor trocar o jogo da libertadores com o santos? Ainda daria tempo?

  • Marcelo Morais

    Muito agradavel de ler esse post 5 em 1. Eh um convite a comentarios:

    1. Acho que a unica maneira de o SPFC enfrentar o SFC com alguma chance eh jogar (muito) ciente de suas limitacoes e inferioridade. Contra o Bragantino, o SPFC apresentou clarissimas falhas de marcacao que, por sorte ou deficiencia do adversario, nao foram aproveitadas. E o lado direito da defesa continua extremamente vulneravel – parece nao haver solucao para esse antigo problema. Dificil apostar numa vitoria do SPFC, ainda que seja um unico unico (fossem dois, diria que o SFC seria finalista).

    2. “Tomara que seja um dia de futebol, rivalidade esportiva e boas memórias. Sem violência.”
    Tomara. Mas acho tao dificil quanto imaginar o SPFC favorito contra o SFC.

    3. O FCB nao sabia o que era perder dois jogos seguidos ha 3 anos, correto? E perdeu para adversarios que mostraram propostas semelhantes de jogo. Amanha o FCB terah de provar que consegue superar um time coeso e rapido nos contra-ataques.

  • Marcos Vinícius

    Na verdade o Vasco deu um banho de bola no Flamengo. No primeiro tempo 2×1 ficou muito barato. A partir dos 25 de segundo o Flamengo equilibrou o jogo,mas faltou,principalmente,tranquilidade ao time,e o Joel,de quem sou admirador,errou muito feio quando tirou Kléberson,o melhor em campo do lado rubro negro. Acabou e semestre de forma quase ridícula para o Flamengo: Foi eliminado da Libertadores em um grupo fraco,no qual era favoritíssimo,e perdeu duas semifinais seguidas para seu maior rival.

    Vi a entrevista que Adriano deu ao Fantástico,e dela tirei a seguinte conclusão: Adriano deve ser,segundo suas próprias conclusões,muito burro. Ele diz que aprendeu quando jogou na Internazionale,que aprendeu quando jogou no Flamengo,que aprendeu quando jogou no Roma e que aprendeu quando jogou no Corinthians. Muito bem. Então se ele aprendeu tanto como consegue repetir os mesmos erros tantas vezes. “Todo jogador de futebol bebe,todo”,disse Adriano. Mentira,os evangélicos e aqueles que se preservam não bebem.Romário,por exemplo,não bebia. Mesmo que isso fosse verdade não o dá o direito de o comparar com os outros. Faltou aos treinos,e admitiu isso,mas disse que informou à comissão técnica.

    O fato é: Adriano tem todo o direito de fazer o que bem entender da sua vida. Mas não tem o direito de se fazer de santo após mais uma oportunidade recebida,a qual ele cuidou com muito esmero para que fosse desperdiçada.

    Até quando,Adriano,até quando?

  • Anna

    Muito esquisito o domingo com tantos placares de 3 a 2 e a não classificação de Corinthians e Palmeiras. O clássico carioca foi um jogaço. Não sei se Felipão e Joel Santana irão resistir por muito tempo. A conferir.

  • RENATO

    Embora o Tite me pareça daqueles treinadores que “fecha com o grupo”, que tem mais compromisso com o elenco do que com as vitorias…acho que JC não joga contra o Emelec.
    Uma fogueira pra quem entrar, mas vida de goleiro é assim mesmo…não é à toa que dizem que pra ser goleiro, ou o cara é louco ou é…

    Várias semelhanças entre os jogos do SCCP e SEP….placar…falhas…

    Mais uma vez o SCCP é eliminado e os seguidores das teorias conspiratórias, basta o Corinthians chegar e elas surgem como que por geração espontânea, desaparecem.
    Ou será que tem coisa aí?…Palocci é de Campinas…é ano de eleições municipais….aí tem!

    Abraço.

  • Pingback: As rodadas / Blog Loja Fanático()

  • Sobre Messi e seus vários marcadores: inconcebível os outros jogadores do Barcelona não aproveitarem os buracos produzidos pelo Pulga na defesa adversária, puxando essa marcação.

    Ainda não consigo entender como Cuenca e Tello jogam nesse Barcelona… jogadores comuns, manjados, fazem sempre a mesma coisa! Cuenca só dribla para o fundo e tenta cruzar! Tello finaliza pela esquerda umas 11 vezes, de chapa, para acertar DUAS!

    Junte isso ao fato do Sanchez não ser nem sombra do que foi na Udinese e minha saudade por Villa chega a ser desesperadora!

  • Massara

    André, você tocou em um ponto pouco comentado (pelo menos nos lugares por onde eu navego): o Guardiola trabalha com um elenco de alta qualidade, mas baixa quantidade. Mesmo assim, consegue levar o Barça à decisão de quase todos os torneios que disputa. Por um lado, sugere que o trabalho feito pelos preparadores físicos e afins é muito bem planejado. Por outro, revela uma sorte grande de contar com poucas contusões. Nessa temporada, porém, penso que talvez o time esteja sofrendo com a fadiga. E vale lembrar que Chelsea e Real contam com times muito fortes fisicamente.

    A propósito, obrigado pela dica na leitura sobre “El Juego de Posición”. Bacana demais. Acho que qualquer pessoa que queira criticar o estilo de jogo do Barça tem que acessar esse tipo de conteúdo antes, porque a compreensão do que se pretende fazer em campo vai bem além do trivial.

    Abs.

    AK: Legal que você gostou. Sobre o problema atual do Barcelona, é mais fadiga mental do que qualquer outra coisa. Um abraço.

  • Matheus Brito

    Olá André,

    Alguns pontos: É possível ver crise, num time considerado como quase “imbatível”, por perder duas seguidas? Não acho, uma vez que o barcelona em certo momento parecia ter deixado de lado o Liga por achar que não dava mais, voltou a carga depois de alguns tropeços do Real. Por outro lado, e se essas duas míseras partidas lhe tirarem os principais títulos da temporada?
    Outra pergunta: Sou muito fã de Guardiola, acho o técnico que mais busca uma “revolução” tática e uma “anti-mesmice” no futebol mundial. Mas não foi um pouco de arrogância ter começado com o Tello, deixando Pedro, Fábregas e Sanchez no banco. Mais, não foi mais arrogante ainda tê-lo mantido perdendo gols durante 80 minutos? até no lance do gol ele perdeu o gol.
    OBS:acho o Tello um jogador de futuro, contudo esse jogo ainda não era pra ele.

    Vasco e Flamengo fizeram um jogo como há muitos anos não se tinha no campeonato carioca. Nem consigo contar quantos gols perdidos, mas quem disser que o vasco não mereceu vencer, de duas uma: Ou não viu o jogo ou não sabe nada de futebol.

  • Juliano

    O Real me surpreendeu justamente pelo fator confiança. Uma hora o Barça iria perder, e o mais provável é que isso pudesse ocorrer contra um time lotado de ótimos jogadores como o Real do que contra o Íbis. Mou deve ter aprendido alguma coisa nas derrotas anteriores. Que podem voltar a ocorrer. Até o próximo jogo da UCL, não se acabou nenhum ciclo, não é o fim de nada. Porém, se perderem sim, a temporada vai pelo ralo… e os feitos desse time do Barça serão sempre lembrados, principalmente sua filosofia de jogo, como é lembrada a Holanda 74 e o Brasil 82.

    Continuo achando Pep ótimo, pelo de sempre. Aos que aparecem para criticar o clube e o treinador, são oportunistas parafraseando o ‘gênio’ da bola Andres Sanchez, ou seja, não merecem crédito.

    Marcelo não atuou, estava suspenso ou contundido? Coentrão de novo?
    Kaká amargou mais um jogo importante no banco. Se não sair dele no meio de semana, deveria pedir pra sair. É difícil saber se a ‘fase’ dele é boa ou ruim. Não tem continuidade. Oscilar é muito natural. E arrebentar contra times fracos tem menos importância do que uma boa atuação em um jogo de grande importância.

    Desculpe AK, mas a que se deve a ‘fadiga mental’ do Barça? À derrota na UCL, aos 4 pontos que estava atrás no Espanhol, à expectativa/obrigação de se manter no topo?

    Abraço!

    AK: Tudo isso junto, e mais o esforço de 11 vitórias seguidas para perseguir o Madrid. Um abraço.

  • ERIK

    Depois do jogo de sábado, passei a torcer ainda mais por uma final espanhola na UCL.

  • Bruno

    “Não dá para concordar com as críticas a Guardiola, seja pela escalação ou substituições. Ele não podia deixar de pensar na Liga dos Campeões e não tem um elenco tão numeroso.”
    Mais e a fantastica fabrica de CRAQUES do Barça cade?

    AK: Pergunta oportunista, retórica vazia, de quem faz questão de não entender o que é simples. O assunto já foi exaustivamente discutido aqui, mas parece física nuclear para alguns. Paciência. Um abraço.

  • Bruno

    André, sera que é tão dificil reconhecer algo tão simples, o Barcelona está em franca decadência, sua categoria de base não é melhor do que as categorias de base dos grandes clubes brasileiros e mais Guardiola só ganhou tantos titulos pq pegou um clube que tem uma filosofia de trabalho diferenciada o que foi reconhecido por Cruyf.
    Nós Brasileiros temos que acabar com essa mania de acharmos que tudo o que é de fora é melhor, com esse complexo de inferioridade, o Barcelona é o que é porque precisou de: Evaristo de Macedo, Romario, Ronaldo,Rivaldo,R10 e tantos outros Sul-Americanos, se tivesse uma base tão boa não precisaria contratar tanto..
    A categoria de base não Brasil sim é magica, pois com muito menos recursos, revela muito mais do que eles e o mais importante num periodo de tempo MUITO menos.
    Abraço.

    AK: A quantidade de equívocos em seu comentário é incalculável. Um abraço.

  • Leandro Azevedo

    Acho que o Andres Sanchez usa o nome Bruno nesse forum…

  • Matheus Brito

    Bruno, Franca decadência? nas semi-finais da UCL?
    “Guardiola só ganhou tantos titulos pq pegou um clube que tem uma filosofia de trabalho diferenciada o que foi reconhecido por Cruyf.” Ou você não explicou direito ou eu não entendi, ou as duas coisas.

    “o Barcelona é o que é porque precisou de: Evaristo de Macedo, Romario, Ronaldo,Rivaldo,R10 e tantos outros Sul-Americanos, se tivesse uma base tão boa não precisaria contratar tanto..” Tá de brincadeira né? Nunca se discutiu que o Barcelona não contrata ninguém. Toda temporada ele contrata jogadores. Exemplo disso o Sanchez na última janela. Agora, o Barça é quem mais trabalha divisões de base na Europa, e isso é inegável. Como é inegável que o Guardiola é um dos poucos que tentam fazer algo diferente. O Barcelona consegue ter várias formações diferentes com os mesmos jogadores em campo. E dessas duas últimas partidas, jogou mal contra o Real, onde Messi e Xavi não estavam em um bom dia.

  • Matheus Brito

    AK, Quando vai ficar disponível a opção de responder diretamente aos comentários?

  • Marcelo Morais

    E o FCB acaba de ser eliminado da UCL. Os dois jogos contra o CFC entrarao para minha memoria futebolistica. E o FCB da temporada 11/12 ficarah para mim como um dos grandes esquadroes que nao levaram o titulo mais importante da temporada (atencao: esta afirmacao contem avaliacao pessoal sobre o titulo mais importante da temporada).

    Acho muito digno um time tentar o gol ateh os 90+3 minutos de jogo. Memoravel. E afirmo tambem que o merito eh todo do CFC, que manteve sua postura intacta com um jogador (principal defensor e capitao) a menos e um placar desfavoravel de 0-2 (que golaco do Ramires…). Nao cabe dizer que o FCB estah em “franca decadencia” porque nao chegou aa final da UCL ou que Messi “nao eh tudo isso” porque foi “apagado” ou “discreto” nos dois jogos contra o FCF. O FCB 11/12 eh historico, mas nao imbativel. Tao historico e tao dificil de ser superado que fez com que os adversarios assumissem postura diferente da habitual para vence-lo.

    Bom eh poder dizer que eu assisti a esse grandes jogos e vi esse time historico.

MaisRecentes

Dilema



Continue Lendo

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo