COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

SEGUE O BARCO

“Eles têm de jogar agora. A bola está no campo deles.”

Por “eles”, entenda “nós”. Ou, mais precisamente, as pessoas encarregadas da organização da Copa do Mundo de 2014. A frase é de Joseph Blatter, presidente da Fifa, em entrevista coletiva após a reunião do comitê executivo da entidade. Dessa vez não houve “chute no traseiro” ou expressões que pudessem causar polêmicas. Talvez porque Blatter não permitiu que Jérôme Valcke respondesse a pergunta de Jamil Chade, colega de O Estado de S. Paulo, sobre como ficaram as relações entre a Fifa e o governo brasileiro depois do defeito na tecla SAP do secretário geral.

Mas teve a tradicional cutucada no baço, em tom professoral e com alguma dose de irritação. “Estamos esperando agora por algumas ações, não apenas conversa”, disse Blatter, finalizando sua resposta. A parte mais difícil é concluir que, no lugar dele, qualquer pessoa diria exatamente a mesma coisa.

A conferência de imprensa de Blatter e Valcke está disponível, na íntegra, no site da Fifa. No total, são 46 minutos de material. Mas o presidente fez uma singela abertura de quase 20 minutos, falando da importância da reforma na governança (não se interesse pelo tema, pois nada mudou) do órgão. A entrevista propriamente dita foi uma clínica na arte de evitar qualquer relação entre perguntas e respostas.

O que não significa que nada de útil tenha emergido da sede da Fifa, em Zurique, na manhã de ontem. Em resposta a Rodrigo Mattos, da Folha de S. Paulo, Jérôme Valcke pintou o quadro surrealista que é a organização da Copa de 2014, neste momento. O jornalista brasileiro quis ouvi-lo sobre os atrasos relativos aos estádios, aeroportos e hotéis. “Se não houver quartos suficientes em uma cidade, teremos de garantir que a mídia e os torcedores poderão voar para um jogo e depois voar de volta para o lugar onde estavam”, disse Valcke. “Temos de encontrar uma solução, pois sabemos que será difícil construir ou mudar as coisas até a Copa das Confederações e, depois, até a Copa do Mundo”, completou.

A Fifa quer trabalhar com cada cidade sede, e já percebeu que o cenário é dramático. Não há apenas atrasos nos cronogramas. Há dúvidas quanto à conclusão de determinados projetos, o que pode afetar o calendário de jogos do Mundial, divulgado em outubro do ano passado. Ou então começaremos a organizar acampamentos perto dos estádios. O “façam-mais-e-falem-menos” foi a óbvia reação de Blatter, que recebeu as más notícias durante o encontro do comitê executivo.

Francamente, nada disso é novidade. Também é difícil acreditar que a Fifa esteja surpresa. No processo de adaptação da Copa ao Terceiro Mundo, Blatter e Valcke fizeram uma etapa de aclimatação na África do Sul, em 2010, onde fenômenos semelhantes aconteceram na organização e na realização do Mundial. Da Alemanha direto para o Brasil, o susto seria muito grande.

Na semana da votação da Lei Geral e de mais um pito, o autor da melhor frase foi o megacartola argentino, Don Julio Grondona: “A Copa é da Fifa. Ela apenas ocorre no Brasil”.



  • Marcos Vinícius

    Os cartolas resolveram se unir e fazer um campeonato independente da CBF,onde os clubes têm total autonomia,ditam as regras e conseguiram cotas de TV com reajuste de mais de 100% em relação a última negociação. Criaram,também,uma comissão especial de arbitragem,comandada por Arnaldo César Coelho e José Roberto Wright,onde predominará a transparência e a lisura de todos os envolvidos nesta comissão. Os jogadores.em contrapartida,decidiram eles mesmos comandar suas carreiras e os empresários de jogadores,a partir desta data,estão banidos do futebol. Os juniores e juvenis não poderão ser negociados com qualquer clube antes de completarem 21 anos,e quando atingirem essa idade a prioridade em qualquer negociação será dos clubes brasileiros,que,em sua maioria absoluta,atingiram autosuficiência financeira e podem competir de igual para igual,em se falando de valores,com os clubes europeus.

    Qualquer dirigente que seja suspeito de estar envolvido em transação ilícita ou não transparente será proibido de exercer sua função se ela estiver ligada a qualquer clube,em qualquer divisão,do nosso futebol. As contas de todos os clubes estão abertas para a Receita Federal,o Ministério do Trabalho e o INSS.

    Dos últimos cinco Mundiais de Clubes disputados todos foram vencidos por clubes brasileiros.

    Primeiro de abril. Mas já pensou se fosse verdade?

  • Marcos Vinícius

    André,uma brincadeira numa data sugestiva.

    Qual a maior mentira do atual futebol brasileiro?

    1) Adriano é um atleta.

    2) Ronaldinho é o mesmo jogador dos tempos de Barcelona.

    3) A CBF é uma instituição séria.

    4) O Corinthians será campeão da Libertadores.

    ?…?

  • Complementando a frase de Grandona, a Copa e O LUCRO são da Fifa, ela só ocorre no Brasil,QUE TAMBÉM PAGA A CONTA!

    Abraço e parabéns pela coluna!

  • Rodrigo

    Andre.. q diferença um blog de alguém que entende de língua portuguesa, alguém com formação para estar aqui escrevendo, ao contrário de outros blogs com vícios de linguagem, português sofrido e que, infelizmente, tem grande audiência. Realmente, o brasileiro gosta de ser tratado como inferior.. esse é o povo que vai receber a Copa 2014.. com corrupção, falta de $, educação, saneamento, e muita ignorância.

  • Matheus Brito

    Depois do Pedro Valadares, nada mais a dizer.

  • Alexandre

    Estive na África do Sul depois da Copa. Achei que encontraria um país parecido ao Brasil: desordem urbano, caos viário, aeroportos mais ou menos… Nada a ver! Estradas excelentes, aeroporto espetacular, limpeza, etc. Tudo muito mais próximo ao primeiro mundo do que o que vemos por aqui. A nossa infraestrutura em geral é precária e insuficiente, a gestão pública é muito incompetente, a nossa burocracia é tremenda. Ou seja, por aqui as coisas serão muito piores que na Copa da África. E o pior de tudo, é que o legado para as nossas cidades não será nem a sombra do que poderia ser se tivéssemos feitos as coisas bem.

  • Joao CWB

    Bem observado, a Copa anterior ocorreu na África do Sul para que o choque não fosse tão grande quando o mundial fosse disputado no Brasil.

    Após o trauma de jornalistas e turistas que da Alemanha foram para o país de Mandela, pode ficar a impressão que as coisas melhoraram no Terceiro Mundo de 4 anos pra cá. Golpe de mestre das velhas raposas.

    Abraço

  • Alexandre

    Foram irresponsáveis, pois na definição dos grupos da Copa feita em 2011, optaram por um modelo descentralizado, sem sedes fixas, mesmo sabendo que os aeroportos e o setor de hotelaria são precários no Brasil, e que 3 anos seria pouco tempo para resolver este problema.
    Agora não adianta espernear.

  • Rodrigo

    Perfeito o texto, Perfeito o complemento do Pedro Valadares. Não precisa acrescentar mais nada…

    Obs.: post sobre Copa do Mundo, e vem gente falar do Corinthians… depois reclama que só passa jogo do Timão na Globo. Olha o Ibope que dão pro time…

    []s

MaisRecentes

Abraçados



Continue Lendo

A diferença aumentou



Continue Lendo

Sabotagem



Continue Lendo