CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

UMA COPA DE VERDADE

Parte da eterna discussão sobre fórmulas de disputa do Campeonato Brasileiro deve-se à desvalorização da Copa do Brasil. O “torneio mais democrático” do país ou o “caminho mais curto” para a Libertadores, foi rebaixado a uma competição de segunda linha, que não contempla o torcedor que prefere o mata-mata. Passou a ser um consolo para times que falharam na temporada anterior. E uma Copa que não se joga pela taça, pela alegria de vencê-la, mas sim pelo que o título representa no ano seguinte.

O agente dessa depreciação foi o fechamento da Copa do Brasil aos times que se classificaram para a Libertadores. O torneio não apenas perdeu importância e qualidade, perdeu também boa dose de respeito. O torcedor que está envolvido o vê como um passaporte para coisas maiores, e não quer disputá-lo por anos seguidos. O que não está o desdenha, tem objetivos mais valiosos. A gozação já começa nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, quando fica claro quais serão os representantes brasileiros na conquista da América. A Copa do Brasil é quase uma condenação.

Mas como não há mal que não acabe, mudanças virão em 2013. A Copa do Brasil será reaberta aos participantes do torneio continental, que formarão a fase de oitavas de final. Outra alteração será seu período na temporada: de março a novembro. É provável que os melhores times do futebol brasileiro cheguem ao final do ano envolvidos em corridas pelos dois títulos do calendário nacional. E é possível que o mesmo time tenha a chance de ganhar ambos, um em cada sistema, num intervalo de semanas. Teremos futebol para todos os gostos, imagine. Os pontos corridos, já estabelecidos, e um mata-mata valorizado.

Nos últimos anos, o debate sobre os formatos ficou restrito ao Campeonato Brasileiro. Houve quem defendesse até a volta daquele sistema híbrido – e contraditório em todos os aspectos – em que as duas fórmulas convivem. Era como se não existisse outra competição de futebol no país. Citar a Copa do Brasil não satisfazia os partidários do mata-mata. Ainda será assim em 2012.

Tomara que a conversa mude no ano que vem.

CELESTIAL

Vinte e quatro anos. Primeiro jogador a marcar cinco gols na principal competição de clubes do mundo, na qual é já é o quarto maior artilheiro. A oito gols de se tornar o maior goleador na história de seu clube, um dos grandes do futebol mundial. Se você não consegue admirar Lionel Messi, e de certa maneira se sentir privilegiado por ser contemporâneo dele, alguma coisa está seriamente errada em sua relação com o futebol.

RASTEIRO

É preocupante que, apesar dos atrasos e da lentidão de tudo que é relativo à Copa do Mundo no Brasil, não se consiga perceber que ninguém pode se dirigir a outro país da forma como Jérôme Valcke fez. Dar uma de “Jérôme sem braço” e culpar as diferentes conotações de uma expressão em francês e português, então, é ridículo. Mas chamar o arrogante secretário-geral de “vagabundo” leva a conversa para uma profundidade lamentável.



  • André, com a Copa do Brasil sendo jogada entre março e novembro, onde ficará a sul-americana? Será disputada no primeiro semestre concomitante à libertadores?

    AK: Não. O Brasil terá 4 representantes na CSA. Serão os clubes mais bem colocados no BR-12 que forem eliminados da CB-13 antes da CSA-13 começar. Um abraço.

  • Marcel de Souza

    Finalmente vão fazer a coisa certa e dar a importância devida à Copa do Brasil!

    André, porém se não me engano essa duração da Copa do Brasil vai impactar a participação brasileira da Copa Sulamericana, certo? Você sabe como serão definidos os times brasileiros que a jogarão? E não existe possibilidade da CSA ser disputada em paralelo com a Libertadores?

    1 abraço e bom final de semana!

  • Estéfano Souza

    Sobre a Copa do Brasil: já havia passado da hora de valorizar o torneio, colocando-o durante o ano todo e ao colocar os times que disputam a Libertadores nas oitavas-de-final. Ainda tenho esperanças de que a Libertadores seja, pelo menos, simultânea à Copa Sul-Americana, o que daria um salto de qualidade para ambos os torneios.

    Sobre Lionel Messi: apesar de eu achar que a liga espanhola foi esvaziada (por culpa dos próprios times, diga-se de passagem) e isso poderia “superestimar” a qualidade do argentino, é inegável que, se ele faz o que faz num torneio de alto nível, podendo bater seu próprio recorde de gols numa edição da UCL, é porque o cara é sensacional.

    Sobre Valcke, Rebelo, traseiros e afins: tão lamentável quanto a declaração do francês, foi a reação cheia de ofensas do Ministro do Esporte (no singular mesmo, representando a monocultura esportiva, que chega até ao superfaturamento de obras) e ao lamentável retrocesso do Governo Federal ao aceitar as “desculpas” da FIFA às vésperas da visita do Blatter ao País. Não, este não é um País sério.

  • Eduardo Mion

    Putz, essa regra da participação na Sulamericana é complicada, continua dando uma chance de Libertadores a mais pra times que foram eliminados na bola da Copa do Brasil. Enfim, já melhorou bastante.

    André, essas mudanças são no âmbito nacional. Sabe se há alguma conversa sobre o período da Sulamericana e seu paralelismo com a Libertadores na CONMEBOL?

  • Messi é fantástico. Só não vê quem assiste futebol com rancor.

    Quanto à nova regra, eu discordo um pouco. Acho que já que a CSA não será disputada concomitantemente com a Libertadores, então a melhor solução seria transformar os estaduais em torneios mais curtos e também em mata-mata desde o início. Assim, em março já teríamos a maioria dos campeões estaduais. Daí, a Copa do Brasil poderia ser disputada no primeiro semestre, sem dividir atenções com o Brasileirão.

    Abraço!

  • Matheus Brito

    AK, você explicou ali em cima quem disputaria a CSA e deixa eu ver se entendi:
    Digamos que o Time A ficou em sétimo no BR-12 e o Time B ficou em oitavo. Ambos disputarão a CB-13. O Time B foi eliminado antes da CSA começar e o Time A foi eliminado uma rodada depois, mas a CSA já começou. Então o time B que ficou atrás do Time A no BR-12 irá ganhar de bônus pela eliminação da CB-13 o direito de disputar a CSA-13? escolha uma alternativa abaixo:

    1 – Não devo ter entendido
    2 – Você não explicou direito
    3 – Nem eu entendi e nem você soube explicar
    4 – Tudo é uma loucura
    5 – O problema dos negros nos EUA não tem solução.
    6 – O Messi não é desse planeta

  • Juliano

    “Passou a ser um consolo para times que falharam na temporada anterior”. Preciso! Todo o texto, e as duas notas.

    Faltarão dias para tantas competições. Precisaremos de um ano com 500 dias. Lembremos que, ainda temos os estaduais e as competições (ou amistosos) das seleções nacionais. Teremos ainda menos datas. No Brasil, os times carecem de elenco, baixa-se o nível e escala-se jogadores de qualidade menor. Corrige-se uma coisa, reaparecem velhos problemas.

    O que sugere, André? O fim dos estaduais? Para os defensores da tradição dos estaduais, disputa meramente como campeonato literalmente de pré-temporada com duração máxima de 1 mês?

    Os estaduais, com os pequenos cada vez menores, servem cada vez mais pra nada! Nos pequenos, é a chance de um ou outro jogador despontar e integrar o elenco de um grande para o resto da temporada. E pra que mais serve?

    PS: para os que ainda não se renderam ao Messi: depois de Pelé, que jogadores já foram comparados a ele? Nem o “Fenômeno”. Sim, Messi já está na história, e é especial. Mas não só os brasileiros que são injustos. Na Argentina, Maradona ainda é “Dios”. Para eles, lá, Lionel precisa fazer mais. Uma questão passional de pesos e medidas.

  • Lucas Costa

    Sobre o Messi: o “pior” de tudo é que mesmo esses números exorbitantes não conseguem nem de perto dimensionar o futebol do rapaz!

  • Paulo Pinheiro

    Admiro o Lionel Messi, sim.

    Ainda que pela Seleção Argentina tenha só há pouco feito uma partida convincente. Ainda que o Barcelona seja uma equipe que favorece seu talento. Ainda que na UCL existam MUITOS times fraquíssimos (do Chipre e outros países apenas participantes). Ainda que na Europa os marcadores sejam mais leais do que aqui, onde se admite que na Libertadores “os critérios dos árbitros são diferentes” (absurdo).
    Ainda assim, se fosse “tão fácil” se destacar por lá, todo mundo se destacaria. Mas Messi se sobressai. Porque é um craque acima da média.
    No Barcelona se destacaram jogadores como Evaristo, Romário, Ronaldo, Ronaldinho, Rivaldo. Cada um em seu tempo encantando a feliz torcida catalã. Quase todos jogadores acima da média.

    Mas não chego ao ponto de dizer que sinto-me “privilegiado” por tê-lo em meu tempo.

    Não me interpretem mal: É muito bom vê-lo jogar. Mas com 40 anos de idade já vi jogadores melhores, com certeza!

  • Matheus Brito

    André, se você souber algo a respeito por favor responde. Esse novo diretor do Vasco, Frank Assunção, que diz ter trabalhado em clubes europeus que acabaram negando isso, tem alguma ligação com o Kia Joorabchian, como está sendo noticiado? Me dá até calafrios ouvir esse nome ligado ao Vasco. Sabe algo a respeito?

  • Robert silva

    se copa/olimpiadas fossem bons p/ os paises nao teriamos esta situação: Italia (copa 90): semi quebrada; Espanha (jogos 92): semi quebrada; França (copa 98): a beira da recessão; Japao (copa 2002): a beira da recessão; Grécia (jogos 2004): quebrada; Africa do Sul (copa 2010): pais com graves problemas sociais e imerso em dividas dos elefantes brancos herdados em 2010; Portanto pq as pessoas tem ideia de que sediar copa e jogos é uma coisa boa? fatos provam o contrario!!!!!!!!

  • Rodrigo Sawaya

    Não deixe de ver o que aconteceu no jogo Bolton vs Qpr na liga inglesa. Minuto 19, escanteio, a bola entra no gol mas de meio metro e o goleiro consegue espalmar para fora. Os juízes não marcam gol. Bcos.

    AK: Que absurdo… Um abraço.

  • Cesar

    Há alguns anos, o clubes brasileiros não davam muita bola para a Libertadores e agora acho que a participação no torneio virou uma obsessão. Quando começa o Brasileiro só se fala em G4 ( a imprensa também). Parece que os clubes não jogam para ganhar o campeonato, mas sim para se classificar para a Libertadores. Daqui a pouco, na última rodada, quando um clube levar a taça, as TVs vão estampar o distintivo do clube na tela e escrever embaixo: classificado para a Libertadores, ao invés de campeão brasileiro.

  • Alexandre

    Um dúvida: o Messi é o primeiro a marcar 5 gols em uma partida da era moderna da Champions League. Mas outros já o fizeram antes na Copa dos Campeões, não?

    AK: Sim. Ele foi o primeiro na UCL, ou seja, desde 1992. Um abraço.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo