DANILO, DE NOVO (e links)



(Vamos retomar o ritmo normal, repetindo o que fizemos no ano passado. Ou seja: não haverá Notinhas Pós-Rodada dos Campeonatos Estaduais. Haverá um comentário, talvez mais, sobre algo que tenha chamado a atenção. Na medida em que a temporada esquentar, o mesmo acontecerá aqui. Não, eu não sou um “comentarista”. Não, eu não “tenho” que ver tudo ou escrever sobre tudo. Obrigado pela compreensão.)

Danilo foi um dos melhores em campo em um jogo importante do Corinthians (1 x 0 no São Paulo: gol dele). De novo.

Consulte os arquivos do Campeonato Brasileiro do ano passado e veja como Danilo teve impacto em partidas que, apesar de valerem os mesmos pontos de quaisquer outras, têm mais relevância pelo momento e/ou adversário envolvido.

Dicas: a goleada sobre o São Paulo, no primeiro turno, e o empate com o Vasco, no segundo. São dois exemplos, só.

Mas para um certo tipo de torcedor (era assim no São Paulo e é assim no Corinthians), Danilo é um alvo fácil.

Ele é aquele “meia que quer a bola no pé, que não corre e não tem raça”. Maneira pobre de ver o futebol, que impede que se enxergue Danilo como um jogador técnico, inteligente, que usa os dois pés, que cria e finaliza. Um meia que gosta de aparecer na área e marcar gols de cabeça. Que é importante na bola aérea defensiva.

E que tem o hábito de fazer sua presença ser notada (era assim no São Paulo e é assim no Corinthians) em jogos que “valem” mais.

Qualidades que permitem que ele fique por perto, mesmo com as constantes críticas e contratações de jogadores que, em tese, têm funções parecidas.

É verdade que Danilo deu uma sumida durante o BR-11, coincidentemente no período em que o Corinthians patinou um pouco na tabela.

Coisas normais (tanto em relação a ele quanto ao time) de uma competição longa, em que é impossível manter o mesmo nível de intensidade do começo ao fim. E no caso de Danilo, uma queda compreensível por sua idade e necessidade de estar em forma e saudável.

É difícil encontrar neurônios no futebol. É mais difícil ainda encontrar neurônios e experiência.

Danilo possui ambos. Por isso estamos falando dele, de novo.

______

Links:

* O Vasco venceu (2 x 1: Thiago Neves e Alecsandro-2) o Fluminense e prolongou o jejum em clássicos do rival. Em seu blog, Mauro Cezar Pereira trata da atuação do árbitro do jogo.

* Encontro de patrimônios do futebol brasileiro no clássico baiano (0 x 0), com Toninho Cerezo e Paulo Roberto Falcão à beira do campo. No final da reportagem de Vinícius Nicoletti, uma imagem que vale ver: Falcão e a bola. Ela estava escapando, mas percebeu de quem se tratava e resolveu voltar.

* Se você não viu a final da Copa Africana de Nações, perdeu mais um desses jogos que fazem do futebol um vício. Leonardo Bertozzi escreve sobre o significado do título de Zâmbia.



  • Willian Ifanger

    Ao Danilo, serei sempre grato.

    Ele deve ter feito um dos gols mais importantes da história recente do São paulo (o primeiro gol na vitória de 3×2 sobre o River Plate, em Nuñez, na Libertadores ’05).

    Mas confesso que tive momentos de irritação com ele (coisa de torcedor corneteiro)….mas nada que se compare à “irritação” de ele ter ido jogar no rival (e estar sempre jogando bem, em especial, nos jogos contra o Tricolor).

    Pode (e deve) ser uma arma importante do Corinthians pra Libertadores.

  • Marcelo Morais

    Alguns breves comentarios (prometo que nao me repetirei muito ao longo do ano):

    1. Para o SPFC, 2011 eh o ano que nao terminou. Atuacoes pifias no Morumbi, time sem vontade, postura de derrotado desde o inicio de um jogo importante.

    2. E continua a contagem. Outra derrota. Tomara que soh faltem mais dois jogos esse ano, porque parece nao haver remedio. Os corinthianos, mais uma vez, agradecem a preferencia.

    Willian Ifanger,
    Minha lembranca eh muito similar aa sua. Morumbi, semi da Libertadores 2005, SPFC 2 x 0 River Plate. Nunca – repito: nunca – vou esquecer o gol do Danilo, o 1 x 0 sobre o River Plate, por volta dos 30min do 2o. tempo de um jogo muito sofrido. Inesquecivel. Parece ter acontecido ontem aa noite.

    Atualmente, ele parece fazer questao de jogar bem contra o SPFC.

  • BASILIO77

    A importância do Danilo é inagável. Mas isso o torna um titular absoluto?
    Acho que não. Pois também é fato que em alguns jogos ele tem atuações fracas, bem fracas….mas sempre tem uma importância tática, isso tem que ser ressaltado.
    Talvez existam muito poucos “titulares absolutos” hoje no Brasil.
    Acho que com o passar do tempo, os times terão cada vez mais jogadores de mesmo nível(de bom nível) no elenco, propiciando um “rodizio natural” durante a temporada. Elencos homogêneos e de bom nível devem fazer a diferença no BR12 e nos próximos…
    Parece(andei ouvindo isso não sei onde) que a FIFA estuda aumentar o número de substituições durante as partidas, o que só iria aumentar a importância de ter um elenco qualificado e numeroso.
    Caminhamos a passos largos para a supremacia cada vez mais explícita dos clubes com maior orçamento e consequentemente maior capacidade de contratações de bom nível.
    Não há como ser diferente, o futebol é capitalista.
    Abraço.

  • Marcel de Souza

    Eu até hoj enão sei porque o São Paulo não repatriou Danilo… Pior foi vê-lo no rival e como bem disse o Willian, sempre joga bem contra o São Paulo. Na época eu já achava injustos os comentários da torcida.

  • Willian Ifanger

    Marcelo Morais,

    Cara, eu ia colocar esse gol….mas esse primeiro gol contra o River eu estava sozinho em casa, com meu filho recém-nascido, dormindo, e eu estava muito, mas muito nervoso…não via a hora de começar o jogo…quando saiu esse gol bem no comecinho eu dei um “grito em silêncio” (pra não matar o pequeno de susto)….foi o efeito mais relaxante que tive em toda minha vida. Foi inesquecível mesmo.

    Quanto ao jogo, o que me incomodou de verdade foi o nervosismo que o time entrou em campo. Sério, o que valia esse jogo? Era um jogo apenas pra jogar bola e saber como o time estava se comportando. Se estava “evoluindo”. Mas foi um festival de carrinhos e entradas mais fortes que o juiz podia, brincando, expulsar alguém.

    Não acho que faltou raça, vontade, gana de vencer…faltou cabeça, liderança. O time precisa de um cara desses urgente. E foi bom jogar contra um time melhor, muito bem organizado. Tomara que sirva de lição pros próximos jogos.

  • Roberto Carlos

    André, qual a sua opinião sobre esse rolo da Fox Sports com as operadoras? eu acho que o maior culpado é a CONMEBOL pois ela não deveria permitir que o seu produto mais importante fosse parar nas mãos de quem não lhe dava as minimas garantias de que tivesse condições de exibir a competição, será que isso ocorria com a UEFA?

    AK: Não, não aconteceria com a Uefa, que controla como suas competições são exibidas pelas empresas que adquirem os direitos. Um abraço.

  • Marcos Nowosad

    Oi Andre’,

    Vendo o interesse e a emoção gerada pela final da Copa Africana de Nações (vários amigos meus preferiram assistir Zambia e Costa do Marfim a acompanhar os clássicos regionais) e dentro da discussão de como a NFL e a UEFA sabem valorizar os seus produtos, não seria o momento de refletirmos como é desvalorizada uma competição que teria tudo para ser igualmente emocionante e interessante como a Copa América de seleções?

    Porque, enquanto isso, na América do Sul o que temos e’ competição continental mais antiga do mundo (quase centenária!) ser tratada com menosprezo e má vontade por parte de federações, jogadores e parte da mídia. Recentemente, até li pedidos por comentaristas/blogueiros para a competição ser cancelada para sempre, devido aos problemas que cria no calendário sul-americano de seleções(!!!!).

    Mas a dura verdade e’: qual foi a última vez que ouvimos uma final da Copa América causar a o interesse e comoção que a final entre Zambia e Costa do Marfim causou? Infelizmente, ha’ muitos anos, os jogos da Copa America somente servem para alimentar as estatísticas de jogos entre seleções internacionais, mas não para criar histórias de interesse midiático.

    Nada me tira da cabeça que a Copa América poderia ser, sim, um produto interessante e lucrativo, até porque a qualidade dos jogadores que podem atuar por seleções sul-americanas ainda é infinitamente superior do que a dos jogadores que atuam pelas seleções africanas (sem menosprezo para o futebol africano, do qual sou admirador).

    Deixo a bola quicando para você concordar ou discordar que a Copa América tem sim “salvação” como produto de marketing…

    AK: A Copa América é um torneio decepcionante por causa da Conmebol. E olha que o produto está nas mãos da Traffic, que tem todas as conexões possíveis no continente. Um abraço.

  • Marcelo

    O Danilo pode ser o diferencial do Corinthians desde que jogue apenas uma vez por semana. O Corinthians é o único time do Brasil que tem 3 meias de extrema qualidade, se souberem explorar eles com inteligência, rodízio para não se desgastarem, poderemos ter um ano muito bom com uma qualidade de meio campo que não se via desde o Corinthians de 98-00. Abraço.

  • Nilton

    Roberto Carlos
    Tenho uma opinião sobre o assunto “Fox Sports”, todas as empresa de TV pagas sabiam que o Fox não revendeu os direitos de retransmitir os jogos da Libertadores para o SporTV e BandSport, e que a mesma iria transmitir ele atraves do novo canal.
    O que esta em jogo é dinheiro e muito dinheiro. Sem a Libertadores o SportTv e BandSport pede boa parte da sua força para o primeiro semestre, teram que valorizar, e muito, a Copa do Brasil e os Estaduais.
    A Fox no ponto de vista empresarial, tem o produto mais valorizado na america do Sul, que é a Libertadores e tinha o interrese de por um novo produto na praça (o canal Fox Sports), do ponto de vista financeiro/empresarial era o momento prefeito para lançar o produto.
    Para os Assinantes o lado bom é que terá mais 24Hs de programação de esporte na TV, para as empresas que não adirirem ao novo canal terá uma perda de cliente muito grande já que a diferença de preço e qualidade são muito pequena entre elas.
    P.S. A Globo deve esta morrendo de felicidade, pois se isto tivesse acontecido ano passado era perigoso a Record tivesse se juntado com a Fox e compra os direitos de transmissão para TV aberta e Paga.

  • André,

    imagino que você já tenha sabido. Para quem não viu: o encontro de dois mitos.

    Abraço!

  • Apenas para complementar meu comentário anterior: RC deveria aproveitar e visitar também Van der Sar e Buffon.

    Abraço!

  • Francisco Amorim

    André, acho você um chato de galochas. Tem um ar meio pedante, nariz empinado… realmente acho que deveria trabalhar nisso. Assisto às vezes ao Sportcenter da hora do almoço e conheço outras pessoas que tem essa mesma impressão de você.
    Esta é uma crítica de uma pessoa que quer ver você melhorar.
    Um abraço.

    AK: Vou trabalhar forte nisso. Obrigado pela audiência na ESPN. Agora, sobre o post, você tem algo a dizer? Um abraço.

  • Leonardo

    O Francisco Amorim está coberto de razão!

    AK: Mas ele não é um leitor/telespectador tão fiel quanto você. O ser humano é mesmo incompreensível.

  • É uma relação de Amorim e ódio, André… Nem ligue!
    Sobre a matada de bola do Falcão, assisti umas 10 vezes o trecho e conclui que só uma descrição “platônica” como a sua pode explicar aquilo. Fora de série!
    Um abraço.

  • André

    Essa frase no seu texto: “Falcão e a bola. Ela estava escapando, mas percebeu de quem se tratava e resolveu voltar.”
    Isso é uma bela poesia. Algo que no futuro pode ser usado como os textos de Armando Nogueira. O respeito da bola ao mestre. Parabéns, foste extremamente feliz na síntese que define quem é craque e quem é jogador comum. A diferença é o respeito da bola para quem sempre lhe tratou com carinho.
    Uma vez mais, parabéns.

MaisRecentes

No banco



Continue Lendo

É do Carille



Continue Lendo

Campeão de novo



Continue Lendo