SÓ MAIS UM JOGO



Ninguém pode afirmar o que aconteceria se o Vasco enfrentasse a Universidad de Chile (2 x 0, classificada para a final da Copa Sul-Americana) em igualdade de condições anímicas.

E não se ganha nada pensando nessa hipótese.

Na semana passada, após o jogo de São Januário, escrevi aqui que, dependendo do que acontecesse no fim de semana pelo BR-11, talvez fosse o momento de escolher uma das duas competições.

A épica vitória sobre o Fluminense manteve as chances de título do Vasco e, ainda no domingo, a decisão de não “abandonar” a CSA foi tomada.

Surpreendi-me, mas não creio que foi um erro.

Com o time que o Vasco tem, voltar de Santiago com a classificação não era uma tarefa tão improvável. O jogo de ontem mostrou isso.

Só que a situação pedia uma partida em que tudo desse certo, com as coisas acontecendo cedo a favor do clube brasileiro.

Não aconteceram, e aí está o principal problema que o Vasco enfrenta hoje.

Fica evidente a queda de desempenho no segundo tempo, o que faz com que o time tenha pressa. E às vezes, o cansaço e a pressão de um resultado que precisa ser modificado tornam mais difícil o controle dos nervos.

Talvez tenha acontecido com Fágner, expulso no segundo tempo por causa de uma cotovelada. O cartão vermelho resolveu o jogo.

Dizem os jogadores que uma coisa é processar desgaste + alegria. Outra é administrar desgaste + frustração.

O Vasco vinha surfando uma maravilhosa onda do primeiro caso. Agora lidará com o segundo.

Só que tem apenas mais um jogo, no domingo, e nenhum jogador vascaíno precisa se motivar para enfrentar o Flamengo, com um título em questão.

Flamengo que poderá aproveitar uma semana inteira de preparação para o clássico, em que pretende incluir a Copa Libertadores 2012 em seu calendário.

A frase de Juninho, dita após o jogo de ontem (“Não pudemos competir com as mesmas armas”), pode valer também para o encontro do Engenhão. Não se comparam as condições físicas dos dois rivais.

No domingo, o Vasco precisará de toda a magia que marcou sua temporada.



  • Willian Ifanger

    Pode realmente acabar sendo frustante pro vascaíno ver o seu time lutar o ano todo e no final das contas não conquistar nada (tirando a Copa do Brasil). Vai ser motivo de gozação dos rivais, aquele papo de sempre vice, etc…

    Mas, se eu fosse vascaíno, estaria orgulhoso (e acho que todos os vascaínos estão)….começou o ano fazendo um estadual péssimo, sendo até cogitado como candidato ao rebaixamento no Brasileirão…aí veio a Copa do Brasil, o time foi se montando, crescendo e acabou campeão. E, se fosse um elenco de jogadores acomodados, teriam ficado 6 meses de férias, enrolando o torcedor e só esperando a Libertadores-12.

    Mas brigaram por todos os campeonatos como Homens, verdadeiros profissionais. Jogaram pela camisa, pelo clube que paga o salário e pela torcida que sofre. Foi, sem dúvida, o clube mais vitorioso do ano.

    Achei a atitude de jogar com o time completo ontem de uma dignidade ímpar, até certo ponto comovente. Se o futebol precisava de bons exemplos, ontem o Vasco proporcionou mais um). Se o Vasco tivesse um elenco um pouquinho melhor, que conseguisse revezar bem o time, estaria perto dos dois títulos.

    Eu que passei o ano todo torcendo pra um elenco de jogadores que em algum momento da temporada se perderam totalmente e viraram zumbis em campo, fico com inveja de ver um elenco assim. É coisa rara, hoje em dia, e deve ser tratado com muito carinho.

  • Cesar

    André, viu que a CBF vai mudar o regulamento da Copa do Brasil, a partir de 2013? Quem estiver na Libertadores também poderá disputar a Copa do Brasil. Até ai tudo bem, acho legal.
    Serão reservadas seis vagas. Agora, se tivermos apenas cinco brasileiros na Libertadores o clube mais bem colocado no ranking da CBF que já tiver sido eliminado da Copa do Brasil voltará à disputa para preencher a sexta vaga!!! Quer dizer, um time que for eliminado na primeira fase, pode voltar e ainda ganhar o torneio. Como assim? Um time é eliminado e ainda pode voltar, na mesma edição e ser campeão!?!? Não acredito que isso aconteça em algum outro lugar do mundo!!!!

  • Oi André, escrevi um texto que contribui para essa pré-decisão do domingo. O nome dele é: Corinthians: O vilão nacional http://futeboldebolso.com.br/corinthians-o-vilao-nacional/ Espero que goste. =)

  • eduardo pieroni

    Boa ANdré, Rodrigo você esqueceu do corinthians 98/99, e não acho que o SPFC tinha grandes times 2006/2007/2008 é sim como o corinthians de hoje um time muito competitivo os de 2006/2007 então nem se fala perdeu 4 ou 5 jogos no campeonato inteiro, mas valeu o texto bacana abraços.

  • Estou em uma encruzilhada!

    Mesmo corintiano, times como o Fluminense do 2º semestre de 2009 – 2011 e esse Vasco 2011 me encantam pela luta, garra e gana de vencer!

    Qualquer um dos 2 que ganhar será merecedor:

    Corinthians pela regularidade e permanência na liderança, mesmo não sendo o melhor time do campeonato (eficiente sim, melhor não!)…

    Vasco por não se contentar com um título, buscando todos os outros possíveis…

    E não existirá “perdedor”, ao meu ver! Ambos são vencedores, por lutarem até o final!

  • Marcelo Morais

    Caro Willian Ifanger,

    Seu comentario expressa, em todas as letras, meu sentimento. Esse time do CRVG eh um exemplo no mundo do futebol profissional que vivenciamos. Acho que o vascaino tem motivos de sobra para estar muito orgulhoso de seu time.

    E, escrevo mais uma vez, espero que o time do SPFC consiga ver no CRVG um exemplo a ser seguido. Em epoca de papai noel, quero acreditar que isso eh possivel.

  • Anna

    Nada vai tirar a bela campanha do Vasco de 2011 e como você tão bem definiu, a valentia desse time ao atuar em todas as frentes. Estou muito orgulhosa do time, mesmo com a derrota e espero, de coração, que a magia não se esgote no domingo. O texto é perfeito, como sempre.

  • Hey André!

    Mudando de assunto um pouquinho… viu isso daqui?

    Eu pensei um pouco e formei a minha (baseado nos escolhidos, lógico):

    Van der Sar; Daniel Alves, Thiago Silva, Sergio Ramos e Lahm; Schweinsteiger, Xavi e Iniesta; CRonaldo, Messi e Neymar.

    Timinho bom?

    Abraço!

  • (caso o link não tenha aparecido em meu comentário anterior – na visualização que aparece para mim antes da aprovação, não apareceu:

    http://esporte.ig.com.br/futebol/neymar-entra-na-eleicao-da-fifa-para-time-ideal-do-ano/n1597391523388.html

    )

  • Marcos Vinícius

    O Vasco de hoje era algo inimaginável a 3,4 anos atrás. Na época do Eurico nós nos acostumamos a brigar para não cair.Mais do que um time novo,o Vasco vive uma realidade nova,tem uma postura diferente,se preocupou em montar um elenco que tenha “durabilidade”,formado,em sua maioria,por jogadores jovens e de contratos longos.

    Sobre o que aconteceu no Chile na quarta,era meio esperado isso acontecer. Perdeu para um time muito bom,o cansaço bateu,principalmente na segunda etapa,mas não há o que se lamentar. A torcida no aeroporto,hoje,recebendo o time da forma que recebeu,reconhecendo o esforço,a luta dos jogadores,é prova disso.

    Na verdade,embora isso não seja desculpa para nada,o que todos pensam mesmo é no que vai acontecer domingo. O Corinthians tá com a faca e o queijo na mão,tem toda a vantagem do mundo,mas existe a possibilidade não tão remota de o Vasco ser campeão.Se isso acontecer vai coroar um ano mágico para o clube.

    Mas mesmo que isso não aconteça a torcida vai reconhecer a temporada fantástica que esse time fez.

  • Willian Ifanger

    Marcelo,

    Nós, são paulinos, vivemos um momento estranho. Vamos ver se uma reciclagem de elenco e um trabalho mais longo do Leão muda alguma coisa. Tem que acabar essa mentalidade comodista que pegou o clube todo.

  • Carlos

    André,

    Nada como um dia após o outro. Reconheço que na melhor das hipóteses fui um idiota no passado, me desculpe. Parabéns pelo trabalho.

    abs

  • Andre
    O ano era 1983, na vespera de um jogo contra o Internacional pelo Campeonato Brasileiro, o jogador Roberto Dinamite era entrevistado pelo reporter Joao Ferreira da Radio Globo RJ, quando um cozinheiro do hotel interrompeu a entrevista e seguiu-se esse dialogo:
    -O sr e o Dinamite?
    -Sou o Roberto, do Vasco, e meu apelido e Dinamite.
    -O Sr pode dar um autografo para o meu filho, que e torcedor do Vasco e gosta muito do Senhor?
    -Mas por que voce nao trouxe seu filho aqui no hotel?
    -Nao posso, alem o hotel nao permitir, meu filho e tetraplegico, mas ele nao perde um jogo do Vasco, com seu radinho de pilha.
    Roberto deixou de sorrir por um instante e respondeu:
    -Nao vou dar autografo nao. Vou visitar seu garoto.
    -Mas, sr Dinamite, nos moramos no morro, longe demais, como e que um jogador famoso como o sr vai entrar num barraco tao humilde como o nosso?
    -Seu garoto gostaria de me ver?
    -Demais, demais.(ja com lagrimas nos olhos)
    Algum tempo depois, Roberto, com uma sacola com camisas do Vasco, acompanhado de um diretor do Vasco e do cozinheiro, entram num taxi com destino a uma casa humilde na periferia de Porto Alegre.
    Esse e o nosso presidente!
    O maior responsavel por um clube da grandeza do Vasco da Gama voltar a ser respeitado depois dos anos de chumbo.

  • BASILIO77

    Creio que a postura do elenco do CRVG deixou todos os torcedores dos demais clubes com uma pontinha de inveja. Que o exemplo seja seguido, coroado com o título ou não.
    Abraço.

  • Matheus

    André, com de costume, belo texto. Como escreve bem. Agora você tocou numa questão que venho comentando há algum tempo. Devido ao previsível desgaste do segundo tempo, o Vasco começa o jogo a mil por hora, e cria várias chances de gol no início do jogo. Uma pena não convertê-las. Bom exemplo contra o Fluminense. Lembro daquele Corinthians de 99. Já no fim da temporada, jogava dessa forma. Entrava elétrico, tentando resolver logo, pois sabia que no segundo tempo estaria em desvantagem física. Apesar disso, o Vasco resolveu o jogo contra o flu depois dos 30 do segundo tempo. Sendo que o gol da vitória, não preciso dizer que horas foi.

  • Nilton

    Para o Vasco o jogo esta valendo mais por eliminar o Fla da libertadores do que ser campeão, pois para ser Campeão teria que contrar com ineficiencia do time do Palmeira e com o futebol, atualmente apresentado, pelo Corinthians que ainda dar uma pouco de esperança.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo