COLUNA DOMINICAL



(publicada ontem, no Lance!)

ACORDA!! ACORDA!!

Quarenta minutos? Seria ótimo. Trinta? Quinze? O que for possível.

Nessa altura do Campeonato Brasileiro, o Corinthians aceita o que Adriano tiver. O clube está convencido de que o jogador que poderia ser “uma contratação de impacto”, entrando no time a partir de setembro, não chegará à forma de competição em 2011. E decidiu que qualquer contribuição que o atacante puder oferecer, em campo, nas últimas rodadas, será lucro.

Na tarde de 19 de abril, uma terça-feira, não foi apenas o tendão de aquiles do pé esquerdo de Adriano que se rompeu durante um treinamento leve. O mesmo aconteceu com os planos do Corinthians para sua principal aquisição na temporada. O tendão foi reconstituído. Os planos, não.

Adriano se recuperava de uma cirurgia no ombro direito quando se machucou. Buscava condições físicas para jogar a primeira rodada do BR-11. Ainda que ele tenha entrado em campo por minutos, duas vezes, no mês passado, sua estreia não aconteceu. Não como se imaginou. No Corinthians, ninguém acredita que acontecerá. Um alto dirigente do clube tem dito a pessoas próximas que Adriano “não tem jeito”.

A recuperação da cirurgia no tendão foi seriamente comprometida por faltas às sessões de fisioterapia. De acordo com um funcionário do Corinthians, ao longo dos últimos meses, Adriano deixou de comparecer a mais de 40 delas. Houve ocasiões em que ele não se apresentou na condição ideal para trabalhar.

Certa manhã, entre o terceiro e o quarto mês de tratamento, Adriano descansava numa maca no departamento de futebol. Um dos médicos do Corinthians entrou, irritado com o resultado de um exame. O tendão do atacante não tinha evoluído como deveria. “Acorda!! Acorda!!” gritou o médico, que queria mostrar o papel a Adriano, para conscientizá-lo da necessidade de levar a fisioterapia a sério. A cena foi testemunhada por outros jogadores.

Muitas vezes, Adriano foi liberado das sessões. O Imperador elaborou um rodízio de pedidos de folgas, em que alternava os destinatários de suas ligações. Sabia, por exemplo, que se telefonasse à noite para um determinado membro do departamento médico, conseguiria sem muitas dificuldades a autorização para faltar no dia seguinte.

Há algumas semanas, uma decisão interna foi tomada: acabaram as folgas para Adriano. O avanço na perda de peso e o consequente ganho de mobilidade demonstrado nos últimos dez dias, são, também, resultado de um período de assiduidade do jogador. O que leva observadores a se perguntarem em que estágio Adriano estaria hoje, se tivesse tratado toda sua recuperação com profissionalismo.

É fácil, contudo, aplicar a ele o rótulo de irresponsável e culpá-lo por um ano frustrante. Quem quiser analisar o caso com seriedade, sabe que o caminho não é esse.

Adriano pode entrar no jogo deste domingo contra o Atlético Paranaense e transformá-lo. Pode fazer o mesmo nos próximos. Tem talento para tanto. Mas também pode ter apenas um impacto na campanha do Corinthians no campeonato: a noite que saiu de seu apartamento e foi ao Pacaembu, no intervalo, incentivar seus companheiros a virar o jogo contra o Flamengo.



  • Leandro Azevedo

    A dúvida que fiquei após ler o texto é se o fato dele ter saido de casa para incentivar os companheiros contra o Flamengo foi um ato coletivo em prol do time, ou mais um indicativo que o Adriano só pensa no melhor pra ele e procurava ali uma “vingança” pessoal contra o ex-time que não fez esforços para o ter de volta?

    Abraço

  • Marcos Vinícius

    Marcos Vinícius escreve: André, quatro grandes clubes do nosso futebol fecharam as portas para Adriano, inclusive seu clube de coração, pelo qual ele foi campeão brasileiro em 2009. Na sua opinião, isso se deve ao que Adriano (não) tem feito em campo ou a que tem feito fora dele?

    Resposta: Ambos. Contratar Adriano é adquirir um pacote: você recebe o atacante perigoso, de ótima presença na área e chute forte. E recebe também o jogador que precisa ser tratado de forma diferente dos outros, porque não quer/não consegue mais ter um comportamento profissional. Vale a pena? O fato de o Flamengo, clube em que Adriano fez sucesso em 2009, não querer (pelo menos por enquanto, de acordo com o que se noticiou) trazê-lo é significativo. Eis um clube que sabe exatamente como é conviver com ele. Mas acho que é prudente aguardar. Adriano ainda vai demorar um tempo em recuperação de sua lesão no ombro e as coisas podem/devem mudar. Ele receberá ofertas.

    Isso foi em março desse ano.O que ficou constatado disso?

    Para Adriano ser o atacante perigoso ao qual você se referia,Adriano tem que querer ser esse atacante.Qualidade ele tem,é um dos melhores do Brasil,o problema é sua evidente falta de profissionalismo e seu desinteresse por corresponder as expectativas de quem o contratou.Adriano é um dos jogadores com maior salário no Brasil,mas tem a pior relação custo/benefício da história do nosso futebol.Veja,por exemplo,quanto ganha Borges no Santos,o quanto o Santos investiu no rapaz e os resultados apresentados pelo mesmo.Duvido que Borges chegue a ganhar a metade do que ganha Adriano.Quando o Flamengo se recusou a contratar Adriano foi porque sabia o que levaria,sabia dos problemas extra campo do atacante,e que Adriano não tem interesse em mudar sua visão do que é ser profissional.O fato é:Adriano não admite ter o mesmo tratamento dos outros jogadores,acha que com sua qualidade pode entrar e decidir o jogo.Mas ele entrar em campo tem sido algo que o Corinthians tem tentado insistentemente,mas sozinho.

    O que Adriano realmente precisa é de um dicionário,e nele procurar o significado de profissionalismo,responsabilidade e confiança.

    Adriano não quer acordar de seu sonho,o sonho do menino pobre da Vila Cruzeiro,que sonhava ter fama e fortuna,mas não foi preparado para lidar com ambas.

  • O futebol profissional depende cada vez mais dos amadores. Adriano, por exemplo, não ama o futebol. Um abraço.

  • Emerson

    O Coringão vai precisar de um novo centroavante ano que vem, pois não acredito na recuperação de Adriano, para piorar, o Liédson tem sérios problemas físicos. Já ouvi de algumas pessoas que considero sérias na imprensa que o luso-brasileiro deve passar por procedimento cirúrgico ao final da temporada. Para mim uma cirurgia num jogador que completará 34 anos em 2012, deve comprometer seu desempenho na próxima temporada, aliás já está comprometendo. O Levezinho não tem jogado nada já faz um tempo.

  • Mário

    André,
    É aquela frase da canção popular: “pau que nasce torto não tem jeito morre torto”. As chances que o time de Roma/Itália deu e agora o Corinthians está dando é inacreditável que um profissional ainda falta a 40 fisioterapias recomendadas pelos médicos.

  • Clayton

    Torço para a recuperação do Adriano. Em 2008 ele foi bem no São Paulo. Mas teve que ser “domado”.

  • lm_rj

    corinthians pega fora de casa o ceará e o bom figueira (disposto a fazer história e conseguir vaga p/ libertadores pela 1a vez na sua história)
    em SP pega um Galo perigoso e desesperado, time de tradição, de massa e de camisa acostumado em sua história a vencer seja no pacaembu, maracanã, olimpico, enfim nos maiores palcos brasileiros, e seu eterno rival palmeiras q ainda nao escapou do rebaixamento e nao irá facilitar as coisa, tenham certeza
    vasco pega palmeiras fora, avai em casa (em tese um jogo fácil, coisa q o corinthians por ex. não terá daqui p/ frente), fla e flu, onde tudo pode acontecer
    Não é inviavel imaginar vasco e corinthians perdendo e/ou empatando alguns destes jogos
    de maneira que o campeonato permanece em aberto e quem poderá dizer q fla, flu, figueira (!!!) e até botafogo não podem sim ser campeões desde q vençam seus ultimos 4 jogos (q não são tão complicados como os de vasco e corinthians, diga se de passagem)…

  • Caio

    Ele não será o culpado por um possivel ano de seca do corinthians, concordo, mas rotulá-lo como irresponsável é obrigação, ainda mais para vocês da imprensa que formam opinião. O Adriano se acha acima do bem e do mal, jogou fora o talento que Deus deu pra ele, a oportunidade que muita gente corre atrás a vida inteira.

    Nele sobram falta de respeito e de consideração, questões de caráter, pra não falar de outros pontos de total falta de educação. Depois ele vem reclamar que a imprensa não o trata com o carinho que ele precisa, tadinho…

    Ele tem que servir de exemplo do que não deve ser feito.

MaisRecentes

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo