CAMISA 12



(publicada ontem, no Lance!)

O PROVEDOR

A partir do próximo domingo, se tudo correr como o planejado, o São Paulo que vimos até agora na temporada deixará de existir. Desaparecerá, ao menos, como identidade principal de um time que não sabe atacar, só contra-atacar. Luis Fabiano é o transformador.

Um time que tem um camisa 9 “clássico”, jogador de área, não age em seu melhor interesse se não criar soluções futebolísticas para utilizá-lo. Jogadores assim precisam ser alimentados. São definidores que entram em cena no instante em que a jogada passa de lance comum a um dos melhores momentos.

Isso não quer dizer que Luis Fabiano não funcione numa equipe especializada no contragolpe. A Seleção Brasileira de Dunga era assim e, nela, o centroavante brilhou. Mas são enormes as diferenças entre os dois times. Com Luis Fabiano em campo, o São Paulo será obrigado a deixar de ser, primordialmente, um aproveitador de espaços. Terá de se converter em criador. Aí está a chance para Rivaldo emplacar sua campanha pela titularidade.

Analisando os jogadores do São Paulo apenas por suas qualidades e defeitos, é escandalosamente evidente que Rivaldo é um dos mais capazes. Se técnicos fossem obrigados a respeitar a “lei” do futebol que diz que os melhores devem jogar, não estaríamos aqui tratando da configuração mais conveniente para o veterano (no melhor sentido). Mas times são montados como engrenagens em que funções se complementam, conforme o sistema que se pretende usar. Não basta ser craque, tem de “funcionar”.

A presença de LF também elimina a possibilidade da escalação de Rivaldo mais avançado, como um atacante. A não ser numa situação de emergência. O São Paulo ganhará muito mais se ambos formarem uma parceria em que Rivaldo pensa e Luis Fabiano age. Um constrói, o outro assina.

Para Rivaldo jogar, a questão não é física. É técnica. Sua missão é repetir o que tantos jogadores talentosos já fizeram: adaptar-se a uma nova função que, acima de tudo, exige o QI futebolístico que ele sempre teve.

Se Rivaldo conseguir ser o viabilizador de Luis Fabiano, não precisará pedir para ser titular.

DIREITO

Perfeita a nota sobre Mário Fernandes publicada aqui, ontem, por Eduardo Tironi. Jogador deve servir a Seleção Brasileira, se quiser. Deve divulgar publicamente seus motivos, se quiser. Verdade que seria melhor se ele comunicasse sua decisão à CBF no dia em que foi convocado. Mas se estava em dúvida, por qualquer motivo, é seu direito. A imagem da “pátria de chuteiras” é uma demagogia que desrespeita o futebol.

DEVER

Recusar-se a entrar em campo, como aparentemente fez Carlitos Tevez anteontem, é – isso sim – inadmissível. Flagrante desrespeito com clube, técnico, companheiros e torcida. Postura de “prima donna”, que contrasta com a atitude “no limite” de Tevez dentro de campo. Ocorre que ser um bom jogador (e ele é muito bom) é diferente de ser um bom profissional. Mesmo com as explicações, é difícil defender o argentino.



  • Anna

    Também acho que o São Paulo será outro com Luis Fabiano. Achei a atitude de Mario Fernandes esquisita, mas acho que ele tem todo o direito de não atender a um pedido da seleção. Só podia ter avisado antes que não responderia à convocação, não deveria ter deixado para a última hora.

  • Willian Ifanger

    Grande coluna André.

    Dia de conferir essa espera toda ao vivo.

  • Cássio Luis Parra

    Dia 12no morumbi, no show do Eric Clapton, corre algum risco de eu encontrar vc lá e bater uma foto com vc ? Abraço.

    AK: Se eu estiver lá, evidente que sim. Mas ainda sou dúvida, infelizmente. Um abraço.

  • Marcelo Morais

    Espero que voce esteja certo, Andre, e que o SPFC se torne um time que saiba, alem de atacar, converter boas jogadas de ataque em gols. Confesso ainda estar um pouco cetico em relacao ao efeito transformador de LF na equipe. A expectativa em torno de sua (dele) reestreia pode acabar gerando furstracao.

  • Carlos Futino

    André,

    adorei a definição “ocupador de espaços”. Definiu bem o que o time tem feito nos últimos jogos.
    Você acha que existe tempo hábil para o SPFC aprender uma nova forma de jogo? Afinal, já estamos indo para a 27 rodada.

  • Gustavo Xavier Almeida

    André, boa noite
    perfeita todas as suas definições; leio sempre teu blog e raramente discordo de vc e qdo discordo vc consegue ser tão convincente de tuas opiniões que eu acabo ficando em duvidas;

    um forte abraço e saude pra tua familia.

  • Marcos Vinícius

    Cara,nada disso.Rivaldo é bom,mas é lento e não marca,até mesmo pela idade.Há de se entender.A defesa não é sólida e os meias são inconstantes,embora de qualidade indiscutivel.Luis Fabiano deve demorar algumas rodadas para pegar ritmo de jogo e se readaptar ao futebol jogado no Brasil,muito diferente ao europeu,onde atuou por muitos anos.Se o SPFC estiver pensando em montar a base para ano que vem,ótimo.Tem peças de qualidade.Tenho alguns colegas que afirmam que o SPFC é potencial candidato ao título.Pode ser que eu me engane,mas acho que o máximo que esse time consegue é uma Libertadores.Sem contar que o time joga de acordo com o estilo de seu treinador.E não é a chegada de um jogador do quilate de LF,matador nato,que vai fazer com que time e treinador mudem suas características.
    Na minha opinião,nada mudará no São Paulo.Pelo menos por enquanto.

MaisRecentes

Em frente 



Continue Lendo

Acordo



Continue Lendo

Futilidade



Continue Lendo