LEMBRANÇAS DE BELÉM



O Superclássico das Américas começou bem.

Com o Mangueirão cantando o hino nacional em versão “acústica”, criando um ambiente impossível de ser ignorado até pelo mais experiente dos boleiros.

O final foi arrepiante.

Em São Paulo, o hino brasileiro tem sido frequentemente desrespeitado pela genial ideia de executá-lo (cabe o sentido funerário do termo) antes de todos os jogos de futebol.

Transformou-se numa música qualquer, mais um empecilho que se coloca entre o público e o jogo.

Antes de uma partida da Seleção Brasileira, sim, faz sentido. E a torcida paraense ofereceu um recital.

Mas o primeiro tempo foi só um pouquinho melhor do que o que vimos em Córdoba.

Por falta de jogadores com as características adequadas para manter a posse e fazer as coisas acontecerem, a Seleção exibiu as mesmas dificuldades conhecidas, quando se vê diante de um adversário cauteloso.

Se observarmos os últimos anos, desde antes da Copa de 2010, esse tipo de situação tem sido comum.

Incomum, falando das atuações recentes, foi o bom futebol produzido no segundo tempo. Quando a categoria de Danilo, a tranquilidade de Cortês e a velocidade de Lucas e Neymar (sem falar no comando de Ronaldinho, ou estaria eu, sozinho, ao achar que ele foi bem?) enquadraram a Argentina e poderiam ter marcado mais do que os 2 x 0.

Só é obrigatório manter bem perto dos olhos que esse time argentino que esteve em Belém é frágil.

Lógico, teria sido péssimo não vencê-lo, e não foi exatamente uma surra em bêbado. Mas supervalorizar o resultado (como, por exemplo, não perceber que  a expressão “Superclássico” é  apenas um – exagerado – instrumento de marketing e negócio) seria desperdiçar uma noite que teve aspectos positivos.

O principal deles talvez seja o efeito benéfico de vencer um jogo com mérito, num ambiente totalmente favorável, sobre um trabalho que está demorando – por vários motivos –  a aparecer.

Quando a Seleção se reunir de novo, para os próximos amistosos, é evidente que o ar estará mais leve. Principalmente para a comissão técnica.

O grupo que esteve no Mangueirão se lembrará da noite de ontem com uma agradabilíssima sensação.

Quem viu o jogo – lá ou longe – se lembrará de um tempo de bom futebol.

E de um coral de 43 mil vozes.

 

 



  • Joao CWB

    Mas no próximo jogo já será outro time, ao meu ver pior. Será o mesmo time que há vários jogos só faz partidas pífias.

    Abraço

  • CABE lembrar as motivações políticas advindas desse jogo em Belém. Belém perdeu a vaga de subsede da Copa 2014 para Manaus. O Pará era governado pelo PT. Os políticos de oposição, mídia e Ricardo Teixeira deixaram Belém – que respira dia e noite futebol – para beneficiar Manaus. E agora, que não é mais o PT quem governa e sim a oposição dantes, me vêm com esse evento ‘prêmio de consolação’, do Brasil contra uma seleção argentina B ou C?

    Outra coisa: tudo preparado para não falhar, e falha exatamente o sistema de som bem na horinha do hino? Sei não! Coisa talvez para a Globo repercutir.

  • eduardo pieroni

    boa ANDRÉ, o sistema de som, falhou???? ou só é executado uma pequena parte do hino foi isso que entendi e depois o publico levou o hino até o final.

  • Tarcísio

    Concordo com tudo, menos com Ronaldinho bem. Ele quis aparecer demais, quando errava era aquela mascara toda(olhava pro chão, fingia uma dorzinha na virilha), pra mim ele fez mais graça do que jogou. Mas sem dúvida merece estar no grupo.
    abraço

  • Anna

    Achei o gol de Lucas muito bonito! Só vi o primeiro tempo, mas valeu. Agora, Mano terá um pouco de sossego para trabalhar.

  • Jairo

    Discordo do Gaúcho na seleção q aliás ele NUNCA jogou nada a não ser contra a Venezuela, Haiti e alguma outra bicheira, isso sem contar q ele não joga bem mesmo há mais de 5 anos, mas como é excelente malabarista com a bola fica aquela sensação de q é um gênio fora do comum gerando entre os mais novos até comparação com o Pelé o q é uma heresia, foi um craque assim como foi o Denilson, o Raí , o Bebeto nada além disso,nada não, ele é mais malabarista com a bola do q os outros citados.

  • Jairo

    O q uma copa do mundo faz falta pra um Zico, foi excelente jogador, cerebral, chutava bem de fora da área de dentro tb, batia faltas, armava o jogo e muito mais,mas como não ganhou uma copa é colocado num segundo escalão de jogadores no qual o Ronaldinho estaria no primeiro, tirando o tempo q o Ronaldinho jogou em outra seleção do Barcelona, um time q era muito bom tb em 2006 onde conquistou a Champions, o q mais ele conquistou em títulos importantes na carreira??? A copa do Mundo não vale.
    Quem souber e quiser responder…

  • Leandro Azevedo

    Jairo,

    Grêmio:
    Campeonato Gaúcho: 1999
    Copa Sul: 1999

    Paris Saint-Germain
    UEFA Intertoto Cup: 2001

    Barcelona
    Supercopa de España: 2005, 2006
    La Liga: 2004-05, 2005-06
    UEFA Champions League: 2005-06

    Flamengo
    Taça Guanabara: 2011
    Taça Rio: 2011
    Campeonato Carioca: 2011

    Seleção Brasileira
    Mundial Sub-17: 1997
    Copa América: 1999
    Copa do Mundo: 2002
    Copa das Confederações: 2005
    Jogos Olímpicos: Bronze em 2008
    Superclássico das Américas de 2011

    Prêmios individuais
    FIFA 100: 2004
    All-Star Team da Copa do Mundo da FIFA: 2002
    Melhor Jogador do Mundo pela FIFA: 2004, 2005
    Melhor Jogador da Copa das Confederações: 1999
    Ballon d’Or: 2005
    Onze d’Or: 2005
    Melhor Jogador do Mundo pela World Soccer: 2004, 2005
    Jogador da Década da Revista World Soccer: 2009
    Melhor Jogador do Mundo pela FIFPro: 2005, 2006
    FIFPro World XI: 2005, 2006, 2007
    Bola de Prata da Revista Placar: 2000
    Don Balón – Melhor jogador estrangeiro: 2004, 2006
    Troféu EFE: 2004
    Jogador do Ano da UEFA: 2005-06
    Atacante do Ano da UEFA: 2004-05
    Equipe do ano da UEFA: 2003-04, 2004-05, 2005-06
    Revelação do ano no Campeonato Gaúcho: 1999
    Golden Foot Award: 2009
    Melhor atacante – Campeonato Carioca : 2011

    Artilharias

    Grêmio
    Campeonato Gaúcho: 1999 (15 gols)

    Flamengo
    Taça Rio: 2011 (2 gols)

    Seleção Brasileira
    Copa das Confederações: 1999 (6 gols)
    Torneio Pré-Olímpico Sub-23: 2000 (9 gols)

  • Elidio

    O ronaldinho nao foi brilhante, mas claramente se portou como um bom lider no segundo tempo… Gostei bastante.

  • Rita

    Nada mal a escalação do Lucas e do Cortês… Nada como bons questionamentos pós Córdoba.

    Assim, o prestigiado Mano terá mais um tempo para decidir se vai de convocações do tipo de Renato Abreu, Kleber, André Santos e tantos outros, ou se de fato vai trabalhar para montar um time que disputará a próxima copa.

    Enquanto isso sigo torcendo para que o Ney seja o técnico do time em Londres.

  • Rafael Wuthrich

    Também acho que Ronaldinho jogou de forma madura ontem. Curioso – ele atuou como gostaríamos que Ganso atuasse, cadenciando quando preciso e acelerando nos momentos chave. Comandou o time e foi o capitão que Neymar e cia precisavam. Foi bem marcado e mesmo assim abriu o espaço para que os garotos brilhassem. Será que ele pode ser a referência que faltava a essa nova seleção?

  • Foi só eu quem achou que o Montillo jogou bem e que deveria ser, pelo menos, opção no banco da Argentina daqui pra frente?

  • Jairo

    Ao Leandro

    Boa tentativa de achar títulos pra ele, mas me referi à títulos importantes, em 2005 o campeão da champions foi o Liverpool, portanto ele não pode ter sido bi-campeão.
    Vc apelou pra títulos inexpresivos demais e eu falei de títulos importantes, lá liga, supercopa da espanha são torneios ridículos e q nada somam ao futebol, nada mais é do q um caça níquel de lá, citar a taça guanabara então foi a maior apelação.
    Ele ganhou a Copa do Mundo de 2002 e a Champions em 2006, o resto é título meia-boca ou premiações individuais, citar tb o “superclássico das américas” foi uma piada sua não foi?????

    AK: 2005-06 é a temporada. “La Liga” é o Campeonato Espanhol. A Supercopa da Espanha (campeão da Liga x campeão da Copa do Rey) é um troféu tradicional e importante no futebol espanhol. Todos têm direito às próprias opiniões, mas não aos próprios fatos. Um abraço.

  • Jairo

    E mais, ele nunca ganhou um campeonato Italiano, Espanhol e Brasileiro, nunca ganhou uma Libertadores, Mundial de clubes e isto jogando num dos amiores elencos do mundo q era o Barcelona, aqui no Brasil milhares de jogadores ganharam mais títulos estaduais do q ele, eu gostaria de ve-lo no meu time mas é uma decadência pura seu futebol, somente lampejos do craque q um dia foi e dos malabares q ainda sabe fazer, é claro q pode arrebentar com um jogo mas é muito mais jogador da mídia do q realmente é.

    AK: ?!

  • Leandro Azevedo

    Jairo,

    Eu não achei títulos, esses foram os títulos que ele ganhou na carreira… apenas copiei a informação da Wikipedia. E parece que você simplesmente ignorou, pq lá claramente mostra que ele ganhou SIM não um mas 2 campeonatos espanhóis e um Italiano.

    E como ele poderia ganhar a Libertadores jogando no Barça??

    Tentar tirar o mérito que o R10 teve nas conquistas do Barça nas temporadas de 2004 a 2006 é sacanagem…

  • Leonardo atleticano

    André, o primeiro tempo da seleção foi muito fraco.
    A torcida mostrou novamente o seu valor, continuou apoiando o time, mesmo com o primeiro tempo fraco contra um adversário ruim. Fosse o jogo aqui no sudeste/sul, a tranquilidade teria se acabado, a pressão seria grande, vaias e mais vaias e o resultado poderia ter melado.
    Neymar disse que não consegue aplicar alguns drilbles que o Messi aplica, concordo. Mas o que ele mais precisa aprender com o Messi é jogar sério, concentrado e coletivamente. Muitos lances se perdem pela sua sempre opção de fazer o mais dificil.
    Queimei minha língua com o Cortês, jogou bem e com muita vontade. O Gaúcho vai sempre pagar pelo seu passado, ninguem que já o viu destroçar pelo Barça, acha que ele está bem agora, parece sempre abaixo.

  • Luiz

    Não, ele nunca ganhou um italiano. Ganhou o campeonato espanhol, a copa do rei e a copa do mundo. A copa do rei é um torneio, apesar de tradicional, pouco importante, na minha opinião AK. Nunca fui pra Espanha, mas não imagino aquela briga da mulecada sobre qual o melhor time e um deles falando “meu time ganhou NOOOOOOOOVE copas do rei!!!”, sei lá, posso estar enganado, mas não vejo essa cena… Mas não vejo no Gaúcho um jogador decisivo em partidas decisivas. Em campeonatos de pontos corridos e até nas fases iniciais da UCL, ele desfilava um belíssimo futebol, mas a final do Barça contra o Arsenal foi triste de ver. Gaúcho me decepciona, ao contrário do Kaká. Este sim eu vejo voltando a seleção, pegando a camisa 10, e indo pra cima. E não achei que o Gaúcho jogou bem (voltamos a opinião), mas ainda assim, não jogou mal, fez o dele. Como disseram, fez o que o Ganso só conseguiu fazer contra os EUA. Mas ainda acho que lá tem nome: Kaká. E se o Damião bobear (porque o Pato já bobeou) o Luís Fabiano também volta.

MaisRecentes

Invasões bárbaras



Continue Lendo

Flamengo 1 x 1 Independiente



Continue Lendo

Relíquia



Continue Lendo