CAIXA-POSTAL



Aos assuntos da semana:

Rodrigo escreve: André, você não acha excessivo o oba-oba pelas recentes atuações do Leandro Damião? Concordo que ele tem apresentado boas atuações, sendo o artilheiro do ano no Brasil, fazendo gol atrás de gol, mas tivemos casos recentes de “atacantes mandrakes” e que depois nunca mais apresentaram o faro de artilheiro. Não acha que ele pode estar apenas em um ano iluminado e não seria mais sensato aguardar para alçá-lo, de fato, à condição de artilheiro? Digo isso porque tivemos casos recentes de atacantes do Brasileirão que no longo prazo não se concretizaram, como: Keirrison (2008), Josiel (2007) e Souza (2006). Qual a sua opinião?

Resposta: Não vejo oba-oba. Damião tem feito gols com frequência e mostrado evolução em sua formação incomum como jogador. Os elogios que ele vem recebendo são compatíveis com seu desempenho. Não vi exageros nas análises.

______

Adriano escreve: Olá, André. Queria saber se você gosta de rugby e se está acompanhando a Copa do Mundo?

Resposta: Gosto. Gosto do ambiente, do “amadorismo” que caracteriza o comportamento dos jogadores, as relações entre adversários e a forma como o esporte é sempre colocado como o mais importante. O rugby tem muita coisa a ensinar, por exemplo, ao futebol. O respeito à arbitragem é um dos aspectos que mais me chamam a atenção. Sobre a Copa do Mundo da Nova Zelândia, tenho visto melhores momentos, trechos de alguns jogos. Infelizmente, os horários são crueis para quem precisa estar de pé às 6 da manhã.

______

Marcelo escreve: Você não deu sua opinião no blog sobre a polêmica entre Ceni e Neymar, por isso gostaria que comentasse na caixa-postal, se possível.

Resposta: Não haveria polêmica, se as pessoas se preocupassem em analisar o que foi dito, como e por quê. E se não fizessem questão de transformar a conversa num jogo entre São Paulo x Santos, ou amigos de Neymar x amigos de Ceni. Rogério foi ao Bem Amigos, o assunto surgiu, ele deu a opinião dele. Concordando ou não, acho sempre importante quando jogadores de futebol dizem o que pensam. É óbvio que não há como detectar o percentual de faltas que Neymar cava, mas ele vem se caracterizando por esse tipo de “estratégia”. Isso não quer dizer que Neymar não sofra faltas, ou que não seja vítima de entradas violentas. As pessoas têm essa mania absurda de achar que as coisas são excludentes. Considero Neymar, atualmente, o melhor jogador em atividade no Brasil. Quem acompanha este blog é testemunha dos meus elogios e de minha empolgação com a qualidade e o potencial dele. Mas é um fato que ele tem o hábito de cavar faltas, e que recebe esse tipo de orientação.

______

Nilton escreve: André, concordas com o Wilander (Mats, ex-tenista sueco) que estamos assistindo o melhor tênis de todos os tempos?

Resposta: Minha primeira reação ao ler a declaração foi pensar: “bom, se o Wilander está falando…”. Mats Wilander sempre será um dos meus tenistas preferidos. Vi muito ele jogar numa época em que havia vários gênios do esporte se enfrentando todas as semanas. E se alguém que viveu aqueles tempos pensa que o tênis atual é o melhor da História, é obrigatório dar crédito à opinião. Só faço um comentário: é bem provável que, sim, os jogos entre Federer x Djokovic x Nadal sejam o melhor nível de tênis que já se viu. Eles têm produzido encontros épicos. Mas quando não estão envolvidos, creio que o patamar despenca.

______

Como sempre, obrigado pelas mensagens. Até o próximo sábado.

(emails para a CP do blog: akfouri@lancenet.com.br, ou clique no link abaixo da foto)



  • Anna

    Eu adoro rúgbi, mas não consegui ainda ver nenhuma partida. Torço pela Inglaterra. Os jogos de tênis entre Federer e Djoko e Djoko e Nadal foram épicos. Somos privilegiados de vê-los atuarem. Bom final de semana a todos, Anna

  • Willian Ifanger

    Esse discussão Ceni x Neymar desperta o que há de pior em certos jornalistas. E é incrível como grande parte da torcida vai na onda, tomando as dores do jogador do seu clube. Eu li que até fizeram dvd pra mostrar os lances de falta que o Neymar recebeu (povo atrasado, já estamos no Blu-ray faz tempo).

    Concordo com o que você disse sobre o tênis de hoje: tirando os jogos entre os três grandes, o resto empolga pouco. Aliás, não vejo um (ou mais) nome(s) surgindo pra ocupar o lugar dessa gente. Na geração anterior de Sampras, Agassi e Kuerten havia coadjuvantes que complicavam bem mais.

  • Paulo Pinheiro

    Oi, André!

    A “questão” Ceni x Neymar não me faz pensar num possível menosprezo do talento do segundo por parte do primeiro.

    Mas me faz pensar em outra coisa. Lembro que há alguns anos, quando adversários reclamavam da pancadaria de jogadores como Lugano e Josué o Ceni saía em defesa dizendo que eles “são viris, mas jogam limpo”.
    É um problema de interpretar que quem chega e joga o craque no chão está perfeitamente correto. Faz pensar na perseguição que o Sávio (Flamengo) sofreu e todos chamavam ele de “cai-cai”.

    Enfim, me faz pensar que jogadores como Rogério Ceni apoiam o uso da força física (nem sempre de forma limpa) em detrimento do talento.

    Um abraço

  • BASILIO77

    “Todos tem goleiro, o SPFC tem Ceni.” É verdade. Eu queria ter “um Ceni” no meu time.
    Excelente dentro de campo e um excelente REPRESENTANTE do clube fora de campo, diante da mídia.
    Concordemos ou não com suas declarações, sobre diversos temas, ele SEMPRE defende os interesses de seu clube. Poucos, quase ninguém faz isso como ele. Poucos, quase ninguém tem o “peso” que ele tem.
    Os consumidores de notícia tem que ter essa visão e não entrar numa birra sem sentido, é cada um defendendo seus interesses. Normal.
    Abraço.

  • Teobaldo

    Em relação a rugbi não há dúvida: Os comerciais sobre o esporte são muito melhores que o esporte em si. Os caras são muito criativos.

    Em relação ao tênis tive o privilégio de ver jogando juntos (contra) na mesma época e no auge de suas carreiras:

    (1) Nastasi; Borg; Conors; Ashe; Villa
    (2) Borg; McEnroe; Tanner; Noah; Lendl;
    (3) Lendl; McEnroe; Edberg; Wilander; Curier; Becker;
    (4) Becker; Curier; Agassi; Sampras.

    Concordo com o André Kfouri em dois pontos: (1) que havia mais gênios em ação ao mesmo tempo em temos passados (pelo menos foi isso que entendi) e (2) quando Federer, Djokovic e Nadal não jogam o nível cai muito.

    Em relação ao Djokovic, confesso: Nunca achei que o jogo dele fosse chegar no nível atual.

    Fica aí um bom assunto para discussão.

    Um abraço a todos.

  • Gilson

    Boa tarde! André penso exatamente como você. O Rogério apenas emitiu sua opinião sobre o assunto, levantado no programa. Ele de forma alguma denegriu a imagem do Neymar, pelo contrário, disse claramente que hoje ele é o melhor jogador brasileiro e que na sua opinião uma parte das faltas marcadas pelos juízes brasileiros, não seriam faltas. Outra coisa que ele se posicionou contra, foi em relação a preservar o Neymar. Ele deixou bem claro que todos tem que ser preservado não só o Neymar.
    Na minha opinião, hoje a grande diferença entre Neymar e Messi é exatamente essa. Enquanto o argentino tenta ficar em pé, enquanto os adversários tentam para-lo com faltas, o brasileiro cai ao primeiro esbarrão.

  • Alexandre

    Uma coisa é o cara comentar um lance específico, algo do tipo “o Neymar se jogou em tal lance”. Isso é uma opinião.
    Outra completamente diferente é o cara afirmar que metade das infrações marcadas no Neymar não existiu. Será que o Ceni tem tempo e disposição de ficar vendo a maioria das partidas do Santos? Acho que não, né! Então é um “chute”, uma opinião leviana sobre um colega de profissão baseada apenas no senso comum.
    Sendo um cara “autêntico”, será que ele falaria o mesmo de um colega de time? Ou não tem ninguém no São Paulo que pratique o “jumping”?
    E lembrando que o Ceni é o mesmo jogador que criticava veementemente a “paradinha”, para depois ele mesmo executá-la quando teve a oportunidade.

MaisRecentes

Escolhas



Continue Lendo

Gracias



Continue Lendo

Abraçados



Continue Lendo